SANEAMENTO BÁSICO 
VITOR CARVALHO QUEIROZ 
26/08/2014
O que é saneamento 
 Abastecimento de Água 
 Esgotamento Sanitário 
 Manejo de Resíduos Sólidos 
 Drenagem Urbana
Caracterização 
Abastecimento de Água
Abastecimento de Água 
Algumas Questões: 
 Demanda crescente x disponibilidade decrescente 
 Dificuldade em encontrar mana...
Caracterização 
Esgotamento Sanitário
Caracterização 
Algumas Questões: 
 Coleta sem tratamento 
 Complexidade do tratamento crescente devido poluição 
crescent...
Caracterização 
Resíduos Sólidos
Manejo de Resíduos 
Algumas Questões: 
 Prazo Encerramento Lixões 
 Geração eelleevvaaddaa ddee rreessíídduuooss 
 Coleta ...
Drenagem
Drenagem Urbana 
Algumas Questões: 
 Impactos da Urbanização 
Drenagem Convencional x Drenagem  SSuusstteennttáávveell 
 M...
Contextualização – Políticas Correlatas 
 Lei 6.938/1981 – Política Nacional de Meio Ambiente 
 Lei 9.433/1997 – Política ...
Desafios 
 Universalizar os serviços de saneamento 
 Incorporar de fato os componentes de resíduos e drenagem 
na agenda d...
Desafios 
 Elaborar os planos de saneamento de forma compatibilizada 
com os planos diretores de bacias e outras políticas...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz / COBRAPE

829 visualizações

Publicada em

Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz / COBRAPE

Palestrantes:
Marcus Vinícius Polignano - Presidente do CBH Rio das Velhas
Vítor Carvalho Queiroz – Agência Reguladora de Água e Esgoto (ARSAE – MG)

Debatedores:
Prefeituras de Prudente de Morais, Jequitibá, Funilândia e Sete Lagoas.
Serviço Autônomo de Água e Esgoto em Sete Lagoas (SAAE)
Coordenador:
Ênio Resende de Souza – Emater e Vice Presidência do CBH Rio das Velhas

21h20 às 21h30
Encerramento: Lairson Couto – Coordenador Geral do SCBH Ribeirão Jequitibá

Data: 26 de agosto (terça feira)
Local: Centro Universitário de Sete Lagoas – UNIFEMM
Endereço: Av. Marechal Castelo Branco, 2765 - Santo Antônio | Sete Lagoas.

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
829
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
169
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Vitor Carvalho Queiroz / COBRAPE

  1. 1. SANEAMENTO BÁSICO VITOR CARVALHO QUEIROZ 26/08/2014
  2. 2. O que é saneamento Abastecimento de Água Esgotamento Sanitário Manejo de Resíduos Sólidos Drenagem Urbana
  3. 3. Caracterização Abastecimento de Água
  4. 4. Abastecimento de Água Algumas Questões: Demanda crescente x disponibilidade decrescente Dificuldade em encontrar mananciais para abastecer centros urbanos Necessidade de tratamento mais complexo ddeevviiddoo àà ppoolluuiiççããoo de cursos d´água Custo elevado de energia Perdas Elevadas Soluções para o meio rural
  5. 5. Caracterização Esgotamento Sanitário
  6. 6. Caracterização Algumas Questões: Coleta sem tratamento Complexidade do tratamento crescente devido poluição crescente e nnoovvooss uussooss ddaa áágguuaa Altos investimentos iniciais Custo Elevado de Energia
  7. 7. Caracterização Resíduos Sólidos
  8. 8. Manejo de Resíduos Algumas Questões: Prazo Encerramento Lixões Geração eelleevvaaddaa ddee rreessíídduuooss Coleta Seletiva Catadores Necessidade de olhar toda a cadeia
  9. 9. Drenagem
  10. 10. Drenagem Urbana Algumas Questões: Impactos da Urbanização Drenagem Convencional x Drenagem SSuusstteennttáávveell Manejo Integrado das Águas Urbanas
  11. 11. Contextualização – Políticas Correlatas Lei 6.938/1981 – Política Nacional de Meio Ambiente Lei 9.433/1997 – Política Nacional de Recursos Hídricos Lei 10.257/2001 - Estatuto das Cidades Lei 11.445/2007 – Política Nacional de Saneamento Lei 12.305/2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos Lei 12.608/2012 – Política Nacional de Proteção e Defesa Civil
  12. 12. Desafios Universalizar os serviços de saneamento Incorporar de fato os componentes de resíduos e drenagem na agenda do saneamento Implementar ações não estruturais de forma a dar sustentabilidade a Política Pública de Saneamento
  13. 13. Desafios Elaborar os planos de saneamento de forma compatibilizada com os planos diretores de bacias e outras políticas públicas correlacionadas Implementar os Planos ddee SSaanneeaammeennttoo BBáássiiccoo Implantação do Sinisa (Sistema Nacional de Informações do Saneamento Básico) Reduzir o descompasso do desenvolvimento do setor de saneamento e o desenvolvimento de outras políticas públicas

×