Apresentacao Polignano

307 visualizações

Publicada em

Apresentacao Polignano

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
307
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
160
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao Polignano

  1. 1. GESTÃO DE RIOS PROF. MARCUS VINICIUS POLIGNANO
  2. 2. * 
  3. 3. *  * As perdas na distribuição de água urbana atingiram 36.9% em 2012 (SNIS, 2012). * O consumo doméstico médio de água per capita era de 167.5 litros por dia, variando de 131.2 litros por dia no Nordeste a 194.8 litros por dia no Sudeste. * A descarga de efluentes domésticos é o principal problema que afeta a qualidade das águas superficiais (MMA, 2008), pois apenas 48% dos esgotos domésticos são coletados e 39% são tratados (IBGE, 2010). * Outros grandes poluidores da qualidade da água em todas as regiões hidrográficas incluem os efluentes industriais, de mineração, descargas difusas de drenagem do solo urbano e agrícola, e a deposição de resíduos sólidos.
  4. 4. Distribuição de água no Brasil
  5. 5. * Em breve o mundo atingirá a marca de 9 bilhões de pessoas, 2 bilhões a mais que temos hoje. * será necessário produzir 50% a mais de alimentos, a oferta de energia terá de crescer 45% e o consumo de água aumentará 30%: a pressão sobre os recursos naturais do planeta se tornará insustentável. * E, nada sendo feito para mudar padrões de consumo, dois terços da população global poderão sofrer com escassez de água doce até 2025, de acordo com a ONU
  6. 6. POLÍCIA MILITARD E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. Ocupação urbana desordenada Fotos: Projeto Manuelzão
  7. 7. A morte anunciada dos cursos d’água 1º - despeja-se lixo e esgoto 3º - canaliza-se em leito aberto 2º - o córrego torna-se focos de vetores e de odores 4 - sepultamento com canal fechado (avenidas sanitárias)
  8. 8. *  Acesso a serviços essenciais no Brasil, segundo residências atendidas - Pnad 2012 Iluminão elétrica (%) Coleta de esgoto (%) Rede de água (%) Coleta de lixo (%) Fossa rudimentar (%) 2011 99,3 54,9 84,6 88,8 16,6 2012 99,5 57,1 85,4 88,8 16,6 Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Síntese dos Indicadores de Pnad 2012
  9. 9. * 
  10. 10. *  * Os diversos planos de recursos hídricos em níveis nacional, estadual, local e de bacia são mal coordenados e não chegam a ser colocados em prática, por falta de financiamento ou limitada capacidade de acompanhamento e execução. * A incompatibilidade entre as fronteiras administrativas municipais, estaduais e federais e os limites hidrológicos levanta a questão da escala funcional adequada. * as cobranças pelo uso da água são baixas; essas cobranças são consideradas finanças públicas e, portanto, estão sujeitas as regras e procedimentos rígidos de gastos, o que por vezes gera dificuldade na gestão dos recursos
  11. 11. * Falta de controle de outorgas * Os comitês de bacias hidrográficas possuem poderes deliberativos fortes, mas t ê m l i m i t a d a c a p a c i d a d e d e implementação. Em muitos casos, eles essencialmente desempenham um papel de defensores, enquanto deveriam construir o consenso sobre as prioridades e o planejamento para orientar a tomada de decisões. *  Enfraquecimento do sistema de gestão de recursos hídricos * Contigenciamento dos recursos financeiros FHIDRO e Cobrança pelo uso da água
  12. 12. * 
  13. 13. VEJA.com/VEJA)
  14. 14. Anomalia observada na precipitação histórica acumulada nos meses chuvosos de 1979 a 2014. Destaque para a tendência contínua e rítmica de sucessão de anomalias negativas. Fonte: Adaptado de SIMGE/IGAM (2015).
  15. 15. * 
  16. 16. •  ESTAMOS FAZENDO GESTÃO DE RESERVATÓRIOS E NÃO DE BACIAS •  A NOSSA CRISE NÃO SE RESTRINGE A FALTA DE CHUVA E SIM DE GESTÃO •  NÃO FALTAM RESERVATÓRIOS FALTAM RIOS
  17. 17. *  DISPONIBILIDADE E DEMANDA HÍDRICA * Diante do quadro higrometeórico observado, o IGAM contabilizou o montante das Portarias de Outorga publicadas entre 2003 e 2014, além das Certidões de Uso Insignificante expedidas na SF3. * Conhecimento do quadro de evolução das outorgas concedidas e autorizadas no estado e a relação com a disponibilidade hídrica das bacias.
  18. 18. Sabará 23.03.2015 Sabará 01.07.2015
  19. 19. Figura 34: Rio das Velhas totalmente coberto por aguapé, Outubro de 2014
  20. 20. BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO
  21. 21. * 
  22. 22. * 
  23. 23. * 
  24. 24. * 
  25. 25. *  IGUATAMA 12/10/2014
  26. 26. PIRAPORA 2015
  27. 27. *  Foto:UNEP.
  28. 28. VEJA.com/VEJA)
  29. 29. BACIA HIDROGRÁFICA
  30. 30. * 
  31. 31. CULTURA DA ABUNDÂNCIA CULTURA DO CONSUMO SUSTENTÁVEL •  DESPERDICIO •  METODOS DE PRODUÇÃO COM CONSUMO EXCESSIVO •  POUCO COMPROMISSO COM A GESTÃO •  PRIVILÉGIOS DE ALGUNS USOS EM DETRIMENTO DE OUTROS •  DEGRADAÇÃO DOS RIOS •  CONSUMO CONSCIENTE •  O REUSO •  A RECICLAGEM •  MUDANÇAS NO PROCESSO DE PRODUÇÃO •  MELHORIA DA GESTÃO •  GARANTIR OS MULTIPLOS USOS DA ÁGUA •  VISÃO ECOSSISTÊMICA DE BACIA •  PRESERVAÇÃO E REVITALIZAÇÃO DOS RIOS
  32. 32. *  •  FORTALECIMENTO DOS COMITÊS DE BACIA •  CRIAÇÃO EFICIENTE DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO •  AUMENTAR O NÚMERO DE PONTOS DE MONITORAMENTO DE VAZÕES •  OBEDECER O LIMITE DA CAPACIDADE DE OUTORGA DOS CURSOS DA ÁGUA •  GARANTIR OS MULTIPLOS USOS DA ÁGUA •  ENVOLVER A SOCIEDADE NA GESTÃO •  PROPOR METAS E PACTOS COM OS DIVERSOS USUÁRIOS DE ÁGUA – ESPECIALMENTE OS GRANDES- SOBRE PROCESSOS E CONSUMO
  33. 33. *  •  ESTABELCER METAS DEFINIDAS PARA A REVITALIZAÇÃO DOS RIOS •  INTEGRAÇÃO ENTRE A GESTÃO AMBIENTAL (LICENCIAMENTO) COM A GESTÃO DAS ÁGUAS – •  DIVULGAÇÃO DE MAPAS DAS BACIAS NACIONAIS COM STRESS HÍDRICO •  GARANTIR O NÃO CONTIGENCIAMENTO DE RECURSOS DA COBRANÇA E OUTROS PARA A GESTÃO DAS ÁGUAS •  POLÍTICAS DE ESTADO PARA ALÉM DE GOVERNO NA GESTÃO DAS ÁGUAS •  IMPLANTAR A OUTORGA SAZONAL EM FUNÇÃO DA VAZÃO DO RIO
  34. 34. * 
  35. 35. O INÍCIO

×