Boletim Trinca #3

673 visualizações

Publicada em

Boletim do Coletivo Libertário Trinca #3

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
673
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
349
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim Trinca #3

  1. 1. Boletim do de LutasLibertário Trinca, ano 1, nº 3 Libertário 2009 – http://coletivotrinca.wordpress.com Boletim Coletivo e Resistencia do Coletivo – Outubro Trinca - ano 1, nº 1, 1º de Maio de 2009 “Tudo que tranca, trinca!” contato: coletivotrinca@riseup.net / coletivotrinca.wordpress.com Refugiados oufascismo nas costas dos trabalhadores Crise capitalista e despejados? Nada temos a comemorar neste 1º de Maio Na noite de 27 de julho, faleceu na Santa essa mesma instituição se Casa de Mogi a Sra Nusha El Looh, uma recusou a conversar com refugiada idosa da de maio, que morava háa cerca de vinte refugiados, Neste primeiro Palestina nada temos as pessoas, ao invés de culpar o sistema, três meses na cidade. Segundo desde que entre eles idosos, mul- comemorar. O capitalismo, seu filho, procuram bodes expiatórios e se apegam Hossan El Looh, ela não recebeu assistên- heres (inclusive uma ges- começou a automatizar em larga escala ingenuamente à “defesa da ordem” a cia produção substituindo o trabalho hu- tante) e crianças, todos a adequada da Cáritas Diocesana e do qualquer custo. mano, gerou uma crise sem precedentes, com a saúde debilitada, Alto Comissariado das Nações Unidas Enquanto isso, as centrais sindicais e a qual mantinha sob controle atravésle- que, indignados, per- para Refugiados (ACNUR), fator que de partidos de “esquerda” estão muito mais injeções de “bolhas de ar” de dinheiro maneceram acampados vou Nusha ao óbito. Hossan estava há dez preocupados em fazer palanque para as fictício, que arrebentaram agora. Esta eleições do ano que vem, atacam este anos sem ter contato com a mãe. Diante em protesto pacífico por crise mal começou. Para o sistema pro- ou aquele governo mas não o sistema - de tal situação, ele contatou as entidades um ano e três meses em longar sua existência e reerguer seus lu- pedagogia inadequadaem poucas máquina e porque têm interesse e gerir a horas de acima, quegestores necessitam intensificar barracas na calçada da sede da ACNUR, aula. Foram raras as vezes que a Cáritas cros, os responderam para ele “se virar” ascender socialmente. Usam os sindicatos e a exploração sobredele. trabalhadores, em Brasília. O ACNUR portou-se como providenciou tradutores, e essa finalidade. que o problema era nós e movimentos sociais com somente nos Aamorte de Nushacontrole social. denún- carrasco dos refugiados, excluindo-os do primeiros dias. Quem os auxiliaasão pes- repressão e o trouxe à tona a A cada Querem na verdade administrar crise e se cia de mais os refugiadosdemitidas, direitos trabalhistas e sociaisenviado a postos de comando, criando que se solidarizam e cargos dia, que pessoas são palestinos estão auxílio-subsistência alçar pela ONU, soas e grupos aparelhos de poder com a abandonados no Brasil, não estão receben- desde Abril sobem e e de tecnocratas. Correm a criar mais nossos irmãos trabalha- retirados, os salários rebaixados, os preços de tudo de 2008, várias vezes usou situação destes e mais centrais sindicais, nosso trabalho é éintensificado. Pessoas são despejadas armada para desalojá-los, grana do imposto sindical. Contribuem para do a assistência que direito garantido pelo força policial como só para receber a dores, comomesmo jogo do o Comitê Autônomo de Soli- Estatuto do pobres reprimidos,aos movimentos sociais persegui- todo este por fim e jogam oao Povo Palestino,sistema e das coisas, os Refugiado, devido falhas no tratando-os como criminosos; e processo dariedade Movimento dos. Somos vigiados e controlados o tempo todo por câmeras classes dominantes. Hoje, como sempre, colocam palanques Programa de Reassentamento Solidário mudou sua sede de endereço sem dizer Palestina para Todos, Instituto Autonomia e mecanismos tecnológicos. As pessoas se sentem apáticas e e fazem shows espetaculosos com sorteios de carros e anest- - cansadas pelo excesso de trabalho, e a cada dia a barbárie e esiando as pessoas, e Coletivo Libertário Trinca. e nos reduz- convênio entre o governo brasileiro para onde. reproduzindo as hierarquias (através do Conselhopela miséria Refugia- Os governos todos se indo à condição de meros espectadores passivos do espetáculo violência geradas Nacional de crescem. A vinda dos refugiados para o Brasil não Desde Maio de 1948, ano em que as Na- dos), a ACNUR-Brasil, a Cáritas Brasile- foi espontânea, mas impostaprofissionais da ções e especialistas em poder. Eles nãodo tornaram vazios e ocos, porque as decisões são tomadas por dos devido à or- luta Unidas reconheceram, com apoio nos ira e a Associação Padre e tecnocratas vitalícios,dos governos jordaniano e iraquiano a ninguém!Estado de Israel, o povo pales- conselhos de empresas Antônio Vieira. dem quase em seg- representam, nem Brasil, o Vários Há cada vez mais uma fachadados democracia animada fechasse o Campo de tino vem tendo suas terras ocupadas pelo redo. deles têm problemas de saúde de para que a ONU bendo atenção adequada. bem como bons artistas, que esconde a A maioria não colha. O e empre- O que é o Coletivo Libertário Trinca? mais diversos e urgentes que encenam muitoRuweished. Aos palestinos não houve es- exército israelense. Em 1948, cerca de por políticos-vedetes e não estão rece- ditadura dos tecnocratas governo brasileiro impôs quantos Somos um coletivo demil palestinos nas lutas sociais, que fo- 700 engajamento tiveram que abandonar consegue arranjar emprego. as decisõesos escrevem o textoreceber - no campo haviam suas casas, deixando tudo que construíram sas – que de fato tomam Enquanto e refugiados iria do espetáculo por detrás. Assim, o sistema e os loucos que o menta a formação política, ação cultural e mídias alternativas, palestinos procuram as entidades acima e cerca de dois mil refugiados - assim, mui-dá em toda uma vidade reconstruir, sem daí, cuja união se pela necessidade para trás. A partir atre- conduzem nos levam para a barbárie, nos sacrificando para lhes é negado atendimento, as mesmas dão tas famílias foram separadas em países passando por cima de trabalhadores cargos, salvar a “Santa Economia”. lamento a partidos políticos, governos, empresas ou e int- declarações àde comunicação, como porta-vozes oficiais do Os meios imprensa dizendo que ofer- diferentes. a luta social. Este Coletivo se formou pela constituição o electuais judeus que se opunham a isso, de uma em Outu- eceram ajuda e que estaao criar uma cortina de fumaça, usam ateria seu fim sistema, contribuem teria sido recusada O Programa, que rede de solidariedade entre estudantes, bancários, pro- governo de Israel intensificou a política de pelos refugiados. Ora, para pessoas que vi-legitimar a prorrogado somente até Dezem- etc., e se consolida como uma alternativa de barbárie social como justificativa para bro, foi repressão fessores, artistas, organização autônoma de nós trabalhadores.dos palestinos ocupação militar das terras Nossos princí- eram nome da “segurança” e tentam nos aterrorizar, esconden- palestinos, após o fim que, sem ter como se defender, se vêem em sem recursos e sofrendo por traumas bro. Os refugiados pios são o classismo, anticapitalismo, a solidariedade de de guerra, seria possível negar ajuda, é a exploração do trabalho contar com a defesa da auto-organização da nossa luta com auto- do que a verdadeira causa da crise que é do ano, não vão mais classe, a ajuda obrigados a procurar refúgio em outros e a lógica do sistema que está humani-Não mencionamONU para o nomia edas ca- dever de uma entidade que se diz falido. financeira da que aluguel independência de classe em relação ao estado,refu- países, sendo a maior população de parti- tária? O empresas se aproveitam da crise, para mandar embo- muitas ACNUR-Brasil, departamento sas nas quais eles moram na cidade, e sem e instituições. Defendemos a horizontalidade dos, empresas giados do planeta – algumas estatísticas ra muitos trabalhadores sem os mínimos direitos, com o aval da ONU destinado a tratar de questões meios próprios de subsistência, como eles falam em o burocratismo e a hierarquização e democracia direta contra 9 milhões de pessoas! Toda soli- do Governo. Ao contrário, eles ocultam isso e jogam areia dentro dos movimentos sociais e sindicais, bem como a ação sobre nossos olhos, usando faz Datenas da vida, desviando a em refugiados no Brasil, os acusações vão sobreviver? dariedade aos nossos irmãosetrabalhadores direta, como alternativa à via parlamentar ao cretinismo semelhantes e critica órgãos de imprensa O projeto destinado a eles fracassou, palestinos! atenção para a novela cretina dos escândalos de corrupção eleitoreiro-institucional que só atrela os movimentos sociais que divulgam o descaso e pudesse não de corrupto)nãooconseguiram seàadaptar, do Capital. Para conhecer melhor nosso coletivo: (como se esse sistema o abandono ser muitos e circo lógica pou- http://liberdadepalestina.blogspot.com que são vítimas dos palestinos, sendo quedesencadeando umaportuguês devido a uma dos horrores os crimes hediondos, cos aprenderam o http://coletivotrinca.wordpress.com perigosa onda moralista e fascista de ressentimento, onde
  2. 2. O sistema capitalista Iraque – depois as empresas multinaciona- Hoje, no campo brasileiro, há grandes con- vive de exploração do is lotearam o Iraque e agora o reconstroem, flitos entre camponeses que não têm nada trabalho, que permite a reerguendo seus lucros dessa forma (além e os latifundiários que têm toda a terra, acumulação de capital. Ele de- de roubar seu petróleo). O Oriente Mé- além do governo e a mídia ao seu lado. pende constantemente de se ex- dio é estratégico para o capitalismo mun- Nas cidades, os empreendimentos imobil- pandir, expulsando pessoas da dial porque lá estão as maiores reservas iários expulsam as pessoas e despejam as terra, tomando suas coisas, as condenando de petróleo. Não é preciso dizer que por favelas, para construir mega-investimentos à pobreza e a ter que trabalhar vendendo detrás disso tem o interesse das empresas que movimentam a economia. Os pobres, sua força de trabalho como assalariados multinacionais de todo tipo: IBM, Micro- que já não tem nada, são despejados com para os capitalistas - que nos exploram. soft, Volkswagen, GM, Mc Donalds, Tex- tropa de choque e cassetete – é assim que Quando o sistema não tem mais para aco, Shell, Toyota, Monsanto, etc – que de os poderosos resolvem a crise: destruindo onde se expandir e fica com um fato governam o mundo hoje. para reconstruir. A periferia virou a Pales- monte de capital parado, depende E no Brasil? Nos últimos 30 anos, mil- tina brasileira, onde os trabalhadores são de destruir em massa para recon- hões de camponeses foram expulsos da maltratados, abandonados, despejados, struir terra pela violência dos latifundiários, que reprimidos. Até as escolas públicas, onde tomavam suas terras, e pelas máquinas estudam os filhos dos trabalhadores, são que tiravam seu emprego, e depois atraí- tratadas como prisões onde o governo e dos para trabalhar na construção civil das reprime o povo e pratica controle so- aplicar cidades, que move imigrantes de diversas cial. As revoltas populares ocorridas em o dinheiro. regiões do país, que diante da precariedade Paraisópolis, Cidade Jardim, Heliópolis e Assim, in- da situação, são obrigados a fazer ranchos tantas favelas, apenas mostram que os tra- vadiram de madeira para morarem próximo à obra, balhadores não suportam mais ser despe- o e quando terminam o serviço ficam sem jados por esse sistema, nem tratados como emprego e sem recursos para regressar à criminosos. Tudo isso se assemelha ao que sua terra natal, se estabelecendo em de- ocorre na Palestina, que é um laboratório finitivo nos barracos ao lado dos con- onde os poderes dominantes testam o que domínios de luxo construídos com o seu farão com a classe trabalhadora das perife- Só a Luta muda a nossa vida! suor. Assim, se formaram imensas favelas rias do mundo todo. nas periferias. O Bairro Jardim Aeroporto III, em Mogi Nada disso seria conquistado com eleição. Todo o resto é papo furado. das Cruzes, sofre de grandes carências. Tudo isso serve de lição para todo o nosso Ruas de terra, sem asfalto e esburacadas, povo trabalhador: de que as eleições nada falta de ônibus, além de ter esgoto a céu mudam, e de que só a luta muda a nossa aberto. É mais um bairro onde mora a vida. Estamos todos cansados de políticos classe trabalhadora, abandonada e es- profissionais, que todo ano prometem e quecida pelas autoridades – as mesmas nada cumprem, além de serem sustentados que prometem mundos e fundos. Mas os pelos impostos pagos por nós, trabalha- moradores resolveram dar um basta nisso dores. Esse sistema é feito para não fun- tudo. Cansada de promessas e promessas cionar e manter as coisas como estão. Mas de políticos que aparecem todas as eleições a lição da comunidade do Jardim Aero- mendigando votos e oferecendo coisas as- porto III mostrou a todos que democracia sistencialistas, a comunidade resolveu se não é apertar os botões das urnas uma vez organizar, com apoio do RISJA – Recanto a cada 4 anos. Essa é a “democracia” deles, de Integração Social do Jardim Aeroporto dos poderosos, que governam para o pod- III, e organizou uma panfletagem em fr- er econômico. Mas a verdadeira democra- ente à Prefeitura como forma de manifes- cia, a nossa democracia, começa quando tação. Rapidamente, os políticos correram as comunidades perdem as ilusões e se or- ao bairro, e a prefeitura foi obrigada a cor- ganizam, de baixo para cima, nos bairros e tar o mato, limpar ruas e tapar buracos. locais de trabalho. Só a luta muda a vida!
  3. 3. Os trabalhadores não podem pagar pela crise Os bancários precisaram entrar em greve. Os correios também, os Garis de várias cidades do país, e os metalúrgicos. Isto tudo porque com a crise, as empresas têm demitido tra- balhadores, abaixado salários e forçam as pessoas a trabalharem mais, intensificando a exploração sobre nós trabalhadores, para aumentar seus lucros. Os bancários estão em greve, apesar do sindicato ligado à CUT ser vendido - uma pelegada só - e estar contra a luta. É verdade que a greve prejudica a população, mas a culpa não é dos bancários, que tem filhos para criar, mas dos banqueiros, que lucram horrores, demitem bancários e pagam sa- lários ruins, apesar de receberem bilhões de dólares em ajuda dos governos em momen- tos de crise. O povo deve apoiar a greve, e concurso público e praticar o que ele afirma dido aos patrões. Lá eles aceitaram as pro- seguir o exemplo, fazendo greve e lutando em seus escritos, se organizando para lutar, postas ridículas das empresas e finalizaram também, no trabalho e nas comunidades de obrigando o sindicato a sair do armário? a paralisação, aceitando apenas 5%. Mas bairros. Não pagaremos pela crise! Em Fortaleza, num protesto pacífico, os em São José e Campinas, os trabalhadores Os carteiros também entraram em greve bancários queriam parar o prédio da Caixa. da base lutaram e venceram as empresas, no Brasil todo. Lula foi pedir aos sindi- Mas o governo encheu de seguranças que conquistando mais do que as empresas calistas que “encerrem a greve”, ou seja, ele batiam nos bancários e não deixavam nin- queriam dar: 8% a 10%. Vendo isso, a mostrou a cara de pau e foi contra a greve. guém entrar. Só que ali perto, tinha um peãozada do ABC se revoltou contra o Mas os carteiros foram adiante, contra a acampamento de carteiros grevistas, e eles, sindicato pelego e prosseguiu a luta, most- empresa de correios e os burocratas sindic- indignados, em solidariedade aos bancários, rando que não aceitarão que as empresas ais. Enquanto isso, a mídia oficial, sempre foram para cima dos brucutus e ajudaram descarreguem a crise em nossas costas! do lado dos poderosos, descia a lenha na os bancários a parar o prédio. E no fim, os Nós trabalhadores temos dois inimigos: greve e tentava jogar o povo contra os gre- seguranças reconheceram que também são os visíveis e os invisíveis. Os visíveis são vistas. Você já viu a imprensa alguma vez trabalhadores! Ou seja, não existe esse negó- os empresários, patrões, banqueiros, lati- falar bem de quem luta? cio de “categoria”: “sou professor, sou isso, fundiários, especuladores, agiotas, etc. Es- Já os professores do Estado, estão em pés- sou aquilo”. É isso que o sistema quer: cada ses nos exploram e sabemos disso. Mas sima situação. Não bastasse serem desuni- macaco no seu galho, porque ao dividir nós temos o inimigo invisível, aquele que diz dos e muitos pensarem que são classe média trabalhadores, nos controla melhor. Até os que é nosso amigo, mas está do outro e acharem que greve é coisa de pobre (como sindicatos são separados em categorias... lado: chefes, partidos políticos, políticos, se eles não estivessem empobrecendo), Em Fortaleza, em Junho, ocorreram mui- burocratas de sindicatos vendidos, etc. deixaram tudo nas mãos da APEOESP, tas greves. Os Garis, cansados do sindicato Estes ficam no meio entre patrões e tra- que é um sindicato cuja direção estadual pelego que aceitava o que a prefeitura queria, balhadores, e nos vendem para os patrões, está no colo do governo. Resultado: perda resolveram lutar por conta própria e com além de comerem uma fatia do nosso sa- de direitos! A última de Serra foi mudar as autonomia, com apoio do grupo Crítica lário através da contribuição sindical que regras para novos professores temporários, Radical. Os Garis começaram a bloquear é descontada todo mês. Por isso, além de que ficarão 200 dias impedidos de partici- as ruas com os sacos de lixo, parando toda lutar contra quem nos explora, temos que par das atribuições de aulas a cada ano de a cidade. A prefeitura (do PT!) apavorada, nos unir e lutar com autonomia contra os serviços, a partir de 2009. Muitas aulas vão deu um enorme aumento de salário para burocratas sindicais! para atribuição e voltam sem professor, e o acabar com a greve. Os Garis se desfiliaram Não serão as empresas, nem governos, governo impõe a restrição dos temporários, do sindicato vendido, e perceberam que só nem os profissionais do poder, política dificultando ainda mais que essas aulas ten- com luta conseguem vencer. e sindicalismo vendido que irão impedir ham professor. Eis o interesse do governo E agora ocorrem várias greves de met- nós trabalhadores de lutarmos por conta em “melhorar” a educação pública e a vida alúrgicos (no Brasil e em vários países do própria, com autonomia e independência, dos trabalhadores da educação – cortando mundo). Em São Bernardo (Volkswagen), e construirmos o poder popular! A eman- gastos! Quando os professores vão acordar, Taubaté, Campinas, São José, etc. No ABC, cipação da classe trabalhadora só pode ser deixar de ler Paulo Freire apenas para fazer o sindicato, ligado ao Lula e ao PT, é ven- obra dos próprios trabalhadores!
  4. 4. Libertem Cesare Battisti! Era uma vez um país, onde os trabalha- O escritor italiano Cesare dores se cansaram da exploração que sof- Battisti está preso há 2 riam e de serem enganados pela política, anos em Brasília e querem e resolveram se organizar e lutar por uma extraditá-lo para a Itália, vida melhor. Só que os empresários, ban- apesar de o ministro da queiros e governantes se uniram de forma Justiça já ter dado refúgio criminosa e mafiosa para perseguir e rep- político a ele. Ele é injusta- rimir os trabalhadores, e começaram a pro- mente acusado de assassi- vocar atentados e ações assassinas, e depois natos que não cometeu, e usavam a mídia e a justiça para culpar os tratado como criminoso, trabalhadores que lutavam e os prendiam. E num processo cruel do no meio deles, havia um sujeito, como você governo Italiano, que quer leitor, trabalhador, pai, escritor e poeta, um usá-lo como bode expi- cara legal, que foi preso, acusado de crimes atório e fazer show para que não cometeu, num processo forjado, ganhar votos. Tudo porque homem não for libertado, os donos do onde o governo usou torturas e delações ele denunciou em seus livros a ditadura dis- poder terão dado um “golpe disfarçado”, premiadas para incriminá-lo. O governo farçada de democracia na Itália, onde desde pois o Judiciário terá mais poder que o desse país tentou calar a sua boca e comprá- 1969, o próprio Governo provocava aten- Executivo, que bem ou mal, ainda é eleito lo, mas ele se recusou a beijar a mão dos tados terroristas contra o povo, colocando pelo povo. Isto abre precedentes para que poderosos. Foi então condenado à prisão a culpa nos trabalhadores que lutavam con- nós trabalhadores, que acordamos cedo, perpétua, mas fugiu para a França, cujo tra a exploração e os perseguindo. tomamos ônibus lotado, ralamos, somos governo lhe deu refúgio. Mas alguns anos Agora, Gilmar Mendes e Berlusconi quer- explorados e humilhados pelos patrões depois, um grande acordo do governo da em extraditá-lo para a Itália, e a mídia está e chefes, pagamos impostos, e lutamos França com seu país, envolvendo interesses manipulando as informações e o tratando para viver, sejamos perseguidos quando da construção de um trem-bala, fez com como um monstro, para fazer o povo precisarmos protestar e exigir nossos dire- que tentassem entregar o sujeito de volta apoiar a extradição. Se ele voltar para lá, itos. Por isso, liberdade para Cesare Bat- para ser preso, mas ele fugiu para o Bra- pode ser morto. tisti! Chega de ditaduras, espetáculo, ma- sil. No Brasil, ele foi preso. Esse homem se Na verdade, quem está sendo calado, preso nipulação da mídia, e bodes expiatórios! chama Cesare Battisti, e seu país é a Itália. e perseguido, é você, trabalhador. Se este http://cesarelivre.org Bancários em luta em Mogi Você ainda acredita na mídia? Os bancários, principalmente de bancos sada, os bancários resolveram fazer um Você ainda acredita nessa “política”? públicos, sofrem há muitos anos com a piquete no prédio da Caixa Econômica Você acha que eleição vai mudar algo? reestruturação do trabalho, com o assé- Federal, quando foram truculentamente Você acha que o sindicato vai lutar por você? Você deixa os outros te representarem? dio moral e opressão nos locais de tra- barrados por cerca de 50 seguranças Você deixa os outros te governarem? balho, achatamento salarial e perda de que cercavam o prédio. Mas ali perto direitos trabalhistas, além da cooptação havia um acampamento de carteiros Acorda e luta! O governo é tua cara, pelos bancos e governos da burocracia dos Correios também em greve, que E o sindicato também. sindical, o que tem fortalecido a ad- ao saberem dos apuros pelo qual pas- E ninguém vai lutar por você! esão aos movimentos nos últimos anos savam os bancários, correram em grupo, Só existem tiranos Onde existam pessoas moles e a criação de um sentimento de luta juntaram-se aos bancários e furaram o Que se deixem tiranizar! entre os bancários, o oposto do que se bloqueio imposto pelos seguranças. Fica Só com luta se constrói verifica nos professores, por exemplo. A evidente que as lutas dos trabalhadores a dignidade greve tem tido forte adesão, um cresci- só podem vencer se estravazarem os lim- Até quando você vai mento na base, onde 90% das agências ites da burocracia sindical e do corpo- aceitar tudo calado? públicas foram paralisadas. Além disso, rativismo, transformando-se em lutas episódios de forte solidariedade de autônomas de base, de caráter classista, classe ocorreram em alguns locais. Por superando também a fragmentação de exemplo, em Fortaleza, na semana pas- grupos políticos. Visite http://passapalavra.info – Jornal Passa Palavra – informação a serviço da classe trabalhadora! Divulgue este boletim – discuta ele com seus amigos e colegas, passe a informação adiante!

×