O slideshow foi denunciado.

Kanban

1.384 visualizações

Publicada em

Metodologia Kanban Eaton

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Kanban

  1. 1. 1 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar (Kanban)
  2. 2. 2 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Índice Descrição Seção Visão Geral 1 Kanban 2 Nivelamento da Produção 3
  3. 3. 3 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Visão Geral
  4. 4. 4 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema Tradicional de Produção Sistema de Empurrar Controle de Produção Cliente Processo C Processo B Processo A N-2 N-1 • Instrução de Produção – listas de 1semana / 1 mês – MRP – “Listas de Urgência” – Pedido Rígido de trabalho; Lotes • Grande quantidade de inventário em processo (WIP) – As operações gargalo não são visíveis – Elevados índices de rejeição • Longos prazos de entrega Características: Fornecedores N Previsão Previsão
  5. 5. 5 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar Fazer o que o cliente precisa quando ele precisa na quantidade em que ele precisa Processo Fornecedor Supermercado Processo Cliente
  6. 6. 6 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar • Um sistema de manufatura no qual o processo posterior retira material do processo precedente Envio C2 A2 Montagem D C A BC3 Estampagem 2 3 1 Pedidos do Cliente Retirada C Retirada C3Retirada C2Retirada C1C1 Produção C
  7. 7. 7 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Empurrar vs. Puxar Empurrar • Produzir o máximo que puder • O mais rápido que puder e • Enviar ao próximo processo mesmo que: – ele ainda não esteja pronto para isso, – ele não precise disso, ou – ele não queira isso. Eficiência / Foco na Maximização da Utilização dos Recursos Puxar • Produzir somente o que o processo seguinte precisar e somente quando ele precisar. Só o Material Necessário / Foco no Valor Agregado
  8. 8. 8 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Elementos do Sistema de Puxar • Supermercado • Depósito de Peças / Material • Fluxo de Informação – Kanban – O que, Quando, Onde e Quanto… • Autorização para Produção • Produção Seqüenciada – Sinal – visibilidade • Cartões Kanban • Luzes • Carrinhos/Estantes • Caixas/Cestas • Bandeiras • Bolas Coloridas
  9. 9. 9 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar: Supermercado • Localizado no final da linha de produção • Contém todas as variedades de peças prontas • Quantidade de produtos prontos – Tamanho do lote de produção – Freqüência de retirada Montagem D C A B 2 3 1 EnvioEstampagem C2 A2 C3 C1
  10. 10. 10 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar: Depósito de Peças / Material • Localizado na linha consumidora • Todos os materiais para completar produtos • Quantidade de material – Tamanho do lote de uso – Quantidades moduladas – Freqüência de suprimento 3 2 1 Montagem D C A B EnvioEstampagem C2 A2 C3 C1
  11. 11. 11 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar: Fluxo de Informação Envio C2 A2 Montagem D C A BC3 Estampagem 2 3 1 Pedidos do Cliente C1 C1 Kanban KanbanKanban • Pedidos do Cliente (Instrução de Produção) para um local • Um kanban por um kanban – Por que? – Fluxo de informação suave, regular – Como? – Retirada freqüente
  12. 12. 12 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Diretrizes para o Fluxo Enxuto de Material e Informação • Produza de acordo com o seu tempo takt • Desenvolva fluxo contínuo (uma peça por vez) onde possível • Use supermercados para controlar os processos do contra- fluxo onde o fluxo contínuo não for possível • Envie os pedidos (cartões) do cliente a um único processo interno (o “marca-passo”) • Distribua a produção de acordo com o tempo de produção do processo marca-passo (nivelamento) • Crie um sistema de puxar inicial aumentando o trabalho do processo marca-passo pouco a pouco • Desenvolva a habilidade de fazer todas as peças todos os dias (EPE ) Source: Learning to See
  13. 13. 13 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Tamanho do Lote: o Desafio de Fazer todas as Peças todos os Dias “Reduzir o tamanho dos meus lotes?! Está maluco?! Meus custos vão disparar!”
  14. 14. 14 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Tamanho do Lote Pensamento Tradicional Quantidade Econômica do Pedido Custo Total Custo de Estoque Custo de Trocas Custos Tamanho do Lote 200 400 600 800 1,0000 200 1,000 800 600 400 0
  15. 15. 15 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Tamanho do Lote Pensamento Enxuto Quantidade Econômica do Pedido Custo Total Custo de Estoque Custo de Trocas Custos Tamanho do Lote 200 400 600 800 1,0000 200 1,000 800 600 400 0
  16. 16. 16 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Produção de Pequenos Lotes Trocas Rápidas Produto A Produto B Produto B Montagem A Montagem A Montagem B Montagem B Produto A Produto A Produto B Montagem A Montagem B Condição Anterior Depois da Troca Rápida Prazo de Entrega Estoque Flexibilidade (Troca de 20 min.) (Troca de 10 min.)
  17. 17. 17 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Novo Foco Reduzir tempos de troca e montagem • Assim você pode: – Aumentar o número de trocas e montagens executadas • O que lhe permite: – Reduzir os tamanhos de lote, e – Reduzir seus estoques de matéria-prima, em processo e de peças acabadas • O que irá: – Reduzir seu prazo de entrega e – Aumentar a sua capacidade de responder à demanda do cliente Que é a fonte de variação…
  18. 18. 18 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Começamos a Puxar Amanhã? • Iniciar um sistema de puxar sem antes se preocupar com o fluxo pode resultar em muitos supermercados, e pode aumentar seus níveis de estoque. • Projete o seu estado futuro seguindo a seqüência: – Introduza fluxo onde for possível – Produza de acordo com o TAKT – Implemente um sistema de puxar
  19. 19. 19 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Kanban
  20. 20. 20 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Termo japonês para quadro de sinais. Kanban é uma identificação especial do produto, que sinaliza: Kanban • O que é necessário, • Quando é necessário, e • Quanto é necessário.
  21. 21. 21 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 As Funções do Kanban • Dá instruções de trabalho – Produção – Transporte • Controle Visual – Evita a superprodução – Disciplina o processo de produção – Identifica qualquer processo gargalo • Identifica problemas para a correção – Kaizen - ferramenta de melhoria contínua. Kanban de Instrução de Produção Kandan de Retirada de Peças
  22. 22. 22 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 • Notificação eletrônica, • Um estrado ou rack vazio, • ‘Cartão’ de papel, • Luzes Coloridas, • Bola de pingue pongue, • Som e/ou • qualquer coisa que comunique claramente O Sinal Kanban
  23. 23. 23 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 • Kanban de processo • Kanban de retirada • Kanban de produção • Kanban de fornecimento Quatro Tipos de Kanbans:
  24. 24. 24 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Usado como um sinal visual para regular a movimentação de peças em um processo de fluxo contínuo. Os operadores usam um cartão kanban de processo para notificar o processo precedente que eles esgotaram o seu estoque de um item necessário e que este item precisa ser fabricado. É permitido aos operadores ter o máximo de uma peça em cada kanban de processo mais uma peça na sua estação de trabalho. Kanban de Processo
  25. 25. 25 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Kanban de Retirada Usado para puxar uma quantidade de material de um ponto de suprimento (supermercado) ao ponto de uso na linha de fluxo. • Quando um contentor está vazio, o cartão kanban que está nele afixado é removido e enviado ao supermercado para reposição. No supermercado, o cartão kanban de retirada é trocado pelo cartão kanban de produção que está anexado ao contentor de peças. Assim que a troca é feita, os cartões de produção são enviados de volta às células de manufatura para que se produzam mais peças. • Controlando o número de cartões de retirada no sistema, controla-se o estoque.
  26. 26. 26 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Kanban de Produção Usado para prover instruções de produção às células de manufatura com tempos de montagem longos e que podem produzir estes itens mais rapidamente que o processo que utiliza as peças consome-as. Estas montagens longas também impedem a máquina de produzir quantidades de retirada muito pequenas. Um kanban de produção inclui as seguintes informações: • os nomes da peça e do processo • o endereço da área de estocagem das peças, • a quantidade de processamento para cada troca de montagem, – isto é, o tamanho do lote, e o ponto do pedido.
  27. 27. 27 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Kanban de Fornecimento Comunica informações de pedido e reabastecimento para fornecedores externos. • Quando material é necessário, um kanban é disparado e enviado à estação de recebimento de kanban. • Os fornecedores recebem pedidos via kanbans (geralmente EDI direto), que eles monitoram nas estações de recebimento de kanban em cada fábrica diferentemente do Controle de Produção que monitora as estações de recebimento de kanban. • Os fornecedores geralmente costumam afixar kanbans de identificação nos itens que enviam. A atividade de produção é quem realmente faz o pedido de reabastecimento de materiais.
  28. 28. 28 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Kanbans KANBAN DE PRODUÇÃO KANBAN DE RETIRADA KANBAN DE PROCESSO KANBAN DE FORNECIMENTO CÉLULA DE FABRICAÇÃO “A” SUPERMERCADO
  29. 29. 29 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 • Endereço da linha – Linha ou processo onde as peças serão produzidas; • Número do kanban – Um número de RG do kanban para rastrear vários kanbans • Código de barras • Um código legível por máquina para permitir o rastreamento do kanban • Número da peça • Descrição da peça • Quantidade de peças por kanban • Nome do fornecedor • Endereço da área de envio – Para onde as peças devem ser enviadas quando produzidas • Local de estocagem da peças – Local de estocagem temporária ou depósito antes do uso. Informação em um Kanban Típico:
  30. 30. 30 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Seis Regras do Kanban 1. O processo seguinte puxa do processo precedente 2. Produzir somente a quantidade puxada pelo processo seguinte (determinado pelas quantidades padrão das embalagens) 3. Nenhuma produção ou transporte é feita sem um kanban 4. O kanban deve ser anexado às peças (remover o cartão do material assim que a primeira peça é retirada do contentor) 5. Defeitos nunca são enviados ao processo seguinte 6. Revisar periodicamente o número de kanbans emitidos (Os cartões devem ser controlados pelo Controle de Produção)
  31. 31. 31 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 As Regras do Kanban Estas regras ‘simples’ são difíceis de serem seguidas. !!Elas devem ser Impostas!! Novos sistemas precisam assegurar que estas regras sejam seguidas e que as suposições iniciais eram precisas. Sistemas estabelecidos precisam de manutenção regular para garantir que estejam funcionando e que a demanda não tenha mudado.
  32. 32. 32 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Quantos Kanbans? O número total de kanbans deve cobrir o prazo de entrega do processo. O prazo de entrega é o tempo que leva para transformar a matéria-prima em uma peça acabada. Prazo de entrega Tempo Takt Peças por kanban Cheque os seus Mapas do Fluxo do Valor + X = nº de kanbans necessários
  33. 33. 33 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Módulo Peças por Kanban A Quantidade por Kanban é o menor número de peças em uma caixa ou contentor padrão, ou é a quantidade mais conveniente ao manuseio. Por exemplo, uma caixa de ovos contém uma dúzia de ovos. Esta quantidade será o número mais conveniente daquele item que o kanban irá disparar. (Módulo = Tempo TAKT x Quantidade / Kanban)
  34. 34. 34 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 O Fator X Uma margem de segurança ou medida de confiabilidade. X pode ser usado para evitar que o pedido de um cliente não seja satisfeito devido a quaisquer problemas de produção, assim como atrasos por causa de mau tempo, erros ou tempo de processo desperdiçado ou durante a transição para a Manufatura Enxuta e o seu FSM. A medida em que você progride para a Manufatura Enxuta e seu FSM, o fator X deve ser continuamente reduzido.
  35. 35. 35 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Tempo de entrega do processo = 10 dias = 4,500 minutos 1 turno = 450 minutos (7.5 horas por turno / dia) X 10 dias Tempo Takt = 2 minutos Quantidade de peças por kanban = 100 (Módulo) Fator X = 5 (margem de segurança de gerenciamento) (4,500 / 2 = 2,250) / 100 = 22.5 + 5 = 27.5 ** = 28 cartões kanban necessários ** Arredonde para o próximo número inteiro Modelo para o Cálculo do Kanban Prazo de Entrga Takt time Peças po kanban + X = nº de kanbans necessários
  36. 36. 36 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 • O número de kanbans é ajustado a cada mudança no tempo takt pela fórmula de cálculo do kanban. • As margens de segurança do Kanban (fatores X) devem ser mantidos o mais baixo possível • Monitore os kanbans em uso; não perca nenhum… cheque pelo menos uma vez ao dia. • Retire peças somente quando necesssário. • Quanto menos kanbans você precisar, mais suavemente seu processo correrá. –Mantenha o nível de produção em mente. Dicas do Kanban…
  37. 37. 37 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Sistema de Puxar Nivelamento da Produção
  38. 38. 38 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Nivelamento da Produção (Heijunka) Min. Pedido do Cliente Planejamento de Nivelamento da Produção Max. Min. Max. O nivelamento do programa de produção é um requisito fundamental para o sucesso da implementação do Sistema Eaton de Manufatura Enxuta (Eaton Lean System).
  39. 39. 39 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Nivelamento da Produção • Nivele os pedidos dos clientes de forma que os vários volumes e produtos sejam produzidos em pequenos ciclos seqüenciados. – Estes ciclos seqüenciados são, então, repetidos tantas vezes quanto possível. • O volume é nivelado pelo pedido do cliente para a demanda mensal ou semanal transformado em demanda diária ou horária. – A variedade de produtos é nivelada de forma que as peças sejam produzidas em pequenos lotes com a maior freqüência possível.
  40. 40. 40 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Nivelamento da Produção PROGRAMAÇÃO TRADICIONAL PROGRAMAÇÃO NIVELADA
  41. 41. 41 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Heijunka (Nivelamento da Produção) Pedidos do Cliente Max. Min.Min. Max. A = 200 B = 100 C = 100 A = B = C = 50 Execução da Produção Caixa de Nivelamento da Produção Usado para comunicar a programação nivelada às operações de manufatura.
  42. 42. 42 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 1 2 3 4 5 6 7 8 A 200 50 50 50 50 B 100 50 50 C 100 50 50 Prod. Diária Req.Peça T e m po ta kt = 1 m in. T e m po de m o nta ge m = 10 m in. T a m a nho do ka nba n = M ó d = 50 Caixa de Nivelamento da Produção
  43. 43. 43 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 A Caixa de Nivelamento da Produção e o Movimentador de Materiais Puxando Pedidos
  44. 44. 44 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 Nivelando Pedidos • Benefícios de uma programação nivelada – uso mais efetivo da mão-de-obra – requer menos máquinas e equipamentos – reduz inventário – distribui o trabalho igualmente entre todos os passos da seqüência de produção
  45. 45. 45 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02 CD Heijunka
  46. 46. 46 © 2001, Eaton Corp., All Rights Reserved 29/04/02

×