Sistema Neuro-hormonal

38.977 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
1 comentário
16 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
38.977
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21.595
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.443
Comentários
1
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema Neuro-hormonal

  1. 1. Sistema Neuro - Hormonal
  2. 2. <ul><li>Manter a vida humana, em todas as suas dimensões, implica a coordenação entre os vários sistemas de órgãos. </li></ul><ul><li>Na coordenação do organismo intervêm: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>o Sistema Nervoso; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>o Sistema Hormonal. </li></ul></ul></ul></ul>Sistema Neuro - Hormonal
  3. 3. <ul><li>No Sistema Nervoso as mensagens são transmitidas ao longo de células nervosas - os neurónios , até aos diferentes órgãos por impulsos eléctricos. </li></ul><ul><li>No Sistema Hormonal existem mensageiros químicos - as hormonas , elaborados em órgãos específicos, que circulam na corrente sanguínea até aos órgãos - alvo . </li></ul>Sistema Neuro - Hormonal
  4. 4. Sistema Neuro - Hormonal Sistema Nervoso Sistema Hormonal Sistema Nervoso Central Sistema Nervoso Periférico Encéfalo Espinal Medula Cérebro Cerebelo Bolbo raquidiano Gânglios Nervos Cranianos Raquidianos
  5. 5. <ul><li>Nos vertebrados o sistema nervoso compreende: </li></ul><ul><li>Sistema nervoso central , constituído, pelo encéfalo e pela espinal medula; </li></ul><ul><li>Sistema nervoso periférico , constituído pelos nervos (cranianos e raquidianos) e pelos gânglios nervosos. </li></ul><ul><li>Os centros nervosos estão protegidos por formações esqueléticas, o crânio e a coluna vertebral. </li></ul>Sistema Nervoso
  6. 6. <ul><li>O sistema nervoso permite ao indivíduo relacionar-se com o meio ambiente e dar respostas adequadas aos estímulos recebidos. </li></ul><ul><li>As variações do meio externo são percebidas de forma consciente . </li></ul><ul><li>As variações do meio interno são percebidas de forma inconsciente . </li></ul>Sistema Nervoso
  7. 7. <ul><li>Em resposta às condições do meio - aos estímulos , podem realizar-se: </li></ul><ul><ul><li>Actos voluntários - são desencadeados por vontade própria. </li></ul></ul><ul><ul><li>Actos involuntários - são um conjunto de movimentos coordenados que executamos de forma automática ( pestanejar, espirrar…). </li></ul></ul>Relações com o meio - actividade nervosa
  8. 8. <ul><li>O funcionamento do sistema nervoso depende da circulação das mensagens numa rede complexa de neurónios. </li></ul>O funcionamento do sistema nervoso Fig.1 Neurónios
  9. 9. <ul><li>Os neurónios, também designados por células nervosas, são as unidades de estrutura e de função de todos os organismos do sistema nervoso. </li></ul><ul><li>Num neurónio podemos distinguir: </li></ul><ul><ul><li>Dendrites - recebem informação de outros neurónios e conduzem a informação na direcção do corpo celular. </li></ul></ul>Neurónios
  10. 10. <ul><ul><li>Axónio - conduz os impulsos nervosos para fora do corpo celular. </li></ul></ul><ul><ul><li>Corpo celular - contém o núcleo da célula, sendo uma das suas principais funções a produção de neurotransmissores, que são armazenados nas vesículas secretoras nas extremidades dos axónios. </li></ul></ul>Fig.2 Histologia de um neurónio
  11. 11. Propriedades dos neurónios <ul><li>Excitabilidade; </li></ul><ul><li>Condutibilidade; </li></ul><ul><li>Comunicam entre si, com as glândulas e com os músculos através de sinapses; </li></ul><ul><li>Não têm capacidade de se dividir. </li></ul>
  12. 12. Condução do impulso nervoso Fig.3 Condução do impulso nervoso
  13. 13. <ul><li>As células de glia têm como função a sustentação, a nutrição e a defesa dos neurónios. Constituem cerca de metade do volume do encéfalo. </li></ul><ul><li>As células de Schwann são as que proporcionam um suporte estrutural e metabólico aos axónios. Estas enrolam-se à volta de parte do axónio e formam a chamada bainha de mielina. </li></ul><ul><li>Os nódulos de Ranvier são intervalos onde esta bainha de mielina está interrompida. </li></ul>
  14. 14. Fig.3 Histologia de um neurónio
  15. 15. <ul><li>O sistema nervoso central é constituído pelo encéfalo e pela espinal medula. </li></ul><ul><li>O encéfalo é constituído por: </li></ul><ul><li>Cérebro; </li></ul><ul><li>Cerebelo; </li></ul><ul><li>Bolbo Raquidiano. </li></ul>Sistema Nervoso Central Bolbo Raquidiano Cérebro Cerebelo Fig.4 Constituição do S.N.C Espinal medula
  16. 16. <ul><li>O cérebro é a parte mais volumosa do encéfalo e está dividido em duas partes, hemisférios cerebrais, cuja parte superior tem numerosos sulcos que delimitam as circunvoluções cerebrais. </li></ul><ul><li>O córtex cerebral corresponde à parte superior do cérebro. Os hemisférios cerebrais são divididos por uma fissura longitudinal, em cuja base se encontra o corpo caloso - que permite a passagem de informação entre os hemisférios. </li></ul>Cérebro
  17. 17. <ul><li>O cérebro é constituído por duas substâncias de tonalidades diferentes, sendo o córtex cerebral constituído por substância cinzenta e a parte interna do cérebro por substância branca. </li></ul>Fig.5 Cérebro
  18. 18. <ul><li>O cerebelo é uma estrutura oval com um sulco chamado vérmis, que o divide em dois hemisférios. Está relacionado com o movimento e equilíbrio do organismo. </li></ul><ul><li>O bolbo raquidiano coordena os movimentos cardíacos e respiratórios. </li></ul>Cerebelo e Bolbo raquidiano Fig.6 Constituição do encéfalo
  19. 19. <ul><li>A espinal medula encontra-se localizada no interior da coluna vertebral, é um cordão esbranquiçado com cerca de 51cm de comprimento e é responsável pelos actos involuntários. </li></ul>Espinal Medula Fig.7 Espinal Medula
  20. 20. Fig.8 Espinal medula <ul><li>Encontra-se alojada no canal raquidiano, comunicando com os diferentes órgãos do tronco e dos membros. </li></ul><ul><li>Num corte transversal é possível observar a região externa branca e a região interna cinzenta, onde existe um canal central por onde circula o líquido cefalorraquidiano. </li></ul>
  21. 21. Sistema Nervoso Periférico <ul><li>Sistema Nervoso Autónomo </li></ul><ul><li>(coordena os órgãos internos de modo automático e inconsciente): </li></ul><ul><ul><li>Simpático ( mobiliza as energias para um aumento de actividade) </li></ul></ul><ul><ul><li>Parassimpático ( conserva as energias corporais) </li></ul></ul>Nervos Raquidianos Nervos Ciáticos Fig. 9 S.N.P Nervos cranianos
  22. 22. <ul><li>Sistema Nervoso Somático </li></ul><ul><li>(coordena funções que nos relacionam com o meio externo - movimentos voluntários): </li></ul><ul><li>Nervos do sistema muscular, do esqueleto e dos órgãos dos sentidos </li></ul>Fig.10 S.N.S
  23. 23. <ul><li>O sistema hormonal tem uma estreita relação com o sistema nervoso, através do hipotálamo . </li></ul>Sistema hormonal Fig.11 Hipotálamo
  24. 24. <ul><li>O sistema hormonal e o sistema nervoso interagem entre si através do: eixo hipotálamo-hipófise. </li></ul>Fig.12 Eixo hipotálamo-hipófise
  25. 25. <ul><li>O hipotálamo é a região do cérebro capaz de transformar impulsos nervosos recebidos de várias regiões do S.N.C. em sinais hormonais, enviados para a hipófise . </li></ul>Hipotálamo Fig.13 Eixo hipotálamo-hipófise
  26. 26. <ul><li>O hipotálamo participa no controlo: </li></ul><ul><li>do ritmo cardíaco; </li></ul><ul><ul><li>da digestão; </li></ul></ul><ul><ul><li>da defecação. </li></ul></ul><ul><li>É também responsável pela sensação de sede, de fome e até pela excitação sexual. </li></ul><ul><li>Intervém, também, no nosso estado sentimental . </li></ul>
  27. 27. <ul><li>A mensagem hormonal realiza-se por via química, através das hormonas . </li></ul><ul><li>Apenas determinadas células-alvo, estão equipadas para receber o sinal que uma dada hormona transmite. </li></ul>A mensagem hormonal Fig.14 Mensagem hormonal
  28. 28. <ul><li>… são moléculas produzidas por glândulas endócrinas; </li></ul><ul><li>… são lançadas no sangue, que as transporta; </li></ul><ul><li>… actuam em quantidades muito pequenas; </li></ul><ul><li>… têm uma acção específica sobre as células-alvo; </li></ul><ul><li>… regulam processos celulares, estimulando ou inibindo a sua actividade; </li></ul><ul><li>… têm, em regra, uma acção duradoira. </li></ul>As hormonas…
  29. 29. Principais áreas de acção hormonal…
  30. 30. <ul><li>Sites: </li></ul><ul><li>http://curlygirl.naturlink.pt/nervoso.htm#introducao </li></ul><ul><li>http://www.geocities.com/CollegePark/Lab/9707/hormonal.html </li></ul><ul><li>Livro: </li></ul><ul><li>Dias da Silva, Amparo; Gramaxo, Fernanda; Santos, Maria Ermelinda; Mesquita, Almira Fernandes; (2004); Terra, Universo de Vida, 2.ª Parte - Biologia; Porto Editora. </li></ul>Referências Bibliográficas
  31. 31. <ul><li>FIM </li></ul>

×