O Mapa estelar das startups de sucesso.

585 visualizações

Publicada em

Neste ebook você irá conhecer os 7 passos para criar uma startup de sucesso.

Publicada em: Negócios
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
585
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
172
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Mapa estelar das startups de sucesso.

  1. 1. O mapa estelar das startups de sucesso ACELERA STARTUPS
  2. 2. Acelera Startups O mapa estelar das startups de sucesso
  3. 3. Quem ama o que faz vai mais longe. Primeiro porque resiste mais firme às adversidades de qualquer mercado e segundo porque consegue transmitir essa paixão por trabalhar com o que gosta em todos os gestos, isso vende mais rápido, mais fácil e gera lucros inimagináveis para si e para os outros. Mas não é tão simples quanto parece, trabalhar com o que se gosta exige esforço do indivíduo para não sucumbir à pressão de familiares, amigos e inimigos (é tanta gente querendo meter o dedo na sua vida que fica difícil lembrar de todos que lhe deram uma opinião que as vezes nem mesmo foi pedida). Mas àqueles que vencem a certeza dada pelos 50 americanos mais bem sucedidos presentes no ranking da revista Forbes e que quando perguntados sobre o segredo do seu sucesso responderam: Eu sei o que eu quero! Saber o que você quer e ama fazer por si, já é um ingrediente poderoso para quem busca o sucesso! Um alento para aqueles que não sabem: será necessário apenas 10 minutos para decidir o que você quer, que tal pormos isso em prática? Coloque-se em uma posição confortável onde você possa tomar consciência do seu corpo sem ser perturbado. Pense nos dedos dos pés, o seu pé, a maneira como ele se conecta com o resto do corpo como se integra com a perna e esta se interliga com a virilha, esta com a barriga, o peito, os braços e as mãos, o pescoço e finalmente a cabeça. Persista sentindo cada pedaço do seu corpo e respire fundo, uma, duas, três vezes. Pronto! Você está apto pensar na sua vida, as coisas que faz, que estuda, as coisas que te motivam, que te entusiasmam, as pessoas que você gosta de ter ao lado, perceba que todas essas informações sempre estiveram ai a sua disposição e que bastou iniciar o processo agora para elas emergirem frente a tantas outras que estão em seu dia a dia. Pense em sua vida ideal. Como você estará? Com quem você estará? E o que você estará fazendo para manter esse estado de espírito? Concentre-se nisso e anote os 10 itens de maior importância quanto mais específico e detalhado for, melhor para você atingir o seu objetivo, assim, tente fugir de coisas como: para a minha vida ser ideal eu gostaria de ser feliz ou de ter dinheiro e se aproxime do que lhe gera felicidade como por exemplo alguém que é muito feliz quando vai a praia ou viaja para conhecer outros Etapa 1 Descubra o que você ama fazer 2
  4. 4. países. Lembre-se de registrar os 10 itens mais importantes e agora enumere-os por ordem de importância assinalando 1 para o mais importante e 10 para o menos importante, pronto! Terminada essa lista você tem um tesouro em suas mãos que pode ser transformado em fichas para você ler em determinada hora do dia, ou fotos que possam ser vistas com frequência, assinale o compromisso de ver esse material todos os dias por 21 Dias consecutivos (este é o número de dias apontados por especialistas para incorporar um novo hábito) essa lista irá produzir maravilhas em sua vida. Quando a minha vida for ideal eu serei e/ou estarei ... ? 1. _____________________________________________________ 2. _____________________________________________________ 3. _____________________________________________________ 4. _____________________________________________________ 5. _____________________________________________________ 6. _____________________________________________________ 7. _____________________________________________________ 8. _____________________________________________________ 9. _____________________________________________________ 10. _____________________________________________________ 3
  5. 5. Para desenvolver novas oportunidades iremos trabalhar com ideias de negócios, pensando: quais dos 10 itens escolhidos por você na etapa anterior podem gerar negócios? E quais desses negócios você gostaria de trabalhar? Um bom ponto de partida seria conectar com pessoas que já trabalham nessa área específica, que tal marcar um encontro e saber mais detalhes dessa área em especial? Quem sabe é possível encontrar coisas que você ainda não havia pensado em revistas, sites e comunidades que desenvolvem esse tema nas comunidades que você frequenta na internet. Além disso, existem locais específicos que podem dar boas pistas de que negócios estão em alta na sua área de atividade escolhida, veja alguns exemplos: 1. Ideias de negócio presentes no site do Sebrae; 2. Banco de ideias presentes no site da revista PEGN com setores diversos listando os mais variados negócios e como eles estão ganhando mercado e conquistando cliente. 3. Crunchbase, a maior base de dados sobre Startups do mundo mantida pela revista TechCrunch; 4. Startupbase, banco de dados mantido pela Associação Brasileira de Startups com as startups brasileiras; Busque, leia e se identifique com o negócio que mais lhe chama a atenção. Mas não tenha medo encarar negócios ainda não muito claros ou difíceis de prever como iriam ganhar dinheiro pois as próximas etapas irão focar nisso. 1. Gostaria de trabalhar com: _______________________________ 1.1. Uma boa ideia de negócio seria: ________________________ 1.2. Uma boa ideia de negócio seria: ________________________ 1.3. Uma boa ideia de negócio seria: ________________________ 2. Gostaria de trabalhar com: _______________________________ 2.1. Uma boa ideia de negócio seria: ________________________ 2.2. Uma boa ideia de negócio seria: ________________________ 2.3. Uma boa ideia de negócio seria: ________________________ Etapa 2 Busque oportunidades de negócio 4
  6. 6. Criado pelo suíço Alexander Osterwalder de forma colaborativa com pessoas do mundo inteiro o Canvas do Modelo de Negócios ganhou o mundo pela forma simples como organiza um modelo de negócio do zero e em nosso trabalho ele será peça chave para estruturar a sua ideia e dar uma visão mais clara do negócio a ser montado. Usando o aplicativo de sua preferência ou notas auto-colantes, canetas para cd e o próprio canvas, inicie o preenchimento do quadro na ordem que você achar mais adequada, com as seguintes observações: Proposta de Valor Que valor será entregue para o segmento de clientes? Quais são os problemas dos clientes que a empresa ajuda a resolver? Quais são os produtos e serviços que são entregues para cada segmento de clientes? Que necessidades dos clientes estão sendo satisfeitas? Segmento de Clientes Para quem está sendo criado valor? Quem são os clientes mais importantes? Canais Através de quais canais o segmento de clientes será alcançado? Como estão sendo alcançados hoje? Como os canais estão Etapa 3 Crie um modelo de negócios 5
  7. 7. ligados entre si? Qual é o canal que funciona melhor? Qual é o canal que tem menor custo? Relacionamento com Clientes Que tipos de relacionamentos o segmento de clientes espera da empresa? Quais são os relacionamentos já estabelecidos hoje? Como estes relacionamentos estão integrados com outros aspectos do negócio? Quanto custam os relacionamentos existentes? Recursos-Chave Que recursos-chave a proposta de valor exige? E os canais de entrega? E os relacionamentos? E as fontes de receita? Atividades-Chave Que atividades-chave a proposta de valor exige? E os canais de entrega? E os relacionamentos? E as fontes de receita? Parceiros-Chave Quem são os parceiros-chave? Quem são os fornecedores- chave? Que recurso-chave a empresa consegue dos parceiros- chave? Que atividades-chave os parceiros-chave exercem? Fontes de Receita Como você ganha dinheiro? Por qual valor o segmento de clientes está disposto a pagar? Pelo quê pagam atualmente? Como o segmento de clientes paga hoje? Como eles prefeririam pagar? Qual é a contribuição de cada fonte de receita para receita total? Estrutura de Custo Onde você investe o dinheiro do negócio? Quais são os custos mais importantes do modelo de negócios? Quais são os recursos-chave mais caros? Quais são as atividades-chave mais caras? 6
  8. 8. 7
  9. 9. Como um dos pontos centrais de todo projeto você precisa se preparar para a fase de validação com o cliente usando duas ferramentas de simples preenchimento: Personas Personas são personagens fictícios criados para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo demográfico, atitude e/ou comportamento definido que poderia utilizar um site, uma marca ou produto de um modo similar. Personas são uma ferramenta ou método de segmentação de mercado. O termo persona é usado amplamente em aplicações online e tecnológicas, bem como em publicidade, onde outros termos como retratos de pena também podem ser usados. São úteis para consideração dos objetivos, desejos e limitações de usuários e compradores de marcas com o objetivo de ajudar a guiar decisões sobre um serviço, produto ou espaço de interação tais como características, interações e o design visual de sites web. Personas são frequentemente usadas como parte de um processo de design centrado no usuário para o desenvolvimento de software e também são considerados uma parte do design de interação (IxD), tem sido usados no design industrial e mais recentemente para finalidades de marketing online, como por exemplo no marketing de conteúdo. Para esse conceito ser útil, você deve dar a cada seguimento de cliente dispostos no Canvas do modelo de negócios, um nome e algumas características demográficas tais como estado civil, idade, sexo, etc. (o detalhe aqui é trabalhar com os dados que são interessantes ao seu modelo de negócio, um exemplo, a forma como ele conecta a internet ou chega até o meu site podem ser mais interessantes do que saber o sexo do cliente). Etapa 4 Conheça o seu cliente 8
  10. 10. Mapa da empatia A empatia é a capacidade de compreender o sentimento ou reação da outra pessoa imaginando-se nas mesmas circunstâncias. Ou simplesmente colocar-se no lugar do outro. Já o Mapa da Empatia é uma ferramenta para obter um profundo CONHECIMENTO DO CLIENTE o que representa uma vantagem competitiva essencial nas organizações. Para utilizá-lo você irá selecionar os seguimentos de clientes dispostos no Canvas do modelo de negócios criado, com ajuda de notas auto-colantes vamos responder diferentes perguntas, baseado no perfil de cliente escolhido. - O que o nosso cliente vê?
 - Como ele pensa?
 - Como ele se sente?
 - O que ele fala ou faz?
 - O que escuta?
 - Quais desafios enfrenta?
 - Quais são suas fortalezas? VÊ O que ele vê? Como é seu entorno? Quem são os seus amigos? Qual é a oferta que recebe? Que tipo de problemas ele encontra? ESCUTA O que ele escuta? Quais são as áreas que influência no seu entorno? O que seus amigos dizem? Seu parceiro/a? Quem realmente o influência e como? Quais os canais de mídia os influenciam? PENSA E SENTE O que ele pensa ou sente? O que considera realmente importante? Quais suas emoções? O que o move? Quais suas expectativas, sonhos e aspirações? Quais suas emoções? FALA E FAZ Qual é seu comportamento e reação em público? O que ele comenta no seu entorno? Você Identifica algum fator diferencial entre o que diz e o que realmente pensa ou sente? 9
  11. 11. FRAQUEZAS Quais são suas fraquezas? Que desafio enfrenta? Quais são suas maiores frustrações? Que obstáculo enfrenta para conseguir seus objetivos? Que riscos teme assumir? GANHOS Quais são seus Ganhos ou Fortalezas? Que lucro quer conseguir? Como mede o sucesso? Que estratégia utiliza para conseguir seus objetivos? Considerações Uma vez realizada a análise teremos um bom conhecimento do cliente, seu entorno, preocupações, comportamentos, expectativas e decisões. Isto permitirá abrir novos caminhos para a criatividade, inovação e novas oportunidades de negócios muito mais adaptadas a realidade de cada cliente. 10
  12. 12. 11
  13. 13. A validação de uma ideia junto ao seu público alvo é uma das etapas mais importantes de um novo negócio e o modelo inventado pelo americano Steve Blank tem se mostrado muito efetivo nesse aspecto pois considera um pivô versão anterior ao mínimo produto viável (MVP) que deve ser apresentado ao mercado alvo para colher feedbacks fazendo um vai e volta à mesa de projeto até que esse pivô possa se tornar um MVP e de fato ser explorado no mercado como um produto. Uma das melhores formas de validação é a venda em si, pois ela afasta opiniões dadas ao acaso e por pessoas que de fato não prestaram atenção na sua ideia e cria um momento ideal para você saber de fato as dificuldades reais de vender o produto ou serviço que está criando, pois se o cliente pagar o que você está pedindo ele dá um feedback valioso para você descobrir o que lhe chamou atenção a ponto dele abrir a carteira e pagar, do contrário, quando ele não paga também dá um feedback no sentido de permitir a melhoria do seu produto com uma avaliação real do que o projeto deve melhorar para se tornar vendável e persistir ou mesmo encerrar nessa fase. Conclusão que só deve ser tomada após conversar com diversos clientes. Outro ponto que deve ser destacado nesta etapa é a apresentação do pivô apenas como uma ideia, pois isso evita custos extras com o desenvolvimento de algo ainda inacabado e que pode ser facilmente rejeitado pelo cliente. Um bom exemplo seria eu apresentar o conceito de uma camisa que não acumula odor mesmo após a ida à uma academia de ginástica. Eu posso apresentar o conceito e até dizer o preço a um cliente sem me preocupar com a cor ou o design da camisa, item que se for desconsiderado pode me custar dinheiro para desenvolver o design e compra do tecido que podem ser rapidamente rejeitados pelo cliente caso ele não goste das decisões que eu tomei relativa a estes itens, inclusive sem validar o ponto de maior interesse e que devia ser o foco da etapa de validação, que era: Uma camisa que não acumula odor mesmo após a ida à uma academia de ginástica. Ponto Etapa 5 Valide suas ideias com clientes reais 12
  14. 14. que faz grande diferença mas é constantemente desprezado em muitas “validações”. 13
  15. 15. A sigla MVP é muito utilizada no meio das startups e é a contração do termo inglês Minimum Viable Product ou em português Mínimo Produto Viável, que é a versão mais simples de um produto que pode ser lançado com uma quantidade mínima de esforço e tempo de desenvolvimento. Um MVP vai ajudar você a iniciar o processo de aprendizado junto ao cliente da forma mais rápida possível, pois poupa tempo e esforços. E ao contrário do desenvolvimento tradicional de produtos, que geralmente envolve um longo e pensativo período de incubação e busca a perfeição do produto, o objetivo do MVP é começar o processo de aprendizagem, e não finalizá- lo. Ao contrário de um teste de protótipo ou conceito, um MVP foi concebido não apenas para responder questões sobre o design do produto e questões técnicas; Seu objetivo é testar as hipóteses fundamentais do negócio, aquilo que o empreendedor acredita que de fato fará o sucesso do seu produto ou serviço. A fase de validação em conjunto com a criação do MVP estão em constante mudança pois mesmo após a conversa com diversos clientes podem surgir melhorias e aprendizados no sentido de otimizar o resultado do trabalho criado. Etapa 6 Desenvolva o Mínimo Produto Viável 14
  16. 16. O pitch também conhecido como Elevator Pitch ou “Discurso do Elevador”, é uma apresentação de 2 a 3 minutos (como se fosse para você apresentar durante a subida/descida de um elevador o seu projeto para um investidor no elevador) em que deve “vender” a sua ideia de forma clara e concisa. Apesar de ser uma apresentação curta, pela necessidade de se conseguir conquistar a atenção do investidor, muitas vezes representa um grande desafio, assim, concentre-se no que é essencial ao seu negócio, aquilo que irá chamar a atenção do investidor e de um eventual cliente. Procure praticar “no espelho”, apresentar para parentes e amigos e perguntar o que eles entenderam, pois é muito comum pelo envolvimento do empreendedor, esquecer-se de dar uma informação básica sobre a essência do seu negócio. O Pitch deve poder ser feito tanto apenas verbalmente, quanto eventualmente suportado por uma apresentação de slides (chamada de Deck), caso o empreendedor tenha oportunidade de se apresentar em público, lembrando também que não deverá ter muitos slides. Algumas dicas para criar um pitch arrasador retiradas do livro a Arte do Começo de Guy Kawasaki, são: - Seja positivo: não tente destruir a concorrência
 - Foco no cliente: o que você pode fazer por ele?
 - Evite termos técnicos, apresente algo que os outro entendam
 - Coloque uma pitada do que sentir no mercado
 - Prepare-se para o Público Alvo da apresentação
 - Regra 10 slides / 20 minutos / 30 tamanho da fonte (10/20/30) Uma boa sequência de slides para a sua apresentação seria: Resumo / Problema / Solução / Modelo de Negócio / Toque mágico / Mkt & vendas / Concorrência / Gerência / Financeiro (Projeções, métricas-chave, situação atual, realizações, linha do tempo e uso dos recursos) Para finalizar, reúna 3 amigos, explique sua ideia em 1 minuto. Peça para eles escreverem o que entenderam, compare com o que você disse. Etapa 7 Prepare a apresentação do seu Pitch 15
  17. 17. Acelera Startups Saiba mais sobre a Acelera Startups
  18. 18. A Acelera Startups é uma empresa voltada para a educação empreendedora que promove eventos e workshops voltados para a integração entre facilitadores, mentores, empreendedores, consultores e estudantes que queiram montar um negócio inovador usando as metodologias mais utilizadas no mundo para o desenvolvimento de startups. Em seu roteiro estão técnicas muito conhecidas como: Canvas do modelo de negócios, mapa da empatia, desenvolvimento de clientes, design thinking e Lean Startup. Entre seus produtos estão: workshops, treinamentos para facilitadores e um jogo de cartas para orientar a criação de um novo negócio. Conheça mais detalhes dos nossos produtos nas seções a seguir. Seção 1 Sobre nós 17
  19. 19. Com o treinamento para facilitadores, você pode levar o Acelera Startups para a sua cidade e oferecer cursos para empreendedores que querem ferramentas eficientes para transformar suas ideias em negócios de sucesso. Em seu conteúdo encontram-se diversas metodologias conhecidas mundialmente para Acelerar Startups, como: - Lean Startup;
 - Canvas do Modelo de Negócio;
 - Mapa da Empatia;
 - Customer Development;
 - Design Thinking. Alguns benefícios do treinamento são: - Vídeo aula disponível online;
 - Acesso ao material digital: manual, slides, e planilhas;
 - Kit de cards versão facilitador;
 - 1 hora para tirar dúvidas via skype com Claudio Brito;
 - Indicação do seu perfil no site AceleraStartups.com.
 No conteúdo do curso estão os seguintes tópicos: - Facilitação / Andragogia;
 - Material Didático e Digital;
 - Manual do Facilitador e Participante;
 - A Sala de Treinamento;
 - Instruções para Abertura;
 - Módulo 1: mundo atual, termos importantes, teste de afinidade, modelo de negócios e canvas do grupo;
 - Módulo 2: canvas individual ou de sócios, persona e empatia;
 - Módulo 3: concorrentes, benchmark e tamanho de mercado;
 - Módulo 4: preparação e apresentação dos pitchs;
 - Instruções para o Encerramento. Saiba mais detalhes sobre o treinamento, no link a seguir:
 http://www.acelerastartups.com/facilitador/ Seção 2 Treinamento para facilitadores 18
  20. 20. Os Cards aliam metodologias consagradas, que abordam desde a validação da ideia aos estágios mais avançados de implementação, em um formato diferenciado que torna o processo mais simples e intuitivo, permitindo manter em todas as fases o foco no que é realmente importante. Eles estão disponíveis em duas versões: Versão facilitador Na versão facilitador você tem acesso a cards maiores (tamanho A6), específicos para uso em grupo e workshops. Seção 3 Cards Acelera Startups 19
  21. 21. Versão padrão Na versão padrão o tamanho dos cards é reduzido (tamanho de um cartão de visita), mas a eficácia é mantida para organizar suas ideias de negócio. Saiba mais detalhes sobre esse produto, no link a seguir:
 http://cards.acelerastartups.com 20
  22. 22. 21
  23. 23. Segundo a revista The Economist, 75% do PIB em 2020 será de produtos e serviços ainda não inventados. As mudanças serão maiores e mais rápidas, quem não estiver preparado vai ver o seu negócio minguar ou acabar. As faculdades, consultorias e organizações de fomento ao empreendedorismo estão se atualizando, mas não na velocidade adequada, o que gera confusão, dúvidas e coloca no mercado profissionais despreparados para a revolução que está surgindo. A proposta do Acelera Startups é direcionar as técnicas de aceleração de Startups, utilizadas no Vale do Silício, para o seu negócio. E com ferramentas atuais, fazer você olhar o seu futuro por um prisma diferente, com maior probabilidade de êxito! Aliando a técnica com experiência de mais de vários anos de mercado queremos preparar o seu produto ou serviço para ser lançado em mercado nacional com maior propabilidade de sucesso.
 
 Entre as metodologias presentes no workshop estão: - Lean Startup;
 - Canvas do Modelo de Negócio;
 - Mapa da Empatia;
 - Customer Development;
 - Design Thinking. O workshop é realizado em 2 dias com os módulos sendo realizado em 2 períodos ou em 4 dias com os módulos sendo realizado em 1 período, veja a proposta detalhada de agenda: 1. Apresentações, expectativas, quadro gostei gostaria e contrato de convivência 2. Módulo 01 a. Que cenário vivemos? O que esperar para o próximos anos? A saída é inovar / reações a mudanças / Cruzando o Abismo / Long Tail / Zeitgeist b. Por onde começar? Que área escolher? Que negócio atuar? Teste da paixão (e depois? Que negócio vou montar na minha área de atuação?) / brainstorming (grupos usam técnica com vista nas ideias individuais) Seção 4 Workshop para empreendedores 22
  24. 24. c. Canvas do modelo de negócio, explicação e montagem individual 3. Módulo 02 c. Criação de personas para clientes e parceiros d. Mapa da empatia e. Criação de entrevistas para validação de ideia / Customer Development 4. Módulo 03 d. Proposta de valor, atividades e recursos-chave para benchmark de mercado. e. Montagem de planilha para comparativo de concorrentes. f. Geração de tarefas para atingir proposta de valor g. Qual o tamanho do meu mercado? Alinhamento do segmento de clientes com os custos e expectativa de receita para estudar a viabilidade do negócio. h. Funil de vendas, como preparar sua empresa para o marketing digital i. Google Marketing 5. Módulo 04 e. Apresentação dos projetos f. Start para desenho da solução (Design Thinking, prototipagem) g. Equipe (Que perfis preciso na equipe?) h. Premiação do melhor projeto 6. ENCERRAMENTO DO TREINAMENTO 23
  25. 25. 24
  26. 26. 25
  27. 27. “Foi um excelente investimento! Entendi melhor como linkar um cliente a determinado produto. Gostei das dinâmicas adotadas e senti todos muito a vontade como se fossem grandes amigos. Não só indico para amigos, como faria outro.” Júlio dos Santos “Gostaria de agradecer imensamente a paciência e a colaboração nesse importante momento da nossa ideia coletiva. Eu sempre olhei o empreendedorismo com uma carga de preconceito diante de uma suposta ‘selvageria necessária’, mas a postura do Facilitador me fez crer que fazer diferente, inovar, perpassa por uma esfera que vai muito além da material: alcança almas.” Raynéia Machado “O Workshop foi nota 10. Durante estes dias respirei empreendedorismo, aprendi técnicas, fiz network, criei um produto e recebi valiosos feedbacks. Gostei muito das atividades práticas!” Carlos Clayton “O Workshop possui uma excelente didática, de fácil entendimento. Nos impulsiona a alimentar nossas ideias e principalmente pô-las em prática. Já indiquei para vários amigos!” Brenda Paes Veja todos os depoimentos, no link a seguir:
 http://www.acelerastartups.com/br/depoimentos-workshop- belem/ Seção 5 Depoimentos de quem fez 26
  28. 28. Cansado de ficar parado ao ver o empreendedorismo ser ensinado de forma distante da prática em diversas partes do país, ele iniciou uma pesquisa em 2009, por meio de livros, revistas e blogs sobre o tema, além de fazer contato com autores de diversas partes do mundo. Criou uma comunidade para fomentar o empreendedorismo em sua região, visitou o Vale do Silício e participou de inúmeros treinamentos dos mais variados tipos, inclusive dentro da faculdade número 1 em empreendedorismo nos Estados Unidos: Babson, em Boston, onde teve acesso a conhecimento e professores de primeira linha. A primeira dificuldade também serviu de trampolim pois trouxe diversos aprendizados “Sempre fui muito curioso e boa parte do modelo desenvolvido tem a ver com isso, como os melhores conteúdos estavam em inglês, fui obrigado a aprender a língua, pois precisava me comunicar com os autores, trocar ideias e experiências. O resultado foi animador, e em poucos meses de muito esforço já trocava e-mails e conseguia ler muito artigo sem a ajuda do tradutor.” Para validar seu aprendizado o professor Claudio Brito, precisava aplicar no seu negócio os conhecimentos recém- adquiridos. “Vi com nitidez o abismo entre a teoria e a prática ou, algo muito pior, o baixo preparo do ensino superior para treinar futuros empreendedores. Isso me levou a estudar com mais vontade. Fiz curso de Coaching, busquei livros sobre o comportamento humano e, pouco a pouco, um quebra-cabeça foi se montando, entendia as coisas com mais clareza e as necessidades iam ficando mais óbvias. Troquei as férias por mais trabalho e estudo! Fui morar no Vale do Silício com a minha esposa, queria estudar inglês, conhecer gente nova e entender melhor porque as coisas funcionam bem por lá… Conheci Steve Blank, um famoso guru do empreendedorismo inovador… Não sabia aonde toda essa busca ia me levar, mas de alguma forma, sentia que estava no caminho certo. Não podia mais continuar dentro da faculdade! Precisava me concentrar mais nos negócios e nos estudos. Assim que pedi demissão da faculdade onde trabalhava, fui convidado para ser Facilitador do Empretec, treinamento da ONU realizado em todo mundo, focado no comportamento empreendedor e que no Brasil tornou-se um sucesso pelas mãos do Sebrae, que exporta seus melhores Seção 6 Como tudo começou 27
  29. 29. facilitadores para várias partes do mundo. A ideia me animava muito pois casava perfeitamente com o meu projeto de vida. Pude então conhecer facilitadores do Brasil inteiro e ter acesso aos bastidores de um dos melhores treinamentos para empreendedorismo do mundo: era mais uma peça do quebra- cabeça que aparecia na minha frente e eu a agarrei com todas as forças, estudando com afinco cada detalhe do seminário.” Quase 2 anos depois, recebi indicações para o meu credenciamento, processo longo e interrompido parcialmente pelo nascimento do meu filho. Mas uma vitória considerável, pelo nível de exigência pela qual um facilitador iniciante passa. Aquela insatisfação com o modelo de ensino do empreendedorismo era menor, porém, sabia que o Empretec ainda não era acessível para muitos empreendedores e não atendia bem os empreendedores em estágio inicial. Além disso, possuía elementos suficientes para criar um treinamento diferenciado, pois coletara bastante material e uma extensa rede de contato construída em 17 anos de mercado em várias cidades do Brasil. Era hora de fazer mais! Aplicando as técnicas que havia aprendido, Claudio começou a oferecer mentoria gratuita para quem estivesse começando um negócio. “Nessa etapa, conversava com os empreendedores, queria saber suas angústias, dores e decepções. Fazia reunião via Skype, telefone ou qualquer outro meio conveniente e em qualquer horário, o que traz problemas para qualquer sujeito com esposa e filho recém-nascido, mas essa é outra história… A paixão pelo que eu fazia valia o sacrifício. Além disso, estava validando a ideia, algo que faz parte da metodologia empreendedora resultante da pesquisa e antes de colocar a metodologia no mercado, precisava entender bem os detalhes das necessidades desses empreendedores em estágio inicial. Com o sucesso dessa fase, estava próximo do lançamento do treinamento.” No entanto, ainda sentia necessidade de deixar o modelo o mais acessível possível para o maior número de pessoas, desafio que foi superado com a adição de um pequeno detalhe ao modelo de negócio: o treinamento seria distribuído gratuitamente e, mais do que isso, faria o licenciamento baseado no Creative Commons o que permitiria amplo acesso a todo o material necessário para realizar o workshop para qualquer pessoa disposta a facilitar o conteúdo, dando a ela sem cobrar royalties, a possibilidade de contribuir com a evolução do modelo e utilizá-lo de forma comercial ou não. Com a novidade, a adesão dos primeiros co- criadores surgia de forma orgânica de várias partes do Brasil. E o número só cresce a cada dia. Para mais detalhes sobre o workshop e a Acelera Startups, visite nosso site:
 http://www.acelerastartups.com 28
  30. 30. Claudio Brito É especializado em Marketing Digital pela Fecap-SP, tem 18 anos de experiência e participou de treinamentos internacionais com mestres como Alexander Osterwalder, Steve Blank e Mike Krieger. Foi selecionado pela Endeavor para o curso “Building a High Growth Business” em Babson, faculdade No. 1 em empreendedorismo nos EUA. No Brasil, participa ativamente do desenvolvimento do mercado inclusive organizando missões empresarias para o Vale do Silício onde apresenta empresas como Google, Apple e Evernotes. É facilitador do Empretec, coach e investidor anjo. Como empresário, mantém o TcGroup & Companies um grupo de empresas focado em Internet para negócios. Veja mais detalhes sobre Claudio em seus perfis nas redes sociais:
 http://about.me/claudiombrito Seção 7 Sobre o fundador 29

×