SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
 
OS JOVENS E A SECULARIZAÇÃO
S ociedade  A tual I nfluência secularizadora sobre os jovens . Fase da Vida V ulneráveis Responsabilidade dos Líderes e Pastores Con hecer as  causas , conseqüências e métodos para limit ar essa influência .
Três Fontes Especiais de Influência Secularizadora
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A Conseqüência: Crise de Fé A.  Pressão de Grupo  - É mais fácil rebelar-se contra a religião do que contra os amigos. B.  Alienação Institucional  - Eles querem menos envolvimento com a estrutura/instituição e mais relação pessoal. C.  Distanciamento dos Pais  - Sentimento de que os pais são antiquados.
D.  Rebelião  -  Estão tentando se encontrar, estão em crise. E.  Busca de significado  - Querem discutir  e  argumentar . P recisam de respostas às grandes questões da vida. F.  Desilusão  - Vêem o fracasso dos adultos e perguntam: “compensa?” G. Dificuldade Pessoal  - Fruto de realidades confusas (família, etc.) H. Ambiente  - Não se preocupam com o futuro, defendem o “viva hoje”
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],As Alterações Mais Visíveis
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O Que Fazer?
4. Lembrar que cada jovem é um ser individual Cada jovem é um mundo. Não espere que todos reajam da mesma forma a idéias, programas, etc. 5. Estar pronto a servi-los É sempre uma tentação para os líderes estarem mais preocupados com sua reputação pessoal e sucesso do que com o crescimento espiritual dos jovens. O Que Fazer?
“ Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. “ Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos cairão,   mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão. ” Isaias 40:29-31
União Nordeste Brasileira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Festa profissão de fé
Festa profissão de féFesta profissão de fé
Festa profissão de féSolnaEira
 
Sinais de decadência espiritual & envelhecimento da igreja
Sinais de decadência espiritual & envelhecimento da igrejaSinais de decadência espiritual & envelhecimento da igreja
Sinais de decadência espiritual & envelhecimento da igrejaLeda Martinho
 
A espiritualidade no trabalho
A espiritualidade no trabalhoA espiritualidade no trabalho
A espiritualidade no trabalhoHelio Okamoto
 
Por Que Nossos Jovens Abandonam A Igreja
Por Que Nossos Jovens Abandonam A IgrejaPor Que Nossos Jovens Abandonam A Igreja
Por Que Nossos Jovens Abandonam A IgrejaClube de Lideres Online
 
Treinamento professoras visitantes
Treinamento professoras visitantesTreinamento professoras visitantes
Treinamento professoras visitantesanasud
 
EBJ - Encontro 18/03/2012
EBJ - Encontro 18/03/2012EBJ - Encontro 18/03/2012
EBJ - Encontro 18/03/2012EBJ IPBCP
 
37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara
37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara
37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-maraLuana Fernanda
 

Mais procurados (14)

Festa profissão de fé
Festa profissão de féFesta profissão de fé
Festa profissão de fé
 
Sinais de decadência espiritual & envelhecimento da igreja
Sinais de decadência espiritual & envelhecimento da igrejaSinais de decadência espiritual & envelhecimento da igreja
Sinais de decadência espiritual & envelhecimento da igreja
 
A espiritualidade no trabalho
A espiritualidade no trabalhoA espiritualidade no trabalho
A espiritualidade no trabalho
 
Testemunhando No Clube De Desbravadores
Testemunhando No Clube De DesbravadoresTestemunhando No Clube De Desbravadores
Testemunhando No Clube De Desbravadores
 
Aula mordomia ctasc
Aula mordomia ctascAula mordomia ctasc
Aula mordomia ctasc
 
Soc soc livro metas tamanho medio
Soc soc livro metas tamanho medio Soc soc livro metas tamanho medio
Soc soc livro metas tamanho medio
 
Por Que Nossos Jovens Abandonam A Igreja
Por Que Nossos Jovens Abandonam A IgrejaPor Que Nossos Jovens Abandonam A Igreja
Por Que Nossos Jovens Abandonam A Igreja
 
Programa de metas tamanho normar 1 por pag
Programa de metas  tamanho normar 1 por pagPrograma de metas  tamanho normar 1 por pag
Programa de metas tamanho normar 1 por pag
 
Treinamento professoras visitantes
Treinamento professoras visitantesTreinamento professoras visitantes
Treinamento professoras visitantes
 
EBJ - Encontro 18/03/2012
EBJ - Encontro 18/03/2012EBJ - Encontro 18/03/2012
EBJ - Encontro 18/03/2012
 
Seja um supervisor de celulas eficaz_4
Seja um supervisor de celulas eficaz_4Seja um supervisor de celulas eficaz_4
Seja um supervisor de celulas eficaz_4
 
Reunião de treinamento da estaca sister costa
Reunião de treinamento da estaca sister costaReunião de treinamento da estaca sister costa
Reunião de treinamento da estaca sister costa
 
Transformação de uma Igreja em células
Transformação de uma Igreja em célulasTransformação de uma Igreja em células
Transformação de uma Igreja em células
 
37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara
37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara
37380069 treinamneto-para-presi-de-classes-da-estaca-itatiba-mara
 

Destaque

Características e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na IgrejaCaracterísticas e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na IgrejaIPB706Sul
 
A secularizacao da igreja
A secularizacao da igrejaA secularizacao da igreja
A secularizacao da igrejaIPB706Sul
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6PIBJA
 
Secularização da igreja
Secularização da igrejaSecularização da igreja
Secularização da igrejaArethusa Antero
 
Paulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStoloPaulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStoloPetula
 
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012Manoel Júnior
 
Slides o que é teologia
Slides o que é teologiaSlides o que é teologia
Slides o que é teologiaManoel Júnior
 
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas marcelo olegario
 
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!Tiago Vieira
 
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporaneaTomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporaneaLELO
 
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892Aniel Wagner Cruz
 
Apostila de catecûmenos (1)
Apostila de catecûmenos (1)Apostila de catecûmenos (1)
Apostila de catecûmenos (1)copydesign
 
Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática Aniel Wagner Cruz
 

Destaque (20)

O processo de secularização
O processo de secularizaçãoO processo de secularização
O processo de secularização
 
Características e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na IgrejaCaracterísticas e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na Igreja
 
A secularizacao da igreja
A secularizacao da igrejaA secularizacao da igreja
A secularizacao da igreja
 
Secularização
SecularizaçãoSecularização
Secularização
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 6
 
Secularização da igreja
Secularização da igrejaSecularização da igreja
Secularização da igreja
 
Secularismo
SecularismoSecularismo
Secularismo
 
Paulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStoloPaulo – O ApóStolo
Paulo – O ApóStolo
 
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
Apostila de Escola Bíblica/Discipulado.Minicurso - 2012
 
Slides o que é teologia
Slides o que é teologiaSlides o que é teologia
Slides o que é teologia
 
Limitações e especulações
Limitações e especulaçõesLimitações e especulações
Limitações e especulações
 
Definindo teologia capitulo i
Definindo teologia   capitulo iDefinindo teologia   capitulo i
Definindo teologia capitulo i
 
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
Trabalho de teologia fundamentos e doutrinas
 
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!Vista o Sobretudo, Meu Filho!
Vista o Sobretudo, Meu Filho!
 
Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012
 
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporaneaTomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
Tomás Nsunda Lelo, Fasciculo de teologia contemporanea
 
Secularismo
SecularismoSecularismo
Secularismo
 
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
Introduoateologiaaula2 150821163210-lva1-app6892
 
Apostila de catecûmenos (1)
Apostila de catecûmenos (1)Apostila de catecûmenos (1)
Apostila de catecûmenos (1)
 
Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática Introdução a teologia sistemática
Introdução a teologia sistemática
 

Semelhante a Os Jovens E A SecularizaçãO

Apostila para capelães
Apostila para capelãesApostila para capelães
Apostila para capelãesIsmael Rosa
 
Perfil do adolescente 10 a 15 anos
Perfil do adolescente 10 a 15 anosPerfil do adolescente 10 a 15 anos
Perfil do adolescente 10 a 15 anosMaria Santos
 
Boletim 692 - 02/08/20
Boletim 692 - 02/08/20Boletim 692 - 02/08/20
Boletim 692 - 02/08/20stanaami
 
As mudanças na adolescência
As mudanças na adolescênciaAs mudanças na adolescência
As mudanças na adolescênciaZaara Miranda
 
As crises do novo membro.pptx
As crises do novo membro.pptxAs crises do novo membro.pptx
As crises do novo membro.pptxClioCastelo
 
Missão Resgate 2
Missão Resgate 2Missão Resgate 2
Missão Resgate 2C. Soares
 
Dicas para trabalhar com os jovens
Dicas para trabalhar com os jovensDicas para trabalhar com os jovens
Dicas para trabalhar com os jovensPatricia Montenegro
 
Igreja em células
Igreja em células Igreja em células
Igreja em células Júlio Budin
 
Psicologia das idades do desenvolvimento humano.pptx
Psicologia das idades do desenvolvimento humano.pptxPsicologia das idades do desenvolvimento humano.pptx
Psicologia das idades do desenvolvimento humano.pptxEtelvinoDiasdosSanto
 
Aula 11 orientação religiosa
Aula 11   orientação religiosaAula 11   orientação religiosa
Aula 11 orientação religiosaFatoze
 
Luzes, sombras e perspectivas da Vida Religiosa
Luzes, sombras e perspectivas da Vida ReligiosaLuzes, sombras e perspectivas da Vida Religiosa
Luzes, sombras e perspectivas da Vida ReligiosaAfonso Murad (FAJE)
 
TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...
TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...
TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...BlogMaterialdeCatequ
 

Semelhante a Os Jovens E A SecularizaçãO (20)

Apostila para capelães
Apostila para capelãesApostila para capelães
Apostila para capelães
 
Perfil do adolescente 10 a 15 anos
Perfil do adolescente 10 a 15 anosPerfil do adolescente 10 a 15 anos
Perfil do adolescente 10 a 15 anos
 
Aula pioneiros .pptx
Aula pioneiros .pptxAula pioneiros .pptx
Aula pioneiros .pptx
 
Boletim 692 - 02/08/20
Boletim 692 - 02/08/20Boletim 692 - 02/08/20
Boletim 692 - 02/08/20
 
As mudanças na adolescência
As mudanças na adolescênciaAs mudanças na adolescência
As mudanças na adolescência
 
As crises do novo membro.pptx
As crises do novo membro.pptxAs crises do novo membro.pptx
As crises do novo membro.pptx
 
Aventu01
Aventu01Aventu01
Aventu01
 
Evangelismo Juvenil
Evangelismo JuvenilEvangelismo Juvenil
Evangelismo Juvenil
 
Adolecencia
AdolecenciaAdolecencia
Adolecencia
 
Missão Resgate 2
Missão Resgate 2Missão Resgate 2
Missão Resgate 2
 
Dicas para trabalhar com os jovens
Dicas para trabalhar com os jovensDicas para trabalhar com os jovens
Dicas para trabalhar com os jovens
 
Psicologia das idades catequese
Psicologia das idades   catequesePsicologia das idades   catequese
Psicologia das idades catequese
 
Igreja em células
Igreja em células Igreja em células
Igreja em células
 
Psicologia das idades do desenvolvimento humano.pptx
Psicologia das idades do desenvolvimento humano.pptxPsicologia das idades do desenvolvimento humano.pptx
Psicologia das idades do desenvolvimento humano.pptx
 
Aula 11 orientação religiosa
Aula 11   orientação religiosaAula 11   orientação religiosa
Aula 11 orientação religiosa
 
Crisesnavidacrista pg
Crisesnavidacrista pgCrisesnavidacrista pg
Crisesnavidacrista pg
 
Manual da visão
Manual da visão  Manual da visão
Manual da visão
 
TLC lição 3
TLC lição 3TLC lição 3
TLC lição 3
 
Luzes, sombras e perspectivas da Vida Religiosa
Luzes, sombras e perspectivas da Vida ReligiosaLuzes, sombras e perspectivas da Vida Religiosa
Luzes, sombras e perspectivas da Vida Religiosa
 
TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...
TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...
TEMPO 4 - Itinerário de iniciação à vida cristã com as famílias, com as crian...
 

Mais de Clube de Lideres Online (20)

Sobreviventes
SobreviventesSobreviventes
Sobreviventes
 
Avioes
AvioesAvioes
Avioes
 
Apresentação Dobrar Bandeiras
Apresentação Dobrar BandeirasApresentação Dobrar Bandeiras
Apresentação Dobrar Bandeiras
 
Perfil Do Instrutor
Perfil Do InstrutorPerfil Do Instrutor
Perfil Do Instrutor
 
Ordem Unida
Ordem UnidaOrdem Unida
Ordem Unida
 
I SemináRio De Ordem Unida
I SemináRio De Ordem UnidaI SemináRio De Ordem Unida
I SemináRio De Ordem Unida
 
Crescimento De Clubes De Desbravadores
Crescimento De Clubes De DesbravadoresCrescimento De Clubes De Desbravadores
Crescimento De Clubes De Desbravadores
 
Autoridades E Prerrogativas
Autoridades E PrerrogativasAutoridades E Prerrogativas
Autoridades E Prerrogativas
 
Comandos Por Gestos
Comandos Por GestosComandos Por Gestos
Comandos Por Gestos
 
A Ordem Unida Na HistóRia
A Ordem Unida Na HistóRiaA Ordem Unida Na HistóRia
A Ordem Unida Na HistóRia
 
ApresentaçãO Dobrar Bandeiras
ApresentaçãO Dobrar BandeirasApresentaçãO Dobrar Bandeiras
ApresentaçãO Dobrar Bandeiras
 
Bandeira Dobra
Bandeira DobraBandeira Dobra
Bandeira Dobra
 
Banderins unidade
Banderins unidadeBanderins unidade
Banderins unidade
 
Julian Beever Desenhos na calada
Julian Beever Desenhos na caladaJulian Beever Desenhos na calada
Julian Beever Desenhos na calada
 
Tres
TresTres
Tres
 
Uma Nova Manha
Uma Nova ManhaUma Nova Manha
Uma Nova Manha
 
Tosse Salvadora
Tosse SalvadoraTosse Salvadora
Tosse Salvadora
 
Teste Dalai Lama(Amor)
Teste Dalai Lama(Amor)Teste Dalai Lama(Amor)
Teste Dalai Lama(Amor)
 
Sentido Do Matrimonio
Sentido Do MatrimonioSentido Do Matrimonio
Sentido Do Matrimonio
 
Perguntas.
Perguntas.Perguntas.
Perguntas.
 

Último

Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfInocencioHoracio3
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoMarcio Venturelli
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 

Último (8)

Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 

Os Jovens E A SecularizaçãO

  • 1.  
  • 2. OS JOVENS E A SECULARIZAÇÃO
  • 3. S ociedade A tual I nfluência secularizadora sobre os jovens . Fase da Vida V ulneráveis Responsabilidade dos Líderes e Pastores Con hecer as causas , conseqüências e métodos para limit ar essa influência .
  • 4. Três Fontes Especiais de Influência Secularizadora
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. A Conseqüência: Crise de Fé A. Pressão de Grupo - É mais fácil rebelar-se contra a religião do que contra os amigos. B. Alienação Institucional - Eles querem menos envolvimento com a estrutura/instituição e mais relação pessoal. C. Distanciamento dos Pais - Sentimento de que os pais são antiquados.
  • 9. D. Rebelião - Estão tentando se encontrar, estão em crise. E. Busca de significado - Querem discutir e argumentar . P recisam de respostas às grandes questões da vida. F. Desilusão - Vêem o fracasso dos adultos e perguntam: “compensa?” G. Dificuldade Pessoal - Fruto de realidades confusas (família, etc.) H. Ambiente - Não se preocupam com o futuro, defendem o “viva hoje”
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. 4. Lembrar que cada jovem é um ser individual Cada jovem é um mundo. Não espere que todos reajam da mesma forma a idéias, programas, etc. 5. Estar pronto a servi-los É sempre uma tentação para os líderes estarem mais preocupados com sua reputação pessoal e sucesso do que com o crescimento espiritual dos jovens. O Que Fazer?
  • 14. “ Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. “ Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos cairão, mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão. ” Isaias 40:29-31