ESPERANÇA RENOVADAEm busca do espaço verde - poemas da GuinéGuiné!A minha esperançaFloresce nos teus camposOs meus sonhos ...
A fonteEis-me perto da Fonte, muito perto.Vejo brotar a água,Uma água clara e límpida,Boa, amável!Eis a Fonte:Fica perto d...
REGRESSOMamãe Velha, venha ouvir comigoO bater da chuva lá no seu portão.É um bater de amigoQue vibra dentro do meu coraçã...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Poesia 1

208 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Poesia 1

  1. 1. ESPERANÇA RENOVADAEm busca do espaço verde - poemas da GuinéGuiné!A minha esperançaFloresce nos teus camposOs meus sonhos são estendidosNo manto da tua manhãGuiné!Tenho sedeTenho fome…Os meus olhosDesejam ver os teus vestidosDe linhos…E a tua costa perfeita de mãeGuiné!Lá no teu fundoOnde há pobrezaE o sofrimentoQue cada gotaDe chuvaSeja a esperança renovadaDos teus filhosPabia kil ku no sumiaI ka el ku no na kebra.http://www.buala.org/pt/mukanda/em-busca-do-espaco-verde-poemas-da-guine
  2. 2. A fonteEis-me perto da Fonte, muito perto.Vejo brotar a água,Uma água clara e límpida,Boa, amável!Eis a Fonte:Fica perto de Badiopor.Junto dela nasci:Eis a Fonte da minha infância.Sim, eu amo essa Fonte,Admiro-a,Brinco,Eu e meus irmãos, à sua beira.Fica, fica perto de Badiopor,Desse lugar quase sagrado,Desse lugar ensombrado;Badiopor, fonte de nossas almas.A sua água nos atrai,E acarinha-nos.Vemo-la noite e dia;E a Fonte que está mais perto.Olha: a água a brotar da nascente,Como de fonte,Como um regato!(Sim, parece-se mais com um regato.)António Baticã Ferreirahttp://www.antoniomiranda.com.br/poesia_africana/guine_bissau/antonio_batica_ferreira.html
  3. 3. REGRESSOMamãe Velha, venha ouvir comigoO bater da chuva lá no seu portão.É um bater de amigoQue vibra dentro do meu coração.A chuva amiga, Mamãe Velha, a chuva,Que há tanto tempo não batia assim...Ouvi dizer que a Cidade-Velha,— a ilha toda —Em poucos dias já virou jardim...Dizem que o campo se cobriu de verde,da cor mais bela, porque é a cor da esperança.Que a terra, agora, é mesmo Cabo Verde.— É a tempestade que virou bonança...Venha comigo, Mamãe Velha, venha,Recobre a força e chegue-se ao portão.A chuva amiga já faloumantenhaE bate dentro do meu coração! Amílcar Cabralhttp://www.antoniomiranda.com.br/poesia_africana/guine_bissau/amilcar_cabral.html

×