Manual de jornada

665 visualizações

Publicada em

como utilizar uma busola, e se deslocar por terenos.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
665
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual de jornada

  1. 1. Arquivos de ABHulmann Manual de Jornada USANDO A BÚSSOLA Determinar um azimute Selecione um ponto de referência na direção em que pretende seguir, aponte a bússola na sua direção, mantendo-a horizontal Determine o valor do azimute rodando o mostrador da bússola, de modo que a seta nele desenhada fique coincidente com a parte vermelha da agulha magnética. Mantendo a agulha magnética coincidente com o norte do mostrador, avance na direção indicada pela bússola. Repita este procedimento até chegar ao destino. Quando lhe for dado um azimute Se lhe é dado um azimute em graus, rode o mostrador da bússola de modo que se esse valor fique virado para a linha de referência. Segure a bússola horizontalmente à sua frente, com a linha de direção a apontar para a frente. Rode o seu corpo até que a ponta vermelha da agulha magnética esteja alinhada com o norte do mostrador. Está virado na direção do deslocamento. Escolha um ponto de referência na linha do azimute e siga até ele. Repita este procedimento até chegar ao seu destino.
  2. 2. Arquivos de ABHulmann Encontrar o caminho de regresso  Para regressar ao seu ponto de partida, volte a seta de direção da bússola para si e rode o corpo de forma que a agulha magnética fique coincidente com a seta do mostrador.  Escolha o elemento de referência à sua frente e caminhe até ele. Repita este procedimento até chegar ao seu ponto de partida. Onde estou eu ? Nunca esteve nesta parte da floresta e não sabe exatamente onde se encontra. Para determinar a sua posição escolha dois pontos de referencia e localize-os no mapa. De seguida aponte a bússola na direção de um deles e rode o mostrador de modo a que a parte vermelha da agulha magnética aponte para o norte nele existente. Leia o valor do azimute na linha de leitura. Coloque a sua bússola em cima do mapa e utilizando o elemento escolhido como fulcro, rode a bússola de modo a que agulha magnética fique coincidente com a seta do mostrador. Trace uma linha, a partir do elemento escolhido, ao longo da bússola. Repita este procedimento com o segundo elemento. A sua posição é definida pelo cruzamento das duas linhas.
  3. 3. Arquivos de ABHulmann PERCURSO DE GILWELL Trata-se de conseguir dados relativos a um percorrido e passá-lo para o papel, traçando o esboço cartográfico. Partindo de um ponto chamado estação inicial, deveras seguir uma estrada anotando os detalhes de interesse o azimute e medindo as distancias. Material necessário: Prancheta, lápis, borracha, régua, transferidor, papel quadriculado, e bússola prismatica. ANOTAÇÕES Ao iniciar o itinerário, comece as anotações na parte inferior da folha em seções relativas a cada segmento de reta = a-b. Para marcar um azimute numa carta, basta usar um transferidor. Coloca-se a base do transferidor (linha 0º - 180º) paralela às linhas verticais das quadrículas da carta e o ponto de referência sobre o ponto a partir do qual pretendemos traçar o azimute. De seguida faz-se uma marca na carta mesmo junto a ponto de graduação do transferidor correspondente ao ângulo do azimute que pretendemos traçar. Por fim, traçamos uma linha a unir o nosso ponto de partida e a marca do azimute. Exemplo para marcar um azimute de 55º a partir de uma Igreja. A Igreja, a partir da qual se pretende marcar um azimute de 55º O transferidor alinhado com as linhas verticais das quadrículas, e com o ponto de referência sobre a igreja. ESTAÇÃO Ê cada parada que faz para tirar novo azimute marque com uma letra ou numero cada estação. PASSOS Numero de passos duplos dados entre uma estação e outra. Na 1º estação como é o ponto de partida, marque zero. METROS Distancia em metros entre estações. A conversão de passos em metros deve ser feita na volta da jornada. Como um percurso sempre e realizado em dois, deve-se anotar quem foi que contou os passos. OBSERVAÇÕES Anote os pontos de interesse que estão a sua direita ou esquerda na respectiva coluna. Devera ser anotados os pontos fixos, como casas, igrejas, fabricas, comércios, lagos, rios, pontes, vegetação, etc. Muito importante anotações de bifurcações, cruzamentos, entradas de sítios. Caso encontre uma ponte de referencias e queira marcar a distancia, é só fazer uma estação. ESBOÇO Esboço (ou mapa) Em um papel quadriculado desenhe em um dos lados, seguindo as linhas verticais, uma seta com a letra "N" na parte superior. Isso determinara que todas as linhas verticais estão na posição norte-sul. Escolha na folha um ponto de partida que será a estação 0. Com o vértice de um transferidor dobre o ponto inicial e o raio de 0º em cima ou paralelo a linha vertical, que marcamos o numero de graus que foi tomado n ns jornada (azimute) .Escolha agora a escala que farás o mapa e demarque a distancia na direção determinada anteriormente. Já temos a distancia entre a estação A e B. na estação B temos outra anotação referente ao azimute com o auxilio do transferidor fazemos novo
  4. 4. Arquivos de ABHulmann rumo no mapa como o anterior, deste modo marcamos todo o itinerário. Agora desenhamos todos os símbolos conforme as anotações. Ê também anotamos a escala que foi utilizada para confeccionar o esboço cartográfico. Maneira correta de ultrapassar um obstáculo MODELO DE ANOTAÇÃO DO ESBOÇO
  5. 5. Arquivos de ABHulmann
  6. 6. Arquivos de ABHulmann PLANILHA DE ANOTAÇÕES PARA PERCURSO DE GILWELL PASSO METROS TOTAL 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 HORAP T AZIMUTE NORTE DISTÂNCIA DESENHO DESCRIÇÃO
  7. 7. Arquivos de ABHulmann PASSO METROS TOTAL 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 HORAP T AZIMUTE NORTE DISTÂNCIA DESENHO DESCRIÇÃO
  8. 8. Arquivos de ABHulmann
  9. 9. Arquivos de ABHulmann
  10. 10. Arquivos de ABHulmann
  11. 11. Arquivos de ABHulmann CONVENÇÕES TOPOGRÁFICAS
  12. 12. Arquivos de ABHulmann ABRIGOS E BIVAQUES Uma tenda é um muito fácil de construir e pode ser bastante prática. Tudo que você precisa fazer é amarrar algumas varas como se você fosse fazer um tripé. Amarre-os no chão e quando levantá-los escolha o ângulo que desejar. Uma tenda com um ângulo mais íngreme irá ser mais eficiente contra a chuva, mas um ângulo menor (mais aberto) irá deixar um espaço maior dentro da tenda. Cubra a tenda com lonas (cubrir com vegetação não é muito eficaz e prático). É interessante enterrar as estacas se o ângulo escolhido for pequeno. Abrigos de lonas Se você for usar lonas para construir um abrigo com lona há várias formas rápidas e fáceis de se fazer isto. A lona irá automaticamente lhe dar uma proteção contra o vento e a chuva. Mas lembre-se dos seguintes pontos:  Prefira construir abrigos naturais.  Nunca durma no chão diretamente, forre o chão com folhas ou gramas.  Preste atenção no vento e escolha um local adequado.  Tome cuidado com a drenagem. Se chover você não quer levantar no meio do temporal.  Sempre tenha ventilação. Um abrigo completamente fechado pode ser quente, mas pode ser perigoso.
  13. 13. Arquivos de ABHulmann a) Um abrigo simples, útil se seu abrigo não é muito grande. b) Melhor contra a chuva. O abrigo deve ficar em declive para manter o ocupante seco. c) Um abrigo como um telhado. Prenda a extremidades para evitar que o vento e a chuva entrem. d) Talvez o mais simples de todos eles. Protege do vento. Não é bom se a lona for muito pequena. e) Um bom pequeno e estreito abrigo. Construa o fim do triângulo virado para onde provém o vento. Somente confortável para dormir dentro. Uma dupla camada de lonas é preferível se o material utilizado não for totalmente impermeável como as modernas lonas plásticas
  14. 14. Arquivos de ABHulmann USO DE REDE E CAMA DE CORDA
  15. 15. Arquivos de ABHulmann Para uma atividade de patrulha, podemos improvisar redes entre 2 arvores, amarando 2 madeiras ou bambus nas arvores, e tecendo com sisal uma cama, e só colocar o saco de dormir em cima. coloque uma lona acima da primeira cama para cobri-la da garoa ou chuva, sé estiver frio abaixe a lona até encostar, na madeira do beliche, praticamente terá uma barraca quentinha
  16. 16. Arquivos de ABHulmann CAMA SUSPENSA TEAR DE ESTEIRAS
  17. 17. Arquivos de ABHulmann FOGAREIRO ECOLÓGICO
  18. 18. Arquivos de ABHulmann AFERIÇÃO DE ALTURAS E LARGURAS Seguindo os métodos de aferição de alturas abaixo, praticar o exercício de medidas de alturas de árvores, prédios, etc.
  19. 19. Arquivos de ABHulmann AFERIÇÃO POR ESTÁDIA (aferir por 10 mts – 20 mts – 40 mts)
  20. 20. Arquivos de ABHulmann ............................................................................................................................................ MEDIDAS PESSOAIS
  21. 21. Arquivos de ABHulmann MÉTODO DE QUADRÍCULA 1- Faça 1 tela quadriculada, pode ser um papelão com um furo no centro, só ficara uma moldura, marque com um lápis e régua, distribuindo-os sempre na mesma distancia (formando quadradinhos) cole os barbantes, pronto você já pode ver tudo dividido em quadradinhos. 2- Pegue uma folha de papel e a quadricule com os mesmos números de quadradinhos que a sua tela panorâmica, pronto agora e só olhar copiar
  22. 22. Arquivos de ABHulmann
  23. 23. Arquivos de ABHulmann RELATÓRIO DA JORNADA – AVANÇADO
  24. 24. Arquivos de ABHulmann Cursante: ________________________________________ Patrulha: _______________________
  25. 25. Arquivos de ABHulmann MATERIAL DE JORNADA – AVANÇADO ESCOTEIRO 2010 01 Lona de 4 X 4 por dupla ou trio 01 Cabo solteiro de mais de 6 metros por dupla ou trio 01 Mochila para jornada 01 Fogão Ecológico – 1 por DUPLA, mas é importante que cada cursante faça um 01 Estadia aferida por 15 mts, 30 mts e 60 mts (uma por pessoa) 01 Bastão de 1,70 metros por cursante - pintado de branco 01 Quadrícula + papel desenho por cursante 01 Prancheta + lápis + régua + borracha + transferidor 360º por cursante 01 Bússola Silva (não prismática) por cursante 01 Capa de Chuva por cursante Papel Quadriculado Lembrança + camiseta do curso
  26. 26. Arquivos de ABHulmann Dicas para jornadas Em todas as jornadas todo o material deve estar alojado dentro da mochila. Jornadas Durante as jornadas esteja preparado para tudo, chuva, garoa, ventos, de 7º a calor de 45º, mormaço escaldante, não lute contra a natureza e sim integre-se a ela. Paradas Durante a jornada caminhe uma hora e pare por dez ou quinze minutos, na terceira parada descanse por trinta minutos e assim sucessivamente até o fim do percurso, ( padrão militar). Com tempo frio diminua o tempo das paradas para 3 ou 4 minutos para não esfriar os músculos, e aumente o numero de paradas. Roupa da jornada Uniforme completo com cobertura, em geral é muito bom para caminhadas mas em alguns casos é melhor com bermudas, ou uma calça de moletom de cotom, e meião escoteiro por cima, chapelão, boné ou ainda amarrar um lenço na cabeça para evitar que o suor caia nos olhos. Mochila A mochila deve ser nylon com encosto de fibra ou armação com cinta e bolsos externos tipo cargueira com no mínimo capacidade de 75 litros, a montagens da mochila á muito importante, comece colocando no fundo o saco de dormir, ponho, a roupa de reserva, no centro coloque as panelas o prato envolva-os com parte da barraca, em seguida a alimentação o cantil, etc, deixe os bolsos para materiais que possam usar durante a jornada se tiver que levar as varetas da barraca coloque-as dentro da mochila em um canto. Todo material colocado na mochila deve ser alojado dentro de sacos plásticos. Cuidado com o ajuste da mochila ela deve ficar bem encaixada no corpo, evite levar coisas penduradas por fora, pois podem enroscar facilmente, ela deve ficar no máximo com 1/3 do seu peso. Sacos de dormir De tamanho ideal para dormir à vontade sem aperto de preferência com sacola de compactar, existem sacos impermeáveis que suportam temperaturas de ate 10 º, é aconselhável levar um isolante para que o saco de dormir não fique úmido e haja um maior conforto ao dormir pois em jornadas o descanso e essencial. Capa de chuva E indispensável para todas as atividades externas, existem modelos tipo poncho mais resistentes, ou mesmo aquelas simples tipo estádio, em ultimo caso usar um saco de lixo com 3 furos, para as mochilas que não forem impermeáveis existem capas próprias. Cantil Nunca esquecê-lo, existem muitos tipos de cantis, os aconselháveis são os térmicos leves e que não atrapalham de lona tipo dromedário para transportar dentro da mochila com capacidade mínima de 3 litros. Sapatos Os sapatos para caminhada devem ser usados, confortáveis e de solado aderente de preferência a prova de d'água e que protejam os tornozelos tipo montanha, levar um par de sapatos de reserva ou os que esta usando de total confiança. Nunca caminhe com os pés molhados ou úmidos sempre com os pés secos e hidratados só assim não criarão bolhas, sempre cortar as unhas bem curtas. Use no mínimo 3 pares de meias se as meias molharem troque-as e isole a umidade do calçado com sacos plásticos. Agasalho O agasalho deve ser de nylon tipo jaquetão, pois protege bem do frio e do vento, não esqueça das luvas de couro. Faca Uma faca tipo escoteiro é o suficiente, não há necessidade de nada grande e pesado, em muitas jornadas dependendo do terreno um canivete e o suficiente. Material de higiene Uma toalha de rosto, escova de dente, um sabonete e um creme dental para cada grupo de 6 e o suficiente, nunca esquecer sacos de lixo e papel higiênico.
  27. 27. Arquivos de ABHulmann Roupa de reserva Poncho 3 pares de meias, 1 calça de moletom de cotom, 1 camiseta, uma troca de roupa de baixo. Para locais frios minhocão, meias de lã, camisa de flanela, calça de nylon. Iluminação Para caminhadas curtas pode-se levar um lampião descartável, mas para as longas uma lanterna de duas pilhas basta, existem lanternas de colocar na cabeça que são muito práticas, não esqueça de levar lâmpada de reserva e pilhas. Remédios pessoais Nunca esquecer hidratante para os pés, hipoglós ou drenisom n, para assaduras, uma pomada antialérgica, óculos escuros, repelente de mosquitos, hidrafil ou manteiga de cacau para que os lábios não rachem no frio, todos os remédios alojados em saco tipo zip em local de fácil acesso. Documentos Documentos pessoais, passagens, dinheiro, etc devem ficar dentro de um saquinho tipo zip no bolso do uniforme ou na pochete. Material de alimentação Prato plástico ou alumínio e uma colher é o suficiente, para longos percursos, a caneca é substituída pelo cantil e o garfo e dispensável. Alimentação À alimentação deve ser estudada minuciosamente para cada tipo de atividade, o cardápio deve ser apropriado para o clima mas deve ser bem dosado para alimentar, sustentar e não pesar no estômago. Para caminhadas longas e aconselhável comer algo a cada duas ou três horas, mastigar chiclete, balas de goma chocolate, uva passa, bananinhas, são muito boas pois tem alto teor de potássio (evita as caimbras), certos alimentos ajudam a passar a sede e dão animo. Algumas sugestões: Para jantar o sopão tradicional, arroz com salsichas em lata, miojo com almôndegas em lata, um chá quente e umas pipocas é bom para encerrar a noite. Almoço, um lanche reforçado e leve, coloque em tupperware queijo tipo provolone, salame, copa, bacon, etc cortado bem pequeno, algumas pessoas gostam de pão tipo italiano pois este dura dias embrulhado em celofane ou papel alumínio. Obs: Para longas caminhadas não se deve levar nada fresco ou dentro de geladeiras, leite em caixinhas, garrafas de refrigerantes, salgadinhos, pão fresco ou de forma, nada que amasse, estrague ou azede, para levar sal, óleo, temperos, etc, tubos de filmes fotográficos são ótimos. Mapas A patrulha deve levar mapas de todo o percurso, material para mapear o caminho, panfletos ou materiais informativos do local, saber os locais de apoio, pontos de informações próximos, telefones mais próximos, etc, enfim tudo que possa ajudá-lo na jornada e nunca se esquecer de agradecer qualquer pessoa que o ajude por menos que for a ajuda ou informação. Necessidades Fisiológicas Quando não houver banheiro, fazer um local reservado e distante de cursos de água, sempre tomando o cuidado de cobrir para evitar contaminação, doenças e mau cheiro. Lixo Sempre levar de volta e quando possível juntar o lixo que outros deixaram para trás, contribuindo assim para a despoluição da natureza, evite levar garrafas de vidro, pois o vidro não é um material biodegradável. Acampamentos Procurar um local em que sua instalação cause o menor impacto possível ao meio ambiente. Não abrir novas clareiras. Evitar fazer valetas em volta da barraca ou fogões de trincheira, não cortar vegetação, evitar ao máximo fazer fogueiras, pois o risco de incêndio e muito grande em algumas áreas leva a degradação da vegetação local prejudicando o equilíbrio da natureza. Atenção Especial Nunca levar nada que não for essencial para jornadas, apos algumas horas de caminhada 1 grama pesa 1 quilo. Atenção, com o suor se há perda de potássio, podendo vir a dar câimbras, para repor o potássio,
  28. 28. Arquivos de ABHulmann coma alimentos salgados, ou um pouco de sal, pode ser substituído por tabletes de caldo em cubos mastigados aos pedacinhos ou como caldo para aquecer. Mantenha as mãos sempre livres. Nunca corra riscos que não forem estritamente necessários. Deve-se sempre andar na velocidade do mais lento, nunca deixar ninguém para traz. Atenção para que no inicio da jornada não sair em disparada, manter um ritmo constante e o correto para chegar ao final. Andar sempre em fila indiana separados aproximadamente 2 metros um do outro. Em estradas ande sempre do lado esquerdo da pista. Nunca invada propriedade particular. Compras de material Antes de comprar materiais de jornadas, pesquise bem, veja em primeiro lugar a qualidade, pois materiais de má qualidade podem deixá-lo em grandes dificuldades na hora que mais precisar, antes de comprar consulte lojas especializadas. Aproveite bem estas dicas que poderão tirá-lo de muitas dificuldades. As grandes aventuras estão aí, aproveite-as.

×