Fertilizantes heringer

2.424 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.424
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
503
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fertilizantes heringer

  1. 1. Produtividade Agrícola e Consumo de Fertilizantes A produtividade agrícola no Brasil tem crescido mais rapidamente do que o aumento das áreas plantadas
  2. 2. MERCADO MUNDIAL US$ 70.000.000.000,00 Us$ 45,00 90% Do Consumo mundial TSP TUNÍSIA PAISES dPeR Us$ 43,00 FOeDrtUilTizOaRntEeSs QUE A KCL ALEMANHA RECEBEMOS MATERIA PRIMA DOS ESTADOS UNIDOS APROXIMADAMENTE 157.000.000 TONELADAS DE NUTRIENTES Us$ 46,00 Us$ 42,00 KCL KCL ISRAEL KCL RUSSIA MAP MARROCOS MAP EUA MAP RUSSIA UREIA VENEZUELA UREIA RUSSIA UREIA ARGENTINA SA EUA SA ALEMANHA SA RUSSIA NA RUSSIA NA BULGARIA TSP MARROCOS TSP EGITO HERINGER COMPRA RECEBEMOS MATERIA PRIMA DO MAR NEGRO E MEDITERRANEO RECEBEMOS MATERIA PRIMA DO BALTICO
  3. 3. OO BBRRAASSIILL ÉÉ OO 44º MMAAIIOORR MMEERRCCAADDOO CCOONNSSUUMMIIDDOORR DDEE FFEERRTTIILLIIZZAANNTTEESS -- NNPPKK PAÍSES 1990 2003 % CHINA 2 6.764 40.800 27,7% USA 1 8.587 19.730 13,4% ÍNDIA 1 2.000 16.750 11,4% BRASIL 3 .148 9.449 6,4% FRANÇA 5 .684 3.969 2,7% PAQUISTÃO 1 .894 3.099 2,1% ALEMANHA 3 .350 2.595 1,8% OUTROS 5 8.834 50.741 34,5% MUNDO 1 30.261 147.133 Fonte: IFA /ANDA
  4. 4. PRINCIPAIS EMPRESAS DDOO SSEETTOORR 11999955 Trevo 16% Manah 11% Serrana 11% Solorrico 7% Copas 7% IAP 7% Outros 25% Fertipar 1% Fertibrás 3% Fertiza 4% Takenaka 5% Heringer 3% CCoonnssuummoo:: 1100..880000..000000 tt
  5. 5. 13 ANOS DDEEPPOOIISS...... ((22000088)) OUTRAS BUNGE YARA MOSAIC FERTIPAR CCoonnssuummoo:: 2244..000000..000000 tt AAss cciinnccoo mmaaiioorreess eemmpprreessaass ccoonnttiinnuuaamm ddeetteennddoo 7755%% ddoo mmeerrccaaddoo
  6. 6. milhões ton/ano O Mercado Nacional de 8,00 8,50 9,00 10,50 12,00 11,00 Fertilizantes 12,00 14,00 14,50 13,50 15,00 17,00 19,00 23,00 22,00 20,00 20,50 24,50 30 25 20 15 10 5 0 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
  7. 7. Parcelas Significativas de Terra Ainda não Exploradas Potencial ddee TTeerrrraa AAggrriiccuullttáávveeiiss ((mmmm hheeccttaarreess)) O Brasil possui ainda 83% de sua área agricultável disponível, enquanto os Estados Unidos possuem somente 30% 17% 70% 60% 66% 70% Fonte: Revista Exame – Agosto 2005 Terras Exploradas Terras ainda não exploradas 70% 59% 83% 30% 40% 34% 30% 41% 394 269 220 176 138 76 71 30% BRA EUA CAN ARG RUS UE CHI
  8. 8. Brasil: Potencial Agrícola Único no Mundo Maiores Mercados ddee FFeerrttiilliizzaanntteess TTaaxxaa AAttuuaall ddee AApplliiccaaççããoo ddee NNuuttrriieenntteess ((kkgg//hhaa)) 164 214 249 4% 50.0 45.0 40.0 35.0 30.0 25.0 20.0 15.0 10.0 5.0 Fonte: IFA/ANDA Fonte: IFA, em 2005 9% 3% -3% 1% 10% 8% 6% 4% 2% 0% -2% -4% -6% -8% A produção está crescendo mais rápido do que a área plantada devido a inovações tecnológicas e aumento da taxa de aplicação de fertilizantes 0.0 China EUA Índia Brasil França (mm toneladas) -10% CAGR (1990 - 2004) 1990 2004 CAGR%
  9. 9. CONSUMO BRASILEIRO x CONSUMO MUNDIAL (em milhões de toneladas de Nutrientes) BRASIL MUNDO 3,9 3,6 2,3 9,9 N P2O5 K2O 27,1 37,7 92,6 157,4 N P2O5 K2O FONTE: IFA/ANDA 10 5 0 160 80 0 17% 24% 59% 40% 37% 23%
  10. 10. O Crescimento da Fertilizantes Heringer 100 150 190 250 350 400 650 800 1.000 1.100 1.500 1.450 1.700 2.000 2.200 2.000 2.500 3.250 3500 3000 2500 2000 1500 1000 500 0 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Entregas anuais (mil toneladas)
  11. 11. IInnaauugguurraaççããoo:: MMaarrççoo ddee 11999966 CCaapp.. AArrmmaazzeennaaggeemm:: 5500..000000 tt CCaapp.. PPrroodduuççããoo :: 222200..000000 tt FFuunnddaaddaa eemm 11996688 -- MMaannhhuuaaççuu -- MMGG FFuunnddaaddoorr:: EEnnggoo AAggrrôônnoommoo DDaallttoonn DDiiaass HHeerriinnggeerr
  12. 12. INOVAÇAO TECNOLOGICA NA ADUBAÇÃO Emerson Nogueira Dias Engenheiro Agrônomo, MS. Fertilizantes Heringer S/A
  13. 13. NECESSIDADE DAS PLANTAS •Água; •Luz; •Nutrientes:
  14. 14. É IMPORTANTE ADUBAR ?
  15. 15. IMPORTÂNCIA DA ADUBAÇÃO Solo: Fornecedor de nutrientes; Nutrientes: 16 elementos essenciais 13 deles vem do solo
  16. 16. IMPORTÂNCIA DA ADUBAÇÃO C H O Obtidos na água e ar NN PP KK CCaa MMgg SS FFee MMnn ZZnn CCuu MMoo BB CCll MACRONUTRIENTES MICRONUTRIENTES
  17. 17. IMPORTÂNCIA DA ADUBAÇÃO Fertilidade do solo 2o fator que + limita produção: só perde para água; FFEERRTTIILLIIDDAADDEE PPRROODDUUTTIIVVIIDDAADDEE CULTIVAR POPULAÇÃO E VIGOR MANEJO REGIÃO CLIMA
  18. 18. IMPORTÂNCIA DA ADUBAÇÃO I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I AAdduubbaaççããoo AAdduubbaaççããoo I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I I N P KK ++ MMiiccrroonnuuttrriieenntteess I I I I I I I I I I I I I I I I I I I
  19. 19. IMPORTÂNCIA DA ADUBAÇÃO Falta ou Excesso de Nutrientes Pragas + Doenças + Baixa Produção = = $ Menor ataque de pragas e Nutrição doenças = + Maior Produção $ Equilibrada
  20. 20. IMPORTÂNCIA DA ADUBAÇÃO • Lei do mínimo: “A produção das culturas é limitada pelo nutriente mineral menos disponível para as plantas.”
  21. 21. IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DE SOLO
  22. 22. Al x Sistema radicular Ca x Sistema radicular Práticas corretivas
  23. 23. Práticas corretivas Sistema rraaddiiccuullaarr pprrooffuunnddoo
  24. 24. Calagem x Disponibilidade
  25. 25. Amostragem de solo
  26. 26. AdubaçãoZ • 1ª Etapa: “Análise de solo”; • 2ª Etapa: Correção do solo com Calcário; • 3ª Etapa: Aplicação do adubo no solo.
  27. 27. OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA • Fórmula dos adubos: – N P K 04 14 08 08 28 16 20 05 20 Macro Nutrientes (Cálcio, Magnésio e Enxofre) Micro Nutrientes
  28. 28. B. Fósforo: OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA Desenvolvimento inicial e formação das raízes; Vital para formação das sementes e frutos; Papel fundamental na fotossíntese: “ATP”.
  29. 29. Quando se adquiri 1.000 kg de ,, vvooccêê eessttaarráá lleevvaannddoo:: 180,0 kg 180,0 kg 80,0 Kg 8,0 kg 2,0 kg 8,0 kg 2,0 kg P2O5 Ca S Zn B Mn Cu Fósforo Cálcio Enxofre Zinco Boro Manganês Cobre
  30. 30. BBEENNEEFFÍÍCCIIOOSS DDOO :: Disponibiliza fósforo a curto, médio e longo prazo; Contém micronutrientes em equilíbrio; Aplicação dos nutrientes em uma única operação; Promove maior enraizamento. GGAARRAANNTTEE MMAAIIOORR PPRROODDUUÇÇÃÃOO EE LLUUCCRROO..
  31. 31. CCAALLCCÁÁRRIIOO ++ Ca Mg P Mn Zn B Cu
  32. 32. 663300
  33. 33. OO QQUUEE ÉÉ OO 6 3 00 ?? 663300 O é um produto desenvolvido pelo Departamento Técnico da Fertilizantes Heringer S/A, em conjunto com o Departamento Técnico da , para atender as exigências da cultura do café na sua fase inicial de desenvolvimento.
  34. 34. 663300 Quando se adquiri 1.000 kg de ,, vvooccêê eessttaarráá lleevvaannddoo:: 20,0 kg 200,0 kg 100,0 kg 180,0 kg 13,0 Kg 8,0 kg 2,0 kg 8,0 kg 2,0 kg N P2O5 K2O Ca S Zn B Mn Cu Nitrogênio Fósforo Total Potássio Cálcio Enxofre Zinco Boro Manganês Cobre
  35. 35. CCAARRAACCTTEERRÍÍSSTTIICCAASS DDOO 663300 :: 1100%% MMAATTÉÉRRIIAA OORRGGÂÂNNIICCAA:: Melhora a qualidade física, química e biológica do solo. Aumenta a absorção de nutrientes; Menor estresse hídrico – aumenta a capacidade de retenção de água; Libera nutrientes gradativamente.
  36. 36. BBEENNEEFFÍÍCCIIOOSS DDOO 66 33 0 :: Disponibiliza fósforo a curto, médio e longo prazo; Aplicação de Nitrogênio e Potássio para arranque inicial da muda Contém micronutrientes em equilíbrio; Aplicação dos nutrientes em uma única operação; Promove maior enraizamento e melhor arranque inicial da muda.
  37. 37. LLOOCCAALLIIZZAAÇÇÃÃOO EE GGRRAANNUULLOOMMEETTRRIIAA DDAA FFOONNTTEE DDEE PP22OO55 NNAA CCOOVVAA ________________________________________________________________ Tratamentos 1º Safra Média 3 Safras Teores Foliares ________________________________________________________________ -------------- sc/ha ---------------- ---g/Kg-- 1- Testemunha 25,00 c 40,39 b 0,72 2- Granulado Fundo Cova 53,50 b 50,28 b 0,72 3- Pó no Fundo Cova 57,33 b 53.39 ab 0,77 4- Granulado dois Cartuchos 69,97 ab 54,18 ab 0,72 5- Pó dois Cartuchos 58,87 b 62,63 ab 0,77 6- Granulado Volume Total 84,33 a 73,47 a 0,93 7- Pó Volume Total 85,00 a 71,84 a 1,03 ___________________________________________________________ C.V. (%) 30,26 20,87 Teste Tukey a 5%. Fonte: Adaptado Amaral et al.; 2001.
  38. 38. CCAARRAACCTTEERRÍÍSSTTIICCAASS DDOO FFóóssffoorroo ddiissppoonníívveell aa ccuurrttoo,, mmééddiioo ee lloonnggoo pprraazzoo;; CCáállcciioo ee EEnnxxooffrree nnaa ffoorrmmuullaaççããoo;; PPooddee sseerr ccoommpplleemmeennttaaddoo ccoomm MMiiccrroonnuuttrriieenntteess;; PPrroodduuttoo ffaarreellaaddoo..
  39. 39. DISPONIBILIDADE XX TTEEMMPPOO Fosfato Natural Reativo Fonte Solúvel Disponibilidad e de Fósforo Tempo
  40. 40. UTILIZAÇÃO DO FFoorrmmaaççããoo ddee ppaassttaaggeennss;; FFoossffaattaaggeemm eemm áárreeaa ttoottaall;; ÁÁrreeaass ddee aabbeerrttuurraa CCuullttuurraass ppeerreenneess:: Café Citros Frutíferas Eucalipto Cana-de-açúcar
  41. 41. NNOO CCAAMMPPOO............ CCUURRTTOO PPRRAAZZOO MMLLÉÉIIDDBBIIEEOORR PPAARRÇÇAAÃÃZZOOOO II MM––EEAADDTTIIÉÉAATT11A A AANNOO LLOONNGGOO PPRRAAZZOO –– AATTÉÉ 33 AANNOOSS SSuuppeerr SSiimmpplleess:: FFoonnttee SSoollúúvveell SSUUPPEERR SSIIMMPPEESS –– FFOONNTTEE SSOOLLÚÚVVEELL
  42. 42. BENEFÍCIOS DO LLiibbeerraaççããoo ggrraadduuaall ee pprrooggrreessssiivvaa ddoo ffóóssffoorroo pprrooppoorrcciioonnaa mmaaiioorr eeffeeiittoo rreessiidduuaall;; Maior tempo efetivo no solo; Melhor Custo x Benefício.
  43. 43. OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA A. Nitrogênio: Geralmente, é o mais exigido pelas plantas; Constituinte das proteínas; Vegetação e Florescimento; Excesso: Relação adequado de N-K de 2 a 3:1. Desequilíbrio a vegetação torna-se muito exuberante em detrimento da frutificação. maior suscetibilidade phoma e pseudomonas.
  44. 44. SUAS FUNÇÕES NA PLANTA A. Nitrogênio: OS NUTRIENTES E Causas de Deficiência: Falta de suprimento de N. Período crítico: época de granação dos frutos. Problemas no sistema radicular. Períodos de estiagem ou excesso de chuvas. Deficiência é crítica em lavouras com alta carga, principalmente naquelas de 1ª safra, onde a relação folhas/fruto é pequena.
  45. 45. A Uréia realmente se perde, volatiliza? Uréia R: Sim, mas só quando aplicada a lanço e com baixa umidade. A lanço, sem incorporação Sobre palhada ou
  46. 46. Por que a Uréia se perde? Porque uma enzima, chamada Urease, presente nos solos e plantas, ataca a uréia, liberando o N através do gás amônia (N-NH3). CO(NH2)2 + H2O 2NH3 + CO2 Uréia Água Amônia Urease (gás) Dióxido de carbono (gás) Uréia
  47. 47. AApplliiccaaççããoo aa llaannççoo ddee UUrrééiiaa Vantagens: - Maior rendimento na distribuição; - Menor custo; - etc. Principal desvantagem: -Possíveis perdas de N por volatilização.
  48. 48. O que é o FH Nitro Mais? É um produto, desenvolvido pela Fertilizantes Heringer S.A. que reduz a perda de volatilização da Uréia. Como funciona? Através de uma tecnologia exclusiva, há um recobrimento dos grãos da uréia com Boro e Cobre, promovendo uma proteção contra as perdas de Nitrogênio. Além de proteger, fornece Boro e Cobre. Cobre (0,15%) Boro (0,4%) Uréia Urease
  49. 49. Evolução das perdas de (% N) até o 20o dia 2,0 1,8 1,6 1,4 1,2 1,0 0,8 0,6 0,4 0,2 0,0 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Dias % N Uréia Nitro + Fertilizante W
  50. 50. C. Potássio: OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA Influi na atividade enzimática, na síntese e transporte de carboidratos. Melhor qualidade (enchimento dos frutos); Resistência às doenças, à seca e a baixas temperaturas; Contrabalança os efeitos da adubação nitrogenada pesada;
  51. 51. D. Cálcio: OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA Atua no desenvolvimento do sistema radicular e na ramagem da planta; Excesso pode causar deficiência de Boro. Deficiência aparece nas folhas novas devido à baixa mobilidade do nutriente nas folhas. Pode ocorrer: Seca de ramo; Desfolhas Morte de extremidade de raízes.
  52. 52. OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA E. Magnésio: Vegetação; Fotossíntese; Sinergismo com o Fósforo (translocação do P na planta).
  53. 53. SUAS FUNÇÕES NA PLANTA F. Enxofre: OS NUTRIENTES E Juntamente com o Nitrogênio, são constituintes das proteínas e associados com a formação da clorofila.
  54. 54. OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA BORO: Floração; Enraizamento; Qualidade dos frutos. COBRE: Participa nos processo de respiração da planta. ZINCO: Crescimento da planta.
  55. 55. OS NUTRIENTES E SUAS FUNÇÕES NA PLANTA
  56. 56. Fertilizante com Micronutrientes em 100 % dos Grãos
  57. 57. Zn Fe Mo Mn Cu B 04-14-08 20-00-20 08-28-16 05-24-12 04-30-10 10-10-10 12-00-12 Todas as fórmulas Compatível a todas as formulações. Várias combinações de micronutrientes. Quantidade de micronutrientes de acordo com a necessidade de cada produtor.
  58. 58. Comparativo eennttrree FFeerrttiilliizzaanntteess Fertilizante convencional + Micronutrientes Fertilizante com Micronutrientes incorporados aos grãos Solo Evolução tecnológica
  59. 59. 1000 kg Grânulos de fertilizantes Micronutrientes em c1o0m0 M %icon duotrsie ngtreãsos Fertilizantes revestidos por micronutrientes (Incluindo Nitrogenados)
  60. 60. Formulações convencionais não permitem uma distribuição uniforme de micronutrientes. + 30 kg Micronutrientes comuns 970 kg Fórmula N-P-K = 1000 kg Fórmula N-P-K + Micronutrientes Fertilizantes Convencionais + Micros
  61. 61. Uréia + 0,3% Zn (mistura convencional) Uréia + 0,3% Zn
  62. 62. UNIFORMIDADE, SOLUBILIDADE, EFICIÊNCIA = PRODUTIVIDADE. Eficiência agronômica dos Fertilizantes em função da solubilidade e suas interações no solo.
  63. 63. 19 SSoolluubbiilliiddaaddee ddee mmiiccrroonnuuttrriieenntteess 30 0 27 72 100 75 42,8 100 80 60 40 20 0 ZN (CNA) B (CNA) Cu (CNA) Mn (CNA) ELEMENTO SOLUBILIDADE% CNA 02-20-10 BR12 GR 02-20-10 BR12 MICRO TOTAL
  64. 64. Melhor distribuição e aproveitamento dos micronutrientes. Fertilizantes Convencionais
  65. 65. - Faz. Campo Redondo - Proprietário: Fábio Caixeta - Cidade: Machado-MG - Região: Sul de Minas - Cultura: Café Material: Café arábica, variedade Rubi RESULTADOS NO CAMPO
  66. 66. Testemunha: tratamento usual do produtor: 18 kg de ácido bórico por hectare, o que equivale a 3 kg de Boro/ha aplicados no solo via líquida. 1ª Adubação: Uréia 43-00-01 (outubro) 330 kg/ha 2ª Adubação: 25-00-25 (dezembro) 540 kg/ha 3ª Adubação: 25-00-25 (março) 540 kg/ha Tratamento 1: 1ª Adubação: Uréia 40-00-00 + 1% B 330 kg/ha 2ª Adubação: 25-00-25 540 kg/ha 3ª Adubação: 25-00-25 540 kg/ha Tratamento 2: 1ª Adubação: Uréia 43-00-00 + 0,3% B 330 kg/ha 2ª Adubação: 25-00-25 + 0,3% B 540 kg/ha 3ª Adubação: 25-00-25 + 0,3% B 540 kg/ha
  67. 67. Resultados da análise foliar em mg.kg-1, realizada após a 2ª adubação, e dosagens aplicadas na época da amostragem. Dosagem (kg/ha) Tratamento do Produtor Tratamento 1 Tratamento 2 3 kg/ha 3 kg/ha 2,5 kg/ha Resultados (mg/kg) 45,18 mg/kg 58,52 mg/kg 59,30 mg/kg Valores de referências de concentração adequada de Boro na folha do cafeeiro Malavolta (1997) 50 – 60 mg/kg Hélio Casale (1999) 50 – 70 mg/kg
  68. 68. PPrroojjeettoo SSaaffrraa TToottaall -- 22000077 CULTURA DO MILHO Local: Área Experimental do Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras Tratos Culturais: Plantio Direto Híbrido DKB 789 (Monsanto/ Híbrido Duplo) Data de Plantio: 08/12/2006 (2a época)
  69. 69. PPrroojjeettoo SSaaffrraa TToottaall -- 22000077 ADUBAÇÃO 300 kg/ha Trat. A - 08-28-16 + 0,5Zn+0,1B+0,2Mn Convencional Trat. B - 08-28-16 + 0,5Zn+0,1B+0,2Mn FH Micro Total Número de repetições/Tratamento: 5 Tamanho da Parcela Avaliada: 2 linhas de 5 metros = 6,5 m2/parcela
  70. 70. Produtiv (Scs/ha) Produtiv (kg/ha) Umidade (%) CCOOMMPPAARRAATTIIVVOO EE)TTRREE OOSS TTRRAATTAAMMEE)TTOOSS Trat A: 08-28-16 + 0,5Zn+0,1B+0,2Mn Convencional Relação PG/PE Peso Grãos (Kg) Peso Total Espigas (Kg) No Espigas Doentes No Pltas /5m No Espigas /5m Estande (pl/ha) Alt. Inserção 1a Esp. (m) Alt. Plantas Repet. (m) 1 2,05 0,88 81538,45 46,00 53,00 4,00 3,15 2,53 0,80 13,70 3892,30 64,87 2 2,00 0,86 76923,07 33,00 50,00 2,00 1,59 1,22 0,77 13,10 1876,92 31,28 3 2,10 0,92 78461,53 36,00 51,00 3,00 3,09 2,48 0,80 13,30 3815,38 63,58 4 1,94 0,87 72307,69 44,00 47,00 8,00 3,02 2,43 0,80 13,40 3738,46 62,30 5 2,25 0,84 84615,38 46,00 55,00 7,00 2,27 2,14 0,94 12,90 3292,30 54,87 Média 2,06 0,87 78769,22 41,00 51,20 4,80 2,62 2,16 0,82 13,28 3323,07 55,38 Produtiv (Scs/ha) Produtiv (kg/ha) Umidade (%) Trat B: 08-28-16 + 0,5Zn+0,1B+0,2Mn FH Micro Total Relação PG/PE Peso Grãos (Kg) Peso Total Espigas (Kg) No Espigas Doentes No Pltas /5m No Espigas /5m Estande (pl/ha) Alt. Inserção 1a Esp. (m) Alt. Plantas Repet. (m) 1 2,40 1,10 78461,53 49,00 51,00 3,00 4,35 3,50 0,81 13,70 5384,61 89,74 2 2,43 1,13 69230,76 39,00 45,00 2,00 3,33 2,71 0,82 13,70 4169,23 69,48 3 2,40 1,20 86153,84 48,00 56,00 7,00 3,91 2,97 0,76 13,10 4569,23 76,15 4 2,00 0,90 72307,69 40,00 47,00 3,00 4,43 3,61 0,81 13,30 5553,84 92,56 5 2,15 1,00 67692,30 42,00 44,00 2,00 4,86 4,03 0,83 13,20 6200,00 103,33 Média 2,27 1,06 74769,22 43,6 48,6 3,4 4,17 3,36 0,8 13,4 5175,38 86,25
  71. 71. PPRROODDUUTTIIVVIIDDAADDEE (( ssaaccaass ppoorr hhaa)) 86,25 PPrroojjeettoo SSaaffrraa TToottaall -- 22000077 55,38 FH MICRO TOTAL CONVENCIONAL + 55,7%
  72. 72. 2ª EXPERIMENTO Tratamentos avaliados: Foram avaliados os seguintes tratamentos: 30-00-18 FH NITRO MAIS Adubação 08-28-16 + 0,5Zn + 0,1B + 0,2Mn MICRO TOTAL FH Micro Total + FH Nitro Mais 3 30-00-20 08-28-16 + 0,5Zn + 0,1B + 0,2Mn MICRO TOTAL FH Micro Total 2 30-00-20 08-28-16 + 0,5Zn + 0,1B + 0,2Mn convencio nal 1 Plantio Cobertura Tratam Descrição ento
  73. 73. Resultados médios das características avaliadas, considerando os diferentes tratamentos. UFLA, Lavras – MG, 2008. Peso mil Grãos (g) Prod. Grãos (kg/ha) Alt. Espiga (m) Alt. Planta Fertilizante (m) Convencional 2,54 a 1,37 a 8995 b 282 a FH Micro Total 2,53 a 1,38 a 9982 a 301 a 2,55 a 1,30 a 11032 a 291 a FH Micro Total + FH Nitro Mais C.V.% 4,61 5,96 12,47 2,57 MÉDIA 2,54 1,35 10002 291 As médias seguidas da mesma letra não diferem estatisticamente entre si pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade
  74. 74. CONCLUSÃO • Custo Tratamento 1: – Plantio: R$ 890,00 – Cobertura: R$ 480,00 – Produtividade: 149,9 scs/ha – Custo / saca: R$ 9,14 • Custo Tratamento 2: – Plantio: R$ 915,00 – Cobertura: R$ 480,00 – Produtividade: 166,3 scs/ha – Custo / saca: R$ 8,39 • Custo Tratamento 3: – Plantio: R$ 915,00 – Cobertura: R$ 487,00 – Produtividade: 183,8 scs/ha – Custo / saca: R$ 7,63
  75. 75. Em todas unidades da Heringer OURINHOS - SP RONDONÓPOLIS-MT BOM JESUS DE GOIÁS - GO CATALÃO - GO RIO BRILHANTE - MS UBERABA - MG ROSÁRIO DO CATETE - SE CAMAÇARI - BA MANHUAÇU - MG TRÊS CORAÇÕES - MG PAULÍNIA - SP PARANAGUÁ - PR VIANA – ES
  76. 76. Produtos Especiais
  77. 77. wwwwww..hheerriinnggeerr..ccoomm..bbrr

×