Ayahuasca em contexto: Possibilidades etnográficas para compreensão do uso ritual de
enteógenos no nordeste brasileiro
Ent...
*Juliana Nicole Rebelo Barretto, doutoranda em Antropologia (UFPE) e docente na
FASVIPA/AL, julianada01@hotmail.com
4. Deb...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ayahuasca em contexto possibilidades etnográficas para compreensão do uso ritual de enteógenos no nordeste brasileiro

259 visualizações

Publicada em

Mesa redonda que acontecerá na II Jornada do NERP.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
259
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ayahuasca em contexto possibilidades etnográficas para compreensão do uso ritual de enteógenos no nordeste brasileiro

  1. 1. Ayahuasca em contexto: Possibilidades etnográficas para compreensão do uso ritual de enteógenos no nordeste brasileiro Enteógenos - ou plantas de poder - são considerados elementos naturais de relevância espiritual de acordo com as práticas ritualísticas de determinados cultos religiosos de inspiração xamanística e neoxamanística amplamente difundidos nas urbes contemporâneas. O consumo de tais substâncias em certos contextos culturais é tido como capaz de direcionar e nortear experiências do sagrado promovidas mediante uma prévia estruturação ritualística e mitológica compartilhada. As pesquisas dos participantes desta mesa redonda apontam para a emergência analítica deste fenômeno cultural em território nordestino, enaltecendo as possibilidades investigativas capazes de encarar enquanto relevantes as lógicas dos conhecimentos locais. Este ciclo de debates pretende – antes de tudo - reunir experiências e ideias oriundas dos trabalhos de três pesquisadores, que se debruçam academicamente sobre estes fenômenos sociais contemporâneos. Wagner Lins Lira é doutorando em Antropologia pela UFPE, onde desenvolve pesquisas relativas ao tratamento religioso da dependência química promovido por grupos neoayahuasqueiros em território alagoano, além de se dedicar ao fenômeno cultural xamanístico no estado de Pernambuco. Miguel Colaço Bittencourt atualmente é mestrando em Antropologia pela UFPE, desenvolvendo trabalhos etnográficos relativos ao fenômeno panteísta e neoayahuasqueiro na cidade do Recife (PE). Juliana Nicolle R. Barretto é doutoranda em antropologia pela UFPE e estuda temáticas de gênero e religião a partir da perspectiva de grupos neoayahuasqueiros localizados no estado de Alagoas. 2. Coordenador: * Wagner Lins Lira. Doutorando em Antropologia (UFPE), membro do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP) e do Grupo de Estudos sobre Álcool e outras Drogas (GEAD-UFPE). neoxamam@hotmail.com 3. Expositores: * Wagner Lins Lira. Doutorando em Antropologia (UFPE), membro do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP) e do Grupo de Estudos sobre Álcool e outras Drogas (GEAD-UFPE). neoxamam@hotmail.com *Miguel Colaço Bittencourt. Mestrando em Antropologia (UFPE). miguelcolaco@gmail.com
  2. 2. *Juliana Nicole Rebelo Barretto, doutoranda em Antropologia (UFPE) e docente na FASVIPA/AL, julianada01@hotmail.com 4. Debatedor *Lígia Barros Gama, doutoranda em Antropologia (UFPE), integrante do NERP e docente da FBV/DeVry, libgama@yahoo.com.br Possui graduação em Biomedicina (2000) e mestrado em Antropologia (2009) pela Universidade Federal de Pernambuco. Atuou em área de pesquisa na interface entre as Ciências da Saúde e as Ciências Sociais e suas implicações simbólicas, do imaginário e das representações sociais. Suas temáticas de interesse de pesquisa são Contextos Religiosos, Cultura Popular, Patrimônio Cultural. Ministrou aulas na docência de nível superior e pós-graduação e atualmente faz parte do corpo docente da Faculdade Boa Viagem/Devry Brasil. Realizou atividades de monitoramento e avaliação dos Pontos de Cultura do estado de Pernambuco e atividades no âmbito de Gestão Cultural junto à Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE).

×