SlideShare uma empresa Scribd logo
Renascimento
“o homem
como
a medida de
todas
as coisas”
Época...
Trovadorismo
Teocentrismo
Cantigas
Humanismo
Transição para o
pensamento
Antropocêntrico
Gil Vicente
Renascimento
Movimento de grande
renovação cultural que
dominou a Europa,
sobretudo nos
séculos XV e XVI
Idade
Moderna
A nova
pirâmide social
Jan Van Eick, Holanda, 1434
A sociedade do período moderno,
comumente chamada de
sociedade de ordens (clero,
nobreza e povo), apresentava-se,
na prática, dividida em uma
classe de proprietários de terras
(clero e nobreza), uma classe de
trabalhadores (servos,
camponeses livres, assalariados,
enfim, a massa popular) e uma
classe burguesa
(mercantil e manufatureira).
A Idade Moderna conheceu,
então, a luta da burguesia pelo
espaço social, político e
ideológico.
Observe o quadro
“O casal Arnolfini” ( ao lado)
Leonardo da Vinci
A última Ceia
Leonardo da Vinci é o típico homem do
Renascimento porque atuou em diversas áreas do
pensamento e procurou absorver que havia de
mais poderoso no cristianismo: o entendimento de
que o homem foi feito à imagem e semelhança de
Deus, portanto, traz em si a bênção e a divindade,
que deveria ser alcançada por meio da
ciência do pensamento.
Rafael Sanzio
Itália,1483-1520.
pintou várias madonas
- representações da
Virgem Maria com o
menino Jesus.
Michelangelo
pintura da Capela Sistina.
Davi é uma escultura de 5 metros e 17cm de altura, em mármore
carrara. Encontra-se em Florença ( Itália). O artista demorou 3
anos para terminar
“Numa época em que não se
falava em Anatomia,
Michelangelo fez estudos
admiráveis
nesse setor.
Sendo um grande escultor,
suas obras mostram uma
grande paixão pela linha e
pela forma.”
Na sua opinião,
o corpo humano
era uma obra divina.
Donatello
Escultor italiano
David, em bronze (Firenze, Museo
Nazionale del Bergello, c.1430)
“Sua primeira produção em bronze
foi realizada em meados de 1423 –
São Luís de Toulouse. De 1415 a
1426 ele produziu cinco trabalhos
para o Duomo: O Profeta imberbe,
O Profeta barbudo, O Sacrifício de
Isaac, Profeta Abacuc e O Profeta
Jeremias. No período que vai de
1425 a 1435, ele atua em conjunto
com o arquiteto e escultor
Michelozzo na criação do
Battistero, mausoléu reservado
ao Papa João XXII, que teve seu
corpo esculpido em bronze.”
(Infoescola)
Albrecht Dürer
Introdutor da arte da
representação gráfica em três
dimensões, ou seja, em
perspectiva, e considerado a
figura principal da arte alemã
do século XVI.
Copérnico
Sua teoria do
Heliocentrismo colocou o
Sol como o centro do
Sistema Solar, contrariando
a então vigente teoria
geocêntrica - o
Geocentrismo (que
considerava, a Terra como
o centro), é considerada
uma das mais importantes
hipóteses científicas de
todos os tempos, tendo
constituído o ponto de
partida da astronomia
moderna.
Astrônomo, Polônia
1473-1543
“O mundo
é
esférico”
Convencido de que o modelo de
Copérnico era verdadeiro, Galileu
passou a sustentar aquela teoria
através da observação dos astros
no recém-inventado telescópio. O
fato de apoiar o heliocentrismo
como uma verdade literal (e não
apenas como um modelo
hipotético) acabou lhe rendendo
muitos problemas com a
Inquisição. Galileu teve que
desmentir suas idéias para fugir
da fogueira.
Galileu Gallilei
"A experiência não falha nunca,
falham somente os nossos juízos".
*Reza a lenda que, ao sair do tribunal
após sua condenação, disse uma frase
célebre: "contudo, ela se move"
"Eppur si Muove!“*
Gutenberg
“A multiplicação das
universidades e a
invenção da
imprensa de tipos
móveis pelo alemão
Johannes Gutenberg
(1400/1468) permitiu
uma vasta difusão do
saber.”
O primeiro livro impresso por Gutenberg foi a Bíblia, processo que se iniciou cerca
de 1450 e ficou terminado cinco anos depois, em Março de 1455
Machiavel
Filósofo político 1469-1527 (Itália)
Maquiavel acreditava na
capacidade humana de
determinar seu próprio
destino. Para ele,
os fins justificam os meios:
um governante deveria fazer
qualquer coisa para atingir
seus objetivos. Escrever “O
Príncipe”, para guiar os
governantes, alertando-os
sobre as armadilhas da selva
política.
“ É melhor ser temido do que ser
amado.Os homens ofendem mais ao
que amam do que ao que temem."
Classicismo
Renascimento Literário
Botticelli,O nascimento de Vênus
Os renascentistas
acreditavam que a arte
greco-romana era
harmoniosa e bela e por
isso adotaram temáticas e
figuras da mitologia e da
história clássica.
Cultivou-se o gosto pela
representação do corpo
humano, glorificando-o;
valorizou-se a harmonia, a
simetria e a ordem.
William Shakespeare
1564-1616
"Que obra de arte é o homem:
tão nobre no raciocínio; tão
vário na capacidade; em forma e
movimento,tão preciso e
admirável; na ação é como um
anjo; no entendimento é como
um Deus;
a beleza do mundo;
o exemplo dos animais.“
(Trecho de Hamlet, de Shakespeare).
Miguel de Cervantes
Dom Quixote de La Mancha, 1605
dramaturgo e poeta espanhol.
"Poderiam perder-se todos os exemplares do
Quixote, em castelhano e nas traduções; poderiam
perder-se todos, mas a figura de Dom Quixote já é parte
da memória da humanidade."
Jorge Luis Borges, escritor argentino
No livro, Dom Quixote
representa o lado espiritual e
nobre da natureza humana, o
amor do honesto e do ideal, tão
valorizado nos romances de
cavalaria. Já o cavaleiro
Sancho Pança, cheio de
responsabilidades e
preocupações, vivia num
mundo oposto ao de seu amigo.
Ao escrever Dom Quixote, Miguel de Cervantes pretendia
ridicularizar os livros de cavalaria, que eram muito populares
na sua época .
Sancho Pança : “O que transforma o mundo não é a utopia”
Classicismo em Portugal
O escritor mais representativo do
Classicismo português é Luís de Camões.
Os deuses gregos e latinos, por serem
verdadeiros heróis, fortes, destemidos,
e ao mesmo tempo, cheios de vícios e
virtudes, mais próximos, portanto, dos
humanos, têm lugar relevante na
produção literária do período.
Marco inicial
1527- Sá de Miranda traz da Itália a
nova “moda” de composição poética:
O SONETO.
Filmografia Indicada
1492 - A Conquista do Paraíso Romeu e Julieta Agonia e êxtase
Revisão
0 movimento renascentista
foi a evolução das artes e da
ciência,
com características e
propostas novas.
A arte renascentista
valorizou
O homem como medida de
todas as coisas
Leonardo da Vinci
Galileu Galilei
Nicolau Copérnico
Rafael Sanzio
Machiavel
Botticelli
Jan Van Eyck
Michelangelo
Gutenberg
Classicismo é o nome
dado ao movimento
literário renascentista :
W.Shakespeare, Miguel
de Cervantes,
Luís de Camões.
Questões
1- Mencione as características gerais do Renascimento. Em quais áreas do
conhecimento humano ele atuou?
2- De que forma o antropocentrismo está vinculado à Idade Moderna?
3 – Por que podemos dizer que Leonardo da Vinci é um artista típico do
Renascimento?
4 – Cite nomes de autores de cada uma das seguintes áreas do conhecimento humano
no Renascimento:
•Filosofia
•Literatura
•Pintura
•Escultura
•Ciência
5- Michelangelo é um grande nome do Renascimento Italiano. Cite dois de seus
trabalhos e faça uma descrição relacionando-os aos princípios estéticos deste
movimento.
6.(FGV-SP) Renascença é a denominação tradicionalmente atribuída às mudanças de
caráter cultural, principalmente, ocorridas nos países europeus durante o período que
vai, aproximadamente, de 1300 a 1650. E são expressões maiores dessa época nos
campos da arte e da ciência os trabalhos de:
a) Georg Wilhelm Hegel, Auguste Rodin e Isaac Newton.
b) Immanuel Kant, René Descartes e Antoine Lavoisier.
c) John Stuart Mill, Ludwig von Beethoven e Galileu Galilei.
d) Auguste Comte, Richard Wagner e Charles Darwin.
e) William Shakespeare, Leonardo da Vinci e Nicolau Copérnico.
7. (FMTM-MG) Uma das características das obras do Renascimento italiano está no
fato de:
a) abordarem temas de intensa religiosidade, perdendo, assim, sua feição leiga.
b) procurarem valorizar o homem, medindo tudo em sua função – o antropocentrismo.
c) tentarem evitar a abordagem de qualquer tema que demonstrasse influência grega.
d) evitarem o envolvimento com temas políticos, como foi o caso de Maquiavel.
e) defenderem a continuidade do uso exclusivo do latim como língua de expressão da
intelectualidade.
8. (Cescem-SP) "Seu herói mais conhecido é um homem modesto
que, através de leituras desordenadas, acabou por convencer-se de
que era um cavaleiro heróico que deveria partir pelo mundo a fim de
realizar os mais elevados ideais de justiça e amor. Embora
apresentado sob forma humorística, esse herói é hoje visto como um
símbolo dos que, apesar de todas as adversidades, continuam a lutar
por um mundo melhor e mais justo.”
O escritor que criou esse herói foi:
a) Dante.
b) Camões.
c) Shakespeare.
d) Tasso.
e) Cervantes.
Fontes
• Todas as imagens usadas nesta apresentação estão disponíveis na internet.
•bibesjcp.no.sapo.pt/renascim.htm‎
•Infoescola.com.br
•.portalsaofrancisco.com.br/alfa/renascimento/renascimento-14.php‎
•www.dec.ufcg.edu.br/biografias/AlbrDure.html‎
•mensageirodasestrelas.blogs.sapo.pt/tag/nicolau+copérnico‎
•www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/galileu-galilei/galileu-galilei-8.php‎
•ftp://ftp.unilins.edu.br/joselle/.../Renascimento%20-%20Texto.doc‎
•www.aeflup.com/ficheiros/Nicolau%20Maquiavel_1.pdf‎
•ww.recantodasletras.com.br
revistaescola.abril.com.br › ... › Língua escrita › Leitura‎
Pesquisa, organização e layout
Profa. Cláudia Heloísa C. Andria
Contato: clauheloisa@yahoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
 
Reforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra ReformaReforma Protestante e Contra Reforma
Reforma Protestante e Contra Reforma
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
ARTES: Renascimento
ARTES: RenascimentoARTES: Renascimento
ARTES: Renascimento
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Renascimento e Humanismo
Renascimento e HumanismoRenascimento e Humanismo
Renascimento e Humanismo
 
Arte - Romantismo
Arte - RomantismoArte - Romantismo
Arte - Romantismo
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Arte barroca
Arte barrocaArte barroca
Arte barroca
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1Renascimento cultural 1
Renascimento cultural 1
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 

Destaque (20)

Trovadorismo II Prosa
Trovadorismo II ProsaTrovadorismo II Prosa
Trovadorismo II Prosa
 
O contexto do Realismo
O contexto do Realismo O contexto do Realismo
O contexto do Realismo
 
Romantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracaoRomantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracao
 
A Idade Moderna
A Idade ModernaA Idade Moderna
A Idade Moderna
 
Prova historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 anoProva historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 ano
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios
 
Movimento negro nos estados unidos
Movimento negro nos estados unidosMovimento negro nos estados unidos
Movimento negro nos estados unidos
 
Realismo no brasil ll
Realismo no brasil llRealismo no brasil ll
Realismo no brasil ll
 
Terceira geração romântica
Terceira geração românticaTerceira geração romântica
Terceira geração romântica
 
história do brasil_ parte1_colônia_império
história do brasil_ parte1_colônia_impériohistória do brasil_ parte1_colônia_império
história do brasil_ parte1_colônia_império
 
Movimento Negro
Movimento NegroMovimento Negro
Movimento Negro
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
Expressões numericas
Expressões numericasExpressões numericas
Expressões numericas
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
Questões de história enem
Questões de história enemQuestões de história enem
Questões de história enem
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento
 
Romantismo brasileiro 3a_geracao
Romantismo brasileiro 3a_geracaoRomantismo brasileiro 3a_geracao
Romantismo brasileiro 3a_geracao
 

Semelhante a Renascimento

Semelhante a Renascimento (20)

Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
1ºano - Renascimento Cultural
1ºano - Renascimento Cultural1ºano - Renascimento Cultural
1ºano - Renascimento Cultural
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento show de bola
Renascimento show de bolaRenascimento show de bola
Renascimento show de bola
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Renascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientificoRenascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientifico
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptxApresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
 
Apresentação renascimento cultural e cientifico
Apresentação renascimento cultural e cientificoApresentação renascimento cultural e cientifico
Apresentação renascimento cultural e cientifico
 
História da arte renascimento
História da arte   renascimentoHistória da arte   renascimento
História da arte renascimento
 
Slide Humanismo (2) (1).pptx
Slide Humanismo (2) (1).pptxSlide Humanismo (2) (1).pptx
Slide Humanismo (2) (1).pptx
 
7
77
7
 
3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico3 renascimento cultural-e_cientifico
3 renascimento cultural-e_cientifico
 
Renascimento2
Renascimento2Renascimento2
Renascimento2
 
Renascimento2
Renascimento2Renascimento2
Renascimento2
 

Mais de Cláudia Heloísa (20)

Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
 
Angústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano RamosAngústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano Ramos
 
A relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de QueirósA relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de Queirós
 
Enem 2018 informações
Enem 2018 informaçõesEnem 2018 informações
Enem 2018 informações
 
Mayombe
MayombeMayombe
Mayombe
 
Minha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena MorleyMinha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena Morley
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Aula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.AAula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.A
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
 
Aula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discursoAula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discurso
 
Piva aula 7 2016
Piva aula 7  2016Piva aula 7  2016
Piva aula 7 2016
 
Aula 4
Aula 4 Aula 4
Aula 4
 
Aula 5 2016
Aula 5 2016Aula 5 2016
Aula 5 2016
 
PIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógicaPIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógica
 
PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016 PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016
 
PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016
 
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7
 
Álvares de Azevedo
Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo
Álvares de Azevedo
 
Figuras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandasFiguras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandas
 

Último

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxEduardaMedeiros18
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 

Último (20)

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 

Renascimento

  • 2. Época... Trovadorismo Teocentrismo Cantigas Humanismo Transição para o pensamento Antropocêntrico Gil Vicente Renascimento Movimento de grande renovação cultural que dominou a Europa, sobretudo nos séculos XV e XVI Idade Moderna
  • 3. A nova pirâmide social Jan Van Eick, Holanda, 1434 A sociedade do período moderno, comumente chamada de sociedade de ordens (clero, nobreza e povo), apresentava-se, na prática, dividida em uma classe de proprietários de terras (clero e nobreza), uma classe de trabalhadores (servos, camponeses livres, assalariados, enfim, a massa popular) e uma classe burguesa (mercantil e manufatureira). A Idade Moderna conheceu, então, a luta da burguesia pelo espaço social, político e ideológico. Observe o quadro “O casal Arnolfini” ( ao lado)
  • 5. A última Ceia Leonardo da Vinci é o típico homem do Renascimento porque atuou em diversas áreas do pensamento e procurou absorver que havia de mais poderoso no cristianismo: o entendimento de que o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus, portanto, traz em si a bênção e a divindade, que deveria ser alcançada por meio da ciência do pensamento.
  • 6. Rafael Sanzio Itália,1483-1520. pintou várias madonas - representações da Virgem Maria com o menino Jesus.
  • 8. Davi é uma escultura de 5 metros e 17cm de altura, em mármore carrara. Encontra-se em Florença ( Itália). O artista demorou 3 anos para terminar “Numa época em que não se falava em Anatomia, Michelangelo fez estudos admiráveis nesse setor. Sendo um grande escultor, suas obras mostram uma grande paixão pela linha e pela forma.” Na sua opinião, o corpo humano era uma obra divina.
  • 9. Donatello Escultor italiano David, em bronze (Firenze, Museo Nazionale del Bergello, c.1430) “Sua primeira produção em bronze foi realizada em meados de 1423 – São Luís de Toulouse. De 1415 a 1426 ele produziu cinco trabalhos para o Duomo: O Profeta imberbe, O Profeta barbudo, O Sacrifício de Isaac, Profeta Abacuc e O Profeta Jeremias. No período que vai de 1425 a 1435, ele atua em conjunto com o arquiteto e escultor Michelozzo na criação do Battistero, mausoléu reservado ao Papa João XXII, que teve seu corpo esculpido em bronze.” (Infoescola)
  • 10. Albrecht Dürer Introdutor da arte da representação gráfica em três dimensões, ou seja, em perspectiva, e considerado a figura principal da arte alemã do século XVI.
  • 11. Copérnico Sua teoria do Heliocentrismo colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, contrariando a então vigente teoria geocêntrica - o Geocentrismo (que considerava, a Terra como o centro), é considerada uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna. Astrônomo, Polônia 1473-1543 “O mundo é esférico”
  • 12. Convencido de que o modelo de Copérnico era verdadeiro, Galileu passou a sustentar aquela teoria através da observação dos astros no recém-inventado telescópio. O fato de apoiar o heliocentrismo como uma verdade literal (e não apenas como um modelo hipotético) acabou lhe rendendo muitos problemas com a Inquisição. Galileu teve que desmentir suas idéias para fugir da fogueira. Galileu Gallilei "A experiência não falha nunca, falham somente os nossos juízos". *Reza a lenda que, ao sair do tribunal após sua condenação, disse uma frase célebre: "contudo, ela se move" "Eppur si Muove!“*
  • 13. Gutenberg “A multiplicação das universidades e a invenção da imprensa de tipos móveis pelo alemão Johannes Gutenberg (1400/1468) permitiu uma vasta difusão do saber.” O primeiro livro impresso por Gutenberg foi a Bíblia, processo que se iniciou cerca de 1450 e ficou terminado cinco anos depois, em Março de 1455
  • 14. Machiavel Filósofo político 1469-1527 (Itália) Maquiavel acreditava na capacidade humana de determinar seu próprio destino. Para ele, os fins justificam os meios: um governante deveria fazer qualquer coisa para atingir seus objetivos. Escrever “O Príncipe”, para guiar os governantes, alertando-os sobre as armadilhas da selva política. “ É melhor ser temido do que ser amado.Os homens ofendem mais ao que amam do que ao que temem."
  • 15. Classicismo Renascimento Literário Botticelli,O nascimento de Vênus Os renascentistas acreditavam que a arte greco-romana era harmoniosa e bela e por isso adotaram temáticas e figuras da mitologia e da história clássica. Cultivou-se o gosto pela representação do corpo humano, glorificando-o; valorizou-se a harmonia, a simetria e a ordem.
  • 16. William Shakespeare 1564-1616 "Que obra de arte é o homem: tão nobre no raciocínio; tão vário na capacidade; em forma e movimento,tão preciso e admirável; na ação é como um anjo; no entendimento é como um Deus; a beleza do mundo; o exemplo dos animais.“ (Trecho de Hamlet, de Shakespeare).
  • 17. Miguel de Cervantes Dom Quixote de La Mancha, 1605 dramaturgo e poeta espanhol. "Poderiam perder-se todos os exemplares do Quixote, em castelhano e nas traduções; poderiam perder-se todos, mas a figura de Dom Quixote já é parte da memória da humanidade." Jorge Luis Borges, escritor argentino No livro, Dom Quixote representa o lado espiritual e nobre da natureza humana, o amor do honesto e do ideal, tão valorizado nos romances de cavalaria. Já o cavaleiro Sancho Pança, cheio de responsabilidades e preocupações, vivia num mundo oposto ao de seu amigo.
  • 18. Ao escrever Dom Quixote, Miguel de Cervantes pretendia ridicularizar os livros de cavalaria, que eram muito populares na sua época . Sancho Pança : “O que transforma o mundo não é a utopia”
  • 19. Classicismo em Portugal O escritor mais representativo do Classicismo português é Luís de Camões. Os deuses gregos e latinos, por serem verdadeiros heróis, fortes, destemidos, e ao mesmo tempo, cheios de vícios e virtudes, mais próximos, portanto, dos humanos, têm lugar relevante na produção literária do período. Marco inicial 1527- Sá de Miranda traz da Itália a nova “moda” de composição poética: O SONETO.
  • 20. Filmografia Indicada 1492 - A Conquista do Paraíso Romeu e Julieta Agonia e êxtase
  • 21. Revisão 0 movimento renascentista foi a evolução das artes e da ciência, com características e propostas novas. A arte renascentista valorizou O homem como medida de todas as coisas Leonardo da Vinci Galileu Galilei Nicolau Copérnico Rafael Sanzio Machiavel Botticelli Jan Van Eyck Michelangelo Gutenberg Classicismo é o nome dado ao movimento literário renascentista : W.Shakespeare, Miguel de Cervantes, Luís de Camões.
  • 22. Questões 1- Mencione as características gerais do Renascimento. Em quais áreas do conhecimento humano ele atuou? 2- De que forma o antropocentrismo está vinculado à Idade Moderna? 3 – Por que podemos dizer que Leonardo da Vinci é um artista típico do Renascimento? 4 – Cite nomes de autores de cada uma das seguintes áreas do conhecimento humano no Renascimento: •Filosofia •Literatura •Pintura •Escultura •Ciência 5- Michelangelo é um grande nome do Renascimento Italiano. Cite dois de seus trabalhos e faça uma descrição relacionando-os aos princípios estéticos deste movimento.
  • 23. 6.(FGV-SP) Renascença é a denominação tradicionalmente atribuída às mudanças de caráter cultural, principalmente, ocorridas nos países europeus durante o período que vai, aproximadamente, de 1300 a 1650. E são expressões maiores dessa época nos campos da arte e da ciência os trabalhos de: a) Georg Wilhelm Hegel, Auguste Rodin e Isaac Newton. b) Immanuel Kant, René Descartes e Antoine Lavoisier. c) John Stuart Mill, Ludwig von Beethoven e Galileu Galilei. d) Auguste Comte, Richard Wagner e Charles Darwin. e) William Shakespeare, Leonardo da Vinci e Nicolau Copérnico. 7. (FMTM-MG) Uma das características das obras do Renascimento italiano está no fato de: a) abordarem temas de intensa religiosidade, perdendo, assim, sua feição leiga. b) procurarem valorizar o homem, medindo tudo em sua função – o antropocentrismo. c) tentarem evitar a abordagem de qualquer tema que demonstrasse influência grega. d) evitarem o envolvimento com temas políticos, como foi o caso de Maquiavel. e) defenderem a continuidade do uso exclusivo do latim como língua de expressão da intelectualidade.
  • 24. 8. (Cescem-SP) "Seu herói mais conhecido é um homem modesto que, através de leituras desordenadas, acabou por convencer-se de que era um cavaleiro heróico que deveria partir pelo mundo a fim de realizar os mais elevados ideais de justiça e amor. Embora apresentado sob forma humorística, esse herói é hoje visto como um símbolo dos que, apesar de todas as adversidades, continuam a lutar por um mundo melhor e mais justo.” O escritor que criou esse herói foi: a) Dante. b) Camões. c) Shakespeare. d) Tasso. e) Cervantes.
  • 25. Fontes • Todas as imagens usadas nesta apresentação estão disponíveis na internet. •bibesjcp.no.sapo.pt/renascim.htm‎ •Infoescola.com.br •.portalsaofrancisco.com.br/alfa/renascimento/renascimento-14.php‎ •www.dec.ufcg.edu.br/biografias/AlbrDure.html‎ •mensageirodasestrelas.blogs.sapo.pt/tag/nicolau+copérnico‎ •www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/galileu-galilei/galileu-galilei-8.php‎ •ftp://ftp.unilins.edu.br/joselle/.../Renascimento%20-%20Texto.doc‎ •www.aeflup.com/ficheiros/Nicolau%20Maquiavel_1.pdf‎ •ww.recantodasletras.com.br revistaescola.abril.com.br › ... › Língua escrita › Leitura‎ Pesquisa, organização e layout Profa. Cláudia Heloísa C. Andria Contato: clauheloisa@yahoo.com.br