SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Aula 4
Compreensão e Interpretação
INTERPRETAR
analisar
compreender
Interpretar é
compreender + analisar o texto.
COMPREENSÃO
consiste em analisar o que realmente está escrito; coletar dados do texto.
INTERPRETAÇÃO
consiste em saber o que se conclui após a análise do texto
Local de
veiculação
“ Sempre que nos deparamos com um texto, estabelecemos com ele
algum tipo de diálogo. Antes mesmo de saber seu conteúdo, nós já
temos algumas pistas sobre o que encontraremos nele. ”
“ Esse diálogo continua durante todo o tempo em que temos
contato com a escrita, ampliando nossa leitura, até o ponto em
que o interpretar supera em muito o mero compreender e
reproduzir as ideias do texto lido. ”
Imagem
Público
Alvo
PISTAS
extrapolação
contradição
redução
Erros clássicos de interpretação
EXTRAPOLAÇÃO consiste em afirmar algo não contido no texto.
CONTRADIÇÃO consiste em depreender a ideia contrária da afirmada no texto.
REDUÇÃO consiste em não relacionar as ideias do texto àquilo que “se conhece no
mundo.”
Exercício: interpretar
A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira
como ela termina. Eu acho que o verdadeiro
ciclo da vida está todo de trás pra frente.
Nós deveríamos morrer primeiro, se livrar
logo disso. Daí, viver num asilo até ser
chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar.
Então você trabalha40 anos até ficar novo
o bastante para poder aproveitar
sua aposentadoria. Aí você curte tudo,
bebe bastante, dá festas e se prepara
pra faculdade.Você vai pro colégio, tem
várias namoradas,
vira criança, não tem nenhuma
responsabilidade,se torna um bebezinho de
colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos
nove meses de vida flutuando...
E termina tudo com um ótimo orgasmo!!
Não seria perfeito?
(CHAPLIN, Charlie)
Exercício 2
O autor:
a) parte do princípio que o ócio/prazer deveria ser o fim último da vida.
b) parte do princípio que a vida deveria ser só ócio/prazer.
c) parte do princípio que a vida não se encerra com a morte.
d) parte do princípio que todos têm direito à vida.
e) parte do princípio que somos responsáveis por aquilo que cativamos.
O autor é reconhecido mundialmente por:
a) sua obra cinematográfica.
b) suas pinturas soberbamente avaliadas, juntamente com sua obra
cinematográfica.
c) seus romances e contos.
d) suas fotografias e esculturas.
e) suas invenções que transformaram o cinema.
a) De tudo o que era nego torto
Do mangue e do cais do porto
Ela já foi namorada
É a rainha dos detentos
Dos cegos, dos lazarentos
Dos moleques do internato
(Chico Buarque)
b) De repente me lembro do verde
A cor do verde é a mais verde que existe
A cor mais alegre, a cor mais triste
O verde que vestes, o verde que vestiste
No dia em que te vi, no dia em que...
me viste
(Caetano Veloso)
c) A gente não quer só comida
A gente quer bebida, diversão e arte
A gente não quer só comida, a gente quer saída
Para qualquer parte
A gente não quer só dinheiro
A gente quer dinheiro e quer fazer amor
(Titãs)
O fragmento que melhor interage com o texto:
d) Vou apertar, mas
não vou acender agora
Vou apertar, mas não vou
acender agora
Se segura malandro, pra fazer a
cabeça tem hora
(Bezerra da Silva)
e) Aquele preto, tão preto
Com aquela barba branca,
tão preta
E aquele olhar tão meigo,
de quem espera
ganhar um sorriso incolor
(Secos & Molhados)
“Se a concreção da
interpretação, no sentido
da interpretação textual
exata, se compraz em
se basear nisso que está no
texto, aquilo que, de
imediato, apresenta como
estando no texto nada
mais é do que a opinião
prévia, indiscutida e
supostamente evidente, do
intérprete.”
Heidegger
Exercício 3
A palavra concreção, no texto, tem o sentido de:
a) abstração
b) relação
c) realização
d) materialização
e) antecipação
Segundo o texto:
a) A opinião não tem substância lógica.
b) A opinião é posterior ao conhecimento.
c) A opinião é a materialização de um conhecimento.
d) A opinião antecede o conhecimento.
e) A opinião é a manifestação de uma visão de mundo.
Fontes
BRANDAO,Helena Hathsue Nagamine. Analise do Discurso: um itinerario
historico. Disponivel em: http://www.museudalinguaportuguesa.org.br/files/mlp/texto_1.pdf
BAKHTIN Mikhail (Voloshinov, 1929). 1979. Marxismo e filosofia da linguagem.
Trad. Lahud, Michel; Vieira, Yara F. São Paulo: Ed. Hucitec. ORLANDI, Eni P.
1983. A linguagem e seu funcionamento. As formas do discurso. São Paulo:
Ed. Brasiliense
http://www.vestibular1.com.br/noticias/noticia_1/interpretacao_de_texto.htm
http://ucho.info/azeite-da-discordia-campanha-publicitaria-do-portugues-gallo-e-suspeita-de-racismo
Pesquisa , organização e layout
Profa. Claudia Heloisa C. Andria
Contato: clauheloisayaoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Termos integrantes-da-oracao
Termos integrantes-da-oracaoTermos integrantes-da-oracao
Termos integrantes-da-oracao
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Funções do se
Funções do seFunções do se
Funções do se
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Adverbio
AdverbioAdverbio
Adverbio
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Slides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFicoSlides Novo Acordo OrtográFico
Slides Novo Acordo OrtográFico
 

Destaque (20)

Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016 PIVA -Aula2 2016
PIVA -Aula2 2016
 
Revisão6 concordância e problemas notacionais
Revisão6 concordância  e problemas notacionaisRevisão6 concordância  e problemas notacionais
Revisão6 concordância e problemas notacionais
 
Piva aula 7 2016
Piva aula 7  2016Piva aula 7  2016
Piva aula 7 2016
 
Aula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discursoAula 8 texto e discurso
Aula 8 texto e discurso
 
Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios Funções de linguagem exercicios
Funções de linguagem exercicios
 
Figuras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandasFiguras de linguagem em propagandas
Figuras de linguagem em propagandas
 
PIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógicaPIVA- Aula 3 lógica
PIVA- Aula 3 lógica
 
Aula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionaisAula 11 2016 problemas notacionais
Aula 11 2016 problemas notacionais
 
PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016PIVA - Aula 1 2016
PIVA - Aula 1 2016
 
Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7Revisao enem carmo 2015_aula 7
Revisao enem carmo 2015_aula 7
 
Revisão 4 regência
Revisão 4  regênciaRevisão 4  regência
Revisão 4 regência
 
Aula 5 2016
Aula 5 2016Aula 5 2016
Aula 5 2016
 
Revisão 7 vícios de linguagem
Revisão 7 vícios de linguagemRevisão 7 vícios de linguagem
Revisão 7 vícios de linguagem
 
Revisão 5 crase
Revisão 5 craseRevisão 5 crase
Revisão 5 crase
 
Romantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracaoRomantismo 2a geracao
Romantismo 2a geracao
 
Álvares de Azevedo
Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo
Álvares de Azevedo
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Aula 3 Comportamento do Consumidor
Aula 3 Comportamento do ConsumidorAula 3 Comportamento do Consumidor
Aula 3 Comportamento do Consumidor
 

Semelhante a Compreensão e interpretação de texto

Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãoAlvaro Morais
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãocepmaio
 
Interpretação de texto iii
Interpretação de texto iiiInterpretação de texto iii
Interpretação de texto iiiHélio Araújo
 
Interpretação de texto profª elizangela 3º ano noite
Interpretação de texto profª elizangela 3º ano noiteInterpretação de texto profª elizangela 3º ano noite
Interpretação de texto profª elizangela 3º ano noiteluzitania
 
Aula 1 lógica de programação
Aula 1   lógica de programaçãoAula 1   lógica de programação
Aula 1 lógica de programaçãoInstituto CENTEC
 
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150Rosa Maria Ferreira Correa
 
Filósofos modernos e seus pensamentos 2º va
Filósofos modernos e seus pensamentos   2º vaFilósofos modernos e seus pensamentos   2º va
Filósofos modernos e seus pensamentos 2º vaProfMario De Mori
 
Situação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem ruiSituação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem ruiRui Vianello
 
Texto meu primeiro beijo
Texto meu primeiro beijoTexto meu primeiro beijo
Texto meu primeiro beijoSandra1621
 

Semelhante a Compreensão e interpretação de texto (20)

Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
Interpretação de texto iii
Interpretação de texto iiiInterpretação de texto iii
Interpretação de texto iii
 
Interpretação de texto profª elizangela 3º ano noite
Interpretação de texto profª elizangela 3º ano noiteInterpretação de texto profª elizangela 3º ano noite
Interpretação de texto profª elizangela 3º ano noite
 
Interpretação De Texto
Interpretação De TextoInterpretação De Texto
Interpretação De Texto
 
Aula 1 lógica de programação
Aula 1   lógica de programaçãoAula 1   lógica de programação
Aula 1 lógica de programação
 
Prova 9-ano
Prova 9-anoProva 9-ano
Prova 9-ano
 
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
Processo seletivo-solido-2014-prova-9-ano-fundamen5150150
 
Texto e textualidade
Texto e textualidadeTexto e textualidade
Texto e textualidade
 
Filósofos modernos e seus pensamentos 2º va
Filósofos modernos e seus pensamentos   2º vaFilósofos modernos e seus pensamentos   2º va
Filósofos modernos e seus pensamentos 2º va
 
Situação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem ruiSituação de aprendizagem rui
Situação de aprendizagem rui
 
Artigos
ArtigosArtigos
Artigos
 
Cfs 2 2020
Cfs 2 2020Cfs 2 2020
Cfs 2 2020
 
Texto meu primeiro beijo
Texto meu primeiro beijoTexto meu primeiro beijo
Texto meu primeiro beijo
 

Mais de Cláudia Heloísa (11)

Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
 
Quincas Borba
Quincas BorbaQuincas Borba
Quincas Borba
 
Angústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano RamosAngústia, de Graciliano Ramos
Angústia, de Graciliano Ramos
 
A relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de QueirósA relíquia - Eça de Queirós
A relíquia - Eça de Queirós
 
Enem 2018 informações
Enem 2018 informaçõesEnem 2018 informações
Enem 2018 informações
 
Mayombe
MayombeMayombe
Mayombe
 
Minha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena MorleyMinha vida de menina - Helena Morley
Minha vida de menina - Helena Morley
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Aula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.AAula 1 P.I.V.A
Aula 1 P.I.V.A
 
Lusofonia
Lusofonia Lusofonia
Lusofonia
 
Vanguarda I - Surrealismo
Vanguarda I - SurrealismoVanguarda I - Surrealismo
Vanguarda I - Surrealismo
 

Último

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 

Último (20)

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 

Compreensão e interpretação de texto

  • 1. Aula 4 Compreensão e Interpretação
  • 2. INTERPRETAR analisar compreender Interpretar é compreender + analisar o texto. COMPREENSÃO consiste em analisar o que realmente está escrito; coletar dados do texto. INTERPRETAÇÃO consiste em saber o que se conclui após a análise do texto
  • 3. Local de veiculação “ Sempre que nos deparamos com um texto, estabelecemos com ele algum tipo de diálogo. Antes mesmo de saber seu conteúdo, nós já temos algumas pistas sobre o que encontraremos nele. ” “ Esse diálogo continua durante todo o tempo em que temos contato com a escrita, ampliando nossa leitura, até o ponto em que o interpretar supera em muito o mero compreender e reproduzir as ideias do texto lido. ” Imagem Público Alvo PISTAS
  • 4. extrapolação contradição redução Erros clássicos de interpretação EXTRAPOLAÇÃO consiste em afirmar algo não contido no texto. CONTRADIÇÃO consiste em depreender a ideia contrária da afirmada no texto. REDUÇÃO consiste em não relacionar as ideias do texto àquilo que “se conhece no mundo.”
  • 6. A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, se livrar logo disso. Daí, viver num asilo até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha40 anos até ficar novo o bastante para poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante, dá festas e se prepara pra faculdade.Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade,se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando... E termina tudo com um ótimo orgasmo!! Não seria perfeito? (CHAPLIN, Charlie) Exercício 2
  • 7. O autor: a) parte do princípio que o ócio/prazer deveria ser o fim último da vida. b) parte do princípio que a vida deveria ser só ócio/prazer. c) parte do princípio que a vida não se encerra com a morte. d) parte do princípio que todos têm direito à vida. e) parte do princípio que somos responsáveis por aquilo que cativamos. O autor é reconhecido mundialmente por: a) sua obra cinematográfica. b) suas pinturas soberbamente avaliadas, juntamente com sua obra cinematográfica. c) seus romances e contos. d) suas fotografias e esculturas. e) suas invenções que transformaram o cinema.
  • 8. a) De tudo o que era nego torto Do mangue e do cais do porto Ela já foi namorada É a rainha dos detentos Dos cegos, dos lazarentos Dos moleques do internato (Chico Buarque) b) De repente me lembro do verde A cor do verde é a mais verde que existe A cor mais alegre, a cor mais triste O verde que vestes, o verde que vestiste No dia em que te vi, no dia em que... me viste (Caetano Veloso) c) A gente não quer só comida A gente quer bebida, diversão e arte A gente não quer só comida, a gente quer saída Para qualquer parte A gente não quer só dinheiro A gente quer dinheiro e quer fazer amor (Titãs) O fragmento que melhor interage com o texto: d) Vou apertar, mas não vou acender agora Vou apertar, mas não vou acender agora Se segura malandro, pra fazer a cabeça tem hora (Bezerra da Silva) e) Aquele preto, tão preto Com aquela barba branca, tão preta E aquele olhar tão meigo, de quem espera ganhar um sorriso incolor (Secos & Molhados)
  • 9. “Se a concreção da interpretação, no sentido da interpretação textual exata, se compraz em se basear nisso que está no texto, aquilo que, de imediato, apresenta como estando no texto nada mais é do que a opinião prévia, indiscutida e supostamente evidente, do intérprete.” Heidegger Exercício 3
  • 10. A palavra concreção, no texto, tem o sentido de: a) abstração b) relação c) realização d) materialização e) antecipação Segundo o texto: a) A opinião não tem substância lógica. b) A opinião é posterior ao conhecimento. c) A opinião é a materialização de um conhecimento. d) A opinião antecede o conhecimento. e) A opinião é a manifestação de uma visão de mundo.
  • 11. Fontes BRANDAO,Helena Hathsue Nagamine. Analise do Discurso: um itinerario historico. Disponivel em: http://www.museudalinguaportuguesa.org.br/files/mlp/texto_1.pdf BAKHTIN Mikhail (Voloshinov, 1929). 1979. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Lahud, Michel; Vieira, Yara F. São Paulo: Ed. Hucitec. ORLANDI, Eni P. 1983. A linguagem e seu funcionamento. As formas do discurso. São Paulo: Ed. Brasiliense http://www.vestibular1.com.br/noticias/noticia_1/interpretacao_de_texto.htm http://ucho.info/azeite-da-discordia-campanha-publicitaria-do-portugues-gallo-e-suspeita-de-racismo Pesquisa , organização e layout Profa. Claudia Heloisa C. Andria Contato: clauheloisayaoo.com.br