Diretoria de Ensino Leste 4    Núcleo PedagógicoProjeto: Escolas Prioritárias
Orientação Técnica      Competências e Habilidades para       Produção Textual integrada às              Mídias DigitaisRe...
Projeto Escolas Prioritárias
Projeto Escolas Prioritárias   Orientações Técnicas que visam a subsidiar    as 35 Diretorias de Ensino (DE) e as 781    ...
Cronograma de Trabalho               Fase 1 10/09 OT : Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Público alvo: PCNP de...
Cronograma de trabalho                 Fase 2 Entre 10/09 e 07/10 OT :Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Públic...
Cronograma de trabalho                  Fase 3 Mês de outubro Reprodução da OT :Língua Portuguesa nas Escolas  Prioritár...
Cronograma de trabalho                Fase 4 Encontro com os PCNPs de LP Entre 10/10 e 13/10 Local: Leste 1 Objetivos ...
nas Escolas Prioritárias
Proposta de trabalho OT   : Habilidades e competências para produção  textual integrada as mídias digitais Público alvo:...
ObjetivosRefletir sobre as necessidades de atuação junto aos alunos para superação das defasagens de aprendizagem;Discut...
ObjetivosElaborar atividades com foco no desenvolvimento das habilidades em que são notadas maiores fragilidades no proce...
Competências e HabilidadesO   que são
Habilidade•   O conceito de habilidade provém do termo latino habilĭtas    e refere-se à capacidade e à disposição para (f...
Habilidade•   No contexto educacional significa “Saber fazer”, ou seja, a    capacidade de realizar determinada tarefa, fí...
Competência•   Existem inúmeras definições de competência.    Uma delas seria a de Philippe Perrenoud, que    diz “Competê...
Síntese das competências cognitivas   avaliadas no exame do Saresp
Competênciase Habilidades na Produção    Textual
Gêneros textuais São discursos orais e escritos, que  possuem suas estruturas socialmente  reconhecidas e aceitas; Por s...
Schneuwly e Dolz   Publicaram um quadro onde as tipologias    são cruzadas com os gêneros. Desse    quadro é possível ded...
Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz)                             Capacidade deDomínios sociais Aspectos   ...
Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz)                             Capacidade deDomínios sociais Aspectos   ...
Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz)                               Capacidade deDomínios sociais Aspectos ...
Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz)                             Capacidade deDomínios sociais Aspectos   ...
Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz)Domínios                   Capacidade de   Exemplo        de          ...
O Currículo de Língua Portuguesa   Nos procedimentos tradicionais, a língua    é tratada como uma coisa morta, dividida  ...
O Currículo de Língua Portuguesa As     capacidades    de      leitura    são  consideradas "naturais", como se, ao  apre...
O que revelaram os resultados          apresentados nasPlanilhas de Resultado da Avaliação             Diagnóstica
E o nosso aluno, o tem achado dasaulas de Língua Portuguesa ?     Por regra geral, os alunos não veem      ligação entre ...
Conflito de gerações1920   1930     1940    1950       1960   1970      1980        1990   2000        Veteranos          ...
Geração Z•Nascidos aproximadamente a partirdos anos 2000• Já nasceram sob o advento dainternet e do boom tecnológico.•Sua ...
Para eles estas maravilhas da pós-modernidade não são nadaestranhas, mas impossível imaginar o mundo sem eles.
Quem é o nosso aluno de hoje?                   jovens conectados, criativos,                    críticos, confiantes, cu...
Abordagem PedagógicaDevido essa mudança no perfil do aluno sefaz- se necessário modificar a abordagemfeita em uma aula tra...
Abordagem Pedagógica   O grande desafio do educador nesse    século é agregar as tecnologias    disponíveis a sua área de...
AvaliaçãoAvaliar não é uma tarefa fácil, pois exige doprofessor a capacidade de julgar, atribuir valor, interpretar inf...
Avaliação
Avaliação
Avaliação
Avaliação
Avaliação
Situação de Aprendizagem       em Língua Portuguesa paradesenvolvimento de habilidades para leitura            e produção ...
Situações de aprendizagem   Atividade desenvolvida na    Orientação Técnica: “Competências e    habilidades, para leitura...
Síntese Público Alvo Tempo Previsto: Conteúdos e temas: Competências e habilidades: Estratégias: Recursos: Avaliaçã...
Roteiro Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Avaliação
AutoriaProfessores   Escola
Diretoria Leste 4 _ Núcleo Pedagógico          2741-2627 ramal 21       delt4npe@see.sp.gov.brhttp://leste4.nucleopedagogi...
OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias
OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias
OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias
OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias
OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias

1.367 visualizações

Publicada em

Orientação técnica da PCNP Tânia Nunes, para professores de Língua Portuguesa das escolas prioritárias da DE Leste 4 - 19/10/2012.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.367
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
49
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

OT Lingua Portuguesa - escolas prioritarias

  1. 1. Diretoria de Ensino Leste 4 Núcleo PedagógicoProjeto: Escolas Prioritárias
  2. 2. Orientação Técnica Competências e Habilidades para Produção Textual integrada às Mídias DigitaisResponsáveis: Prof.ª Tânia Nunes – PCNP de Língua Portuguesa Prof. ª Flavia Santos – PCNP de Tecnologia Educacional
  3. 3. Projeto Escolas Prioritárias
  4. 4. Projeto Escolas Prioritárias Orientações Técnicas que visam a subsidiar as 35 Diretorias de Ensino (DE) e as 781 Escolas Prioritárias a elas jurisdicionadas, bem como a atuação dos gestores e professores na implementação dos objetivos, metodologias, procedimentos e/ou práticas pedagógicas, curriculares e administrativos, direcionados à melhoria do ensino e da aprendizagem.
  5. 5. Cronograma de Trabalho Fase 1 10/09 OT : Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Público alvo: PCNP de LP das Diretorias de Ensino Lestes: 1,2,3,4 , Guarulhos Norte e Norte 2 Local: Diretoria Leste 1 Pauta: Apresentação do projeto e proposta de trabalho Vivências de atividades Construção de pauta coletiva
  6. 6. Cronograma de trabalho Fase 2 Entre 10/09 e 07/10 OT :Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Público Alvo : Professores Coordenadores e Professores de LP do ciclo II e EM Pauta: Apresentação do projeto e proposta de trabalho Vivência de atividades (análise das habilidades com menos de 50% de acerto no Saresp )
  7. 7. Cronograma de trabalho Fase 3 Mês de outubro Reprodução da OT :Língua Portuguesa nas Escolas Prioritárias Mediação: Professor que compareceu a OT de formação em 24/09 Público Alvo : Professores de LP do ciclo II e EM Pauta: Apresentação do projeto e proposta de trabalho Vivência de atividades (análise das habilidades com menos de 50% de acerto no Saresp ) Elaboração do Registro
  8. 8. Cronograma de trabalho Fase 4 Encontro com os PCNPs de LP Entre 10/10 e 13/10 Local: Leste 1 Objetivos : Compartilhar as experiências e resultados das OTs no Núcleo Pedagógico e nas Escolas Prioritárias Acompanhar a aplicação das atividades elaboradas junto aos alunos
  9. 9. nas Escolas Prioritárias
  10. 10. Proposta de trabalho OT : Habilidades e competências para produção textual integrada as mídias digitais Público alvo: Professores de ciclo II e EM das 27 escolas prioritárias Carga horária de 04 horas Ação a ser desenvolvida: Elaboração de uma sequência de atividades para desenvolvimento/aprofundamento de uma habilidade com menor índice de acerto identificadas pelas planilhas de resultado das avaliações diagnosticas de LP.
  11. 11. ObjetivosRefletir sobre as necessidades de atuação junto aos alunos para superação das defasagens de aprendizagem;Discutir possibilidades de intervenções pedagógicas para que os alunos melhorem seu desempenho ;
  12. 12. ObjetivosElaborar atividades com foco no desenvolvimento das habilidades em que são notadas maiores fragilidades no processo de aprendizagem;Compartilhar e partilhar experiências de na elaboração de atividades com base nas habilidades e competências das Matrizes de referência do Saresp
  13. 13. Competências e HabilidadesO que são
  14. 14. Habilidade• O conceito de habilidade provém do termo latino habilĭtas e refere-se à capacidade e à disposição para (fazer) algo, decorrente da experiência e prática do saber.• A habilidade pode ser uma aptidão inata ou desenvolvida. A prática, o treino e a experiência permitem que um sujeito consiga melhorar as suas habilidades (“Tenho aulas de piano para incrementar as minhas habilidades musicais”).
  15. 15. Habilidade• No contexto educacional significa “Saber fazer”, ou seja, a capacidade de realizar determinada tarefa, física ou mental• Significa, também, produzir resultados com o conhecimento que se possui. Neste sentido, diz respeito à pessoa conseguir fazer algum uso real do conhecimento que têm, produzindo algo efetivamente.
  16. 16. Competência• Existem inúmeras definições de competência. Uma delas seria a de Philippe Perrenoud, que diz “Competência é a faculdade de mobilizar um conjunto de recursos cognitivos (saberes, capacidades, informações etc.) para solucionar com pertinência e eficácia uma série de situações.” • Em linhas gerais, pode ser entendida como o conjunto CHA (Conhecimento, Habilidades e Atitudes) que um indivíduo dispõe para que sejam mobilizados em uma situação específica.
  17. 17. Síntese das competências cognitivas avaliadas no exame do Saresp
  18. 18. Competênciase Habilidades na Produção Textual
  19. 19. Gêneros textuais São discursos orais e escritos, que possuem suas estruturas socialmente reconhecidas e aceitas; Por se manterem sempre muito parecidos e com características comuns, são considerados enunciados estáveis; E se propõem a atingir intenções comunicativas em situações específicas;
  20. 20. Schneuwly e Dolz Publicaram um quadro onde as tipologias são cruzadas com os gêneros. Desse quadro é possível deduzir que é tão importante ensinar as tipologias quanto os gêneros. Para os dois autores, há cinco tipologias que é preciso considerar no ensino de língua
  21. 21. Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz) Capacidade deDomínios sociais Aspectos Exemplo de gêneros linguagemde comunicação tipológicos orais e escritos dominante Conto de Fadas, fábula, lenda, narrativa de Mimeses de ação aventura, narrativa de através da criação da ficção cientifica, narrativa intriga no domínio do de enigma, narrativaCultura Literária verossímil mítica, sketch ou história NarrarFiccional engraçada, biografia romanceada, romance, • • Mimeses – imitar Verossímil – semelhante ao romance histórico, real , coerente novela fantástica, conto, crônica literária, adivinha piada.
  22. 22. Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz) Capacidade deDomínios sociais Aspectos Exemplo de gêneros linguagemde comunicação tipológicos orais e escritos dominante Relato de experiência vivida, relato de viagem, diário íntimo, testemunho, anedota ouDocumentação e Representação pelo caso, autobiografia,memorização discurso de curriculum vitae, Relatardas ações experiências vividas, notícia, reportagem,humanas situadas no tempo. crônica social, crônica esportiva, histórico, relato histórico, ensaio ou perfil biográfico, biografia.
  23. 23. Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz) Capacidade deDomínios sociais Aspectos Exemplo de gêneros linguagemde comunicação tipológicos orais e escritos dominante Textos de opinião, diálogo argumentativo, carta de leitor, carta de solicitação, deliberação informal, Sustentação, debate regrado,Discussão de refutação e assembleia, discurso deproblemas sociais Argumentar negociação de defesa (advocacia),controversos tomadas de discurso de acusação posição. (advocacia), resenha crítica, artigos de opinião ou assinados, editorial, ensaio.
  24. 24. Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz) Capacidade deDomínios sociais Aspectos Exemplo de gêneros linguagemde comunicação tipológicos orais e escritos dominante Texto expositivo, exposição oral, seminário, conferência, comunicação oral, palestra, entrevista de Apresentação especialista, verbete, artigoTransmissão e textual de enciclopédico, textoconstrução de Expor diferentes formas explicativo, tomada desaberes dos saberes notas, resumo de textos expositivos e explicativos, resenha, relatório científico, relatório oral de experiência.
  25. 25. Gêneros Orais e Escritos naEscola (Schneuwly e Dolz)Domínios Capacidade de Exemplo de Aspectossociais de linguagem gêneros orais tipológicoscomunicação dominante e escritos Instruções de montagem, receita, Regulação mútua regulamento,Instruções e Descrever de regras de jogo,prescrições ações comportamentos instruções de uso, comandos diversos, textos prescritivos.
  26. 26. O Currículo de Língua Portuguesa Nos procedimentos tradicionais, a língua é tratada como uma coisa morta, dividida em partes. O aluno aprende sílabas numa época, substantivos na outra, análise sintática mais tarde. As aulas de gramática não são ligadas com as aulas de redação. As aulas de redação parecem não ter nada a ver com a aprendizagem de leitura.
  27. 27. O Currículo de Língua Portuguesa As capacidades de leitura são consideradas "naturais", como se, ao aprender a decifrar as letras e as sílabas, o entendimento de todo e qualquer texto estivesse garantido. Essa divisão do ensino de língua em gramática e ortografia, redação e leitura torna as aulas estáticas e o aprendizado segmentado
  28. 28. O que revelaram os resultados apresentados nasPlanilhas de Resultado da Avaliação Diagnóstica
  29. 29. E o nosso aluno, o tem achado dasaulas de Língua Portuguesa ?  Por regra geral, os alunos não veem ligação entre as partes, é uma língua que não está em funcionamento nos momentos de comunicação.  A disciplina é apenas mais um objeto de estudo
  30. 30. Conflito de gerações1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Veteranos Baby Boomers Geração X Geração Y Geração Z
  31. 31. Geração Z•Nascidos aproximadamente a partirdos anos 2000• Já nasceram sob o advento dainternet e do boom tecnológico.•Sua vida é regada a muita informação, pois tudo que acontece énoticiado em tempo real e muitas vezes esse volume imensoacaba tornando tudo obsoleto em pouco tempo.• A vida no virtual é fácil e bem desenvolvida, mas têmdificuldades em relacionamentos interpessoais ou ausência dacapacidade de ser ouvinte, o que dá o nome de “GeraçãoSilenciosa”.
  32. 32. Para eles estas maravilhas da pós-modernidade não são nadaestranhas, mas impossível imaginar o mundo sem eles.
  33. 33. Quem é o nosso aluno de hoje?  jovens conectados, criativos, críticos, confiantes, curiosos, capazes de criar conceitos, congregar pessoas e confrontar ideias, e se adaptam facilmente a um mundo de novidades e de informações  Para se trabalhar com esses jovens, é necessário desenvolver atividades diversificadas e dinâmicas, com objetivos bem definidos, para que eles possam se motivar a adquirir novas competências e habilidades.
  34. 34. Abordagem PedagógicaDevido essa mudança no perfil do aluno sefaz- se necessário modificar a abordagemfeita em uma aula tradicional, pelo simplesfato deles compreenderem o mundo sobuma ótica dinâmica, interativa e tecnológica.
  35. 35. Abordagem Pedagógica O grande desafio do educador nesse século é agregar as tecnologias disponíveis a sua área de conhecimento, reformulando sua prática pedagógica e sua concepção sobre avaliação
  36. 36. AvaliaçãoAvaliar não é uma tarefa fácil, pois exige doprofessor a capacidade de julgar, atribuir valor, interpretar informação e agir conforme o caso.
  37. 37. Avaliação
  38. 38. Avaliação
  39. 39. Avaliação
  40. 40. Avaliação
  41. 41. Avaliação
  42. 42. Situação de Aprendizagem em Língua Portuguesa paradesenvolvimento de habilidades para leitura e produção textual
  43. 43. Situações de aprendizagem Atividade desenvolvida na Orientação Técnica: “Competências e habilidades, para leitura e produção textual integrada às mídias digitais” D.E. Leste 4 – 19/10/201
  44. 44. Síntese Público Alvo Tempo Previsto: Conteúdos e temas: Competências e habilidades: Estratégias: Recursos: Avaliação :
  45. 45. Roteiro Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Avaliação
  46. 46. AutoriaProfessores Escola
  47. 47. Diretoria Leste 4 _ Núcleo Pedagógico 2741-2627 ramal 21 delt4npe@see.sp.gov.brhttp://leste4.nucleopedagogico.zip.net

×