Sistema geniturinario

10.896 visualizações

Publicada em

aula sistema geniturinario curso de enfermagem UNIBAVE.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.896
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
164
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Conceito – glândula ovóide bilateral localizada entre o rete e aderido a face posterior da bexiga, superiormente´`a prostata e lateralmente à vesicula seminal. Contem um túbulo contorcido de 10 a 15 cm de comprimento, enovelado em um corpo alongado e lobulado, revestido por uma cápsula externa de tecido conjuntivo. Sua secreção é de cor escura, contendo furtose globulinas e ácido siálico ligado a proteínas (ativa a motilidade de espermatozóides e aumenta o líquido na ejaculação.
    Forrma varia com a idade e com o estado funcional
  • The mammary gland is formed by fifteen to twenty lobes (lobi glandulae mammariae) that are arranged radially and delimited by septa of conjunctive tissue and adipose tissue in the subcutaneous layer (Fig. 7). The mammary parenchyma is more abundant in the upper half of the gland, especially in the superolateral quadrant. The mammary tissue frequently extends beyond the apparent outline of the breast, projecting towards the axilla as an axillary process (sometimes called tail of Spence [SBA]). The principal duct of each lobe, the lactiferous duct (ductus lactiferi), opens separately into the mammary papilla. In turn, the lobe is formed by smaller functional units, the lobules (lobuli), from which ducts converge towards the main duct of the lobe (Lockhart et al.; Williams et al.).
  • Sistema geniturinario

    1. 1. Sistema Geniturinario Prof. Cláudio Sérgio da Costa
    2. 2. rins ureteres Bexiga urinária uretra
    3. 3. SISTEMA URINÁRIO • O sistema urinário é constituído pelos órgãos uropoéticos, isto é, incumbidos de elaborar a urina e armazená-la temporariamente até a oportunidade de ser eliminada para o exterior.
    4. 4. SISTEMA URINÁRIO • Este aparelho pode ser dividido em órgãos secretores - que produzem a urina - e órgãos excretores - que são encarregados de processar a drenagem da urina para fora do corpo. • Os órgãos urinários compreendem os rins (2), que produzem a urina, os ureteres (2) ou ductos, que transportam a urina para a bexiga (1), onde fica retida por algum tempo, e a uretra (1), através da qual é expelida do corpo.
    5. 5. • Componentes do Sistema Urinário -2 rins -2 ureteres -1 bexiga urinária -1 uretra
    6. 6. RIM Estrutura externa dos rins Os rins são órgãos em forma de feijão, que apresentam em sua morfologia externa • Face Anterior • Face Posterior • Margem Medial (Côncava): A face medial apresenta um hilo renal por onde entra a artéria renal e saem a veia e o ureter. O hilo se abre em um espaço no interior do rim denominado seio renal, onde se localizam os vasos renais e a pelve renal. • Margem Lateral (Convexa)
    7. 7. Estrutura interna dos rins Três regiões podem ser distinguida em cada rim: • Córtex Renal • Medula Renal • Pelve Renal
    8. 8. • Córtex renal: Camada externa dos rins situado logo abaixo da cápsula fibrosa. – Colunas renais: Estruturas do córtex renal que se projetam para medula renal • Medula renal: Estrutura localizada abaixo do córtex renal, está representada por uma série de estruturas piramidais (até 18) denominadas pirâmides renais. – Pirâmides renais • Papilas renais: Ápice das pirâmides renais.
    9. 9. Pelve Renal Extremidade superior do ureter. A urina goteja de pequenos poros existentes nas papilas e atinge os cálices renais menores. Destes, ela segue em direção aos cálices renais maiores, pelve renal e chega ao ureter, que a transporta para bexiga urinária. Cálices Renais São estruturas em forma de taça, que estão em contato com as pirâmides renais e coletam a urina produzida no tecido renal. • Cálices maiores. • Cálices menores.
    10. 10. NÉFRONS • O néfron é a unidade morfofuncional ou a unidade produtora de urina do rim. Cada rim contém cerca de 1 milhão de néfrons. • A forma do néfron é peculiar, inconfundível, e admiravelmente adequada para sua função de produzir urina.
    11. 11. NÉFRONS O néfron é formado por dois componentes principais: 1. Corpúsculo Renal: • Cápsula Glomerular (de Bowman); • Glomérulo – rede de capilares sanguíneos enovelados dentro da cápsula glomerular 2. Túbulo Renal: • Túbulo contorcido proximal; • Alça do Néfron (de Henle); • Túbulo contorcido distal; • Túbulo coletor.
    12. 12. NÉF R ON 1 milhão em cada rim Funções: -filtração glomerular -reabsorção tubular -secreção tubular
    13. 13. FUNÇÕES DOS RINS • Os rins realizam o trabalho principal do sistema urinário que é a filtração do sangue e a formação da urina, os rins contribuem para a homeostasia dos líquidos do corpo de várias maneiras. As funções dos rins incluem: • Regulação da composição iônica do sangue, Manutenção da osmolaridade do sangue, Regulação do volume sanguíneo, Regulação da pressão arterial, Regulação do pH do sangue, Liberação de hormônios, Regulação do nível de glicose no sangue e Excreção de resíduos e substâncias estranhas.
    14. 14. GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS • As glândulas supra-renais (adrenais) estão localizadas entre as faces supero-mediais dos rins e o diafragma. Cada glândula supra-renal, envolvida por uma cápsula fibrosa e um coxim de gordura, possui duas partes: o córtex e a medula supra-renal, ambas produzindo diferentes hormônios.
    15. 15. GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS • O córtex secreta hormônios essenciais à vida, enquanto que os hormônios medulares não são essenciais para a vida. A medula da supra-renal pode ser removida, sem causar efeitos que comprometem a vida. • A medula supra-renal secreta dois hormônios: epinefrina (adrenalina) e norepinefrina. Já o córtex supra-renal secreta os esteróides.
    16. 16. URETER • São dois tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga. • Órgãos pouco calibrosos, os ureteres têm menos de 6mm de diâmetro e 25 a 30cm de comprimento. • Pelve renal é a extremidade superior do ureter, localizada no interior do rim. • Descendo obliquamente para baixo e medialmente, o ureter percorre por diante da parede posterior do abdome, penetrando em seguida na cavidade pélvica, abrindo-se no óstio do ureter situado no assoalho da bexiga urinária.
    17. 17. BEXIGA • A bexiga urinária funciona como um reservatório temporário para o armazenamento da urina. Quando vazia, a bexiga está localizada inferiormente ao peritônio e posteriormente à sínfise púbica: quando cheia, ela se eleva para a cavidade abdominal. • É um órgão muscular oco, elástico que, nos homens situa-se diretamente anterior ao reto e, nas mulheres está à frente da vagina e abaixo do útero.
    18. 18. BEXIGA • A saída da bexiga urinária contém o músculo esfíncter chamada esfíncter interno, que se contrai involuntariamente, prevenindo o esvaziamento. Inferiormente ao músculo esfíncter, envolvendo a parte superior da uretra, está o esfíncter externo, que controlado voluntariamente, permitindo a resistência à necessidade de urinar. • A capacidade média da bexiga urinária é de 700 – 800ml; é menor nas mulheres porque o útero ocupa o espaço imediatamente acima da bexiga.
    19. 19. URETRA • A uretra é um tubo que conduz a urina da bexiga para o meio externo, sendo revestida por mucosa que contém grande quantidade de glândulas secretoras de muco. A uretra se abre para o exterior através do óstio externo da uretra. • A uretra é diferente entre os dois sexos.
    20. 20. SISTEMA GENITAL • Encontramos na espécie humana diferenças anatômicas sexuais entre homem e mulher que são muito relevantes para a procriação da espécie. • A célula reprodutora masculina recebe o nome de espermatozóide e a célula feminina é conhecida como óvulo.
    21. 21. SISTEMA GENITAL MASCULINO • CONSTITUINTES: • Testículos, • epidídimos, • ductos deferentes, • ductos ejaculatórios, • uretra, • vesículas seminais, • próstata, • glândulas bulbouretrais, • escroto e • pênis.
    22. 22. SISTEMA GENITAL MASCULINO • Os órgãos genitais masculinos podem ser divididos no órgão espermatogenético que é o testículo e em vias espermáticas incumbidas de armazenar temporariamente os espermatozóides até o momento de serem exteriorizados, quando então atravessam essas vias.
    23. 23. SISTEMA GENITAL MASCULINO • Junto às espermáticas (epidídimo, ducto deferente, ducto ejaculatório e uretra) encontramos diversas glândulas incumbidas da elaboração do líquido seminal (além do epidídimo, as vesículas seminais, próstata, glândula bulbo-uretrais e glândulas uretrais) que serve de vector para os espermatozóides.
    24. 24. ESCROTO • É uma dobra de pele situada na região anterior do períneo masculino onde estão alojados os testículos, epidídimos e início do cordão ou funículo espermático. Estrutura: • Pele. • Túnica Dartos (músculo liso). • Túnica albugínea • Septo.
    25. 25. TESTÍCULOS • São órgão de característica oval, capazes de produzir os gametas masculinos (espermatozóides – espermatogênese) e hormônios sexuais (testosterona). • O testículo é um órgão par (direito e esquerdo), situado numa bolsa músculo-cutânea, denominada escroto, encontra-se na região anterior do períneo, logo por trás do pênis. • A túnica albugínea envia para o interior do testículo delgado septos conhecidos como séptulos do testículos, os quais subdividem-nos em lóbulos.
    26. 26. TESTÍCULOS • Nos lóbulos dos testículos encontramos grande quantidade de finos longos e sinuosos ductos, de calibre quase capilar, que são denominados túbulos seminíferos contorcidos. • E nesses túbulos seminíferos contorcidos que se formam os espermatozóides.
    27. 27. EPIDÍDIMO • O epidídimo, estende-se longitudinalmente na borda posterior do testículo. • Ele apresenta uma dilatação superior que ultrapassa o pólo superior do testículo, que é denominada cabeça; um seguimento intermediário que é o corpo e inferiormente, uma porção mais estreitada, que é a cauda do epidídimo.
    28. 28. EPIDÍDIMO • Na cabeça do epidídimo, os ductulos eferentes do testículos continuam por ductulos novamente muito tortuosos que em seguida vão se anastomosando sucessivamente para constituir um único tubo que é o ducto do epidídimo.
    29. 29. DUCTO DEFERENTE • O ducto deferente é um longo e fino tubo par, de paredes espessas, o que permite identifica-lo facilmente pela palpação, por se apresentar como um cordão uniforme, liso e duro, o que o distingue dos elementos que o cercam, que são de consistência muito branca. • Próximo à sua terminação o ducto deferente apresenta uma dilatação que recebe o nome de ampola do ducto deferente.
    30. 30. DUCTO EJACULATÓRIO • É um fino tubo, par, que penetra pela face posterior da próstata atravessando seu parênquima para ir se abrir, por um pequeno orifício, no colículo seminal da uretra prostática, ao lado do forame do utrículo prostático. • Estruturalmente o ducto ejaculatório assim como a vesícula seminal, tem a mesma constituição do ducto deferente, apresentando três túnicas concêntricas: adventícia, muscular e mucosa.
    31. 31. VESÍCULA SEMINAL • A vesícula seminal é um órgão par que se situa lateralmente à ampola do ducto deferente, por baixo do trígono da bexiga urinária. • Sua secreção contribui para a constituição do líquido seminal.
    32. 32. PRÓSTATA • A próstata é mais uma glândula, cuja secreção é acrescentada ao líquido seminal. • Sua base está encostada no colo da bexiga e a primeira porção da uretra perfura-a longitudinalmente pelo seu centro, da base ao ápice. • Sendo ligeiramente achatada no sentido antero-posterior, ela apresenta uma face anterior e outra posterior, e de cada lado, faces inferolaterais.
    33. 33. PRÓSTATA • Estruturalmente, a próstata é envolta por uma cápsula constituída por tecido conjuntivo e fibras musculares lisas e da qual partem finas trabéculas que se dirigem para a profundidade do parênquima. • Participando de seu arcabouço, encontramos fibras musculares estriadas que parecem derivar do músculo esfíncter da uretra.
    34. 34. GLÂNDULAS BULBO-URETRAIS • As glândulas bulbo-uretrais são pares e do tamanho aproximadamente de um grão de ervilha e contidas na espessura do músculo transverso profundo do períneo. • De cada glândula bulbo-ureteral parte um fino e longo ducto excretor que atravessa o bulbo do pênis para desembocar na uretra.
    35. 35. PÊNIS • O pênis o órgão erétil e copulador masculino. • Ele é representado por uma formação cilindróide que se prende à região mais anterior do períneo, e cuja extremidade livre é arredondada. • O tecido que tem a capacidade de se encher e esvaziar de sangue forma três cilindros, dos quais dois são pares (direito e esquerdo) e se situam paralelamente, por cima (considerando-se o pênis em posição horizontal ou semi-ereto) e o terceiro é impar e mediano, e situa-se longitudinalmente, por baixo dos dois precedentes.
    36. 36. PÊNIS • Os dois cilindros superiores recebem o nome de corpos cavernosos, do pênis e o inferior, de corpo esponjoso do pênis. • O pênis, portanto, poderia ser subdividido em raiz, corpo e glande.
    37. 37. SISTEMA GENITAL FEMININO • I – INTRODUÇÃO: • Constituintes: • ovários, • tubas uterinas, • útero, • vagina, • vulva e • glândulas vestibulares.
    38. 38. SISTEMA GENITAL FEMININO Órgãos internos: Estão localizados no interior da pelve e consistem de: • Ovários • Tubas uterinas • Útero • Vagina
    39. 39. SISTEMA GENITAL FEMININO • Os órgãos genitais femininos são incumbidos da produção dos óvulos, e depois da fecundação destes pelos espermatozóides, oferecem condições para o desenvolvimento até o nascimento do novo ser.
    40. 40. OVÁRIOS • O ovário é um órgão par comparável a uma amêndoa com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura. • Ele está situado por trás do ligamento largo do útero e logo abaixo da tuba uterina, sendo que seu grande eixo se coloca paralelamente a esta.
    41. 41. OVÁRIOS • Os ovários são mantidos em uma posição estável dentro da cavidade abdominal por diversos ligamentos. São eles: • Ligamento largo • Mesovário • Ligamento próprio do ovário • Ligamento suspensor do ovário.
    42. 42. TUBAS UTERINAS • Tuba uterina é um tubo par que se implanta de cada lado no respectivo ângulo latero-superior do útero, e se projeta lateralmente, representando os ramos horizontais do tubo. • Esse tubo é irregular quanto ao calibre, apresentando aproximadamente 10cm de comprimento.
    43. 43. TUBAS UTERINAS • Ele vai se dilatando á medida que se afasta do útero, abrindo-se distalmente por um verdadeiro funil de borda franjada. • A tuba uterina divide-se em 4 regiões, que no sentido médio-lateral são: parte uterina, istmo, ampola e infundíbulo.
    44. 44. ÚTERO • O útero é um órgão oco, impar e mediano, em forma de uma pêra invertida, achatada na sentido antero-posterior, que emerge do centro do períneo, para o interior da cavidade pelvina. • Localizado na cavidade pélvica, atrás da bexiga urinária e a frente do colo sigmóide e do reto. • Na parte media, o útero apresenta um estrangulamento denominado istmo do útero.
    45. 45. ÚTERO • A parte superior ao istmo recebe o nome de corpo do útero e a inferior constitui a cérvix (colo). • A extremidade superior do corpo do útero, ou seja, a parte que se situa acima da implantação das tubas uterinas, tem o nome de fundo do útero. • A cérvix do útero, é subdividida em duas porções por um plano transversal que passa pela sua parte media, que são as porções supravaginal e vaginal.
    46. 46. Divisões Istmo nulípara multípara Cavidade Uterina Canal do colo do útero Fundo Corpo Colo
    47. 47. ÚTERO • Tamanho: 7,5 cm de comprimento e 5 cm de largura em sua posição mais larga • Peso: 30 a 45 gramas
    48. 48. ÚTERO Principais ligamentos do útero • Ligamentos largos • Ligamentos redondos • Ligamentos uterossacrais • Ligamentos cardinais • Ligamentos vesicouterinos • Ligamentos retrouterinos • Ligamentos sacrogenitais • Diafragma pélvico → levantador do ânus e seus revestimentos fasciais
    49. 49. VAGINA • É o órgão feminino da cópula, servindo também para a passagem do feto durante o parto. Comunica-se com o útero através do óstio uterino e com o exterior através do óstio da vagina, que se localiza no vestíbulo da vagina. • É um tubo musculomembranoso de aproximadamente 10cm de comprimento.
    50. 50. VAGINA • Está situada dorsalmente a bexiga e ventral ao reto, seu eixo forma um ângulo de 90º com o útero, sendo desta forma anatomicamente preparado para receber o pênis. • Perto da entrada da vagina, a mucosa usualmente forma uma prega vascular denominada hímem
    51. 51. ÓRGÃOS EXTERNOS • VULVA (pudendo feminino). • Conceito: É o conjunto de órgãos externos do sistema genital feminino. – Constituição: • Monte púbico • Lábios maiores • Lábios menores • Clitóris • Rima do pudendo • Vestíbulo da vagina – Óstio da Vagina – Óstio externo da uretra
    52. 52. ÓRGÃOS EXTERNOS • VULVA (pudendo feminino). • Constituição: • Monte púbico - região de formato triangular, inferior a sínfise púbica, pele e gordura, e pêlos após a puberdade. • Lábios maiores - duas pregas cutâneas revestidas de pêlos. • Lábios menores - prega mucosa, úmida, avermelhada e brilhante. • Clitóris - formação de tecido erétil, similar ao pênis masculino e da qual se projeta apenas a glande. • Rima do pudendo - espaço entre os grandes lábios. • Vestíbulo da vagina - espaço delimitado pelos pequenos lábios, onde se abrem: – Óstio da Vagina - na mulher virgem, apresenta uma membrana, o hímen. – Óstio externo da uretra
    53. 53. Anatomia da Mama MAMA ADULTA • Situa-se entre a 2ª e a 6ª costela no eixo vertical entre o bordo externo do esterno e a linha médio-axilar no eixo horizontal, prolongando-se para a axila através do prolongamento axilar de Spence • A mama é constituída por: – pele – tecido subcutâneo – tecido mamário: • parênquima • estroma
    54. 54. Anatomia da Mama • A mama é envolvida por tecido fascial, superficial e profundo. Ligando as duas fascias existe uma banda fibrosa que representa o suporte natural da mama e permite a sua mobilidade- Ligamento Suspensor de Cooper
    55. 55. Fig. 2 – Drenagem linfática da mama: grupos ganglionares
    56. 56. Considerações iniciais Morfologia das glândulas mamárias humanas Três porções são distintas anatomicamente: a glândula em si, a aréola e a papila mamária. glândula mamária = 15 a 20 lobos mamários independentes. Um lobo é formado pelas unidades funcionais, os lóbulos dos quais convergem os ductos que formarão Macéa & Fregnani, 2006. http://www.scielo.cl/scielo.php?pid=s0717-95022006000500030&script=sci_arttext o ducto lactífero. Cada lobo possui um ducto lactífero principal que se abre separadamente na papila mamária. Um lóbulo é formado por um conjunto de ácinos mamários.

    ×