Introdução à anatomia human enfermagem

301 visualizações

Publicada em

Introdução à anatomia human enfermagem

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
301
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução à anatomia human enfermagem

  1. 1. Introdução à anatomia humana. Conceito: Anatomia - palavra grega que significa cortar em partes, cortar separado sem destruir os elementos componentes. O equivalente em português é dissecação. Anatomia é à parte da biologia que estuda a morfologia ou estrutura dos seres vivos. Já em 1543 De Fabrica escreveu que a Anatomia deve ser o alicerce de toda a arte da medicina e sua preliminar essencial. Pode-se dividi-la em macroscópica e microscópica, fazendo com que ela introduza o estudante na terminologia anatômica. NOMENCLATURA ANATÔMICA Como referencial ao estudo da Anatomia deve-se utilizar uma posição denominada anatômica e padrão para todos os países: indivíduo ereto; cabeça, olhos e dedos dos pés voltados anteriormente; membros superiores pendentes ao lado do corpo com a palma das mãos voltadas para frente.
  2. 2. Existem diversos planos de corte para facilitar o entendimento diante do referencial anteriormente citado: Plano sagital. Corta o corpo no sentido antero-posterior; quando passa bem no meio do corpo, sobre a linha sagital mediana, é chamado de sagital mediano. Determina duas porções semelhantes. Plano frontal. Corta o corpo lateralmente, de orelha a orelha, determinando uma porção anterior e outra posterior.
  3. 3. Plano transversal. Corta o corpo transversalmente, determinado uma porção superior e outra inferior. Para localização de estruturas em relação a estes planos deve-se utilizar a seguinte terminologia: Plano Cranial (Superior): Se dividirmos o corpo ao meio no plano transversal, a parte cranial ou superior estaria acima do corte. Plano Caudal (Inferior): Se dividirmos o corpo ao meio no plano transversal, a parte caudal ou inferior estaria abaixo do corte.
  4. 4. Plano Ventral (Anterior): Se dividirmos o corpo em duas partes pelo plano sagital, a parte da "frente" do corpo seria a ventral ou anterior. Plano Dorsal (Posterior): Se dividirmos o corpo em duas partes pelo plano sagital, a parte de "trás" do corpo seria a dorsal ou posterior. Plano lateral direito e esquerdo: É denominada quando é feito um corte coronal. O corpo é dividido em duas partes: uma direita e uma esquerda.
  5. 5. Obs. Em relação às mãos, a região anterior é denominada palmar e a posterior dorsal. Quanto aos pés, a região inferior é chamada de plantar e a superior dorsal. Termos de comparação: Proximal e distal: próximo ou afastado da raiz de implantação do membro. Próximo ou afastado da origem do vaso. Indicam a direção para a extremidade fixa do membro ou a oposta. Superficial e Profundo: mais próximo ou afastando da superfície. Homolateral (Ipsilateral) e Contralateral: mesmo lado e lado oposto.
  6. 6. Medial e lateral: mais próximo ou mais afastado da linha sagital mediana (plano mediano). Divisão do corpo humano: Classicamente o corpo humano é dividido em cabeça, tronco e membros. A cabeça se divide em face e crânio.
  7. 7. O tronco em pescoço, tórax e abdome. Os membros em superiores e inferiores. Os membros superiores são divididos em ombro, braço, antebraço e mão.
  8. 8. Os membros inferiores são divididos em quadril, coxa, perna e pé. Divisão da anatomia humana: Osteologia: parte da anatomia que estuda os ossos. Funções dos ossos: Proteção Órgãos mais frágeis situados nas cavidades são protegidos por estruturas ósseas como, por exemplo: medula neural, coração e pulmões. A figura representa uma estrutura mais rústica protegendo uma muito mais frágil. Podemos considerar os ossos como essa estrutura mais rústica e o neném os frágeis, fundamentais à vida... Sustentação Assim como os prédios, os corpos dos animais também precisam de fortes bases estruturais de sustentação. Assim é com os seres humanos cada um tem um esqueleto diferente para adaptar-se ao meio e sustentar, como nas girafas, a cabeça, para a boca ficar o mais próximo possível de brotos de árvores.
  9. 9. Armazenar minerais e íons Os sais de cálcio, fósforo e magnésio nos ossos proporcionam uma reserva mineral para o corpo Funciona como alavanca para a movimentação Age como componente passivo de um movimento, sendo os músculos a parte ativa. Produz células sanguíneas (hematopoiese) As extremidades dos ossos mais longos produzem sangue. Lá a osteoarquitetura é trabeculada, onde células pluripotenciais (stem cells) se inserem e acabam povoando o osso para produzirem células sanguíneas. Auto - remodelamento Os ossos também têm a capacidade do auto-remodelamento, para que seja possível a adaptação da postura ao meio que é exigido. Mulheres por exemplo, ao usarem por muito tempo salto baixo, vão a uma festa com salto alto, não demora muito, começam a sentir dores nas pernas. Esse é um sinal de que seu aprumo não está correto, ou seja, os ossos não se adaptaram ainda e não se remodelaram para uma melhor distribuição de peso. O mesmo ocorre no inverso. Outros exemplos são os desvios de coluna, por vícios de posição e postura, causando a escoliose, lordose ou cifose. Divisão do esqueleto ósseo: 1. esqueleto axial = representado pela coluna vertebral, cabeça e tórax; 2. apendicular = representado pelos membros torácico e pélvico; Número de ossos: No total existem 208 ossos no corpo humano, número que pode variar de acordo com o número de ossos sesamóides, que são pequenos ossos interarticulares. O mais conhecido é a patela ( antiga rótula ). Classificação dos ossos: Os ossos apresentam variações no seu formato, dependendo da sua função. Assim, podemos compará-los a formas geométricas e classificá-los:
  10. 10. Longos – são de forma tubular e possuem um corpo (diáfise) e duas extremidades, que são côncavas ou convexas. O comprimento dos ossos longos é maior que sua largura, embora alguns ossos longos sejam pequenos (p. ex., nos dedos). Curtos – são de forma cubóide e encontrados apenas no pé e no pulso, p. ex., os ossos do carpo. Apresentam seis faces, das quais quatro ou menos são articulares e duas ou mais são para fixação de tendões e ligamentos e para entrada de vasos sanguíneos. Planos - consistem em duas placas de osso compacto com osso esponjoso e medula entre elas, p.ex., os ossos da calvária (abóbada craniana), o externo e a escápula (exceto pela parte delgada desse osso). Pneumáticos – contém cavidades (células) aeríferas ou seios, p.ex., as células aeríferas mastóideas na parte mastóidea do osso temporal e os seios paranasais. Irregulares – exibem formas variadas (p. ex., ossos da face e vértebras). Os corpos das vértebras possuem algumas características de ossos longos. Sesamóides - são nódulos ósseos arredondados ou ovais que se desenvolvem em certos tendões (p. ex., a patela no tendão do quadríceps da coxa, e o pisiforme no tendão do flexor ulnar do carpo). Miologia. Definição: É parte da anatomia que estuda os músculos e seus anexos. Músculos Os músculos nos permitem mover de um lugar a outro (locomoção) e mover várias partes do nosso corpo em relação a outras. O movimento é realizado por células especializadas denominadas fibras musculares. A contratilidade é altamente desenvolvida no tecido muscular. Constituição Muscular VENTRE é a parte carnosa, constituída por fibras musculares que se contraem. TENDÃO é a parte não contrátil e esta localizado nas extremidades dos músculos. É composto de tecido conjuntivo resistente e esbranquiçado.
  11. 11. Tipos de músculos: a) Músculos da vida animal (músculos voluntários ou estriados): Contrai-se por influência da vontade. b) Músculos da vida vegetativa (músculos involuntários ou lisos): Não depende da nossa vontade para contrair-se, estão localizados nos aparelhos digestivo, respiratórios e genito-urinário. Músculos Estriados: Quanto à situação: a) Superficiais ou Cutâneos: estão logo abaixo do tegumento, e apresentam no mínimo uma de suas inserções na camada profunda da derme, estão localizados na cabeça (crânio e face), no pescoço e na mão (região hipotenar). b) Profundos ou Subaponeuróticos: são músculos que não apresentam inserções na camada profunda da derme e na maioria das vezes se insere em ossos. Quanto à Forma: a) Longos: quando o comprimento predomina sobre a largura e espessura. Ex: Bíceps.
  12. 12. b) Largos: quando duas medidas se equivalente (comprimento e largura predominam sobre a espessura). Ex: Rombóide. c) Curtos: as três medidas se eqüivalem . Ex: Quadrado Femural. d) Leque: fibras em forma de um leque. Ex: Peitoral Maior. e) Mistos: quando não entram na classificação de longos, largos e curtos. Os músculos ainda podem ser unipenados (Extensor Longo dos Dedos do Pé) e bipenados (Reto Femural). Artrologia O sistema articular consiste em articulações onde dois ou mais ossos relacionam- se entre si na sua região de contato. O estudo das articulações é chamado de artrologia. É importante compreender que nem todas as articulações realizam movimento. Na verdade, os dois primeiros tipos de articulações a serem descritas são imóveis ou são articulações de movimentos ligeiros unidas por várias faixas fibrosas ou por cartilagem. Essas articulações estão mais adaptadas ao crescimento, em vez de movimento. O segundo grupo de articulações inclui a maioria das articulações do organismo, que são adaptadas para o movimento. CLASSIFICAÇÃO DAS ARTICULAÇÕES • Funcional • Às vezes as articulações são classificadas conforme sua função, em vez da sua capacidade de movimento. Os três tipos funcionais mais comuns são: • Sinartroses - Articulações imóveis • Anfiartroses - Movimentos limitados • Diartroses - Articulação de movimentação livre Estrutural • É uma classificação estrutural baseada no tipo de tecido que separa as extremidades do osso. As três classificações estruturais estão baseadas nos três tipos de tecido que separam os limites ósseos das diferentes articulações Articulações fibrosas • As articulações fibrosas selam uma cavidade articular. Os três tipos de articulações fibrosas são a sindesmose, que são ligeiramente móveis; as suturas, que são imóveis; e as gonfoses, que são um tipo único de articulação com movimentos muito limitados Sindesmoses
  13. 13. • A única verdadeira sindesmose no corpo é a articulação tibio fibular distal. Os ligamentos fibrosos unem a tíbia distal com a fíbula nessa articulação, que é ligeiramente móvel. Gonfose • É um terceiro tipo singular de articulação na qual um processo cônico é inserido em um encaixe no osso. Articulações Cartilaginosas • As articulações cartilaginosas também vedam uma cavidade, e as articulações dos ossos são firmemente unidas por uma cartilagem. Assim como as articulações fibrosas, elas permitem movimentos discretos ou nenhum
  14. 14. movimento. Além disso, essas articulações são também sinartrodiais ou anfiartrodiais e são unidas por dois tipos de cartilagem, as sínfises e as sincondroses. Sínfises • O aspecto essencial de uma articulação do tipo sínfise é a presença de um disco largo e plano de fibrocartilagem entre duas superfícies ósseas contíguas. Esses discos de fibrocartilagem formam almofadas relativamente grossas que são capazes de serem comprimidas ou deslocadas, permitindo dessa forma a esses ossos alguns movimentos, o que faz essas articulações serem anfiartrodiais (movimentos discretos). Sincondroses • Uma sincondrose típica é uma forma temporária de articulação em que a cartilagem hialina de conexão é convertida em osso na idade adulta. Esses tipos temporários de articulação de crescimento são considerados sinartrodiais ou imóveis.
  15. 15. Articulações Sinoviais • A terceira classificação das articulações é as sinoviais, que são livremente móvel, a maioria delas nos membros superiores e inferiores, caracterizadas por uma cápsula fibrosa contendo em seu interior líquido sinovial. As terminações ósseas que formam a articulação sinovial podem ter contato entre si mas são completamente separadas e contêm um espaço articular e uma cavidade, permitindo que essas articulações tenham movimentos de grande amplitude. As articulações simoviais são geralmente diartrodiais ou livremente móveis. • As terminações expostas desses ossos contêm uma fina camada protetora de cartilagem articular hialina. A cavidade articular, que contém um líquido sinovial lubrificante e viscoso, é fechada e coberta por uma cápsula fibrosa, reforçada pelos ligamentos acessórios. Esses ligamentos limitam o movimento em direções indesejadas. A superfície interna da cápsula fibrosa é a responsável pela secreção do líquido sinovial lubrificante.

×