tnownoa-A

lusvncltvuu

 
 

 

¡Esuunnux
f' '
« <;  CINÍÉD
XXIII clclo de Palestras sobre Novas
Tecnologias na Educação
F...
v
4

w¡ ' 1

WWF

(V. 

_, ._r
l

UNIVERSIDADE FEDERAL
DO RIO GRANDE DO SUI. 

CINTED

f?  s sc í: : re W oval a
Pr «ãã nã...
METODOLOGIA

RESULTADOS

 

REFERÊNCIAS

um.  ..  g nanmx Ynl/ VAIÀV!  com. ” eu. .. ¡nafmmnmpyua!  em". .. . ..m ma hmm¡
...
CINIED

P
' XX! !! Ciclo de Palestras sobre Novas
Tecnologias na Educação

II APRENDER COM MOBILIDADE: 
Utilização das Tec...
XXIII Ciclo de Palestras sobre Novas
Tecnologias na Educação

. '-P'R'= EI"I3=E'R C CM ¡viCiZiI| -Iií3.'-*)ífE: 
Utilizaçã...
A weh 1.o.  segunda geração na imemn.  ro¡
possibilitou:  voc* recursos ae somam
memos em ! comme de uso/ multado. 
¡aienç...
A ureb 2.0, segunda geração da internet,  foi
possibilitada por recursos de software
baseados em facilidade de uso/ public...
O acesso aos recursos da web 2.0 é cada vez mais efetuado
através das Tecnologias da Informação e Comunicação

Móveis e Se...
u¡ *.04*
,  -_. _

No Brasil,  alunos impossibilitados de comparecer
às aulas são beneficiados com o exercício
domiciliar,...
A web 1.o.  segunda geração da internet,  foi
possibilitada por recursos de software
baseados em facilidade de uso/ public...
ferramentas da web 2.0

i

TIMS

l

exercício domiciliar
P R:    LEix/ irí).  »tic-z Fi2:i: ii. :i: ra_

Como o potencial de cooperação das ferramentas
da web 2.0, acessadas por m...
iii ; Jiiiaeiai 

F

 

Y-r-w

Tendência crescente de mobilidade
de pessoas,  objetos e informação. 

Dispositivos móveis ...
OBJETIVOS

Analisar como o potencial de cooperação das
ferramentas da web 2.0, acessadas por meio de
dispositivos móveis, ...
Analisar como o potencial de cooperação das
ferramentas da web 2.0, acessadas por meio de
dispositivos móveis,  pode oport...
Identificar e descrever a
situação inicial do problema, 
descrevendo o procedimento

do exercicio domiciliar
Selecionar e avaliar
'ferramentas da web 2,0 com
potencial de uso educativo
para aplicação da proposta.
Desenvolver proposta para
promover cooperação do aluno
em exercicio domiciliar com o

contexto escolar,  utilizando

TIMS ...
validar a proposta
a partir da utilização com
i alunos em exercicio domiciliar
I e
colegas da classe regular.
› Analisar os resultados obtidos, 
cruzando-os com as categorias
de análise provenientes do
referencial teórico.
Identificar e descrever a
situaçao inicial do problema,  4
descrevendo o procedimento
do exercicio domiciliar

Selecionar ...
METODOLOGIA

PARTICIPANTES

  

CARACTERIZAÇÃO
da PESQUISA

       
  

 
 
  

INSTRUMENTOS

  
   

- Mixer/ ação partic...
CARAKZTERlZl-ÇÃJIB
 PESQUISA
Abordagem qualitativa

Analisa relações dinâmicas entre o

mundo real e o sujeito,  intraduzíveis em
números (MINAYO,  200...
Categoria da pesquisa

Estudo de caso: 
*fenômeno contemporâneo dentro da vida real; 

* limites indefinidos entre fenômen...
PARTICIPANTES

 

A AMO atende cerca de 60 pacientes,  entre 6 e 18
anos,  com diagnóstico oncológico,  Quando em
tratamen...
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO - participantes

- vinculação à AMO; 

- estar em tratamento de saúde; 

- idade minima:  13 anos; 

...
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO - participantes
vinculação à AMO; 

estar em tratamento de saúde; 

idade mínima:  13 anos; 

ano esc...
2 alunos,  gênero masculino

  

- 14 e 16 anos
-7°ano
- escola pública de Novo Hamburgo
colegas da turma regular

- média 30 alunos por turma
professor regente de
cada turma

-I-

direção das escolas
lí  lLÍ'"I7:_I,  I lili EI ITiÍi Í

 

- observação participante (ANGROSINO,  2009)
- entrevista semi-estruturada (GIL,  2...
lill _l  l. . l  lif  l l 

SELEÇÃO FORMATAÇÃO e APLICAÇÃO ANÁLISE DOS
REVISÃO TEóRIcA DAS FERRAMENTAS DA PRoPosTA RESULTA...
e

REVISÃO TEóRIcA

- interação e cooperação em processos educativos;  

- aprendizagem mediada pelas tecnologias digitais...
REVISÃO TEóRIcA

- interação e cooperação em processos educativos; 
- aprendizagem mediada pelas tecnologias digitais
- fe...
SELEÇÃO das
FERRAMENTAS

- Coutinho & BottentuitJr.  (2007)
- Sollis eJess3 (2013)

- Hart (2013)
5/

 
     
   
       
...
V¡ e. 

  r  
ls l :  l . l   l i l: l Ii i   _i '

- Coutinho & BottentuitJr.  (2007)
e Sollis eJess3 (2013)

_ , r u¡ m"...
UP/ DOVIIN
since 2011

UP 11

DOWN 3
UP 11
UP 5
UP 1

DOWN 1
UP 5

DOWN 4
DOWN 7

DOWN 3

UP 9
DOWN 5
UP 23
UP 11

rank

D...
UP 11 |  20 | Yammer | Pn'vate sodalnetworldng engine |  (x) |  x |  x | 

CRITÉRIOS

- utilização educacional
Hart (2013)...
.Tíí, 

vmar

uma: 

oogle Docs/ Drive

oogle Search

'ordpless

'opbox

rype

: werPo l nt

IDCDOOI(

'impedia

DOUIE

re...
FERRAMENTA DESCRIÇÃO

/  YOIIl iiillil;  Compartilhamento de vídeos
Í  Prezi Software de apresentação
/  .WORDPRESS Ferram...
FORMATAçÃo e APLICAÇÃO DA PROPOSTA

~ Elaboração conjunta entre
pesquisador <~->professor
- Duraçàuzzlaulassemanas)

  

P...
-Elabor ' conjunta entre

FO RMATAÇÃO e AÃO DA PROPOSTA

w . . to ç pesqu¡ r <--->professor
* “ v e Duração:  4 aulas(sema...
PROPOSTA I

- Elaboração conjunta entre
pesquisador <--->professor

l- Duração:  4 aulas(semanas)
~Íl. 'r'L= .iq_; :ãit~ «íie Llrrr inicial. 
CZE um cn:  IrIit: a.-. L)míi<: › <iia'i*iri'iuíl«t: ~
[IFFHÍI çlr«íii'êr: z:;...
?Kitts--tnlçvzw ? i'ÍliÍli'ê“
»Líi'c. iarz: tfnarz1 »ílm <: :~: Irrta'IcÇi«íi«í~ A-l-l-“TÍT-i* *¡*ã"'”= 'i3='-l“ '~"r°"'*°...
.Íi? .,li”

e ÊILPIJÍVÍ : L ; afim f-c: I«;7-u: jr'«íí *ÍÍI Õuifu| _Í'_i'_l7i'iÍÍÍ¡

 

 

_ __ _ . _.__ . _ _ . _ l_ _ _;...
PÓS-APLICAÇÃO

   
  

QUESTIONÁRIOS

- professor regente
- alunos em exercício domiciliar
- colegas da turma regular
V pesquisador <--->professor
"   Duração:  4 aulas(semanas)

? 'HÍÔ~. A'I. "L. ITÍÍE : si: 

EINTFIIÉYÍÍIÍÍE~

[nlilgílli ...
A; ÍIr; '-7)i-iCiE i3::  :

RES U i-". =«  4 C S

CATEGORIAS

- escola e exercício domiciliar; 
- escola e tecnologias dig...
CATEGORIAS

- escola e exercício domiciliar; 
- escola e tecnologias digitais ; 
- formação docente; 

- TIMS e interação;...
A ESCOLA E O EXERCICIO DOMICILIAR

vs:  1mm

m mam e-nque e wruuonlulduVIQIeImUurIMIIaúJLd
uma:  n oumnniv m vmvhmta an ; ...
:j:  - V lj¡ - .  ¡-  ' I Íuii 'A' 11s, 

MEC (2002)

No formato em que é operacionalizado pelas escolas analisadas,  o
ex...
Essa parte é mais complicada.  O aluno deve acompanhar a
matéria de onde parou.  O aluno deve buscar os conteúdos

perdido...
,__, .  _. ... :_.  _. ,._. . . ._
ll _'13

Brasil (2012)

Fagundes e Hoffmann (2002)
Primo e Smaniotto (2006)
Almeida (20...
Gosto muito de utilizar as tecnologias em sala de aula,  mas fico
preso aos equipamentos,  que muitas vezes não funcionam....
as

_ M _ n - Wal,  It lt

n¡ z u à* ,  .s _t
1 . à ,  H . l 1 1 . ” l ,  Z ~l . J ,  ú L 1 Z 1

Moreira e Silva (2001)
Za...
“Há fragilidade na capacitação dos professores,  o que impacta diretamente

a utilização dos laboratórios como suporte tec...
As TIMS e a interação

Piaget (1973)
Quintanar (2010)
Saccol et al (2011)
Primo (2000)

As ferramentas da web 2.0 utilizad...
IÍITERI-ÇÃ. O REATHIIÀ (Primo,  2000)

Gostei do blog_, v(KV,  aluno da escola A). 
Achei legal (A,  aluna escola A)
Goste...
Uma pessoa com dieta rica em proteína deve ingerir
bastante água porque proteinas necessitam de liquido
para serem dissolv...
Resposta  (ALUNO B,  escola B)

Réplica à resposta 1

Tréplica à resposta (1

Resposta ao ALUNO B. 

Resposta g (N e B,  e...
As TIMS e a cooperação

Piaget (1973)
Dron e Anderson (2007)
Heppel (2012)

A utilização das ferramentas ocupou os epaços ...
Por que qualquer pessoa tem que ingerir uma grande
quantidade de água para ficar saudável e hidratada e também
quem consom...
l' Éll l

 

nmvtrwpbarvútnbvbérvidwmbà
rwkncàbrmpbmlcrueasistgmm
dwltbiomvyosmpwldcfyüoacprotcím
abonwbcmtnbsncéhduxispst...
t: : Ma¡ .  Il¡ 111W ,  É!  ' E II¡ . ,_ -Sei ? gl I¡ -A

IDC Brasil (2012)
CGI (2012)

Saccol et al (2011)
Lemos (2009)

...
RlÍiSSlBll. IDr'-DES DE
ESTUDOS FUTUROS

- Estender este estudo (indicativo) para um nivel mais amplo

(representativo),  ...
v

REFERÊNCIAS

DRON,  Jon & ANDERSON,  Terry (2007).  Collectives,  Networks and Groups in Social Software for e-Learning...
METODOLOGIA

  onimvos

   

JUSTIFICATIVA

Tenllnciznestent . moinhos
de pessoas,  .. sms e informação

p , .. » .  .V.  ...
XXIII Ciclo de Palestras sobre Novas
Tecnologias na Educação

5 APRENDER COM MOBILIDADE: 

Utilização das Tecnologias da I...
Apresentação disponível em
prezi. com/ user/ claudiodelima

i l c1audiode1ima. Wordpress. com

 

twitter. com/ Claudiodel...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

APRENDIZAGEM COM MOBILIDADE: TIMS como potencializadoras da interação em processos educativos

671 visualizações

Publicada em

Apresentação no XXIII Ciclo de Palestras Novas Tecnologias na Educação - UFRGS Porto Alegre - Julho de 2014 * O acesso aos recursos da web 2.0 é cada vez mais realizado com o uso das TIMS (Tecnologias de Informação e Comunicação Móveis e Sem Fio). Este estudo teve como objetivo investigar como o potencial de interação e cooperação das ferramentas da web 2.0, acessadas por meio das TIMS, pode oportunizar a interação de alunos em exercício domiciliar com o contexto escolar. A metodologia envolveu um estudo de caso, com base em observação participante, diário de campo, entrevista e questionário. Resultados apontam que, apesar da necessidade de mais laboratórios de informática nas escolas, bem como suporte técnico e formação docente para utilização pedagógica das tecnologias digitais, as ferramentas da web 2.0, acessadas por meio das TIMS, oportunizam espaços de interação, cooperação e aprendizagem.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
671
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
152
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

APRENDIZAGEM COM MOBILIDADE: TIMS como potencializadoras da interação em processos educativos

  1. 1. tnownoa-A lusvncltvuu ¡Esuunnux f' ' « <; CINÍÉD XXIII clclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação FIBILEIAA: : m. . a . ..num
  2. 2. v 4 w¡ ' 1 WWF (V. _, ._r l UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUI. CINTED f? s sc í: : re W oval a Pr «ãã nã: :KÂ 'AwCEJyIÕÃC
  3. 3. METODOLOGIA RESULTADOS REFERÊNCIAS um. .. g nanmx Ynl/ VAIÀV! com. ” eu. .. ¡nafmmnmpyua! em". .. . ..m ma hmm¡ m »xmmuwu Lwmruvrdurrw. ln: mui! !! . .u. ..w. _u. ... ..w VWÍ «nqdwm m, Naum? ma, ... ._. ... .u«. ... . . r, nm ! naum u. : »taum manu tuhuudqul y mu. . u 'axuvmuuaul' um. . n: Mr: : mm . .. ucmu. ... ».. c.. ... ,mlxn. .. . .. num¡ uma. ummunmuuzmmw mumuwn : mn lmze-. wylzqlrxuwmcm zmnnnunnmmnIL-wImmm. o:L1lnAz&1mun› lrruarm _ -nn : m: ; zw 'ver-e (Axo/ ru) s. . Im: m. .. y w »msn uuwupulau . mu. r. .. m u»-A»›. w› m. . . m mm. ..m, m.. ... »_l. .u. u.. u.. ..u. ... y . um. , nm . .. -›u. .M. .,. ... ..unnmm. -m m. . n. amd-MAM . a . m» . »atuou lu Kalmvlvza sm Mr-mMmN m. »um . HIAVV sm. um”. aum um mu: : nn Inu! ! . ..mw wanna. ..” vnnvwuu-; u- In r. .. -hmm. mm . v . x n¡ íx à urnas uumuum lulu no no cum¡ no sm CINTED O cqmvos 0 XXIII Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação ANINMI Lou uaammm llllllnçh m Vncndopn 4. nlomuçh c : nau-numa uma e sem n. (amo ; aew : mam inunda Imuuwwn›¡l um. . (Mui-n r Uruana m. . amu» m' o. .." . ..mm Sousa u. .." : www m- Del-x¡ mm m um» coNTExro _G5 . / ]USTIFICATIVA lndam g 'rusrvww m- msm «an» ae names. numas e mtumuüa . y. .w. pg| vm[gmu* p_ rrrvg q g A munmoaae. ;um 25 Caramuru d¡ web 2o, pussmnltm Iepvtwmtin, mudou ¡kanu : :maos PROBLEMA de Pesquisa (uma n pmennal n. zanpeuaçaa nas ! Manitou/ s a. web m_ xeszdas por mem a: enganam "Lovers. mu: oportunizar¡ Inleraçin da alunas m examine mu. ” : nm o : amena exnuü
  4. 4. CINIED P ' XX! !! Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação II APRENDER COM MOBILIDADE: Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação Móveis e Sem fio como potencializadoras da interação em processos educativos Claudio Cleverson de Lima Orientação: Dra. Patrícia Brandalise Scherer Bassan¡ Co-orientação: Dra. Débora Nice Ferrari Barbosa
  5. 5. XXIII Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação . '-P'R'= EI"I3=E'R C CM ¡viCiZiI| -Iií3.'-*)ífE: Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação Móveis e Sem fio como potencializadoras da interação em processos educativos Claudio Cleverson de Lima Orientação: Dra. Patrícia Brandalise Scherer Bassan¡ Co-orientação: Dra. Débora Nice Ferrari Barbosa
  6. 6. A weh 1.o. segunda geração na imemn. ro¡ possibilitou: voc* recursos ae somam memos em ! comme de uso/ multado. ¡aienção e cooperação eme ns usuários os rwmaeam ao web 2 u mon-a . ..om “""'*"'°'" wins rtmrsmnawuslneudavez aurserennoo fla. . 1-( vemoioaias na Internação e (arrumação voveasesemriorvnis) rmehunksllhlgueslnmpímrlcs. .. .no-m u. escala. ' , u r I'I, .. .i , ii. ¡ii, iv , i _i . .i i IIIV" . - a manu-cone ae mandar o ¡Innce ao m: oe zul¡ z alunas Imvussrhlilzdm ÓEIÍEQIEWIÉ-'IJIISJHIN 4_'ll aiii _iii Iv: Vqnllvfh fGrII-Húlúlñ 'wa emu¡ hnkll-r No amu_ aluna ' nuslhilludasde : ocupante: ›s win¡ são Benellclados com o TVVVMÍV JUIHHJaI, doendo ltcthtv ameaavmpeae Mussarlasâ : Dmlmldidl das estudos num-m A Universidade reevaLe amo 11min a avu. Aux ; ao oe Asslnéncia em Onrdoqla, que atende iii 41 i. .IugIIV/ .ILU Ulkuugtu rm ia . ~ e_ a' que. em lnlamrntn. utilizam o exemuo domiciliar ; omni nau-mu;
  7. 7. A ureb 2.0, segunda geração da internet, foi possibilitada por recursos de software baseados em facilidade de uso/ publicação, interação e cooperação entre os usuários: as ferramentas da aieb .2.0. O'Reilly (2007) Primo (2007) Coutinho e Bottentuir Jr (2007)
  8. 8. O acesso aos recursos da web 2.0 é cada vez mais efetuado através das Tecnologias da Informação e Comunicação Móveis e Sem Fio (TIMS): notebooks, tablets e smartphones. Saccol et al (2011) Na escola, TIMS conectadas às ferramentas interativo- cooperativas da web 2.0 representa a possibilidade de estender o alcance da sala de aula a alunos impossibilitados de frequentá-la: a aprendizagem com mobilidade. Piaget (1973) Sharples (2000), Schlemmer et al (2007) Saccol et al (2011)
  9. 9. u¡ *.04* , -_. _ No Brasil, alunos impossibilitados de comparecer às aulas são beneficiados com o exercício domiciliar, devendo receber material/ suporte necessários à continuidade dos estudos. MEC (2002) A Universidade Feevale atua junto à AMO, Associação de Assistência em Oncologia, que atende pacientes com diagnóstico oncológico, em idade escolar que, em tratamento, utilizam o exercício domiciliar. AMO (2013) Barbosa (2013)
  10. 10. A web 1.o. segunda geração da internet, foi possibilitada por recursos de software baseados em facilidade de uso/ publicação. intenção e cooperação entre os usuários: as ferramentas da web Z U amami nua-n utultrnrlu-? i ÍUIÉIIIH ta¡ 1.0 TIMS IRUIIÍIÍOÍÚUIÚIIII' No Brasil, alunos rmpassi iicaaas de comparecer às aulas são beneficiados com o txt-unir: cionwziiiar, devendo receber matenlvsuporle necessários à continuidade dos estudos. uma! ) A Universidade Feevale atua iunto à rnviu, Associação de Assisténda em oncoiogia, que atende prr-irv. rw : ingnssirrr orrnin r, ei-i idade t: di que, em tratamento, utilizam o exercicio dom illar. um num uma mu! ) _i_ 7 aos recursos da web 1.o e cada ve¡ mais efetuado . . . r v; da, Temologlas da inrovrrragáa e Comunkação Moveis e sem Fio (rms): notebooks. tablets e smarlvhories. sumiram¡ Na estala, i ' i 'ir . ii ii¡'i'z» l. l'i<i| iVii cooperar . a, da web _u (e), 25ml. : a possibilid de de estender o alcance da sala de aula a alunos imoossib lnados de frequenta-iram iii'riuirgr'r"t. i r mini M» mim» snwrsumL m. ... ... .rimn s-unuuou)
  11. 11. ferramentas da web 2.0 i TIMS l exercício domiciliar
  12. 12. P R: LEix/ irí). »tic-z Fi2:i: ii. :i: ra_ Como o potencial de cooperação das ferramentas da web 2.0, acessadas por meio de dispositivos móveis, pode oportunizar a interação de alunos em exercicio domiciliar com o contexto escolar?
  13. 13. iii ; Jiiiaeiai F Y-r-w Tendência crescente de mobilidade de pessoas, objetos e informação. Dispositivos móveis permitem experiências pedagógicas diferenciadas. A mobilidade, aliada às ferramentas da web 2.0, possibilita representação, atuação e alcance diversos.
  14. 14. OBJETIVOS Analisar como o potencial de cooperação das ferramentas da web 2.0, acessadas por meio de dispositivos móveis, pode oportunizar a interação de alunos em exercício domiciliar com o contexto escolar Ecnnrn' ¡rnc Ama. ..” . ..mr
  15. 15. Analisar como o potencial de cooperação das ferramentas da web 2.0, acessadas por meio de dispositivos móveis, pode oportunizar a interação de alunos em exercício domiciliar com o contexto escolar.
  16. 16. Identificar e descrever a situação inicial do problema, descrevendo o procedimento do exercicio domiciliar
  17. 17. Selecionar e avaliar 'ferramentas da web 2,0 com potencial de uso educativo para aplicação da proposta.
  18. 18. Desenvolver proposta para promover cooperação do aluno em exercicio domiciliar com o contexto escolar, utilizando TIMS conectadas à web 2.0
  19. 19. validar a proposta a partir da utilização com i alunos em exercicio domiciliar I e colegas da classe regular.
  20. 20. › Analisar os resultados obtidos, cruzando-os com as categorias de análise provenientes do referencial teórico.
  21. 21. Identificar e descrever a situaçao inicial do problema, 4 descrevendo o procedimento do exercicio domiciliar Selecionar e avaliar ferramentas da web 2 O com potencial de r~ ›1~r. para aplicação da proposta. OBJETIVOS Geral Analisar como o potencial de cooperação das ferramentas da web 2.o. acessadas por mrra de dispositivos moveis. pode oportunizar a interação de alunos em exercício domicillar (um o contexto escolar. Especiricos Desenvolver proposta para promover cooperação do aluno em exercicio domiciliar com o contexto escolar, utilizando TIMS conectadas à web 1.0 › validar a proposta a partir da utilização com alunos em exercicio domiciliar e colegas da classe regular. Analisar os resultados obtidos, cruzando-os com as categorias de análise provenientes do referencial teórico.
  22. 22. METODOLOGIA PARTICIPANTES CARACTERIZAÇÃO da PESQUISA INSTRUMENTOS - Mixer/ ação participante uumosmo, - emevmz -mrumuna (an. 2002 ~ wenlonáv¡ L INI) ' : travam de : #060 (uns u. Insuuln à-o-o-o
  23. 23. CARAKZTERlZl-ÇÃJIB PESQUISA
  24. 24. Abordagem qualitativa Analisa relações dinâmicas entre o mundo real e o sujeito, intraduzíveis em números (MINAYO, 2007).
  25. 25. Categoria da pesquisa Estudo de caso: *fenômeno contemporâneo dentro da vida real; * limites indefinidos entre fenômeno e contexto; * utilização de múltiplas fontes de evidências (YIN, 2010:
  26. 26. PARTICIPANTES A AMO atende cerca de 60 pacientes, entre 6 e 18 anos, com diagnóstico oncológico, Quando em tratamento, afastam-se da escola (exercício domiciliar).
  27. 27. CRITÉRIOS DE SELEÇÃO - participantes - vinculação à AMO; - estar em tratamento de saúde; - idade minima: 13 anos; - ano escolar: 7° a 8° ano Ens. Fundamental; - escolas com laboratório de informática. l . f' z
  28. 28. CRITÉRIOS DE SELEÇÃO - participantes vinculação à AMO; estar em tratamento de saúde; idade mínima: 13 anos; ano escolar: 7° a 8° ano Ens. Fundamental; escolas com laboratório de informática. l 2 alunos, gênero masculino colegas da turma regula¡ - 14 e 16 anos - 7° ano - escola pública de Novo Hamburg - média 30 alunos por turma professor regente de cada turma + direção das escolas
  29. 29. 2 alunos, gênero masculino - 14 e 16 anos -7°ano - escola pública de Novo Hamburgo
  30. 30. colegas da turma regular - média 30 alunos por turma
  31. 31. professor regente de cada turma -I- direção das escolas
  32. 32. lí lLÍ'"I7:_I, I lili EI ITiÍi Í - observação participante (ANGROSINO, 2009) - entrevista semi-estruturada (GIL, 2002) - questionário (GIL, 2002) - proposta de aplicação
  33. 33. lill _l l. . l lif l l SELEÇÃO FORMATAÇÃO e APLICAÇÃO ANÁLISE DOS REVISÃO TEóRIcA DAS FERRAMENTAS DA PRoPosTA RESULTADOS 'i 2 3 4 = vis
  34. 34. e REVISÃO TEóRIcA - interação e cooperação em processos educativos; - aprendizagem mediada pelas tecnologias digitais - ferramentas da web 2.0 - tecnologias móveis (TIMS) - aprendizagem com mobilidade
  35. 35. REVISÃO TEóRIcA - interação e cooperação em processos educativos; - aprendizagem mediada pelas tecnologias digitais - ferramentas da web 2.0 - tecnologias móveis (TIMS) - aprendizagem com mobilidade
  36. 36. SELEÇÃO das FERRAMENTAS - Coutinho & BottentuitJr. (2007) - Sollis eJess3 (2013) - Hart (2013) 5/ CRITÉRIOS - utilização eduzaoonal Han (mm r ¡Kcsso VII TIMS « espaço a. aprendizado (MnWLSu) Herval @um ~ espaço a: compartilhamento (grupo. red: - e (olnlwn) nmn : L Awrcwnr IÍUI) z vtomunltaçâo. smuona ou asslclona V a_ N_ um. r @Wim Schireia apresentação : :nn-manu nEscRIçAo . z m¡ Ccmpsnilrsmeniode a deva ~ reaundãncia Iunuonai. Fenmewaae : by Race sccamaz. ass
  37. 37. V¡ e. r ls l : l . l l i l: l Ii i _i ' - Coutinho & BottentuitJr. (2007) e Sollis eJess3 (2013) _ , r u¡ m": ,' . TV i YA 'E . ç 'i n 1 s! , É _e I' Í h ¡
  38. 38. UP/ DOVIIN since 2011 UP 11 DOWN 3 UP 11 UP 5 UP 1 DOWN 1 UP 5 DOWN 4 DOWN 7 DOWN 3 UP 9 DOWN 5 UP 23 UP 11 rank DQNÔUI-ÀUJN. .. 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 TOOL Twi tte r YouTu be Google DocsiDrIve Google Search Word°ress Dropbox Mu PowerPoint Facebook Wikipedia É Evernote Slideshare PrezI BloggerlB ogspot Google Reader Google+ Hangouts Em Word Yammer Nota Social network 8¡ micro-blogging service ndeo-shanng site Ofñce suite and data storage service Web search engine Blogging/ website tool File synchronization Text and voice chat tool Presentation software Social network Collaborative encydopaedia Course management system Note-taking tool Presentation hosting site Presentation software Blogging tool RSS Reader Social network/ vídeo meeüngs Social bookmarking/ annotaüon tool Word processing software Private social networking engine Pers/ Prof Edu Ent (X)
  39. 39. UP 11 | 20 | Yammer | Pn'vate sodalnetworldng engine | (x) | x | x | CRITÉRIOS - utilização educacional Hart (2013) - acesso via TIMS - espaço de aprendizado (Me, We, See) Heppel (2012) - espaço de compartilhamento (grupo, rede e coletivo) Dron & Anderson (2007) - comunicação: Síncrona ou assícrona Silva (2002) - redundância funcional.
  40. 40. .Tíí, vmar uma: oogle Docs/ Drive oogle Search 'ordpless 'opbox rype : werPo l nt IDCDOOI( 'impedia DOUIE remote ideshare REGIONAL Enucnaouu &Woseq EZ ° 1:3 ííí 1:3 1:3 : à 1:21 : í X31 : í 12 ZZÉJ íííí : g1 : É Coletivo Grupo/ Redelcol Coletivo RedeICoIetIvo CGIUNKIAÇ. snqcaouu ASSIÉÉI AIS AIS A15 AIS
  41. 41. FERRAMENTA DESCRIÇÃO / YOIIl iiillil; Compartilhamento de vídeos Í Prezi Software de apresentação / .WORDPRESS Ferramenta de blog / l 'Eli g-_iiiliiit_ Rede sociaI/ chat/ vídeo
  42. 42. FORMATAçÃo e APLICAÇÃO DA PROPOSTA ~ Elaboração conjunta entre pesquisador <~->professor - Duraçàuzzlaulassemanas) PRÉ-APLICAÇÃO ENTREVISTA - Direção da escola - aluno em exercicio domiciliar o professor regente Criação de um blog. :um conteúdo definido _›Mu L: ~ 1 - i» pelo ororessor regente (WordPress) APLICAÇÃO DA PROPOSTA LM** “' "'*°“ (amnnls/ edizatlvns) - alunos em exercicio domiciliar $': ¡;'*Ê'VÉSTZ'L'Z°““° ' ii - acompanhados pelo pesquisador i ameaça some - alunos da tunna re ular num** 4° “WWW '“"' ' . . g . inserido no blog : › ^ i atividades asslncronas (pesquisador) “mu” e: atividades síncronas (professor) criação de um¡ anulação coopemlv¡ avaliado (Pini) PÓS-APLICAÇÃO QUESTIONÁRIOS - professor regente - alunos em exercicio domiciliar - colegas da turma regular
  43. 43. -Elabor ' conjunta entre FO RMATAÇÃO e AÃO DA PROPOSTA w . . to ç pesqu¡ r <--->professor * “ v e Duração: 4 aulas(semanas) I I n ¡' I ^ p ^' A* v* n n* * l "E f V134ÀÍV LI. x›, r,-". L, r,~". , Ã EE›WrF: :E: Y'/ AEÍÍY]HÀ ~ íñraigíixv ch¡ ai-xczrltz¡ e : I¡L; Ir¡ç« ; um GNHFFÍIÉÍIÍ* 'TÇÍÊIIIÍIÊÍÍÍRlT' à girriiahxxcir #agiarikea
  44. 44. PROPOSTA I - Elaboração conjunta entre pesquisador <--->professor l- Duração: 4 aulas(semanas)
  45. 45. ~Íl. 'r'L= .iq_; :ãit~ «íie Llrrr inicial. CZE um cn: IrIit: a.-. L)míi<: › <iia'i*iri'iuíl«t: ~ [IFFHÍI çlr«íii'êr: z:; »jirl rezgpssrita a Kill/ bi IrWíIF 'E6334 lrr; :a'. 'r'ç: íi«í› «fla rfrcllçiciçt» ialliitrí uma, *ewíitairíísiítivlvi 3:2» : rara r'--"r~: nr'»__; ::. ir* ÍZ= íITIÊEFIsÍI~ÍÍ<Í> Chi» i'll-afã¡ 47'» «fIL. iii"I. _.IlI= *:I . -"«"z 'ii-: iira---tn 'tic z"<'li'l'r'a~ ãwãpirezí' ~'« ^ f s _ n. . _ . u - . """” rII I. -.-". "r'r¡, -_-' rlm ›"a'li'l"âll : HM Axlurirs, V1'lTi'I= !i"IÍI: li"Ti livrrazriwxasrit: ! i.LI. _|'r| ›F›: . 'r': r:; r 1-¡ i'r¡»íl:3r'“rr gp_ : :sff 1:3; 'rIr'*I“rxrr: :lÇ= _:: . rir» Fúria¡ r r r r gx Autjliãllr); lÍlâllnllÍãllÍ/ r . ::«"¡s”_ir'"¡:
  46. 46. ?Kitts--tnlçvzw ? i'ÍliÍli'ê“ »Líi'c. iarz: tfnarz1 »ílm <: :~: Irrta'IcÇi«íi«í~ A-l-l-“TÍT-i* *¡*ã"'”= 'i3='-l“ '~"r°"'*°? 'i*"'<' lli“t';3"ljhl; il'l 'Tlm t-. lnri i= =Ii"-'. i i'= r:¡í"IiI'íi-'›'i rI~**~= =.t: » , « , . , , , _' n, É 'A . :: iii-ar aii¡ Í Itu: 'Qi É _r“ s. L7, ~ Cl¡ H r ", '_| r7_$'(_l4V| r.V| ¡-~; F *Ímarvgiíirw dia Llrrizr g . . E . . ALM* *t1 l. I': :'i. ':: :=. |r" 13"""'ãlfíflflÍlãtir ? l E [Vad HP¡ EIT-. .l ; Elf l ' ' = .llli'ê"liiifiãtã~ a ; gn: ::i: "*ÍIe-. ' r 6:¡ n? n; wrzriíi a¡ vz¡ m' m¡ : ~ r 1'; I=! “': ai'Írv*: |rWisnik# : l'; |"-'~! ::. 'v'i/ I'ÍI= .l_ÂÍ _ _ n *na 7 f' «V4 w__. "_ : f'*= .I| .l-= .IL_. =.I*J »Pi : :se r _ . ~| ÍIp¡' íâiPezi "Hnw ¡ i
  47. 47. .Íi? .,li” e ÊILPIJÍVÍ : L ; afim f-c: I«;7-u: jr'«íí *ÍÍI Õuifu| _Í'_i'_l7i'iÍÍÍ¡ _ __ _ . _.__ . _ _ . _ l_ _ _; _ . _ _ , _ _ I _ __ _- _ . _ . ar n n¡ I lI HH n mui» r. ? n 'eu › r : em (Ii law iu nr 7 7 7 r 7 7 7 7 7 F 7 7 7 r 7 7 7 7 7 7 77 7 2 viii. : (Írzucrururntz gVÍ-i_; _ll. _|lél_i“ _EFÍÍT v"F<ÍÍL›F; F'ÍLiF'. Í -EEÍZÍÃI r rar¡ ~r l--EÉÊ . ariifrviílevíiâf" i7FÍQi77WÍ7l-«il ; g '* '* e 'o v»
  48. 48. PÓS-APLICAÇÃO QUESTIONÁRIOS - professor regente - alunos em exercício domiciliar - colegas da turma regular
  49. 49. V pesquisador <--->professor " Duração: 4 aulas(semanas) ? 'HÍÔ~. A'I. "L. ITÍÍE : si: EINTFIIÉYÍÍIÍÍE~ [nlilgílli aliar : Lan-Ibi : lili . ~=i¡'nr= ›:(= ir~:1r: °io» . llctllkir , IIÍUÍÍ-T-l-? Lfülr 11.13¡ . :illinaum¡niailoinillvuauuia m; -Il-ugmlíaxwn [aut-Ilka IVEIIHÍÍH 137-3) ll 'lHíI(. Ir ita' 'mta-v (einuicflilq-lueiilvnsm unllaiíFl-i T¡ _ : Íllinlthlií-H-l-illildiraquiana# ' ? IUIIIIJP Hllhàlüliíiíl' 'lníliklr' ' 'mamy ! l|'J. '|'“? =l'Il'¡¡¡¡'l! I ^ e e ^ ' e ' e ¡ ' nun-un gr : mo uugr aiii-i; ,trail-o ; manta-ri Ill J rr-iiusr-igiv- auiiir. _ _M5341 m, nunqnq. , m¡um: :lzlipllanunullhi: . r-. r i-ui-. Ihir - . ; 1 _ 1 - na. , . , m. . ! meant ! imi- - -niuvnr : mvmhiqçi: .Liana m: : (plilníqllllíal ¡ ¡'; _1,1,. _1_, _,, ,, 'l l" . i.aan›. ... r.. n.. k.r : Indl-índias : naun-mai: (pimiaimioiir u r ' Em --r il: IIIIRi ; llnini-Lv-iíllitciiu-? anrziniaiirzw ãlsllanailkla" . :Lui¡aqi-Inhuma-q-i-nu-iuur Ii-i HHIÍVH. omni-r a ¡um-iucmmiuianituniyiiawuicgçl- : rnllkinfnu-(unwnr (err-llklfl-I v( : i5 LMi1r"L. l'ÍÍA[Ç7A7 ~ guiszlicinmriicx. slroiír-Lsxair «agia-ra : Ilusion : mr arcará-ils» : kann-meu (nllqypw : Zizi ÍEIlIIEi : :igiillzir
  50. 50. A; ÍIr; '-7)i-iCiE i3:: : RES U i-". =« 4 C S CATEGORIAS - escola e exercício domiciliar; - escola e tecnologias digitais ; - formação docente; - TIMS e interação; - TIMS e cooperação; - TIMS e aprendizagem móvel. ' . f YÇQLWI
  51. 51. CATEGORIAS - escola e exercício domiciliar; - escola e tecnologias digitais ; - formação docente; - TIMS e interação; - TIMS e cooperação; - TIMS e aprendizagem móvel.
  52. 52. A ESCOLA E O EXERCICIO DOMICILIAR vs: 1mm m mam e-nque e wruuonlulduVIQIeImUurIMIIaúJLd uma: n oumnniv m vmvhmta an ; Ima ¡xwnpanhar a Jncamml: «nun-m» nua¡ m; m; u : mam mma! mam o: meu¡ : mm txmum nn : mumau e na. .. a; .wnmngm nelewnvmnam ulnda m; . ru: pxumlru : u: . I : Iumgm na¡ u. nnmhIhcI . .uma umumrnwtmu '? CategorIa 5 Categoria 1 Categoria 2 ESCOLA E TECNOLOGIAS DIGITAIS íNSUIu; Eííâàlzmn "JIMI . mm m Izhuramrius de rum-um. .m ! Kuki illaHsadis não Mandem sanshtnmmemz n «mm mm a: alunas : m pmhssnms . ..manaus e supmm lémlm pa. . meme¡ u : vivamente em mveIx de muurumemoaóenkbaum TECNOLOGIAS DIGITAIS E FORMAÇÃO DO(ENTE Inu As mas e a cnopcvaçào v 24H uu-sI Dvin . .mw uam um. Im II A ummun na 'twammux Ixuwu aí mam : :amam Ima¡ . »um puma» MdrnrhI-Nil Diuhnnnuamrqlnum em dwrnm 'nmvrrmu IvmI . ma) habitar zmwulnnmmlz, mrmzmrma u; volumes arrumando; «me . um «ao (em lot/ Mun mw¡ 99h22m¡ : uma wwe/ Ile pa». que pzsgmmu uso »www u. ; : :Um »qm 11mm: «uma m «nham una metem ALJMIIKÉV ErLIxKrmuIIA-«zx únmxzuxxàzsmvulvmnn as »mm amam em . um em : um: u um_ I. . uni-num . www. nao #nem ursos De zpeñemnuwem : lou Iormliin : nnnmmci ¡leqanov Valt¡ a( ruurwsünamuvm CategorIa 4 Categoria 3 As TIMS c : Interação . ..mau uma. . Win. 52mm mu. nImImm A; !Gamma u¡ . ..a 1 o umuaaw¡ : inves ma¡ mas vnmmum mm 4mm. ; a. mnmnuíio r amvmuw Obwvmn( Mtliílñ m; nwzwdr «mu» 'uma mwcaer I I- Il r observou-Jc manda Mun¡ m mu" I. a Adm c »mn n m. . I . .mm ! mar-I a lnumrwu¡ VIIIF m A um n» ¡nuurnn ¡n! PVIMIIWFVH Irzm' upar: “hmm . um. . maIm uma». a 01min: : . mm mam: mu. ) valmae «a amam» pwawvu aasurnaIoqIaI 4mm Categoria 6 4 AS TIMS E AÀPRENDIZAGEM MÓVEL mau. .. ; eq-mn naum: mmmçia an m: mu¡ m. . um. nau m. .là yuuam¡ «Num m. . m mu¡ mw ; um (um mamae Incas-menu a. . um «Me c: nuno! 911mm num, nus ; manda n luummnaúá . .a z ¡lar! Lmlmü zúeuuauhnmle . umomao. anemia» neh) ? vu/ suor m. invasão Nutalaunemgnmna um pmenualnançnh puuit/ Ilnaadmle Inmiçlu uoooeuoc. ptwnundu . num-ngm! ! mm! !
  53. 53. :j: - V lj¡ - . ¡- ' I Íuii 'A' 11s, MEC (2002) No formato em que é operacionalizado pelas escolas analisadas, o exercício domiciliar não possibilita ao aluno acompanhar o andamento dos conteúdos na sua totalidade. O simples envio de cópias de apenas alguns exercicios não contempla o processo de aprendizagem desenvolvido em sala de aula e não possibilita que o aluno em exercício domiciliar construa seu conhecimento.
  54. 54. Essa parte é mais complicada. O aluno deve acompanhar a matéria de onde parou. O aluno deve buscar os conteúdos perdidos perdida com colegas. (professor A) É feita uma sondagem para ver se o aluno consegue acompanhar a turma ou se precisa de um acompanhamento especial, providenciado pela direção (professor B).
  55. 55. ,__, . _. ... :_. _. ,._. . . ._ ll _'13 Brasil (2012) Fagundes e Hoffmann (2002) Primo e Smaniotto (2006) Almeida (2007) Kenski (2008) Lopes (2013 _U 'F I Os laboratórios de informática das escolas analisadas não atendem satisfatoriamente o número total de alunos. Falta professores qualificados e suporte técnico para manter o equipamento em níveis de funcionamento adequados.
  56. 56. Gosto muito de utilizar as tecnologias em sala de aula, mas fico preso aos equipamentos, que muitas vezes não funcionam. E a escola não tem recursos financeiros ou técnicos para sanar o problema (professor A). Quase toda semana tem computador estragado e a gente não sabe e nem tem ordem pra mexer. Não tem técnico nem professor no laboratório. Então, eles arrumam quando dá (professor B).
  57. 57. as _ M _ n - Wal, It lt n¡ z u à* , .s _t 1 . à , H . l 1 1 . ” l , Z ~l . J , ú L 1 Z 1 Moreira e Silva (2001) Zaccaron et al (2012) Fagundes (2013) Brasil (2013) Os professores acompanhados neste estudo não tem formação inicial percebida como suficiente para que possam fazer uso pedagógico das tecnologias digitais. Também não fazem cursos de aperfeiçoamento e/ ou formação continuada, alegando falta de recursos financeiros.
  58. 58. “Há fragilidade na capacitação dos professores, o que impacta diretamente a utilização dos laboratórios como suporte tecnológico ao processo de ensino-aprendizagem de matérias regulares, como matemática, história, ciências, geografia e lingua portuguesa" (BRASIL, 2013, p. 38). rir-nr¡
  59. 59. As TIMS e a interação Piaget (1973) Quintanar (2010) Saccol et al (2011) Primo (2000) As ferramentas da web 2.0 utilizadas através das TIMS permitiram níveis diferentes de comunicação e aprendizado. Observou-se interação nos níveis de interação reativa (Atividade 1 e 2) e observou-se interação mútua nas Atividades 3 e 4 (chat e Prezi). O chat e o Prezi foram as ferramentas que os alunos mais gostaram, por permitirem maior rapidez no contato (chat) e maior liberdade de expressão e criação coletiva (Prezi).
  60. 60. IÍITERI-ÇÃ. O REATHIIÀ (Primo, 2000) Gostei do blog_, v(KV, aluno da escola A). Achei legal (A, aluna escola A) Gostei das imagens (G, aluna da escola B). Gostei do blog (P, aluno da escola B). ” ~ raça-ri
  61. 61. Uma pessoa com dieta rica em proteína deve ingerir bastante água porque proteinas necessitam de liquido para serem dissolvidas. E a alface murcha porque ocorre osmose (A e T, alunas da escola B). Isso, A e T. A osmose é a passagem de água pelos poros das membranas das células. Essa passagem ocorre do meio onde há mais água (hipotônico) para o que há menos água (hipertônico). Ou seja, a água sai da alface para fora ela, fazendo as células vegetais 0251312111 água (L, aluna da escola B). Ah, agora entendemos o que é osmose, a gente estava confusa com o texto do blog. (A e T, alunas da escola B). Uma pessoa que tem uma dieta rica em proteína deve ingerir bastante água porque a proteina precisa de água para ser dissolvida. E a alface temperada fica murcha porque a água do alface é absorvida pelo sal (R. , aluna da escola B). Não, R, a alface temperada frca murcha por causa da osmose mesmo, como a L explicou na resposta dela (Aluno B, escola B). Isso mesmo. Por causa da osmose que a alface ñca murcha. Porque tem que equilibrar o que tem de água dentro da célula (muita) com o que tem fora da célula (pouca ou nenhuma). (A__e T, alunas da escola B) @yj- Fil 31:5]
  62. 62. Resposta (ALUNO B, escola B) Réplica à resposta 1 Tréplica à resposta (1 Resposta ao ALUNO B. Resposta g (N e B, escola B) Réplica à resposta g Tréplica à resposta _2 Resposta à tréplica Réplica à resposta _2_
  63. 63. As TIMS e a cooperação Piaget (1973) Dron e Anderson (2007) Heppel (2012) A utilização das ferramentas ocupou os epaços colaborativos (chat e Prezi) e públicos (video e blog). Os alunos conseguiram, em diversos momentos (Prezi e chat) trabalhar cooperativamente, notadamente quando estimulados pelo professor. A construção de conceitos através das discussões envolvendo os alunos do laboratório e os alunos em exercício domiciliar confirmam a validade da utilização pedagógica das tecnologias digitais.
  64. 64. Por que qualquer pessoa tem que ingerir uma grande quantidade de água para ficar saudável e hidratada e também quem consome muitas proteínas deve tomar àgua para digerir os alimentos (Aluno B, escola B). Porque quando ingerimos muitas proteínas, nós perdemos grandes quantidades de água. (N e B, alunos da escola B). Uma pessoa com dieta rica em proteína deve ingerir bastante água porque proteínas necessitam de liquido para serem dissolvidas. (Ae T, alunas da escola B). Sim, uma pessoa que tem uma dieta rica em proteína deve ingerir bastante água porque a proteína precisa de água para ser dissolvida. Se fosse um vegetal, não, ele dissolve fácil (R. , aluna da escola B). Mas os alimentos são digeridos só_ com água? Se fosse assim, era fácil emagrecer: era só tomar bastante água (Ae J, alunos da escola B). Não só com água, mas é que quando os alimentos ficam em contato com a água, eles são digeridos mais rapidamente. A àgua também auxilia na hidratação e evacuação, reequilibrando o equilíbrio celular, entendeu? (Aluno B, escola B). Ah, agora entendi. É que eu não estava ligando célula com os processos intemos do organismo. Mm (A e J, alunos da escola B). Agora entendi melhor (N e B,
  65. 65. l' Éll l nmvtrwpbarvútnbvbérvidwmbà rwkncàbrmpbmlcrueasistgmm dwltbiomvyosmpwldcfyüoacprotcím abonwbcmtnbsncéhduxispsttzrtoà -atspmwlnntnQmtor-nmwbvtn.
  66. 66. t: : Ma¡ . Il¡ 111W , É! ' E II¡ . ,_ -Sei ? gl I¡ -A IDC Brasil (2012) CGI (2012) Saccol et al (2011) Lemos (2009) Considera-se que a crescente utilização das TIMs possa contribuir para que os processos educativos, cada vez mais, possam ocorrer com qualidade, independente do local onde os alunos estejam. Utilizar TIMS conectadas às ferramentas da web 2.0, com conteúdo adequadamente selecionado e preparado pelo professor com formação para tal pode significar um potencial avanço ás possibilidade de interação e cooperação, permitindo a aprendizagem móvel.
  67. 67. RlÍiSSlBll. IDr'-DES DE ESTUDOS FUTUROS - Estender este estudo (indicativo) para um nivel mais amplo (representativo), aproximando-o de outros estudos da área; - Aprofundar o processo de seleção de ferramentas da web 2.0 para uso nos processos de ensino e de aprendizagem; - Investigar as potencialidades da internet 3.0 para utilização nos processos de aprendizagem; - Aprofundar estudos na área da aprendizagem móvel e computação ubiqua.
  68. 68. v REFERÊNCIAS DRON, Jon & ANDERSON, Terry (2007). Collectives, Networks and Groups in Social Software for e-Learning. In G. Richards (Ed. ), Proceedings of World Conference on eLearning in Corporate, Government, Healthcare, and Higher Education 2007, 2460-2467. Chesapeake: estados Unidos da América, 2007. FAGUNDES, L da C. ; HOFFMAN, Daniela. Cultura digital na escola ou escola na cultura digital? Brasília, DF, MEC/ Semtec, 2002. HART, Jane. Top 100 Tools for Learning 2012. Disponível em < > Acesso em: 11 mar 2013. HEPPELL, Stephen. Online Spaces (2012) Disponivel em < > Acesso em: 06 maio 2013. LÉW, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999. PIAGET, Jean A epistemologia genética. 2° ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 1973. PRIMO, Alex. Ferramentas de interação em ambientes educacionais mediados por computador. Educação, v. XXIV, n. 44, p. 127-149, 2001. Disponível em: < > Acesso em: 22 nov. 2012 SACCOL, Amarolinda; SCHLEMMER, Eliane; BARBOSA, Jorge. M-learning e u-learning: novas perspectivas das aprendizagens móvel e ubiqua. São Paulo: Prentice Hall, 2011. ZACCARON, Ana Beatriz Michels. SOUZA, Márcia Regina Souza; AMARO, Lisiane Santos Massochini; SERRES, Fabiana Fattore; NEVADO, Rosane Aragón de. Uso Pedagógico das Tecnologias Digitais: do Fazer ao Compreender. RENOTE, v. 10, n. 3, 2012.
  69. 69. METODOLOGIA onimvos JUSTIFICATIVA Tenllnciznestent . moinhos de pessoas, .. sms e informação p , .. » . .V. permitam mu» . . m. .. . .v ! muitu A mobilidade, RESULTADOS ; um as ferramentas . u web 2 u_ pos): m¡ rpprtsznngãn_ ; mago z alan: : diversas rzrsrs°rrrrasri CINTED XXIII Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologras na Educação PROBLEMA de Pesquisa Como u Dvlennal de coovuaçào das ferramentas da wth Z B, acusadas DDI' mem de GISDOSIIíVDS moveis, pode oportuvnzar a . ..mam de aluno¡ em exerzi B damn( ar (um n (antena ESKDIJÚ um RÊNCIAS . ..w . .. mn . .w-m . sem, mw. .., hmm . c. .. m. .. . kann¡ . _ . .um, . ul ? ru-amar Mamma nnamln¡ lhiwnoau . mm numa. . m. . . em mu! , comuna mr »a . ..em murais. . m. VAGLNDIS mu. .." s. .., .. ,o. ._, .u. c.. _.. .._. ,.. .,s. ,.. ... ,._». _.. nr . ._. __. MINI m. .. .m. ... ... ... .._. ... . sem. ... m.m: ... .., .., ... ... ... .., c.. .” l] . mrur _num m, MWUDAD, _x naum Slznvm 0.. ... . SVIZHNHl uma. em Mig/ Janaina. : . rnwvmhnuxwfrnlmhnnsnmnrlv "UNI-th d! ! 'KMIIIIIGI 'HVWMW I (Uñlmltlth «rw-rm mm mu um: a Slmlb mn- Pottmialindorasü human em nrmsm . .marina (hmm (lvan-v o: .. n m». M. ümrtzwuSnuPmla um". .. . ..o mai r. .. . . ma. u. . ¡rviamrrmoernrguunc-'vamhrmtnrlmmiunannmrxuwicrcuuui sum. . m¡ rx u . :V149 m. wma. . --rlmlvnuzauurmtaucynnnrlzvnmzlnimotnudlv (nur-non m. . wma» ln' Parma um. . se 59.. ... em. .. innrrerlxin n. - m. .. Mulan¡ amam¡ sucmtm. .m : :Numa u. .. . ..um uu: Mun-miar. . . ..mg murltundvzrtaivrúlhinm . ..eu m. .. Saí/ bla ? rolha u. . 1o. : nn' cn Amrzuownm : nun Mmmlrqruínuxz m. .. _. ..s. m.. ›.. .m. .. ílíllíumlznfnur uma ¡Mr! m. ..” UnhdnpywánTxnnlnyu-nqiun _n, .u= z.. ... ..m . mm . w . s m;
  70. 70. XXIII Ciclo de Palestras sobre Novas Tecnologias na Educação 5 APRENDER COM MOBILIDADE: Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação Móveis e Sem fio como potencializadoras da interação em processos educativos Claudio Cleverson de Lima Orientação: Dr”. Patrícia Brandalise Scherer Bassan¡ Co-orientação: Dra. Débora Nice Ferrari Barbosa
  71. 71. Apresentação disponível em prezi. com/ user/ claudiodelima i l c1audiode1ima. Wordpress. com twitter. com/ Claudiodelima claudiode1ima. yahoo. com. br

×