SlideShare uma empresa Scribd logo

Porques na-matematica-basica-4 (1)

Frações

1 de 16
Baixar para ler offline
Oswaldo K. Watanabe 2000 1
1
FRAÇÕES
Fração = partes do todo dividido em porções iguais = pedaço
Se a fração é a parte de um todo, que quantidade do todo ela representa?
A fração é escrita na forma
a
b
, onde a e b são normalmente números inteiros
com b0.
Nesta representação
a
b
, b que é chamado de denominador indica em quantas
partes o inteiro foi dividido e a que é chamado numerador, indica quantas partes
do inteiro estamos considerando.
Inteiro
quero 2/3 deste inteiro
inteiro dividido em três partes iguais
2 partes do inteiro dividido em três
O inteiro é uma caixa contendo 36 balas.
Quero 2/3 das balas.
Vamos dividir as balas em três partes iguais: 36 : 3 = 12  12 + 12 +12
Portanto duas partes são: 12 + 12 ou 2 . 12 ou 24
Exercícios:
1) Quanto é 2/7 de 343? 2) Quanto é 5/8 de 144? 3) Quanto é 5/9 de
820?
4) Quanto é 7/9 de 240? 5) Quanto é 5/6 de 340? 6) Quanto é 5/12
de 720?
Respostas:
1) 98 2) 90 3)4100/9 4)560/3 5) 675/2 6) 300
Oswaldo K. Watanabe 2000 2
2
Definição: Frações equivalentes são aquelas que representam valores iguais
Exemplo:
2/3
4/6
Sejam a e b dois números inteiros, com b  0, para encontrarmos as frações equivalentes a
a / b, multiplicamos, a e b (numerador e o denominador da fração) por um mesmo número
Exemplos:
5
3
10
6
2
.
5
2
.
3

é equivalente
ou
15
9
3
.
5
3
.
3
 ou
Oswaldo K. Watanabe 2000 3
3
Obs. Normalmente, representamos uma fração através da sua equivalente que possui os menores
numerais possíveis no numerador e no denominador. Este processo de encontrá-la chamamos de
simplificação.
Nos casos em que já temos as duas frações e queremos verificar se as mesmas são equivalentes e não
desejamos fazer o caminho inverso (caminho de volta ou operações inversas), podemos também usar a
propriedade fundamental das proporções,que diz:
Numa proporção, se duas razões são equivalentes, então o produto dos extremos é igual ao
produto dos meios.
Na proporção a:b = c: d ou
d
c
b
a
 , a e d são os extremos e b e c são os meios.
Portanto, a. d = b.c
RAZÃO: é a relação ou quociente entre duas grandezas
QUOCIENTE: resultado de uma divisão
Obs: As frações também indicam uma divisão entre o numerador e o
denominador. Ao efetuarmos a divisão entre o numerador e o denominador,
obtemos como resultado, o número decimal equivalente à fração.
Símbolo da Razão:
a
b
(lê-se: razão de a para b)
Neste símbolo, que também pode ser a:b, a é o antecedente e b o conseqüente.
Exemplo:
20
12
4
.
5
4
.
3
 ou
Oswaldo K. Watanabe 2000 4
4
Dividir 144 na razão de
7
5
.
Quando queremos dividir um valor numa determinada razão, devemos dividir este
valor pelo total das partes.
144:(5+7) = 144:12 = 12
12 é o valor de cada parte do todo. Logo, 5 partes é igual à 5.12 = 60 e 7.12 = 84.
Portanto as partes são: 60 e 84.
Mas se queremos saber quanto é a fração
7
5
.de 144, devemos dividir 144 por 7 e
o resultado multiplicar por 5.
144:7 = 20,571 aproximadamente
20,571.5 = 102,855
Toda fração é uma razãoentre uma partee o todo
Proporção: proporção é a equivalência entre duas razões
Símbolo
a
b
=
d
c
ou a:b = c:d, com b0 e d0.
Nesta proporção a e d são os extremos e b e c são os meios
Exemplos:
1) Se
3
5
6
10
    
310 56 30 30
. . (Verdade, portanto temos uma proporção)
2) Se
2
3
5
9
2 9 35 18 15
    
. . (Falso, logo a equivalência não existe, não é
uma proporção)
3) Se
8
12
2
3
83 12 2 24 24
    
. . (Verdade, portanto temos uma proporção)
Oswaldo K. Watanabe 2000 5
5
EXERCÍCIOS:
I) Verifique se as frações são equivalentes, caso sejam equivalentes, coloque V e
caso contrário F:
1) 2/7 e 8/28 Resposta: V
2) 12/15 e 21/35 Resposta: F
3) 30/45 e 8/15 Resposta: F
4) 15/18 e 30/36 Resposta: V
5) 14/21 e 15/25 Resposta: F
6) 15/100 e 3/20 Resposta: V
7) 3/7 e 24/56 Resposta: V
8)14/35 e 40/100 Resposta: V
9)12/18 e 25/80 Resposta: F
10) 7/12 e 21/48 Resposta: F
11) 20/42 e 30/63 Resposta: V
12) 42/49 e 48/58 Resposta: F
13) 13/5 e 39/15 Resposta: V
14) 18/12 e 45/20 Resposta: F
II) Calcule o valor de x em cada proporção:
1)
10
6
5

x
2)
24
12
3

x
3) x

10
5
4)
6
3
1

x
5)
11
11 x
x

6)
x
x 18
8

7)
7
3
2
1


x
8)
54
45
3
1
2


x
x
9)
4
1
3


x
x
10)
1
3
4
2



x
x
Oswaldo K. Watanabe 2000 6
6
PROBLEMAS
1) Se em uma receita de bolo para cada 3 xícaras de farinha de trigo usa-se 5 colheres de
sopa de açúcar, quantas colheres de açúcar são necessárias para 7 xícaras de farinha?
2) Um alpinista leva um dia para escalar 2/7 de uma montanha. Quantos dias este alpinista
levará para escalar outra montanha com o triplo da altura da primeira?
3) Um cachorro come ¾ de sua ração em 5 minutos. Quanto tempo 2 cachorros comerão a
ração inteira, supondo que os cães se alimentam na mesma rapidez?
OPERAÇÕES ENTRE FRAÇÕES
I) ADIÇÃO :
+
1 + 2 = 3
4 4 4
Quando duas ou mais frações têm denominadores iguais, temos partes de
tamanhos iguais e neste caso, para efetuarmos a soma, basta somarmos os
denominadores e conservar o denominador, pois o denominador só indica em
quantas partes o inteiro foi dividido.
1 + 1 = 5
2 3 6
Quando os denominadores das frações são diferentes, temos uma situação em
que queremos somar pedaços de tamanhos diferentes. Para podermos reduzi-las
em frações equivalentes de denominadores iguais, isto é representa-las através
de partes iguais.
Mas como fazê-lo?
=

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila matematica
Apostila matematicaApostila matematica
Apostila matematicaJ M
 
Apostila de mat financeira v2
Apostila de mat financeira v2Apostila de mat financeira v2
Apostila de mat financeira v2VanChamma
 
Mat razao e proporcao resolvidos
Mat razao e proporcao resolvidosMat razao e proporcao resolvidos
Mat razao e proporcao resolvidostrigono_metrico
 
Questões treinamento
Questões treinamentoQuestões treinamento
Questões treinamentoAntony Franc
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicocon_seguir
 
Sf2n2 2010
Sf2n2 2010Sf2n2 2010
Sf2n2 2010cavip
 
Ceesvo (ensino fundamental) apostila 4
Ceesvo (ensino fundamental)   apostila 4Ceesvo (ensino fundamental)   apostila 4
Ceesvo (ensino fundamental) apostila 4Nome Sobrenome
 
Conjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo Ainda
Conjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo AindaConjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo Ainda
Conjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo AindaAntonio Carneiro
 
Exercicios resolvidos bb matematica
Exercicios resolvidos bb matematicaExercicios resolvidos bb matematica
Exercicios resolvidos bb matematicatrigono_metria
 
Mat aritmetica basica
Mat aritmetica basicaMat aritmetica basica
Mat aritmetica basicacomentada
 
Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01
Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01
Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01wellington campos
 
Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01
Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01
Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01Roberio Figueiredo
 

Mais procurados (18)

Apostila matematica
Apostila matematicaApostila matematica
Apostila matematica
 
Apostila de mat financeira v2
Apostila de mat financeira v2Apostila de mat financeira v2
Apostila de mat financeira v2
 
Mat razao e proporcao resolvidos
Mat razao e proporcao resolvidosMat razao e proporcao resolvidos
Mat razao e proporcao resolvidos
 
Matematica vol4
Matematica vol4Matematica vol4
Matematica vol4
 
Matematica vol3
Matematica vol3Matematica vol3
Matematica vol3
 
Sf1n2 2018
Sf1n2 2018Sf1n2 2018
Sf1n2 2018
 
Questões treinamento
Questões treinamentoQuestões treinamento
Questões treinamento
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
 
Sf2n2 2010
Sf2n2 2010Sf2n2 2010
Sf2n2 2010
 
Ceesvo (ensino fundamental) apostila 4
Ceesvo (ensino fundamental)   apostila 4Ceesvo (ensino fundamental)   apostila 4
Ceesvo (ensino fundamental) apostila 4
 
Matematica vol6
Matematica vol6Matematica vol6
Matematica vol6
 
FracçõEs
FracçõEsFracçõEs
FracçõEs
 
Conjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo Ainda
Conjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo AindaConjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo Ainda
Conjunto,Potencias E Eq.2º Gr. Para 7ª E 8ª Estou Fazendo Ainda
 
Matematica vol1
Matematica vol1Matematica vol1
Matematica vol1
 
Exercicios resolvidos bb matematica
Exercicios resolvidos bb matematicaExercicios resolvidos bb matematica
Exercicios resolvidos bb matematica
 
Mat aritmetica basica
Mat aritmetica basicaMat aritmetica basica
Mat aritmetica basica
 
Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01
Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01
Apostila Vestibular - Disciplina Matemática 01
 
Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01
Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01
Apostiladefracao001 111128060034-phpapp01
 

Semelhante a Porques na-matematica-basica-4 (1)

4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf
4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf
4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdfElisabete Cunha
 
Razão e proporção
Razão e proporçãoRazão e proporção
Razão e proporçãowalissongbs
 
Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01
Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01
Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01marcel-sampaio
 
Fracoes- bateria de exercicios
Fracoes- bateria de exerciciosFracoes- bateria de exercicios
Fracoes- bateria de exerciciosRobson S
 
isoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdf
isoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdfisoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdf
isoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdfLourencianneCardoso
 
Apostila matemática básica 2
Apostila matemática básica 2Apostila matemática básica 2
Apostila matemática básica 2waynemarques
 
Gabaritos 7c 18 frente verso
Gabaritos 7c   18 frente versoGabaritos 7c   18 frente verso
Gabaritos 7c 18 frente versoOtávio Sales
 
inequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° ano
inequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° anoinequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° ano
inequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° anoamulherdarosa
 
Apostila matemática básica 1
Apostila matemática básica 1Apostila matemática básica 1
Apostila matemática básica 1waynemarques
 
Conjuntos numéricos gabarito
Conjuntos numéricos gabaritoConjuntos numéricos gabarito
Conjuntos numéricos gabaritoOtávio Sales
 

Semelhante a Porques na-matematica-basica-4 (1) (20)

4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf
4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf
4º ano_MAT_Alfa Fichas de Reforço.pdf
 
Razão e proporção
Razão e proporçãoRazão e proporção
Razão e proporção
 
Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01
Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01
Apostilamatconcursos 111209123909-phpapp01
 
Apostila revisao de matematica
Apostila    revisao de matematicaApostila    revisao de matematica
Apostila revisao de matematica
 
Fracoes
FracoesFracoes
Fracoes
 
Fracoes- bateria de exercicios
Fracoes- bateria de exerciciosFracoes- bateria de exercicios
Fracoes- bateria de exercicios
 
Frações
FraçõesFrações
Frações
 
isoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdf
isoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdfisoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdf
isoladas-matematica-do-zero-aula-2-dudan-resolvido.pdf
 
Apostila matemática básica 2
Apostila matemática básica 2Apostila matemática básica 2
Apostila matemática básica 2
 
Gabaritos 7c 18 frente verso
Gabaritos 7c   18 frente versoGabaritos 7c   18 frente verso
Gabaritos 7c 18 frente verso
 
inequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° ano
inequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° anoinequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° ano
inequacoes_do_1o_grau 6a série ou 5° ano
 
Matemática ufpe
Matemática ufpeMatemática ufpe
Matemática ufpe
 
Mtmbasica
MtmbasicaMtmbasica
Mtmbasica
 
Apostila ifsp
Apostila   ifspApostila   ifsp
Apostila ifsp
 
Apostila matemática básica 1
Apostila matemática básica 1Apostila matemática básica 1
Apostila matemática básica 1
 
mtmbasica.pdf
mtmbasica.pdfmtmbasica.pdf
mtmbasica.pdf
 
Conjuntos numéricos gabarito
Conjuntos numéricos gabaritoConjuntos numéricos gabarito
Conjuntos numéricos gabarito
 
Nm
NmNm
Nm
 
622 apostila01 mb
622 apostila01 mb622 apostila01 mb
622 apostila01 mb
 
01022014
0102201401022014
01022014
 

Último

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Prime Assessoria
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...Prime Assessoria
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...
Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...
Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoMariaJoão Agualuza
 

Último (20)

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
Agora observe a imagem a seguir, onde foi realizada uma lâmina histológica co...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
a) Tendo como base as competências de um conselho de saúde, a afirmação "... ...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...
Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...
Elabore uma apresentação em PowerPoint em que você possa definir como a teolo...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 

Porques na-matematica-basica-4 (1)

  • 1. Oswaldo K. Watanabe 2000 1 1 FRAÇÕES Fração = partes do todo dividido em porções iguais = pedaço Se a fração é a parte de um todo, que quantidade do todo ela representa? A fração é escrita na forma a b , onde a e b são normalmente números inteiros com b0. Nesta representação a b , b que é chamado de denominador indica em quantas partes o inteiro foi dividido e a que é chamado numerador, indica quantas partes do inteiro estamos considerando. Inteiro quero 2/3 deste inteiro inteiro dividido em três partes iguais 2 partes do inteiro dividido em três O inteiro é uma caixa contendo 36 balas. Quero 2/3 das balas. Vamos dividir as balas em três partes iguais: 36 : 3 = 12  12 + 12 +12 Portanto duas partes são: 12 + 12 ou 2 . 12 ou 24 Exercícios: 1) Quanto é 2/7 de 343? 2) Quanto é 5/8 de 144? 3) Quanto é 5/9 de 820? 4) Quanto é 7/9 de 240? 5) Quanto é 5/6 de 340? 6) Quanto é 5/12 de 720? Respostas: 1) 98 2) 90 3)4100/9 4)560/3 5) 675/2 6) 300
  • 2. Oswaldo K. Watanabe 2000 2 2 Definição: Frações equivalentes são aquelas que representam valores iguais Exemplo: 2/3 4/6 Sejam a e b dois números inteiros, com b  0, para encontrarmos as frações equivalentes a a / b, multiplicamos, a e b (numerador e o denominador da fração) por um mesmo número Exemplos: 5 3 10 6 2 . 5 2 . 3  é equivalente ou 15 9 3 . 5 3 . 3  ou
  • 3. Oswaldo K. Watanabe 2000 3 3 Obs. Normalmente, representamos uma fração através da sua equivalente que possui os menores numerais possíveis no numerador e no denominador. Este processo de encontrá-la chamamos de simplificação. Nos casos em que já temos as duas frações e queremos verificar se as mesmas são equivalentes e não desejamos fazer o caminho inverso (caminho de volta ou operações inversas), podemos também usar a propriedade fundamental das proporções,que diz: Numa proporção, se duas razões são equivalentes, então o produto dos extremos é igual ao produto dos meios. Na proporção a:b = c: d ou d c b a  , a e d são os extremos e b e c são os meios. Portanto, a. d = b.c RAZÃO: é a relação ou quociente entre duas grandezas QUOCIENTE: resultado de uma divisão Obs: As frações também indicam uma divisão entre o numerador e o denominador. Ao efetuarmos a divisão entre o numerador e o denominador, obtemos como resultado, o número decimal equivalente à fração. Símbolo da Razão: a b (lê-se: razão de a para b) Neste símbolo, que também pode ser a:b, a é o antecedente e b o conseqüente. Exemplo: 20 12 4 . 5 4 . 3  ou
  • 4. Oswaldo K. Watanabe 2000 4 4 Dividir 144 na razão de 7 5 . Quando queremos dividir um valor numa determinada razão, devemos dividir este valor pelo total das partes. 144:(5+7) = 144:12 = 12 12 é o valor de cada parte do todo. Logo, 5 partes é igual à 5.12 = 60 e 7.12 = 84. Portanto as partes são: 60 e 84. Mas se queremos saber quanto é a fração 7 5 .de 144, devemos dividir 144 por 7 e o resultado multiplicar por 5. 144:7 = 20,571 aproximadamente 20,571.5 = 102,855 Toda fração é uma razãoentre uma partee o todo Proporção: proporção é a equivalência entre duas razões Símbolo a b = d c ou a:b = c:d, com b0 e d0. Nesta proporção a e d são os extremos e b e c são os meios Exemplos: 1) Se 3 5 6 10      310 56 30 30 . . (Verdade, portanto temos uma proporção) 2) Se 2 3 5 9 2 9 35 18 15      . . (Falso, logo a equivalência não existe, não é uma proporção) 3) Se 8 12 2 3 83 12 2 24 24      . . (Verdade, portanto temos uma proporção)
  • 5. Oswaldo K. Watanabe 2000 5 5 EXERCÍCIOS: I) Verifique se as frações são equivalentes, caso sejam equivalentes, coloque V e caso contrário F: 1) 2/7 e 8/28 Resposta: V 2) 12/15 e 21/35 Resposta: F 3) 30/45 e 8/15 Resposta: F 4) 15/18 e 30/36 Resposta: V 5) 14/21 e 15/25 Resposta: F 6) 15/100 e 3/20 Resposta: V 7) 3/7 e 24/56 Resposta: V 8)14/35 e 40/100 Resposta: V 9)12/18 e 25/80 Resposta: F 10) 7/12 e 21/48 Resposta: F 11) 20/42 e 30/63 Resposta: V 12) 42/49 e 48/58 Resposta: F 13) 13/5 e 39/15 Resposta: V 14) 18/12 e 45/20 Resposta: F II) Calcule o valor de x em cada proporção: 1) 10 6 5  x 2) 24 12 3  x 3) x  10 5 4) 6 3 1  x 5) 11 11 x x  6) x x 18 8  7) 7 3 2 1   x 8) 54 45 3 1 2   x x 9) 4 1 3   x x 10) 1 3 4 2    x x
  • 6. Oswaldo K. Watanabe 2000 6 6 PROBLEMAS 1) Se em uma receita de bolo para cada 3 xícaras de farinha de trigo usa-se 5 colheres de sopa de açúcar, quantas colheres de açúcar são necessárias para 7 xícaras de farinha? 2) Um alpinista leva um dia para escalar 2/7 de uma montanha. Quantos dias este alpinista levará para escalar outra montanha com o triplo da altura da primeira? 3) Um cachorro come ¾ de sua ração em 5 minutos. Quanto tempo 2 cachorros comerão a ração inteira, supondo que os cães se alimentam na mesma rapidez? OPERAÇÕES ENTRE FRAÇÕES I) ADIÇÃO : + 1 + 2 = 3 4 4 4 Quando duas ou mais frações têm denominadores iguais, temos partes de tamanhos iguais e neste caso, para efetuarmos a soma, basta somarmos os denominadores e conservar o denominador, pois o denominador só indica em quantas partes o inteiro foi dividido. 1 + 1 = 5 2 3 6 Quando os denominadores das frações são diferentes, temos uma situação em que queremos somar pedaços de tamanhos diferentes. Para podermos reduzi-las em frações equivalentes de denominadores iguais, isto é representa-las através de partes iguais. Mas como fazê-lo? =
  • 7. Oswaldo K. Watanabe 2000 7 7 Uma das técnicas para isto, é transformá-las em frações equivalentes com denominadores iguais ao produto entre os denominadores destas frações. 1 . 2 + 1 . 3 3 . 2 2 . 3 2 + 3 = 5 6 6 6 Como é possível verificar na ilustração, com esta nova divisão, as partes achuradas foram representadas através de outras frações equivalentes as anteriores e assim foi possível representar a fração da solução. Vejam que para podermos somar as frações foi necessário encontrar as frações equivalentes às das parcelas que possuem o mesmo denominador. Para facilitar a transformação das frações das parcelas em frações equivalentes de denominadores iguais, podemos: 1) Encontrar o denominador comum Este denominador comum poderá ser o próprio produto ou qualquer múltiplo entre os denominadores das parcelas, e dentre eles, poderá ser também o m.m.c. entre os denominadores das parcelas. . Exemplo: 12 11 24 22 24 4 18 24 4 24 18 6 * 4 4 * 1 6 * 4 6 * 3 6 1 4 3          ndo simplifica . M.M.C.(a,b) ou m.m.c.(a,b) = menor múltiplo comum entre a e b. Um múltiplo de um número é o resultado da multiplicação deste número por um número inteiro. Múltiplo comum entre a e b são aqueles que são múltiplos de ambos ao mesmo tempo. Exemplos:
  • 8. Oswaldo K. Watanabe 2000 8 8 a) múltiplos de 2 não negativos: 0, 2, 4, 6, 8, 10, 12, ... b) múltiplos de 3 não negativos: 0, 3, 6, 9, 12, 15, 18 ... c) múltiplos de 5 não negativos: 0, 5, 10, 15, 20, 25, ... d) múltiplos de 6 não negativos: 0, 6, 12, 18, 24, 30, ... e) múltiplos de 2 e de 3: 0, 6, 12, 18, 24, 30, ... f) múltiplos de 2 e de 5: 0, 10, 20, 30, 40, 50, ... g) múltiplos de 3 e de 5: 0, 15, 30, 45, 60, 75, ... h) O menor múltiplo comum de 2 e de 3 não nulo é m.m.c.(2,3) = 6 i) O menor múltiplo comum de 2 e 5 não nulo é m.m.c.(2,5) = 10 j) O menor múltiplo comum de 3 e 5 não nulo é m.m.c.(3,5) = 15 k) O menor múltiplo comum de 2 e 6 não nulo é m.m.c.(2,6) = 6 Existe um método prático de encontrar o m.m.c. que consiste em fatorar os números dos quais se quer obter. Exemplo: m.m.c.(4,6) = 12, pois 4 - 6 2 2 - 3 2 1 - 3 3 1 - 1 2.2.3 = 12 2) Determinar os numeradores de cada fração equivalente. Para se obter o novo numerador da fração equivalente, fazemos: novo numerador = (novo denominador : antigo denominador) . antigo numerador Exemplo: 3 1 9 2 11 4 6 12 12 12 12 : 4 = 3 12 : 6 = 2 3 . 3 = 9 2 . 1 = 2 4 - 6 2 2 - 3 2 1 - 3 3 1 - 1 2.2.3 = 1 EXERCÍCIOS : Efetue as operações e simplifique a fração resposta, se possível: 1) 2/5 + 1/6 = Resp. 17/30 2) 3/8 – ¼ = Resp. 1/8 3) 4/5 + 1/8 + 1/10 = Resp. 41/40 4) 3/8 + 2/5 – 2/9 = Resp. 199/360 5) 5/11 + 3/8 – ( 4/9 + 1/3 ) = Resp. 41/792 + = + =
  • 9. Oswaldo K. Watanabe 2000 9 9 6) 4/8 + 5/10+3/2 – ( 5/12 + 6/12 – 9/18) = Resp. 7) 5/15 + 2/5 + 7/10 – ¾ = Resp. 41/60 8) 2/21 – 7/12 + 13/42 = Resp. –15/84 9) 15/32 – 17/24 = Resp. –23/96 10) 2/5 + ¾ - 7/8 – 1/6 = Resp. 13/120 11) ½ +1/3 + ¼ - 1/5 = Resp. 53/60 II) MULTIPLICAÇÃO De um número por uma fração Quando multiplicamos um número por uma fração, temos que interpreta-la como uma repetição da fração numa soma, portanto basta multiplicar o numerador pelo número. Exemplos: a) 2. 2 5 2 5 2 5 4 5    , isto é: 2 1 2 5 2 2 15 4 5 . . .   b) 3. 1 8 1 8 1 8 1 8 3 8     , isto é: 3 1 1 8 3 8 .  2) De uma fração por outra fração: Obs. Não tirar de foco, que multiplicar uma fração por outra fração é obter uma fração da outra( um pedaço da outra) logo a tendência é a fração produto ser menor, nos casos em que a primeira fração seja ordinária(menor que 1). A multiplicação entre duas frações também pode ser escrita como uma fração de uma outra fração e a sua operação é feita através da multiplicação entre os numeradores e entre os denominadores. Exemplos: 1) 1/2 de 3/5 =1/2 . 3/5 = 1 . 3 / 2 . 5 = 3 / 10
  • 10. Oswaldo K. Watanabe 2000 10 10 Vejam na figura, que o resultado é a metade do original. 2) 2 3 3 5 .  2 5 3) 1 2 3 5 20 dos das balas . . 3 5 de 20 é 3 5 20 320 5 60 5 12 . .    1 2 de 12 é 1 2 12 112 2 . .  = 12 2 6  Estas operações podem ser reduzidas a 1 2 3 5 20 1320 25 60 10 6 . . . . .    EXERCÍCIOS : Determine a quantidade relativa a fração dada: 1) Quanto é 23/100 de 4500? Resposta: 1035 2) Quanto é 32/100 de 2500? Resposta: 800 3) Quanto é 3/11 de 121? Resposta: 33 4) Quanto é 5/9 de 252? Resposta: 140 5) Quanto é 7/10 de 120? Resposta: 84
  • 11. Oswaldo K. Watanabe 2000 11 11 6) Quanto é 2/13 de 390? Resposta: 60 7) Quanto é 5/12 de 60? Resposta: 25 8) Quanto é 11/100 de 2000? Resposta: 220 9) Quanto é 2/5 de 80? Resposta: 32 10) Quanto é 5/8 de 240? Resposta: 150 11) Quanto é ¾ de 50? Resposta: 37,5 ou 150/4 ou 75/2 12) Quanto é 6/12 de 72? Resposta: 36 13) Quanto é 3/7 de 63? Resposta: 27 14) Quanto é 7/12 de 54? Resposta: 31,5 ou 378/12 ou 189/6 ou 126/4 ou 63/2 15) Quanto é 7/8 de 36? Resposta: 31,5 ou 252/8 ou 126/4 ou 63/2. Efetue as operações simplificando a fração resultado, o máximo possível: 1) (2/3).(3/4) = Resp. ½ 2) (3/5).(2/7).(4/3) = Resp. 8/35 3) (3/8).(5/7).(7/3) = Resp. 5/8 4) (12/15).(3/8).(5/9) = Resp. 1/6 5) 7.(5/9).(3/10) = Resp. 7/6 6) 5.(3/7) = Resp. 15/7 7) (3/5).10 = Resp. 6 8) (2/9).(3/8) = Resp. 1/12 9) (3/5).(4/7).(35/48) = Resp. ¼ 10) 2.(2/7) + (3/4).(4/7) = Resp. 1 11) (2/5).3.(1/2) + (4/5).(3/8) = Resp. 9/10 12) 4.(3/7).(14/9) – 3.(1/5).(10/21) = Resp. 50/21 13) (3/4).2.(5/6) – 3.(1/6) = Resp. ¾ 14) 5.(1/15).(6/7) + (1/2).(1/3) = Resp, 19/42 15) (3/5).(5/6).3 – 6.(2/9).(1/2) = Resp. 5/6 EXERCÍCIOS : Efetue as operações indicadas: 1) 5.(3/7) = Resp. 15/7 2) (3/5).10 = Rersp. 30/5 ou 6 3) (2/9).(3/8) = Resp. 6/72 ou 1/12 4) (3/5).(4/7).(35/48) = Resp. ¼ 5) 2.(2/7) + (3/4).(4/7) = Resp. 1 6) (2/5).3.(1/2) + (4/5).(3/8) = Resp. 9/10 III) DIVISÃO Obs. Ao dividirmos um número por uma fração, estamos querendo saber quantas vezes esta fração cabe neste número ou quantas desta fração são necessárias para compormos esse número. A divisão entre dois números pode ser entendida como a multiplicação entre o primeiro número e o inverso do segundo. Apesar de que devemos também entender que quando escrevemos a : b, onde b não é zero, estamos perguntando ou querendo saber quantas grupos de b são necessários para formar o a, ou quantos b cabem em a. Logicamente, se b for maior que a, a : b terá um resultado menor que 1 ou seja a/b, que poderá ser representado exatamente ou aproximadamente, dependendo de cada caso, pelo número decimal que é o resultado da divisão (quociente) de a por b.
  • 12. Oswaldo K. Watanabe 2000 12 12 (o elemento inverso de um número num certo conjunto em relação a uma determinada operação, é o elemento que operado com o seu direto tem como resultado o elemento neutro desta operação no referido conjunto). ( elemento neutro de uma operação num conjunto, é o elemento que ao ser operado com qualquer elemento do conjunto, tem como resultado este qualquer elemento). Na adição de números reais, o elemento neutro é o zero, (para qualquer número x dos números reais, x + 0 = 0 + x = x), na multiplicação, o elemento neutro é o 1, ( para qualquer número x dos números reais, x.1 = 1.x = x) Na adição de números reais, o inverso aditivo ou oposto ou simétrico de um número a é o -a, pois a + (-a) = 0. E na multiplicação o inverso de a, a diferente de zero, é o número 1/ a. Exemplos: 1) o inverso aditivo ou oposto ou simétrico de 2 é o –2 e o do –2 é o 2. 2) o inverso multiplicativo ou simplesmente o inverso de 2 é ½ e o inverso de ½ é 2. Número decimal é a representação de uma fração decimal(frações cujo denominador são resultados de potência de 10) através de numerais com virgulas. Exemplos: 1) 1/10 = 0,1 (é lido como um décimo); 2/10 = 0,2 (é lido como dois décimos). 2) 1/100 = 0,01 (é lido como um centésimo); 3/100 = 0,03 (é lido como três centésimos); 37/100 = 0,37 (é lido como trinta e sete centésimos) 3) 1/1000 = 0,001 (é lido como um milésimo); 132/1000 = 0,132 (é lido como cento e trinta e dois milésimos) 4) 1/10000 = 0,0001 ( é lido como um décimo milésimo); 23/10000 = 0,0023 ( é lido como vinte e três décimos milésimos). E assim sucessivamente. Como transformar uma fração qualquer em número decimal? Para podermos transformar uma fração a/b em número decimal, basta efetuar a divisão de a por b, divisão esta feita manualmente ou através de uma calculadora. Como nem sempre é possível fazer esta representação exata porque nem sempre as divisões são exatas, devemos ter uma regra de aproximação em conjunto com o número de casas após a virgula que podemos considerar.(o número de casas após a virgula depende do fenômeno e dos materiais de medidas envolvidos no problema a ser estudado).
  • 13. Oswaldo K. Watanabe 2000 13 13 Exemplo: 2/7 de um metro, medido com uma régua comum escolar = 0,2857...~0,286 metros, pois na régua, só conseguimos observar com precisão até milímetros. As operações entre números decimais, tem na: Adição ( soma e subtração ) como característica principal, deixar virgula em baixo de virgula nas operações realizadas na vertical. Exemplo: 2,0154 + 0,004376 = 2,019776, pois 2,0154 + 0,004376 _________ 2,019776 Na multiplicação, faz-se a operação normal com os números formados com os dígitos significativos e o produto final deve ter o número de casas após a virgula igual a soma do número de casas de cada um dos fatores que compõem a multiplicação, onde as últimas casas devem ser o número que é o resultado da multiplicação feita inicialmente. Ex: 2,005x0,04 = 0,08020 2005x4 =8020 3 casas x 2 casas = resultado com 3 + 2 casas = 5 casas Obs. Nesta operação, o resultado 0,08020 poderá ser representado por 0,082 pois, após a virgula e após o último dígito significativo (diferente de zero) a colocação ou não de zeros, não altera o número e na maioria dos casos, os zeros aparecem para indicar a precisão das medidas que estamos usando. Na divisão, se multiplicarmos o dividendo e o divisor por um acompanhado de tantos zeros quantos forem as casas após a virgula do número que tem maior número de casas após a virgula e efetuar a operação com os resultados. Exemplo: 0,0125 : 0,00025. Vejam que o dividendo tem 4 casas após a virgula e o divisor tem 5, portanto vamos multiplicar cada um por 100000 0,0125 x 100000 = (125/10000) x 100000 = 125 x 10 = 1250 0,00025 x 100000 = (25/100000) x 100000 = 25, logo: 0,0125 : 0,00025 = 1250 : 25 = 50. Exemplos de divisão: 1) A metade de 6/7 é o mesmo que (6/7) / 2 = (6/7).(1/2) = 6/14 = 3/7 (figura) 2) A terça parte de 5/8 é o mesmo que (5/8) / 3 = (5/8).(1/3) = 5/24 (figura) Obs. : Não se esqueçam que “metade de” é o mesmo que “½ de”. A “terça parte de” é o mesmo que “1/3 de”. E que a metade é obtida dividindo-se o valor desejado por 2; a terça parte é obtida dividindo-se o valor por 3. 3) Dividir 2/5 por 3/7 = (2/5)/(3/7) = (2/5).(7/3) = (2.7)/(5.3) = 14/15. (figura)
  • 14. Oswaldo K. Watanabe 2000 14 14 Neste caso, podemos também entender como: “quantos 3/7 tem em 2/5., pois não devemos esquecer que nos números inteiros, quando estamos dividindo 12 por 3, também estamos verificando, quantos grupos de 3 tem em 12, ou quantos grupos de 3 elementos são necessários para se ter um total de 12 elementos. 3) Dividir 12/5 por 3/5 é o mesmo que verificar quantos 3/5 tem 12/5 que é o mesmo que (12/5)/(3/5) = (12/5).(5/3) = 60/15 = 4. (figura) Obs. Vejam que nestes dois últimos exemplos, um tem como resultado uma fração e o outro, um número inteiro. Isto significa que 3/7 é uma fração não inteira de 2/5, enquanto que temos exatamente quatro 3/5 formando 12/5.(mostrar com figuras) EXERCÍCIO: Efetue as seguintes operações e simplifique a fração resposta o máximo possível: 1) 5 : (3/4) = Resp. 20/3 2) (5/6) : 5 = Resp. 1/6 3) (3/5) : (4/15) = Resp. 9/4 4) (10/9) : (20/21) = Resp. 7/6 5)  (3/5 + 2/3):( 2/5): (4/5) = Resp. 95/24 2/3 + (2/5):(6/10) : (1/3 + 2/5):(11/20) : 2.(1/3) + (4/7).(3/5) = Resp.315/424 Porcentagem, Regra de três Simples e compostas Porcentagem = Por cento = em cada 100 = uma quantidade relativa a 100. A porcentagem, é uma representação de uma parte com o todo onde sempre consideramos o todo como 100, portanto podemos dizer que seria uma fração representada por uma fração decimal(centesimal) equivalente. Logo, podemos fazer esta mudança de representação usando as proporções, pois as frações (original) e (centesimal) são equivalentes. Exemplo: 2/5 = 2 em cada 5, poderá ser representada pela equivalente 40/100 = 40 em cada 100. A regra de três simples, nada mais é que um algoritmo usado para calcular a quarta proporcional, isto é: Temos uma razão (composta de 2 numerais) e um valor da outra razão equivalente e queremos calcular o outro valor desta segunda razão. E para tal, usamos a propriedade fundamental das proporções: o produto entre os extremos é igual ao produto entre os meios. (Na formação da proporção através de frações, nos dá a visão de multiplicação em cruz) Exemplo: 2/3 = 4/x . Como 2 e x são os extremos e 3 e 4 são os meios, temos 2.x = 3.4, ou 2x = 12, ou x = 6.
  • 15. Oswaldo K. Watanabe 2000 15 15 Divisão proporcional Nas divisões proporcionais, temos dois tipos: I) Divisão diretamente proporcional. Nesta divisão estamos estudando a divisão de um valor em cotas e quanto maior for a quantidade de cotas, maior será o rateio da divisão. Vejamos uma situação onde a divisão é diretamente proporcional. Numa sociedade entre três amigos, André, Carlos e Luiz, as cotas de sociedade são 2, 4 e 5 respectivamente, ao dividirem um lucro de R$ 20900,00, diretamente proporcional às cotas, André recebe x, Carlos y e Luiz z. Então temos: 5 4 2 z y x   , com x + y + z = 20900. Vejam que o total de cotas é 2 + 4 + 5 = 11. Se dividirmos 22000 por 11, saberemos de quanto é cada cota, isto é: 1900, logo: André recebe 2x1900 = 3800 Carlos recebe 4x1900 = 7600 e Luiz recebe 5x1900 = 9500. Matematicamente, temos 5 4 2 5 4 2        z y x z y x , mas 1900 11 20900 5 4 2       z y x que significa: 1900 2  x → x = 3800, 1900 4  y → y = 7600 e 1900 5  z → z = 9500 II) Divisão inversamente proporcional. Como o próprio nome diz, a divisão é inversamente proporcional. Na divisão de cotas, quem tem mais cotas, tem o valor menor. No exemplo anterior, nesta divisão o valor a receber multiplicado pela cota é constante, isto é 2x = 4y = 5z, pois na inversamente proporcional a 2, 4 e 5, teremos diretamente proporcional ao inverso de cada quantidade de cota. 5 1 4 1 2 1 5 1 4 1 2 1        z y x z y x que ao efetuarmos cada uma das divisões temos 1 5 . 1 4 . 1 2 . z y x   = 20 4 5 10     z y x ou seja 2x = 4y = 5z = 19 ) .( 20 z y x   . Como x + y + z = 20900, ficamos com 2x = 4y = 5z = 19 418000 ou 22000, logo 2x = 22000 → x = 11000 4y = 22000 → y = 5500 5z = 22000 → z = 4400
  • 16. Oswaldo K. Watanabe 2000 16 16 Na prática, podemos achar as frações equivalentes a 2 1 , 4 1 e 5 1 que são 20 10 , 20 5 e 20 4 e fazermos a divisão diretamente proporcional aos novos numeradores, isto é diretamente proporcionais a 10, 5 e 4. Neste caso seria como André tivesse 10 cotas, Carlos 5 e Luiz 4, num total de 19 cotas. Ao dividirmos 20900 por 19, temos 1100, com isso, André = 10x1100 = 11000 Carlos = 5x1100 = 5500 e Luiz = 4x1100 = 4400. Exercícios: