SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
O PERÍODO HELENÍSTICO
 Principais características:
 O grande centro político e cultural do helenismo
foi a cidade de Alexandria;
 A produção científica de Alexandria desenvolve-
se em muitas direções , porém se destacando
em duas na matemática e na geometria com
Euclides; na medicina com Herófilo; nos
estudos de linguagem com Aristófanes; na
Astronomia com Aristarco de Samos; na
Geografia com Erastóstenes.
PERÍODO HELENÍSTICO
 A filosofia do helenismo tem sido pouco
estudada, sendo esse período talvez um dos
menos pesquisados da história da filosofia;
 O pensamento do helenismo, ao contrario do
que pensam muitos é essencialmente um
pensamento de escola estando ligado muito
mais a corrente filosófica do que a originalidade
do individuo;
 O ecletismo foi um dos traços fundamentais do
helenismo sobretudo a partir do período
romano;
PERÍODO HELENÍSTICO
 Não há como falar de helenismo sem destacar
as escolas antecessoras deste período;
 Os desenvolvimentos da academia de Platão e
do Liceu de Aristóteles que formam a chamada
escola “peripatética” devem ser examinadas
com muito critério assim como as escolas que
caracterizam o período helenista que são o
estoicismo, o epicurismo e o ceticismo;
A ACADEMIA E O PLATONISMO
 Foi fundada por Platão em 387 a.c e existirá até
529 d.c quando um decreto de Justiniano,
imperador de Constantinopla, fecha todas as
escolas pagãs de filosofia no império;
 Cicero foi membro da Academia, mas também
um pensador eclético, interessando-se
sobretudo pelo estoicismo;
 Após esse período a Academia entra em fase
de decadência;
A ESCOLA PERIPATÉTICA E O
ARISTOTELISMO
 A história do aristotelismo é bem mais
fragmentária do eu a do platonismo, visto que o
Liceu não teve a mesma continuidade;
 Os principais filósofos dessa nova fase do
Liceu são Aristocles de Messena, e Alexandre
de Afrodísias;
 A concepção de Aristóteles de ciência natural
teve influencia no desenvolvimento da tradição
cientifica de Alexandria se expandindo mais
tarde para a ciência árabe;
O ESTOICISMO
 Escola fundada em Atenas em 300 a.c por Zenão de
Citio, pensador de origem fenícia;
 O termo “ estoicismo” é derivado da stoa poíkilé, ou
“ pórtico pintado” local onde os membros se reunião
em Atenas;
 O estoicismo concebe a filosofia de forma
sistemática onde está se compõem em três partes
sendo a: física, a lógica e a ética;
 Essa concepção reflete a estreita relação entre a
física e a ética, para ela o homem é um microcosmo
no macrocosmo , ou seja, é parte do universo e
portanto da natureza;
O ESTOICISMO
 O estoicismo do ponto de vista ético trabalha
com três virtudes básicas;
 A inteligência que consiste no conhecimento
tanto do bem quanto do mal;
 A coragem o conhecimento do que temer e
não temer;
 E a justiça que é o conhecimento que nos
permite julgar dando a cada um o que lhe é
devido;
O ESTOICISMO
 A noção de necessidade ou destino ( heimarmené), é muito forte
no estoicismo;
 Segundo um exemplo dado se vejo alguém se afogar devo salva-
lo porém se não conseguir não devo me culpar pois o fato seria
inevitável;
 O destino não é cego e arbitrário, mas reflete a racionalidade do
real, a qual devo aceitar mesmo que não entenda;
 O mais importante filósofo deste período foi Sêneca;
 Em virtude de sua tendência eclética passa a se confundir com o
platonismo, embora a ética estoica tenha tido grande influencia
no lumiar do cristianismo dado suas características de
valorização do autocontrole, submissão e austeridade;
O EPICURISMO
 Epicuro (341-270 a.c) funda sua escola em Atenas
em 306 a.c onde se reunia com seus discípulos em
um jardim;
 A teoria do conhecimento epicurista caracterizava-se
pela valorização da experiência imediata tendo este
introduzido o conceito de pré-noção que consiste na
conservação de elementos da experiência os quis
servem de ponto de partida para a experiência
posterior;
 O homem age eticamente na medida em que dá
vazão a seus desejos e necessidades naturais de
forma equilibrada e moderada;
O EPICURISMO
 A escola epicurista não teve a mesma
influencia e repercussão do estoicismo;
 Seus representantes são poucos
destacando-se entre este movimento
Filodemo de Gadara ( 80-45 a.c) e Tito
Lucrécio Caro( 98-50 a.c);
 O interesse pelo epicurismo, tanto por sua
ética compor sua física é retomado no
Renascimento;
O CETICISMO E A TRADIÇÃO CÉTICA
 Conceituando:
 Ceticismo é um desses termos filosóficos que
se incorporam a linguagem comum, portanto
todos julgamos saber o que significa. Porém ao
examinar a tradição cética observa-se que não
há um ceticismo, mas várias concepções
diferentes sobre o mesmo tema;
 A tradição cética não se constitui linearmente,
como o estoicismo e epicurismo que tiveram a
figura de uma grande mestre em seu momento
inaugural;
O CETICISMO E A TRADIÇÃO CÉTICA
 O ceticismo é composto de vários momentos os quais
podemos destacar sua presença na filosofia;
 São eles:
 O proto-ceticismo identificado em tendências e temas
céticos já na filosofia dos pré-socráticos ;
 O ceticismo inaugurado por Pirro de Élis (360-270 a.c)
 O ceticismo acadêmico, correspondendo a fase inicial da
academia de Platão;
 O pirronismo ou ceticismo pirrônico, embora Pirro seja
considerado o fundador do ceticismo antigo é possível
apontar outros filósofos como Demócrito de Abdera e
Protágoras;
CONSIDERAÇÕES
 Embora pouco estudado, o período helenista
traz uma enorme contribuição para o
pensamento filosófico no sentido de
compreensão das contribuições para as
outras áreas do conhecimento.
REFERÊNCIAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoA Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoAbraão Carvalho
 
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015 Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015 Mary Alvarenga
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesAula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesLeandro Nazareth Souto
 
Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
Aula 01   filosofia mito, natureza e razãoAula 01   filosofia mito, natureza e razão
Aula 01 filosofia mito, natureza e razãoElizeu Nascimento Silva
 
Passagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofiaPassagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofiaPedro Almeida
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasItalo Colares
 
Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02
Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02
Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02Cleto Lima de Santana
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da FilosofiaO Camaleão
 
Capítulo 13 em busca da verdade
Capítulo 13   em busca da verdadeCapítulo 13   em busca da verdade
Capítulo 13 em busca da verdadeEdirlene Fraga
 
1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosoficaDaniele Rubim
 
Filosofia da educação semana 6 - Cultura
Filosofia da educação   semana 6 - CulturaFilosofia da educação   semana 6 - Cultura
Filosofia da educação semana 6 - CulturaRoxana Alhadas
 
A ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docx
A ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docxA ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docx
A ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docxAlynne Souto
 
Estetica (atividade II)
Estetica   (atividade II)Estetica   (atividade II)
Estetica (atividade II)Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Razão filosofia
Razão   filosofiaRazão   filosofia
Razão filosofia
 
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - FilosofandoA Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
A Experiência Filosófica - Capítulo 1 - Filosofando
 
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015 Simulado de Filosofia - 1º ano  / 2015
Simulado de Filosofia - 1º ano / 2015
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: SócratesAula de filosofia antiga, tema: Sócrates
Aula de filosofia antiga, tema: Sócrates
 
Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
Aula 01   filosofia mito, natureza e razãoAula 01   filosofia mito, natureza e razão
Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
 
Passagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofiaPassagem do mito à filosofia
Passagem do mito à filosofia
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02
Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02
Apostiladefilosofia3ano 110821082512-phpapp02
 
Sofistas
SofistasSofistas
Sofistas
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
 
O QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELES
O QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELESO QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELES
O QUE É POLÍTICA EM ARISTÓTELES
 
Capítulo 13 em busca da verdade
Capítulo 13   em busca da verdadeCapítulo 13   em busca da verdade
Capítulo 13 em busca da verdade
 
1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica1 introdução à reflexão filosofica
1 introdução à reflexão filosofica
 
Filósofos pré socráticos
Filósofos pré socráticosFilósofos pré socráticos
Filósofos pré socráticos
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
Filosofia da educação semana 6 - Cultura
Filosofia da educação   semana 6 - CulturaFilosofia da educação   semana 6 - Cultura
Filosofia da educação semana 6 - Cultura
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
A ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docx
A ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docxA ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docx
A ORIGEM DA FILOSOFIA - resumo.docx
 
Atitudes filosóficas
Atitudes filosóficasAtitudes filosóficas
Atitudes filosóficas
 
Estetica (atividade II)
Estetica   (atividade II)Estetica   (atividade II)
Estetica (atividade II)
 

Semelhante a Epicurismo 11 11-13

FILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdf
FILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdfFILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdf
FILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdfWilker Simões
 
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Dell Sales
 
Apresentação de Filosofia
Apresentação de FilosofiaApresentação de Filosofia
Apresentação de FilosofiaLeandro Amorim
 
Filosofia - Período Sistemático e Helenístico
Filosofia - Período Sistemático e Helenístico Filosofia - Período Sistemático e Helenístico
Filosofia - Período Sistemático e Helenístico JOAO EMANUEL
 
A Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período ClássicoA Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período Clássicopoxalivs
 
Filosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptx
Filosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptxFilosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptx
Filosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptxGUILHERMEBERTOLIN2
 
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docxLucasGilCosta
 
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docxLucasGilCosta
 
Trabalho de filosofia paola 21 m
Trabalho de filosofia paola 21 mTrabalho de filosofia paola 21 m
Trabalho de filosofia paola 21 mAlexandre Misturini
 
1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptxjosuelsilva19
 
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhccFilosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhccNayanaEscossio
 
Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25
Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25
Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25Alexandre Misturini
 
Apostila ENEM Filosofia 1 - Período Helenístico
Apostila ENEM Filosofia 1 - Período HelenísticoApostila ENEM Filosofia 1 - Período Helenístico
Apostila ENEM Filosofia 1 - Período HelenísticoJá Entendi
 
Investigação da Filosofia Antiga
Investigação da Filosofia AntigaInvestigação da Filosofia Antiga
Investigação da Filosofia AntigaLuan Ismar
 

Semelhante a Epicurismo 11 11-13 (20)

Helenismo fácil
Helenismo fácilHelenismo fácil
Helenismo fácil
 
Ecletismo
EcletismoEcletismo
Ecletismo
 
Síntese helenismo
Síntese helenismoSíntese helenismo
Síntese helenismo
 
helenismo
helenismohelenismo
helenismo
 
FILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdf
FILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdfFILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdf
FILOSOFIA - ESTOICISMO (A Arte de Viver em Paz Sob Qualquer Circunstância)..pdf
 
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]
 
Apresentação de Filosofia
Apresentação de FilosofiaApresentação de Filosofia
Apresentação de Filosofia
 
filosofia helenica
filosofia helenicafilosofia helenica
filosofia helenica
 
Filosofia - Período Sistemático e Helenístico
Filosofia - Período Sistemático e Helenístico Filosofia - Período Sistemático e Helenístico
Filosofia - Período Sistemático e Helenístico
 
A Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período ClássicoA Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período Clássico
 
Filosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptx
Filosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptxFilosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptx
Filosofia_2ª_série_Sócrates_Platão_Aristóteles.pptx
 
25
2525
25
 
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont.docx
 
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx
01_Ceticismo_,_de_Jean_Paul_Dumont (1).docx
 
Trabalho de filosofia paola 21 m
Trabalho de filosofia paola 21 mTrabalho de filosofia paola 21 m
Trabalho de filosofia paola 21 m
 
1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx
 
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhccFilosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
Filosofia antiga.pdfjjjhgfcccvjjjbbbhhcc
 
Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25
Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25
Trabalho de filosofia 25tp 25 25 25
 
Apostila ENEM Filosofia 1 - Período Helenístico
Apostila ENEM Filosofia 1 - Período HelenísticoApostila ENEM Filosofia 1 - Período Helenístico
Apostila ENEM Filosofia 1 - Período Helenístico
 
Investigação da Filosofia Antiga
Investigação da Filosofia AntigaInvestigação da Filosofia Antiga
Investigação da Filosofia Antiga
 

Mais de Colégio Tiradentes III (20)

Aula turma direito_m_do_e_j
Aula turma direito_m_do_e_jAula turma direito_m_do_e_j
Aula turma direito_m_do_e_j
 
Aula revisão
Aula revisãoAula revisão
Aula revisão
 
Aula dia 06 08
Aula dia 06 08Aula dia 06 08
Aula dia 06 08
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Aula 9 e 10
 
Aula 05 e 06
Aula 05 e 06Aula 05 e 06
Aula 05 e 06
 
Aula 03 e 04
Aula 03 e 04Aula 03 e 04
Aula 03 e 04
 
Aula 01 e 02
Aula 01 e 02Aula 01 e 02
Aula 01 e 02
 
Aula 09
Aula 09Aula 09
Aula 09
 
Aula 02
Aula 02Aula 02
Aula 02
 
Aula 1 24-01
Aula 1   24-01Aula 1   24-01
Aula 1 24-01
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Aula sociologia
Aula sociologiaAula sociologia
Aula sociologia
 
Aula dia 29 01
Aula dia 29 01Aula dia 29 01
Aula dia 29 01
 
Origem e divisão da filosofia
Origem e divisão da filosofiaOrigem e divisão da filosofia
Origem e divisão da filosofia
 
Episteme do mito a razão
Episteme do mito a razãoEpisteme do mito a razão
Episteme do mito a razão
 
Aula dia 14 09
Aula dia 14 09Aula dia 14 09
Aula dia 14 09
 
Aula 31 08
Aula 31 08Aula 31 08
Aula 31 08
 
Aula dia 03 08-16
Aula dia 03 08-16Aula dia 03 08-16
Aula dia 03 08-16
 
Como fazer uma resenha
Como fazer uma resenhaComo fazer uma resenha
Como fazer uma resenha
 
Para prova 2
Para prova 2Para prova 2
Para prova 2
 

Último

Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 

Último (20)

Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 

Epicurismo 11 11-13

  • 1. O PERÍODO HELENÍSTICO  Principais características:  O grande centro político e cultural do helenismo foi a cidade de Alexandria;  A produção científica de Alexandria desenvolve- se em muitas direções , porém se destacando em duas na matemática e na geometria com Euclides; na medicina com Herófilo; nos estudos de linguagem com Aristófanes; na Astronomia com Aristarco de Samos; na Geografia com Erastóstenes.
  • 2. PERÍODO HELENÍSTICO  A filosofia do helenismo tem sido pouco estudada, sendo esse período talvez um dos menos pesquisados da história da filosofia;  O pensamento do helenismo, ao contrario do que pensam muitos é essencialmente um pensamento de escola estando ligado muito mais a corrente filosófica do que a originalidade do individuo;  O ecletismo foi um dos traços fundamentais do helenismo sobretudo a partir do período romano;
  • 3. PERÍODO HELENÍSTICO  Não há como falar de helenismo sem destacar as escolas antecessoras deste período;  Os desenvolvimentos da academia de Platão e do Liceu de Aristóteles que formam a chamada escola “peripatética” devem ser examinadas com muito critério assim como as escolas que caracterizam o período helenista que são o estoicismo, o epicurismo e o ceticismo;
  • 4. A ACADEMIA E O PLATONISMO  Foi fundada por Platão em 387 a.c e existirá até 529 d.c quando um decreto de Justiniano, imperador de Constantinopla, fecha todas as escolas pagãs de filosofia no império;  Cicero foi membro da Academia, mas também um pensador eclético, interessando-se sobretudo pelo estoicismo;  Após esse período a Academia entra em fase de decadência;
  • 5. A ESCOLA PERIPATÉTICA E O ARISTOTELISMO  A história do aristotelismo é bem mais fragmentária do eu a do platonismo, visto que o Liceu não teve a mesma continuidade;  Os principais filósofos dessa nova fase do Liceu são Aristocles de Messena, e Alexandre de Afrodísias;  A concepção de Aristóteles de ciência natural teve influencia no desenvolvimento da tradição cientifica de Alexandria se expandindo mais tarde para a ciência árabe;
  • 6. O ESTOICISMO  Escola fundada em Atenas em 300 a.c por Zenão de Citio, pensador de origem fenícia;  O termo “ estoicismo” é derivado da stoa poíkilé, ou “ pórtico pintado” local onde os membros se reunião em Atenas;  O estoicismo concebe a filosofia de forma sistemática onde está se compõem em três partes sendo a: física, a lógica e a ética;  Essa concepção reflete a estreita relação entre a física e a ética, para ela o homem é um microcosmo no macrocosmo , ou seja, é parte do universo e portanto da natureza;
  • 7. O ESTOICISMO  O estoicismo do ponto de vista ético trabalha com três virtudes básicas;  A inteligência que consiste no conhecimento tanto do bem quanto do mal;  A coragem o conhecimento do que temer e não temer;  E a justiça que é o conhecimento que nos permite julgar dando a cada um o que lhe é devido;
  • 8. O ESTOICISMO  A noção de necessidade ou destino ( heimarmené), é muito forte no estoicismo;  Segundo um exemplo dado se vejo alguém se afogar devo salva- lo porém se não conseguir não devo me culpar pois o fato seria inevitável;  O destino não é cego e arbitrário, mas reflete a racionalidade do real, a qual devo aceitar mesmo que não entenda;  O mais importante filósofo deste período foi Sêneca;  Em virtude de sua tendência eclética passa a se confundir com o platonismo, embora a ética estoica tenha tido grande influencia no lumiar do cristianismo dado suas características de valorização do autocontrole, submissão e austeridade;
  • 9. O EPICURISMO  Epicuro (341-270 a.c) funda sua escola em Atenas em 306 a.c onde se reunia com seus discípulos em um jardim;  A teoria do conhecimento epicurista caracterizava-se pela valorização da experiência imediata tendo este introduzido o conceito de pré-noção que consiste na conservação de elementos da experiência os quis servem de ponto de partida para a experiência posterior;  O homem age eticamente na medida em que dá vazão a seus desejos e necessidades naturais de forma equilibrada e moderada;
  • 10. O EPICURISMO  A escola epicurista não teve a mesma influencia e repercussão do estoicismo;  Seus representantes são poucos destacando-se entre este movimento Filodemo de Gadara ( 80-45 a.c) e Tito Lucrécio Caro( 98-50 a.c);  O interesse pelo epicurismo, tanto por sua ética compor sua física é retomado no Renascimento;
  • 11. O CETICISMO E A TRADIÇÃO CÉTICA  Conceituando:  Ceticismo é um desses termos filosóficos que se incorporam a linguagem comum, portanto todos julgamos saber o que significa. Porém ao examinar a tradição cética observa-se que não há um ceticismo, mas várias concepções diferentes sobre o mesmo tema;  A tradição cética não se constitui linearmente, como o estoicismo e epicurismo que tiveram a figura de uma grande mestre em seu momento inaugural;
  • 12. O CETICISMO E A TRADIÇÃO CÉTICA  O ceticismo é composto de vários momentos os quais podemos destacar sua presença na filosofia;  São eles:  O proto-ceticismo identificado em tendências e temas céticos já na filosofia dos pré-socráticos ;  O ceticismo inaugurado por Pirro de Élis (360-270 a.c)  O ceticismo acadêmico, correspondendo a fase inicial da academia de Platão;  O pirronismo ou ceticismo pirrônico, embora Pirro seja considerado o fundador do ceticismo antigo é possível apontar outros filósofos como Demócrito de Abdera e Protágoras;
  • 13.
  • 14. CONSIDERAÇÕES  Embora pouco estudado, o período helenista traz uma enorme contribuição para o pensamento filosófico no sentido de compreensão das contribuições para as outras áreas do conhecimento.