Solução aquosa a partir de um soluto sólido   1. IntroduçãoCom este trabalho pretendeu-se criar uma mistura homogénea (mis...
Fig.1-Transferencia da solução obtida para o balão volumétrico.6º passo - completar o volume até à marca do balão volumétr...
08a claudia pinto
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

08a claudia pinto

419 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

08a claudia pinto

  1. 1. Solução aquosa a partir de um soluto sólido 1. IntroduçãoCom este trabalho pretendeu-se criar uma mistura homogénea (mistura em que apenasexiste uma fase, e a aparência é uniforme a olho nu). Neste caso utilizamos comosolvente (solvente é o componente em maior quantidade quando o soluto e o solventetem o mesmo estado físico. Por exemplo na água do mar o soluto é o sal e o solvente é aagua) a água, e como soluto (soluto é o componente que tem o estado físico da soluçãoquando o soluto e o solvente tem estados diferentes) o sulfato de cobre (II). 2. MaterialPara elaborar esta experiencia foi necessário:- Balões volumétricos de 50 e 100 mL- Garrafa de esguicho com água destilada- Funil- Gobelé- Espátula- Balança- Vareta- Pipeta de Pasteur- Sulfato de cobre II 3. Procedimento1º passo - medir no gobelé cerca de 1,87 g desulfato de cobre II.2º passo - adicionar um pouco de água destiladaao sólido e agitar com a vareta até o dissolver.3º passo - transferir a solução obtida através dofunil (com a ajuda da vareta), para o balãovolumétrico.4º passo - lavar bem o gobelé e a vareta (com águadestilada) e transferir a água da lavagem tambémpara o balão volumétrico usando o funil.5º passo - tapar o balão volumétrico (com umarolha) invertendo-o consecutivamente de forma a homogeneizar a solução.
  2. 2. Fig.1-Transferencia da solução obtida para o balão volumétrico.6º passo - completar o volume até à marca do balão volumétrico (sem passar a marca).7º passo - calcular a sua concentração mássica.8º passo - colocar o conteúdo de balão volumétrico num outro balão volumétrico de 100mL.9º passo - adicionar um pouco de água ao balão de 50 mL, lavar e deitar essa água nobalão de 100 mL.10º passo - completar o volume até à marca do balão volumétrico 100 mL (sem passar amarca).11º passo - Calcular a nova concentração mássica. 4. ResultadosTabela 1.Massa de soluto Volume de solução Concentração mássica da solução m/g V/cm3 C= / (g/cm3) 1,9 50 0,038Tabela 2.Massa de soluto Volume de solução Concentração mássica da solução m/g V/cm3 C= / (g/cm3) 1,9 100 0,019 5. DiscussãoA conclusão que tirei foi ao adicionar mais solvente, sem aumentar o soluto, o volumeaumenta, ou seja, quanto maior for o volume, menor irá ser a concentração mássica.Neste caso esta solução é diluída, pois a solução é transparente, porque se fosse umasolução concentrada a solução seria mais baça.Quando se usa material de laboratório devesse ter muito cuidado, pois certos produtossão inflamáveis, tóxicos, nocivos … 6. Recursos bibliográficosLivro “FQ 7. Terra no espaço. Terra em transformação.” Cláudia Pinto 7ºA nº8 9/12/2011

×