SlideShare uma empresa Scribd logo

Filosofia 10. ano

Iniciação à atividade filosófica

1 de 26
Baixar para ler offline
Pensar Azul Texto Editores
Iniciação à Atividade Filosófica
1.3 A dimensão discursiva do trabalho filosófico
SUMÁRIO
1. Competências básicas para o trabalho filosófico
2. Metodologias para o trabalho filosófico
1
Pensar Azul Texto Editores
1. Competências básicas para o trabalho filosófico
As teorias filosóficas apresentam-se
organizadas num discurso (oral ou escrito)
Discurso é um conjunto coerente de argumentos que visam expor
um determinado assunto, formular um problema e apresentar uma
resposta devidamente justificada
2
Pensar Azul Texto Editores
Competências específicas
A Filosofia exige competências específicas para
Problematizar
Concetualizar
Argumentar
3
Pensar Azul Texto Editores
Problematizar
é descobrir e formular
problemas que desafiem
a nossa reflexão a passar
para além dos significados
imediatos das situações
Problematizar
4
Pensar Azul Texto Editores
Concetualizar
Concetualizar
é elaborar conceitos, isto é, noções gerais
organizadoras da pluralidade da experiência
humana
Conceitos, ou termos, são instrumentos lógicos que designam
uma classe de seres
5
Pensar Azul Texto Editores
Argumentar
é construir um conjunto de
proposições articuladas
logicamente, de modo a
justificar uma posição ou
tese
Argumentar
Argumento é uma sequência de proposições cuja conclusão tem por
base outras proposições, chamadas premissas
6

Recomendados

Filosofia 10. ano - o que é a filosofia
Filosofia 10. ano - o que é a filosofiaFilosofia 10. ano - o que é a filosofia
Filosofia 10. ano - o que é a filosofiaClaudia Martinho
 
Resumo e questões filosofia 11º
Resumo e questões filosofia 11ºResumo e questões filosofia 11º
Resumo e questões filosofia 11ºmalaiko
 
Filosofia e Conhecimento 1
Filosofia e Conhecimento 1Filosofia e Conhecimento 1
Filosofia e Conhecimento 1Jorge Barbosa
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesAnaGomes40
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)Mariana Monteiro
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. iameliapadrao
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio InesTeixeiraDuarte
 
Cantigas de amigo - resumo
Cantigas de amigo - resumoCantigas de amigo - resumo
Cantigas de amigo - resumoGijasilvelitz 2
 
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade CognoscitivaFilosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade CognoscitivaRafael Cristino
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralHelena Coutinho
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoRaffaella Ergün
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidasHelena Serrão
 
Determinismo_radical
Determinismo_radicalDeterminismo_radical
Determinismo_radicalIsabel Moura
 
Ii lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)
Ii   lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)Ii   lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)
Ii lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)AidaCunha73
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraDavid Caçador
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesCatarina Castro
 
A crença na ideia de conexão necessária
A crença na ideia de conexão necessáriaA crença na ideia de conexão necessária
A crença na ideia de conexão necessáriaLuis De Sousa Rodrigues
 
Determinismo_moderado
Determinismo_moderadoDeterminismo_moderado
Determinismo_moderadoIsabel Moura
 
Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada Isabel Moura
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b finalj_sdias
 

Mais procurados (20)

Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
Filosofia 10ºano 1ºperiodo (resumos)
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
 
Cantigas de amigo - resumo
Cantigas de amigo - resumoCantigas de amigo - resumo
Cantigas de amigo - resumo
 
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade CognoscitivaFilosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
Filosofia 11 - Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
O empirismo de david hume
O empirismo de david humeO empirismo de david hume
O empirismo de david hume
 
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo II Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Formas de inferência válidas
Formas de inferência válidasFormas de inferência válidas
Formas de inferência válidas
 
Determinismo_radical
Determinismo_radicalDeterminismo_radical
Determinismo_radical
 
Ii lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)
Ii   lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)Ii   lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)
Ii lógica proposicional - formalização de proposições e argumentos (7)
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
A crença na ideia de conexão necessária
A crença na ideia de conexão necessáriaA crença na ideia de conexão necessária
A crença na ideia de conexão necessária
 
Determinismo_moderado
Determinismo_moderadoDeterminismo_moderado
Determinismo_moderado
 
Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada Conhecimento como crença verdadeira justificada
Conhecimento como crença verdadeira justificada
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 

Semelhante a Filosofia 10. ano

Filosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações IniciaisFilosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações IniciaisJorge Barbosa
 
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosóficoDimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosóficoJulia Martins
 
Dissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptxDissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptxBerlaPaiva
 
Como estudar filosofia
Como estudar filosofiaComo estudar filosofia
Como estudar filosofiasuperego
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo7 de Setembro
 
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativoRedação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativo7 de Setembro
 
Artur polónio como escrever um ensaio filosófico
Artur polónio   como escrever um ensaio filosóficoArtur polónio   como escrever um ensaio filosófico
Artur polónio como escrever um ensaio filosóficoRolando Almeida
 
Resumo - Dissertação.pptx
Resumo - Dissertação.pptxResumo - Dissertação.pptx
Resumo - Dissertação.pptxCarlosValnicio1
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxHelena Serrão
 
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativoProdução de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativocomplementoindirecto
 
Como escrever um ensaio filosófico.pdf
Como escrever um ensaio filosófico.pdfComo escrever um ensaio filosófico.pdf
Como escrever um ensaio filosófico.pdfMaria Da Guia Fonseca
 

Semelhante a Filosofia 10. ano (20)

Filosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações IniciaisFilosofia - Orientações Iniciais
Filosofia - Orientações Iniciais
 
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosóficoDimensão discursiva do trabalho filosófico
Dimensão discursiva do trabalho filosófico
 
O que é argumentar
O que é argumentarO que é argumentar
O que é argumentar
 
Dissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptxDissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptx
 
Como estudar filosofia
Como estudar filosofiaComo estudar filosofia
Como estudar filosofia
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
 
Texto Argumentativo
Texto ArgumentativoTexto Argumentativo
Texto Argumentativo
 
Filosofia e debate
Filosofia e debateFilosofia e debate
Filosofia e debate
 
Texto argumentativo
Texto argumentativoTexto argumentativo
Texto argumentativo
 
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativoRedação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
 
Artur polónio como escrever um ensaio filosófico
Artur polónio   como escrever um ensaio filosóficoArtur polónio   como escrever um ensaio filosófico
Artur polónio como escrever um ensaio filosófico
 
Resumo - Dissertação.pptx
Resumo - Dissertação.pptxResumo - Dissertação.pptx
Resumo - Dissertação.pptx
 
Ensaio
EnsaioEnsaio
Ensaio
 
A estrutura do texto dissertativo
A estrutura do texto dissertativoA estrutura do texto dissertativo
A estrutura do texto dissertativo
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
 
Dissertaçao
DissertaçaoDissertaçao
Dissertaçao
 
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptx
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptxTEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptx
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptx
 
Como estudar
 Como estudar Como estudar
Como estudar
 
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativoProdução de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
Produção de texto - Percursos da escrita - Texto argumentativo
 
Como escrever um ensaio filosófico.pdf
Como escrever um ensaio filosófico.pdfComo escrever um ensaio filosófico.pdf
Como escrever um ensaio filosófico.pdf
 

Último

2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024assedlsam
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...azulassessoriaacadem3
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 

Último (20)

2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 

Filosofia 10. ano

  • 1. Pensar Azul Texto Editores Iniciação à Atividade Filosófica 1.3 A dimensão discursiva do trabalho filosófico SUMÁRIO 1. Competências básicas para o trabalho filosófico 2. Metodologias para o trabalho filosófico 1
  • 2. Pensar Azul Texto Editores 1. Competências básicas para o trabalho filosófico As teorias filosóficas apresentam-se organizadas num discurso (oral ou escrito) Discurso é um conjunto coerente de argumentos que visam expor um determinado assunto, formular um problema e apresentar uma resposta devidamente justificada 2
  • 3. Pensar Azul Texto Editores Competências específicas A Filosofia exige competências específicas para Problematizar Concetualizar Argumentar 3
  • 4. Pensar Azul Texto Editores Problematizar é descobrir e formular problemas que desafiem a nossa reflexão a passar para além dos significados imediatos das situações Problematizar 4
  • 5. Pensar Azul Texto Editores Concetualizar Concetualizar é elaborar conceitos, isto é, noções gerais organizadoras da pluralidade da experiência humana Conceitos, ou termos, são instrumentos lógicos que designam uma classe de seres 5
  • 6. Pensar Azul Texto Editores Argumentar é construir um conjunto de proposições articuladas logicamente, de modo a justificar uma posição ou tese Argumentar Argumento é uma sequência de proposições cuja conclusão tem por base outras proposições, chamadas premissas 6
  • 7. Pensar Azul Texto Editores O discurso filosófico tem uma grande exigência racional, pois para argumentar e fazer inferências válidas (raciocinar) são necessários os instrumentos lógicos seguintes: argumentos proposições/juízos conceitos/termos Instrumentos lógicos 7
  • 8. Pensar Azul Texto Editores Argumento é uma sequência de proposições organizadas de tal modo que a conclusão tem por base outra ou outras proposições, chamadas premissas Exemplo: Argumento Premissa 1 Tudo o que existe tem um princípio Proposição Premissa 2 Tudo o que tem um princípio tem uma causa Proposição Premissa 3 O Universo tem um princípio Proposição Conclusão Logo, o Universo tem uma causa Proposição >>> 8
  • 9. Pensar Azul Texto Editores Argumento Argumento sólido é um argumento válido e com premissas verdadeiras Um argumento é constituído por proposições, mas nem todas as frases são proposições 9
  • 10. Pensar Azul Texto Editores Chama-se proposição ao que é afirmado ou negado numa frase declarativa Proposição Exemplos A expressão “Que grande seca!” não é uma proposição. É uma exclamação e o seu conteúdo não tem valor de verdade Por sua vez, frases como “Lisboa é a capital de Portugal” ou “Lisboa e Porto são rios” são frases declarativas: uma é verdadeira e a outra é falsa Só é frase declarativa aquela que possa ter valor de verdade (ser verdadeira ou falsa) >>> 10
  • 11. Pensar Azul Texto Editores Proposição é o que é afirmado ou negado numa frase declarativa Proposição Tradicionalmente chamou-se juízo ao processo mental que permite construir proposições Os juízos estabelecem relações entre conceitos 11
  • 12. Pensar Azul Texto Editores No debate de ideias cometem-se erros. Por isso, a aceitação de qualquer tese exige a verificação da: - validade dos argumentos que a justificam (argumento válido é aquele que não pode ter premissas verdadeiras e uma conclusão falsa) - verdade das proposições tomadas como premissas Validade e verdade 12
  • 13. Pensar Azul Texto Editores São instrumentos lógicos que designam o conjunto de características essenciais de uma classe de seres ou objetos Conceitos/termos Os conceitos são universais - aplicam-se a todos os elementos da classe abstratos - o seu significado expressa as propriedades essenciais comuns a essa classe, ignorando as diferenças particulares dos seus elementos 13
  • 14. Pensar Azul Texto Editores 2. Metodologias para trabalho filosófico O desenvolvimento das competências (problematizar, concetualizar, argumentar) exige 1. leitura e análise filosófica de textos 2. debate e discussão de temas e problemas 3. elaboração de textos 14
  • 15. Pensar Azul Texto Editores Modelo geral 1. Leitura e análise filosófica de textos  Identificar o tema  Identificar o problema  Identificar a tese ou as teses do autor  Identificar os argumentos em confronto  Identificar os termos ou conceitos nucleares  Discutir e tomar posição sobre as teses 15
  • 16. Pensar Azul Texto Editores 2. Debate e discussão de temas e problemas Debate é uma situação tipicamente argumentativa que envolve um confronto de ideias Tem os seguintes momentos - discussão das teses - confronto dos argumentos - assunção das posições justificadas 16
  • 17. Pensar Azul Texto Editores a. Nível comportamental • saber ouvir: estar aberto aos argumentos dos outros • apresentar argumentos curtos e claros • justificar as suas posições com argumentos válidos • argumentos com provas factuais (se possível) • intervir só se tiver algo novo a dizer >>> Regras para o debate 17
  • 18. Pensar Azul Texto Editores Debate “É preciso aprender a ouvir os outros” >>> >>> 18
  • 19. Pensar Azul Texto Editores a. Nível comportamental Regras para o debate • evitar argumentos já usados • admitir que os outros podem ter razão • aceitar alterar a própria posição • evitar a agressividade e o ataque pessoal • importante é o esclarecimento, não a vitória >>> >>> 19
  • 20. Pensar Azul Texto Editores b. Nível argumentativo Regras para o debate • respeitar as regras da gramática • respeitar as regras da lógica e/ou da retórica >>> >>> 20
  • 21. Pensar Azul Texto Editores As regras da lógica - regras do discurso coerente Regras para o debate • fazer afirmações ou negações (proposições) justificadas • não usar contradições (não defender uma tese e a sua negação) • fazer inferências válidas (usar argumentos cuja conclusão decorre das premissas) • usar argumentos sólidos (cuja conclusão decorra de premissas verdadeiras) • respeitar as regras de construção de argumentos válidos >>> >>> 21
  • 22. Pensar Azul Texto Editores As regras da retórica Regras para o debate >>>  fazer afirmações credíveis e sustentáveis recorrer a argumentos de autoridade usar figuras de estilo: metáforas, alegorias, analogias  fazer apelo às emoções do auditório (a quem nos dirigimos) usar uma  linguagem  apelativa 22
  • 23. Pensar Azul Texto Editores Em Filosofia, os trabalhos escritos podem ser 3. Elaboração de textos - sínteses - textos argumentativos - monografias (desenvolver um tema seguindo um guião) 23
  • 24. Pensar Azul Texto Editores Regras para elaborar sínteses Identificar o autor e a obra Identificar e expor com rigor o tema, o problema, os conceitos e a(s) tese(s) Apresentar com clareza a estrutura e a sequência lógica do texto Centrar-se nas ideias principais, evitar divagações ou elementos insignificantes Ser fiel às ideias essenciais do texto e expô-las com rigor 24
  • 25. Pensar Azul Texto Editores Regras para elaborar um texto argumentativo Formular e expor com rigor o tema e o problema Expor com imparcialidade as teses em debate, confrontando-as entre si Explicar / clarificar / criticar os argumentos Tomar posição (defender uma tese), justificando-a com argumentos válidos 25
  • 26. Pensar Azul Texto Editores Regras para uma monografia 1. Recolher informação relevante sobre o tema 2. Estabelecer um plano coerente com Introdução apresentação dos objetivos do trabalho, do tema e da metodologia Desenvolvimento exposição do tema e formulação do problema contextualização do problema exposição ordenada da informação recolhida defesa e justificação da tese Conclusão apresentação de uma síntese balanço crítico do trabalho indicação das fontes 26