ANA CAROLINA   JORGE   STEPHANY   THALIA   VINÍCIUSESCOLAMAL-ASSOMBRADA                   EDITORA BEI
ANA CAROLINA   JORGE   STEPHANY   THALIA   VINÍCIUS           ESCOLA        MAL-ASSOMBRADA                  EDITORA BEI
RealizaçãoCICLO II – 2º ANO HEMEB MÁRIO MARTINS DE ALMEIDAEDITORA BEIDireção EditorialJamileAutores:Ana Carolina Lima Lero...
Agradecimentos  Agradecemos a professora Jamilee a Ana da biblioteca por toda ajuda     e apoio na elaboração do livro.
Há muitos anos, no final do século XVIII, havia uma escola chamadaSheakespeareVill, uma das melhores escolas dos Estados U...
Quando entraram na escola viram gotas de sangue no chão e teiasde aranha nas paredes. Bianca e Samira começaram a ficar co...
Retornaram ao prédio e começaram a olhar assalas de aulas, mas estavam todas trancadas. De repente, ouviramseus amigos gri...
Os dois ficaram em pânico e tentaram arrombar a porta mais umavez. Nada. Carlos sugeriu:          - Vamos usar a chave!   ...
Samira apavorou-se vendo o estado em que se encontrava o amigo.Ficou pálida também e começou a chorar:        - O que foi ...
Com o susto, Carlos recuperou o ânimo:                       - O que foi Samira?                       O grito de Samira t...
Bianca e Gabriel começaram a cochichar:                      - O que vamos fazer? – disse Bianca.                      - N...
-   A    prefeitura...   A   chave   da   cidade!!!   –   disse   Biancaeufórica, esquecendo a situação horripilante em qu...
- Achamos uma chave pessoal! Vamos libertar vocês! – gritou Gabriel.            Carlos e Samira acordaram. Gabriel destran...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Escola mal assombrada

883 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
883
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
571
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escola mal assombrada

  1. 1. ANA CAROLINA JORGE STEPHANY THALIA VINÍCIUSESCOLAMAL-ASSOMBRADA EDITORA BEI
  2. 2. ANA CAROLINA JORGE STEPHANY THALIA VINÍCIUS ESCOLA MAL-ASSOMBRADA EDITORA BEI
  3. 3. RealizaçãoCICLO II – 2º ANO HEMEB MÁRIO MARTINS DE ALMEIDAEDITORA BEIDireção EditorialJamileAutores:Ana Carolina Lima LeroiJorge Kaue Bernardino SantosStephany Almeida ZupaThalia Araujo Ernesto LimaVinícius Ferreira TeixeiraAdaptação dos textos/RevisãoJamileAna Carolina MoroIlustraçõesOs autoresProjeto GráficoAna Carolina Moro EMEB MÁRIO MARTINS DE ALMEIDABEI “AYRTON SENNA DA SILVA”Rua São João, n.133 – Jardim São PauloCEP09715-240 – SBCAMPO - SPTel. (0XX11) 4127-0721/4127-9001 2012 1ª Edição 1ª impressão
  4. 4. Agradecimentos Agradecemos a professora Jamilee a Ana da biblioteca por toda ajuda e apoio na elaboração do livro.
  5. 5. Há muitos anos, no final do século XVIII, havia uma escola chamadaSheakespeareVill, uma das melhores escolas dos Estados Unidos, na época. Aescola foi fundada por Katherine Pierce (uma famosa escritora nascida naCalifórnia). A escola era muito boa até que pessoas a invadiram e mataramvários professores e alunos (de acordo com o jornal Prime). A partir daíninguém mais entrou na escola. Nunca se descobriu quem foi que invadiu aescola. Passaram-se anos e anos sem ninguém entrar nela, até final do séculoXX. Em uma tarde nublada de sábado, Gabriel lembrou que mendigosdisseram que a escola SheakespeareVill era mal-assombrada e quis saber seera verdade. Propôs aos amigos Bianca, Samira e Carlos um desafio: quementrasse na escola era o vencedor. E assim foram. Quando olharam melhor para a fachada daescola, viram que ela estava toda pichada, cheia de rachaduras e com o portãotodo quebrado e enferrujado. Mesmo assim continuaram em frente.
  6. 6. Quando entraram na escola viram gotas de sangue no chão e teiasde aranha nas paredes. Bianca e Samira começaram a ficar com medo. Ogrupo decidiu dividir-se em duplas: Gabriel e Bianca, Samira e Carlos. Gabriel e Bianca foram subindo as escadas. Samira e Carlos viramuma porta aberta e entraram. De repente, a porta da sala em que eles entraramfechou-se sozinha e eles começaram a gritar: - Socorro! Socorro! Mas ninguém apareceu. Samira começou a ficar com medo. Gabriel e Bianca estavam se acostumando com aquele cenário deterror da escola quando de repente viram gotas de sangue começar a segui-los. Bianca ficou apavorada. Até Gabriel, que era o mais valente daturma, ficou com muito medo. Os dois correram desesperados. As gotascorreram atrás. Quando já não aguentavam mais correr, Gabriel teve umaidéia, entrou num vão debaixo da escada e puxou Bianca. As gotas seguiramem frente. Os dois suspiraram aliviados e continuaram a andar pelaescola, ainda com muito medo, até chegarem ao pátio. Procuraram o portãopelo qual haviam entrado na escola, mas não conseguiram encontrar. - Parece que o portão desapareceu... – observou Bianca, pálida.
  7. 7. Retornaram ao prédio e começaram a olhar assalas de aulas, mas estavam todas trancadas. De repente, ouviramseus amigos gritando. Gabriel tentou derrubar a porta mais nãoconseguiu. A dupla então começou a andar novamente pela escolaquando perceberam que havia uma pessoa no fim do corredor que seaproximava cada vez mais. As crianças começaram a sentir muitomedo e correram até ficarem muito cansados. Quando olharam paratrás, não viram nada. Samira e Carlos ainda estavam na sala semconseguir sair. Estavam com a sensação de estarem sendoobservados. Olharam para as carteiras, cadernos e livros quecomeçaram a desaparecer, restando apenas uma carteira com riscosde canetas e um livro em cima. Também havia uma faca com muitosangue e uma chave ao lado. A dupla olhou o título do livro “Vampire’sDiary”, que traduzido para português é “Diário de um Vampiro”. Após isso, Samira disse: - Uma faca e uma chave. Será que esses objetosquerem dizer alguma coisa?
  8. 8. Os dois ficaram em pânico e tentaram arrombar a porta mais umavez. Nada. Carlos sugeriu: - Vamos usar a chave! Ao colocarem a chave, que alívio, ela destrancou a porta.Samira já ia abri-la rapidamente. Carlos agarrou seu braço: - Cuidado. Não sabemos quem está lá fora. Abriram a porta bem devagar. Uma forte neblina começou a entrarna sala. Eles quase não conseguiam enxergar nada. Samira disse baixinho: - Vai, Carlos, espia lá fora! - Por que eu? - Vai logo – Samira empurrou Carlos. Carlos colocou a cabeça para fora e ficou pálido, trêmulo e semvoz. Só teve forças para entrar, trancar novamente a sala e sentar, quase semforças nas pernas.
  9. 9. Samira apavorou-se vendo o estado em que se encontrava o amigo.Ficou pálida também e começou a chorar: - O que foi Carlos, o que foi? Carlos conseguiu dizer algumas palavras: - Eu vi.. É horrível... É o fim... Estamos perdidos... Estamosperdidos... Eles vão nos matar... - Eles quem, Carlos, fale! – Samira começou a sacudir oamigo, desesperada. - Eles, os zumbis, os mortos-vivos, as caveiras... Estão todosali, prontos para nos matar...- Samira sem entender ainda o que o amigo dizia, resolveu procuraralguma resposta no livro que estava na mesa. Após ler algumaspáginas, soltou um grito de pavor.
  10. 10. Com o susto, Carlos recuperou o ânimo: - O que foi Samira? O grito de Samira também foi ouvido por Gabriel e Biancaque vieram correndo. Samira continuou: - Estou entendendo tudo... Vamos morrer, não tem jeitoCarlos, vamos morrer aqui. Ela começou a gritar e se encolheu num canto da sala. Carlos foi tentar acalmar a amiga. Gabriel e Bianca chegarame começaram a bater na porta. - O que foi, amigos? Estamos aqui. O que foi? Samira começou a contar tudo para Carlos, chorando: - Estamos presos aqui, Carlos. A única chave que abre essaporta libera os mortos-vivos assassinos. - O quê? - Isso mesmo, Carlos. Essa chave dá acesso ao mundo dasassombrações, se abrirmos a porta com ela, elas vão entrar e matar todosnós...Quem sabe até a cidade inteira. Samira estava com os olhos arregalados. Correu para aporta: – Gabriel, Bianca, fujam! Corram! Salvem suas vidas! Vãoembora! Eu e Carlos precisamos ficar aqui e salvar a cidade! - Calma, calma – interrompeu Carlos. Tem que haver umasaída. Gabriel, Bianca, vocês precisam nos ajudar. Caímos em uma armadilha.Precisamos sair daqui, mas a chave que abre esta porta dá em outra dimensão.Precisamos abri-la por fora. Deve haver outra chave. Ajudem a procurar, por favor... Carlos começou a chorar. Bianca e Gabriel tentaram acalmaros amigos: - Calma, amigos, nós vamos conseguir, vamos conseguir...
  11. 11. Bianca e Gabriel começaram a cochichar: - O que vamos fazer? – disse Bianca. - Não sei. Vamos pensar. - Onde ficará a outra chave? - Vamos pensar... Já sei, vamos procurar pistas nabiblioteca – sugeriu Gabriel. Os dois saíram correndo. Entraram na biblioteca daescola afobados olhando para as estantes, sem ter nenhuma ideia. A bibliotecaera muito antiga, com móveis pesados de madeira e de metal. Estava tudomuito empoeirado. Finalmente eles avistaram uma estante com livros deHistória. - É isso! – pensou Gabriel. – Vamos ler sobre a históriada escola e da cidade. Deve haver alguma pista. Encontraram um livro grande e pesado. Nele estavaescrito que a primeira sede da prefeitura da cidade havia sido construída noterreno da escola, há muito tempo.
  12. 12. - A prefeitura... A chave da cidade!!! – disse Biancaeufórica, esquecendo a situação horripilante em que se encontravam. - A chave da cidade! – Gabriel também ficou entusiasmado. – Eladeve abrir todas as portas do mundo real, vencendo o mundo dos zumbis! - Mas não temos a menor ideia de onde estará essa chave –observou Bianca. - É um objeto antigo. Talvez fique em exposição... - O armário dos troféus! – lembrou Bianca. - Eu vi num corredorenquanto fugíamos das gotas de sangue... - Vamos! Bianca e Gabriel correram pelos corredores procurando o armáriodos troféus, que era um grande armário de aço com vidros nas portas. Quandoo encontraram, viram que estava trancado. - Ah, não, chega! Isso tem que acabar! – Gabriel pediu para Biancase afastar e jogou uma cadeira no vidro com toda força. O vidro do armário se quebrou com a pancada. Gabriel conseguipegar a chave. Os dois correram até a sala em que seus amigos estavampresos. Carlos e Samira dormiam de tanto cansaço.
  13. 13. - Achamos uma chave pessoal! Vamos libertar vocês! – gritou Gabriel. Carlos e Samira acordaram. Gabriel destrancou a porta. Antes desaírem, Carlos e Samira puderam observar que a carteira, o livro e a faca comsangue desapareceram. Os quatro amigos se abraçaram. - Onde vocês encontraram essa chave? – Carlos perguntou curioso. - Depois eu te conto – disse Gabriel apressado. – Rápido, vamosembora. Não vamos perder tempo. Essa chave vai nos ajudar a achar o portão desaída. Vamos! Os quatro amigos encontraram um portão com um cadeado que Gabrielconseguiu abrir facilmente com a chave da cidade.Finalmente, Carlos, Bianca, Samira e Gabriel puderam voltar para casa. Nuncativeram coragem de contar a ninguém o que aconteceu. Anos depois, na escola, uma carteira, um livro, uma faca e uma chaveaparecem numa sala... Do outro lado da cidade, alguns adolescentes conversamnuma praça sobre uma escola mal-assombrada...

×