Apresentação 1º journal club 23 04 2013

254 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
254
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação 1º journal club 23 04 2013

  1. 1. “Does improved functional performance help toreduce urinary incontinence in institutionalizedolder women? a multicenter randomizedclinical trial”Erwin CPM Tak, Ariëtte van Hespen, Paula van Dommelenand Marijke Hopman-RockFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas23/04/2013
  2. 2. Introdução• Incontinência Urinária (IU) um dos maiores problemas da população geriátricaqualidade de vida de idosos institucionalizados. alta prevalência e incidência (50-90%), especialmente em mulheresidosas com cuidadores. tratamento conservadorTreinamento dos músculos do assoalho pélvico (TMAP) e treino vesical (TV) = Eficácia Foco das instituiçõesInvestir em assistência à higienização (fornecimento de absorventes, fraldas eassistência) , ao invés de tratar as patologias subjacentes ou as causas da IU.Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  3. 3. Introdução• Déficit cognitivo e motor (declínio funcional) – fatores de riscoindependentes para IU• Estratégias micção solicitada e treinamento físico individualizado- redução significante da frequência de episódios de IU- melhora da mobilidade, mesmo em indivíduos com deficiência física e mental.• Desvantagens aumento da carga de trabalho da equipe de enfermagem/apoio edos custos – dificulta a implementação.• Revisão literatura falta de estudos de prevenção para manter continência em casas derepousoFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  4. 4. Objetivo• Objetivo avaliar a eficácia de um programa de exercícios em grupoatravés da melhora da performance funcional de mulheresidosas institucionalizadas.• Hipóteses Grupo programa de exercícios X Grupo cuidados habituais(controle)1) Há diminuição do número de idosas com IU e da frequência de episódiosde IU?2) Há melhora da performance física relacionada ao comportamento decontinência? (mobilidade, destreza/agilidade para ir ao banheiro)Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  5. 5. Método• Estudo multicentro, controlado e randomizado– avaliação de programa de exercícios - “Incondition”.• Desenho– Estudo epidemiológico de IU em residenciais de idosos (Staats et al,1998).– Residenciais recrutados - correspondência e boletim informativo da Organização Nacional deCuidados Institucionalizados da Holanda.• Critérios de inclusão - mulheres com função física e cognitiva que permitiam a participação− Teste de Triagem Cognitiva (CST) escore aceito > 9.6.− Barthel Index – observar independência na utilização do banheiro.− Termo de consentimento livre.• Critérios de exclusão - cateterização• Randomizaçãoresidenciais-intervenção x residenciais-controle (por semelhança)− prevalência da IU e uso de pad; número de residentes;− porcentagem de residentes recebendo cuidados psico-geriàtricos (ex.demência),− número de membros da equipe cuidados,− porcentagem de residentes com mobilidade reduzida e média tempo de cuidados/participante (minutos).Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  6. 6. Método• Momento Inicial, 3 e 6 meses− anamnese− testes físicos (Physical Performance Test)− diário miccional - 3 dias2 status de IU - ao menos 1 episódio de perda /3 dias;- nº de episódios / 3 dias− aplicação dos questionários− SF-12 (escore 0-100) e I-Qol (escore de 0-110)− realizados por alunos de fisioterapia treinados por outro fisioterapeuta (cego)− Para medidas de auto percepção (diário miccional) o staff ajudou os pacientes (nãocego).Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  7. 7. Método• Grupo de IntervençãoExercícios em grupo (6 a 10) , 1 hora semanal - 22 semanas (fisioterapeutaespecializado em TMAP):– instruções comportamentais verbais e escritas (melhorar controle da micção fornecendoconhecimento sobre continência);– treino vesical e treinamento MAP;– exercícios físicos para aumento da habilidade funcional em independência e tempo deutilização do banheiro;– exercícios funcionais (aquecimento, exercícios para melhorar mobilidade dos MMSS,sentar/levantar, caminhada e relaxamento);– exercícios pra casa.• Grupo-controleCuidados habituais, incluindo prescrição de uso de pads e utilização assistida dobanheiro.Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  8. 8. Método• Final do programa− reclamações,− razões de abandono ou falta,− opinião geral sobre o programa,− melhora subjetiva,− efeitos adversos.• Análises– Análise de Intenção de Tratamento.– Análise/Protocolo – participantes que fizeram ao menos 14 sessões.Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  9. 9. Resultados20 aceitaram participar 2 < nº mínimo - participantes18 residenciais e 192 participantes102 intervenção (10 residenciais) x 90 controle (8 residenciais)85 intervenção x 70 controleTérmino do protocolo51 intervenção x 60 controle27 residenciaisrandomizaçãoFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  10. 10. ResultadosAnálise dos ProtocolosFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  11. 11. Discussão• Programa de exercícios bem aceito satisfatório contribuiu para melhora subjetiva• Limitações Exclusão de alguns residenciais – medo de aumentar carga detrabalho funcionários. Alto índice de abandono- inicial- < 14 sessõesFt. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicaslonga duração do treino (cansativo?)comorbidades associadas
  12. 12. Conclusão• Programa de exercícios melhora da performance física em idosas institucionalizadas, semalteração do status de IU.• Aumento da confiança em reportar IU.• Atenção e monitoramento da IU parece levar a diminuição deocorrências de IU.• Prevenção e redução da IU no setor de cuidados de idososinstitucionalizados - alta prioridade!Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  13. 13. Indicação de Literatura• Comite-11 Incontinence in the Frail Elderlyhttp://www.ics.org/Publications/ICI_4/files-book/Comite-11.pdf• Roe et al. “Systematic review of the management of incontinence andpromotion of continence in older people in care homes: descriptivestudies with urinary incontinence as primary focus”. J Adv Nurs, 2011.Ft. Claudia R. Hacad, BCB PMDJournal Club Online de Disfunções Pélvicas
  14. 14. clahacad@gmail.comwww.claudiahacad.com.brwww.bfe.org

×