Redação para rádio

5.912 visualizações

Publicada em

PPT mídia sonora

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.912
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
251
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redação para rádio

  1. 1. REDAÇÃO PARA RÁDIO
  2. 2. RADIOJORNALÉ um jornal falado;O rádio deve entreter e informar o ouvinte;Deve utilizar o som para mexer com o imaginário do ouvinte;Também deve sugerir que o ouvinte permaneça ouvindo a programação;
  3. 3. A PAUTA NO RÁDIOA pauta é o início da atividade radiofônica;Uma boa pauta pode garantir uma boa matéria;Utilizar de notícias de jornal impresso ou telejornal pode prejudicar o desenvolvimento da matéria radiofônica ;
  4. 4. DETALHES DO CABEÇALHO Redator: Indica o nome daquele que redigiu a notícia. Data: Dia em que a pauta foi feita. Retranca: Palavras que identifiquem o assunto de sua matéria. Tempo: Duração da matéria. Validade: Até quando as informações contidas nesta nota são válidas jornalisticamente.
  5. 5.  A pauta deve ter poucas linhas, contendo toda a informação necessária para a realização da matéria. Mas não deve „engessar‟ o trabalho do jornalista ; Deve conter: o resumo dos acontecimentos, nomes das fontes e cargos, endereço, telefone, e -mail. Enfim, o que for necessário para que a fonte seja localizada; A pauta serve para selecionar o assunto e mostrá -lo de forma mais atraente;
  6. 6. DE ONDE VEM A PAUTA?Telefonemas;E-mails;Cartas do público;Ronda – o pauteiro liga para polícia, bombeiros, hospitais em busca de novidades;
  7. 7. UMA BOA PAUTA DEVE TER NO MÍNIMO Um resumo dos acontecimentos (ideias) que são objeto da reportagem. O que o repórter terá que conseguir, ou seja, o que interessa ao ouvinte. Como a emissora vai se posicionar em relação ao assunto. Fornecer todos os dados necessários para o repórter: nome, cargo ou função das pessoas que serão entrevistadas, telefones, hora da entrevista, local, e - mail sempre fornecer mais de uma fonte.
  8. 8. ALGUNS PASSOS O assunto deve ser relevante para a sociedade seja qual for a editoria e o que deve ser avaliado é a importância dos assuntos. Nenhuma rádio tem condições de cobrir todos os temas ao mesmo tempo, escolha o que é mais importante para o público-alvo da emissora. O pauteiro procura matéria-prima para pensar novas reportagens nas matérias feitas por outras emissoras, no fax, nos telefonemas dos ouvintes, na internet, nos jornais e etc. Hoje a figura do pauteiro praticamente não existe nas grandes emissoras. Todo jornalista tem por obrigação sugerir um tema por dia.
  9. 9.  Os assuntos da programação do dia, o planejamento para o dia seguinte e a continuidade ou não das reportagens são decididas na reunião de pauta. Fatos sociais são dinâmicos. Por isso é preciso ter cuidado para que durante o período de elaboração da matéria, novos fatos não mudem o enfoque ou derrube a pauta. O texto tem que ter lead e sublead, ser resumido, informativo e serve de roteiro para o repórter. O material de apoio deve estar sempre anexado.
  10. 10.  O pauteiro deve ganhar tempo e incluir no roteiro dados do entrevistado, telefones, endereços . OBS. NUNNNCA, MAS NUNNNCA MESMO, marque duas entrevistas no mesmo dia em lugares distantes para o mesmo repórter, salvo casos específicos. Geralmente uma boa reportagem tem duas ou três sonoras que ilustram e contam com detalhes a história.
  11. 11.  O pauteiro deve providenciar credenciais para locais públicos e privados com antecedência para não colocar em risco o trabalho. Tenha respeito pelo entrevistado e não o deixe esperando. O pauteiro deve se guiar sempre pelo conteúdo jornalístico e social da reportagem. Cuidado com o assédio, principalmente das assessorias de imprensa que jamais devem ser a única ou principal fonte de informação. NÃO SEJA PREGUIÇOSO. Assessor de imprensa não fala. Quando uma empresa fala através da assessoria deve ser feita uma nota. Cuidado com os releases.
  12. 12.  Tenha um cuidado especial com assuntos complexos. Elabore uma pauta temática. Durante uma semana os vários programas da emissora vão abordar o tema de forma diferente e pode ser encerrada com um debate no estúdio ou em um lugar público, auditório etc. Faça um planejamento do que vai rolar no fim de semana e feriados. Onde estarão prefeitos e governadores, veja o que pode repercutir e procure esquentar as reportagens. Arquivo: o que não serve hoje pode ser útil amanhã.
  13. 13. A REPORTAGEMÉ a produção do repórter no rádio;É o conjunto da notícia com a entrevista;É dividida em três partes:
  14. 14. Cabeça – início da reportagem, vem sempre antes da entrevistaEntrevista – trechos da fala do entrevistadoPé – finalização da reportagem
  15. 15.  Geralmente as 4 matérias mais importantes ganham destaque como manchetes, que são lidas pelos apresentadores (Escalada); A linguagem da reportagem deve ser clara, de fácil entendimento, para isso deve-se usar a ordem direta (sujeito+verbo+predicado) e descrever o máximo para minimizar a falta de imagens;
  16. 16. ONZE FUNDAMENTOS DO TEXTO RADIOFÔNICO O quê Quem Quando Onde Como Por quê Clareza Precisão Direção Objetividade Concisão
  17. 17. O QUE É: Nota: Texto para leitura do Âncora ou apresentador Boletim: Conjunto de informações curtas. Reportagem: Texto com sonora, lido pelo repórter. Entrada ao Vivo: Entrada do repórter com registro de qualquer fato do dia, ou não. Matéria: Forma genérica do trabalho radiofônico / Jornalístico.
  18. 18.  Político não é DOUTOR, JAMAIS – NUNCA. Só é doutor quem tem o título de doutorado. Palavra estrangeira ou de difícil pronúncia: Escreva de forma aportuguesada na lauda do texto. SONORA: Fala do entrevistado, em qualquer situação. Grifar, sempre no texto, os números, as palavras de difícil pronúncia, termos fortes e datas – com negrito.
  19. 19.  Não INVENTAR PALAVRAS – Neologismo. PLEONASMO ( ex.:subir para cima) : Evitar. Se possível use um DICIONÁRIO DE SINÔNIMOS . Ritmo da Manchete: Leia a Manchete várias vezes, em voz alta. Siglas: As conhecidas não precisam ser explicadas: SABESP, BNDES, ONU, DETRAN, ... As desconhecidas, escreva a sigla, depois explique.
  20. 20.  VERBO: Sempre no presente do indicativo ou Verbo Composto. Gerúndio: Evite. Nunca separe por vírgula: O sujeito do verbo Fazem cinco anos: Fazem, errado.. Faz cinco anos. Houveram muitos acidentes: Errado, não houveram nada. Para mim fazer: Mim não faz. Entre Eu e Você: Não. Entre mim e você. Entre eles e ti.
  21. 21.  Há dez anos atrás: Não, há encerra a ideia de passado. Óculos: Plural, sempre. Sempre tratar o colega, ou entrevistado, pelo nome e pelo sobrenome: Paulo César Gusmão, por exemplo .
  22. 22. PENSE, SEMPRE, QUE O TEXTO TERÁ QUE TER UM LEAD.O VERBO É O MOTOR DA FRASE, POR ISSO REFLITA UM POUCO ANTES DE INICIAR A MANCHETE E A CHAMADA.
  23. 23. OS 18 MANDAMENTOS DA REPORTAGEM O rigor na apuração dos fatos é muito importante para elaboração da reportagem, o jornalista deve ter o máximo de informações sobre o tema e deve responder a todas as perguntas que a mãe de vocês faria. Começo, meio e fim. Pense que os assunto pode ser desconhecido, mesmo que tenha sido noticiado todos os dias durante ANOS.
  24. 24.  Desconfie de tudo, nem sempre o mais importante é o que está mais evidente. A fonte é a matéria-prima da reportagem. E o relacionamento com a fonte tem duplo sentido e a confiança entre as partes é muito importante. Vale lembrar que as coisas mudam e os interesses também. É preciso tentar sempre, mesmo que o entrevistado ou fonte for uma pessoa inatingível. E não se deve manter amizade pessoal com fontes, lembre-se do jogo de interesses e do compromisso com a verdade.
  25. 25.  Vale menos a informação em off para o veículo rádio e será sempre importante checar a informação mesmo que o preço pago seja perder um furo. Sempre que possível o repórter deve guardar o material gravado da fonte, que pode se arrepender das informações passadas e negar o que havia dito. Se você garante a informação evite as expressões: uma fonte ligada ao ministério tal e tal...
  26. 26.  O repórter não julga, não opina e não muda ninguém (comportamentos) ele apenas conta o que viu e apurou Evite adjetivos, prefira os verbos. Um fato pode ser espetacular para uma comunidade e interessar pouco para outra. A audiência do rádio é rotativa.
  27. 27.  Não é preciso arriscar a vida para uma boa reportagem deixe o heroísmo para o JASPION. Cuidado com os números. Se eles forem diferentes cite as duas fontes. Tome cuidado com as matérias técnicas e seja sempre muito sério. Dê prioridade ao fato novo, mesmo que o tema seja conhecido, rememore os fatos na cabeça dos ouvintes e nunca se esqueça dos sons
  28. 28.  Nas entradas ao vivo é fundamental manter o controle das emoções. Repórter não chora nunca. É preciso bom vocabulário, concentração e cuidado para não repetir muito as informações. Seja fiel ao que você está vendo. Nunca invente ou aumente, seja honesto. Fique atento ao tom de voz. Mantenha a chefia informada do que está ocorrendo e ouça sempre o outro lado. Avise se uma pessoa receber uma acusação. Será muito importante ouvi- la.
  29. 29.  Seja humilde e mantenha bom relacionamento com a redação e com os operadores. Siga às orientações dos técnicos quanto a qualidade do som e tudo, é a alma da reportagem. Discuta com o editor o tempo da matéria, as sugestões de cabeça, sugira trechos de gravações que não estão na reportagem. O trabalho é feito em equipe.
  30. 30.  Mantenha sua agenda atualizada e não tenha preguiça, ligue. O rádio precisa da prestação de serviço. Não se desespere porque o chefe mandou fazer uma ronda. O ouvinte precisa de você. Indique caminhos alternativos, tenha sempre um guia ao seu lado.
  31. 31. A EDIÇÃO DA REPORTAGEMApós gravar a entrevista é hora do repórter gravar a matéria.A edição será no estúdio para colocar a matéria em ordem
  32. 32. A REPORTAGEM AO VIVOTodo o processo é feito ao vivo;O repórter deve ter pleno domínio do que irá dizer e de quem irá entrevistar
  33. 33. O TEXTO Texto Curto: Todo texto Radiofônico que for ao ar precisa ser curto e objetivo – manchetado. Observação: Cada manchete deve ter duas linhas, no máximo – aproximadamente 70 toques. Chamada: Toda cabeça (chamada), texto lido pelo Âncora, é de responsabilidade do repórter. Observação: No caso da cabeça, vale só para reportagens e boletins. Notas não tem cabeça
  34. 34.  Artigo: Prefira usar os artigos definidos e os indefinidos nos textos(o,a,os,a, um, uma,,uns, umas) Pronome Possessivo: Elimine todos do texto. (minha, seu, suas, teus, etc) Pronome Demonstrativo: Também.(este, esses, aqueles, etc) Nome / Cargo: O Cargo antes do nome da pessoa, sempre.
  35. 35.  É fim de semana e não final de semana. Números: Por extenso.Observação: Não inicie manchete com números por extenso nem em algarismo.
  36. 36.  2001= dois mil e um. 15% Quinze por cento 1,5 bilhão: Um bilhão e quinhentos milhões de reais. ¼ dos presentes: Um quarto dos presentes vaiou a autoridade... 2/5 da terra: Dois quintos da terra nos pertenciam... 134ª: Centésimo trigésimo quarto aniversário?? Prefira 134 anos, por exemplo. 9h= Nove horas da manhã. 9h30= Nove horas e trinta minutos da noite. R$ 100.000,00 = cem mil reais. 5ª - Feira: Quinta-feira.
  37. 37.  Adote o mesmo critério sobre os números, na definição de pesos, dimensões, grandezas, medidas e proporções em geral, exemplos: cinco quilos, três litros, oito metros, cem hectares . IMPORTANTÍSSIMO: Todo texto para rádio tem que ter linguagem radiofônica. Não abreviar nada em rádio– NUNCA;
  38. 38.  Obs.: Acontecer: Use o verbo apenas no significado mais específico. Acontecer dá sempre uma ideia de inesperado, desconhecido, imponderável. Um show, por exemplo, não ACONTECE. ADJETIVOS: Um texto noticioso deve evitar termos que envolvam avaliação ou encerrem carga elevada de subjetividade (evidente, bom, bonito, feio, vizinho, sem dúvida....)
  39. 39.  Assistir: Ao filme NUNCA use palavrão. A gíria pode ser usada com critério. Cacófato: Triunfo da vitória / Por razões / Ele é o maior marca gol Reveja: Próclise, Ênclise e Mesóclise.
  40. 40.  Não chupar, jamais, textos de jornal, assessorias de imprensa, revistas, internet (não é confiável). Deve - se transformar tudo sempre, em texto radiofônico. Não usar pronome oblíquo no texto Radiofônico (me, te, lhes, vos, etc) Homossexual: É outro termo que só deve aparecer no texto se tiver relação como fato descrito.
  41. 41.  Menores: Por força de lei, menores envolvidos em crimes não poderão ter os nomes divulgados – A identificação só poderá ser feita pelas iniciais Há: Sempre encerra a ideia de passado – sempre. Eliminar muletas do texto: já fez, disse ainda, pois é, isso mesmo... Lugar – Comum: O lugar comum (clichê ou chavão) é a frase,a imagem, a construção ou combinação de palavras que se tornam desgastadas pela repetição excessiva e perdem a força original – Elimine.
  42. 42.  Um texto de rádio, por mais curto que seja, tem que ter todos estes fundamentos. Não escreva algo que não teria coragem de dizer. O texto no rádio deve ser “agressivo” sob o ponto de vista jornalístico: o ouvinte precisa ser “preso” na primeira manchete. Escreva um texto positivo, sempre . Não destaque o fato ou evento que não aconteceu – dê as razões
  43. 43.  Não inicie o texto com formas, do tipo : E .. Acontece Amanhã... Hoje o Presidente.. Amanhã o prefeito. Não classifique a notícia: Informe sem dizer se a notícia é ruim ou boa, apenas informe. RELEIA TUDO O QUE ESCREVEU EM VOZ ALTA
  44. 44.  Cuidado: Sonho, partidarismo e preconceito terão de ficar do lado de fora da redação . Coloque-se no lugar do ouvinte, sempre. A força e o poder do rádio surpreendem as pessoas . As informações repercutem de forma instantânea, direta e indireta. Um escuta, fala para o outro e todos acompanham o fato, num alcance espantoso.
  45. 45.  A consciência disso é fundamental nas atividades do radiojornalismo. Consciência da capacidade que o rádio tem de atingir todas as faixas do público, de mobilizar e agitar a cidade; unir e politizar a população (mesmo que seja utópico) Não especular dramas humanos.
  46. 46. ATENÇÃO !!! O SOM É A MATÉRIA -PRIMA DO RÁDIO. Tenha sempre a mão a agenda – uma ótima agenda cheia de contatos. O rádio moderno é prestação de serviço, preferencialmente(Pense nisso!) Não usar parêntesis nem aspas no texto Radiofônico . Não inverter a ordem da frase / não intercale a frase.

×