01-11-2013—Comemoração do “Bolinho”
11-11-2013—Comemoração do S.Martinho
14-11-2013—Visita à feira da Golegã
23-11-2013—Ca...
P Á G I N A 2
O MEU MELHOR AMIGO
Desporto, por Tiago Saraiva
Caros leitores, a
partir de agora
haverá uma
rubrica neste
Jo...
P Á G I N A 3
1º—Direito a ser tratado no respeito pela dignidade humana;
2º—Direito ao respeito pela sua individualidade,...
P Á G I N A 4
“Portugal em Chamas”, por José Neves
Segundo um jornal
bem conhecido
da nossa praça:
"A Associação
Portugues...
Eu pratico Tricicleta, por Alda Teresa
P Á G I N A 5
Eu gosto de praticar
Tricicleta.
Mas o que é Isto
da Tricicleta? Pass...
P Á G I N A 6
A palavra é nossa…,por Ana Sofia
O C.R.I.F. convi-
dou o Centro
João Paulo II a
participar numa
formação de ...
Saúde, por Maria João Ferreira
P Á G I N A 7
Caros leitores,
Como é do conhe-
cimento de alguns
de vós eu gosto
de abordar...
Partiste uma vez
Sem nada dizer…
E ficámos na esperança
De te voltar a ver
...
Voltaste a partir
E connosco...
Apenas fico...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As últimas de Sempre

992 visualizações

Publicada em

O Jornal "as Últimas de Sempre!" é elaborado por um grupo de residentes do Centro João Paulo II em colaboração e com o apoio da Técnica de Educação Especial e Reabilitação, Dr.ª Lídia Saramago.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
992
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
838
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As últimas de Sempre

  1. 1. 01-11-2013—Comemoração do “Bolinho” 11-11-2013—Comemoração do S.Martinho 14-11-2013—Visita à feira da Golegã 23-11-2013—Campeonato Nacional Boccia—Pares e Equipas Dezembro 2013—Festa de Natal Como habitual- mente na passada época de verão Portugal encon- trou-se fustigado pelas chamas e milhares de hecta- res de floresta ficaram em cin- zas, acabando assim com grande parte da beleza natural do nosso país. Apesar das várias medidas de pre- venção que têm vindo a ser toma- das, por parte de identidades governamentais, este flagelo conti- nua a afectar o nosso país e este ano podemos assistir à morte de 8 bombeiros, entre eles uma jovem de 25 anos. Continua na página 4 Em Agenda... N E S T A E DI Ç Ã O: Desporto; O Meu Melhor Amigo 2 Direitos 3 Portugal em chamas 4 Eu pratico Tricicleta 5 Boccia, Relembrar 5 A palavra é nossa 6 Saúde 7 “Portugal em Chamas”, por José Neves U N I Ã O D A S M I S E R I C Ó R D I A S P O R T U G U E S A S AASS ÚÚLTIMASLTIMAS DEDE SSEMPREEMPRE O U T U B R O 2 0 1 3 P O N T O S DE I N T E - R E S S E E S P E - C I A I S :  “Portugal em Cha- mas”  “O Meu Melhor Amigo”  Direitos dos Resi- dentes CJPII  Eu pratico Tricicleta  Campeona- to Nacional de Boccia
  2. 2. P Á G I N A 2 O MEU MELHOR AMIGO Desporto, por Tiago Saraiva Caros leitores, a partir de agora haverá uma rubrica neste Jornal que se chamará des- porto que será da exclusiva res- ponsabilidade de Tiago sarai- va. Com esta rubri- ca pretendo divulgar diver- sas temáticas que giram á vol- ta do desporto. Pretendo acima de tudo divul- gar o desporto adaptado, não só o que pratica no Centro João Paulo II mas todo aquele que se pratica nível nacional. aula está sentado à frente do meu parceiro, que tam- bém é meu amigo. Aliás a minha tur- ma é toda minha amiga. O meu melhor amigo já veio a minha casa. Que- rem saber quan- do? Ontem e antes de ontem… e no outro dia… já veio várias vezes a minha casa! Mes- mo sem convite! Eu também já fui a casa dele, mora num prédio. O meu parceiro tam- bém mora no mes- mo prédio. O meu melhor amigo chama se João.” “Era uma vez o meu melhor ami- go que brincava muito comigo à bola e à apanha- da. É brincalhão, maluco e está sempre a correr de um lado para o outro e gosta mui- to de mim. Eu sei isso porque se ele não gostasse não brincava comigo. O meu melhor amigo é da minha turma e na sala de Samuel Omoruyimen 7 anos Frequenta o 3º ano do ensino básico: Comple- xo Escolar Beato Nuno em Fátima A S Ú L T I M A S D E S E M P R E
  3. 3. P Á G I N A 3 1º—Direito a ser tratado no respeito pela dignidade humana; 2º—Direito ao respeito pela sua individualidade, orientação sexual, estilo de vida, opções culturais e convicções religiosas; 3º— Direito a ser informado acerca dos seus Direitos e Deveres no ini- cio da apresentação de serviços; 4º—Direito a todos os cuidados adequados à satisfação das suas necessidades básicas, tendo em vista o seu bem-estar e conforto pes- soal; 5º—Direito à promoção da sua autonomia, que lhe possibilite o máxi- mo de desenvolvimento das suas capacidades e que lhe permita a sua integração social, através da prestação de cuidados médicos e de enfermagem, apoio psicológico e funcional, atividades educacionais e ocupacionais e assistência religiosa; 6º—Direito à privacidade na prestação dos cuidados de vida diária, cui- dados médicos e de reabilitação; 7º—Direito à confidencialidade de toda a informação relacionada com a sua pessoa; 8º—Direito a expressar livremente as suas opiniões, vontades e expectativas e a ter oportunidade de fazer escolhas e de tomar deci- sões; 9º—Direito, por si ou por quem o represente, a apresentar sugestões e/ ou reclamações relativas à prestação de serviços e garantia dos seus direitos 10º—Direito à igualdade de oportunidades em todas as intervenções da Instituição. Direitos dos Residentes do CJPII
  4. 4. P Á G I N A 4 “Portugal em Chamas”, por José Neves Segundo um jornal bem conhecido da nossa praça: "A Associação Portuguesa de Técnicos de Segurança e Protecção Civil pediu uma audiência ao Ministro da Admi- nistração Interna, ao grupo parlamen- tar e ao Presidente da Autoridade Nacional da Pro- tecção Civil para debater os fogos florestais. Numa carta que foi envia- da àquelas autori- dades, a Asprocivil considerou que os incêndios florestais "não são um desig- no", mas antes "potenciados e até permitidos" pelo desenvolvimento feito nos últimos anos no setor, com a consequente diminuição de meios e pela inefi- cácia ou inexistên- cia de medidas de prevenção." (fim de citação) Ao longo dos anos a comunicação social tem-nos levado a assistir a várias campanhas de prevenção, debates entre enti- dades da proteção civil e entidades governamentais contra os incêndios florestais, mas até à data não se con- seguiu acabar com este flagelo que assola o nosso país a cada verão que passa. Por essa altura a opi- nião mais ouvida entre os agricultores, seria pôr os presos e a tropa a limpar as matas existentes no país, mesmo se depois enviassem a conta aos proprie- tários dos terrenos em questão. No meu entender essa seria uma solução possível mas será que nenhuma das enti- dades envolvidas neste assunto, não pensou já nesta solução? Ou será que algum agricul- tor já fez chegar essa sua opinião a alguma entidade responsável? A S Ú L T I M A S D E S E M P R E
  5. 5. Eu pratico Tricicleta, por Alda Teresa P Á G I N A 5 Eu gosto de praticar Tricicleta. Mas o que é Isto da Tricicleta? Passo a explicar. Tricicleta é um desporto pratica- do por pessoas como eu, ou seja, com defi- ciência motora. Con- siste em andar num triciclo sem pedais em que a sua propul- são e feita através dos movimentos das per- nas do seu utilizador, como pomo podem observar pela imagem a Tricicleta é maior que um triciclo, e tem um apoio frontal para o trono, o que nos permite ter equilíbrio e autonomia. Aqui no Centro João Paulo II existem, para além de mim, mais dois resi- dentes, o José Manuel e a Lucete, que estão inscritos na PC-AND. Cada um de nós para além dos treinos aqui no Cen- tro participámos já em competições nacionais e um cam- peonato europeu. Associação Nacional de Desporto, no dia 23 de Novembro decorrerá no Pavilhão do Colégio S. Miguel, em Fátima mais um Campeonato da modalidade Boccia. Este campeonato contará com a cola- boração de várias entidades, que patro- cinarão este evento desportivo. Contaremos com a presença de todos, para apoiarem os nos- sos atletas. O Centro João Paulo II vai organizar o Campeonato Nacio- nal de Boccia, Pares e Equipas—Zona Cen- tro Sul e Ilhas. Em parceria com a PCAND—Paralisia C e r e b r a l — Campeonato Nacional de Boccia Relembrar... 23 Novembro 2013— Colégio S. Miguel em Fátima
  6. 6. P Á G I N A 6 A palavra é nossa…,por Ana Sofia O C.R.I.F. convi- dou o Centro João Paulo II a participar numa formação de Tea- tro. A formação foi de 3 dias. Aprendemos mui- tas coisas, mas ficámos com a sensação de que muito mais havia para aprender. Agradecemos à direção do Centro João Paulo II por mais uma vez nos ter dado a oportunida- de de partici- parmos nes- te Work- shop. Estas ati- vidades vêm-nos enrique- cer tanto a nível pessoal como social, uma vez que aprende- mos e desenvol- vemos compe- tências, tais como, saber tra- balhar em con- junto, respeitar o espaço que é de todos, res- peitar o próxi- mo, conscien- cialização do nosso corpo e das nossas capacidades, ao nível do equilí- brio, concentra- ção, coordena- ção de movi- mentos, entre outros. O que recebemos ser- nos-á útil no dia- a-dia, no desen- volvimento das nossas ativida- des, nomeada- mente na Dança que é uma for- ma de expres- são, tal como o Teatro. Família amiga A S Ú L T I M A S D E S E M P R E “O Teatro é perder os medos” - Maria João Ferreira “O Teatro é representação ” - José Manuel Neves “O Teatro é forma de expressão” - Ana Sofia Cos- ta “O Teatro é transformar” - Lídia Sarama- go “O Teatro é representar” - Maria Serrano
  7. 7. Saúde, por Maria João Ferreira P Á G I N A 7 Caros leitores, Como é do conhe- cimento de alguns de vós eu gosto de abordar temas relacionados com a Saúde. Juntando este meu gosto com as novidades que por aí circu- lam resolvi abor- dar o tema relacio- nado com doen- ças neurodegene- rativas, mais espe- cificamente a Doença de Alzhei- mer. Para além de abor- dar aspectos mais teóricos sobre a doença, irei dar a conhecer a Unida- de de Cuidados Continuados Ben- to XVI. O que é a Doença de Alzheimer? A Doença de Alzheimer é um tipo de demência que provoca uma deterioração glo- bal, progressiva e irreversível de diversas funções c o g n i t i v a s (memória, atenção, concentração lin- guagem, pensamen- to, orientação espácio-temporal, etc.). Alterações no comportamento, na personalidade e na capacidade funcional da pes- soa, dificultando a realização das suas actividades de vida diária, são as con- sequência da dete- rioração global. Espero que este artigo seja uma mais valia para quem, de uma for- ma ou de outra, sinta de perto esta temática. Não perca os pró- ximos números.
  8. 8. Partiste uma vez Sem nada dizer… E ficámos na esperança De te voltar a ver ... Voltaste a partir E connosco... Apenas ficou a lembrança Do teu sorrir... ... A tua pessoa recordaremos Com tamanha saudade Pois jamais esqueceremos A tua linda amizade ... Recordamos a tua presença Que por vezes Tão distante parecia Mas rapidamente Uma palavra se sentia ... Até ao Algarve viajámos Através do pensamento E pudemos aproveitar Todo e qualquer momento … Aproveitemos cada momento Pois não sabemos quando podemos partir também… … A equipa do Jornal guardar-te-á para sempre no coração... SAUDADE…

×