PLANO DE METAS
DA CANDIDATURA
DO PROF. MANOEL PEREIRA
BARROS
À DIREÇÃO DA UPE-FACETEG.
Elenco de Propostas:
1. Criação do Hospital Universitário (HU) para o Curso de
Medicina;
2. Criação do Restaurante Univers...
SUMÁRIO:
1. A Situação Atual da UPE-Garanhuns: Suas Carências;
2. Análise das Nossas Propostas;
3. Histórico do Prof. Mano...
1. A Situação Atual da UPE-Garanhuns, a FACETEG:
Suas Carências
A antiga FFPG – Faculdade de Formação de
Professores de Ga...
colocar nossos professores para assistir palestras de pessoas
convidadas de fora que no mais das vezes pouco ou nada tem
a...
2. Análise de Nossas Propostas:
As propostas apresentadas são aqui comentadas para
que o leitor-eleitor possa ter a visão ...
Para Aloizio Mercadante a residência médica é uma
necessidade acerca da qualidade do ensino de medicina e os
HUs permitem ...
III - definir a oferta anual de vagas dos programas de
residência médica, de modo a favorecer a formação de médicos
especi...
“O Restaurante Universitário (R.U.) da UFPE sempre teve
uma importância crucial para os
estudantes oriundos das camadas
de...
Distando de Recife 219 Km e a 98 quilômetros de
Caruaru, assim como distando menos de 200 quilômetros de
cidades como Paul...
como exemplo as livrarias universitárias das principais
universidades do Brasil,
fornecem amplo catálogo de
obras ajustada...
contarem com serviços técnicos de operação destes
equipamentos e de manutenção dos mesmos. Entre nossas
metas, considera-s...
atendendo no mais das vezes a interesses imediatistas.
Consideramos que se deva abrir uma discussão com a
comunidade unive...
acadêmicas, bem como fornecer serviços on-line de consultas à
situação acadêmica do discente, do funcionário e do docente....
No nosso plano de metas definimos a data de
25/06/2013 como a data de emancipação para os outros campi
atualmente sob dire...
“Não temos, e é reconhecida a nossa falha, uma
tradição bibliotecária no Brasil, assim como a nossa tradição
universitária...
de pesquisas referentes à riqueza e variedade de ocupação
humana na região do agreste, como se percebe pelas
comunidades q...
apenas para guarda desse material histórico, mas também, para
a abertura de pesquisas e levantamento de elementos críticos...
(SUS), como podem procurar diretamente a Clínica Escola,
preenchendo cadastro na Secretaria do setor. Os horários das
cons...
Dinter) no âmbito de cursos como Psicologia, História,
Biologia, Geografia, Matemática. Assim, buscando a
excelência na ti...
ecologia servirá de efeito multiplicador na divulgação desse
conhecimento tecnológico e estratégico.
3. Histórico do Profe...
grupos, no sentido de somar esforços para a realização de
tarefas que tenham como objetivo principal o crescimento da
UPE ...
4. Compromisso
As propostas constantes no presente plano de metas
formam um compromisso indissolúvel entre a candidatura
d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Plano de candidatura de manoel pereira à direção da faceteg upe

182 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de candidatura de manoel pereira à direção da faceteg upe

  1. 1. PLANO DE METAS DA CANDIDATURA DO PROF. MANOEL PEREIRA BARROS À DIREÇÃO DA UPE-FACETEG.
  2. 2. Elenco de Propostas: 1. Criação do Hospital Universitário (HU) para o Curso de Medicina; 2. Criação do Restaurante Universitário; 3. Criação do Prédio de Alojamento para Estudantes, Professores e Visitantes; 4. Criação da Livraria da Universidade; 5. Reestruturação e reforma de Laboratórios; 6. Incentivo à Pesquisa Docente e Discente; 7. Reestruturação da Pós-graduação; 8. Reestruturação do Site da UPE-Garanhuns; 9. Reestruturação do serviço de ônibus e condução da Universidade – gratuidade nas viagens pela UPE; 10. Política de descentralização e autonomia dos diferentes campi; 11. Ampliação e Setorização da Biblioteca; 12. Luta pela criação do curso de graduação em Engenharia Ambiental; 13. Criação do Museu de História; 14. Construção do prédio próprio da escola de aplicação e gratuidade da escola de aplicação; 15. Promoção de Minicursos e valorização da extensão; 16. Colocação de data-show e multimídia em todas as salas da graduação e da pós-graduação; 17. Casa da Vegetação; 18. Construção da Clínica de Psicologia; 19. Criação de cursos de Mestrado Acadêmico; 20. Implantação do Núcleo de Gestão Ambiental (NGA) da UPE-Garanhuns 2
  3. 3. SUMÁRIO: 1. A Situação Atual da UPE-Garanhuns: Suas Carências; 2. Análise das Nossas Propostas; 3. Histórico do Prof. Manoel Pereira Barros: Lutas e Experiência 4. Compromisso. 3
  4. 4. 1. A Situação Atual da UPE-Garanhuns, a FACETEG: Suas Carências A antiga FFPG – Faculdade de Formação de Professores de Garanhuns, acompanhando a conjuntura nacional de crescimento das instituições de ensino superior do Brasil, e objetivando as exigências de crescimento determinadas pelo MEC, pela CAPES e pelo CNPq, bem como pela SECTMA e pelo governo do estado de Pernambuco, estas em consonância com as exigências nacionais, cresceu, assim como toda a UPE, tornando-se posteriormente a FACETEG – Faculdade de Ciências, Educação e Tecnologia de Garanhuns e atualmente a UPE-campus Garanhuns. O aumento das instalações, de prédios e da infra-estrutura são compatíveis com esta conjuntura. No entanto, a contemporaneidade do século XXI exige das instituições de ensino superior públicas ensino de qualidade, pesquisa com qualidade e extensão integralizadora com a sociedade. Neste sentido podemos notar que pontos importantes das necessidades da UPE-Garanhuns não têm se desenvolvido com a qualidade, a quantidade e urgência com que se determinam. Podemos citar o caso das avaliações feitas pelo MEC acerca da qualidade dos cursos de graduação. Com constância os cursos de graduação da UPE têm lutado para se manter num patamar de nível mínimo de qualidade e, em alguns casos, nem isto tem sido conseguido. Neste sentido é importante o surgimento de uma política que objetive a melhoria da qualidade dos cursos de graduação, não mais buscando o mínimo aceitável de qualidade, mas objetivando efetivamente a excelência. Para melhoria da qualidade dos cursos é preciso mais do que boas intenções e formação de grupos de análise que pouco ou nada podem decidir na questão. Nem tampouco 4
  5. 5. colocar nossos professores para assistir palestras de pessoas convidadas de fora que no mais das vezes pouco ou nada tem acrescentado, trazendo muitas vezes, notícias velhas e novidades caducas. A própria escolha dessas pessoas deve se pautar em um programa articulado e explícito acerca das necessidades contextuais de nossa instituição. A infra-estrutura deve se colocar no sentido de criação de espaços coletivos, úteis e que dêem respostas às necessidades da coletividade para que esta possa ter condições de desenvolver e criar qualidade de trabalho. A UPE-Garanhuns não pode ficar à margem na busca por qualidade e por excelência, nem ficar sendo comparada como segunda opção diante de outras instituições públicas existentes na região. A história de mais de quarenta anos da UPE-Garanhuns, desde a FFPG, se solidifica diante de propostas de recuperação, de expansão e de melhoria de suas condições concretas e de sua infra-estrutura, envolvendo os três pontos que definem –segundo o próprio MEC- uma universidade: ensino, pesquisa e extensão. As conquistas objetivadas não podem se transformar em propaganda de palanque de uma só pessoa, mas sempre resultado de uma ação coletiva e unificadora. As coisas conquistadas são da universidade e para a universidade. Dos professores, estudantes e funcionários para os professores, estudantes e universitários. 5
  6. 6. 2. Análise de Nossas Propostas: As propostas apresentadas são aqui comentadas para que o leitor-eleitor possa ter a visão mais contextual e abrangente do plano de metas de nossa campanha. a) Criação do Hospital Universitário (HU) para o curso de Medicina da UPE-Garanhuns: Hospital universitário, hospital- escola ou hospital de ensino é um centro de atendimento hospitalar mantido ou que colabora com universidades, com os objetivos de participar nas atividades de formação e de investigação no domínio do ensino dos profissionais de saúde (Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição e Odontologia). É concedida a denominação de hospital universitário aos hospitais com ensino universitário que, em cada um dos departamentos, serviços e unidades funcionais que participam nas atividades de ensino, satisfaçam determinados requisitos, nomeadamente a existência de um número significativo de médicos habilitados com o grau de doutor e uma capacidade assistencial de referência, evidenciada em termos de desempenho, técnicas e tecnologias de vanguarda, bem como capacidade de investigação instalada. Os Hospitais Universitários (HU) permitem a integração da residência médica à pesquisa e à extensão, servindo tanto no sentido do aperfeiçoamento profissional do médico quanto na prestação de serviços de saúde à comunidade em que está atuando. 6
  7. 7. Para Aloizio Mercadante a residência médica é uma necessidade acerca da qualidade do ensino de medicina e os HUs permitem o pleno desenvolvimento da residência “Nós queremos faculdades sempre associadas à residência-médica, especialmente nas áreas de mais carências do Brasil. Se isso for possível nas regiões onde temos uma baixa oferta de cursos de medicina, melhor”. Segundo lei 8.080, de 19/09/1990 e decreto federal 7.082, de 27/01/2010, no que se refere aos HUs das Universidades Federais, eles devem atender às seguintes funções: “O REHUF1 tem como objetivo criar condições materiais e institucionais para que os hospitais universitários federais possam desempenhar plenamente suas funções em relação às dimensões de ensino, pesquisa e extensão e à dimensão da assistência à saúde. § 1o No campo do ensino, pesquisa e extensão, os hospitais universitários desempenham as funções de local de ensino-aprendizagem e treinamento em serviço, formação de pessoas, inovação tecnológica e desenvolvimento de novas abordagens que aproximem as áreas acadêmica e de serviço no campo da saúde, tendo como objetivos específicos: I - atender às necessidades do ensino de graduação na área da saúde, em especial em relação à oferta de internato nos cursos de Medicina e estágios curriculares supervisionados para os demais cursos, conforme previsão nas diretrizes curriculares nacionais e no projeto pedagógico de cada curso; II - desenvolver programas de pós-graduação stricto sensu e lato sensu, voltados à formação de docentes e pesquisadores em saúde familiarizados com a ótica dos serviços de atenção especializada ofertados e a gestão em saúde; 1 Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais – REHUF. 7
  8. 8. III - definir a oferta anual de vagas dos programas de residência médica, de modo a favorecer a formação de médicos especialistas nas áreas prioritárias para o SUS, segundo indicadores estabelecidos pelos Ministérios da Educação e da Saúde; IV - implementar a residência multiprofissional nas áreas estratégicas para o SUS, estimulando o trabalho em equipe multiprofissional e contribuindo para a qualificação dos recursos humanos especializados, de forma a garantir assistência integral à saúde; e V - estimular o desenvolvimento de linhas de pesquisa de interesse do SUS, em conformidade com o perfil epidemiológico local e regional e as diretrizes nacionais para pesquisa em saúde, com foco na busca de novas tecnologias para o cuidado e a gestão em saúde.” Podemos evidentemente tomar como parâmetro essas especificidades atribuídas aos HUs federais para a concretização das funções do HU da UPE-Garanhuns. Como proposta do nosso plano de metas, buscaremos junto ao governo do estado, às secretarias de saúde e de educação, bem como aos órgãos federais competentes canais para a viabilização e financiamento para o Hospital Universitário de Garanhuns, atendendo não só às exigências da comunidade universitária, mas, também à melhoria do sistema de saúde público em uma região ainda carente desses serviços, tornando Garanhuns um pólo de pesquisas e de atendimento hospitalar. b) Criação do Restaurante Universitário: Acerca da necessidade de um restaurante universitário, tomemos como exemplo a fala do pesquisador da UFPE, Otávio Luiz Machado, comentando acerca da recente reinauguração do R.U. naquela instituição: 8
  9. 9. “O Restaurante Universitário (R.U.) da UFPE sempre teve uma importância crucial para os estudantes oriundos das camadas desprivilegiadas que conseguiam superar a barreira do vestibular e entrar numa universidade pública, em especial dos residentes das casas de estudantes, o seu público-alvo durante todo o período que existiu. A refundação do R.U. no dia 28 de fevereiro, além de representar um momento especial para a instituição, que é o da reparação histórica, também é o retrato de novos tempos na instituição, pois desde 1995 (16 anos atrás) a comunidade não conta com um dos mais fortes instrumentos para a permanência de um estudante numa instituição universitária.” Não foi por outro motivo, que em setembro passado, estudantes do Paraná, da Unioeste, campus de Toledo, fizeram manifestação pela implantação de um R.U. na sua instituição: “Queremos que este projeto seja prioritário dentro da administração da nossa universidade”, disse uma das estudantes2 . Portanto, nossa comunidade que conta com alunos vindos de várias cidades do agreste e do sertão, com professores e funcionários também vindo de cidades vizinhas, ao oferecer um restaurante universitário, com alimentação determinada por nutricionista formada, pode contribuir para a melhoria das condições de estudo da UPE-Garanhuns. c) Criação do Prédio de Alojamento para Estudantes, Professores e Visitantes: 2 Fonte: http://www.jornaldooeste.com.br/cidade/academicos-pedem-a- construcao-de-restaurante-universitario-33594/ 9
  10. 10. Distando de Recife 219 Km e a 98 quilômetros de Caruaru, assim como distando menos de 200 quilômetros de cidades como Paulo Afonso, Palmeira dos Índios, Arapiraca e a capital de Alagoas, Maceió, a cidade de Garanhuns encontra-se num cruzamento de caminhos para importantes cidades da região. Hoje, se destacando como “cidade universitária”, Garanhuns se apresenta como pólo articulador de pesquisa e ensino. Neste sentido, costumeiramente temos recebido na UPE-Faceteg a visita de estudantes de outras instituições, bem como de nossos estudantes que com dificuldade têm muitas vezes que passar dias distante de casa, se moram em outras cidades circunvizinhas. Também, na realização de eventos, professores visitantes, muitas vezes têm que enfrentar problemas e gastos de hospedagem nos hotéis ligados ao atendimento dos serviços turísticos da cidade. Dessa forma, parece-nos importante a construção de um prédio de alojamentos de qualidade para que se possa sanar a carência de hospedagens que se declara por ocasião de eventos acadêmicos, bem como do cotidiano do ano letivo. Segundo Adalberto José Vilela Jr., pesquisador da UNB, a construção de alojamentos universitários deve se ater à necessidade de promover o “convívio social” favorecendo a integração de seus moradores, por meio de seus espaços3 . d) Criação da Livraria da Universidade: Sabemos que o livro no Brasil tem como características principais a escassez e o preço, notadamente o livro universitário, com edições pequenas e de pouca distribuição no país. As livrarias universitárias, quando existem, e tomamos 3 Fonte: http://www.docomomo.org.br/seminario%205%20pdfs/003R.pdf 10
  11. 11. como exemplo as livrarias universitárias das principais universidades do Brasil, fornecem amplo catálogo de obras ajustadas às necessidades curriculares das disciplinas dos diferentes cursos a preços inferiores aos das livrarias comuns. Garanhuns não tem efetivamente uma livraria de porte para atender às necessidades de uma instituição de ensino superior. Neste sentido, uma das metas de nosso plano de administração é a instalação de uma livraria universitária – seja terceirizada ou em regime de administração pública – para oferecimento de livros com catálogo condizente com os programas dos cursos e com preços e facilidades de pagamentos à prazo. Concomitante, entendemos que os serviços de alfarrábio, isto é, dos chamados “sebos” com livros considerados raros ou fora de catálogo se ajusta também como parte dos serviços prestados pela livraria universitária que imaginamos. e) Reestruturação e Reforma dos Laboratórios: Os laboratórios dos diferentes cursos devem atender não somente às necessidades práticas do ensino, mas também ter condições do desenvolvimento de projetos de pesquisa, para tanto, é necessário a constante atualização de equipamentos técnicos e de material de utilização bem como 11
  12. 12. contarem com serviços técnicos de operação destes equipamentos e de manutenção dos mesmos. Entre nossas metas, considera-se importante a reestruturação e reforma de nossos laboratórios, bem como a criação de novos, como por exemplo, o Laboratório de Zoologia, para atender às necessidades de pesquisa e de ensino. f) Incentivo à Pesquisa Docente e Discente: A pesquisa é um dos tópicos fundamentais da existência das universidades. Não é por acaso que existem instituições estaduais e federais de incentivo à pesquisa universitária oferecendo por meio de bolsas e auxílios a pesquisa em níveis de graduação, pós-graduação e extensão. Desse modo, entendemos que se deve ter uma política clara e que objetive o apoio às iniciativas de pesquisa na UPE-Garanhuns, buscando, seja com recursos próprios, ou com apoio dos órgãos financiadores a contemplação dessas necessidades. Assim, a ida de professores e alunos aos eventos (congressos, simpósios, reuniões), a definição de horários e espaços para a realização de pesquisa de campo, bem como apoio logístico para as mesmas; a criação de grupos de pesquisa que efetivamente tenham condições de realização das propostas que os definem, são ao nosso ver, elementos basilares e fundamentais. g) Reestruturação da Pós-graduação: Hoje, a UPE-Garanhuns oferece vários cursos de pós- graduação lato sensu presenciais e alguns à distância, tanto no próprio campus, quanto em outras localidades consideradas pólos. Porém, tais cursos, em sua totalidade, pagos, apresentam uma estrutura de currículo e de avaliação de suas pesquisas produzidas – as monografias – com qualidade discutível, 12
  13. 13. atendendo no mais das vezes a interesses imediatistas. Consideramos que se deva abrir uma discussão com a comunidade universitária em todos os seus níveis de representação no sentido de objetivarmos galgar novos patamares de qualidade e excelência no que concerne aos nossos cursos de pós-graduação, bem como intensificar os esforços para o desenvolvimento de projetos de pós-graduação stricto sensu, profissionalizantes e acadêmicos que se fundamentem em corpo docente produtivo, com publicações de qualidade. Para tanto, é corolário a criação também de canais de publicação e divulgação de trabalhos de nossos pesquisadores (professores e estudantes) e a correta articulação entre o trabalho de pesquisa individual, o trabalho dos grupos de pesquisa e de estudos e a existência de cursos de pós-graduação – tanto stricto quanto lato sensu – de forma harmoniosa e constante, para a validação e a expansão da qualidade dos mesmos. Consideramos ainda a necessidade da criação de cursos de pós-graduação lato sensu gratuitos, que ao lado dos que devam ser pagos, formem um conjunto de possibilidades em termos de horários e currículos. h) Reestruturação do Site da UPE-Garanhuns: Hoje o site da UPE-Garanhuns é um subdomínio do portal da UPE, fundamentado na utilização do software organizador de templates Joomla. Porém, toda a manutenção e designer das páginas é determinada pelo núcleo de informática de Recife. Acreditamos que seja necessário um processo de criação de um site próprio, em domínio próprio, embora linkado ao portal da UPE, mas que com autonomia suficiente para que com rapidez possa colocar no ar suas notícias 13
  14. 14. acadêmicas, bem como fornecer serviços on-line de consultas à situação acadêmica do discente, do funcionário e do docente. Além disso, possibilitar a apresentação de seu conteúdo em designer próprio, articulado com as necessidades do contexto da comunidade acadêmica de Garanhuns, a exemplo de outras unidades da UPE com qualidade reconhecidamente destacada, como a POLI e a FENSG. i) Gratuidade e Reestruturação da condução e do serviço de ônibus da Universidade. A UPE-Garanhuns conta hoje com ônibus próprio e com carros com motoristas que servem às necessidades de viagens entre docentes, funcionários e discentes às outras cidades com campi da UPE, com destaque para Recife, onde se encontra a reitoria. Porém, por prática, adotou-se na UPE-Garanhuns a cobrança de despesas de viagem de ônibus quando se trata da participação em eventos acadêmicos quando se trata dos alunos. Entendemos que tal prática deva ser abolida, colocando como norma a gratuidade e que as viagens justificadas com documentação comprobatória aos eventos acadêmicos pertinentes às atividades dos currículos dos cursos devam ser custeadas pela Universidade por meio de orçamento adequado e previsto nas normas de utilização dos ônibus e demais veículos do serviço público. Deve-se adotar também como política neste âmbito a constante preocupação com a conservação e manutenção dos veículos, além de promover ações e/ou cursos de aperfeiçoamento dos motoristas para melhor prestação de serviços, como direção defensiva e mecânica. j) Política de descentralização e autonomia dos diferentes campi. 14
  15. 15. No nosso plano de metas definimos a data de 25/06/2013 como a data de emancipação para os outros campi atualmente sob direção de Garanhuns: Caruaru, Arcoverde e Salgueiro. O processo de instalação desses campi e de funcionamento de seus cursos pode se dar por concluído no que tange às possibilidades gerenciais de Garanhuns. Agora, a continuidade da centralização da administração em Garanhuns traz mais dificuldades que vantagens, inclusive para a própria UPE-Garanhuns. Não raras vezes, problemas locais que exigem rapidez de solução tem que passar por Garanhuns e ainda, algumas vezes, Garanhuns tem que servir de mediador às solicitações encaminhadas à reitoria em Recife, o que demanda tempo e custos. Já é hora da descentralização para que as comunidades acadêmicas locais possam articular a própria gestão, conhecedora cada uma de suas especificidades, problemas e soluções. k) Ampliação e Setorização da Biblioteca: Uma universidade deve contar com uma boa biblioteca ou boas bibliotecas, haja vista a existência de especificidades de áreas tão distintas quanto, por exemplo, Medicina e Letras, ou História e Informática ou ainda, só para mais um exemplo, Psicologia e Geografia. No Brasil, as universidades têm investido em melhoria dos serviços de suas bibliotecas e dos seus respectivos acervos, no entanto, apesar das reformas feitas na biblioteca da UPE- Garanhuns é notória sua defasagem em relação às necessidades de estudo e de pesquisa. Como observa Antônio Miranda, pesquisador acerca das bibliotecas universitárias no Brasil: 15
  16. 16. “Não temos, e é reconhecida a nossa falha, uma tradição bibliotecária no Brasil, assim como a nossa tradição universitária é bem recente. Não podemos esquecer o fato de que as universidades são fenômenos novíssimos em nossa cultura por causa do nosso tipo de colonização. Verdadeiras bibliotecas universitárias - entendidas não apenas como grandes coleções em majestosos edifícios mas julgadas, sobretudo, pela excelência de seus serviços à comunidade acadêmica só aparecem neste século e só agora começa m a afirmar-se e a impor-se.”4 Outro aspecto a se destacar refere-se a utilização de recursos modernos de tecnologia nas bibliotecas, notadamente o acesso às bases de dados e aos acervos digitais de outros centros de pesquisa. Importante também é a possibilidade de colocação de acervo virtual ou ainda de possibilidade de pesquisa na biblioteca por Internet, podendo o usuário consultar o acervo e reservar a obra de seu interesse via Internet. Algumas bibliotecas universitárias americanas e européias já dispõem não apenas dos seus catálogos via on- line, mas mesmo a totalidade seu acervo em consulta on-line para usuários registrados. Esta ação em nosso plano de metas se articula com a necessidade de um site da UPE-Garanhuns próprio, para viabilizar a colocação do catálogo e de obras do acervo na Internet. l) Criação de Novos Cursos de Graduação Luta pela criação de novos cursos de graduação, como, por exemplo, em Engenharia Ambiental, em Antropologia, este tendo como pano de fundo e objetivos, o desenvolvimento 4 fonte: http://www.antoniomiranda.com.br/ciencia_informacao/BIBLIOTECA_UN IVERSITARIA_.pdf 16
  17. 17. de pesquisas referentes à riqueza e variedade de ocupação humana na região do agreste, como se percebe pelas comunidades quilombolas e indígenas, bem como pelas histórias de formação das cidades da região. Soma-se ainda a possibilidade de um curso de especialização em Arqueologia, tendo em vista a riqueza de sítios do homem pré-histórico no Agreste, como se pode ver em Paranatama, em Buíque, na reserva do Catimbau, no sítio de Alcobaça. Lembremos que no vale do cariri, sul do Ceará, a URCA – Universidade Regional do Cariri, instituição estadual, vem consolidando tradição nacional e internacional no curso de Arqueologia, tomando por base o estudo do sítio arqueológico da Chapada do Araripe e, que não muito longe dali, em São Raimundo Nonato, já no Piauí, desenvolve-se trabalho internacionalmente reconhecido nesta área. Não devemos esquecer que a implantação de um novo curso de graduação deve vir acompanhada, a par e passo, pela criação de vagas em concursos de professores com habilitação adequada e pesquisadores das referidas áreas, além da construção de espaços necessários e próprios a cada curso. O que demanda um planejamento profundo e estudado acerca de todas as possibilidades de concretização das propostas, o que só pode ser conseguido pela união de esforços dos grupos especificamente interessados. m) Criação do Museu de História: A proposta de criação do Museu de História se coaduna com a proposta anterior, uma vez que as áreas de História Natural, Antropologia e Arqueologia, contam com material e espécimes característicos e ricos nessa região. Por outro lado, a documentação histórica de Garanhuns e de cidades circunvizinhas aguarda também um espaço como o que seria o de um Museu de História na Universidade de Pernambuco, não 17
  18. 18. apenas para guarda desse material histórico, mas também, para a abertura de pesquisas e levantamento de elementos críticos acerca da interpretação da história relativa à ocupação do homem no Agreste. n) Construção de Prédio Próprio para a Escola de Aplicação: Um dos problemas mais elementares dos cursos de graduação no período da manhã é o funcionamento, também, concomitante da escola de aplicação nas dependências do prédio de sala de aulas. As crianças das séries do fundamental e médio possuem uma dinâmica diferente dos alunos e professores do ensino superior, ocasionando cotidianamente perturbações referentes ao uso de um espaço comum, como o excesso de barulho e a correria das crianças no pátio, dificultando a concentração dos universitários. Por outro lado, a escola de aplicação também, por várias vezes, sente que não tem um espaço próprio e adequado às atividades didático- pedagógicas que poderia desenvolver como ocorre numa escola equivalente com prédio próprio. É, pois, como parte de nosso plano de metas a busca junto ao governo estadual e às secretarias competentes a concretização do plano para um prédio próprio da escola de aplicação. o) Construção da Clínica de Psicologia: Os serviços de uma Clínica de Psicologia na Universidade são oferecidos por alunos estagiários – sempre acompanhados por professores capacitados – bem como consultas, para crianças e adultos, e testes vocacionais. Uma quantidade suficiente de consultórios deve estar disponíveis na Clínica. Os pacientes tanto podem ser encaminhados pelo Sistema Único de Saúde 18
  19. 19. (SUS), como podem procurar diretamente a Clínica Escola, preenchendo cadastro na Secretaria do setor. Os horários das consultas podem ser combinados com cada cliente, após a inscrição, e os testes vocacionais, que servem de orientação para aqueles que necessitam de orientação acerca do desenvolvimento de suas habilidades latentes. E, ainda, o espaço da clínica de psicologia pode ser um excelente lugar para o desenvolvimento de pesquisas de graduação e de pós- graduação no que tange às necessidades de pesquisa de campo. p) Criação de Cursos de Mestrado Acadêmico: Algumas propostas de criação de cursos de mestrado acadêmico têm sido tentadas pela UPE-Garanhuns, como as de Letras e da Meio-Ambiente. Porém, ainda não se conseguiu a aprovação das mesmas em virtude de carências nos tópicos referentes à produção dos professores envolvidos, pois muitos são jovens doutores, assim como uma certa inconsistência entre as linhas de pesquisa, os grupos de pesquisa e as pesquisas efetivamente desenvolvidas na gradução e na pós-graduação lato-sensu. Neste sentido, é um compromisso de nossa gestão, assessorar prontamente no sentido de incentivar a produção docente, tanto no âmbito da manutenção e expansão da Revista Diálogos – veículo para divulgação de artigos e trabalhos – bem como no incentivo à participação dos professores envolvidos nestes projetos em congressos e eventos que sirvam de caminho para a divulgação e publicação dos trabalhos. Por outro lado, estaremos envolvidos de forma decisiva no ajuste entre as pesquisas propostas no âmbito da graduação e da pós- graduação lato sensu ao conteúdo das linhas de pesquisa nos projetos de mestrado. Acreditamos que além das reelaborações dos projetos de mestrado acadêmico em Letras e em Meio- ambiente, existam condições para se pensar na criação de propostas de mestrado e doutorado insterinstitucional (Minter e 19
  20. 20. Dinter) no âmbito de cursos como Psicologia, História, Biologia, Geografia, Matemática. Assim, buscando a excelência na titulação dos professores da UPE, tanto no âmbito de sua produção em pesquisa, quanto no que concerne a sua titulação, lograremos alcançar o nível desejado pelo MEC para a implantação de mestrados acadêmicos tão desejados pela comunidade universitária de nossa região. q) Implantação do Núcleo de Gestão Ambiental (NGA) da UPE-Garanhuns Um Núcleo de Gestão Ambiental (NGA) tem por objetivo o incentivo, a discussão e a proposição de pesquisas no âmbito da educação ambiental e da ecologia. Lembremos que já existe uma base para tal núcleo uma vez que o professor Manoel Barros é atualmente o coordenador do projeto Projovem-Saberes da Terra da UPE. A região do Agreste Meridional tem sofrido com as intempéries de secas prolongadas, assim como todo o interior de Pernambuco e o sertão nordestino. Um NGA pode divulgar e incentivar o uso de tecnologias modernas e baratas para a superação dos problemas causados pela seca, como técnicas de construção de cisternas para captação das águas pluviais, técnicas de barramento de cursos d’água, uso da energia solar e da energia eólica, técnicas de observação e controle da evaporação de água do solo, técnicas de construção de poços, técnicas de uso industrial dos recursos de granito e rochas, levantamento e estudo das potencialidades econômicas da vegetação da caatinga, tudo isto desenvolvido por meio de assessoramento aos programas municipais, estaduais e federais desenvolvidos ou a ser implantados na região. Por outro lado, a formação de profissionais com especialização em gestão ambiental, educação ambiental e 20
  21. 21. ecologia servirá de efeito multiplicador na divulgação desse conhecimento tecnológico e estratégico. 3. Histórico do Professor Manoel Pereira Barros. O Professor Manoel possui mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). Tem experiência na área de ensino de Genética, com ênfase em citogenética e genética molecular. Atuando, principalmente, na pesquisa ensino/aprendizagem de genética através do lúdico: jogos e brincadeiras, na construção do conhecimento. Professor preocupado em resolver dificuldades de aprendizagem dos alunos no que se refere à complexidade de determinadas informações, como por exemplo, o domínio das características do código genético, criou um jogo de dominó que permite por analogias da disposição das suas peças aprender o funcionamento do código genético. Em matéria publicada no Diário de Pernambuco de 17 de março de 2009, lê-se acerca da originalidade e da funcionalidade didático- pedagógica do invento. O professor Manoel tem divulgado seu dominó genético em congressos e em periódicos acadêmicos. Recentemente, coordena a aplicação do Projeto Projovem – Saberes da Terra, que com financiamento do MEC pretende formar 1.200 professores da rede pública estadual com especialização no ensino rural, com domínio de assuntos como Educação Ambiental, Agricultura Familiar, Agrotóxicos e Ecologia. O professor Manoel sempre pautou sua carreira pela abertura ao diálogo e pelo incentivo à participação colegiada e democrática. Tendo feito curso de capacitação para gestores e especialização em Metodologia do Ensino Superior apresenta- se capacitado a enfrentar os desafios para a direção da UPE- Garanhuns, entre os quais, a articulação de forças, pessoas e 21
  22. 22. grupos, no sentido de somar esforços para a realização de tarefas que tenham como objetivo principal o crescimento da UPE enquanto comunidade universitária a serviço da sociedade. 3.1. Histórico da Professora Maria Inez A Professora Maria Inez tem especialização em Metodologia da Educação (UPE), atualmente é doutoranda em Educação (Argentina) e foi por oito anos diretora da escola de aplicação da UPE-Garanhuns, período em que a escola de aplicação atingiu seus mais altos índices de aproveitamento nas avaliações dentre as instituições estaduais de ensino fundamental I e II de Pernambuco. Tendo pautado sua carreira pela pesquisa dos problemas da educação no Brasil e, especificamente, do Agreste, a professora Maria Inez é uma profissional altamente capacitada a compreender não apenas os problemas que existem na nossa região, mas também está apta a apresentar soluções, assim como, pelo seu espírito combativo e de diálogo, busca motivar as pessoas a sua volta para a busca de soluções práticas e exeqüíveis. Formando com o professor Manoel Barros uma dupla natural tendo em vista a compatibilidade ambos para as questões democráticas e da comunidade universitária da UPE- Garanhuns. 22
  23. 23. 4. Compromisso As propostas constantes no presente plano de metas formam um compromisso indissolúvel entre a candidatura do professor Manoel Pereira Barros e a comunidade da UPE-Garanhuns. “Antes que me perguntem como pretendo realizar as propostas apresentadas neste programa, digo que o que proponho é o que qualquer boa instituição de ensino superior deva ter, de modo que se não temos ou é porque até agora nos conformamos diante da falsa-realidade de que não podemos ter ou é porque nos acostumamos a se desfazer de sonhos e nos sujeitarmos à pequenez. Por isso, estou aqui, para juntar esforços no sentido de crescermos até o tamanho que merecemos em razão de nossos esforços.” Manoel P. Barros 23

×