XIV Jornada de Inverno SBGG-RS!                                   2012!Atividade sexual depacientes com HAS, fibrilação at...
Sexualidade - OMS—  Energia que encontra a sua expressão física  psicológica e social no desejo de contato,  ternura,inti...
Fases do ato sexual—  Libido  —  Medicações  —  Hormônios  —  Relacionamento com o meio (letargia, confusão,     ansie...
Prevalência de HAS por idade e sexoRoger et al. Circulation 2012;125:e2-e220
Grau de informação, tratamento e controle da                                                HAS por grupo etário .Roger et...
Custo direto e indireto doenças CVRoger et al. Circulation 2012;125:e2-e220
—  71 pts x 85 controles, nenhuma na menopausa.—  HAS controlada com medicamentos, sem outras  doenças associadas.
Antihipertensivos que podem afetar           função sexual     Medicações                  Grau de atuação     Beta-bloque...
Fibrilação Atrial                 Impacto na Qualidade de VidaSF–36 Qualityof Life Scores                        1 Jung   ...
41 pacs com FA x 123 controles (>65 a)…. do ponto de vista do paciente a F.A. parece ter maiorrepercussão mental do que fí...
- 963 pacs.                    - 72 % >65 anos    A qualidade de vida é prejudicada no pac. com F.A. derecente começo poré...
Fibrilação Atrial: fatores moduladores da            Qualidade de Vida—  Causas reversíveis—  Doenças associadas  —  ex...
Fibrilação atrial:Medicaçoes que podem afetar função sexual      Medicações          Grau de atuação      Beta-bloqueadore...
—  Aumentos significativos da pressão arterial e frequência  cardíaca ocorrem usualmente apenas durante orgasmo.—  Avali...
Fibrilação Atrial e AVC•  Complicação mais comum    1-2•  Incidencia em até 5 % dos pacientes1•  FA fator de risco indepen...
Fibrilação Atrial                Impacto na incidência de AVC% AVCsassociados afibrilação atrial                          ...
AVC no Brasil – DATASUS 2008—  Maior causa de óbito (2008 – 97.000)—  141 935 internações—  Maior causa de dependência ...
AVC vs idade100 80 60 40 20                                         Uso ACO      59- 69    69 - 79   80 - 89              ...
Otimização do RNI vs. idade100                     % utilizando cumarínicos	 80             58,1     60,7           57,3 6...
estudo                    RE-LY             ROCKET-AF                 ARISTOTLE         n                      18.113     ...
CHA2DS2-VASc      variáveis       PontuaçãoICC                       1HAS                       1idAde > 75 a             ...
CHA2DS2-VASc: risco AVCCHA2DS2-­‐VASc	     % AVC /ano    recomendação	  score	           0	             0%	          Nada ...
Evaluation of sexual behavior after stroke•  MÉTODOS    - 62 pacs com avaliação 1 ano após alta hospitalar.    - Questioná...
Disfunção ou insatisfação com a vida sexual é real em ambossexos envolvendo pacientes e parceiros. Fatores psicológicose s...
Sexualidade pós AVC—  Raramente o AVC é a causa primária da disfunção  sexual.—  80 % dos homens com disfunção erétil na...
Fatores vinculados com diminuição da          atividade sexual pós AVC—  Comunicação—  Tempo para readaptar a um novo co...
XIV Jornada de Inverno SBGG-RS!                                   2012!Atividade sexual depacientes com HAS, fibrilação at...
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Sexualidade SBGG
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sexualidade SBGG

8.922 visualizações

Publicada em

Padres de sexualidade no paciente com fibrilaçao atrial, HAS e pos AVC

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.478
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sexualidade SBGG

  1. 1. XIV Jornada de Inverno SBGG-RS! 2012!Atividade sexual depacientes com HAS, fibrilação atrial ou pós-AVC Cidio Halperin halperin@arritmias.com.br
  2. 2. Sexualidade - OMS—  Energia que encontra a sua expressão física psicológica e social no desejo de contato, ternura,intimidade ou mesmo amor.—  Ela influencia pensamentos, sentimentos ações e interações sociais, por isto afeta o conceito básico de saúde.
  3. 3. Fases do ato sexual—  Libido —  Medicações —  Hormônios —  Relacionamento com o meio (letargia, confusão, ansiedade—  Ereção —  Hormonios —  Coordenação nervosa, hormonal, vascular—  Ejaculação —  Ativação alfa-receptores na vesícula seminal e próstata.
  4. 4. Prevalência de HAS por idade e sexoRoger et al. Circulation 2012;125:e2-e220
  5. 5. Grau de informação, tratamento e controle da HAS por grupo etário .Roger et al. Circulation 2012;125:e2-e220
  6. 6. Custo direto e indireto doenças CVRoger et al. Circulation 2012;125:e2-e220
  7. 7. —  71 pts x 85 controles, nenhuma na menopausa.—  HAS controlada com medicamentos, sem outras doenças associadas.
  8. 8. Antihipertensivos que podem afetar função sexual Medicações Grau de atuação Beta-bloqueadores ++++/4 Antagonistas Ca ++/4 Diuréticos (- furosemida) +/4 Bloq. Recapt. Angiot. +/4
  9. 9. Fibrilação Atrial Impacto na Qualidade de VidaSF–36 Qualityof Life Scores 1 Jung W, Herwig S, Newman D et al. JACC. 1999;33(2):104A 2 Ware JE, Snow KK, Kosinski M, Gandek B. New England Medical Center Health Survey, 1993.
  10. 10. 41 pacs com FA x 123 controles (>65 a)…. do ponto de vista do paciente a F.A. parece ter maiorrepercussão mental do que física…..
  11. 11. - 963 pacs. - 72 % >65 anos A qualidade de vida é prejudicada no pac. com F.A. derecente começo porém melhora com o tratamento. Após oprimeiro ano, a qualidade de vida está mais associada acomorbidades, sexo e idade do que a presença de F.A.
  12. 12. Fibrilação Atrial: fatores moduladores da Qualidade de Vida—  Causas reversíveis—  Doenças associadas —  extra-cardíacas—  Tratamentos—  Sintomas x estratégias
  13. 13. Fibrilação atrial:Medicaçoes que podem afetar função sexual Medicações Grau de atuação Beta-bloqueadores ++++/4 Antagonistas Ca ++/4 Digoxina +/4 Amiodarona +/4 Propafenona ++/4
  14. 14. —  Aumentos significativos da pressão arterial e frequência cardíaca ocorrem usualmente apenas durante orgasmo.—  Avaliação clínica (c/ergometria) e orientação.—  Os cardiopatas devem se abster de praticar sexo apenas em situação instável ou surgimento de sintomas debilitantes.
  15. 15. Fibrilação Atrial e AVC•  Complicação mais comum 1-2•  Incidencia em até 5 % dos pacientes1•  FA fator de risco independente de AVC2•  Aprox. 25% de todos AVCs são causados por FA3•  AVC causado por FA usualmente é mais grave 1. Fuster V, et al. Circulation. 2006;114:e257-354. 2. Benjamin EJ, et al. Circulation. 1998;98:946-52. 3. Lloyd-Jones D, et al. Circulation. 2009;119:e21-181.
  16. 16. Fibrilação Atrial Impacto na incidência de AVC% AVCsassociados afibrilação atrial idade Wolf P, Abbott RD, Kannel WB. Arch Intern Med. 1987;147
  17. 17. AVC no Brasil – DATASUS 2008—  Maior causa de óbito (2008 – 97.000)—  141 935 internações—  Maior causa de dependência familiar—  F.A. documentada presente em 20 % casos—  60% dos pacientes aposentam-se no primeiro ano
  18. 18. AVC vs idade100 80 60 40 20 Uso ACO 59- 69 69 - 79 80 - 89 >89 idade Wolf PA et al. Arch Intern Med 1987;147:1561-1564
  19. 19. Otimização do RNI vs. idade100 % utilizando cumarínicos 80 58,1 60,7 57,3 60 55 44,3 40 35,4 20 0 <55 55-64 65-74 75-84 ≥85 média idade Go et al. Ann Intern Med. 1999;131:927-934.
  20. 20. estudo RE-LY ROCKET-AF ARISTOTLE n 18.113 14.264 18.201 droga Dabigatran (Pradaxa) Rivaroxaban (Xarelto) Apixiban (Eliquis) 150 mg bid 20 mg qd 5 mg bid CHADS 2.1 3.5 2.1Eficácia vs warfarin 1.71 vs. 1.11 p<.001 2.42 vs. 2.12 p=.12 1.60 vs. 1.27 p < .001 Sangramentos 3.57 vs. 3.32 p=0.31 3.45 vs. 3.6 p=0.58 3.09 vs. 2.13 p<.001 AVC hemor % 0.74 vs. 0.3 p< .001 0.74 vs. 0.49 p=.019 0.47 vs. 0.24 p< .001 Conclusão > Eficácia, não inferior > Eficácia = sangramento < AVC hemorrágico < AVC hemorragico < mortalidade
  21. 21. CHA2DS2-VASc variáveis PontuaçãoICC 1HAS 1idAde > 75 a 165-74 anos 1Diabetes 1Stroke ou AIT 2Feminino 1doença VASC. perif. 1
  22. 22. CHA2DS2-VASc: risco AVCCHA2DS2-­‐VASc   % AVC /ano recomendação  score   0   0%   Nada ou AAS 1   1.3%   AAS ou anticoag. 2   2.2%   Anticoagulação 3   3.2%   Anticoagulação 4   4.0%   Anticoagulação 5   6.7%   Anticoagulação 6   9.8%   Anticoagulação 7   9.6%   Anticoagulação 8   6.7%   Anticoagulação 9   15.2%   Anticoagulação
  23. 23. Evaluation of sexual behavior after stroke•  MÉTODOS - 62 pacs com avaliação 1 ano após alta hospitalar. - Questionário de avaliação perfomance sexual•  RESULTADOS - Declínio da atividade sexual sem correlação com sexo, tipo desequela, tempo de relacionamento ou nível de educação. - Papel do parceiro (a) fundamental no retorno a atividade.•  CONCLUSÕES - Declinio da atividade sexual pós AVC é significativo, ospacientes sofrem e não temem em relatar seu sofrimento.Aconselhamento psicológico para o casal é sugerido
  24. 24. Disfunção ou insatisfação com a vida sexual é real em ambossexos envolvendo pacientes e parceiros. Fatores psicológicose sociais parecem exercer forte impacto na qualidade e nafunção sexual pós-AVC.
  25. 25. Sexualidade pós AVC—  Raramente o AVC é a causa primária da disfunção sexual.—  80 % dos homens com disfunção erétil na primeira avaliação recuperam em parte em 6 meses.—  Mudanças na rotina da familia —  Mudança nos papéis dentro do relacionamento —  Eventual dependência—  Romance: independente de restriçoes motoras ou sensitivas
  26. 26. Fatores vinculados com diminuição da atividade sexual pós AVC—  Comunicação—  Tempo para readaptar a um novo corpo—  Planejar com antecedência—  Explorar o corpo – novas posiçoes para o ato—  Criatividade—  Uso de medicações auxiliares—  Penetração não é a única forma de obter ou dar prazer
  27. 27. XIV Jornada de Inverno SBGG-RS! 2012!Atividade sexual depacientes com HAS, fibrilação atrial ou pós-AVC Cidio Halperin halperin@arritmias.com.brwww.foradoponto.com

×