Criatividade e linguagem fotográfica

1.042 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre desenvolvimento criativo através da linguagem fotográfica.

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Criatividade e linguagem fotográfica

  1. 1. Criatividade e Linguagem Fotográfica
  2. 2. Criatividade • A palavra criatividade tem sua origem no termo “criar”, do latim “creare”, que significa “dar existência”.
  3. 3. “Criatividade é 1% de inspiração e 99% de transpiração.” -Thomas Edison.
  4. 4. Ideia Ação Criação
  5. 5. Criatividade x Originalidade x Ineditismo Original Ideia Derivada Inédita
  6. 6. Etapas da Criatividade
  7. 7. Inspiração • É determinada como inspiração a ideia que possa vir por ventura a dar inicio ao processo criativo.
  8. 8. Inspiração x Originalidade • A originalidade, muitas vezes confundida com ineditismo de um trabalho, refere-se ao caráter daquilo que é original, no sentido de ORIGEM. Ou seja, o princípio da ideia. • A palavra vem do latim “inspiratio” e do verbo “inspirare”, que significa "soprar em" ou "insuflar". Já no tempo clássico do Império Romano "inspirare" recebeu a conotação "respirar profundamente" e o sentido figurativo "insinuar algo no coração de alguém".
  9. 9. Algumas questões pessoais • Qual o meu interesse na fotografia? • Qual o meu ofício? • O quê gosto de fazer no meu tempo livre? • Quais são minhas paixões? • Quais são os meus medos? • Por quais dificuldades eu passei na vida? • Por quais dificuldades meus pais passaram? • Quais as minhas origens?
  10. 10. Aerolin • Entre 2007 e 2009 o fotógrafo Pedro David criou a série “Aerolin” (nome de um remédio para Asma), explorando a própria doença.
  11. 11. Radiografia
  12. 12. Tatame
  13. 13. Agrião
  14. 14. Saco
  15. 15. Sabão
  16. 16. Cartelas
  17. 17. Ampolas
  18. 18. Autorretrato, autoconhecimento • O autorretrato sempre foi uma prática comum entre artistas. • Alguns chegaram a dedicar toda a sua obra dentro desta temática. • Muitas vezes esse exercício serve como uma forma de autoconhecimento e até mesmo como terapia. Vivian Maier
  19. 19. Someone To Love • Cristina Nuñes começou a fotografar para superar a falta de auto-estima que levou ao vício na adolescência. • A série Someone To Love reúne imagens realizadas entre 1988 e 2011, criando uma espécie de linha do tempo de sua vida.
  20. 20. With the self-portrait, anybody can produce a work of art.” - Cristina Nuñez “
  21. 21. Graham MacIndoe • No auge de sua dependência, o fotógrafo norueguês Graham MacIndoe decidiu documentar sua decadência por causa do vício em crack e heroína.
  22. 22. Cindy Sherman • A fotógrafa Cindy Sherman empresta sua identidade para recriar uma nova personalização.
  23. 23. Inspiração externa • A fonte da inspiração pode ser também externa, sem ligação pessoal com o autor, construídas a partir de situações testemunhadas, como por exemplo: • Questões politicas e sociais • Identidades culturais • Desenvolvimento estético (arte pela arte)
  24. 24. The Lovings • Em março de 1966, a revista LIFE publicava o artigo "O Crime de ser casado", ilustrado com fotografias de Grey Villet, que contava a história de Richard e Mildred Loving, um casal interracial que lutava contra os estatutos de anti-miscigenação do estado da Virginia, nos Estados Unidos.
  25. 25. Zodiaco • O fotógrafo polonês Arkadiusz Branicki criou uma série fotográfica de nu feminino utilizando os signos do zodíaco como tema.
  26. 26. Preparação e escolha de linguagem • O processo de preparação envolve o aprofundamento técnico e teórico sobre tudo que se relaciona àquela ideia inspiradora. Ou seja, a partir da escolha do suporte (fotografia), pesquisar quais os meios técnicos proporcionam a melhor solução para expressar a ideia.
  27. 27. Domínio teórico • Para desenvolver o conceito de um trabalho, é preciso aprofundar-se em seus significados. • A história dos sujeitos, lugares ou situações que fazem parte do processo enriquecem o projeto.
  28. 28. Pensando o desenvolvimento teórico • Você conhece bem o assunto a ser retratado? • Quais são as representações pessoais e sociais que ele implica? • Quais são os seus objetivos comunicacionais?
  29. 29. Domínio técnico • Uma abordagem interessante, leva ao conceito de foto eficiente, que seria aquela que transmite uma determinada mensagem com a máxima eficiência e objetividade. • É através da utilização correta de suas técnicas que o fotógrafo pode transmitir a carga semântica pretendida.
  30. 30. Desenvolvimento técnico • Você possui conhecimento técnico suficiente para trabalhar com a potencialidade da linguagem escolhida? • Você possui o equipamento adequado para registrar de maneira satisfatória o objeto do projeto?
  31. 31. Elementos da linguagem fotográfica • planos - corte, enquadramento • foco - foco diferencial, desfoque, profundidade de campo • movimento - em maior e em menor grau, estaticidade • forma - espaço • ângulo - posição da máquina • cor - gradação de cinzas, as cores • textura - impressão visual • iluminação - sombras, luzes • aberrações - óticas, químicas • perspectiva - linhas • equilíbrio e composição - balanço, arranjo visual dos elementos.
  32. 32. Incubação e iluminação • A incubação consiste no processo em que a ideia fica latente em nosso subconsciente. • Para incubar uma ideia é necessário que ela “adormeça” em nossa mente.
  33. 33. O tempo está a seu favor • Seu projeto não tem prazos. E como não há pressão com o tempo, você não precisa usar a mesma fórmula de sempre.
  34. 34. “Sature-se com tudo que se refere ao seu problema.” - Conwy Lloyd Morgan.
  35. 35. Pensamento lateral • Segundo lawson (2005), o pensamento lateral é uma inteligência criadora, que procura através de novas direções novas descobertas, constituíndo-se o sistema criativo como um processo de possibilidades, em vez de um processo fechado à espera de uma única solução.
  36. 36. Pensando lateralmente • Aumente sua iconografia • Pense fora do campo da fotografia • Pesquise sobre outras técnicas de produções gráficas • Vá ao teatro, cinema ou outra atividade que trabalhe com o visual
  37. 37. Crie um diário • Criar um diário para anotar as ideias que possam surgir durante o processo de incubação é uma boa maneira de organizar o processo.
  38. 38. Delineação e elaboração • O processo de delineação de uma ideia consiste na preparação para a realização, quando todas as demais questões conceituais e teóricas já foram resolvidas.
  39. 39. Delineação • Escolha os códigos de linguagem mais relevantes à proposta. • Crie um esboço do projeto.
  40. 40. Explorando as possibilidades da Linguagem Fotográfica
  41. 41. Elementos da linguagem fotográfica • planos - corte, enquadramento • foco - foco diferencial, desfoque, profundidade de campo • movimento - em maior e em menor grau, estaticidade • forma - espaço • ângulo - posição da máquina • cor - gradação de cinzas, as cores • textura - impressão visual • iluminação - sombras, luzes • aberrações - óticas, químicas • perspectiva - linhas • equilíbrio e composição - balanço, arranjo visual dos elementos.
  42. 42. Enquadramento
  43. 43. Foco
  44. 44. Movimento
  45. 45. Movimento
  46. 46. Cor
  47. 47. Ângulo
  48. 48. Ângulo
  49. 49. Textura
  50. 50. Perspectiva
  51. 51. Linguagem x Composição • É muito comum a confusão entre as questões que envolvem a linguagem fotográfica e a composição da imagem.
  52. 52. Relações sensoriais e simbólicas • Alguns aspectos da linguagem fotográfica, possuem cargas sensoriais e simbólicas, potencializando a comunicação.
  53. 53. Construindo uma série fotográfica • Uma maneira comum de criar uma série fotográfica é a coleção de imagens ligadas por um tema ou elementos gráficos em comum.
  54. 54. Coleção de imagens • Uma maneira comum de criar uma série fotográfica é a coleção de imagens ligadas por um tema ou elementos gráficos em comum.
  55. 55. Narrativa: Contando uma historia • Outra maneira comum de produzir uma série fotográfica é criar uma narrativa entre as imagens.
  56. 56. Angelo Merendino
  57. 57. Elaboração • O processo de elaboração, consiste na parte pratica.
  58. 58. Como elaborar • Construa uma rotina para fotografar a se considerar: • Quais são os horários propícios a fotografar o seu assunto, objeto ou sujeito? • Quais são os horários que você possui maior energia vital para executar essas ações?
  59. 59. Verificação • O processo de ferififcação consiste na avaliação dos resultados.
  60. 60. Como verificar • Os resultados obtidos foram satisfatórios? • O desenvolvimento técnico foi bem executado? • O desenvolvimento estético do trabalho apresenta relação aquedada ao conceito proposto?
  61. 61. Aplicação • A aplicação consiste na etapa final do processo de criação.
  62. 62. Termos de uso • Este slide foi produzido como parte do material de apoio a estudantes do curso livre ministrado no Centro de Extensão da Escola Guignard, unidade da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG, em Belo Horizonte. • As imagens de terceiros são reproduzidas neste slide para fins exclusivamente didáticos, respeitando as limitações aos Direitos Autorais, conforme Capitulo IV da Lei 9610 de 19 de fevereiro de 1998. • A comercialização deste material é estritamente proibida.

×