é Perdoando que se é perdoado

155 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
155
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

é Perdoando que se é perdoado

  1. 1. É perdoando que se é perdoado ” Senhor, se o meu irmão me ofende, quantas vezes devo perdoá-lo? Até sete vezes? Jesus respondeu: Eu te digo não sete vezes, mas setenta vezes sete. ” – Assim como recebemos da imensa misericórdia de Deus o perdão de nossos pecados, devemos aprender a exercer a nossa pequena misericórdia para com o próximo. A matemática de Deus é assim: quem nos ensina é a oração do Pai Nosso. – ‘Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.’ Da mesma forma que recebemos de Deus o seu infinito amor expressado por Jesus no alto da Cruz, quando disse: ” Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem ” (Lc 23,34), também nós devemos amar o nosso próximo perdoando a quem nos ofendeu. Portanto, como nos ensina São Francisco de Assis, ‘ é perdoando que se é perdoado. ‘ Que Deus abençoe você e lhe conceda a graça de que você precisa para perdoar hoje e sempre. Com minhas orações, Natal CN – Comunidade Canção Nova Quaresma! Tempo de conversão! Deus nunca cansa de nos perdoar Quaresma! Tempo de conversão! ” Deus nunca cansa de nos perdoar. Somos nós que nos cansamos de pedir perdão a Deus “ Papa Francisco Não há justiça sem perdão, lembra Bento XVI
  2. 2. Nesta segunda-feira, 30, o Papa Bento XVI enviou uma mensagem aos membros da Pontifícia Academia das Ciências Sociais, que participam de um encontro no Vaticano. Na mensagem ele recordou as palavras de João Paulo II: “Não há paz sem justiça, não há justiça sem perdão”. Neste sentido, “o conceito de perdão precisa encontrar seu caminho nas negociações internacionais para a resolução de conflitos, a fim de transformar esta linguagem estéril de recriminação mútua que não conduz a lugar algum”, enfatiza por sua vez Bento XVI. O Pontífice recorda que os recentes sínodos sobre a Igreja na África e no Oriente Médio colocaram em evidência que “erros e injustiças históricas podem ser superados somente se os homens e mulheres forem inspirados por uma mensagem de cura e esperança, uma mensagem que oferece um caminho de saída aos impasses que frequentemente bloqueiam as pessoas e as nações num círculo vicioso de violência”. Bento XVI lembrou também que a encíclica de João XXIII,Pacem in Terris, escrita numa época em que o mundo temia seu fim diante de uma guerra nuclear, tem muito a nos dizer hoje. A mensagem foi um apelo para a inteligência e o coração da humanidade, que não se esquece de lutar pelo valor universal da paz. Assim – afirma Bento XVI – a Pacem in Terris se torna uma carta aberta ao mundo, um apelo de um grande pastor que já estava no fim de sua vida, para que a causa da paz e da justiça fosse vigorosamente promovida em todos os níveis da sociedade, tanto no âmbito nacional quanto internacional. Todavia, a mensagem daquelas páginas escritas há 50 anos tem muito a dizer ao mundo de hoje. “Desde 1963, alguns dos conflitos pareciam insolúveis, naquele contexto histórica. Comprometemo-nos, então, a lutar pela paz e pela justiça no mundo de hoje, confiantes de que nossa busca comum da ordem estabelecida por Deus, de um mundo onde a dignidade de cada pessoa humana é concedido pelo respeito que é devido, pode e poderá dar frutos”, conclui o Papa. A 18ª Sessão Plenária da Pontifícia Academia das Ciências Sociais começou na sexta- feira, 27, e segue até esta terça-feira, 1° de maio. O pecado e o perdão ·
  3. 3. Perdoar sempre faz bem 04. janeiro 2012 · 2 comments · Categories: familia, formacao, testemunho · Tags: perdão, rancor Perdoar e aceitar o perdão sempre faz bem. Pode até ser um pouco difícil – dependendo da situação que gerou atritos –, mas tenha a certeza de que vale a pena.
  4. 4. A lista de benefícios inclui melhor condição de saúde física e mental, segundo o doutor em psicologia e líder do Grupo de Estudo e Pesquisa sobre o Perdão (GEPP) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Júlio Rique Neto. “O perdão é uma atitude voluntária e é mais do que simplesmente desculpar, pois está relacionado ao pensamento de justiça. Devemos perdoar por amor incondicional ao outro, mas esse amor não substitui a obrigação que temos com a justiça. Quem ama verdadeiramente o outro busca ser justo!”, salienta. O mestre em Pedagogia e Bispo de Palmares (PE), Dom Genival Saraiva, recorda que sempre há algo – intencional ou não – que afeta a ordem normal dos relacionamentos. “O perdão vai além de uma conduta respeitosa entre as pessoas, das ‘boas maneiras’. É algo mais profundo, expressão do amor de Deus. Nesse sentido, é importante que cada um se veja sendo perdoado por Deus ao perdoar seu semelhante. Os benefícios dessa atitude são de natureza espiritual, psicológica e social, pois sempre crescemos em maturidade”. Rancor Se o perdão traz uma série de benefícios, alimentar o rancor pode levar ao surgimento de doenças psicossomáticas, ao mal estar na presença do outro, à depressão e à alta ansiedade, bem como o evitar de ambientes sociais. Leia mais… Ponte do Perdão 18. junho 2011 · Write a comment · Categories: pensar · Tags: perdão ” Aquele que não pode perdoar destrói a ponte pela qual ele mesmo deve passar.”
  5. 5. 'Um pai com problemas de memória' 20. fevereiro 2010 · Write a comment · Categories: Mensagem · Tags: misericórdia, Pai misericordioso,perdão “Padre Camilo vivia preocupado com as coisas que estavam acontecendo em sua paróquia. Mandou chamar dona Teresa. Era uma velhinha simpática, de missa diária, que começou a espalhar pela paróquia a notícia de que Deus Pai vinha conversar com ela. O padre não estava gostando desta história. - “Minha senhora, disse ele, não fique por aí falando essas coisas… a gente nunca pode ter certeza.” - “Mas eu tenho certeza, padre!” E não chegavam a uma conclusão. Então, padre Camilo propôs um acordo: “Na próxima vez em que Deus Pai aparecer, pergunte a Ele quais são os meus maiores pecados. Se Ele acertar, eu acreditarei!” Algum tempo depois, o padre e dona Teresa voltam a se encontrar. - “E então, Deus Pai veio novamente conversar com a senhora?” - “Veio sim! E fiz aquela perguntinha para Ele!” - “E o que Ele respondeu?” - “Ele respondeu: VAI DIZER AO PADRE CAMILO QUE EU NÃO EU LEMBRO MAIS. EU JÁ ESQUECI TODOS OS PECADOS DELE!”
  6. 6. E padre Camilo lembrou-se de tantas coisas que o Pai já havia lhe falado, nos momentos de oração, na leitura e na meditação da Palavra de Deus. Naquela tarde, ele retomou a sua Bíblia e, relendo-a, foi recordando dos seus encontros com o Pai. E naquele dia, antes de dormir, padre Camilo, ajoelhado ao lado de sua cama, também falava com Deus Pai: “Hoje vou dormir tranquilo, porque sei que Tu tens um problema de memória. Perdoaste e esqueceste os meus pecados. Mas, antes de dormir, quero te pedir que eu tenha o mesmo problema de memória: que eu saiba acolher o teu perdão e esquecer os meus pecados. Não quero mais preocupar-me com os pecados que Tu já esqueceste. Dá-me paciência para escutar, animar, ajudar e perdoar. E depois, esquecer os pecados dos outros. Quero ser como Tu, um Pai com problema de memória. Amém!” Talvez, você tenha tido até agora uma vida difícil, marcada por pecados e falta de perdão. Mas Deus Pai quer falar a você, assim como falava sempre com aquela ‘velinha simpática, dona Teresa’. O Pai está dizendo a você: “Meu filho(a), eu já não me lembro mais de teus pecados, de tuas faltas, de tuas misérias. Quero apenas que voltes para mim, com o coração sincero e arrependido, e te darei a Vida Nova!” Livro “Só por causa de um cabrito” O perdão ressuscita famílias 11. janeiro 2010 · 2 comments · Categories: familia · Tags: familia, perdão
  7. 7. Acampamento para famílias O perdão ressuscita famílias Quem nunca ficou magoado com alguém? Machucar-se faz parte da vida, mas encontrar soluções para superar essa mágoa também. O convívio familiar, muitas vezes, desgasta a relação entre pais e filhos, por esse motivo o perdão é a salvação para uma vida feliz. Confira uma pregação do fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib, intitulada “O perdão ressuscita famílias”. Ouça a palestra em MP3 na íntegra e leia um trecho logo abaixo: :: Ouça a pregação na íntegra “Hoje é um dia para você pai e para você mãe perdoar cada filho que precisa do seu perdão. Tenham eles feito o que for, ou estejam ainda fazendo, a graça para nós hoje é perdoar. Perdão é decisão, mesmo que nosso coração esteja ferido por aquilo que eles estejam fazendo, mas hoje Deus está querendo lhe dar a graça do perdão. Disponha-se a perdoar, seja o que for. A falta de perdão está acabando com você. Mesmo que você esteja magoado, ferido, seu coração é coração de pai, de mãe, talvez esse seu filho tenha trazido desonra, isso está acabando com você espiritual e psicologicamente. É como soda cáustica colocada na boca, começa a corroer desde a boca. Espiritual, psicológica e até fisicamente essa dor está acabando, em primeiro lugar, com você. Deus está lhe dando a graça de perdoar. Eu peço em nome de Deus: Perdoe. Perdão não é sentimento, é ato de vontade. Queira perdoar, realize o ato de vontade de perdoar. Agarre essa graça do perdão. E diga no fundo do seu coração: “Eu perdoo”. Diga o nome de seu filho, filha e “Eu te perdoo”. Mesmo que você tenha perdido as esperanças da mudança deles, por causa de suas atitudes, perdoe. Pais e mães que foram largados pelos filhos, eu digo é vontade de Deus para sua necessidade que você lhes perdoe. Que seu amor, mesmo sofrido, doloroso, seja um ‘dreno’ para retirar todo mal que eles já fizeram para que sejam recuperados. Seja o que for, perdoe. Peça misericórdia”.

×