Cidade democrática<br />Webcidadania<br />Promover espaços para que a sociedade e o pode público possam dialogar e buscar,...
Cidade democrática<br />Webcidadania<br />Lugar na internet onde a sociedade se expressa e as contribuições são organizada...
Webcidadania<br />Cidade democrática<br />Oportunidade para que agentes públicos sejam apresentados às múltiplas possibili...
Integração entre trabalho<br /> e desejos pessoais<br />Ganho de relevância por formulação, mobilização, articulação, diál...
Vídeo<br />Let’s do it Estonia<br />
Qual seu SONHO para<br />sua cidade?<br />
Articulação e diálogo<br />Formulação<br />Mobilização<br />Fiscalização e controle<br />webcidadania<br />Comunicação<br ...
Ferramentas de webcidadania<br />
Articulação e diálogo: conhecer pontos de vista, conviver com o contraditório e encontrar caminhos comuns<br />Formulação:...
SUA ATUAÇÃO<br />DNA público<br />experiência pessoal<br />MISSÃO E POSICIONAMENTO DO ÓRGÃO<br />ABORDAGEM APRECIATIVA<br ...
Articulação de competências para promoção recíproca de causas: oferecimento e recebimento de ofertas de colaboração<br />A...
Vídeo<br />Menino Indiano<br />
Vídeo<br />Ana Carolina<br />
Articulação e diálogo<br />Formulação<br />Mobilização<br />Fiscalização e controle<br />webcidadania<br />Comunicação<br ...
Transparência/ open data: sistematizar dados públicos<br />e disponibilizá-los de forma aberta<br />Fiscalização e control...
O que esperamos de vocês?<br />
O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Qualidade do serviço público<br />
O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Construir arco de apoio do hub<br />
O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Construir arco de apoio do hub<br />Comunidades d...
O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Construir arco de apoio do hub<br />Sua opinião p...
TI + Secretarias = HUBs<br /><ul><li>Todo HUB se compromete a inovar dentro de um marco seguro: quem sugerir um projeto de...
Todo secretário se compromete a incentivar a inovação e administrar riscos.
A TI se compromete a apoiar e a expandir projetos de HUBs</li></li></ul><li>Equipe de mídias sociais<br />Criar uma políti...
1. Criar uma política formalde mídias sociais<br /><ul><li>Normas e diretrizes sensatas para o uso de mídias sociais deixa...
Responsabilidade: o servidor deve assumir a responsabilidade por seus comentários, indicando claramente quando a opinião é...
Veracidade e transparência: Todo comentário deve ser factual; identidade de quem o postou deve ser divulgada
Legalidade: Todo servidor deve estar ciente do marco jurídico e profissional que rege a conduta da empresa – e respeitá-lo...
Aproveite ferramentas: alertas do Google, monitores de blogs e de temas quentes no Twitter, Lexicon (Facebook) e outras fe...
Mobilize outros funcionários: uma equipe central pequena não terá condições de localizar toda atividade relevante para a e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Módulo cepam v8

0 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
0
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Módulo cepam v8

  1. 1.
  2. 2. Cidade democrática<br />Webcidadania<br />Promover espaços para que a sociedade e o pode público possam dialogar e buscar, juntos, soluções para os seus problemas.<br />Oficina<br />
  3. 3. Cidade democrática<br />Webcidadania<br />Lugar na internet onde a sociedade se expressa e as contribuições são organizadas, permitindo a leitura da sua complexidade e o mapeamento de demandas e agentes envolvidos<br />Oficina<br />www.cidadedemocratica.org.br<br />
  4. 4. Webcidadania<br />Cidade democrática<br />Oportunidade para que agentes públicos sejam apresentados às múltiplas possibilidades que a web proporciona para o estabelecimento de canais de diálogo com a sociedade, articulando as atividades no portal Cidade Democrática com outras ferramentas.<br />Oficina<br />
  5. 5. Integração entre trabalho<br /> e desejos pessoais<br />Ganho de relevância por formulação, mobilização, articulação, diálogo e transformação da realidade municipal<br />Apresentação de ferramentas <br />web e suas funcionalidades<br />Táticas capazes <br />de catalisar ações <br />públicas positivas<br />Gestor Público<br />Estímulo à construção <br />da presença pessoal e <br />institucional na web<br />Articulação desses perfis <br />com questões públicas <br />e demandas municipais<br />
  6. 6. Vídeo<br />Let’s do it Estonia<br />
  7. 7. Qual seu SONHO para<br />sua cidade?<br />
  8. 8. Articulação e diálogo<br />Formulação<br />Mobilização<br />Fiscalização e controle<br />webcidadania<br />Comunicação<br />Transformação da realidade social<br />Monitoramento<br />Transparência<br />O que você quer melhorar na cidade?<br />
  9. 9. Ferramentas de webcidadania<br />
  10. 10. Articulação e diálogo: conhecer pontos de vista, conviver com o contraditório e encontrar caminhos comuns<br />Formulação: construir soluções para questões públicas<br />incorporando o ponto de vista do cidadão<br />Mobilização: ativar comunidades de pessoas e organizações em função de suas competências complementares<br />
  11. 11. SUA ATUAÇÃO<br />DNA público<br />experiência pessoal<br />MISSÃO E POSICIONAMENTO DO ÓRGÃO<br />ABORDAGEM APRECIATIVA<br />LEIS: atribuições e recursos<br />INDICADORES: números<br />
  12. 12. Articulação de competências para promoção recíproca de causas: oferecimento e recebimento de ofertas de colaboração<br />Alcance da mobilização: monitoramento do alcance de cada ação em função da tática de divulgação e a qualificação do público<br />Divulgação em torno da causa: divulgação para redes pessoais utilizando as diversas ferramentas e funcionalidades específicas<br />Mapeamento de redes pessoais: sistematização (qualificação) e acesso aos diversos grupos de pessoas ligadas a cada tema<br />Criação de persona pública na web: elaboração e divulgação de causa e associação à presença na web<br />Criação de proposta essencial em torno da causa de interesse alinhada com o DNA público<br />Presença nas redes sociais: criação e elaboração de perfil nas redes apresentadas<br />
  13. 13. Vídeo<br />Menino Indiano<br />
  14. 14.
  15. 15.
  16. 16.
  17. 17.
  18. 18. Vídeo<br />Ana Carolina<br />
  19. 19. Articulação e diálogo<br />Formulação<br />Mobilização<br />Fiscalização e controle<br />webcidadania<br />Comunicação<br />Transformação da realidade social<br />Monitoramento<br />Transparência<br />O que você quer melhorar na cidade?<br />
  20. 20. Transparência/ open data: sistematizar dados públicos<br />e disponibilizá-los de forma aberta<br />Fiscalização e controle: dialogar com pessoas dedicadas<br />a acompanhar o trabalho de agentes públicos<br />
  21. 21.
  22. 22.
  23. 23. O que esperamos de vocês?<br />
  24. 24. O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Qualidade do serviço público<br />
  25. 25. O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Construir arco de apoio do hub<br />
  26. 26. O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Construir arco de apoio do hub<br />Comunidades de colaboração intersetoriais<br />Qualidade do serviço público<br />
  27. 27. O que esperamos de vocês?<br />Diálogo com agentes de transformação<br />Construir arco de apoio do hub<br />Sua opinião para melhorar nossa capacidade de transformação<br />Comunidades de colaboração intersetoriais<br />
  28. 28.
  29. 29. TI + Secretarias = HUBs<br /><ul><li>Todo HUB se compromete a inovar dentro de um marco seguro: quem sugerir um projeto desses deve atuar dentro de estruturas estipuladas pela prefeitura. Em resposta ao apoio das secretarias e da TI, deve inovar num sentido alinhado com a estratégia da prefeitura e em conformidade com normas de segurança, ditames legais e outras políticas internas. Se o projeto der certo, cabe ao HUB repassar o conhecimento recém-adquirido a quem mais na prefeitura dele puder se beneficiar.
  30. 30. Todo secretário se compromete a incentivar a inovação e administrar riscos.
  31. 31. A TI se compromete a apoiar e a expandir projetos de HUBs</li></li></ul><li>Equipe de mídias sociais<br />Criar uma política formal de mídias sociais<br />Monitorar comunidades internas e externas na internet<br />Dialogar com comunidades na internet<br />Ser a primeira a responder<br />
  32. 32. 1. Criar uma política formalde mídias sociais<br /><ul><li>Normas e diretrizes sensatas para o uso de mídias sociais deixam claro aquilo que a prefeitura ou órgão municipal espera e ajudarão a reger seu uso. Uma boa política deixa bem claro como um servidor deve interagir em comunidades, dando exemplos positivos e destacando possíveis consequências de condutas inadequadas.
  33. 33. Responsabilidade: o servidor deve assumir a responsabilidade por seus comentários, indicando claramente quando a opinião é sua, e não da prefeitura ou órgão público
  34. 34. Veracidade e transparência: Todo comentário deve ser factual; identidade de quem o postou deve ser divulgada
  35. 35. Legalidade: Todo servidor deve estar ciente do marco jurídico e profissional que rege a conduta da empresa – e respeitá-lo</li></li></ul><li>2. Monitorar comunidadesinternas e externas na internet<br /><ul><li>Já que comunidades surgem e desaparecem com rapidez, a equipe deve monitorar continuamente a internet para identificar potenciais ameaças e aliados.
  36. 36. Aproveite ferramentas: alertas do Google, monitores de blogs e de temas quentes no Twitter, Lexicon (Facebook) e outras ferramentinhas simples podem ajudar nessa monumental tarefa
  37. 37. Mobilize outros funcionários: uma equipe central pequena não terá condições de localizar toda atividade relevante para a empresa em mídias sociais. Outros servidores podem reforçar as iniciativas dessa equipe, quem sabe até revelando discussões ocorridas fora de seu radar (em sites, como o Facebook, aos quais somente “amigos” têm acesso)</li></li></ul><li>3. Dialogar com comunidadesna internet<br /><ul><li>A equipe deve desenvolver a presença da prefeitura ou órgão público em mídias sociais de modo que o público possa falar com ela, não só sobre ela. Como?
  38. 38. Criando uma voz instigante em mídias sociais: páginas de fãs no Facebook e blogs atraem público.
  39. 39. Dialogando com líderes da comunidade: blogueiros famosos e gente que participa de redes sociais e tem boas conexões podem ser grandes aliados. A ideia não é recrutar porta-vozes; é avaliar reações e certificar-se que a mensagem foi entendida, além de achar um interesse comum genuíno.
  40. 40. Servindo de elo para comunidades internas: a equipe de mídias sociais deve ser uma central de informações sobre novas comunidades internas, do campeonato de futebol da secretaria a uma comunidade wiki de trabalho. </li></li></ul><li>4. Ser a primeira a responder<br /><ul><li>Certas coisas exigem ação imediata – mas uma reação rápida, porém malconcebida, pode piorar a situação. É por isso que os membros da equipe, assim como socorristas na vida real, devem sabem distinguir uma situação de outra.
  41. 41. Reconhecer o erro: é o primeiro – e crucial – passo para reconquistar a confiança do cidadão, que pode perdoar a prefeitura ou órgão caso veja sinceridade nas desculpas.
  42. 42. Prevenir a crise: prefeitura nenhuma pode se dar ao luxo de deixar rumores infundados saírem do controle.
  43. 43. Ser seletivo no diálogo: Reagir nem sempre é aconselhável. Certas comunidades virtuais fomentam um comportamento disfuncional ao qual a prefeitura não deveria se associar. </li></li></ul><li>Vídeo<br />Integração dos perfis<br />
  44. 44.
  45. 45. Presença nas redes sociais: criação e elaboração de perfil nas redes apresentadas<br />Criação de campanha em torno do tema/ causa de interesse: desenvolvimento de campanha com declaração singular de valor cidadão<br />Articulação de competências para promoção recíproca das causas: oferecimento e recebimento de ofertas de colaboração<br />Indicadores pessoais<br />Criação de persona pública na web: elaboração e divulgação de proposta de aprimoramento de aspectos públicos/ coletivos e identificação/ associação à presença na web<br />Alcance da mobilização: monitoramento do alcance de cada ação em função da tática de divulgação e o qualificação do público (indicadores específicos como apoios, comentários, retweets, seguidores)<br />Mapeamento de redes pessoais e da organização: sistematização (qualificação) e acesso aos diversos grupos de pessoas ligadas a cada tema<br />Divulgação em torno do tema/ causa: ações de divulgação para as bases sistematizadas (redes pessoais) utilizando as diversas ferramentas e sua funcionalidades específicas<br />

×