Avaliação da Sustentabilidade: umaferramenta para a tomada de decisão          Miguel Coutinho
Avaliação da Sustentabilidade: umaferramenta para a tomada de decisão          Miguel Coutinho
A velha sustentabilidadeExemplos de culturas            Melhor estratégia:sustentáveis                      Limitar-se ao ...
A velha sustentabilidadeDe tempos a tempos é necessário (e desejável)introduzir alterações    Estas mudanças vão alterar c...
A nova sustentabilidadeA ideia de Progresso é recente  Visões mais comuns:     Ciclo repetitivo     Declínio gradual desde...
Afinal o que é a sustentabilidade?Como é que podemos “reconhecer” asustentabilidade?Como é que podemos operacionalizar est...
7 princípios da sustentabilidadePrincípio 1: PrecauçãoPrincípio 2: Equidade Inter-geracionalPrincípio 3: Integridade ecoló...
1 - Precaução Respeitar a incerteza   Projecto: Evitar riscos pouco       Ficar do lado da estudados e danos         preca...
2 – Equidade inter-geracional Favorecer as acções e opções presentes que sejam mais susceptíveis de preservar e melhorar a...
3 – Integridade ecológica e diversidade biológica Proteger a diversidade biológica e manter os processo ecológicos essenci...
4 – Equidade e qualidade de vidaGarantir equidade de             Um projecto deve:oportunidades para todos, em        Forn...
5 – EficiênciaReduzir as necessidades de        Um projecto deve demonstrar:energia e de bens materiais          Que segue...
6 – Democracia e governânciaGarantir que as propostas são         Um projecto devedesenvolvidas através de                ...
7 – Integração imediata e a longo-               prazoO processo de tomada de     Um projecto devedecisão deve reflectir d...
Na prática…É muito difícil cumprir isto tudo!   Há sempre trade-offs (compromissos) em cima da mesa…Os trade-offs devem:  ...
Principais contributosA velha sustentabilidade dá pistas mas não será asolução   É necessário “industrializar” a sustentab...
Painel2 - Avaliação da Sustentabilidade – uma ferramenta para a tomada de decisão – Miguel Coutinho (Univ. Aveiro)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Painel2 - Avaliação da Sustentabilidade – uma ferramenta para a tomada de decisão – Miguel Coutinho (Univ. Aveiro)

254 visualizações

Publicada em

1ª Conferência CIDAADS

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Painel2 - Avaliação da Sustentabilidade – uma ferramenta para a tomada de decisão – Miguel Coutinho (Univ. Aveiro)

  1. 1. Avaliação da Sustentabilidade: umaferramenta para a tomada de decisão Miguel Coutinho
  2. 2. Avaliação da Sustentabilidade: umaferramenta para a tomada de decisão Miguel Coutinho
  3. 3. A velha sustentabilidadeExemplos de culturas Melhor estratégia:sustentáveis Limitar-se ao que funciona Aborígenes australianos: Práticas tradicionais ~30.000 anos garantem soluções viáveis Adaptar-se à natureza Sociedades duradouras Civilização egípcia: ~3.000 são conservadoras anos Mitos fundadores e tabus Adaptar a natureza: civilização! O respeito pelo conhecimento dos anciãosPrincipal objectivo da Fazer “como de costume”maioria das comunidades Trabalhar a terrahumanas ao longo da Educar as crianças Lidar com familiaresHistória: Tratar dos mortos CONTINUAR! Eficácia testada ao longo de muitas gerações (>10)
  4. 4. A velha sustentabilidadeDe tempos a tempos é necessário (e desejável)introduzir alterações Estas mudanças vão alterar conhecimentos, tradições e crenças Sempre ARRISCADO!Stress provoca: Evolução civilizacional O fimO principal desafio das sociedades é gerir o seu sucesso Crescimento demográfico implica crescimento de consumo de recursosSociedades complexas podem colapsar Os Maias
  5. 5. A nova sustentabilidadeA ideia de Progresso é recente Visões mais comuns: Ciclo repetitivo Declínio gradual desde um passado perfeito Iluminismo: coincidente com a “morte” de Deus… PositivismoMotores para o progresso: A natureza está sujeita a leis científicas e pode e deve ser manipulada O Homem é um ser de desejos motivado para a maximização da sua satisfaçãoEste novo mundo é inevitavelmente dinâmico! Crescimento, mudança contínua, inovação, empreendedorismo
  6. 6. Afinal o que é a sustentabilidade?Como é que podemos “reconhecer” asustentabilidade?Como é que podemos operacionalizar esteconceito?
  7. 7. 7 princípios da sustentabilidadePrincípio 1: PrecauçãoPrincípio 2: Equidade Inter-geracionalPrincípio 3: Integridade ecológica ediversidade biológicaPrincípio 4: Equidade e qualidade de vidaPrincípio 5: EficiênciaPrincípio 6: Democracia e governançaPrincípio 7: Integração imediata e a longoprazo
  8. 8. 1 - Precaução Respeitar a incerteza Projecto: Evitar riscos pouco Ficar do lado da estudados e danos precaução em tópicos menos conhecidos irreversíveis Encarar a opção zero de Planear para estudar forma séria quando há Estar preparado para demasiadas incertezas surpresas Demonstrar de forma clara como se podem Gerir a adaptação gerir impactes negativos
  9. 9. 2 – Equidade inter-geracional Favorecer as acções e opções presentes que sejam mais susceptíveis de preservar e melhorar as oportunidades e capacidades das gerações futuras de viverem de forma sustentável Um projecto deve: Demonstrar o seu valor para as gerações futuras Definir de forma clara os impactes negativo futuros e o modo como e por quem serão geridos Garantir que os proponentes fiquem comprometidos Demonstrar que não tem impactes a longo prazo sobre as actividades pré-existentes
  10. 10. 3 – Integridade ecológica e diversidade biológica Proteger a diversidade biológica e manter os processo ecológicos essenciais e os sistemas de suporte à vida Dar prioridade à protecção ambiental e integridade ecológica de modo a que qualquer alteração resulta em benefícios ambientais líquidos Obriga à implementação de medidas de compensação sempre que houver impactes residuais não minimizáveis sobre espécies e ecossistemas importantes
  11. 11. 4 – Equidade e qualidade de vidaGarantir equidade de Um projecto deve:oportunidades para todos, em Fornecer um leque departicular aos membros mais amenidades e serviçospobres e mais vulneráveis de disponíveis para toda auma comunidade tendo em vista comunidadea criação de uma boa qualidade Garantir que são criadasde vida para todos condições para a habitação social, envolvendo osEquidade intra-geracional proponentes nesse processo Demonstrar que o projecto contribui para uma comunidade mais coesa Exemplos: implicações sociais da construção de arranha-céus, transportes colectivos, equipamentos colectivos
  12. 12. 5 – EficiênciaReduzir as necessidades de Um projecto deve demonstrar:energia e de bens materiais Que segue as regras dasobre os sistemas sociais e eficiência energéticaecológicos Como é que promove oAumentar a eficiência e reduzir emprego locala produção de resíduos Como é que incorpora a geração de energias renováveisNormalmente, para um e de outros recursospromotor, a sustentabilidade sustentáveislimita-se a isto! Que incorpora todas as medidas existentes para minimizar a produção de resíduos e a sua descarga para o ambiente Aplica os princípios da análise de ciclo de vida
  13. 13. 6 – Democracia e governânciaGarantir que as propostas são Um projecto devedesenvolvidas através de Envolver de forma genuínaprocessos de participação a comunidade envolvidapública e de tomadas de (local, regional, nacional)decisão transparentes na visão de futuro,O processo é importante! planeamento e Não pode ser: desenvolvimento de um Decidir – Anunciar – Defender projectoAs pessoas afectadas por um Promover um processo deprojecto devem participar na envolvimento do públicotomada de decisão independenteComo lidar com a fadiga do Honrar os resultados dospúblico?... processos de consulta anteriores
  14. 14. 7 – Integração imediata e a longo- prazoO processo de tomada de Um projecto devedecisão deve reflectir de Demonstrar que:modo equivalente a todos os 7 princípios sãoimportância de cada seguidosprincípio da Há um benefício líquidosustentabilidadeNão pode havercompromissosrelativamente a nenhumdos princípiosOs 7 princípios devem seraplicados em simultâneo
  15. 15. Na prática…É muito difícil cumprir isto tudo! Há sempre trade-offs (compromissos) em cima da mesa…Os trade-offs devem: Obter ganho líquido máximo, evitando efeitos adversos significativos Cabe ao proponente a justificação das opções feitas e não aos seus opositores Evitar efeitos adversos significativos a não ser que alternativa seja ainda mais negativa Evitar a deslocação do presente para o futuro dos efeitos adversos Todos os trade-offs devem ser acompanhados de uma justificação explícita Todos os trade-offs devem resultar do envolvimento efectivo de todos os interessados
  16. 16. Principais contributosA velha sustentabilidade dá pistas mas não será asolução É necessário “industrializar” a sustentabilidade (paradoxo aparente) Consumo sustentável em massa Procurar novos modelos culturais e de consumoÉ possível operacionalizar a sustentabilidade Não criar novos instrumentos legais Quase sempre haverá que fazer compromissosSustentabilidade não deve replicar o discurso dacaridade

×