Jornal

346 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jornal

  1. 1. Uma viagem na história da telenovela no Brasil e particularmente uma análise do papel nelas atributos aos atores negros, que sempre representam personagens mais estereotipados e negativos. baseado em suas memórias e em fortes evidências de pesquisas, o diretor aponta as influência das telenovelas nos processos de identidade étnica dos afro-brasileiros e faz um manifesto pela incorporação positiva do negro nas imagens televisivas do pais. FFIILLMMEE::AA NNeeggaaççããoo ddoo BBrraassiill A lei 10.639 de 9 janeiro de 2003 o Dia da consciência negra no calendário como a data em que comemoramos o dia nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira e Africana nas escolas publicas e particulares. A escolha desta data não foi por acaso: no dia 20 de novembro de 1695, Zumbi, líder do quilombo de Palmares foi morto numa emboscada na Serra Dois Irmãos, em Pernambuco,em comandada pelo bandeirante paulista Domingos Jorge Velho. Zumbi era um exímio estrategista militar e havia sido educado pelos padres católicos quando foi regatado ainda recém nascido na primeira tentativa de destruição do Quilombo de Palmares. Comemorar então, o Dia da Consciência Negra nesta data é uma forma de manter viva em nossa memória as lutas do povo negro e a figura de Zumbi de Palmares, herói do povo no Brasil.Não somente a imagem do líder que Zumbi possuía, mas também sua importância na luta para o fim da escravidão e pela melhoria das condições de vida para o povo no pais. Após muitos anos, ainda no século XlX ,a Princesa Isabel, durante uma viagem de seu pai, o Imperador Dom Pedro II resolve assinar a Lei Áurea, libertando definitivamente os escravos no Brasil. AA iimmppoorrttâânncciiaa ddoo ddiiaa ddaa ccoonnsscciiêênncciiaa nneeggrraa Vânia era uma menina negra que tinha acabado de se mudar para o colégio Harmonia por ter ganhado uma bolsa de estudos do diretor. Vânia conheceu uma menina chamada Carmita,que era muito preconceituosa. Ela tinha quatro amigas: Tatiana, Barbara, Vivi e Bel. Bel uma das amigas da Carmita , não gostava das brincadeiras que faziam com Vânia, não gostava também, pois Vânia destacava na turma. Carmita era muito curiosa, perguntou a Barbara:
  2. 2. _ Você sabe por que Vânia vem de blusa todos os dias? No outro dia Barbara chegou até Carmita: _ Eu descobri que Vânia tem dois buracos nas axilas! Carmita esperou a aula de educação física acabar pra rir da Vânia . Elas pegaram a blusa de Vânia para que todos pudessem ver os buracos da camiseta. Na festa junina Carmita provocou Vânia, que ficou com os seus dois olhos vermelhos como duas bolas de fogo e deu um soco em Carmita. Bel, umas das amigas de Carmita passou a andar com Vânia. No inicio os pais não gostaram da ideia, mas concordaram com Bel. Carmita que zombava muito começou a chamar Bel de pretinha. Mas a professora disse que o preconceito era uma coisa feia. Carmita não ligou e continuou mexendo com ela. Carmita falou a Vânia: Que era uma preta. Vânia disse a Carmita: _ Pretinha eu! Não to nem ai! O Candomblé é uma das religiões afro-brasileiras que se desenvolveram em terras brasileiras.Seus seguidores cultuam os orixás-panteão de divindades africanas-e se consideram conectados a objetos,animais ou plantas ancestrais,conhecidos como totens. Esse culto também se estende pelo Uruguai, Argentina, Venezuela, Colômbia, Panamá e México e por alguns países europeus. Esse culto primitivo nasceu aqui nas senzalas, fruto dos costumes e praticas dos negros trazidos para o Brasil.Ironicamente, pode-se dizer que o Candomblé é conhecido hoje em nosso pais as custas de muitos afro-brasileiros mortos, torturados, perseguidos em nossas terras pelos escravocratas e pela Igreja.Da resistência cultural e religiosa deste povo brotou em terras brasileiras esta religião afro-brasileira, aqui modificada por uma questão de sobrevivência dos negros, que dissimularam seu culto sob a forma do famoso sincretismo religioso local. Livro:Pretinha,eu? Religião:Candomblé Ruth , Joani e Fernanda . Uma negra cheirosa Uma negra cheirosaEntrevi stda: Solange Maria Rodrigues
  3. 3. Marçal,Kelvyn e Murilo Pires Música: Caetano Veloso-Zumbi Isabela,Grabriella, Luana e Lazaro FFIILLMMEE::AA NNeeggaaççããoo ddoo BBrraassiill Livro:Pretinh a,eu? Vanessa,Nathalia,Camila , Isabelle e Vitória. AA iimmppoorrttâânncciiaa ddoo ddiiaa ddaa ccoonnsscciiêênncciiaa nneeggrraa Ana Luiza Bessa,Ana Luiza Valim,Jayne e Natalia Tucundunva Religião:Cand omblé Vitor,Julia,Ariane,Lara, e Diego Roberto Carlos Ramos Bibliografia Interesses especiais: Trabalhos dos alunos do 8ANO A da escola E. E. Fernando Corrêa. EDIÇão 01 25 /11/2010 Nesta edição: serão apresentados trabalhos dos Grupo JORNAL DO F.C. Três Lagoas MS — contato chrystianmiguel@hotmail.com blogger: http://chrystianm-oblogger.blogspot.com/ Angola gongo benguela Monjolo capina nina Quiloa rebolo Aqui onde estão os homens Há um grande leilão Dizem que nele há
  4. 4. Um princesa à venda Que veio junto com seus súditos Acorrentados numboi Eu quero ver Eu quero ver Eu quero ver Angola gongo benguela Monjolo capina nina Quiloa rebolo Aqui onde estão os homens Dum lado cana de açúcar Do outro lado o cafezal Ao centro senhores sentados Vendo a colheita do algodão tão branco Sendo colhidos por mãos negras Eu quero ver Eu quero ver Eu quero ver Quando Zumbi chegar O que vai acontecer Zumbi é senhor das guerras È senhor das demandas Quando Zumbi chega e Zumbi É quem manda Eu quero ver Eu quero ver Eu quero ver Música: Caetano Veloso-Zumbi Uma negra cheirosa Entrevistada: Solange Maria Rodrigues A Solange sempre se sentiu ,maravilhosa,cheirosa e feliz em ser negra. Apenas por uma vez se sentiu rejeitada pelos participantes do jantar da formatura de seu patrão,e sem contar esse acontecimento ela sempre teve felicidade em fazer amizade e se relacionar com pessoas de várias raças e de níveis sociais. Ela se orgulha de ser negra e trabalha em um órgão público e vem conquistando tudo que tem desejado. Roberto Carlos Ramos Bibliografia Roberto Carlos é o mais novo de 10 irmãos, viveu com a família até os seis anos de idade, quando foi conduzido por sua mãe para viver na Fundação para o Bem-Estar do menor, que mais tarde tornou-se a fundação casa, na esperança de garantir o futuro melhor para seu filho. Até treze anos atrás Roberto Carlos viveu na FEBEM entre fugas e retornos teve 123 fugas registradas, não se alfabetizou, envolveu-se com drogas em atos inflacionais quando estava livre nas ruas de Belo Horizonte. Foi classificado pela instituição como "irrecuperável", quando foi adotado em 1979 por uma pesquisadora francesa. Três anos depois, já alfabetizado foi levado por ela para a França, aprendeu falar francês e terminou seus estudos. Roberto Carlos Ramos hoje é professor, doutor em pedagogia e considerado um dos cinco melhores contadores de historia do mundo.

×