De Beijing a Lhasa 
LIGUE O SOM 
Tributo aos construtores ddee ccaammiinnhhooss ddee ffeerrrroo 
Author: Eddy Cheong
DesaFiODesaFiOss 
Desde a fundação da República da China 
pelo Dr. Sun Yat-sol, em 1911, tem sido sonho desse país 
ter um...
Como construir uma linha ferroviária nestas montanhas 
para chegar à província mais remota da China, o Tibete? 
Como, se c...
Ao construir o Tunnel Mountain Fenghuo – 4.800 m acima do nível do mar – 
os trabalhadores tiveram que ser equipados com c...
550 km de gelo ao longo do percurso ferroviário; gelo não compacto 
e solo úmido no verão - pesadelo para os engenheiros f...
Como a maioria do gado e de animais da vida selvagem 
pastoreiam em liberdade, 
a linha foi elevada na maioria dos lugares...
Quatro áreas foram reservadas especificamente 
para proteger as espécies de vida selvagem no planalto tibetano, 
incluindo...
Proteção ambiental dos ecossistemas: 
Foram feitos altos investimentos no projeto. 
Rotas foram selecionadas 
para evitar ...
Beijing West, 
aqui começa nossa história
Beijing West Railway Station 
é a primeira etapa da nossa 
aventura de combóio para 
Lhasa
Companheira de viagem, Joey, aponta para o sinal que diz, 
Beijing West para Lhasa".
Todos os 
combóios que 
entram no 
Tibete, vindos da 
China, estão 
equipados com 
compactadores 
de lixo 
e banheiros 
a ...
A proteção do meio ambiente foi prioridade importante.
Joey aprecia as paisagens que se vão sucedendo ao longo da viagem
Cozinha ocidental disponível no menu
O serviço é excelente. Simpático, ele serve sucos de frutas, lanches e bebidas.
Os passageiros não sofrem a doença de altura elevada, porque as carruagens 
são totalmente climatizadas e pressurizadas, c...
Cenário bonito e saudáveis r efeições quentes.
Túneis na montanha
•Building 
A construção de uma ponte sobre o solo de gelo. 
Isto tem o menor impacto sobre a área, mas é também o mais car...
Animais pastam pacificamente, alheios à passagem do combóio
Sempre que possível, a linha férrea é elevada 
para permitir a passagem de espécies migratórias 
e para minimizar qualquer...
Beleza intemporal do Lago Namtso
Combóio sobe a uma altitude superior a 5.000 metros.
O comprimento do Qingzang ferroviário é de 1.956 km. 
A linha inclui a passagem de Tanggula, 
a 5.072m acima do nível do m...
Parando para tirar uma foto tendo gelo como pano de fundo
O combóio passa por gelos e montanhas 
cobertas de neve 
no caminho para Lhasa
Desde o início, os departamentos de design se preocuparam 
com a migração dos antílopes
A vida selvagem, ursos e burros selvagens, 
já se adaptou à presença da linha ferroviária.
Iaques pastando pacificamente, 
indiferentes à passagem do combóio.
A beleza encantadora do Lago azul de Yamdrok
O combóio passa pelo Mosteiro Patola, 
no caminho para a Estação Ferroviária de Lhasa
Com a abertura da linha de caminho de ferro Qinghai-Tibet 
e do novo aeroporto de Nyingchi, houve uma inundação de turista...
Interior da Estação Ferroviária de Lhasa
Saída da estação de Lhasa
Exterior da Estação ferroviária de Lhasa
A Estação de Lhasa 
parece mais um terminal de aeroporto de primeira-classe. 
A economia do Tibete nunca foi auto-suficien...
Desde a época do imperador Kublai Khan, 
o Tibete pertence à China 
e é a sua província mais remota.
A nova ponte sobre o rio Tsangpo para a estação ferroviária
Área de recepção do hotel - Lhasa
F I M 
A ponte do Rio Lhasa liga o centro de Lhasa 
à nova estação ferroviária. 
Copyright reserved: 
E. Cheong 
New Huare...
Tibete   viagem e trem
Tibete   viagem e trem
Tibete   viagem e trem
Tibete   viagem e trem
Tibete   viagem e trem
Tibete   viagem e trem
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tibete viagem e trem

501 visualizações

Publicada em


arte e fotos

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Tibete viagem e trem

  1. 1. De Beijing a Lhasa LIGUE O SOM Tributo aos construtores ddee ccaammiinnhhooss ddee ffeerrrroo Author: Eddy Cheong
  2. 2. DesaFiODesaFiOss Desde a fundação da República da China pelo Dr. Sun Yat-sol, em 1911, tem sido sonho desse país ter um sistema ferroviário nacional ligando todas as suas províncias. O Tibete tornou-se a última província a ser ligada, pois foram grandes os obstáculos existentes.
  3. 3. Como construir uma linha ferroviária nestas montanhas para chegar à província mais remota da China, o Tibete? Como, se cerca de 85% da via férrea terá que ficar na "zona proibida.”, também conhecida como "Zona da Morte" por causa das intempéries: ar, clima severo e imprevisível, tempestades ferozes e radiação UV alta. Temperatura média anual é de menos zero graus, chegando a atingir 45 º C negativos; altitude média da via férrea: 4.115 m acima do nível do mar; ponto mais alto: 5.100 metros.
  4. 4. Ao construir o Tunnel Mountain Fenghuo – 4.800 m acima do nível do mar – os trabalhadores tiveram que ser equipados com cilindros de oxigénio. Foram construídas, ao longo da linha ferroviária, dezessete estações produtoras de oxigénio para "alimentar" o túnel 5.180 metros de altas montanhas para escalar, vales ccoomm 1122 kkmm ddee llaarrgguurraa,, cceenntteennaass ddee qquuiillôômmeettrrooss ddee ggeelloo ee llaammaa qquuee nnuunnccaa ppooddeerriiaamm ssuuppoorrttaarr ccoommbbooiiooss !! CCoommoo ssee ppooddee aabbrriirr uumm ttúúnneell aattrraavvééss ddaa rroocchhaa,, ssoobb cclliimmaa ddee 4400 ggrraauuss nneeggaattiivvooss ee ccoomm sséérriiaa ddiiffiiccuullddaaddee ddee ooxxiiggéénniioo??
  5. 5. 550 km de gelo ao longo do percurso ferroviário; gelo não compacto e solo úmido no verão - pesadelo para os engenheiros ferroviários.
  6. 6. Como a maioria do gado e de animais da vida selvagem pastoreiam em liberdade, a linha foi elevada na maioria dos lugares.
  7. 7. Quatro áreas foram reservadas especificamente para proteger as espécies de vida selvagem no planalto tibetano, incluindo a população Chiru.
  8. 8. Proteção ambiental dos ecossistemas: Foram feitos altos investimentos no projeto. Rotas foram selecionadas para evitar que a ferrovia passasse pelos principais habitats de animais selvagens. O Chiru, cuja lã é conhecida como ‘shahtoosh”, ou “raínha da lã”, à venda por até US$10.000 cada exemplar, apesar da proteção legal, está ameaçado de extinção. A lã é contrabandeada do Tibete, principalmente para a Caxemira, onde são feitos xales e cachecóis. Embora o chiru seja protegido na China, ainda é legal tecer shahtoosh na Índia. Em todos os vagões do combóio foram instalados banheiros, tanques de depósito de águas residuais e instalações de tratamento de lixo para proteger o meio ambiente ao longo da rota.
  9. 9. Beijing West, aqui começa nossa história
  10. 10. Beijing West Railway Station é a primeira etapa da nossa aventura de combóio para Lhasa
  11. 11. Companheira de viagem, Joey, aponta para o sinal que diz, Beijing West para Lhasa".
  12. 12. Todos os combóios que entram no Tibete, vindos da China, estão equipados com compactadores de lixo e banheiros a vácuo. Nesta foto, pode-se ver um trabalhador recolhendo os resíduos sanitários de um combóio na Qinghai-Tibet Railway, utilizando tecnologia de vácuo instalada na estação de Golmud.
  13. 13. A proteção do meio ambiente foi prioridade importante.
  14. 14. Joey aprecia as paisagens que se vão sucedendo ao longo da viagem
  15. 15. Cozinha ocidental disponível no menu
  16. 16. O serviço é excelente. Simpático, ele serve sucos de frutas, lanches e bebidas.
  17. 17. Os passageiros não sofrem a doença de altura elevada, porque as carruagens são totalmente climatizadas e pressurizadas, como nos aviões. Máscaras de oxigênio também estão disponíveis nos seus quartos de dormir, bem como ao longo dos corredores e nos banheiros do combóio.
  18. 18. Cenário bonito e saudáveis r efeições quentes.
  19. 19. Túneis na montanha
  20. 20. •Building A construção de uma ponte sobre o solo de gelo. Isto tem o menor impacto sobre a área, mas é também o mais caro. Qingshuihe Bridge é a ponte mais longa no mundo construída em solo gelado.
  21. 21. Animais pastam pacificamente, alheios à passagem do combóio
  22. 22. Sempre que possível, a linha férrea é elevada para permitir a passagem de espécies migratórias e para minimizar qualquer impacto adverso ao ambiente natural.
  23. 23. Beleza intemporal do Lago Namtso
  24. 24. Combóio sobe a uma altitude superior a 5.000 metros.
  25. 25. O comprimento do Qingzang ferroviário é de 1.956 km. A linha inclui a passagem de Tanggula, a 5.072m acima do nível do mar, a mais alta do mundo.
  26. 26. Parando para tirar uma foto tendo gelo como pano de fundo
  27. 27. O combóio passa por gelos e montanhas cobertas de neve no caminho para Lhasa
  28. 28. Desde o início, os departamentos de design se preocuparam com a migração dos antílopes
  29. 29. A vida selvagem, ursos e burros selvagens, já se adaptou à presença da linha ferroviária.
  30. 30. Iaques pastando pacificamente, indiferentes à passagem do combóio.
  31. 31. A beleza encantadora do Lago azul de Yamdrok
  32. 32. O combóio passa pelo Mosteiro Patola, no caminho para a Estação Ferroviária de Lhasa
  33. 33. Com a abertura da linha de caminho de ferro Qinghai-Tibet e do novo aeroporto de Nyingchi, houve uma inundação de turistas no Tibete, atingindo 4 milhões no ano passado, aumento de 60 por cento.
  34. 34. Interior da Estação Ferroviária de Lhasa
  35. 35. Saída da estação de Lhasa
  36. 36. Exterior da Estação ferroviária de Lhasa
  37. 37. A Estação de Lhasa parece mais um terminal de aeroporto de primeira-classe. A economia do Tibete nunca foi auto-suficiente para dar a seu povo vida significativa. O Governo Central da China aplicou mais de US $ 4 bilhões para a construção deste sistema ferroviário - o mais caro do mundo.
  38. 38. Desde a época do imperador Kublai Khan, o Tibete pertence à China e é a sua província mais remota.
  39. 39. A nova ponte sobre o rio Tsangpo para a estação ferroviária
  40. 40. Área de recepção do hotel - Lhasa
  41. 41. F I M A ponte do Rio Lhasa liga o centro de Lhasa à nova estação ferroviária. Copyright reserved: E. Cheong New Huaren Federation 16 February 2011

×