O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Eficiência Energética em Edificações


     Zoneamento
    bioclimático &
estratégias de projeto
      Mestrando: Francisc...
NBR 15220-3
NBR 15220-3
NBR 15220-3
                    Tabela C.1

Aberturas para ventilação   A (em % da área do piso)

       Pequenas         ...
NBR 15220-3
                  Tabela C.2 (parcial)

                                Transmitância
                        ...
NBR 15220-3

A Parte 3 da Norma apresenta valores de
transmitância térmica, capacidade térmica e
atraso térmico para algum...
NBR 15220-3
NBR 15220-3
Estratégias de projeto



Estratégias de isolamento e acumulação se
valem dos conceitos de transmitância e
capacidade térm...
Perdas e ganhos térmicos


 Estimar as taxas de fluxo térmico através da
 pele de uma edificação;

 É função da magnitude da...
Perdas e ganhos térmicos
Temperatura de ponto de
      equilíbrio
Computar:

 ganhos térmicos solares;

 fontes internas de calor (tabelas);

 perd...
Temperatura de ponto de
      equilíbrio
Morfologia da edificação


Plantas baixas compactas reduzem a área de
pele e as perdas e os ganhos térmicos;

O impacto da ...
Morfologia da edificação
Morfologia da edificação



Plantas baixas alongadas na direção Leste-
Oeste;

Maiores ganhos térmicos no inverno (fachada
...
Morfologia da edificação
Detalhes construtivos


Isolamento nas faces externas das paredes,
materiais com grande capacidade térmica nas
faces inter...
Referências

BROWN, G. Z. DEKAY, Mark. Sol, vento & luz: estratégias para o
projeto de arquitetura. 2. ed. Porto Alegre : ...
Obrigado.

 chico.ix@terra.com.br

slideshare.net/chicorasia
 twitter.com/chicorasia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Zoneamento bioclimático & estratégias de projeto

8.659 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Zoneamento bioclimático & estratégias de projeto

  1. 1. Eficiência Energética em Edificações Zoneamento bioclimático & estratégias de projeto Mestrando: Francisco B C Rasia Orientador: Prof Eduardo Leite Krüger UTFPR | 18.jun.2010
  2. 2. NBR 15220-3
  3. 3. NBR 15220-3
  4. 4. NBR 15220-3 Tabela C.1 Aberturas para ventilação A (em % da área do piso) Pequenas 10~15% Médias 15~25% Grandes >40%
  5. 5. NBR 15220-3 Tabela C.2 (parcial) Transmitância Atraso térmico térmica - U (horas) - φ (W/m2.K) Leve ≤ 3,00 ≤ 4,30 Paredes Leve refletora ≤ 3,60 ≤ 4,30 Pesada ≤ 2,20 ≥ 6,50 Leve isolada ≤ 2,00 ≤ 3,30 Coberturas Leve refletora ≤ 2,30*FT ≤ 3,30 Pesada ≤ 2,00 ≥ 6,50 FT = fator de correção da transmitância aceitável para as coberturas da Zona 8 (ventilação permanente da cobertura)
  6. 6. NBR 15220-3 A Parte 3 da Norma apresenta valores de transmitância térmica, capacidade térmica e atraso térmico para algumas paredes e coberturas. São especialmente interessantes por se tratarem de soluções construtivas usuais no Brasil.
  7. 7. NBR 15220-3
  8. 8. NBR 15220-3
  9. 9. Estratégias de projeto Estratégias de isolamento e acumulação se valem dos conceitos de transmitância e capacidade térmica. Determinar as perdas e ganhos térmicos de uma edificação.
  10. 10. Perdas e ganhos térmicos Estimar as taxas de fluxo térmico através da pele de uma edificação; É função da magnitude da diferença de temperatura entre interior e exterior, da resistência ao fluxo térmico oferecida pelos materiais da pele e da área desta.
  11. 11. Perdas e ganhos térmicos
  12. 12. Temperatura de ponto de equilíbrio Computar: ganhos térmicos solares; fontes internas de calor (tabelas); perdas por transmissão das paredes; perdas por infiltração e ventilação; etc...
  13. 13. Temperatura de ponto de equilíbrio
  14. 14. Morfologia da edificação Plantas baixas compactas reduzem a área de pele e as perdas e os ganhos térmicos; O impacto da razão entre pele e área em planta é mais importante para as edificações termicamente mal isoladas. Conceito simples, aplicação nem sempre viável.
  15. 15. Morfologia da edificação
  16. 16. Morfologia da edificação Plantas baixas alongadas na direção Leste- Oeste; Maiores ganhos térmicos no inverno (fachada Norte) e redução nos ganhos térmicos nas fachadas Leste e Oeste no verão.
  17. 17. Morfologia da edificação
  18. 18. Detalhes construtivos Isolamento nas faces externas das paredes, materiais com grande capacidade térmica nas faces internas; Acumuladores térmicos no interior da edificação: tanques de pedras, paredes de alvenaria... Uso de coberturas d’água.
  19. 19. Referências BROWN, G. Z. DEKAY, Mark. Sol, vento & luz: estratégias para o projeto de arquitetura. 2. ed. Porto Alegre : Bookman 2004. _____________. NBR 15220-3: Desempenho térmico de edificações – Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social. Rio de Janeiro, 2005. ROAF, S. FUENTES, M. THOMAS, S. Ecohouse - a casa ambientalmente sustentável. 1a. reimpressão da 2a. ed. Porto Alegre : Bookman, 2007.
  20. 20. Obrigado. chico.ix@terra.com.br slideshare.net/chicorasia twitter.com/chicorasia

×