OPERAÇÃO URBANA<br />água branca<br />parâmetros para a revisão da lei 11.774/95<br />Diretoria de Desenvolvimento e Inter...
área  bruta = 540 ha<br />Perímetro<br />
Premissas para a Revisão<br /><ul><li>Introduzir a dimensão “qualidade” ao estoque
Priorizar o público que mais utiliza os equipamentos de transporte já implantados e a implantar – HMP e Médio
Diversificar as atividades econômicas
Aproximar moradia e emprego
Equilibrar distribuição de usos
Obter o adensamento projetado
Otimização dos equipamentos instalados e a instalar
Melhor cenário é o que resulta em:
 menores distâncias de deslocamento
 menores tempos de deslocamento
 maior quantidade de deslocamentos a pé ou por transporte coletivo</li></ul>Revisão da Lei<br />Premissas<br />
Densidade máxima – 230 hab/ha – PITU 2025<br />	Densidade em 2002 – 23 hab/ha<br />	Densidade em 2008 – 36 hab/ha<br />Den...
Aproximar o perfil social da região do perfil da cidade de São Paulo<br />Composição social<br />
Distribuição de usos atual<br />Estoques – Distribuição de Usos<br />
Distribuição de usos proposta<br />Estoques – Distribuição de Usos<br />
Para cada setor são propostas  mesclas de uso e densidades em função do<br />incremento de área residencial vertical e da ...
Setor A<br /><ul><li>Densidade atual – 30 habitantes/hectare
Densidade proposta -  100 habitantes/ hectare
Predominância de áreas públicas / habitação de interesse social;
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Operação Água Branca - Parametros de Revisao Out09

1.298 visualizações

Publicada em

Apresentação da Operação Urbana Água Branca - Parâmetros de Revisão 10/09

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.298
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Operação Água Branca - Parametros de Revisao Out09

  1. 1. OPERAÇÃO URBANA<br />água branca<br />parâmetros para a revisão da lei 11.774/95<br />Diretoria de Desenvolvimento e Intervenções Urbanas – Outubro / 2009<br />Superintendência de Desenvolvimento<br />Gerência de Operações Urbanas<br />Gerência de Desenvolvimento <br />EMURB<br />
  2. 2. área bruta = 540 ha<br />Perímetro<br />
  3. 3. Premissas para a Revisão<br /><ul><li>Introduzir a dimensão “qualidade” ao estoque
  4. 4. Priorizar o público que mais utiliza os equipamentos de transporte já implantados e a implantar – HMP e Médio
  5. 5. Diversificar as atividades econômicas
  6. 6. Aproximar moradia e emprego
  7. 7. Equilibrar distribuição de usos
  8. 8. Obter o adensamento projetado
  9. 9. Otimização dos equipamentos instalados e a instalar
  10. 10. Melhor cenário é o que resulta em:
  11. 11. menores distâncias de deslocamento
  12. 12. menores tempos de deslocamento
  13. 13. maior quantidade de deslocamentos a pé ou por transporte coletivo</li></ul>Revisão da Lei<br />Premissas<br />
  14. 14. Densidade máxima – 230 hab/ha – PITU 2025<br /> Densidade em 2002 – 23 hab/ha<br /> Densidade em 2008 – 36 hab/ha<br />Densidades de referência – 161 hab/ha – Distrito de Perdizes<br /> 165 hab/ha – Distrito Santa Cecília<br />Diferenciar: Aumento de densidade construtiva e aumento de densidade populacional<br />
  15. 15. Aproximar o perfil social da região do perfil da cidade de São Paulo<br />Composição social<br />
  16. 16. Distribuição de usos atual<br />Estoques – Distribuição de Usos<br />
  17. 17. Distribuição de usos proposta<br />Estoques – Distribuição de Usos<br />
  18. 18. Para cada setor são propostas mesclas de uso e densidades em função do<br />incremento de área residencial vertical e da vocação projetada:<br />Uso – vizinhança: construções horizontais que abrigam serviços e comércio de pequeno porte – padaria, farmácia, restaurantes. Conferem conforto e praticidade / deslocamentos a pé<br />Uso – região: construções verticais que abrigam comércio e serviços de porte médio e grande – centro de compras, hospitais, prédios de escritórios, escolas. Conferem dinamismo e vitalidade / atraem e produzem viagens<br />Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor A<br />
  19. 19. Setor A<br /><ul><li>Densidade atual – 30 habitantes/hectare
  20. 20. Densidade proposta - 100 habitantes/ hectare
  21. 21. Predominância de áreas públicas / habitação de interesse social;
  22. 22. Proposta: predominância de usos não residenciais / incentivo à produção de moradias - faixa de 10 S.M.</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor A<br />
  23. 23. Setor B<br /><ul><li>Densidade atual – 10 habitantes/hectare
  24. 24. Densidade proposta - 200 habitantes/ hectare
  25. 25. Uso institucional /Glebas vazias / pouco uso residencial
  26. 26. Proposta: predominância de usos não residenciais/ perfil de moradias - faixa de 20 S.M. e acima</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor B<br />
  27. 27. Setor C<br /><ul><li>Densidade atual – 150 habitantes/hectare
  28. 28. Densidade proposta - 200 habitantes/ hectare
  29. 29. Centralidade em consolidação
  30. 30. Proposta: igual distribuição de usos residenciais e não residenciais/ perfil de moradias - faixa de 20 S.M. e acima / incentivo à produção para 10 S.M.</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor C<br />
  31. 31. Setor D<br /><ul><li>Densidade atual – 80 habitantes/hectare
  32. 32. Densidade proposta - 120habitantes/ hectare
  33. 33. Centralidade em consolidação
  34. 34. Proposta: predominância de usos não residenciais perfil de moradias - faixa de 20 S.M. e acima</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor D<br />
  35. 35. Setor E<br /><ul><li>Densidade atual – 0 habitantes/hectare
  36. 36. Densidade proposta - 200habitantes/ hectare
  37. 37. Gleba irregular / área industrial em transformação
  38. 38. Proposta: predominância de usos não residenciais perfil de moradias - faixa de 10 a 20 S.M. e acima</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor E<br />
  39. 39. Setor F<br /><ul><li>Densidade atual – 0 habitantes/hectare
  40. 40. Densidade proposta - 200habitantes/ hectare
  41. 41. Área industrial ativa / sem uso residencial
  42. 42. Proposta: predominância de usos não residenciais perfil de moradias - faixa de 10 a 20 S.M</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor F<br />
  43. 43. Setor G<br /><ul><li>Densidade atual – 50 habitantes/hectare
  44. 44. Densidade proposta - 150habitantes/ hectare
  45. 45. Predominância de usos institucionais / área em reestruturação
  46. 46. Proposta: predominância de usos não residenciais perfil de moradias - faixa de 10 a 20 S.M</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor G<br />
  47. 47. Setor H<br /><ul><li>Densidade atual – 45 habitantes/hectare
  48. 48. Densidade proposta - 250 habitantes/ hectare
  49. 49. proximidade do terminal Barra Funda / baixa densidade
  50. 50. Proposta: igual distribuição de usos residenciais e não residenciais – incentivo à produção de moradias - faixa de 10 a 15 S.M</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor H<br />
  51. 51. Setor I<br /><ul><li>Densidade atual – 550 habitantes/hectare
  52. 52. Densidade proposta - 600 habitantes/ hectare
  53. 53. Área praticamente consolidada
  54. 54. Proposta: predominância do uso residencial padrão médio e alto</li></ul>Distribuição de usos e do incremento residencial<br />Setor I<br />
  55. 55. Estoques<br />
  56. 56. Para obter os resultados desejados:<br />Induzir o mercado imobiliário a produzir conforme as diretrizes estabelecidas: incentivos para obter a distribuição de usos e a composição desejadas<br /><ul><li>Tabelas de conversão de estoques diferenciadas
  57. 57. Parâmetros de ocupação diferenciados – diminuição dos custos de construção
  58. 58. Conjuntos diferenciados de incentivos</li></ul>ESTUDOS EM ANDAMENTO PODERÃO APONTAR AJUSTES NECESSÁRIOS<br />
  59. 59. <ul><li>Tabelas de conversão de estoques diferenciadas por setor da Operação Urbana e padrão da edificação</li></ul>Benefício nível 1 – contrapartida mínima<br /><ul><li> unidades até 50 m²
  60. 60. uma vaga de estacionamento por unidade
  61. 61. sem ocupação do subsolo
  62. 62. destinação de área comercial</li></ul>Benefício nível 2 -<br /><ul><li> unidades até 70 m²
  63. 63. uma vaga de estacionamento por unidade
  64. 64. sem ocupação do subsolo
  65. 65. destinação de área comercial</li></ul>Benefício nível 3 –<br /><ul><li> unidades até 90 m²
  66. 66. três vagas de estacionamento para cada duas unidades
  67. 67. sem ocupação do subsolo
  68. 68. destinação de área comercial</li></ul>Benefício nível 4 - Contrapartida máxima – <br /><ul><li> sem restrições</li></li></ul><li>Parâmetros de ocupação diferenciados – diminuição dos custos de construção<br />ATUAL - Taxa de Ocupação máxima – 50%<br /><ul><li>ocupação do subsolo atinge 85%
  69. 69. taxa de permeabilidade – 15%
  70. 70. custos de rebaixamento de lençol freático
  71. 71. custos de escavação e remoção de terra
  72. 72. custos de contenção </li></ul>PROPOSTA - Taxa de Ocupação máxima – 70%<br /><ul><li>ocupação do subsolo atinge 70%
  73. 73. taxa de permeabilidade – 30%
  74. 74. sem custos de rebaixamento de lençol freático
  75. 75. sem custos de escavação e remoção de terra
  76. 76. sem custos de contenção
  77. 77. arborização interna ao lote </li>

×