ESCOLA SUPERIOR DE PROPAGANDA E MARKETING
RELATÓRIO FINAL
DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO
CAUÊ BRAGA CHIANCA
JOÃO BATISTA MONTER...
CAUÊ BRAGA CHIANCA
JOÃO BATISTA MONTERO E OUTROS
Relatório Final de Estágio Supervisionado
apresentado como requisito parc...
RESUMO
Neste trabalho busca-se aproximar a Escola Superior de Propaganda e Marketing
da empresa João Batista Montero e Out...
ABSTRACT
The aim o this essay is to approach the Escola Superior de Propaganda e
Marketing of João Batista Montero company...
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS
CDI – Certificado de Depósito Interfinanceiro
CONAB – Companhia Brasileira de Abastecimento...
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................
1
1 INTRODUÇÃO
Este trabalho tem como objetivo principal aproximar a instituição de ensino com
a empresa em que o aluno é ...
2
Todas as informações organizacionais serão obtidas por meio de conversas com
os outros sócios da empresa, arquivos da em...
3
2 DESCRIÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS CRITÉRIOS DA
FNQ
Neste capítulo serão apresentados e discutidos os critérios ...
4
2.1.2 Histórico da origem da organização
A referida empresa foi constituída em Maio do ano de 2007, quando em reunião
os...
5
A missão desta empresa é, claramente, o fornecimento de carne e leite ao
mercado local. A prerrogativa da constituição d...
6
Todos os equipamentos e instalações [como trator, currais, paiol, brete,
mangueiro, ferramentas em geral, bebedouros de ...
7
touro o animal gera uma margem maior a empresa. Para se determinar se o bezerro
poderá formar um bom touro se avalia o a...
8
2.3.2 Composição da força de trabalho
A composição da força de trabalho, incluindo os três sócios, totaliza em seis
pess...
9
2.4.1 Principais mercados
O principal mercado é o de venda de bovinos para corte na microrregião de São
João da Boa Vist...
10
animal, a João Batista Montero e Outros têm negociado os animais com uma taxa de
carcaça entre 54% e 57%.
No que tange ...
11
permite que o gado mantenha a constante taxa engorda durante o ano inteiro. É notório
que quando o preço da arroba se v...
12
barganha nas negociações com gado, entretanto, conforme outrora citado, muito poucos
se utilizam do mercado financeiro ...
13
2.6 ORGANOGRAMA
Os colaboradores da empresa são:
- Cauê Braga Chianca - Diretor Financeiro, responsável por pagamentos ...
14
2.7 DESCRIÇÃO E AVALIAÇÃO DAS QUESTÕES RELATIVAS AOS CRITÉRIOS
DE EXCELÊNCIA
Neste capítulo serão apresentados os ponto...
15
2.1 Formulação das Estratégias
2.1.2 – Como são analisados o macroambiente e o mercado de atuação da organização e suas...
16
2.2.5 - Como são comunicadas as estratégias, as metas e os planos de ação para as pessoas da
força de trabalho e para a...
17
3.1.2 – Como são definidos os clientes-alvo nesses segmentos, considerando, inclusive, os
clientes da concorrência e os...
18
4.1.1 – Como a organização identifica os aspectos e trata os impactos sociais e ambientais de
seus produtos, processos ...
19
4.1.4 - Como são identificados e analisados os requisitos legais, regulamentares e contratuais
aplicáveis a questões so...
20
6.3.4 - Como são tratados os fatores que afetam o bem-estar, a satisfação e a motivação das
pessoas e mantido um clima ...
21
7.3.4 – Como são quantificados e monitorados os riscos financeiros da organização?
Os riscos, em sua maioria, são climá...
22
8.1.1 – Apresentar os resultados dos principais indicadores relativos à gestão econômico-
financeira, classificando-os ...
23
2.8 AVALIAÇÃO DA CONVERGÊNCIA DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA
VERSUS DISCIPLINAS
Este item visa correlacionar os critérios ...
24
também sugestões de melhoria quando os impactos são negativos. Fica claro que é
possível ter melhorias substanciais, ap...
25
3 DESCRIÇÃO E AVALIÇÃO DAS ATIVIDADES E DO ESTÁGIO
SUPERVISIONADO
Neste capítulo serão apresentadas as atividades e cap...
26
planejamento para que operação seja estruturado de forma a não alavancar o risco da
empresa.
Assim, fica claramente jus...
27
honestidade deve ser a base para qualquer tipo relação humana e, principalmente, nos
negócios.
10.4.Probidade administr...
28
carne do Brasil, inundando o mercado local e pressionando o preço da arroba do boi
gordo para baixo. Este tipo análise ...
29
exemplo é que a quando se efetua uma venda de um lote gado, o recebimento se dá em
trinta dias, porém durante a chamada...
30
15.4.Pensamento de Longo Prazo
Como explicado acima, a empresa tem um prazo médio de estoque de dois, o
que torna compu...
31
renegociação de prazos ou valores. Um exemplo recente foi o atraso na restituição do
imposto de renda pela Receita Fede...
32
(comprador e vendedor), a descrição do lote (número de animais, número do brinco de
cada animal, entrega das fichas méd...
33
c) conhecimentos
- Realidade Brasileira:
19.3.Legislação fiscal
O estagiário adquiriu substancial conhecimento sobre a ...
34
4) A Atividade de aquisição e determinação da data de venda de animal em pé para
abate, possibilitou o desenvolvimento:...
35
b) atitudes:
- Ética:
10.6.Respeito a princípios, valores, decisões e acordos
Já descrito anteriormente que relacioname...
36
brasileira. Em conversas com motoristas de caminhão, pode-se ter dimensão das
péssimas condições das rodovias federais ...
37
fosse feito desta forma, não haveria controle eficiente das áreas da empresa. Como os
sócios se conhecem de longa data,...
38
- Pessoais:
12.6.Iniciativa
A iniciativa no estagiário se desenvolveu fora do ambiente corporativo. Quando
em visita a ...
39
Na aquisição de animais é necessário que faça um planejamento de compra, que
deve ser feita após o período de vacina pa...
40
importância econômica na composição do PIB brasileiro e na atividade produtiva, e o
seu direto impacto na composição da...
41
3.3 CRÍTICA DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PELA
EMPRESA.
Segundo a avaliação feita pelo supervisor do estágio, ...
42
entretanto não é apresentada uma visão clara dos objetivos da confecção deste material.
As diversas tabelas e arquivos ...
43
4. CONCLUSÃO
Neste capítulo será exposto o conjunto de conclusões atingidas no
desenvolvimento do Relatório de Estágio ...
44
REFERÊNCIAS
AMATUCCI, Marcos. Perfil do administrador brasileiro para século XXI: um
enfoque metodológico. São Paulo: F...
45
FNQ - FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE. Critérios de excelência 2008.
Disponível em: < http://www.fnq.org.br/site/402/def...
46
APÊNDICE
APÊNDICE A – F2 - Mapeamento dos Itens dos Critérios de Excelência da FNQ –
2009
APÊNDICE B – Carta de Início ...
47
ANEXOS
ANEXO I - F1A - CADASTRO DA EMPRESA (Setores conforme Revista Exame)
ANEXO II - F2a - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE ...
48
ANEXO XII - F3c - DESCRIÇÃO DAS ATITUDES
ANEXO XIII - F3d - DESCRIÇÃO DOS CONHECIMENTOS
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
SIM NÃO
X
X
X
No. %
3 60%
1 20%
1 20%
0 0%
5 100%
Razão Social: JOÃO BATISTA MONTERO E OUTROS
CNPJ:...
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
Setores conforme Revista Exame
FICHA CADASTRAL DA EMPRESA
Ênfase: Marketing
Estagiário: Cauê Braga ...
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
Mapeamento dos Itens dos critérios de excelência da FNQ 2009
(O estudante escolherá 7 questões + um...
ESTÁGIO SUPERVISINADO
Liderança
CRITÉRIO ITEM
1.1.5 - Como as principais decisões são tomadas, comunicadas e implementadas...
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
Estratégias e Planos
CRITÉRIO ITEM
2.2.3 - Como os planos de ação são desdobrados para as diversas ...
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
Clientes
CRITÉRIO ITEM
Orientador: Cláudio Saito
Dia da semana (Orientação): Terça-Feira
Estagiário...
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership

1.574 visualizações

Publicada em

Neste trabalho busca-se aproximar a Escola Superior de Propaganda e Marketing da empresa JBM e Outros, através da identificação e qualificação dos critério da Fundação Nacional da Qualidade, e do cruzamento destes critério com a matriz curricular da referida escola.

The aim o this essay is to approach the Escola Superior de Propaganda e Marketing of JBM company by the identification and qualification of the Funadação Nacional da Qualidade criteria, and crossing it with the school program.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.574
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CHIANCA, Cauê; Braga. Relatório Final de Estágio Supervisionado | Final Report of Supervised Intership

  1. 1. ESCOLA SUPERIOR DE PROPAGANDA E MARKETING RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAUÊ BRAGA CHIANCA JOÃO BATISTA MONTERO E OUTROS São Paulo 2009
  2. 2. CAUÊ BRAGA CHIANCA JOÃO BATISTA MONTERO E OUTROS Relatório Final de Estágio Supervisionado apresentado como requisito parcial para a obtenção de título de Bacharel em Administração pela Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM Orientador: Prof. Cláudio Saito São Paulo 2009
  3. 3. RESUMO Neste trabalho busca-se aproximar a Escola Superior de Propaganda e Marketing da empresa João Batista Montero e Outros, através da identificação e qualificação dos critério da Fundação Nacional da Qualidade, e do cruzamento destes critério com a matriz curricular da referida escola. Palavras-Chave: Estágio Supervisionado, Fundação Nacional da Qualidade, Agricultura.
  4. 4. ABSTRACT The aim o this essay is to approach the Escola Superior de Propaganda e Marketing of João Batista Montero company by the identification and qualification of the Funadação Nacional da Qualidade criteria, and crossing it with the school program . Keywords: Supervised Intern, Fundação Nacional da Qualidade, Agriculture.
  5. 5. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS CDI – Certificado de Depósito Interfinanceiro CONAB – Companhia Brasileira de Abastecimento CRM – Gestão de Relacionamento com o Cliente [Costumer Relationship Management] EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing FNQ – Fundação Nacional da Qualidade IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística JBM – João Batista Montero e Outros MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento NYME – Bolsa Mercantil de Nova Iorque [New York Mercantile Exchance] NYSE – Bolsa de Valores de Nova Iorque [New York Stock Exchange] OAB – Ordem dos Advogados do Brasil PIB – Produto Interno Bruto ROA – Retorno Sobre Ativos [Return On Assets] SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SELIC – Sistema Especial de Liquidação e Custódia
  6. 6. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO .......................................................................................................................................1 2 DESCRIÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS CRITÉRIOS DA FNQ.......................3 2.1 INSTITUIÇÃO, PROPÓSITOS E PORTE DA ORGANIZAÇÃO....................................................3 2.1.1 Forma de atuação .......................................................................................................................3 2.1.2 Histórico da origem da organização...........................................................................................4 2.1.3 Natureza atual das atividades da organização............................................................................4 2.1.4. Informações sobre o porte.........................................................................................................5 2.2 PRODUTOS ......................................................................................................................................6 2.2.1 Principais produtos relacionados diretamente à atividade - fim da organização........................6 2.3 FORÇA DE TRABALHO..................................................................................................................7 2.3.1 Denominação genérica da força de trabalho ..............................................................................7 2.3.2 Composição da força de trabalho...............................................................................................8 2.4 CLIENTES, MERCADOS E CONCORRÊNCIA .............................................................................8 2.4.1 Principais mercados ...................................................................................................................9 2.4.2 Principais clientes ......................................................................................................................9 2.5 CONCORRÊNCIA E AMBIENTE COMPETITIVO......................................................................10 2.5.1 Ambiente Competitivo.............................................................................................................10 2.5.1.1 Tipo de concorrência direta ou indireta ................................................................................11 2.5.1.2 Posicionamento competitivo .................................................................................................12 2.7 DESCRIÇÃO E AVALIAÇÃO DAS QUESTÕES RELATIVAS AOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA......................................................................................................................................14 2.7.1 Governança Corporativa. .........................................................................................................14 2.8 AVALIAÇÃO DA CONVERGÊNCIA DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA VERSUS DISCIPLINAS.......................................................................................................................................23 3 DESCRIÇÃO E AVALIÇÃO DAS ATIVIDADES E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO .........25 3.1 AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES VERSUS CAPACIDADES, ATITUDES E CONHECIMENTOS.............................................................................................................................25 3.2 AVALIAÇÃO DAS CAPACIDADES, ATITUDES E CONHECIMENTOS DESENVOLVIDOS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E MATRIZ CURRICULAR.......................................................39 3.3 CRÍTICA DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PELA EMPRESA. ................41 3.4 CRÍTICA DO ESTAGIÁRIO SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO....................................41 REFERÊNCIAS .......................................................................................................................................44 APÊNDICE...............................................................................................................................................46 ANEXOS ...................................................................................................................................................47
  7. 7. 1 1 INTRODUÇÃO Este trabalho tem como objetivo principal aproximar a instituição de ensino com a empresa em que o aluno é sócio-diretor financeiro, de forma a se enquadrar como estagiário-proprietário. Neste caso a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), como instituição de ensino e a João Batista Montero (JBM) como a empresa. O estudante citado neste trabalho atua na área financeira da empresa, de maneira justa e perfeita, em várias frentes, como: Operação em Bolsa de Valores e Mercadorias; Contas a pagar e receber; Aquisição de animais; e determinação da data de venda de animais para abate. Cada atividade supracitada será descrita e oportunamente analisada neste relatório segundo os critérios da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). A área de finanças da empresa, foco deste relatório, será apresentada e se criará uma relação às capacidades, atitudes e conhecimento que foram desenvolvidas no estágio. Foram identificadas como capacidades, atitudes e conhecimento: a ética, capacidade de desenvolvimento interpessoal, a capacidade de aprendizado de desenvolvimento técnico e espírito social. O desenvolvimento pessoal e do conhecimento. Além disso, os critérios de excelência analisados foram: Formulação de estratégias; Implementação de estratégias; Imagem e conhecimento de mercado; Responsabilidade Socioambiental; Qualidade de vida; Processos econômico- financeiros; e resultados econômico-financeiros, que serão analisados, será identificado seus pontos fracos e fortes, além de oportunidades de melhoria. Este trabalho realizado para a faculdade é intitulado: Relatório de Estágio Supervisionado, que a instituição de ensino pretende acompanhar as atividades realizadas pelo aluno no estágio, verificando os conhecimentos, atitudes e capacidades dos alunos que são exercitadas no estágio e também conhecendo o ambiente da empresa, o setor que ela está inserida, sua história, visão, produtos, etc. E tem como seu principal objetivo, avaliar a convergência da matriz curricular com as atividades desenvolvidas pelo estudante. Além da avaliação da empresa pelo estudante e da sua auto-avaliação, o supervisor de estágio da empresa irá avaliar o estudante
  8. 8. 2 Todas as informações organizacionais serão obtidas por meio de conversas com os outros sócios da empresa, arquivos da empresa e também pela própria experiência e conhecimento que o estagiário tem. O presente estudo foi elaborado por um estudante livre e de bons costumes, de acordo com a norma acadêmica exigida pela ESPM. A seguir é apresentado o histórico e informações da organização, como forma de atuação, atividades e porte. Finda esta apresentação, se discorrerá a respeito dos produtos, força de trabalho, clientes, mercados e concorrência para fundamentar os capítulos seguintes que analisarão cada atividade, o que o estudante desenvolveu ao realizá-las, e a convergência das atividades com a matriz curricular.
  9. 9. 3 2 DESCRIÇÃO DA ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS CRITÉRIOS DA FNQ Neste capítulo serão apresentados e discutidos os critérios da Fundação Nacional da Qualidade na organização em questão, e como se relacionam com as atividades, atitudes e capacidades desenvolvidas pelo estudante. A Organização analisada neste estudo é a João Batista Montero e Outros, que tem como principal atividade a criação de bovinos para corte. A área de criação fica localizada na zona rural da cidade de São José do Rio Pardo no estado de São Paulo. As informações aqui apresentadas foram coletadas em pesquisa com os integrantes da empresa, e através das experiências do próprio estudante na empresa. 2.1 INSTITUIÇÃO, PROPÓSITOS E PORTE DA ORGANIZAÇÃO A instituição analisada será a empresa João Batista Montero e Outros, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica sob o número 08.802.090/0001-46, com a finalidade de criação de Bovinos para corte e leite. A criação dos animais é feita na zona rural da cidade de São José do Rio Pardo, no estado de São Paulo. 2.1.1 Forma de atuação A referida empresa é Limitada, cujo quadro societário é composto por três sócios, e sua atividade principal é a criação de bovinos para corte e leite, conforme inscrição no cadastro nacional de pessoa jurídica.
  10. 10. 4 2.1.2 Histórico da origem da organização A referida empresa foi constituída em Maio do ano de 2007, quando em reunião os sócios acordaram em dar início à criação de bovinos para corte e leite. Para viabilizar esta operação, optou-se por arrendamento de terras para a pecuária extensiva. A referida empresa é de pequeno porte, com fins lucrativos nos padrões de agricultura familiar (conforme instituído pelo Estatuto da Terra), a fim de que se obtenha os benefícios fiscais. Entende-se por pecuária extensiva, a atividade onde o gado engorda em pasto pela ingestão de capim plantando, no caso da referida empresa, o capim plantado é a Braquiara. Os animais foram adquiridos em lotes compostos por bezerros, novilhas, garrotes, touros vacas e bois formados, de forma que se tornou possível manejo animal objetivando cria, re-cria, engorda e retiro de leite. O principal método de se verificar os padrões do manejo animal é o acompanhamento da engorda dos animais, que se não estiver dentro dos padrões esperados, toma-se decisão quanto à aplicação hormônios e vitaminas, afim de que o animal passe a ter a taxa de engorda dentro do padrão. O que diz respeito à saúde animal, é analisado e definido pelo veterinário que atende à propriedade. 2.1.3 Natureza atual das atividades da organização A empresa em questão atua no setor primário, da Agricultura e Pecuária, com finalidade de criação de bovinos para corte e leite, através da cria, re-cria e engorda de animais. Para que diminua os riscos inerentes à atividade, utiliza-se de instrumentos financeiros negociados em bolsa.
  11. 11. 5 A missão desta empresa é, claramente, o fornecimento de carne e leite ao mercado local. A prerrogativa da constituição da empresa foi o desenho de uma operação com o menor impacto ambiental possível na região como, por exemplo, a rotação dos pastos onde ficam os animais, com o intuito de preservação das áreas de pastagens, como também a não deterioração das matas da várzea do Rio Pardo. Por se tratar de commodity, os animais são precificados pelo mercado, de forma que a empresa só tem como diferenciação quando do nascimento de bezerros que, futuramente, poderão vir a se tornar touros. Quando identificado um animal nessas condições, é apartado e tratado separadamente dos demais por não ser castrado, e conforme seu desenvolvimento é feito o acompanhamento e decidido, se for o caso, pelo não castramento do animal para ser vendido com touro. Como touro o valor do animal independe da cotação da arroba, sendo este valor negociado diretamente com seu comprador. A área arrendada é geograficamente privilegiada, pois como se encontra à várzea do Rio Pardo, se tem pasto durante o ano todo, inclusive na época de seca. O que nota- se em outras propriedades é que na época da seca, o pasto fica prejudicado de forma que o criador sente-se forçado a vender os animais, isso é tão comum que na época da seca (do final de maio ao início de outubro) o valor da arroba do boi historicamente sofre quedas substanciais. As principais partes interessadas na prosperidade desta atividade são os sócios da empresa e o arrendador da terra. Da mesma forma, os clientes – sejam frigoríficos ou criadores – buscam no animal uma carcaça bem formada. 2.1.4. Informações sobre o porte A referida empresa é de pequeno porte, com atuação local e faturamento anual inferior a R$ 1.200.000,00, o que isenta a empresa de recolhimento de imposto de renda pela atividade, este é um benefício assegurado pelo estatuto da terra para promover e incentivar o pequeno produtor e a agricultura familiar.
  12. 12. 6 Todos os equipamentos e instalações [como trator, currais, paiol, brete, mangueiro, ferramentas em geral, bebedouros de pasto, cochos, etc...] estão inclusos no arrendamento, o que foi previamente acordado entre o arrendador e arrendatário. No que se refere à criação em si, existe atualmente cerca de cento e vinte cabeças no total, sendo divididos em gado (bezerros, garrotes e boi formado) para engorda, para cria/leite e touros. Os clientes são variados, quando existem lotes de animais prontos para abate, é comunicada à Casa da Agricultura de São José do Rio Pardo (antiga casa da lavoura), que funciona como um equivalente a um sindicato rural, após a comunicação os interessados entram em contato ou visitam a propriedade para a aquisição. De forma que quase não estabelece vínculo de longo prazo com os clientes. 2.2 PRODUTOS O principal produto é bovino para corte, além da criação e venda de touros e leite. Entretanto, o leite é de direito integral de um dos sócios, pois este mora na propriedade. Por este fato, não será considerado o leite neste relatório. Os animais apartados do rebanho que se espera que tornem-se bons touros são acompanhados periodicamente e, de acordo com a formação da carcaça animal, é mantido para ser oportunamente vendido como touro ou é considerado descarte e volta a integrar o rebanho após sua castração. 2.2.1 Principais produtos relacionados diretamente à atividade - fim da organização Conforme descrito anteriormente, o fim da organização é criação para bovinos de corte e leite, além da criação de bezerros para oportuna venda como touro. Como
  13. 13. 7 touro o animal gera uma margem maior a empresa. Para se determinar se o bezerro poderá formar um bom touro se avalia o animal no que diz respeito à sua genética, porte, formação da carcaça, pelagem, rendimento de engorda (ou taxa de engorda diária) e o temperamento do animal (lida do animal, como se comporta junto às fêmeas, facilidade em apartá-lo). Existe um acompanhamento durante toda a formação de um bezerro não castrado para, no caso de se identificar durante o processo que o animal não se qualifica como touro, ele é imediatamente castrado e inserido no lote que tem, na média, a idade e peso mais próximos ao do animal recém castrado. Isso acontece, pois o animal castrado [pela baixa produção de hormônio] tem uma taxa de engorda superior do animal não castrado, que se movimenta mais de forma a consumir a gordura fazendo com que o animal leve mais tempo para se tornar um boi formado (entre 15 e 18 arrobas). 2.3 FORÇA DE TRABALHO Por se tratar de empresa de pequeno porte, cabe aos sócios o manejo dos animais, a parte administrativa e financeira. Cada um em sua especialidade. Além dessas atividades, são contratados terceiros como veterinários, pessoal para manutenção/instalação de cercas e benfeitorias. 2.3.1 Denominação genérica da força de trabalho A denominação genérica da força de trabalho utilizada internamente é a de colaboradores, afim de que se crie clima propício ao bom desempenho das atividades.
  14. 14. 8 2.3.2 Composição da força de trabalho A composição da força de trabalho, incluindo os três sócios, totaliza em seis pessoas, sendo: um veterinário (prestador de serviço); O sócio responsável pelo manejo animal; o sócio responsável pela administração; o sócio responsável pelas finanças; o prestador de serviços de manutenção das instalações; prestador de serviço para auxílio no manejo de animais. Os prestadores de serviços não têm nenhum tipo de vínculo trabalhista com a empresa, vez que emitem nota fiscal de prestação de serviço, de forma isentar a João Batista Montero e Outros de recolhimento de previdência, seguro e outros encargos que onerariam a operação global. Sendo que, os sócios responsáveis pelas finanças e administração, um está na graduação em Administração e outro já é graduado em administração. Da mesma forma, o veterinário é graduado em medicina veterinário, entretanto não se têm registro da escolaridade dos demais colaboradores. 2.4 CLIENTES, MERCADOS E CONCORRÊNCIA Neste capítulo será apresentado e analisado os aspectos que tangem os clientes, o mercado e os concorrentes da referida empresa. Para que haja o entendimento, é importante ressaltar que qualquer mercado de commodity que tem mercadorias de abastecimento (agrícolas e pecuária), a precificação é feita pelo mercado, os produtores e criadores são tomadores de preço, e somente podem defender preços na venda de – no caso da empresa em questão – touros e no lastro do plantel em operações no mercado financeiro.
  15. 15. 9 2.4.1 Principais mercados O principal mercado é o de venda de bovinos para corte na microrregião de São João da Boa Vista, onde são atendidos os frigoríficos locais e outros criadores (no caso de venda de touros). Exceto no caso de venda de touros, a restrição territorial se limita à microrregião de são João da Boa Vista, vez que como frete é responsabilidade do comprador, não o interessa arcar com o alto valor do transporte dos animais, vez que estes são commodities. No caso de touros, como cada animal tem características muito específicas (carcaça, porte, pelagem, docilidade, etc..), criadores de outras regiões freqüentemente compram da JBM. 2.4.2 Principais clientes Os principais clientes são os frigoríficos e abatedouros locais e, tratando-se da venda de touros, são outros criadores de bovino da região. Na operação de venda para abatedouros de bovinos para corte, existe um lote mínimo de 15 bois formados e múltiplos desse valor, isso se dá principalmente pois os caminhões que fazem o frete tem capacidade para essa quantidade de animais. A venda de animais para corte é feita da seguinte forma: o caminhão é abastecido até o máximo da capacidade do tanque e é pesado na balança da Casa da Agricultura de São José do Rio Pardo, que emite uma etiqueta de pesagem. Feito isso, a boiada é embarcada, o caminhão é reabastecido e pesado novamente, assim a diferença de peso entre as duas pesagens é o peso dos animais. Entretanto o abatedouro comprou somente carne e não os ossos, logo, é pago 50% do peso do animal [chamado de taxa de carcaça] pelo valor da arroba do dia. A taxa de carcaça pode ser negociada conforme a formação e porte do
  16. 16. 10 animal, a João Batista Montero e Outros têm negociado os animais com uma taxa de carcaça entre 54% e 57%. No que tange a venda de touros, o interessado é convidado a ver o animal em pasto para que avalie se o animal atende às suas necessidades como criador, no que diz respeito à formação, andamento, porte, genética, pelagem, resistência e docilidade. Esta avaliação vai muito da percepção de cada comprador, que vai muito além da parte técnica, o que não possibilita a descrição do que é efetivamente considerado na compra de um touro. 2.5 CONCORRÊNCIA E AMBIENTE COMPETITIVO Já discutido qual o contexto dos clientes e mercado, será apresentado e analisada concorrência e o ambiente competitivo que a referida empresa está inserida. 2.5.1 Ambiente Competitivo No que tange a venda de touros, são feitos os cruzamentos e avaliados caso a caso quais animais são castrados e vão para engorda, e quais são mantidos inteiros para posterior avaliação de venda como touro. Cada animal, conforme seu porte, carcaça e genética tem uma avaliação específica e uma venda negociada de forma independente das demais, conforme descrito no item 2.4.2. Já mercado de carne é sazonal, no que diz respeito à criação de bovinos para corte, por se tratar de commodity, a competição principal acontece na manutenção de pastos na época da seca. Como a área arrendada pela empresa em análise fica em uma na região de várzea do Rio Pardo, o pasto se mantém mesmo na época da seca, o que
  17. 17. 11 permite que o gado mantenha a constante taxa engorda durante o ano inteiro. É notório que quando o preço da arroba se valoriza, os criadores tendem a adquirir ou criar mais animais objetivando vendê-los por um preço maior, entretanto na época de venda a oferta é muito grande e o preço da arroba é pressionado para baixo, com o preço em baixa os produtores não vêem vantagens em continuar com a criação do mesmo tamanho, e se desfazem dos animais, e no próximo ciclo a arroba é pressionada para cima. A única forma efetivamente funcional para se diminuir a oscilação e diminuir o risco da criação, são operações em bolsa que permitem a trava do preço da arroba na data da entrega, o que gera custos de corretagem, custódia e o prêmio do título que é um porcentagem do valor do contrato somado a uma taxa pouco maior que a taxa CDI (certificado de depósito interfinanceiro, que por sua vez oscila muito próximo a valor da SELIC). Por uma questão cultural e, principalmente, por falta de informações os pequenos e médios produtores pouco se utilizam do mercado bolsa para diminuir seus riscos, o que torna os hedgers (utilizadores do mercado de bolsa para diminuição do risco marginal das operações no mercado físico) mais competitivos, pois esta operação permite a precisão da projeção de custo e apuração de lucro. Com a precisão das projeções é possível programar de forma concisa o ciclo de caixa e capital giro. Já quem não se utiliza do mercado financeiro pode ser forçado a fazer vendas na época de baixa da arroba para fechar o caixa da fazenda ou, no pior dos casos, tomar empréstimos bancários. 2.5.1.1 Tipo de concorrência direta ou indireta A empresa referida tem como seus correntes diretos os outros criadores de bovinos da região. Existem na região muitos pequenos e médios criadores de bovinos para corte, em sua maioria que competem na agricultura familiar e recebem inúmeros benefícios federais e estaduais. Estes criadores têm como principal vantagem o conhecimento da variação climática, curva de experiência que dispensa a contratação de veterinários e agrônomos, além da rede de relacionamento que permitem maior poder de
  18. 18. 12 barganha nas negociações com gado, entretanto, conforme outrora citado, muito poucos se utilizam do mercado financeiro para a diminuição do risco da atividade. Como concorrentes indiretos, a empresa em questão, tem os criadores de porcos e frango da região. Estes criadores se beneficiam da alta do preço da arroba, pois o consumidor final (consumidor na gôndola) prefere comprar carne de porco ou frango, a pagar o preço da carne bovina na época de alta, utiliza a carne de porco e frango como substituto à carne bovina. Quando o preço da carne atinge seu pico, os estoques ficam em alta, fazendo com que haja diminuição no volume de animal abatido, pressionando o preço da arroba para baixo. Pela variação do preço, e a renda da média população, classifica-se como concorrentes indiretos os criadores de aves e suínos. 2.5.1.2 Posicionamento competitivo Apesar da política de não agressão ao meio-ambiente, a competição é muito limitada pois trata-se da venda de commodities, e no que diz respeito à venda de touros, se avalia a carcaça e genética do animal para a estipulação de preços, o que não permite posicionamento diferente dos demais criadores. Segundo estimativa do site IBGE cidades (2006), existem na zona rural de São José do Rio Pardo cerca de 10.189 hectares de pastagens, o que colocaria a João Batista Montero e Outros com 0,6624% de participação relativa de mercado, entretanto a área de pastagem é utilizada para cavalos, mulas, avestruz e outros animais, que não para bovinos de corte. Porém optou-se em utilizar este dado do IBGE, em função de não ter sido localizada nenhuma outra informação mais precisa.
  19. 19. 13 2.6 ORGANOGRAMA Os colaboradores da empresa são: - Cauê Braga Chianca - Diretor Financeiro, responsável por pagamentos e recebimentos de contas e operações em bolsa, como também análises e projeções econômico-financeiras. - Diego Pizani Baldassim – Aquisição e venda de animais, contratação de prestadores de serviço, contato com fornecedores e encomenda de insumos agrícolas para a atividade. - João Batista Montero – Manejo Animal e contato com veterinário quando for necessário. Como os demais colaboradores prestam serviço como terceiros e se têm diferentes prestadores que desempenham uma mesma atividade, dependendo exclusivamente de sua disponibilidade, não há como descrevê-los neste item. A responsabilidade, conforme o código civil, é integralmente dos sócios, de acordo com a quotas de cada um. Cauê Chianca Financial Controller Diego Pizani Gestor Administrativo João Batista Gestor Rural
  20. 20. 14 2.7 DESCRIÇÃO E AVALIAÇÃO DAS QUESTÕES RELATIVAS AOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA Neste capítulo serão apresentados os pontos fortes, fracos e oportunidade de melhorias para oito questões dos critérios de excelência da gestão da FNQ e, em seguida, a avaliação da convergência dos critérios versus a matriz curricular. 2.7.1 Governança Corporativa. Aqui será apresentado os critérios de estratégia e planos da empresa em questão, assim como seus pontos fortes e fracos, além de oportunidades de melhoria.
  21. 21. 15 2.1 Formulação das Estratégias 2.1.2 – Como são analisados o macroambiente e o mercado de atuação da organização e suas tendências? Tratando-se de commodities, as previsões utilizadas são feitas pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) e pelas corretoras que operam derivativos agrícolas. Aliado ao ciclo, por exemplo, historicamente no segundo trimestre de todo há uma pressão de queda no preço da arroba, em função de época de seca. Na época de seca, os produtores não têm como formar pastos, e passam a vender animais para que estes não percam peso, assim ofertando grande número de animais, o que faz com que se tenha queda no preço. Pontos Fortes Como a área arrenda é localiza à várzea do Rio Pardo, a referida empresa tem vantagem de ter formação de pasto ao longo do ano inteiro, o que permite o adiamento da venda até que o preço da arroba esteja num patamar adequado. Além disso, como cria-se animais bezerros na propriedade, é feita a chamada estação de monta, quando as vacas são emprenhadas na mesma época (através do uso do hormônios é possível precipitar o cio do animal), e os bezerros e novilhas nascem juntos, assim todas as vacinas e o acompanhamento é feito de uma só vez. Pontos Fracos Como o produto é commodities, todo o mercado tem acesso às mesmas informações. E por existirem instrumentos financeiros como, principalmente, os contratos do valor da arroba e preço de bezerro. Assim sendo, não há espaço para competitividade do produto. Também acontecem atrasos nas crias, pois não pode existir consangüinidade entre o touro e vaca. Caso isso ocorra, o animal que nascerá, será híbrido como limitação de engorda, o animal híbrido é aquele que tem co-sanguinidade, por exemplo, no caso de um bezerro cruzar com sua mãe, o animal que nascerá será híbrido e terá muitas limitações em seu desenvolvimento. Oportunidades de Melhoria Constante reposição de touros (duas vezes ao ano) afim de que não se tenha bezerros ou novilhas híbridas, ou seja, que o touro seja o pai da vaca que ele emprenhou. 2.2 Implementação das Estratégias
  22. 22. 16 2.2.5 - Como são comunicadas as estratégias, as metas e os planos de ação para as pessoas da força de trabalho e para as demais partes interessadas, quando pertinente? Como um dos sócios que exerce suas atividades na capital deste estado, foram instituídas reuniões quinzenais onde são decididas e comunicadas as estratégias de investimentos, retenção do lucro, manejo, reposição e venda de gado e, cada um em sua área, permanentemente comunica os demais sobre as etapas que estão cumpridas. Pontos Fortes É prerrogativa que se tenha duas reuniões mensais na sede da propriedade a fim de acompanhar as atividades lá desenvolvida e, conforme acordado entra os sócios, as reuniões acontecem no primeiro e terceiro sábado de cada mês. Pontos Fracos Cada sócio tem competência em uma área, sendo que a falta de informação causa atrasos nas decisões sobre manejo, administração e operações de mercado. No caso de uma venda não programada, por questão de lotação, que não foi comunicada com antecedência, não permite a securitização da venda em operações de mercado. Oportunidades de Melhoria Capacitação dos sócios nas áreas em que não atua afim de que se tenha maior sinergia entre todas as áreas, como curso sobre operações no mercado e cursos na EMBRAPA e na Casa da Agricultura para melhoria de manejo. 3.1 Imagem e Conhecimento de Mercado
  23. 23. 17 3.1.2 – Como são definidos os clientes-alvo nesses segmentos, considerando, inclusive, os clientes da concorrência e os clientes e mercados potenciais? Quando o animal está formado, e é possível formar um lote [entenda lote como lotação de carga em frete], é anunciado à Casa da Agricultura de São José do Rio Pardo, onde os interessados (abatedouros ou frigoríficos) se manifestam para fazer a aquisição. Feito isso, o comprador visita a propriedade para ver o lote comprado e acompanhar o embarque e pesagem. Pontos Fortes Considera-se ponto forte o fato de se conseguir clientes através de comunicação junto à casa da agricultura de São José do Rio Pardo. As negociações feitas através da casa da agricultura têm risco reduzido quanto ao recebimento de pagamento e à entrega do animal. Pontos Fracos Como as negociações de bovino para corte são feitas via casa da agricultura, é raro que negocie com alguém de outra região. As negociações com clientes de outras regiões facilitaria o acesso a esses mercados no que tange à venda de touros, onde se tem uma margem consideravelmente maior do que à venda de bovino para corte, que tem seu preço dado pelo mercado. Oportunidades de Melhoria Cadastro na casa da agricultura (ou secretaria municipal da agricultura, pecuária e abastecimento nas cidades de maior porte) afim de que se tenha acesso a esse mercado para a venda touros, entretanto se faz necessário pagamento de participação sobre a venda, pois nossa propriedade não recolhe taxas e impostos naqueles municípios, o que elevaria os custos. Seria preciso estruturar uma operação só para a criação de touros para viabilizar esta expansão para outro mercado, o que só pode ser feito na renovação do contrato de arrendamento, pois isso demandaria maior área de pastagem. 4.1 Responsabilidade Socioambiental
  24. 24. 18 4.1.1 – Como a organização identifica os aspectos e trata os impactos sociais e ambientais de seus produtos, processos e instalações, desde o projeto até a disposição final, sobre os quais tenha influência? Desde a constituição da empresa, foi acordado entre os sócios o pleno respeito à legislação vigente de meio-ambiente, como manutenção da reserva legal e preservação da mata ciliar da várzea do Rio Pardo. Pontos Fortes Todas as determinações são rigorosamente aplicadas e acompanhadas pela polícia militar ambiental. Pontos Fracos A atividade de pecuária extensiva causa gradativa deterioração do solo. Sendo assim, na época de renovação do contrato, a empresa se comprometeu a fazer o plantio de soja nas áreas de maior degradação, e manutenção até a florada e colheita. A soja renitrogeniza (devolve nitrogênio) o solo, que é uma das formas mais eficientes de recuperação de solo. Oportunidades de Melhoria No caso de aumento da área arrendada, propõe-se que se tenha área livre (pelo menos 1 piquete) para o plantio de soja. Assim, durante a exploração da área, é possível ir recuperando o solo gradativamente, além de se poder utilizar a soja como composto da ração para touros.
  25. 25. 19 4.1.4 - Como são identificados e analisados os requisitos legais, regulamentares e contratuais aplicáveis a questões socioambientais e implementadas ações de melhoria visando o seu pleno atendimento? Na constituição da empresa os sócios obtiveram o manual distribuído pela Casa da Agricultura de São José do Rio Pardo, que é constantes de todas as normas e procedimentos legais para o funcionamento da empresa. No que tange contratos e termos de responsabilidade, a escritório de contabilidade contrato que fica responsável pela elaboração e modificações destes documentos. Pontos Fortes Pode-se dizer com segurança que a empresa é idônea em todos os aspectos (legais, ambientais, tributário, etc..) e cumpridora das regulamentações locais, estaduais e federais. Pontos Fracos Pelo desconhecimento da área jurídica dos sócios, a empresa gastou muito na adequação legal desta operação (com a contratação de serviços a parte do escritório de contabilidade), o que poderia ter sido diminuído se algum sócio tivesse o treinamento adequado. Oportunidades de Melhoria Treinamento na área direito empresarial de um dos sócios. Este tipo de treinamento é gratuito e ministrado pelo SEBRAE/SP e OAB/SP. Desta forma evitar-se-ia futuros gastos na contratação dos serviços jurídicos. 6.3 Qualidade de vida
  26. 26. 20 6.3.4 - Como são tratados os fatores que afetam o bem-estar, a satisfação e a motivação das pessoas e mantido um clima organizacional favorável ao alto desempenho? Os fatores que afetam o bem-estar, a satisfação e a motivação das pessoas são considerados depois da manifestação e identificação por um dos sócios. Como um dos sócios mora na própria propriedade, é levada em consideração a manutenção da boa condição das estradas de terra que dão acesso à propriedade, assim como a rede elétrica, de água e esgoto da propriedade, propiciando ambiente salubre para o exercício da atividade. Pontos Fortes Pela proximidade dos sócios, todas as reivindicações são discutidas de forma franca, buscando- se sempre a concordância entre as partes. Pontos Fracos Por um dos sócios ficar em São Paulo, não acompanha de forma efetiva às ações de manejo, o que limita seu entendimento sobre o manejo e como as ações realizadas afetam às finanças da empresa. Oportunidades de Melhoria Estabelecimento de relatório de campo, conforme sugestão da EMBRAPA, afim de que se possa fazer melhor avaliação do manejo e seu impacto nas finanças e resultado da empresa. De acordo com o manual da EMBRAPA, existe formas de manejo que evitam o pisoteamento excessivo do pasto pelo gado, de forma a ter disponível maior quantidade de capim para consumo, permitindo a a maior permanência de um lote no mesmo piquete. Tendo esta implementação, seria necessário ver o impacto financeiro na operação global e avaliar seu desempenho. 7.3 Processos Econômico-financeiros
  27. 27. 21 7.3.4 – Como são quantificados e monitorados os riscos financeiros da organização? Os riscos, em sua maioria, são climáticos, pois existe a opção do adiamento da venda em função dos fatores geográficos da área arrendada. Os principais fatores considerados são: a chuva excessiva (que causa cheia no Rio Pardo inundando e inutilizando a pastagem de várzea da propriedade), a seca excessiva (que queima os pastos além da colina os inutilizando), além da abertura das comportas da usina hidro-elétrica da companhia paulista de força luz, fazendo com que o Pardo transborde, causando o mesmo efeito da chuva excessiva. Pontos Fortes Por se tratar da venda de commodities, e ter seu equivalente em contratos negociados em bolsa, são feitas análises financeiras para precificação futura e venda oportuna dos animais. Pontos Fracos O risco principal é o de animais acidentados ou catástrofes climáticas, as quais não podem ser eliminadas ou reduzidas. Oportunidades de Melhoria Estudo de viabilidade de contratação de seguro para touros, objetivando a diminuição de risco quanto à acidentes ou doenças (para as quais não se têm vacina). 8.1 Resultados econômico-financeiros
  28. 28. 22 8.1.1 – Apresentar os resultados dos principais indicadores relativos à gestão econômico- financeira, classificando-os segundo os grupos de estrutura, liquidez, atividade e rentabilidade; e estratificar os resultados por unidades ou filiais, quando aplicável. Os principais índices utilizados são: Índice de Liquidez Corrente e Geral, Margem Bruta e Líquida e de rentabilidade, utiliza-se o ROA [considera como ativo total o rebanho, precificado pelo peso médio (com taxa de carcaça de 50%) precificado ao preço arroba média do mês em análise]. O ROA nos últimos anos tem sido de cerca de 18% considerando somente a operação física Pontos Fortes Utiliza-se os principais índices de performance da empresa, como índice de rentabilidade, retorno sobre investimento, taxa de amortização e taxa média de engorda diária. Pontos Fracos Os índices de medição de desempenho de animais não são efetivos, e sim as médias de amostra de cada lote, o que distorce as análises, pois torna impossível de se identificar qual animal ou lote têm desempenho aquém do restante. Oportunidades de Melhoria Capacitação do responsável pelo manejo animal em cursos da EMBRAPA para que viabilize a efetiva medição de desempenhos dos animais para posterior apresentação e avaliação da área financeira, a fim de que se faça análises mais próximas do efetivo desempenho da operação.
  29. 29. 23 2.8 AVALIAÇÃO DA CONVERGÊNCIA DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA VERSUS DISCIPLINAS Este item visa correlacionar os critérios acima descritos com as matérias do curso de Administração da ESPM. O critérios de “Estratégias e Planos”, nos itens 2.1.2 e 2.2.5 convergem para , em ambos os caso, às matérias de Marketing III e Marketing IV, pois estas matérias possibilitam as análises de micro e macro ambiente, análises do setor em questão, avaliação dos concorrentes diretos e indiretos, avaliação; diagnóstico; prognóstico como também a elaboração do plano de negócios objetivando melhor resultado, de forma que Marketing III é a base para formulação da estratégia e Marketing IV base para análise global da operação. O critério “Cliente” no item 3.1.2, foi relacionado com a matéria de CRM, no item imagem e Conhecimento de Mercado, pois permite fazer análise sobre os clientes da empresa, como deve ser feito o relacionamento com eles no que tange todas as etapas da compra, e como comunicarmos o canal, que no caso específico, é a casa da agricultura de São José do Rio Pardo. O critério “Sociedade” nos itens 4.1.1 e 4.1.4 foram relacionado à matéria Gestão de Stakeholders, que permite utilizarmos de estratégias para atuar com os públicos de interesses, que no caso específico é a Casa da agricultura de São José do Rio Pardo, Polícia Militar Ambiental, fornecedores de insumos agrícolas, Arrendador das terras, prestadores de serviço (veterinário, contratados para manutenção de infra- estrutura, etc) e a prefeitura municipal de São José do Rio Pardo. O critério “Pessoas”, no item 6.3.4 foi relacionado às matérias: Teoria das Organizações, Administração de Recursos Humanos e Estrategia Empresarial, que permitem análise da estrutura organizacional da empresa, que tem padrões familiares, e como lidar com o embate de opiniões. Principalmente pelo fato de que os sócios têm cada um uma especialização e uma diferentes áreas internas de atuação . A divisão da abrangência de decisão individual e seus impactos na empresa são analisados, como
  30. 30. 24 também sugestões de melhoria quando os impactos são negativos. Fica claro que é possível ter melhorias substanciais, apenas com a limitação da atuação de cada sócio. Especificamente a teoria organizacional permite a estruturação da empresa nos padrões de empresa familiar, sem que tenhamos uma forma paternalista de gestão e, aliada à administração de recursos humanos foi possível implementar remuneração ao sócio responsável pelo manejo através de participação adicional por cabeça vendida. O critério “Processos” no item 7.3.4, foi relacionado às matérias: Modelagem Quantitativa para Negócios, Controladoria e análise de Projetos e Finanças de Mercado. Tais matérias são correlatas entre si, e seu conjunto permite análise dos índices de rentabilidade, avaliação de investimento ou desinvestimento como aquisição e venda de animais (tanto para corte quanto touros), de forma a possibilitar uma análise neutra, estritamente econômico-financeira permitindo obtenção da melhoria de resultados. O critério “Resultados”, no item 8.1.1, foi relacionado à matéria Controladoria e Análise de Projetos, pois esta matéria permite que chegue aos índices de avaliação da empresa, principalmente através do Valuation, que é o modelo de precificação da empresa, onde se utiliza os índices econômico-financeiros para se chegar ao valor da empresa e projetar resultados futuros. Neste capítulo foi possível apresentar a empresa, suas atividades e quais os critérios de excelência da gestão da Fundação Nacional da Qualidade mais próximos às atividades da empresa. Além disso pôde-se descrever os critérios utilizados e avaliá-los, como também relacioná-los às matérias ministradas no curso de Administração da ESPM. No capítulo seguinte, será apresentado a atuação do estudante na empresa, sua avaliação feita através das capacidades, atitudes e conhecimentos desenvolvidos nas atividades da empresa, e sua crítica da empresa pelo estudante.
  31. 31. 25 3 DESCRIÇÃO E AVALIÇÃO DAS ATIVIDADES E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Neste capítulo serão apresentadas as atividades e capacidades desenvolvidas pelo estudante, comparando-as com as atitudes e conhecimentos. Além disso, quais matérias da matriz curricular deram suporte para o desenvolvimentos destes aspectos e as críticas da empresa sobre o estudante e do estudante em relação a empresa. Para a matriz curricular, se utilizou dos programas das disciplinas cursadas pelo estudante a fim de se identificar quais matérias efetivamente deram suporte para o desenvolvimento das capacidades do aluno. 3.1 AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES VERSUS CAPACIDADES, ATITUDES E CONHECIMENTOS. Neste item serão apresentadas as atividades desenvolvidas no estágio, e quais as capacidades, atitudes e conhecimentos foram desenvolvidos a partir destas atividades, conforme os critérios da Fundação Nacional da Qualidade. 1) A Atividade referente às Operações em Bolsa de Valores e Bolsa de Mercadorias e Futuros, possibilitaram o desenvolvimento: a) Capacidades: - Ética: 1.2.Assumir a responsabilidade pelo impacto de suas atividades Conforme descrito anteriormente, as operações em Bolsa, permitem reduzir o risco inerente à atividade pecuária em questão, entretanto se faz necessário o bom
  32. 32. 26 planejamento para que operação seja estruturado de forma a não alavancar o risco da empresa. Assim, fica claramente justificado a escolha do item 1.2 em assumir responsabilidade pelo impacto das atividades, principalmente por somente o referido estagiário atuar nesta área da empresa, sendo se sua total responsabilidade as operações em bolsa. - Interpessoal: 2.1.Assumir diferentes papéis no trabalho A fim de se estruturar operações que efetivamente diminuam os riscos da atividade pecuária, o referido estagiário tem que assumir diferentes papéis no trabalho, como acompanhar manejo, entrar em contato com produtores de milho pois, conforme já descrito, o preço da saca do milho tem uma forte correlação com o preço da arroba do boi gordo, é necessário que se entenda como se dá a produção do milho, os fatores climáticos das regiões produtoras e o tipo genético da planta. - Aprendizado: 3.3.Aprender novos negócios rapidamente Este item é intimamente ligado com o item acima, pois as diversas atividades correlacionadas à pecuária, devem ser compreendidas, de forma a ser ter projeções e expectativas futura de preços bem fundamentados. E, como existem inúmeros instrumentos financeiros para se diminuir o risco da empresa, é necessário que se faça constante pesquisa a fim de se estruturar uma operação com custo de transação adequado e retorno financeiro que justifique os custos e dilua os riscos. b) Atitudes: - Ética: 10.2.Honestidade Existe a constante prestação de contas aos demais sócios das operações em bolsa, que são informadas nas reuniões quinzenais já descritas no capítulo anterior. A
  33. 33. 27 honestidade deve ser a base para qualquer tipo relação humana e, principalmente, nos negócios. 10.4.Probidade administrativa Como no item acima, a probidade é regida por normas claras, previamente acordadas entre os sócios. Cada sócio, em sua área, apresenta – conforme descrito no capítulo anterior - relatórios, com isso se tem a sinergia e a possibilidade da verificação do que foi apresentado. - Pessoais: 12.1.Abertura para riscos Conforme já descrito, o referido estagiário é o único responsável por operações em bolsa, e um de suas atividades é quantificar o risco das operações para oportuna decisão de fazer ou não a operação. A quantificação fundamentada de risco, permite que se faça operações individualmente mais arriscadas, porém quando estruturadas com outras operações o risco fica travado, ou seja, a perda é limitada. c) conhecimentos: - Realidade Mundial: 18.4.Mercado Financeiro É de conhecimento notório que o mercado financeiro oscila conforme a oscilação das bolsas americanas, tanto as bolsas de valores [NYSE e Nasdaq] quanto as de mercadoria [NYME e Chicago]. Assim o estagiário deve as expectativas dos investidores e dos produtores de commodities, para que se tenha fundamento as projeções e expectativas futuras da empresa. 18.5.Mercado Global Não diferente do item anterior, é suma importância o conhecimento das relações econômicas dos países, assim como a política. Um exemplo recente foi o embargo da carne brasileira pela União Européia, o que não permitiu escoar parte da produção de
  34. 34. 28 carne do Brasil, inundando o mercado local e pressionando o preço da arroba do boi gordo para baixo. Este tipo análise global também deve ser feita para fundamentar as análises e expectativas do mercado. - Realidade Brasileira: 19.4.Mercado Financeiro No que diz respeito à realidade brasileira, é necessário o entendimento das ações tomadas pelos governos Federal e Estadual que regulamentam o setor. Um exemplo recente, são as ações que estão sendo tomadas em relação à erradicação febre aftosa em bovinos e as representações judiciais do governo aos pecuaristas na região da Amazônia. Todos esses aspectos refletem rapidamente o preço da arroba do boi gordo, seja por excesso ou escassez da oferta de animais para abate. 2) A Atividade de contas a pagar (fornecedores) e receber (clientes) , possibilitou o desenvolvimento das: a) Capacidades - Interpessoais: 2.5.Entender-se com pessoas de pontos de vista diferentes, sobre o meio ambiente Os funcionário de qualquer organização sempre buscam, nas negociações, o melhor para sua organização. O contato com essas pessoas permite que se expresse o ponto de vista entenda a visão alheia, chegando, desta forma, a um entendimento entra ambas as partes, no tange as contas a pagar e receber são negociados prazos e descontos nas duplicatas a pagar e receber. - Aprendizado: 3.6.Descobrir padrões e relações na informação Durante o estágio, foi possível identificar claramente como se dão as relações e fluxos de informação interna e externamente. Algo comum, é a ampliação dos prazos de pagamento aos fornecedores quando existem variações climáticas muito bruscas. Outro
  35. 35. 29 exemplo é que a quando se efetua uma venda de um lote gado, o recebimento se dá em trinta dias, porém durante a chamada crise do sub-prime, as vendas só eram feitas à vista pelo alto risco do não recebimento. -Técnicas: 8.2.Produzir planejamentos e Orçamentos organizacionais Este item foi desenvolvido ao se identificar a necessidade do planejamento do ciclo financeiro, pois na empresa se tem um prazo médio de estoque de 2 anos, um prazo médio de recebimento e pagamento de 30 dias, elevando de forma substancial o financiamento do ciclo financeiro da empresa. b) atitudes: -Interpessoais: 11.3.Clareza de intenções Como já descrito anteriormente, o estagiário desenvolveu o aspecto de clareza nas intenções, através das inúmeras negociações feitas, onde não se pode deixar tópicos em aberto, pois neste caso haveria grande prejuízo à empresa. - Espírito Social: 13.2.Respeito com os clientes Foi percebido pelo estagiário a enorme importância de manter um bom relacionamento com cliente, e sempre se fazer disponível para o esclarecimento de quaisquer dúvidas. Este bom relacionamento deixa o cliente com uma propensão maior a fazer compra de mais lotes de gado no futuro. Em um mercado de commodity, o relacionamento com clientes e Stakeholders em geral é de elevada importância, pela facilidade e baixo custo de mudança do cliente, e o bom relacionamento torna-se um diferencial que é notoriamente levado em conta quando um cliente se interessa em comprar gado tanto para abate como touros. - Olhar para o futuro:
  36. 36. 30 15.4.Pensamento de Longo Prazo Como explicado acima, a empresa tem um prazo médio de estoque de dois, o que torna compulsória a visão em longo prazo. O pensamento de longo prazo contempla a operação em si e as negociações e relacionamento com clientes. c) conhecimentos: -Realidade mundial: 18.1.Cadeia produtiva das indústrias. Foi possível que o estagiário compreendesse a cadeia produtiva da carne, desde o ciclo de criação (cria, re-cria e engorda), passando pelo abate dos animais, até o processo do frigorífico (onde serão feitos os cortes da carcaça bovina), que então classificará a carne como: Pescoço, Peito, Paleta, Acém, Capa de Filé, Filé de Costela, Contrafilé, Filé Mignon, Picanha, Lagarto, Chã-de-fora, Chã-de-dentro, Patinho, Músculo, Alcatra, Maminha de Alcatra, Fraldinha e Ponta de agulha. Feito o corte da carcaça e a classificação das peças de carne, o produto é então distribuídos em açougues, mercados e supermercados. -Ética: 24.1.Teoria Ética, em particular Ética da responsabilidade A ética de responsabilidade, ou seja, o conjunto de normas e valores que orientam a tomada de decisão, foi adquirida no dia-a-dia pelo estagiário, durante o fechamento de contratos e seu efetivo cumprimento, durante as negociações e, de forma mais tangível, a preservação das área de reserva legal e reserva da várzea do Rio Pardo que estão compreendidas na área de arrendamento. -Atualidades 28.1.Atualidades Na área de contas a pagar é de grande importância que se acompanhe os eventos da atualidade, de forma a poder se comunicar e entender o contexto que a empresa está inserida, como também de seus Stakeholders, para que possibilidade uma possível
  37. 37. 31 renegociação de prazos ou valores. Um exemplo recente foi o atraso na restituição do imposto de renda pela Receita Federal, de forma a poder comprometer os recebimentos dos próximos meses. Munido desta informação, pode-se levar em conta o fluxo financeiro do cliente para este pagamento seja renegociado. 3) A Atividade de aquisição de animais, possibilitou o desenvolvimento: a) Capacidades - Ética: 1.5.Cumprir com a palavra Não diferente da venda de animais, na área de compra de animais é de relevante importância o cumprimento com a palavra, no que tange o prazo de pagamento, o dia da retirada dos animais e taxa de carcaça. Destacando que sempre que não é possível cumprir algo previamente acordado, é prioridade que se informe todos os envolvidos que serão afetados pelo não cumprimento. Desta forma, se estabelece uma relação de confiança e credibilidade entre a empresa e os envolvidos em suas atividades. - Interpessoal: 2.4.Empreender ações estratégicas (voltadas a objetivos) e comunicativas (voltadas ao consenso) Como a direção da empresa é feita pelos sócios, as estratégias das principais áreas (Manejo animal, Finanças e Administrativo), são tomadas em conjuntos nas reuniões quinzenais, de forma a sempre existir o consenso entre os sócios a fim de que se efetivamente se tome as decisões e as coloque em prática. Foi possível para estagiário desenvolver boa argumentação, análise de propostas e projeções de desempenho futuro das decisões, considerando sempre os acordos tanto internos (manutenção das reservas legais, por exemplo) quanto os externos (contratos de aquisição ou venda de animais). 2.9.Redigir e documentar contratos, Job descriptions e acordos Na área de compra venda é praxe, em função do longo prazo médio de recebimento e, principalmente, tratando-se animais, por trás todas as vendas existe um contrato que o referido estagiário redige e revisa, neste contrato é constante as partes envolvidas
  38. 38. 32 (comprador e vendedor), a descrição do lote (número de animais, número do brinco de cada animal, entrega das fichas médicas e de vacinação de cada e cópia da nota de compra do animal quando bezerro/ novilha, se não for cria da propriedade), data de embarque do animal, e por fim a taxa de carcaça média do lote. Aqui vale a pena lembrar que o preço da arroba será o preço de mercado no dia do embarque, com a respectiva etiqueta de pesagem. b) Atitudes - Ética: 10.3.Postura ética No que tange a postura ética na aquisição de animais, o estagiário a desenvolveu durante as efetivas negociações com a parte interessada, onde são fixadas todas as cláusulas do contrato de compra, que são rigorosamente cumpridas a fim de respeitar o planejamento da empresa e da outra parte envolvida, e o não cumprimento de qualquer cláusula é o quanto antes avisado à parte prejudicada. Acredita-se que nas negociações e cumprimentos dos contratos o referido estagiário tem uma exemplar postura ética, assim como os outros sócios. -Interpessoal: 11.3.Clareza de intenções O referido estagiário, em todas as negociações da empresa, e especialmente na aquisição de animais, sempre apresentou todos os aspectos envolvidos, as intenções e as necessidades da empresa de forma clara, para que reste dúvida ou sub-entendimento de algum item. Entretanto, o estagiário em questão desenvolveu a forma como expõe suas intenções para os diferentes interlocutores. 11.5.Empatia para novos relacionamentos Pelo contato com clientes, fornecedores e as pessoas que vivem próximas à propriedade, o referido estagiário desenvolveu a empatia para novos relacionamentos, fundamentando sua rede de relacionamentos.
  39. 39. 33 c) conhecimentos - Realidade Brasileira: 19.3.Legislação fiscal O estagiário adquiriu substancial conhecimento sobre a legislação fiscal, desde de a forma correta de apuração de lucros, como as faixas de isenção de impostos [conforme é constante do Estatuto da terra]. Isso foi possível, pois antes deve-se entender que existe programas Federais para o desenvolvimento da agricultura familiar e pequeno produtor, onde se têm incentivos e benefícios de forma a estimular tal tipo de atividade. Como parte substancial do PIB brasileiro provem das atividades agropecuárias, é interesse do governo fomentar este setor. - Teoria Administrativa: 21.3.Planejamento Empresarial O estagiário teve oportunidade de sempre poder participar ativamente do Planejamento da empresa no que tange o manejo, finanças e na área administrativa, desenvolvendo a capacidade de poder avaliar os impactos de cada atividade na operação global. - Qualidade e Produtividade: 22.3.Princípios de Qualidade e Produtividade Na atividade pecuária a qualidade e produtividade têm ambos, vetores positivos, ou seja, são interdependentes. Pois a qualidade da carne é avaliada com o animal ainda vivo, onde se avalia o pelo, a carcaça, a alimentação [tipo de capim], e o tipo de sal mineral disponibilizado no pasto. Já a produtividade é mensurada através da taxa média de engorda de cada lote, que – em linhas gerais - leva em consideração a alimentação e a dimensão do piquete que o lote pasta, buscando sempre se atingir o equilíbrio de maior volume de pasto consumido por hectare, com a menor movimentação do gado [a menor movimentação permite maior acúmulo de gordura no animal, e evita o pisoteamento da pastagem, lembrando que o gado não come pasto pisoteado].
  40. 40. 34 4) A Atividade de aquisição e determinação da data de venda de animal em pé para abate, possibilitou o desenvolvimento: a) Capacidades - Ética: 1.8.Pesar as conseqüências de suas decisões O estagiário passou a poder mensurar o impacto das decisões tomadas quando passou a identificar as necessidades de renegociação de contratos, o que a princípio parece ser algo negativo, ao longo do tempo tem se mostrado muito eficaz por possibilitar o relacionamento de longo prazo entre a empresa e os Stakeholders. 1.11. Traçar parâmetros de valor ou normas Nas negociações de vendas ou aquisição de animal, o estagiário desenvolveu a capacidade de poder limitar os riscos através de cláusulas contratuais que vem de encontro com a necessidade da empresa e da outra parte envolvida, assim como a oportunidade de desenvolver os procedimentos para entrega de relatórios das área da empresa em oportuna reunião. - Inter-pessoal: 2.6.Estabelecer acordos flexíveis de relacionamento Quando há um venda ou aquisição de animais, o estagiário fica responsável pela elaboração e negociação das cláusulas contratuais sempre buscando – de forma ética e moral - o melhor para empresa, sem que haja prejuízo para a outra parte envolvida. Além disso, no caso de descumprimento do contrato pelo Stakeholder, o estagiário se prontifica a renegociar (seja prazo ou seja pagamento). No caso da empresa não cumprir com alguma cláusula contratual, é avisado imediatamente as partes envolvidas. Este procedimento permite o estabelecimento de acordos flexíveis de relacionamento com garantia contratual para todas as partes envolvidas, conforme legislação vigente.
  41. 41. 35 b) atitudes: - Ética: 10.6.Respeito a princípios, valores, decisões e acordos Já descrito anteriormente que relacionamento com os clientes é de relevante importância, de forma que se deve respeitar todos os contratos e os prazos e valores das duplicatas a pagar e receber. 10.8.Senso de justiça O senso de justiça foi desenvolvido quando, por repetidas vezes, os prazos foram renegociados pois se identificou a situação financeira precária do cliente, entretanto existe uma pequena multa contratualmente estabelecida quando há prorrogação do pagamento de clientes. Da mesma forma, é permitido que se faça adiantamento de pagamentos para os prestadores de serviço, quando comprovadamente necessitam de dinheiro por motivos pessoais. - Espírito Social: 13.8.Visão do sistema econômico brasileiro como um todo A visão do sistema econômico brasileiro, no que tange o aspecto social, é claramente desigual. Quando se tem contato com pessoal da zona rural, pode-se claramente identificar quem é trabalhador rural e proprietário. Uma situação vergonhosa, onde se tem concentração de renda em demasia em algumas classes sociais, e é abominável que um Estado patrocine tal tipo coisa, onde se tem as classes sociais mais inferiores muito mal remuneradas, quase como se os trabalhadores financiassem o lucro do proprietário. No Brasil são discrepantes as diferenças sociais, o que é incompreensível em um sistema democrático. c) conhecimentos: -Realidade Brasileira: 19.5.Situação da infra-estrutura brasileira Quando a empresa vende touros para criadores de cidades mais distantes ou aquisição de animais, identifica-se pelo custo do frete a deficiência da infra-estrutura
  42. 42. 36 brasileira. Em conversas com motoristas de caminhão, pode-se ter dimensão das péssimas condições das rodovias federais e das rodovias estaduais [exceto no estado de São Paulo, Rio de Janeiro e alguns trechos no Paraná]. -Realidade Regional e Setorial: 20.3.Impacto da infra-estrutura nos negócios Como descrito no item acima, a infra-estrutura aumenta de forma muito impactante as empresas do setor agro-pecuário, seja pelos altos valores cobrados em pelas concessionárias das rodovias, ou pela freqüente manutenção das frotas em função do péssimo estado das rodovias não-privatizadas. Isso faz com que o preço do frete seja muito alto e deixe as operações de todo setor muito caras. Em países, onde se têm alta capilaridade de linhas férreas, o custo é muito inferior ao custo do frete brasileiro, principalmente pela capacidade de transporte de uma composição de trem, que é enormemente maior que a de um caminhão. - Atualidades: 28.2.Conhecimentos Gerais Esta atividade permite o entendimento de conhecimentos gerais, como política, economia, clima, geografia, legislação, comportamentos de cada região e aspectos culturais. Esses aspectos são a base para a argumentação em negociações. 5) A Atividade de aquisição e venda de touros, bezerros e novilhas, possibilitou o desenvolvimento a) Capacidades -Ética: 1.1. Agir de acordo com normas Na referida empresa, todos agem de acordo as normas. Do contrário toda operação estaria em risco. Como quinzenalmente são apresentados os relatórios de todas as áreas, é facilmente identificada (seja intencional ou acidental) e prontamente corrigida. Se não
  43. 43. 37 fosse feito desta forma, não haveria controle eficiente das áreas da empresa. Como os sócios se conhecem de longa data, a possibilidade de má intenção na empresa é muito baixa, ainda mais por se tratar de uma empresa estabelecida em uma cidade pequena, onde rapidamente é possível descobrir alguma ação mal-intencionada, tanto no ambiente interno, como externo. 1.5.Cumprir com a palavra Como esta atividade tem um prazo de recebimento e pagamento de 30 dias, é relevante o cumprimento da palavra de todas as partes envolvidas, pois além de contratos zelamos pelo excelente relacionamento com os Stakeholders, conforme outrora descrito. -Inter-pessoais: 2.6.Estabelecer acordos flexíveis de relacionamento O bom relacionamento com os fornecedores e clientes, permite um diálogo aberto para renegociações. Isso se dá pela interdependência das partes envolvidas que, através de negociações, sempre se atinge um ponto onde os interesses das partes envolvidas se convergem. b) Atitudes: - Relacionamento Interpessoal: 11.2.Assertividade Conforme se adquire experiência em negociações, a assertividade aumenta, pois o aprendizado nas negociações permite com que, cada vez mais, se identifique qual a necessidade real do cliente ou do fornecedor. 11.10.Sensibilidade para percepção de si próprio e do outro; Esta atividade necessita que se relacione freqüentemente com fornecedores e clientes, de forma a se desenvolver constantemente sensibilidade para a percepção de necessidades próprias, da empresa, dos sócios, dos fornecedores e dos clientes.
  44. 44. 38 - Pessoais: 12.6.Iniciativa A iniciativa no estagiário se desenvolveu fora do ambiente corporativo. Quando em visita a São José do Rio Pardo, as festas da cidade permitem a construção de uma sólida rede relacionamentos. Pela boa receptividade do povo provinciano, a troca de cartões é quase inevitável, o que possibilita o fechamento de negócios no futuro. Daí se desenvolveu no estagiário a iniciativa para construção de relacionamento e oportuno contato para marcar reuniões, ou visitas à propriedade. c) Conhecimentos: - Qualidade e produtividade: 22.1.Conceitos de Qualidade e Produtividade. Para que se negocie gado [tanto na venda para abate, quanto touro], é muito importante que conheça o processo produtivo, o tipo de capim plantado em áreas de pastagem, composição do sal mineral e vitaminas dadas aos animais e as vacinas aplicadas no animal. Munido dessas informações, a negociação é feita em torno da qualidade do animal, que é refletida pela carcaça do animal, desenvolvimento e a pelagem. - Ética: 24.2.Teoria da Ação Comunicativa: ação comunicativa, ação estratégica e as perspectivas do falante O desenvolvimento da comunicação foi muito enriquecedor para o estagiário, pois permitiu a clara explicação das intenções aos diferentes interlocutores com quem tem contato. - Serviços: 27.1.Logística de serviços
  45. 45. 39 Na aquisição de animais é necessário que faça um planejamento de compra, que deve ser feita após o período de vacina para não onerar a empresa compradora, preferencialmente quando se tem uma seca, ou um incêndio na propriedade vendedora, pois dess a forma não haverá negociação da taxa de carcaça pela urgência de liquidez do vendedor. Deve-se ponderar também exposições na região, para que não se pague preço de frete acima do normal pela alta demanda do serviço. 3.2 AVALIAÇÃO DAS CAPACIDADES, ATITUDES E CONHECIMENTOS DESENVOLVIDOS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E MATRIZ CURRICULAR No referido estágio foi possível verificar que as capacidades, atitudes e conhecimentos adquiridos refletem claramente com o conteúdo das disciplinas ministradas no curso de administração. Na área de conhecimentos foi possível utilizar e aplicar o conteúdo ministrado, principalmente, das disciplinas: Finanças de Mercado (AFO-IV), Análise da Conjuntura econômica, Macro-Economia, Contabilidade Financeira e Gerencial, Gestão de Custos e Preços, Controladoria e Análise de projetos e Modelagem Quantitativa para Negócios, principalmente pelo fato de que o estagiário atua na área financeira. Essas disciplinas permitem analisar o micro e macroambiente de forma com se aplique essas análise à empresa e se faça as projeções através de modelos financeiros e de gestão objetivando a melhor tomada de decisão. Apesar das disciplinas terem fundamental importância no desenvolvimento das atividades em geral, a disciplina de Finanças de Mercado tem destaque, pois o estagiário se utiliza de operações de mercado para diminuir o risco inerente à atividade pecuária, além de ser uma preferência pessoal do estagiário e se destacar nesta área. Conforme o programa da disciplina de finanças de mercado pode-se identificar a relação com atividades despenhadas pelo estagiário na empresa, no que tange a classificação e relacionamento do movimento econômico e financeiro, orçamentação, Forecasting (projeções financeira) e valuation (metodologia de cálculo para dar valor à empresa). As disciplinas de Análise da Conjuntura Econômica e Macro-economia deram suporte ao entendimento, no caso específico, de como o agronegócio é de fundamental
  46. 46. 40 importância econômica na composição do PIB brasileiro e na atividade produtiva, e o seu direto impacto na composição da dívida federal. A matéria Modelagem Quantitativa para negócios possibilitou o uso de ferramentas de avaliação e otimização das atividades da empresa. As capacidades desenvolvidas de agir de acordo com as normas, assumir diferentes papéis no trabalho, entender pontos de vista diferentes foram as que mais tiveram destaque. No mercado agropecuário depara-se freqüentemente com pessoas pouco instruídas, e interagindo com elas, o estagiário desenvolveu sua postura e soube identificar como falar com cada tipo de interlocutor e a disciplina que deu suporte para tal foi a de Gestão de Stakeholders, que possibilitou ao estagiário compreender como a relação com o público de interesse da empresa constrói vantagem competitiva. As disciplinas de Contabilidade Financeira e Gerencial e Gestão de Custos e Preços permitiram que o estagiário definisse qual a melhor de apuração do lucro, a margem de contribuição provinda da venda de animais e a gestão, o custeio das atividades e a gerência do fluxo de caixa. No que tange as atitudes, se desenvolveu de forma significativa a ética sob todos os aspectos, desde a gestão em si até o relacionamento interpessoal. Por freqüentemente operar em bolsa, o estagiário desenvolveu uma maior abertura para riscos, mas isso só se deu depois do pleno entendimento do mercado financeiro embasado pelo conjuntura econômica global, como por exemplo, a elevação dos preços da saca de milho na bolsa americana impacta o valor da arroba do boi gordo no estado de São Paulo. Além da precificação do mercado baseado nas relações comerciais entre os países influenciados pelas taxas de câmbio, deve se levar em consideração os fatores climáticos que impactam as colheitas e o desenvolvimento das pastagens. Assim, a abertura para risco foi significativa, porém só existe a abertura para risco quando se tem uma estratégia econômico-financeira para dar suporte à tomada de risco. Assim, o desenvolvimento das capacidades, atitudes e conhecimentos é notória no referido estagiário, que cada vez mais se aperfeiçoam ao se ter maior contato com as atividades da empresa.
  47. 47. 41 3.3 CRÍTICA DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PELA EMPRESA. Segundo a avaliação feita pelo supervisor do estágio, conforme formulário 4 constante anexo, nota-se que o estagiário atingiu a máxima no quesito Desempenho Geral, entretanto no quesito de Conhecimentos específicos de agências de propaganda, foi explicado pelo supervisor que como esta área não contempla as atividades inerentes à criação de bovinos, não havia a possibilidade de avaliar o desempenho do estagiário nesta área. Outro ponto discutido com o supervisor foi o quesito Abertura para mudanças e alterações nas tarefas e procedimentos. Foi explicado que o estagiário tem um perfil conservador no que diz respeito às mudanças operacionais das atividades que já são executadas na empresa, que está intimamente ligada ao quesito Adaptação às normas e procedimentos da empresa. No que tange a área de conhecimentos relativos à área de Recursos Humanos, foi explicado que os conhecimentos estão muito aquém do esperado, principalmente pela falta de habilidade em reconhecer nos profissionais as oportunidades de desenvolvimento em certas áreas. Nos demais quesitos, houve uma boa avaliação, assim só foram destacas as questões que efetivamente tiveram uma má avaliação. No geral, o estagiário se encontra satisfeito com avaliação, pois foi bem avaliado no comprometimento com o trabalho, iniciativa, conhecimento aplicado. E entende que assuntos específicos a certas áreas, devem ser trabalhados e desenvolvidos ao longo tempo, aprimorando a formação do profissional. Assim, avalia como adequada a avaliação do referido supervisor. 3.4 CRÍTICA DO ESTAGIÁRIO SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Nota-se o empenho da equipe responsável pela elaboração do modelo do relatório de estágio em dinamizar a forma com que este relatório deve ser preparado,
  48. 48. 42 entretanto não é apresentada uma visão clara dos objetivos da confecção deste material. As diversas tabelas e arquivos diferentes tornam confusa a elaboração deste relatório. Durante a elaboração deste relatório foi possível identificar os reais avanços no perfil do estagiário e quais as matérias que deram suporte para o desenvolvimento profissional do mesmo. Sugere-se que a escola institua uma matéria relacionada ao Agronegócio, vez que este setor tem um grande peso no PIB do Brasil e, segundo declaração do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastacimento (MAPA), emprega (em 2009) 35 milhões de brasileiros. Notou-se que muitos aspectos deste relatório são completamente dispensáveis, o que faz com que demande uma enorme quantidade de tempo para sua elaboração, e não se tem uma clara compreensão do que efetivamente se objetiva com o desenvolvimento deste relatório. Em suma, o contato com os critérios de qualidade permitiu que se identificasse a evolução na formação acadêmica e profissional do estagiário. O estágio supervisionado transcorreu, de forma geral, de maneira serena e enriquecedora para o aluno, sob todos os aspectos, tanto durante as atividades na empresa, quanto durante as atividades acadêmicas. Já apresentada a descrição e avaliação das atividades do estágio supervisionado neste capítulo, será feita, a seguir, a conclusão de forma a contemplar a conclusão dos capítulos e itens anteriores.
  49. 49. 43 4. CONCLUSÃO Neste capítulo será exposto o conjunto de conclusões atingidas no desenvolvimento do Relatório de Estágio Supervisionado. Feita a análise das capacidades, atitudes e conhecimentos desenvolvidos no estágio foi possível observar que estas convergem com o perfil do egresso do curso de administração, já que as atividades realizadas no trabalho estão claramente relacionadas com os conceitos que foram adquiridos através das disciplinas ministradas na faculdade. Outro aspecto a ser destacado são os critérios de excelência da gestão da Fundação Nacional de Qualidade convergem com as disciplinas ministradas no curso, ou seja, os assuntos das questões selecionadas para analise não eram desconhecidos, pois já haviam sido estudados no curso de administração. Com a execução deste trabalho notou-se alguns pontos fortes, pontos fracos e conseqüentemente oportunidades de melhoria na execução das atividades da empresa estudada. Como ponto forte foi observado que o relacionamento interpessoal, a interação com os demais sócios e os stakeholders, o trabalho em equipe e também à atitude de oferecer ajuda foram considerados ótimos. Já com relação aos pontos fracos pode-se destacar o abertura para mudanças, conhecimento na área de recursos humanos e do comportamento do consumidor. Tendo em vista este ponto fraco, foi possível observar uma oportunidade de melhoria, que seria algum curso referente à esta área. Conforme já explicitado anteriormente, o agronegócio não consta da matriz curricular da ESPM, o que é um aspecto orgânico da atividade desenvolvida pelo aluno e, sabe-se do enorme potencial do Brasil nesta área. Desta forma, sugere-se a inclusão de alguma disciplina relacionada à este assunto. Recomenda-se que se institua um relatório menos redundante, onde não se tenha que - por reiteradas vezes - discorrer sobre exatamente o mesmo ponto a fim de se cumpra com o exigido. Assim, devemos destacar que o relatório foi de extrema valia, já que ele abrange um vasto conteúdo referente às atividades da empresa e às atividades realizadas pelo estagiário, o que tornou possível fazer uma analise de todos os aspectos inerentes ao estágio.
  50. 50. 44 REFERÊNCIAS AMATUCCI, Marcos. Perfil do administrador brasileiro para século XXI: um enfoque metodológico. São Paulo: FEA/USP, 2000. BIANCHI, Anna C. de Moraes; ALVARENGA, Marina; BIANCHI, Roberto. Manual de orientação: estágio supervisionado. São Paulo: Pioneira, 1998, 101p. CARVALHO, Maria Cecília M. de (Org.) Construindo o saber: técnicas de metodologia científica. Campinas/SP: Papirus, 1988, 180p. DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1990. 118 p. EMBRAPA. EMBRAPA Pecuária Sudeste. Produção Animal – Gado de Corte. Disponível em : <https://www.cppse.embrapa.br/080servicos/070publicacaogratuita/documentos/Docum entos81.pdf/view> . Acesso em 3 de novembro de 2009. IBGE. IBGE Cidades. Disponível em : <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/xtras/perfil.php?codmun=354970&r=2> . Acesso em 3 de novembro de 2009. FNQ - FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE. Instruções para candidatura 2009. São Paulo: FNQ, 2009. 35 p.
  51. 51. 45 FNQ - FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE. Critérios de excelência 2008. Disponível em: < http://www.fnq.org.br/site/402/default.aspx >. Acesso em: 20 jan. 2008. LIMA, Manolita Correia. A engenharia da produção acadêmica. São Paulo: Unidas, 1997, 162 p. MARTINS, Gilberto. Manual para elaboração de monografias. São Paulo: Atlas, 1990. 90 p. ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio do curso de administração: guia para pesquisas, projetos, estágios e trabalhos de conclusão de curso. São Paulo: Atlas, 1996. 189 p. SALOMON, Décio Vieira. Como fazer um relatório de pesquisa. 2 ed. rev. e atual. São Paulo: Livraria Martins Fontes. 1991. 294 p. SALOMON, Décio Vieira. Como fazer uma monografia. 4 ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1996. 290 p. SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 19 ed. Campinas - SP: Cortez. 250p.
  52. 52. 46 APÊNDICE APÊNDICE A – F2 - Mapeamento dos Itens dos Critérios de Excelência da FNQ – 2009 APÊNDICE B – Carta de Início e Finalização do Estudo da Organização APÊNDICE C – F3 – Mapeamento das Atividades de Estágio APÊNDICE D – Declaração da Empresa APÊNDICE E – DECA – Declaração Cadastral APÊNDICE F – Contrato de Arrendamento APÊNDICE G - F4 - Relatório de Avaliação do Estagiário
  53. 53. 47 ANEXOS ANEXO I - F1A - CADASTRO DA EMPRESA (Setores conforme Revista Exame) ANEXO II - F2a - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO – Liderança ANEXO III - F2b - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO - Estratégias e Planos ANEXO IV - F2c - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO – Clientes ANEXO V - F2d - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO – Sociedade ANEXO VI - F2e - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO - Informações e Conhecimento ANEXO VII - F2f - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO – Pessoas ANEXO VIII - F2g - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO – Processos ANEXO IX - F2h - QUESTÕES DOS CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO – Resultados ANEXO X - F3a - MAPEAMENTO DAS CAPACIDADES, ATITUDES E CONHECIMENTOS ANEXO XI - F3b - DESCRIÇÃO DAS CAPACIDADES
  54. 54. 48 ANEXO XII - F3c - DESCRIÇÃO DAS ATITUDES ANEXO XIII - F3d - DESCRIÇÃO DOS CONHECIMENTOS
  55. 55. ESTÁGIO SUPERVISIONADO SIM NÃO X X X No. % 3 60% 1 20% 1 20% 0 0% 5 100% Razão Social: JOÃO BATISTA MONTERO E OUTROS CNPJ: 08.802.090/0001-46 Endereço: Faz. SANTA MARINA, Estrada Fazenda dos Muladeiros. Zona Rural CEP: 13720-000 Cidade: São José do Rio Pardo FICHA CADASTRAL DA EMPRESA 1. ORGANIZAÇÃO: E-mail: diegobaldassin@msn.com UF: SP Data da Constituição/Criação da Organização: 07/05/2007 Departamento: Financeiro Nome: Diego Pizani Baldassin Cargo: Sócio-Diretor Telefone: (19) 9196-4093 2. NOME DO SUPERVISOR DO ESTAGIÁRIO : (a pessoa que o estagiário está subordinada) (a) A Organização possui fins lucrativos? 3. CARACTERÍSTICAS: 4. PORTE DA ORGANIZAÇÃO. (Quantidade de:) Funcionários Terceiros Autônomos Estagiários Total da Força de Trabalho Estagiário: Cauê Braga Chianca RA: 10510609 Orientador: Cláudio Saito Dia da semana (Orientação): Terça-Feira Curso: Administração Ênfase: Marketing (b) A Organização tem 50%, ou mais, de sua receita global proveniente de atuação no mercado competitivo? (c) A Organização utiliza os Critérios de Excelência da FNQ para auto-avaliação do Sistema de Gestão ou já participou de algum processo de premiação que os utiliza como referencial para avaliação? 5 100% Qual o porte da Organização? (Marque com um X) X Médio Total da Força de Trabalho Descrição Criação de Bovinos para Corte e para Leite. 6. SETOR DE ATIVIDADE CONFORME REVISTA EXAME: (veja formulário F1A) Organização de Direito Privado sem fins lucrativos Organização que possuam 50 ou menos pessoas na força de trabalho e receita operacional bruta anual inferior a R$ 10 milhões. Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário Outros Grande Órgão da Administração Pública Pequeno / Micro Setor 5. QUANTIDADE DE INSTALAÇÕES: Organização que possuam mais de 500 pessoas na força de trabalho ou receita operacional bruta anual superior a R$ 50 milhões. Organização que possuam entre 51 a 500 pessoas na força de trabalho e receita operacional bruta anual inferior a R$ 50 milhões.
  56. 56. ESTÁGIO SUPERVISIONADO Setores conforme Revista Exame FICHA CADASTRAL DA EMPRESA Ênfase: Marketing Estagiário: Cauê Braga Chianca RA: 10510609 Orientador: Cláudio Saito Dia da semana (Orientação): Terça-Feira Curso: Administração Setores Descrição Alimentos Fabricantes de produtos alimentícios, frigoríficos, laticínios etc. Automotivo Montadoras de automóveis e caminhões, fabricantes de tratores e máquinas agrícolas, fabricantes de carrocerias, fornecedores de autopeças e componentes etc. Atacado e Comércio Exterior Trading companies, atacadistas, distribuidoras de combustíveis, cooperativas de produtores etc. Bebidas Cervejarias, fabricantes de refrigerantes. Comércio Varejista Supermercados, redes de lojas de eletrodomésticos, vestuário e calçados, distribuidores de GLP, revendedores de veículos etc. Confecções e Têxteis Fabricantes de tecidos, de peças de vestuário, de calçado, de lingerie, de fios têxteis etc. Construção Empreiteiras de construção pesada, construção civil, empresas de montagem industrial, de projetos de engenharia etc. Eletroeletrônico Fabricantes de aparelhos eletroeletrônicos (televisores, videocassetes, rádios, etc), fabricantes da linha branca (geladeiras, máquinas de lavar etc), fabricantes de equipamentos de telefonia, fabricantes de cabos etc. Farmacêutico Laboratórios farmacêuticos. Higiene, Limpeza e Cosmésticos Fabricantes de produtos de higiene pessoal (sabonetes, dentifrícios etc), de perfumes e produtos de beleza, de material de limpeza etc. Material de Construção Fabricantes de cimento, de vidro, de tubos e conexões, de cerâmicas, de revestimentos e forros etc. Mecânica Fabricantes de bens de capital seriados e não seriados (motores, turbinas, tubos, máquinas operatrizes, elevadores, pontes rolantes etc) Mineração Empresas mineradoras. Papel e Celulose Fabricantes de papel e celulose. Plásticos e Borrachas Fabricantes de pneus e artefatos de borracha, embalagens e utensílios de plásticos etc. Química e Petroquímica Companhias petrolíferas, refinarias, centrais de matérias-primas petroquímicas, fabricantes de fertilizantes etc. Serviços Hospitais, empresas de assistência médica, administradores de cartões de crédito, hotéis, administradoras de vale-refeição, empresa de refeições industriais etc. Serviços Públicos Correios, concessionárias de energia elétrica, de abastecimento de água e gás, de administração portuária, de rodovias e pontes, dos serviços de tráfego aéreo etc. Serviços de Transporte Companhias de transportes aéreas, empresas de transporte rodoviário de passageiros e de carga, companhia de cabotagem e navegação marítima, serviços de courier, transporte de valores, transporte ferroviário de passageiros e cargas, de logística, locadoras de veículos etc. Setores Descrição Alimentos Fabricantes de produtos alimentícios, frigoríficos, laticínios etc. Automotivo Montadoras de automóveis e caminhões, fabricantes de tratores e máquinas agrícolas, fabricantes de carrocerias, fornecedores de autopeças e componentes etc. Atacado e Comércio Exterior Trading companies, atacadistas, distribuidoras de combustíveis, cooperativas de produtores etc. Bebidas Cervejarias, fabricantes de refrigerantes. Comércio Varejista Supermercados, redes de lojas de eletrodomésticos, vestuário e calçados, distribuidores de GLP, revendedores de veículos etc. Confecções e Têxteis Fabricantes de tecidos, de peças de vestuário, de calçado, de lingerie, de fios têxteis etc. Construção Empreiteiras de construção pesada, construção civil, empresas de montagem industrial, de projetos de engenharia etc. Eletroeletrônico Fabricantes de aparelhos eletroeletrônicos (televisores, videocassetes, rádios, etc), fabricantes da linha branca (geladeiras, máquinas de lavar etc), fabricantes de equipamentos de telefonia, fabricantes de cabos etc. Farmacêutico Laboratórios farmacêuticos. Higiene, Limpeza e Cosmésticos Fabricantes de produtos de higiene pessoal (sabonetes, dentifrícios etc), de perfumes e produtos de beleza, de material de limpeza etc. Material de Construção Fabricantes de cimento, de vidro, de tubos e conexões, de cerâmicas, de revestimentos e forros etc. Mecânica Fabricantes de bens de capital seriados e não seriados (motores, turbinas, tubos, máquinas operatrizes, elevadores, pontes rolantes etc) Mineração Empresas mineradoras. Papel e Celulose Fabricantes de papel e celulose. Plásticos e Borrachas Fabricantes de pneus e artefatos de borracha, embalagens e utensílios de plásticos etc. Química e Petroquímica Companhias petrolíferas, refinarias, centrais de matérias-primas petroquímicas, fabricantes de fertilizantes etc. Serviços Hospitais, empresas de assistência médica, administradores de cartões de crédito, hotéis, administradoras de vale-refeição, empresa de refeições industriais etc. Serviços Públicos Correios, concessionárias de energia elétrica, de abastecimento de água e gás, de administração portuária, de rodovias e pontes, dos serviços de tráfego aéreo etc. Serviços de Transporte Companhias de transportes aéreas, empresas de transporte rodoviário de passageiros e de carga, companhia de cabotagem e navegação marítima, serviços de courier, transporte de valores, transporte ferroviário de passageiros e cargas, de logística, locadoras de veículos etc. Siderurgia e Metalurgia Siderúrgicas, metalúrgicas, fabricantes de tubos, produtoras de alumínio etc. Tecnologia e Computação Fabricantes de computadores e periféricos, de sistemas de automação bancárias, produtores de software etc. Telecomunicações Operadoras de telefonia fixa e móvel. Outros Fonte: Revista Exame (2005)
  57. 57. ESTÁGIO SUPERVISIONADO Mapeamento dos Itens dos critérios de excelência da FNQ 2009 (O estudante escolherá 7 questões + uma do Critério 8) 1.1.1 1.1.2 1.1.3 1.1.4 1.1.5 1.1.6 1.1.7 1.2.1 1.2.2. 1.2.3 1.2.4 1.2.5 1.2.6 1.2.7 1.2.8 1.3.1 1.3.2 1.3.3 1.3.4 1.3.5 1.3.6 21 2.1.1 2.1.2 2.1.3 2.1.4 2.1.5 2.1.6 2.2.1 2.2.2. 2.2.3 2.2.4 2.2.5 2.2.6 2.2.7 13 3.1.1 3.1.2 3.1.3 3.1.4 3.1.5 3.1.6 3.2.1 3.2.2. 3.2.3 3.2.4 3.2.5 3.2.6 12 4.1.1 4.1.2 4.1.3 4.1.4 4.1.5 4.1.6 4.1.7 4.2.1 4.2.2. 4.2.3 4.2.4 4.2.5 12 5.1.1 5.1.2 5.1.3 5.1.4 5.1.5 5.1.6 5.2.1 5.2.2. 5.2.3 5.2.4 5.3.1 5.3.2 5.3.3 5.3.4 14 6.1.1 6.1.2 6.1.3 6.1.4 6.1.5 6.2.1 6.2.2. 6.2.3 6.2.4 6.2.5 6.2.6 6.3.1 6.3.2 6.3.3 6.3.4 6.3.5 16 7.1.1 7.1.2 7.1.3 7.1.4 7.1.5 7.2.1 7.2.2. 7.2.3 7.2.4 7.2.5 7.2.6 7.2.7 7.3.1 7.3.2 7.3.3 7.3.4 7.3.5 17 8.1.1 8.2.1 8.3.1 8.4.1 8.5.1 8.6.1 111 Estagiário: Cauê Braga Chianca RA: 10510609 Orientador: Cláudio Saito Dia da semana (Orientação): Terça-Feira Curso: Administração Ênfase: Marketing DISCIPLINAS DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO QUE SUBSIDIAM A ANÁLISE CRITÉRIO 1 Liderança (F3a) Pessoas (F3f) Modelagem Quantitativa para Negócios, Controladoria e Análise de Projetos e finanças de Mercado. SELECIONAR 15 QUESTÕES QUE EFETIVAMENTE SERÃO OBJETOS DE INVESTIGAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO DO CAPÍTULO 4 Marketing III e Marketing IV Processos (F3g) Resultados (F3h) 5 Informação e Conhecimento (F3e) 6 Clientes (F3c) Controladoria e Análise de Projetos8 Teoria das Organizações, Administração de Recursos Humanos e Estratégia empreserial 7 2 Estratégias e Planos (F3b) Consumer Relationship Management Gestão de Stakeholders;4 Sociedade (F3d) 3
  58. 58. ESTÁGIO SUPERVISINADO Liderança CRITÉRIO ITEM 1.1.5 - Como as principais decisões são tomadas, comunicadas e implementadas, assegurando a transparên considerando o envolvimento de todos os interessados nos temas tratados? • Destacar o papel dos integrantes da Administração inclusive no que se refere à aprovação das estratégias orgranização e do seu modelo de negócio. 1.2.4 - Como os valores e os princípios organizacionais são comunicados à força de trabalho e, quando pert demais partes interessadas? • Destacar de que forma é assegurado o entendimento dos Valores e dos Princípios organizacionais. DESCRIÇÃO DA QUESTÃO 1.1.6 - Como os fatos relevantes são prontamente comunicados à sociedade e às demais partes interessada 1.1.3 - Como a organização estabelece regras de conduta para os integrantes da sua Administração e para a trabalho e trata as questões éticas buscando assegurar um relacionamento ético com concorrentes e com a interessadas? • Citar os códigos de conduta emitidos. • Apresentar os canais de comunicação colocados à disposição da força de trabalho, da sociedade e demais interessadas para receber reclamações, denúncias e sugestões; e • Destacar o tratamento dado para estas manifestações. 1.1.1 - Como a organização assegura a eqüidade entre sócios, mantenedores ou instituidores e prote das partes interessadas? • Citar os métodos utilizados para controlar os atos da Direção. 1.3.4 - Como é avaliado o êxito das estratégias e o alcance dos respectivos objetivos da organização a part conclusões da análise do seu desempenho? 1.1.4 - Como são identificados, classificados, analisados e tratados os riscos empresariais mais significativo afetar a imagem e a capacidade da organização de alcançar os objetivos estratégicos e do negócio? • Apresentar os principais riscos empresariais assumidos pela organização diante das incertezas inerentes a estratégias. 1.2.5 - Como as pessoas com potencial de liderança são identificadas, desenvolvidas e preparadas para o e liderança? 1.2.6 - Como os líderes atuais são avaliados e desenvolvidos em relação às competências desejadas pela or • Apresentar as competências desejadas para os líderes da organização . 1.2.8 - Como é implementado o aprendizado e desenvolvida a inovação na organização? • Destacar as formas utilizadas para estimular o aprendizado, a inovação e a incorporação de melhores prát organizações. • Apresentar as principais melhorias e inovações implementadas nos processos gerenciais no últimos três an 1.2.7 - Como são desenvolvidos os principais padrões de trabalho, verificado o seu cumprimento e tomadas corretivas quando necessário? 1.1 Governança Corporativa 1.2.1 - Como a Direção e em particular o principal executivo, exerce a liderança e interage com as partes i identificando expectativas, buscando o alinhamento e a mobilização da força de trabalho, o apoio das dem interessadas para o êxito das estratégias, a construção de parcerias e o alcance sustentado dos objetivos d 1.2.2 - Como são analisadas, planejadas e estimuladas as mudanças culturais na organização necessárias pa internalização dos Valores e Princípios organizacionais e para consecução das estratégias? 1.2.3 - Como a organização estimula a diversidade de idéias, de culturas e de pensamento junto a força de 1.3.5 - Como as decisões decorrentes da análise do desempenho da organização são comunicadas à força d todos os níveis da organização, e a outras partes interessadas, quando pertinente? 1.3.6 - Como é acompanhada a implementação das decisões decorrentes da análise do desempenho da orga 1.3.1 - Como são identificadas as necessidades de informações comparativas para analisar o desempenho o estratégico da organização? • Apresentar os critérios utilizados para determinar quais são os resultados mais importantes a serem comp • Apresentar os critérios utilizados para identificar as organizações consideradas como referenciais compar pertinentes. 1.3.2 - Como são consideradas na análise do desempenho da organização as informações e variáveis dos am interno e externo, incluindo informações comparativas pertinentes? * Citar os tipos dos resultados analisado demonstrar a sua abrangência. 1.3.3 - Como são consideradas na análise do desempenho da organização as variáveis dos ambientes interno relevantes para o êxito das estratégias. 1.1.7 - Como a Direção presta conta das suas ações e resultados alcançados a quem a quem a elegeu, nome designou? Estagiário: Cauê Braga Chianca Curso: Administração Ênfase: RA: 10510609 1- Liderança 1.2 Exercício da Liderança Orientador: Cláudio Saito Dia da semana (Orientação): Terça-Feira 1.1.2 - Como são estabelecidos e atualizados os Valores e os Princípios organizacionais necessários à excelência, à criação de valor para todas as partes interessadas e ao desenvolvimento sustentável? • Apresentar os Valores e os Princípios organizacionais. 1.3 Análise do Desempenho da Organização
  59. 59. ESTÁGIO SUPERVISIONADO Estratégias e Planos CRITÉRIO ITEM 2.2.3 - Como os planos de ação são desdobrados para as diversas áreas da organização, assegurando a coerência com as estratégias definidas e a consistência entre os respectivos planos? • Apresentar os principais planos de ação. 2.2.4 - Como os recursos são alocados para assegurar a implementação dos planos de ação? • Apresentar os principais recursos alocados. 2.2.5 - Como são comunicadas as estratégias, as metas e os planos de ação para as pessoas da força de trabalho e para as demais partes interessadas, quando pertinente? 2.2 Implementação das Estratégias 2.1 Formulação das Estratégias 2.1.1 - Como são identificadas e analisadas as características estruturais do setor de atuação da organização e suas tendências? 2.1.2 - Como são analisados o macroambiente e o mercado de atuação da organização e suas tendências? 2.1.3 - Como é realizada a análise do ambiente interno da organização? • Destacar de que forma as competências essenciais e os ativos intangíveis da organização são consideradas nessa análise. 2.1.4 - Como são avaliadas e definidas as estratégias da organização? • Destacar de que forma a organização considera os riscos empresariais nesse processo e insere o desenvolvimento sustentável na sua estratégia. • Apresentar as principais estratégias e objetivos da organização. 2.2.1 - Como são definidos os indicadores para a avaliação da implementação das estratégias, estabelecidas as metas de curto e longo prazos e definidos os respectivos planos de ação? • Destacar de que forma as informações comparativas e os requisitos de partes interessadas são utilizados para definição de metas; • Apresentar os principais indicadores, suas metas e respectivos planos de ação. 2.2.6 - Como é realizado o monitoramento da implementação dos planos de ação? 2.2.7 - Como a organização acompanha os ambientes interno e externo, incluindo a concorrência, e revisa as estratégias, as metas e os planos de ação à luz das mudanças percebidas? 2.2.2 - Como as metas estabelecidas são desdobradas para as diversas áreas da organização, assegurando a coerência entre os indicadores utilizados na avaliação da implementação das estratégias e aqueles utilizados na avaliação do desempenho dos processos? Estagiário: Cauê Braga Chianca Curso: Administração Ênfase: RA: 10510609 2.1.5 - Como é avaliado e definido o modelo de negócio competitivo em relação às estratégias determinadas e às perspectivas dos mercados e do setor de atuação da organização? • Destacar de que forma são identificadas as oportunidades e decidida a entrada e saída em negócios e mercados, o desenvolvimento ou retirada do mercado de produtos, e o desenvolvimento de parcerias. 2.1.6 - Como as diversas áreas da organização e as partes interessadas, quando pertinente, são envolvidas nos processos de formulação de estratégias? Orientador: Cláudio Saito Dia da semana (Orientação): Terça-Feira 2- Estratégias e Planos DESCRIÇÃO DA QUESTÃO
  60. 60. ESTÁGIO SUPERVISIONADO Clientes CRITÉRIO ITEM Orientador: Cláudio Saito Dia da semana (Orientação): Terça-Feira Estagiário: Cauê Braga Chianca Curso: Administração Ênfase: RA: 10510609 3.2.6- Como as informações obtidas dos clientes são utilizadas para intensificar a satisfação, torná-los fiéis e aumentar a probabilidade de que recomendem a organização e seus produtos? 3.2 Relacionamento com Clientes 3.2.1 - Como são definidos e divulgados os canais de relacionamento para os clientes, considerando a segmentação do mercado e o agrupamento de clientes utilizado? • Apresentar os canais de relacionamento utilizados. 3.2.2 - Como são tratadas as solicitações, reclamações ou sugestões, formais ou informais, dos clientes visando assegurar que sejam pronta e eficazmente atendidas ou solucionadas ? 3.2.3 -Como os resultados da anáise das solicitações, reclamações ou sugestões dos clientes e as ações implementadas são informados aos clientes e repassados às outras áreas da organização ? 3.2.4 - Como as transações com os clientes são acompanhadas de forma a permitir à organização gerar soluções rápidas e eficazes, evitar problemas de relacionamento e atender as expectativas dos clientes? • Destacar de que forma é realizado o acompanhamento das transações recentes com novos clientes e novos produtos entregues. DESCRIÇÃO DA QUESTÃO 3.1.1 - Como o mercado é analisado e segmentado ? • Apresentar os critérios adotados para segmentação e definição de clientes-alvo. 3.1.2 - Como são definidos os clientes-alvo nesses segmentos, considerando, inclusive, os clientes da concorrência e os clientes e mercados potenciais? 3- Clientes 3.1 Imagem e Conhecimento de Mercado 3.1.3 - Como as necessidades e expectativas dos clientes, atuais e potenciais, e de ex-clientes e de usuários são identificadas, analisadas, compreendidas e utilizadas para definição e melhoria dos produtos e processos da organização? • Citar os métodos utilizados para determinar a importância relativa das necessidades e expectativas identificadas. 3.1.4 - Como as marcas, os produtos, incluindo os cuidados necessários ao seu uso e os riscos envolvidos, e também as aÀ

×