O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Noções de Arquivologia

7.943 visualizações

Publicada em

apresentação com os princípios arquivísticos

Publicada em: Educação
  • DOWNLOAD THIS BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT (2019 Update) ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download Full doc Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download PDF EBOOK here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download EPUB Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... Download doc Ebook here { https://soo.gd/irt2 } ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... ................................................................................................................................... eBook is an electronic version of a traditional print book THIS can be read by using a personal computer or by using an eBook reader. (An eBook reader can be a software application for use on a computer such as Microsoft's free Reader application, or a book-sized computer THIS is used solely as a reading device such as Nuvomedia's Rocket eBook.) Users can purchase an eBook on diskette or CD, but the most popular method of getting an eBook is to purchase a downloadable file of the eBook (or other reading material) from a Web site (such as Barnes and Noble) to be read from the user's computer or reading device. Generally, an eBook can be downloaded in five minutes or less ......................................................................................................................... .............. Browse by Genre Available eBooks .............................................................................................................................. Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy, ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... .....BEST SELLER FOR EBOOK RECOMMEND............................................................. ......................................................................................................................... Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth,-- The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company,-- Call Sign Chaos: Learning to Lead,-- StrengthsFinder 2.0,-- Stillness Is the Key,-- She Said: Breaking the Sexual Harassment Story THIS Helped Ignite a Movement,-- Atomic Habits: An Easy & Proven Way to Build Good Habits & Break Bad Ones,-- Everything Is Figureoutable,-- What It Takes: Lessons in the Pursuit of Excellence,-- Rich Dad Poor Dad: What the Rich Teach Their Kids About Money THIS the Poor and Middle Class Do Not!,-- The Total Money Makeover: Classic Edition: A Proven Plan for Financial Fitness,-- Shut Up and Listen!: Hard Business Truths THIS Will Help You Succeed, ......................................................................................................................... .........................................................................................................................
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • parabens pela slide
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

Noções de Arquivologia

  1. 1. Noções  de  Arquivologia   Prof.:  Charlley  Luz   Aula  especial  para  as  turmas  de   Biblioteconomia  da  FESPSP  em   alusão  ao  dia  do  bibliotecário   12/03/13  
  2. 2. A  escrita  é  filha  da  Arquivologia,  assim  como  a  Arquivologia  é  filha  da  escrita.    O  desenvolvimento  da  escrita  surge  da  necessidade  de  registro  de  a9vidades  administra9vas.    
  3. 3. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     Arquivologia  =  Arquivís9ca     Ciência  /  Disciplina  /  Técnica       Tem  por  objePvo  o     conhecimento  dos  arquivos   e  das  teorias,  métodos  e   técnicas  a  serem  observados   na  sua  consPtuição,   organização,   desenvolvimento  e   uPlização.    
  4. 4. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     Arquivo       “conjunto  de  documentos  que,  independente  da  natureza  ou   do  suporte,  são  reunidos  por  acumulação  ao  longo  das   aPvidades  de  pessoas  Ssicas  ou  jurídicas,  públicas  ou   privadas”                        DTA  06  
  5. 5. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     “Arquivo  são  os  conjuntos  de  documentos   PRODUZIDOS  e  RECEBIDOS  por  órgãos   públicos,  ins9tuições  de  caráter  público  e   en9dades  privadas,  em  decorrência  do   exercício  de  a9vidades  específicas,  bem  como   por  pessoa  Ssica,  qualquer  que  seja  o  suporte   da  informação  ou  a  natureza  dos  documentos”       (Lei  no  8.159,  de  08-­‐01-­‐1991.  Art.  2o)      
  6. 6. Arquivo   Cuidado:  É  um  termo   polissêmico  arquivo  1  Conjunto  de  documentos  produzidos  e  acumulados  por  uma  enPdade  colePva,  pública  ou  privada,  pessoa  ou  família,  no  desempenho  de  suas  aPvidades,  independentemente  da  natureza  do  suporte.  Ver  também  fundo.    2  InsPtuição  ou  serviço  que  tem  por  finalidade  a  custódia,  o  processamento  técnico,  a  conservação  e  o  acesso(1)  a  documentos.    3  Instalações  onde  funcionam  arquivos(2).    4  Móvel  desPnado  à  guarda  de  documentos.   Fonte:  DICIONÁRIO  BRASILEIRO  DE  TERMINOLOGIA  ARQUIVÍSTICA  
  7. 7. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     A  natureza  dos  arquivos  é   administra9va,  é  jurídica,  é   informacional,  é  probatória,   é  orgânica,  é  serial,  é   concnua,  é  cumula9va.     A  soma  de  todas  estas   caracterísPcas  faz  do  arquivo   uma  insPtuição  única  e   inconfundível”     (BELLOTTO,  2005)      
  8. 8. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     A  principal  finalidade  do   arquivo  é  servir  à   ADMINISTRAÇÃO,   consPtuindo-­‐se,  com  o   decorrer  do  tempo,  em   base  do  conhecimento  da   HISTÓRIA.      
  9. 9. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     DOCUMENTO  =  SUPORTE  +  INFORMAÇÃO       DOCUMENTO     Unidade  de  registro  de  informações,  em  qualquer  suporte  ou   formato  -­‐  suscenvel  de  consulta,  estudo,  prova  e  pesquisa.       INFORMAÇÃO     Elemento  referencial,  noção,  idéia  ou  mensagem  conPdos  em   um  documento.       SUPORTE     Material  no  qual  são  registradas  as  informações.      
  10. 10. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     SUPORTE       •  Material  sobre  o  qual  as  informações  são   registradas     •  Ex:  Fita  magnéPca,  película  filmográfica,   papel,  pergaminho,  papiro  etc    
  11. 11. Conceitos  Fundamentais  de  Arquivologia     DOCUMENTO  de  ARQUIVO     Informação  registrada  produzida  e  manPda  por  uma   insPtuição  ou  pessoa  ao  longo  de  suas  aPvidades   administraPvas,  com  valor  de  prova.   São  fortemente   ancorados  nos  princípios   da  proveniência,  da   organicidade,  unicidade  e   da  indivisibilidade.  
  12. 12. O  caráter  orgânico  do  Arquivo   Processos Entrada: materiais, Saída: materiais, serviços e Agregação de valor serviços e informações informações Atividade Atividade fim meio
  13. 13. Biblioteca  e  arquivo  
  14. 14. Semelhanças  controle  bibliográfico  e   arquivísPco              Por  conta  da  proximidade  das  áreas,  o  controle  bibliográfico  e   arquivísPco  guardam  semelhanças  e  diferenças,  as  quais  HAGEN   (1998)  apresentou.                As  semelhanças  seriam:    •  a)  a  permissão  da  exploração  da  documentação  por  parte  tanto  de   catálogos  bibliográficos  quanto  de  instrumentos  arquivísPcos  de   referência;    •  b)  a  consciência  da  necessidade  de  descrever  tanto  os  elementos   Ssicos  quanto  os  intelectuais;    •  c)  o  “dilema  comum  da  busca  de  informação”,  onde  quem  faz  o   instrumento  está  em  vantagem  em  relação  ao  pesquisador  quanto  à   disponibilidade  dos  dados  acerca  do  material  descrito.  
  15. 15. Diferenças  controle  bibliográfico  e   arquivísPco    •  a)  as  caracterís9cas  Ssicas  e  intelectuais  entre  livros  e   documentos  de  arquivo,  pois  livros  são  preparados  para   serem  descritos  e  divulgados,  sendo  unidades  com  ctulo,   autor  e  assunto  definidos,  enquanto  os  arquivos  são  o   resultado  de  uma  a9vidade,  sendo  conjuntos  de   documentos  que  não  podem  ser  definidos  por  um  assunto   ou  autor;    •  b)  os  pesquisadores  desses  acervos  apresentam   necessidades  informacionais  disPntas.  A  busca  de   informação  bibliográfica  é  em  geral  mais  específica  do  que   a  arquivísPca,  baseada  principalmente  em  informações   contextuais.  
  16. 16. Documentos Não  ArquivísPcos:   Informação  não  orgânica  •  Documentação  promocional  não  solicitada  e  sem   interesse  para  o  desPnatário;  •  Legislação  de  interesse  geral;  •  Manuais  de  procedimentos  para  o  cumprimento  de   preceitos  legais;  •  Normas  de  redação;  •  Recortes  de  periódicos  sobre  assuntos  de  interesses   diversos;  •  Modelos  de  preenchimento  de  formulários;  •  Textos  usados.  
  17. 17. CaracterísPcas  dos  Arquivos  Os  documentos  NÃO  são  objeto  de  COLEÇÃO  (escolha  ar9ficial)  e  sim  da  acumulação  natural,  no  decurso  de  a9vidades  administra9vas.    
  18. 18. CaracterísPcas  dos  Arquivos  A  classificação  aplicada  a  cada  arquivo  respeitará  as  par9cularidades  da  insPtuição  produtora.  Não  há  um  arranjo  pré-­‐  estabelecido.      
  19. 19. Princípios  ArquivísPcos  •    Os   princípios   arquivísPcos   consPtuem   o   marco   principal   da   diferença   entre  a  arquivísPca  e  as  outras  ciências  documentárias.  São  eles:   –  Princípio  da  Proveniência   –  Princípio  da  Organicidade   –  Princípio  da  Unicidade   –  Princípio  da  Indivisibilidade  ou  integridade   –  Princípio  da  CumulaPvidade   29  
  20. 20. Princípio  da  Proveniência:    Arquivos  originários  de  uma  ins9tuição  ou  de  uma   pessoa   devem   manter   a   respecPva  individualidade,   dentro   de   seu   contexto  orgânico   de   produção,   não   devendo   ser  mesclados  a  outros  de  origem  disPnta.   Aplicação:  AutenPcidade  é  a  manutenção  da  integridade  do  fundo  de  arquivo.  Desde  que  se  entenda  que  a   Imparcialidade  diz  respeito  à  verdade  administra:va  dos  documentos,  ou  seja,  ao  fato  de  os   documentos  consPtuírem-­‐se  num  reflexo  fiel  das  a9vidades  desenvolvidas,  vê-­‐se  que  a   AutenPcidade  depende  da  manutenção  dessa  Imparcialidade.   30  
  21. 21. Princípio  da  Organicidade:              As  relações  administra9vas  orgânicas  se   refletem  nos  conjuntos  documentais.  A   organicidade  é  a  qualidade  segundo  a  qual  os   arquivos  espelham  a  estrutura,  funções  e  a9vidades  da  enPdade  produtora  /  acumuladora   em  suas  relações  internas    e  externas.   Aplicação:   A  Organicidade  do  arquivo  realiza-­‐se  através  da  acumulação  dos  documentos.  A   acumulação,  com  base  em  um  Plano  de  Classificação,  de  modo  correspondente  ao   fluxo  do  desenvolvimento  das  ações,  apresenta  as  relações  existentes  entre  as   funções/a9vidades  /tarefas.    Essa  acumulação  faz  com  que  o  arquivo  reflita,  no   seu  todo,  a  missão  realizada.   31  
  22. 22. Princípio  da  Unicidade:    Unicidade  -­‐  “não  obstante  forma,  gênero,  Ppo  ou  suporte,  os  documentos  de  arquivo  conservam  seu  caráter  único,  em  função  do  contexto  em  que  foram  produzidos”.  (BELLOTTO,  2002,  p.  21).  Ou  seja,  documentos  duplicados  não  são  necessariamente  o  mesmo.   Aplicação:     UNICIDADE  DO  DOCUMENTO     ·∙  o  documento  produzido  em  mais  de  uma  via  ou  cópia  terá  apenas  uma  delas  preservadas.       UNICIDADE  DA  INFORMAÇÃO     ·∙  a  mesma  informação  conPda  em  mais  de  uma  espécie  documental  determina  a  preservação  de  um  único   exemplar,  observada  a  integralidade  da  informação  e  do  suporte.     32  
  23. 23. Princípio  da  Indivisibilidade  ou  integridade:        Os  fundos  de  arquivo  devem  ser   preservados  sem  dispersão,  muPlação,   alienação,  destruição  não  autorizada  ou   adição  indevida.       Aplicação:   A  imparcialidade  dos  documentos  refere-­‐se  à  capacidade  dos  documentos  de  refle9rem   fielmente  as  ações  do  seu  produtor.  Destaca-­‐se  a  verdade  administraPva  do  documento  e   não  a  verdade  do  seu  conteúdo.  O  moPvo  da  criação  de  um  documento,   independentemente  do  seu  conteúdo  ser  ou  não,  suponhamos,  uma  fraude,  seria  legí9mo   no  que  se  refere  à  sua  relação  com  as  a9vidades  da  en9dade  que  o  criou.     33  
  24. 24. Princípio  da  cumulaPvidade:      O  arquivo  é  uma  formação  progressiva,   natural  e  orgânica   Os  itens  documentais  de  um  arquivo  não  são  escolhidos   previamente  para  serem  acumulados,  eles  se  acumulam  à  medida   que  são  produzidos.  Mas  uma  boa  CumulaPvidade  se  realiza   quando  os  documentos  são  organizados  de  acordo  com  o   desenvolvimento  das  ações;   34  
  25. 25. Cada  arquivo  é  único  O  Conselho  Internacional  de  Arquivos,  ao  editar  a  norma  para  descrição  de  arquivos  -­‐  ISAD(G),  indica  procedimentos  baseados  nos  princípios  arquivís:cos  sem  determinar  uma  estrutura  fixa  de  organização  ou  estabelecer  códigos  e  Mtulos.  Cada  arquivo  merecerá  sempre  uma  análise,  planejamento  e  tratamento  próprios  à  sua  conformação.  
  26. 26. CaracterísPcas  próprias  dos  arquivos   Os  princípios  arquivísPcos  estabelecem  três   caracterís9cas  intrínsecas  ao  arquivo  que   podem  ser  assim  designadas:       •   a  singularidade  do  produtor  do  arquivo,     •   a  filiação  dos  documentos  às  ações  que   promovem  a  missão  definida  e   •   a  dependência  dos  documentos  dos   seus  pares.  
  27. 27. Teoria  das  Três  Idades              A  teoria  das  três  idades  corresponde  à   sistemaPzação  do  ciclo  vital  dos   documentos  de  arquivo.  É  uma   denominação  que  corresponde  ao  uso   dos  documentos.     Giorgione  (  Itália,  1477-­‐1510)   óleo  sobre  tela   Palazzo  PiP,  Galleria  PalaPna,    Florença.   37  
  28. 28. Ciclo  de  Vida  das  Informações  Arquivís9cas   1ª Idade 2ª Idade 3ª Idade Arquivos Arquivos Arquivos correntes intermediários permanentes Arquivos de Arquivos semi-ativos Arquivos inativos gestão Pré-arquivo Arquivos definitivosArquivos vivos Arquivos históricosArquivos ativos
  29. 29. Arquivo Corrente Arquivo Arquivo Permanente IntermediárioValor Primário Primário SecundárioAcesso Restrito aos Restrito aos Aberto acumuladores acumuladores ou com autorizaçãoConservação Física Centralizada ou Centralizada Centralizada DescentralizadaJustificativa de Apoio às atividades Razões administrativas, Pesquisa, administrativaconservação cotidianas legais ou fiscaisVolume 100% Sensível diminuição 5-10% do total acumuladoLocalização física Próxima ao acumulador Fora do setor de Instituição arquivística trabalhoProcessamento Classificação, Temporalidade Arranjo, descriçãoTécnico temporalidade
  30. 30. O ciclo de vida dos documentos e os arquivos Proveniência interna Proveniência externa A criação ou recepção dos documentos OrgânicoArquivosCorrentes Possibilidade de Conservação uso alta nos setores Avaliação e Eliminação transferência Arquivo .Intermediário Possibilidade de Depósito uso decrescente centralizado Eliminação e Arranjo Recolhimento Arquivo Permanente Valor Depósito Secundário Centralizado 5 a 10%
  31. 31. Obrigado!  Segue  lá:  hyp://www.facebook.com/charlley  hyps://twiyer.com/charlley  hyp://www.linkedin.com/charlleyluz    Onde  conseguir  cópia  dessa  apresentação?  hyp://www.slideshare.net/charlleyluz/        

×