N5 n7 projetotexto_8c

113 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

N5 n7 projetotexto_8c

  1. 1. Escola Secundária c/. 2º e 3º CEB Dr. Manuel Fernandes – AbrantesDisciplina de Tecnologias da Informação e da ComunicaçãoO FadoProfessorPedro Alexandre Pereira Falcão CorreiaAlunosCésar Olim, 8º Ano, Turma C, Nº5Daniela Gaspar, 8º Ano, Turma C, Nº 7Ano letivo 2012/2013
  2. 2. ÍndiceIntrodução.............................................................................................................................................3Historia.................................................................................................................................................4Conclusão.............................................................................................................................................5Webgrafia..............................................................................................................................................5
  3. 3. IntroduçãoNeste trabalho iremos falar sobre o fado, as sua origem, a sua evolução, a sua popularidade eos artistas. Com este trabalho teremos como objetivo conhecer mais sobre este estilo musical deorigem portuguesa.
  4. 4. A HistoriaO origem do fado ainda é desconhecida. Pensa-se que o fado de Lisboa terá nascido a partirdos cânticos do povo muçulmano. Outras teorias que o fado teve origem nas canções de escravosbrasileiros que teria chegado até nós através dos marinheiros, cerca de 1820. Outra hipótese remetepara os trovadores medievais cujas canções contêm características do fado. Mas, de qualquer modo,o fado é considerado um estilo musical português.O fado só passou a ser conhecido depois de 1840, nas ruas de Lisboa. Nessa época só o fadodo marinheiro era conhecido. Este fado é o mais antigo, e é este fado que vai se tornar o modelo detodos os outros géneros de fado que mais tarde surgiriam.A primeira cantadeira de fado de que se tem conhecimento foi Maria Severa Onofriana quecantava e tocava guitarra nas ruas da Mouraria, especialmente na Rua do Capelão. Era amante doConde de Vimioso e o romance entre ambos é tema de vários fados. Mas é com início do século XXque nasce Ercília Costa, que foi a primeira fadista com projeção internacional e a primeira a galgarfronteiras de Portugal.Já em meados do século XX o fado iniciou sua conquista pelo mundo, tornando-se muitofamoso também fora de Portugal. No século XX vive-se em plena censura no regime Salazarista euma licença era exigida aos fadistas e instrumentistas e as letras e os poemas eram sujeitos a umacensura rigorosa. Os temas mais cantados no fado são a saudade, a nostalgia, o ciúme, as pequenashistórias do quotidiano dos bairros típicos e as lides de touros. Eram os temas permitidos peladitadura de Salazar, que permitia também o fado trágico, de ciúme e paixão resolvidos de formaviolenta, com sangue e arrependimento. Letras que falassem de problemas sociais, políticos ouquejandos eram reprimidas pela censura. O século XX é a época de ouro do fado, este é projetadopara o grande público, o fadista deixa de se limitar às tabernas evielas e surge nos palcos do teatro, no cinema, na rádio e emdiscos, saltando para o teatro de Revista. Aparece-nos aschamadas Casa de fados e o fadista passa a ser consideradoartista profissional, com estilo próprio e boa aparência, trajado denegro como a escuridão da noite silenciosa. Este novo meio épropício ao aparecimento de letristas, compositores e intérpretes.Empurrado para as luzes da ribalta pelo cinema, rádio e maistarde televisão, o Fado, era adorado por todos, não havendoquase português que não o ouvisse. Ainda há pouco cantado nastabernas e nos pátios dos bairros populares, torna-se a almaportuguesa. É neste século na década de 50 que surge AmáliaRodrigues, conhecida nacional e internacionalmente como amaior fadista de todos os tempos e pioneira do fado moderno.Quando se deu o 25 de Abril de 1974 aparecem-nos ascanções de intervenção que ao invés do fatalismo apelavam àesperança de um povo oprimido e crença na liberdade e estas tiveram uma adesão imediata porparte da população, surgindo-nos personalidades como Adriano Correia de Oliveira, José Afonso,Luís Cília, Manuel Freire, José Mário Branco, José Barata Moura, Sérgio Godinho, Carlos AlbertoMoniz, Maria do Amparo, Teresa Paula Brito, Fausto, Carlos Paredes e muitos outros e o fado émarginalizado, é posto à margem, afastado, é retirado do pedestal e é um pouco desvalorizado paradar lugar às canções que exaltam a esperança e anseiam pela liberdade, que eram cantadas tantopelos cantores e fadistas de Lisboa como em Coimbra.Amália Rodrigues, a melhorfadista de todos os tempos.
  5. 5. No dia 27 de Novembro de 2011, a UNESCO declarou o Fado Património Imaterial daHumanidade. A candidatura apresentada pela delegação portuguesa foi aceite, em Bali, durante o VIComité Intergovernamental desta Organização da ONU.ConclusãoGostámos muito de fazer este trabalho, pois aprendemos muito sobre o Fado, como nossoobjetivo. Ouve alguma desorganização a fazer este trabalho devido aos horários e tempo disponível.Também achámos que a Internet tinha pouca informação sobre este estilo musical, daí o trabalho serpequeno.Webgrafia:http://pt.wikipedia.org/wiki/Fadohttp://www.infopedia.pt/$fado

×