SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Lição 04: O Ministério
Avivado de Jesus
TEXTO ÁUREO
“Então, pela virtude
do Espírito, voltou
Jesus para a Galileia,
e a sua Fama correu
por todas as terras em
derredor.” (Lc 4.14)
VERDADE PRÁTICA
O alcance espiritual
da vida de um
crente avivado
revela a
extraordinária
atuação do Espírito
Santo.
LEITURA DIÁRIA
Segunda – Lc 1.35 O nascimento de Jesus sob virtude do
Espírito
Terça – Lc 4.14 O ministério de Jesus sob a virtude do Espírito
Quarta – Mt 4.1 Jesus conduzido pelo Espírito ao deserto
Quinta – Mt 6.9-13 A oração modelo de Jesus para os
discípulos
Sexta – Mt 3.13-21 O batismo de Jesus e a confirmação do
Espírito
Sábado – Lc 4.18,19 A missão de Jesus e o propósito de seu
ministério
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Lucas 4.14 -22
14- Então, pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a
Galileia, e a sua Fama correu por todas as terras em derredor.
15- E ensinava nas suas sinagogas e por todos era louvado.
16- E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia
de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga e levantou-se
para ler.
17- E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o
livro, achou o lugar em que estava escrito:
18- O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para
evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do
coração,
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Lucas 4.14 -22
19- A apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a
pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do
Senhor.
20- E, cerrando o livro e tornando a dá-lo ao ministro,
assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos
nele.
21- Então, começou a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu esta
Escritura em vossos ouvidos.
22- E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das
palavras de graça que saíam da sua boca, e diziam: Não é
este o filho de José?
INTRODUÇÃO
Jesus iniciou o seu ministério na Galiléia,
provocando grande repercussão diante do povo,
pois “a sua fama correu por todas as terras em
derredor” (Lc 4.14). Isso aconteceu porque “pela
virtude do Espírito Santo, Jesus voltou para a
Galiléia” (Lc 4.14). Nesta lição, veremos o impacto
do ministério do Senhor sobre o povo. Além de um
ministério avivado, sua mensagem era proclamada
sob a autoridade do Espírito Santo.
Palavra-Chave: JESUS
I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
• 1- O Espírito Santo na vida de Jesus.
• a) No nascimento. O anjo Gabriel deu a seguinte
notícia a Maria: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a
virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo
que também o Santo, que de ti há de nascer, será
chamado Filho de Deus” (Lc 1.35). Aqui, vemos o papel
do Espírito Santo como executor divino do mistério da
encarnação: Sob a virtude do Espírito, nosso Senhor se
tornou o Emanuel. Isso significa “Deus conosco”; o
Deus que se fez homem e habitou entre nós (Jo 1.14).
b) No batismo. Antes de iniciar o
seu ministério na Galiléia, Jesus
submeteu-se ao batismo de João,
no Rio Jordão. Ao sair da água,
“viu o Espírito de Deus, descendo
como pomba e vindo sobre Ele. E
eis que uma voz dos céus dizia:
Este é o meu Filho amado, em
quem me comprazo” (Mt 3.16,17).
I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
Era uma manifestação indubitável
da Santíssima Trindade: o Pai
declarando Jesus como seu “Filho
amado”; o Filho, Jesus, saindo da
água; e o Espírito Santo,
materializado em forma de
pomba, descendo sobre Ele.
I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
c) Na tentação. Depois do batismo, Jesus foi conduzido
“pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo”
(Mt 4.1- grifo meu). Ali, experimentou o jejum de
“quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome”
(Mt 4.2). Em todas as investidas satânicas, Jesus foi
vencedor, usando a poderosa Palavra de Deus. A cada
ataque, nosso Senhor respondia: “Está escrito […]”.
Assim, fica claro que se o Senhor Jesus não tivesse a
presença do Espírito Santo, o resultado de suas
provações não seria satisfatório.
I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
2- O Espírito Santo no ministério de Jesus. Com cerca
de 30 anos, Jesus iniciou seu ministério terreno, depois de
voltar do monte da tentação, no deserto da Judeia, pela
Galileia (Lc 4.14,15). A Leitura Bíblica em Classe, desta
lição, mostra que Jesus foi ungido pelo Espírito “para
evangelizar os pobres”. Esta era a missão de seu
ministério. De modo geral, nosso Senhor sabia que, por
causa dos bens terrenos, os ricos deste mundo não se
interessam pela sua Palavra (Mt 19.23,24).
Além disso, nosso Senhor foi ungido pelo Espírito para “curar os
quebrantados do cora ao”. Só para explicar, quebrantados do
coração são aqueles que têm um coração humilde, uma
disposição para submeter-se à vontade de Deus (Sl 34.18). Por
isso, nosso Senhor veio tocar o coração dos homens. Ainda mais,
Ele também fez um convite aos “cansados e oprimidos” (Mt
11.28), apregoou “liberdade aos cativos” (Jo 8.31-36), aos que
estão sujeitos a escravidão do pecado (Rm 8.20,21), deu “vista
aos cegos” (Jo 9.39-41) e pôs “em liberdade os oprimidos”.
Desse modo, o Espírito Santo atuava diretamente na obra do
nosso Salvador
I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
SINOPSE I
O Espírito Santo
teve uma
participação ativa
na vida e no
ministério de Jesus.
II – JESUS E A ORAÇÃO EM SEU MINISTÉRIO
1- O valor da oração. A oração do Pai-
Nosso aparece em duas versões nos Evangelhos: a
primeira, em Mateus 6.9-13; a segunda, em Lucas
11.2-4. Em Mateus ela se encontra no contexto do
Sermão do Monte. Ali, a oração do Pai-Nosso não
cumpre mera orientação litúrgica, mas revela o
coroamento de um estilo de vida sem hipocrisia e
exibicionismo religioso (Mt 6.5-9).
Dessa forma, uma pessoa avivada se dirige a Deus
como o “Pai Nosso”, “santifica” o nome dEle,
deseja a “vinda do Reino”, anela por viver a
“vontade de Deus”, a cada dia está na
dependência do Senhor (“dá-nos o pão nosso”),
confessa os pecados e pede perdão, ela suplica por
proteção a Deus e, finalmente, sabe que dEle e o
Reino, o poder e a gl6ria para sempre (Mt 6.5-9).
Essa oração revela uma vida humilde e
quebrantada diante de Deus.
II – JESUS E A ORAÇÃO EM SEU MINISTÉRIO
2- Uma vida de oração. Nos Evangelhos podemos
perceber várias ocasiões de oração no ministério de
Jesus. Ele orou para escolher seus discípulos (6.12-16),
fez uma oração de gratidão por Deus se revelar ao
humildes por ocasião do envio dos 70 discípulos (Lc
10.21; Mt 11.25). Logo, aprendemos, com Jesus, a
importância de uma vida de oração, pois mesmo sendo
Deus, na condição humana, nosso Senhor buscava
comunhão como Pai por meio da oração. Além disso, sua
vida de oração, no Getsêmani, também nos ensina que a
vontade do Pai sempre é a melhor (Mt 26.36-46).
II – JESUS E A ORAÇÃO EM SEU MINISTÉRIO
SINOPSE II
A oração teve
um papel
importante
no ministério
terreno de
Jesus.
III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO
ESPÍRITO
Com unção nos referimos a uma
vida de serviço sob a
confirmação do Espírito Santo, à
semelhança da atuação do
Espírito no ministério de Jesus
(Lc 4.8).
1- A unção do Espírito na vida do obreiro. O
obreiro tem muitas atribuições na obra do Senhor.
Ele exerce a liderança administrativa, a atividade
do ensino e alguns, até mesmo, da música Cristã.
Por isso, é muito fácil essas atividades caírem na
rotina e se tornarem meramente burocráticas.
III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
Mas o obreiro ungido sabe que o Espírito Santo
renova as suas forças, não permite que veja a obra
do Senhor com mero olhar humano e, de maneira
graciosa, vê a confirmação do seu ministério
quando o Senhor salva vidas por meio de uma
pregação ungida, quando crentes mudam atitudes
por causa de ensino dirigido pelo Espírito, quando
há edificação espiritual por meio de um louvor
bem executado na presença de Deus (1 Co 14.26).
III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
Mas todo esse bem do Senhor,
inevitavelmente, é acompanhado de uma
vida piedosa. Por isso, o obreiro do Senhor
não deve negligenciar a oração, o jejum e o
estudo devocional da Palavra de Deus(1 Tm
4.7). Esses exercícios piedosos são o alimento
espiritual diário e permanente de todo
obreiro avivado na obra do Senhor.
III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
2- A unção do Espírito na vida do crente. Viver
uma vida na unção do Espírito não é privilégio
apenas dos que exercem vocação ministerial na
igreja local. A Palavra de Deus diz que nós somos
“o sacerdócio real”, chamados para anunciar “as
virtudes daquele que vos chamou das trevas para a
sua maravilhosa luz” (1 Pe 2.9). Mais
precisamente, Deus chamou cada crente a
comunicar o Evangelho em todos os lugares em que
seus pés tocarem (Mt 28.19; Ef 6.15).
III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
Mas para isso, a nossa vida deve estar debaixo da
unção do Espírito (Mt 25.4). Então, exerceremos
influência poderosa em nossa família, na
faculdade, no local de trabalho ou em quaisquer
esferas da sociedade. Assim, seremos testemunhas
poderosas de Jesus sob a unção do Espírito Santo
(Jo 14.26).
III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
SINOPSE III
Jesus teve
uma vida de
serviço sob a
confirmação
do Espírito
Santo.
CONCLUSÃO
Nesta lição, vimos que o Senhor Jesus teve um
ministério avivado porque foi ungido pelo Espírito
Santo. Ora, se o Senhor Jesus, sendo Deus, foi
ungido pelo Espírito Santo para desenvolver o seu
ministério, por que conosco seria diferente?
Vivamos, pois, uma vida de serviços na causa do
Mestre, de modo que o Espírito Santo confirme a
nossa vocação.
REVISANDO O CONTEÚDO
1- Segundo a lição, qual o papel do Espírito Santo no
ministério da encarnação?
O Espírito Santo foi como executor divino no ministério da
encarnação: Sob a virtude do Espírito, nosso Senhor se
tornou o Emanuel.
2- Cite pelo menos três objetivos no ministério de Jesus
ao ser ungido pelo Espírito Santo.
“Para evangelizar os pobres”, “curar os quebrantados do
coração” e apregoar “liberdade aos cativos”.
REVISANDO O CONTEÚDO
3- O que a oração do Pai-Nosso revela?
Essa oração revela uma vida humilde e
quebrantada diante de Deus.
4- O que o obreiro não deve negligenciar?
Não deve negligenciar a oração, o jejum e o
estudo devocional da Palavra de Deus.
5- Por que Deus chamou cada crente?
Deus chamou cada crente a comunicar o Evangelho
em todos os lugares em que seus pés tocarem.
EBD | 1° Trimestre De 2023 | CPAD – Adultos –
TEMA: AVIVA A TUA OBRA – O chamado das
Escrituras ao quebrantamento e ao poder de
Deus | Escola Biblica Dominical | Lição 04: O
Ministério Avivado de Jesus
Slides preparados por Celso Napoleon

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Lição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxLição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Lição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxCelso Napoleon
 
Lição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptx
Lição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptxLição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptx
Lição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptxCelso Napoleon
 
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxLição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxCelso Napoleon
 
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptxLição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptxCelso Napoleon
 
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptxSlides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Mais procurados (20)

Lição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Lição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxLição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Lição 7 – A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, Sendo a Igreja do Deus Vivo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 12, CPAD, Sendo a Igreja do Deus Vivo, 3Tr23.pptxSlides Lição 12, CPAD, Sendo a Igreja do Deus Vivo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 12, CPAD, Sendo a Igreja do Deus Vivo, 3Tr23.pptx
 
Slides Licao 4, CPAD, O Ministério Avivado de JESUS, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 4, CPAD, O Ministério Avivado de JESUS, 1Tr23, Pr Henrique.pptxSlides Licao 4, CPAD, O Ministério Avivado de JESUS, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 4, CPAD, O Ministério Avivado de JESUS, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
 
Slides Lição 2, CPAD, A Predileção dos Pais por um dos Filhos.pptx
Slides Lição 2, CPAD, A Predileção dos Pais por um dos Filhos.pptxSlides Lição 2, CPAD, A Predileção dos Pais por um dos Filhos.pptx
Slides Lição 2, CPAD, A Predileção dos Pais por um dos Filhos.pptx
 
Slides Licao 9, CPAD, O Avivamento Pentecostal no Brasil, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 9, CPAD, O Avivamento Pentecostal no Brasil, Pr Henrique.pptxSlides Licao 9, CPAD, O Avivamento Pentecostal no Brasil, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 9, CPAD, O Avivamento Pentecostal no Brasil, Pr Henrique.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, A Importância da Paternidade na Vida dos Filhos.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Importância da Paternidade na Vida dos Filhos.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Importância da Paternidade na Vida dos Filhos.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Importância da Paternidade na Vida dos Filhos.pptx
 
Slides Licao 3, As Abominacoes Do Templo.pptx
Slides Licao 3, As Abominacoes Do Templo.pptxSlides Licao 3, As Abominacoes Do Templo.pptx
Slides Licao 3, As Abominacoes Do Templo.pptx
 
Lição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptx
Lição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptxLição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptx
Lição 03: Ciúme, o Mal que Prejudica a Família.pptx
 
Slides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptx
Slides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptxSlides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptx
Slides Licao 8, CPAD, O Avivamento Espiritual no Mundo,Pr Henrique.pptx
 
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptxSlides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
 
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxSlides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
 
Slides Licao 4, CPAD, Quando se vai a Gloria de DEUS, 4Tr22, Pr Henrique, EBD...
Slides Licao 4, CPAD, Quando se vai a Gloria de DEUS, 4Tr22, Pr Henrique, EBD...Slides Licao 4, CPAD, Quando se vai a Gloria de DEUS, 4Tr22, Pr Henrique, EBD...
Slides Licao 4, CPAD, Quando se vai a Gloria de DEUS, 4Tr22, Pr Henrique, EBD...
 
Slides Lição 6, A Desconstrução da Masculinidade Bíblica.pptx
Slides Lição 6, A Desconstrução da Masculinidade Bíblica.pptxSlides Lição 6, A Desconstrução da Masculinidade Bíblica.pptx
Slides Lição 6, A Desconstrução da Masculinidade Bíblica.pptx
 
Slides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptx
Slides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptxSlides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptx
Slides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptx
 
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxLição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
 
Slides Lição 5, CPAD, Uma Perspectiva Pentecostal de Missões, 4Tr23.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Uma Perspectiva Pentecostal de Missões, 4Tr23.pptxSlides Lição 5, CPAD, Uma Perspectiva Pentecostal de Missões, 4Tr23.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Uma Perspectiva Pentecostal de Missões, 4Tr23.pptx
 
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptxLição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
 
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptxSlides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A ORIGEM DA IGREJA, 1Tr24.pptx
 
Slides Licao 3, CPAD, O Avivamento no Novo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 3, CPAD, O Avivamento no Novo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptxSlides Licao 3, CPAD, O Avivamento no Novo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 3, CPAD, O Avivamento no Novo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
 
Slides Licao 2, CPAD, O Avivamento no Antigo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 2, CPAD, O Avivamento no Antigo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptxSlides Licao 2, CPAD, O Avivamento no Antigo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Licao 2, CPAD, O Avivamento no Antigo Testamento, 1Tr23, Pr Henrique.pptx
 

Semelhante a Ministério de Jesus sob a virtude do Espírito Santo

Lição 4 – o ministério avivado de jesus.pptx
Lição 4 – o ministério avivado de jesus.pptxLição 4 – o ministério avivado de jesus.pptx
Lição 4 – o ministério avivado de jesus.pptxTonySampaio2
 
2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptxJoel Silva
 
ESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptx
ESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptxESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptx
ESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptxEmbaixadoresdeCristo
 
Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas
Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas
Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas Éder Tomé
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Cobertura apostolica
Cobertura apostolicaCobertura apostolica
Cobertura apostolica32148989
 
SLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptx
SLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptxSLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptx
SLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptxDassayevSilva
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaErberson Pinheiro
 
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...ssusereceac91
 
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxLição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxCelso Napoleon
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuiza Dayana
 
Slide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldoSlide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldoWildete Silva
 

Semelhante a Ministério de Jesus sob a virtude do Espírito Santo (20)

Lição 4 – o ministério avivado de jesus.pptx
Lição 4 – o ministério avivado de jesus.pptxLição 4 – o ministério avivado de jesus.pptx
Lição 4 – o ministério avivado de jesus.pptx
 
2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 1º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
 
6 ministério
6 ministério6 ministério
6 ministério
 
ESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptx
ESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptxESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptx
ESCOLA BÍBLICA O MINISTERIO AVIVADO DE JESUS.pptx
 
Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas
Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas
Lição 2 - O Espírito Santo no Evangelho de Lucas
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
 
Lucas atos 11
Lucas  atos 11Lucas  atos 11
Lucas atos 11
 
Cobertura apostolica
Cobertura apostolicaCobertura apostolica
Cobertura apostolica
 
SLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptx
SLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptxSLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptx
SLIDE DE ENCERRAMENTO-CPAD-1-TRIMESTRE DE 2023-ADULTOS.pptx
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
 
7° lição o ministerio de profeta
7° lição o ministerio de profeta7° lição o ministerio de profeta
7° lição o ministerio de profeta
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
 
Teologia 29
Teologia 29Teologia 29
Teologia 29
 
Apostila 29
Apostila 29Apostila 29
Apostila 29
 
Apostila 29
Apostila 29Apostila 29
Apostila 29
 
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxLição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosanto
 
ESPÍRITO SANTO
ESPÍRITO SANTOESPÍRITO SANTO
ESPÍRITO SANTO
 
Slide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldoSlide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldo
 

Mais de Celso Napoleon

Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxLesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxCelso Napoleon
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxLesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxCelso Napoleon
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxLesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxCelso Napoleon
 
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxLição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxLesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxLição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxLesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxLição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxLesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxLesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxCelso Napoleon
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxLesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxCelso Napoleon
 
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxLição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxLesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxCelso Napoleon
 
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxLição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptxLesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptxCelso Napoleon
 

Mais de Celso Napoleon (20)

Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxLesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxLesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxLesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
 
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxLição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
 
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxLesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
 
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxLição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
 
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxLesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
 
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxLição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
 
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxLesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
 
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxLesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
 
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxLesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
 
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxLição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
 
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxLesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
 
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxLição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
 
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptxLesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
 

Último (9)

Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
 
Oração Alma De Cristo
Oração Alma De CristoOração Alma De Cristo
Oração Alma De Cristo
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 

Ministério de Jesus sob a virtude do Espírito Santo

  • 1. Lição 04: O Ministério Avivado de Jesus
  • 2. TEXTO ÁUREO “Então, pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a Galileia, e a sua Fama correu por todas as terras em derredor.” (Lc 4.14)
  • 3. VERDADE PRÁTICA O alcance espiritual da vida de um crente avivado revela a extraordinária atuação do Espírito Santo.
  • 4. LEITURA DIÁRIA Segunda – Lc 1.35 O nascimento de Jesus sob virtude do Espírito Terça – Lc 4.14 O ministério de Jesus sob a virtude do Espírito Quarta – Mt 4.1 Jesus conduzido pelo Espírito ao deserto Quinta – Mt 6.9-13 A oração modelo de Jesus para os discípulos Sexta – Mt 3.13-21 O batismo de Jesus e a confirmação do Espírito Sábado – Lc 4.18,19 A missão de Jesus e o propósito de seu ministério
  • 5. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Lucas 4.14 -22 14- Então, pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a Galileia, e a sua Fama correu por todas as terras em derredor. 15- E ensinava nas suas sinagogas e por todos era louvado. 16- E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga e levantou-se para ler. 17- E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: 18- O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração,
  • 6. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Lucas 4.14 -22 19- A apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor. 20- E, cerrando o livro e tornando a dá-lo ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. 21- Então, começou a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos. 22- E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca, e diziam: Não é este o filho de José?
  • 7. INTRODUÇÃO Jesus iniciou o seu ministério na Galiléia, provocando grande repercussão diante do povo, pois “a sua fama correu por todas as terras em derredor” (Lc 4.14). Isso aconteceu porque “pela virtude do Espírito Santo, Jesus voltou para a Galiléia” (Lc 4.14). Nesta lição, veremos o impacto do ministério do Senhor sobre o povo. Além de um ministério avivado, sua mensagem era proclamada sob a autoridade do Espírito Santo.
  • 8.
  • 10. I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO • 1- O Espírito Santo na vida de Jesus. • a) No nascimento. O anjo Gabriel deu a seguinte notícia a Maria: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus” (Lc 1.35). Aqui, vemos o papel do Espírito Santo como executor divino do mistério da encarnação: Sob a virtude do Espírito, nosso Senhor se tornou o Emanuel. Isso significa “Deus conosco”; o Deus que se fez homem e habitou entre nós (Jo 1.14).
  • 11. b) No batismo. Antes de iniciar o seu ministério na Galiléia, Jesus submeteu-se ao batismo de João, no Rio Jordão. Ao sair da água, “viu o Espírito de Deus, descendo como pomba e vindo sobre Ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt 3.16,17). I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
  • 12. Era uma manifestação indubitável da Santíssima Trindade: o Pai declarando Jesus como seu “Filho amado”; o Filho, Jesus, saindo da água; e o Espírito Santo, materializado em forma de pomba, descendo sobre Ele. I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
  • 13. c) Na tentação. Depois do batismo, Jesus foi conduzido “pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo” (Mt 4.1- grifo meu). Ali, experimentou o jejum de “quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome” (Mt 4.2). Em todas as investidas satânicas, Jesus foi vencedor, usando a poderosa Palavra de Deus. A cada ataque, nosso Senhor respondia: “Está escrito […]”. Assim, fica claro que se o Senhor Jesus não tivesse a presença do Espírito Santo, o resultado de suas provações não seria satisfatório. I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
  • 14. I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO 2- O Espírito Santo no ministério de Jesus. Com cerca de 30 anos, Jesus iniciou seu ministério terreno, depois de voltar do monte da tentação, no deserto da Judeia, pela Galileia (Lc 4.14,15). A Leitura Bíblica em Classe, desta lição, mostra que Jesus foi ungido pelo Espírito “para evangelizar os pobres”. Esta era a missão de seu ministério. De modo geral, nosso Senhor sabia que, por causa dos bens terrenos, os ricos deste mundo não se interessam pela sua Palavra (Mt 19.23,24).
  • 15. Além disso, nosso Senhor foi ungido pelo Espírito para “curar os quebrantados do cora ao”. Só para explicar, quebrantados do coração são aqueles que têm um coração humilde, uma disposição para submeter-se à vontade de Deus (Sl 34.18). Por isso, nosso Senhor veio tocar o coração dos homens. Ainda mais, Ele também fez um convite aos “cansados e oprimidos” (Mt 11.28), apregoou “liberdade aos cativos” (Jo 8.31-36), aos que estão sujeitos a escravidão do pecado (Rm 8.20,21), deu “vista aos cegos” (Jo 9.39-41) e pôs “em liberdade os oprimidos”. Desse modo, o Espírito Santo atuava diretamente na obra do nosso Salvador I- JESUS E A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO
  • 16. SINOPSE I O Espírito Santo teve uma participação ativa na vida e no ministério de Jesus.
  • 17. II – JESUS E A ORAÇÃO EM SEU MINISTÉRIO 1- O valor da oração. A oração do Pai- Nosso aparece em duas versões nos Evangelhos: a primeira, em Mateus 6.9-13; a segunda, em Lucas 11.2-4. Em Mateus ela se encontra no contexto do Sermão do Monte. Ali, a oração do Pai-Nosso não cumpre mera orientação litúrgica, mas revela o coroamento de um estilo de vida sem hipocrisia e exibicionismo religioso (Mt 6.5-9).
  • 18. Dessa forma, uma pessoa avivada se dirige a Deus como o “Pai Nosso”, “santifica” o nome dEle, deseja a “vinda do Reino”, anela por viver a “vontade de Deus”, a cada dia está na dependência do Senhor (“dá-nos o pão nosso”), confessa os pecados e pede perdão, ela suplica por proteção a Deus e, finalmente, sabe que dEle e o Reino, o poder e a gl6ria para sempre (Mt 6.5-9). Essa oração revela uma vida humilde e quebrantada diante de Deus. II – JESUS E A ORAÇÃO EM SEU MINISTÉRIO
  • 19. 2- Uma vida de oração. Nos Evangelhos podemos perceber várias ocasiões de oração no ministério de Jesus. Ele orou para escolher seus discípulos (6.12-16), fez uma oração de gratidão por Deus se revelar ao humildes por ocasião do envio dos 70 discípulos (Lc 10.21; Mt 11.25). Logo, aprendemos, com Jesus, a importância de uma vida de oração, pois mesmo sendo Deus, na condição humana, nosso Senhor buscava comunhão como Pai por meio da oração. Além disso, sua vida de oração, no Getsêmani, também nos ensina que a vontade do Pai sempre é a melhor (Mt 26.36-46). II – JESUS E A ORAÇÃO EM SEU MINISTÉRIO
  • 20. SINOPSE II A oração teve um papel importante no ministério terreno de Jesus.
  • 21. III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO Com unção nos referimos a uma vida de serviço sob a confirmação do Espírito Santo, à semelhança da atuação do Espírito no ministério de Jesus (Lc 4.8).
  • 22. 1- A unção do Espírito na vida do obreiro. O obreiro tem muitas atribuições na obra do Senhor. Ele exerce a liderança administrativa, a atividade do ensino e alguns, até mesmo, da música Cristã. Por isso, é muito fácil essas atividades caírem na rotina e se tornarem meramente burocráticas. III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
  • 23. Mas o obreiro ungido sabe que o Espírito Santo renova as suas forças, não permite que veja a obra do Senhor com mero olhar humano e, de maneira graciosa, vê a confirmação do seu ministério quando o Senhor salva vidas por meio de uma pregação ungida, quando crentes mudam atitudes por causa de ensino dirigido pelo Espírito, quando há edificação espiritual por meio de um louvor bem executado na presença de Deus (1 Co 14.26). III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
  • 24. Mas todo esse bem do Senhor, inevitavelmente, é acompanhado de uma vida piedosa. Por isso, o obreiro do Senhor não deve negligenciar a oração, o jejum e o estudo devocional da Palavra de Deus(1 Tm 4.7). Esses exercícios piedosos são o alimento espiritual diário e permanente de todo obreiro avivado na obra do Senhor. III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
  • 25. 2- A unção do Espírito na vida do crente. Viver uma vida na unção do Espírito não é privilégio apenas dos que exercem vocação ministerial na igreja local. A Palavra de Deus diz que nós somos “o sacerdócio real”, chamados para anunciar “as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pe 2.9). Mais precisamente, Deus chamou cada crente a comunicar o Evangelho em todos os lugares em que seus pés tocarem (Mt 28.19; Ef 6.15). III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
  • 26. Mas para isso, a nossa vida deve estar debaixo da unção do Espírito (Mt 25.4). Então, exerceremos influência poderosa em nossa família, na faculdade, no local de trabalho ou em quaisquer esferas da sociedade. Assim, seremos testemunhas poderosas de Jesus sob a unção do Espírito Santo (Jo 14.26). III – UMA VIDA NA UNÇÃO DO ESPÍRITO
  • 27. SINOPSE III Jesus teve uma vida de serviço sob a confirmação do Espírito Santo.
  • 28. CONCLUSÃO Nesta lição, vimos que o Senhor Jesus teve um ministério avivado porque foi ungido pelo Espírito Santo. Ora, se o Senhor Jesus, sendo Deus, foi ungido pelo Espírito Santo para desenvolver o seu ministério, por que conosco seria diferente? Vivamos, pois, uma vida de serviços na causa do Mestre, de modo que o Espírito Santo confirme a nossa vocação.
  • 29. REVISANDO O CONTEÚDO 1- Segundo a lição, qual o papel do Espírito Santo no ministério da encarnação? O Espírito Santo foi como executor divino no ministério da encarnação: Sob a virtude do Espírito, nosso Senhor se tornou o Emanuel. 2- Cite pelo menos três objetivos no ministério de Jesus ao ser ungido pelo Espírito Santo. “Para evangelizar os pobres”, “curar os quebrantados do coração” e apregoar “liberdade aos cativos”.
  • 30. REVISANDO O CONTEÚDO 3- O que a oração do Pai-Nosso revela? Essa oração revela uma vida humilde e quebrantada diante de Deus. 4- O que o obreiro não deve negligenciar? Não deve negligenciar a oração, o jejum e o estudo devocional da Palavra de Deus. 5- Por que Deus chamou cada crente? Deus chamou cada crente a comunicar o Evangelho em todos os lugares em que seus pés tocarem.
  • 31. EBD | 1° Trimestre De 2023 | CPAD – Adultos – TEMA: AVIVA A TUA OBRA – O chamado das Escrituras ao quebrantamento e ao poder de Deus | Escola Biblica Dominical | Lição 04: O Ministério Avivado de Jesus Slides preparados por Celso Napoleon