6º ano A – Profª Gislene 
Atividades relacionadas ao cap. 5: “O Continente Africano e o Império Kush” 
Pág. 81 
1. Por mui...
5. As mulheres alcançaram grande poder. Eram chamadas de candaces, que significa rainha-mãe. Entre outras coisas, podiam s...
equilíbrio das diferentes culturas que existem no mundo.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

6o.ano histria - prof.a gislene - correo de questionrios - abr 2014

409 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
409
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6o.ano histria - prof.a gislene - correo de questionrios - abr 2014

  1. 1. 6º ano A – Profª Gislene Atividades relacionadas ao cap. 5: “O Continente Africano e o Império Kush” Pág. 81 1. Por muitos séculos, a África foi dominada por povos europeus. Isso fez com que muitas ideias que chegaram até nós fossem de que a áfrica era habitada por povos sem cultura, selvagens e canibais. Um dos motivos para a desvalorização da história dos povos africanos foi o racismo que era defendido pelos povos europeus, pois achavam que os brancos eram superiores aos negros. 2. Características gerais das aldeias africanas:  As aldeias africanas, o trabalho e a propriedade da terra são coletivos;  São povos que vivem da caça e da pesca, utilizando técnicas antigas;  As mulheres, geralmente acompanhadas de suas crianças, colhem grãos, frutos e raízes;  As atividades são diferentes para homens e mulheres;  A história e cultura desses povos são transmitidas oralmente, os mais velhos são muito valorizados. 3. Ao longo da história do Egito e de Cuxe, houve intenso comércio entre as duas regiões. Os egípcios dominaram Cuxe por muito tempo, mas o inverso também ocorreu. Um faraó de origem cuxita governou o Egito, fundando a 25º dinastia, construindo a união do Egito e Cuxe. Os cuxitas assimilaram muitos aspectos culturais egípcios, mas também foram muito originais, em sua própria língua, escrita e religião, acrescentando vários deuses egípcios, como Apademak, o deus-leão. Pág. 82 4. Notícias de 2007 mostraram que os arqueólogos estão descobrindo que a cultura Cuxe era mais rica do que se suspeitava. Escavações revelaram antigos centros habitacionais, cemitérios e centros de processamento de ouro em regiões anteriormente inexploradas. As pesquisas confirmaram que o Império Cuxe exerceu controle e influência, sobre um trecho de 1200 quilômetros de extensão.
  2. 2. 5. As mulheres alcançaram grande poder. Eram chamadas de candaces, que significa rainha-mãe. Entre outras coisas, podiam ser sacerdotisas. Eram responsáveis pela educação dos príncipes até a idade de 21 anos, interferindo , dessa forma, na política. Em alguns momentos da história do Império Cuxe, assumiram a liderança do governo, comandando até mesmo batalhas. 6. 1) Napata – 2) África – 3) Taharqa – 4) Pigmeu – 5) Candace – 6) Axum – 7) Nubia – 8) Méroe – 9) Aksum Pág. 83 7- (Resposta pessoal sobre a importância das tradições orais). Pág. 83 1. Porque o nosso país tem muita influência da cultura africana, na arte, música, costumes, etc.. Além disso, os africanos também fizeram parte da formação étnica do nosso povo. 2. Porque ao conhecer a história da África e dos africanos na formação da nossa sociedade, poderemos resgatas a contribuição desse povo nas áreas social, econômica e política da história do Brasil. Pág. 84 3. É muito importante conhecer a história da África para, entre outras coisas, diminuir o preconceito sobre o passado do povo africano. É importante criar uma imagem positiva da África, contrárias às imagens negativas do colonialismo europeu. Interpretação da imagem: A imagem apresenta uma senhora idosa, cercada carinhosamente de crianças e adolescentes. Isso mostra a importância da oralidade e do respeito aos mais velhos. Pág. 87 Respostas 1 e 2 são pessoais. 3. A cartografia que utilizamos nasceu entre os europeus, que colocaram a Europa como referencial do mapa. Assim, a África fica abaixo dessa representação. Conforme o texto, inverter o mapa seria uma forma de ver o mundo diferente, ou seja, com uma visão de
  3. 3. equilíbrio das diferentes culturas que existem no mundo.

×