Desconstrução do Mito da Adolescência

769 visualizações

Publicada em

Por que hoje falamos e estudamos tanto sobre a adolescência?
Porque ainda vemos a adolescência como um problema e não uma nova possibilidade.
Somos poderosos podemos influenciar a vida dos adolescentes.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
769
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desconstrução do Mito da Adolescência

  1. 1. Desconstrução do Mito da Adolescência
  2. 2. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Por que hoje falamos e estudamos tanto sobre a adolescência?  Porque ainda vemos a adolescência como um problema e não uma nova possibilidade.  Somos poderosos podemos influenciar a vida dos adolescentes.
  3. 3. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Diferenças de papeis  Professora: Prezada mãe, Felipe não para sentado na aula, não quer fazer a lição, bate no amigo..........Espero que tome providências.  Mãe : Prezada professora, Felipe não quer escovar os dentes, não quer comer legumes, não quer tomar banho....Espero que tome providências.
  4. 4. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  A importância dos diferentes papeis e funções que temos.  Muito fácil colocar a culpa no outro. Hoje terceirizamos a culpa.  Historia de Adão e Eva : Deus chega na terra e vê Adão e Eva se escondendo. Pergunta o que está acontecendo. Adão responde..essa aí ( mulher ) que você me deu......
  5. 5. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência Culpamos a família do adolescente infrator, pela agressividade, pela violência. Não se reconhecemos que fazemos parte, que somos parceiros. A importância de se colocar no processo . As vezes perdemos a chance do diálogo por falta de informações.
  6. 6. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência Vídeo : Adolescência em 1 minuto
  7. 7. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  O vídeo produz sensações diversas. De riso, de dados de realidade, de rapidez , de movimento, de presa e muitas outras sensações.  Vendo o vídeo quais questões ele mostrou ?
  8. 8. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência"  1. Transformações corporais/físicas/hormonais;  2. Movimento: Diversas atividades esportivas;  3.Escolhas de estilos ( música/ roupa );  4.Necessidade de experimentar várias coisas: rock, esqueite, vídeo game, jogos virtuais;  5. Acidentes : Correr riscos ;
  9. 9. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Da curiosidade pelas substâncias tóxicas, seus efeitos e a necessidade de se sentir pertencente ao grupo. A experimentação de novas sensações causadas por essas substâncias. Um turbilhão de sensações que acontecem tudo ao mesmo tempo;
  10. 10. Desconstruindo os mitos sobre a adolescencia  Sexo;  Questões comportamentais: irracionalismo, a impulsividade, o agir pelo instinto;  A dificuldade de se reconhecer neste novo corpo;
  11. 11. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Sair noturno: Baladas ( os novos encontros, o se apaixonar , o ficar com o sexo oposto).  Sofrimento do Adolescente: quem daqui lembra quando recebeu o primeiro pé da pessoa que você gostava. Prazer do sofrer, o adolescente se acaba com o sofrimento. Aí vem a mãe e fala “ Você tem uma mãe filho” – como se a mãe fosse capaz de suprir todas as faltas.  Tristeza é real – se acabar é opção.  Vamos pensar como a mãe ou o pai lida com essas questões.  Que jeito estamos cuidando desses adolescentes?
  12. 12. Adolescência um período benéfico e necessário  Acontecem muitas transformações no cérebro do adolescente e é graças a essas transformações que o jovem abandona os seus interesses antigos da infância e se interessa por coisas novas, inclusive por desenvolver as suas novas habilidades cognitivas que estão em andamento e formação na adolescência, expande os seus horizontes, descobre várias maneiras de interagir com as pessoas, descobre novas regras de interação em sociedade, até que um dia se descobre adulto.
  13. 13. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Quem dispara a adolescência é o próprio cérebro, numa região chamada de HIPOTÁLAMO, que controla o funcionamento do corpo como um todo. A adolescência começa quando o hipotálamo detecta uma série de fatores que indicam que o corpo já está pronto para passar por uma série de transformações.
  14. 14. Adolescência o cérebro em transformação  Aos 10 ou 11 anos de vida o cérebro humano já tem o tamanho que ele terá ao longo de toda a vida adulta. No entanto o cérebro de um adolescente não se comporta como o cérebro de um adulto.  Para a neurociência hoje a adolescência é coisa do cérebro e não ações de hormônios. O comportamento do adolescente é o resultado destas transformações.
  15. 15. O resultado é a descoberta pelo:  Interesse pelo sexo  Ajuste dos mapas do corpo  Tédio: característica do começo da adolescência  Risco: a busca pelo risco  Controle dos impulsos: o desenvolvimento do controle dos impulsos  Raciocínio lógico e abstrato: se desenvolve no começo da adolescência
  16. 16. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  O inicio da puberdade nas mulheres tem relação direta com o teor de gordura corporal.  Daí a diferença entre as idades nas quais ocorria a menarca em meninas em várias épocas.  Europa: 1830 - aos 17 anos  Hoje – aos 13 anos  Segundo os médicos, a idade média da primeira menstruação tem diminuído cerca de quatro meses a cada década.
  17. 17. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  As mudanças que acontecem no hipotálamo tornam o cérebro pela primeira vez interessado em sexo. É nesta idade que o adolescente descobre a preferência sexual, que foi determinada no começo da gestação. É nesta idade que o hipotálamo se torna sensível aos ferormonios que são substâncias produzidas de maneira diferente por homens e por mulheres.
  18. 18. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Para a neurociência atual as pessoas que se interessam sexualmente por homens, são aquelas pessoas cuja o cérebro é sensível ao ferormonio produzido por homem e ao contrário as pessoas que se interessam sexualmente por mulheres são aquelas cujo o hipotálamo é ativado pelo ferormonio produzido por mulheres.
  19. 19. Desconstruindo os mitos sobre a adolescência  Preferência sexual é algo que se DESCOBRE na adolescência e não o que se DECIDE.  O que se DECIDE é a OPÇÃO sexual. Ou seja, o que você decide fazer com a sua preferência sexual.  A preferência sexual portanto, não depende de cultura, família, valores, educação nada disto . A OPÇÃO sexual, sim esta sim depende.
  20. 20. Adolescência: um período de reorganização cerebral  Longe de estar pronto ao final da infância, o cérebro ao chegar na adolescência, de fato já tem o seu tamanho total atingido, mas passa por uma série de transformações. A substância cinzenta diminui/afina e a substância branca ganha volume, provavelmente como resultado da mielinização. Nesta fase todos os cabos se conectam.
  21. 21. Adolescência: um período de reorganização cerebral  A mielinização é o processo de formação de capas de bainha de mielina, agem como sendo camadas isolantes ao redor dos axônios, que é o que permite uma maior rapidez e fidelidade na transmissão das informações no cérebro. Esse processo de mielinização se estende por toda a adolescência e chega até aos 25/30 anos.
  22. 22. Adolescência: um período de reorganização cerebral  As últimas partes do cérebro que amadurece são as regiões mais frontais, que são responsáveis pela modulação emocional do comportamento.
  23. 23. Adolescência: um período de reorganização cerebral  Até a puberdade o corpo cresce de 4 a 6 centímetro por ano.  A partir da puberdade de 9 a 10 centímetro por ano. Crescimento igual ao dos cabelos.  O adolescente ganha de 30 a 50 centímetro e cerca de 30 quilos em 3 anos.
  24. 24. Adolescência: um período de reorganização cerebral  A primeira região do córtex cerebral que passa por estas modificações é justamente aquela que representa o corpo como um todo, o espaço corporal. São as regiões do córtex que se cria uma imagem do corpo que o restante do cérebro usa para mapear o nosso espaço. Precisamos levar em consideração que o começo da adolescência é uma fase de crescimento corporal muito rápido que o cérebro não consegue acompanhar.
  25. 25. Adolescência: um período de reorganização cerebral  Talvez daí resulte o adolescente estabanado e desengonçado, que é tão característico aos 12/13 anos de idade.  Com o tempo e com a experiência o cérebro consegue atualizar os seus mapas no corpo. Nesta fase o adolescente descobre por si mesmo que a atividade física é muito importante como oportunidade para o cérebro ajustar os seus movimentos. Necessidade de ficar horas na frente do espelho.
  26. 26. Adolescência: um período de reorganização cerebral  Nesta fase de 10 a 14 anos outra região do cérebro “os núcleos da base”, passam por uma limpeza e diminuem de volume. Essa reorganização faz com que o cérebro seja capaz de participar da criação de programas motores. Seja, capaz de criar uma seqüência completa de movimentos, ações e pensamentos. Descoberta de grandes talentos motores.
  27. 27. Mais estímulos, mais riscos,mais drogas, mais tudo  Uma das características mais evidente da adolescência é o Tédio. O tédio para a neurociência moderna pode ser visto como uma consequência de uma transformação grande do sistema de recompensa, que é aquele conjunto de estruturas no cérebro que são responsáveis por sinalizar quando algo dá certo ou tem chance de dar certo, é o que permite que a gente tenha motivação, vontade de fazer alguma coisa.
  28. 28. Mais estímulos, mais riscos,mais drogas, mais tudo  O sistema de recompensa no adolescente perde cerca de 30 a 50% da sensibilidade, o resultado é que tudo o que o cérebro antes achava interessante, agradável, satisfatório, subitamente perde a graça. Aí a gente pode entender aquele Tédio do adolescente. A boneca não interessa mais.
  29. 29. O que ativa o sistema de recompensa no adolescente?  Dinheiro  Novidade  Comida  Exercícios  Riscos voluntários  Jogar vídeo game  Ver um rosto bonito.
  30. 30. O que ativa o sistema de recompensa no adolescente?  O adolescente encontra novos prazeres em novidades, em novas atividades que o cérebro em transformação consegue alcançar, como por exemplo:  Atividades intelectuais, que diz respeito a raciocínio abstrato;  A filosofia;  A literatura;  A religião;  A política  Tudo isso são novidades atraentes e interessantes para os adolescentes.
  31. 31. O que ativa o sistema de recompensa no adolescente?  Nesta fase também é que o adolescente fica especialmente vulnerável a correr riscos e ele precisa e gosta de correr riscos, porque é uma maneira de ativar o sistema de recompensa. Assim, o adolescente torna intrinsecamente mais vulnerável a formação de vícios.
  32. 32. O que ativa o sistema de recompensa no adolescente?  Drogas ativação direta do sistema de recompensa.  Mecanismo de ação: aumento da dopamina  Muita dopamina é bom – demais é problema  Sistema de recompensa- ativação demais – dessensibilização- cada vez mais drogas- cada vez menos prazer – vício.
  33. 33. O que ativa o sistema de recompensa no adolescente?  O sistema de recompensa do cérebro do adolescente em transformação, se ele passa por esta nova fase do desenvolvimento na presença das drogas, ele se adapta com a presença destas substâncias e portanto, tem uma chance muito maior de se tornar um dependente ao longo de toda a vida. Além disto, a impaciência talvez resultado justamente desta incapacidade de antecipar prazeres, ela é um problema para o adolescente sobretudo porque ela se soma a uma imaturidade do córtex pré frontal que é a parte do cérebro responsável pelo controle de impulsos a combinação de todas essas coisas, então resulta em um adolescente que aos seus 14/15 anos tem uma necessidade enorme de encontrar novos prazeres, novas fontes de satisfação, mas ainda não tem a capacidade de se auto regular, de se auto controlar, de gerenciar seus impulsos.
  34. 34. O grupo de amigos  Todos os novos estímulos e novos prazeres que o adolescente precisa, ele encontra em seus amigos, que tem a mesma idade, que estão passando pelas mesmas transformações. Prefere os amigos aos pais, porque esses últimos o seu sistema de recompensa já conhece.
  35. 35. Controle e Planejamento  Graças ao amadurecimento das regiões pré- frontais do córtex a adolescência é um período mágico e fabuloso que o adolescente descobre muitas capacidades, a sua atenção melhora muito, a sua capacidade de processar informações de maneira abstrata é depertada, desta forma o adolescente se descobre interessado por filosofia, política, religião. Combinado com um aumento enorme na capacidade de memória e processamento da linguagem.
  36. 36. Controle e Planejamento  O cérebro do adolescente nesta fase é cheio de novas possibilidades que se for encorajado o suficiente, se receber oportunidades suficientes ele tem tudo o que precisa para descobrir os seus novos interesses e desenvolver novas capacidades. A adolescência de certa forma é um período em que o cérebro aprende a tomar decisões em um circulo social expandido.
  37. 37. Controle dos Impulsos  Uma das capacidades que o adolescente ganha com o amadurecimento do córtex pré frontal é o controle executivo. A gente pode chamar o controle executivo, capacidade de contar até 10 antes de xingar a mãe.
  38. 38. Controle dos Impulsos  Ao final da adolescência, com o amadurecimento do córtex pré frontal combinado com as experiências adquiridas ao longo do processo, permite que o adolescente não só seja capaz de controlar os seus impulsos, mas também de combinar isso com o raciocínio abstrato e de se colocar no lugar do outro, e levar os outros em consideração na hora de organizar o seu comportamento. Até que isso não aconteça o cérebro do adolescente é um prato cheio para problemas.
  39. 39. Controle dos Impulsos  O adolescente é impulsivo, ele precisa de novos estímulos, novas fontes de prazer, mas ele não tem a capacidade de se auto controlar, de olhar para si mesmo e antecipar os problemas.
  40. 40. Prevendo as consequencias  Antecipar problemas ou mais do que isto, antecipar as consequências das próprias ações é função do córtex órbito frontal, essa é uma das ultimas partes do cérebro de um adolescente a amadurecer, lá pelos 18/19 anos de idade. Isto quer dizer que antes desta idade o adolescente não tem a capacidade de antecipar as consequencias de seus atos e de se responsabilizar por eles.
  41. 41. O que fazer até esse cérebro amadurecer ?  O que nós adultos, pais ou educadores podemos fazer nesta época da adolescência, em que o jovem ainda não é capaz de controlar os seus próprios atos, nem de prever as consequencias do seu comportamento.  Emprestar o cérebro
  42. 42. Emprestando o Cérebro  A adolescência é uma fase de aprendizado e aprendizado social. O adolescente precisa ter experiências próprias, ele precisa aprender por tentativas e erros e aprender a tomar decisões só é possível tomando decisões.
  43. 43. Empatia e Teoria da Mente  É no final da adolescência que o cérebro adquire a capacidade de prever e antecipar as consequências dos próprios atos e de se colocar no lugar dos outros, desenvolvimento da empatia e da Teoria da Mente.
  44. 44. Empatia e Teoria da Mente  As últimas partes do cérebro a ficarem prontas ao final da adolescência, são aquelas que hoje a gente chama de circuito social, são varias regiões do córtex envolvidas, não só a empatia, ou seja a capacidade de sentir, de sofrer o que o outro sente ou sofre, mas também de se colocar no lugar do outro, de intuir o que o outro deve estar sentido, como reagiria, como a outra pessoa deve sentir se eu agir de tal forma.
  45. 45. Empatia e Teoria da Mente  Teoria da Mente é uma hipótese para explicar como a mente funciona. É a capacidade que nós adultos temos de intuir o que o outro deve estar pensando. Ou seja, de gerar hipóteses sobre o conteúdo mental da outra pessoa como ela se sente, o que ela deseja, o que maneja fazer .
  46. 46. SAIBA  Música : SAIBA – Adriana Calcanhoto  Acontecimentos são comuns, porém as experiências são particulares, deste modo, ninguém pode aprender as experiências do outro, a menos que esta seja de alguma forma revivida e tomada como própria.  Temos percursos iguais: ser criança, ter pai/mãe,passar pela adolescência...Experiências semelhantes e o quanto, não nos reconhecemos
  47. 47. História dos Casamentos  Relacionamentos Tênis: no jogo de tênis temos que achar os pontos fracos do adversário, bola curta...esquerda. Queremos sempre ganhar  Relacionamentos Frescobol: os jogadores tem que estar em sintonia, amaciando a bola para o parceiro, tendo um bom encontro.
  48. 48. Adolescência  Precisamos redesenhar a adolescência, temos que repensar a adolescência como possibilidades ao invés de uma problemática. Precisamos ver a adolescência de uma outra janela.  Proposta : Conhecimento/Informação  Diálogo
  49. 49. Obrigado  Psicóloga / Coordenadora Técnica  Projeto S.E.R- Serviço Especial de Reabilitação  E-mail: vilma-bianchi@bol.com.br  Face: Vilma Bianchi

×