SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução de
    Kanban
p/ Times Scrum
   Camilo Almendra
 camilo.almendra@gmail.com
Então, você adotou Scrum!
Iterações Time-box, Feedback constante

                             Flexibilidade nas mudanças

Funções mais valiosas entregues primeiro

                                    Projetos de sucesso

Time motivado, Cliente satisfeito

                       Cliente quer mais, novos projetos

                  “Scrum é o que há!”
Cliente: “De novo!”
                       Produtos legados, Novos projetos

Produtos anteriores em produção

                 Atividades de manutenção e construção

Prioridades: Produção > Projetos

       Time do projeto == Time do projeto anterior
Mas... algo não está certo!
Indicadores
                     Realocação de time durante sprints

Metas de sprints não atingidas

                                 Cancelamento de sprints

Demora para entregar correções

                       Insatisfação do cliente, da equipe
Faísca
3 de 5 Razões Corretas
#1. Entregar a qualquer momento
#2. Mudar prioridades a qualquer momento
#3. Não necessidade de Iterações
#4. Não necessidade de estimativas
#5. Visualização do fluxo
0 de 5 Razões Erradas
#1. Estórias grandes difíceis de quebrar
#2. Iterações mal-sucedidas
#3. Retrospectivas mal-sucedidas
#4. Compartilhamento de pessoas
#5. Busca por simplicidade
O termo Kanban
Kan = “visual”

                              Ban = “cartão” ou “quadro”

Kanban = sinalização visual

      Século 17, Japão: usado no sistema de comércio

Símbolos usados como analogias

            Como o termo foi associado a produção?
Toyota estudou o sistema dos
      supermercados
Produção Puxada
Demanda do mercado “puxa” a produção

         Cada passo da produção é “cliente” do anterior

Clientes só consomem o necessário

            Fornecedor só produz o que será consumido

Produção equalizada

                Kanban é usado para ajustar o processo
Kanban Básico
Backlog       Processo 1       Processo 2       Processo 3       Feito
          3                2                4                3
H              G                E               F                C       A

 I                                              B                D

J




               Visualizar o fluxo de trabalho
Kanban Básico
Backlog        Processo 1       Processo 2       Processo 3       Feito
           3                2                4                3
H               G                E               F                C       A

 I                                               B                D

J




          Limitar o trabalha em andamento (WIP)
Kanban Básico
Backlog       Processo 1       Processo 2       Processo 3       Feito
          3                2                4                3
H              G                E               F                C       A

 I                                              B                D

J




     Medir o tempo total de resposta (lead time)
Kanban Exemplo
Backlog       A&P           Desenv.       Teste           Implan.
          5             3             4               3             5




    Em andamento             Pronta p/ próxima fase


                    Onde está o gargalo?
Kanban Exemplo
Backlog       A&P         Desenv.       Teste           Implan.
          5           3             4               3             5




    Em andamento           Pronta p/ próxima fase


                    Liberando o fluxo
Kanban Exemplo
Backlog       A&P         Desenv.       Teste           Implan.
          5           3             4               3             5




    Em andamento           Pronta p/ próxima fase


                    Liberando o fluxo
Iniciando com Kanban
Mapear a cadeia de valor

                     Definir os pontos de início e término

Estabelecer WIP para as fases...

              ... e políticas para mudanças nesses valores

Estabelecer classes de serviço...

            ... e critérios de seleção de trabalho
Iniciando com Kanban
Desenhar o quadro Kanban

                                      Começar a usar!

Acompanhar o Lead Time

                               Ajustar empiricamente

Mude o WIP...

                           ... e veja o impacto no Lead
                                     Time ou ociosidade
Kanban vs. Scrum
 Scrum             Papéis        Kanban

Time                                      ?

ScrumMaster

Product Owner
Kanban vs. Scrum
Scrum             Atividades Regulares        Kanban

                                     Cadências distintas
Iterações
 Planejamento

 Trabalho

 Entregas

 Revisões

 Retrospectivas
Kanban vs. Scrum
 Scrum          Trabalho em Andamento         Kanban

Por Sprint                                     Por Fase

Velocidade adequada,                    WIP controlado,
ritmo sustentável                       overhead baixo

Lead Time = 1 Sprint             Lead Time é previsto
(mín.)
                                 Itens com tamanhos
Soma dos tamanhos ~=                 parecidos (ideal)
           Velocidade
Kanban vs. Scrum
 Scrum                  Mudanças                Kanban

Não dentro da Sprint!                    Respeitar a WIP

Adicionar ao Backlog                Adicionar ao Backlog

Priorizar                          Priorizar ao longo das
                                                    fases
Lead Time =                        Lead Time é previsto,
~2 Sprints (máx.)                  pode variar por classe
                                               de serviço
Kanban vs. Scrum
 Scrum                 Quadro      Kanban

Zerado a cada Sprint             Sempre vivo
Kanban vs. Scrum
Kanban apoia processos Lean/JIT

                      Scrum apoia desenvolvimento ágil

Kanban nasceu na indústria de manufatura

          Scrum nasceu na indústria de software


        Kanban é mais prescritivo do que Scrum
Referências
Kanban and Scrum – making the best of both
http://www.infoq.com/minibooks/kanban-scrum-minibook


Kanban Distilled (Tutorial curto)
http://www.kanbandistilled.com/


Verbetes Wikipedia
http://en.wikipedia.org/wiki/Kanban
http://en.wikipedia.org/wiki/Lean_IT


InfoQ Content on Kanban
http://www.infoq.com/Kanban
Licença




      Onde rever slides
http://www.slideshare.net/ccalmendra

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides almoxarifado 1255637095
Slides almoxarifado 1255637095Slides almoxarifado 1255637095
Slides almoxarifado 1255637095
Mônica Pereira de Souza
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
Mayra de Souza
 
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo FisicoAdministração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
douglas
 
Aula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunosAula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunos
Marcus Leal
 
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento LeanSistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Mayra de Souza
 
Os 7 Desperdicios
Os 7 DesperdiciosOs 7 Desperdicios
Os 7 Desperdicios
Jay Cruz
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
Raylson Rabelo
 
Osm aula1
Osm aula1Osm aula1
Osm aula1
Joel Vian
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
Mauro Enrique
 
Exercícios Administração da Produção
Exercícios Administração da ProduçãoExercícios Administração da Produção
Exercícios Administração da Produção
Fernanda Paola Butarelli
 
Kanban
Kanban Kanban
Tomada de decisão
Tomada de decisãoTomada de decisão
Tomada de decisão
Leila Oliva
 
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo FísicoAula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Wilian Gatti Jr
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
Fabricio Pangoni
 
Engenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos ConceitosEngenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos Conceitos
Alexandre Bonifacio Silva
 
Logística - Fundamentos
Logística - FundamentosLogística - Fundamentos
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
trainertek
 
Aula de tga
Aula de tgaAula de tga
Aula de tga
Francisco Inácio
 

Mais procurados (20)

Slides almoxarifado 1255637095
Slides almoxarifado 1255637095Slides almoxarifado 1255637095
Slides almoxarifado 1255637095
 
Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo FisicoAdministração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
Administração de Produção - Layout/Arranjo Fisico
 
Aula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunosAula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunos
 
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento LeanSistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
 
Os 7 Desperdicios
Os 7 DesperdiciosOs 7 Desperdicios
Os 7 Desperdicios
 
Arranjo físico layout
Arranjo físico   layoutArranjo físico   layout
Arranjo físico layout
 
Osm aula1
Osm aula1Osm aula1
Osm aula1
 
Estudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalhoEstudo do método de trabalho
Estudo do método de trabalho
 
Exercícios Administração da Produção
Exercícios Administração da ProduçãoExercícios Administração da Produção
Exercícios Administração da Produção
 
Kanban
Kanban Kanban
Kanban
 
Tomada de decisão
Tomada de decisãoTomada de decisão
Tomada de decisão
 
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo FísicoAula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
 
Ferramentas da qualidade
Ferramentas da qualidadeFerramentas da qualidade
Ferramentas da qualidade
 
Engenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos ConceitosEngenharia De MéTodos Conceitos
Engenharia De MéTodos Conceitos
 
Logística - Fundamentos
Logística - FundamentosLogística - Fundamentos
Logística - Fundamentos
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Aula de tga
Aula de tgaAula de tga
Aula de tga
 

Destaque

O que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com eleO que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com ele
Rodrigo Yoshima
 
Scrum uma visão prática do framework
Scrum   uma visão prática do frameworkScrum   uma visão prática do framework
Scrum uma visão prática do framework
Roberto Passani Gomes
 
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouEstrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
PROIDDBahiana
 
Kanban, elementos visuais para gestão de impacto
Kanban, elementos visuais para gestão de impactoKanban, elementos visuais para gestão de impacto
Kanban, elementos visuais para gestão de impacto
Leandro Faria
 
Menos reunião e mais post-it: Kanban na prática
Menos reunião e mais post-it: Kanban na práticaMenos reunião e mais post-it: Kanban na prática
Menos reunião e mais post-it: Kanban na prática
Rodrigo Vieira
 
Treinamento Scrum - Módulo
Treinamento Scrum - MóduloTreinamento Scrum - Módulo
Treinamento Scrum - Módulo
Alberto Caeiro, CSPO, CSM, PMP
 
Curriculum vitae
Curriculum vitaeCurriculum vitae
Curriculum vitae
alexandre lopes simões
 
Kanban
KanbanKanban
LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN
LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN
LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN
Fernando Palma
 
Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)
Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)
Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)
LAZOVOY
 
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Rildo (@rildosan) Santos
 
Kanban para Desenvolvimento de Software
Kanban para Desenvolvimento de SoftwareKanban para Desenvolvimento de Software
Kanban para Desenvolvimento de Software
Rildo (@rildosan) Santos
 

Destaque (12)

O que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com eleO que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com ele
 
Scrum uma visão prática do framework
Scrum   uma visão prática do frameworkScrum   uma visão prática do framework
Scrum uma visão prática do framework
 
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouEstrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
 
Kanban, elementos visuais para gestão de impacto
Kanban, elementos visuais para gestão de impactoKanban, elementos visuais para gestão de impacto
Kanban, elementos visuais para gestão de impacto
 
Menos reunião e mais post-it: Kanban na prática
Menos reunião e mais post-it: Kanban na práticaMenos reunião e mais post-it: Kanban na prática
Menos reunião e mais post-it: Kanban na prática
 
Treinamento Scrum - Módulo
Treinamento Scrum - MóduloTreinamento Scrum - Módulo
Treinamento Scrum - Módulo
 
Curriculum vitae
Curriculum vitaeCurriculum vitae
Curriculum vitae
 
Kanban
KanbanKanban
Kanban
 
LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN
LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN
LIVRO GRATUITO SCRUM X KANBAN
 
Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)
Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)
Плата за въезд в центр города (на примере Лондона и Стокгольма)
 
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
 
Kanban para Desenvolvimento de Software
Kanban para Desenvolvimento de SoftwareKanban para Desenvolvimento de Software
Kanban para Desenvolvimento de Software
 

Semelhante a Introdução de Kanban para Equipes Scrum

Kanban pragmático
Kanban pragmáticoKanban pragmático
Kanban pragmático
Paulo Rebelo, MSc, PMP, CSP
 
O sistema Kanban
O sistema KanbanO sistema Kanban
O sistema Kanban
Dairton Bassi
 
Entendendo Scrum, Kanban e Programação Extrema
Entendendo Scrum, Kanban e Programação ExtremaEntendendo Scrum, Kanban e Programação Extrema
Entendendo Scrum, Kanban e Programação Extrema
Dairton Bassi
 
Scrum com Kanban: construindo pontes e não paredes
Scrum com Kanban: construindo pontes e não paredesScrum com Kanban: construindo pontes e não paredes
Scrum com Kanban: construindo pontes e não paredes
Rodrigo Silva Pinto
 
Kanban Apresentação Encontro Rational 2013
Kanban Apresentação Encontro Rational 2013Kanban Apresentação Encontro Rational 2013
Kanban Apresentação Encontro Rational 2013
Felipe Freire
 
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processoKanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Rodrigo Yoshima
 
Apresentacao tec talks - lean e scrum v05
Apresentacao   tec talks - lean e scrum v05Apresentacao   tec talks - lean e scrum v05
Apresentacao tec talks - lean e scrum v05
nsitechtalks
 
Metodologia ágil e frameworks para aplicação
Metodologia ágil e frameworks para aplicaçãoMetodologia ágil e frameworks para aplicação
Metodologia ágil e frameworks para aplicação
Stefanie Martins
 
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Rodrigo Yoshima
 
Kanban Aplicado ao Setor Operacional do Serpro
Kanban Aplicado ao Setor Operacional do SerproKanban Aplicado ao Setor Operacional do Serpro
Kanban Aplicado ao Setor Operacional do Serpro
Patrick Silva
 
Uma introdução ao Scrum
Uma introdução ao ScrumUma introdução ao Scrum
Uma introdução ao Scrum
Evandro Agnes
 
The Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdf
The Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdfThe Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdf
The Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdf
Fabio Perrotta de Andrade
 
Conceito e aplicação de métodos ágeis
Conceito e aplicação de métodos ágeisConceito e aplicação de métodos ágeis
Conceito e aplicação de métodos ágeis
José Roberto Bolognani
 
Kanban
KanbanKanban
Kanban
Miguel Alho
 
Palestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia ScrumPalestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia Scrum
Personal
 
Bate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todos
Bate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todosBate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todos
Bate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todos
Hugo Penna
 
Slides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanbanSlides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanban
Jônatas Ferreira
 
Apresentação da monografia - PRONTO
Apresentação da monografia - PRONTOApresentação da monografia - PRONTO
Apresentação da monografia - PRONTO
Luiz Faias Junior
 
Método Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativo
Método Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativoMétodo Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativo
Método Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativo
Jefferson Affonso - PMP®, ITIL®, MCTS®, MBA
 
Ebook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividades
Ebook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividadesEbook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividades
Ebook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividades
MemoryCursos
 

Semelhante a Introdução de Kanban para Equipes Scrum (20)

Kanban pragmático
Kanban pragmáticoKanban pragmático
Kanban pragmático
 
O sistema Kanban
O sistema KanbanO sistema Kanban
O sistema Kanban
 
Entendendo Scrum, Kanban e Programação Extrema
Entendendo Scrum, Kanban e Programação ExtremaEntendendo Scrum, Kanban e Programação Extrema
Entendendo Scrum, Kanban e Programação Extrema
 
Scrum com Kanban: construindo pontes e não paredes
Scrum com Kanban: construindo pontes e não paredesScrum com Kanban: construindo pontes e não paredes
Scrum com Kanban: construindo pontes e não paredes
 
Kanban Apresentação Encontro Rational 2013
Kanban Apresentação Encontro Rational 2013Kanban Apresentação Encontro Rational 2013
Kanban Apresentação Encontro Rational 2013
 
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processoKanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
 
Apresentacao tec talks - lean e scrum v05
Apresentacao   tec talks - lean e scrum v05Apresentacao   tec talks - lean e scrum v05
Apresentacao tec talks - lean e scrum v05
 
Metodologia ágil e frameworks para aplicação
Metodologia ágil e frameworks para aplicaçãoMetodologia ágil e frameworks para aplicação
Metodologia ágil e frameworks para aplicação
 
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
 
Kanban Aplicado ao Setor Operacional do Serpro
Kanban Aplicado ao Setor Operacional do SerproKanban Aplicado ao Setor Operacional do Serpro
Kanban Aplicado ao Setor Operacional do Serpro
 
Uma introdução ao Scrum
Uma introdução ao ScrumUma introdução ao Scrum
Uma introdução ao Scrum
 
The Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdf
The Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdfThe Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdf
The Lean Approach to Project Management - Lean Conference Aveiro.pdf
 
Conceito e aplicação de métodos ágeis
Conceito e aplicação de métodos ágeisConceito e aplicação de métodos ágeis
Conceito e aplicação de métodos ágeis
 
Kanban
KanbanKanban
Kanban
 
Palestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia ScrumPalestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia Scrum
 
Bate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todos
Bate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todosBate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todos
Bate papo sobre Lean Kanban em times de tecnologia - Mais todos
 
Slides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanbanSlides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanban
 
Apresentação da monografia - PRONTO
Apresentação da monografia - PRONTOApresentação da monografia - PRONTO
Apresentação da monografia - PRONTO
 
Método Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativo
Método Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativoMétodo Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativo
Método Kanban - Introdução ao sistema ágil adaptativo
 
Ebook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividades
Ebook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividadesEbook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividades
Ebook kanban-como-gerenciar-fluxos-de-atividades
 

Mais de Camilo Almendra

NPI - Palestra WTISC 2015 - UFC Quixadá
NPI - Palestra WTISC 2015 - UFC QuixadáNPI - Palestra WTISC 2015 - UFC Quixadá
NPI - Palestra WTISC 2015 - UFC Quixadá
Camilo Almendra
 
Seminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@Quixadá
Seminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@QuixadáSeminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@Quixadá
Seminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@Quixadá
Camilo Almendra
 
Estágio Supervisionado e NPI - UFC Quixadá
Estágio Supervisionado e NPI - UFC QuixadáEstágio Supervisionado e NPI - UFC Quixadá
Estágio Supervisionado e NPI - UFC Quixadá
Camilo Almendra
 
Workshop de Requisitos
Workshop de RequisitosWorkshop de Requisitos
Workshop de Requisitos
Camilo Almendra
 
Gestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em EmpresasGestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em Empresas
Camilo Almendra
 
Empreendedorismo: Tendências na Internet
Empreendedorismo: Tendências na InternetEmpreendedorismo: Tendências na Internet
Empreendedorismo: Tendências na Internet
Camilo Almendra
 
Relato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLORelato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLO
Camilo Almendra
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
Camilo Almendra
 
Introdução a Gestão de Projetos
Introdução a Gestão de ProjetosIntrodução a Gestão de Projetos
Introdução a Gestão de Projetos
Camilo Almendra
 
Das Fábricas aos Time Auto-organizados
Das Fábricas aos Time Auto-organizadosDas Fábricas aos Time Auto-organizados
Das Fábricas aos Time Auto-organizados
Camilo Almendra
 
Introdução à Iniciação de Projetos de Software
Introdução à Iniciação de Projetos de SoftwareIntrodução à Iniciação de Projetos de Software
Introdução à Iniciação de Projetos de Software
Camilo Almendra
 
Dissertação - Janeiro/2003 - DC/UFC
Dissertação - Janeiro/2003 - DC/UFCDissertação - Janeiro/2003 - DC/UFC
Dissertação - Janeiro/2003 - DC/UFC
Camilo Almendra
 
Verificação, Validação e Teste de Software
Verificação, Validação e Teste de SoftwareVerificação, Validação e Teste de Software
Verificação, Validação e Teste de Software
Camilo Almendra
 
Introdução a Gerência de Configuração de Software
Introdução a Gerência de Configuração de SoftwareIntrodução a Gerência de Configuração de Software
Introdução a Gerência de Configuração de Software
Camilo Almendra
 

Mais de Camilo Almendra (14)

NPI - Palestra WTISC 2015 - UFC Quixadá
NPI - Palestra WTISC 2015 - UFC QuixadáNPI - Palestra WTISC 2015 - UFC Quixadá
NPI - Palestra WTISC 2015 - UFC Quixadá
 
Seminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@Quixadá
Seminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@QuixadáSeminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@Quixadá
Seminário - Estudos Empíricos em Engenharia de Software - RE@Quixadá
 
Estágio Supervisionado e NPI - UFC Quixadá
Estágio Supervisionado e NPI - UFC QuixadáEstágio Supervisionado e NPI - UFC Quixadá
Estágio Supervisionado e NPI - UFC Quixadá
 
Workshop de Requisitos
Workshop de RequisitosWorkshop de Requisitos
Workshop de Requisitos
 
Gestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em EmpresasGestão de Projetos de TI em Empresas
Gestão de Projetos de TI em Empresas
 
Empreendedorismo: Tendências na Internet
Empreendedorismo: Tendências na InternetEmpreendedorismo: Tendências na Internet
Empreendedorismo: Tendências na Internet
 
Relato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLORelato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLO
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em EquipeTrabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
 
Introdução a Gestão de Projetos
Introdução a Gestão de ProjetosIntrodução a Gestão de Projetos
Introdução a Gestão de Projetos
 
Das Fábricas aos Time Auto-organizados
Das Fábricas aos Time Auto-organizadosDas Fábricas aos Time Auto-organizados
Das Fábricas aos Time Auto-organizados
 
Introdução à Iniciação de Projetos de Software
Introdução à Iniciação de Projetos de SoftwareIntrodução à Iniciação de Projetos de Software
Introdução à Iniciação de Projetos de Software
 
Dissertação - Janeiro/2003 - DC/UFC
Dissertação - Janeiro/2003 - DC/UFCDissertação - Janeiro/2003 - DC/UFC
Dissertação - Janeiro/2003 - DC/UFC
 
Verificação, Validação e Teste de Software
Verificação, Validação e Teste de SoftwareVerificação, Validação e Teste de Software
Verificação, Validação e Teste de Software
 
Introdução a Gerência de Configuração de Software
Introdução a Gerência de Configuração de SoftwareIntrodução a Gerência de Configuração de Software
Introdução a Gerência de Configuração de Software
 

Último

Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 

Último (7)

Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 

Introdução de Kanban para Equipes Scrum

  • 1. Introdução de Kanban p/ Times Scrum Camilo Almendra camilo.almendra@gmail.com
  • 2. Então, você adotou Scrum! Iterações Time-box, Feedback constante Flexibilidade nas mudanças Funções mais valiosas entregues primeiro Projetos de sucesso Time motivado, Cliente satisfeito Cliente quer mais, novos projetos “Scrum é o que há!”
  • 3. Cliente: “De novo!” Produtos legados, Novos projetos Produtos anteriores em produção Atividades de manutenção e construção Prioridades: Produção > Projetos Time do projeto == Time do projeto anterior
  • 4. Mas... algo não está certo!
  • 5. Indicadores Realocação de time durante sprints Metas de sprints não atingidas Cancelamento de sprints Demora para entregar correções Insatisfação do cliente, da equipe
  • 7. 3 de 5 Razões Corretas #1. Entregar a qualquer momento #2. Mudar prioridades a qualquer momento #3. Não necessidade de Iterações #4. Não necessidade de estimativas #5. Visualização do fluxo
  • 8. 0 de 5 Razões Erradas #1. Estórias grandes difíceis de quebrar #2. Iterações mal-sucedidas #3. Retrospectivas mal-sucedidas #4. Compartilhamento de pessoas #5. Busca por simplicidade
  • 9. O termo Kanban Kan = “visual” Ban = “cartão” ou “quadro” Kanban = sinalização visual Século 17, Japão: usado no sistema de comércio Símbolos usados como analogias Como o termo foi associado a produção?
  • 10. Toyota estudou o sistema dos supermercados
  • 11. Produção Puxada Demanda do mercado “puxa” a produção Cada passo da produção é “cliente” do anterior Clientes só consomem o necessário Fornecedor só produz o que será consumido Produção equalizada Kanban é usado para ajustar o processo
  • 12. Kanban Básico Backlog Processo 1 Processo 2 Processo 3 Feito 3 2 4 3 H G E F C A I B D J Visualizar o fluxo de trabalho
  • 13. Kanban Básico Backlog Processo 1 Processo 2 Processo 3 Feito 3 2 4 3 H G E F C A I B D J Limitar o trabalha em andamento (WIP)
  • 14. Kanban Básico Backlog Processo 1 Processo 2 Processo 3 Feito 3 2 4 3 H G E F C A I B D J Medir o tempo total de resposta (lead time)
  • 15. Kanban Exemplo Backlog A&P Desenv. Teste Implan. 5 3 4 3 5 Em andamento Pronta p/ próxima fase Onde está o gargalo?
  • 16. Kanban Exemplo Backlog A&P Desenv. Teste Implan. 5 3 4 3 5 Em andamento Pronta p/ próxima fase Liberando o fluxo
  • 17. Kanban Exemplo Backlog A&P Desenv. Teste Implan. 5 3 4 3 5 Em andamento Pronta p/ próxima fase Liberando o fluxo
  • 18. Iniciando com Kanban Mapear a cadeia de valor Definir os pontos de início e término Estabelecer WIP para as fases... ... e políticas para mudanças nesses valores Estabelecer classes de serviço... ... e critérios de seleção de trabalho
  • 19. Iniciando com Kanban Desenhar o quadro Kanban Começar a usar! Acompanhar o Lead Time Ajustar empiricamente Mude o WIP... ... e veja o impacto no Lead Time ou ociosidade
  • 20. Kanban vs. Scrum Scrum Papéis Kanban Time ? ScrumMaster Product Owner
  • 21. Kanban vs. Scrum Scrum Atividades Regulares Kanban Cadências distintas Iterações Planejamento Trabalho Entregas Revisões Retrospectivas
  • 22. Kanban vs. Scrum Scrum Trabalho em Andamento Kanban Por Sprint Por Fase Velocidade adequada, WIP controlado, ritmo sustentável overhead baixo Lead Time = 1 Sprint Lead Time é previsto (mín.) Itens com tamanhos Soma dos tamanhos ~= parecidos (ideal) Velocidade
  • 23. Kanban vs. Scrum Scrum Mudanças Kanban Não dentro da Sprint! Respeitar a WIP Adicionar ao Backlog Adicionar ao Backlog Priorizar Priorizar ao longo das fases Lead Time = Lead Time é previsto, ~2 Sprints (máx.) pode variar por classe de serviço
  • 24. Kanban vs. Scrum Scrum Quadro Kanban Zerado a cada Sprint Sempre vivo
  • 25. Kanban vs. Scrum Kanban apoia processos Lean/JIT Scrum apoia desenvolvimento ágil Kanban nasceu na indústria de manufatura Scrum nasceu na indústria de software Kanban é mais prescritivo do que Scrum
  • 26. Referências Kanban and Scrum – making the best of both http://www.infoq.com/minibooks/kanban-scrum-minibook Kanban Distilled (Tutorial curto) http://www.kanbandistilled.com/ Verbetes Wikipedia http://en.wikipedia.org/wiki/Kanban http://en.wikipedia.org/wiki/Lean_IT InfoQ Content on Kanban http://www.infoq.com/Kanban
  • 27. Licença Onde rever slides http://www.slideshare.net/ccalmendra