O Idesam Organização Não Governamental Sede: Manaus – AM, fundação em 2004 Trabalha para promover a conservação dos rec...
O CLIMA ESTÁ MUDANDO!!!
Etapa crucial para o clima!!!     Estamos no momento de uma nova     pregunta para a negociação do período     pos-Kioto: ...
Fonte: Nobre, 2006
No Mundo…            Furacão Katrina (2005)
Furacão Ike (2008)
Nasa,   Nasa,1989    2003
Mar Aral, o 4° maior do                         mundoA superficie foi reduzida em 60%              e o volume em 80%.
Furacão Catarina, 2005  No Brasil...Fonte: Nobre, 2006
Na Amazônia...
Na Amazônia...
Na Amazônia...
MAMA MIA !!!!            Foto: Marcelo Gordo
Como MITIGAR?!?!?!?!CARBONEUTRALIZAÇÃO!!!!!
Como funciona??????
Objetivo do Programa Carbono Neutro (PCN)  Neutralizar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) de   Instituições inter...
PASSO A PASSO1. Identificar            2. Buscar parceiros       3. Inventário de           4. Implantar o SAF         5. ...
Metodologia de Quantificação de      Emissões de GEE             Protocolo GHG        Instituições Competentes
GHG Protocol Guia de boas práticas para realização de inventários  corporativos. Este guia está voltado à compreensão,  q...
Metodologia Sequestro de Carbono      Conversão Agroecológica    Recuperação de áreas degradas
Localização              Programa              Carbono               Neutro
Queima-se a vegetação                   Cultiva-se: mandioca (3 anos)Fonte: Plano de Gestão RDS do Uatumã, 2008
6.000 ha de áreas degradadas!!!
O que fazer???? Opção: Sistemas Agroflorestais!   Sistema que alia produção com conservação; Em um SAF, estarão present...
Fonte: Dubois et al. (1996)Fonte: Dubois et al. (1996)
Modelo de SAF desenhado por comunitário em Oficina deCapacitação       Fonte: Sr. Aldemir Queiroz – Comunitário da RDS do ...
Uso Tradicional – RDS do Uatumã                                                                        Estoque de Carbono ...
Linha de Base                                                                       Estoque de Carbono             90     ...
Sistema Agroflorestal - PCN                                                                  Estoque de Carbono           ...
Dinâmica de Carbono do PCN                                                                         Estoque de Carbono     ...
Análise Econômica - SAF               Investimento:                                 Retorno Previsto (10 anos,            ...
Bibliografia   Fearnside, P.M. e Guimarães, W.M. (1996). Carbon uptake by secondary forests in    Brazilian Amazonia. For...
Parceiros:
Obrigado!!!            Eduardo RizzoCoord. Prog. Unidades de Conservação    eduardo.rizzo@idesam.org.br           (92) 330...
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo

479 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
479
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dia 3 - Simpósio 2 - Estratégias de mitigação a mudanças climáticas baseadas em SAFs - Eduardo rizzo

  1. 1. O Idesam Organização Não Governamental Sede: Manaus – AM, fundação em 2004 Trabalha para promover a conservação dos recursos naturais, o desenvolvimento social, a busca pelo equilíbrio climático e o desenvolvimento sustentável da Amazônia. Programa de Unidades de Conservação Programa de Mudanças Climáticas Programa de Manejo dos Recursos Naturais
  2. 2. O CLIMA ESTÁ MUDANDO!!!
  3. 3. Etapa crucial para o clima!!! Estamos no momento de uma nova pregunta para a negociação do período pos-Kioto: Que clima queremos na Terra???? Após 13 anos desde o Protocolo de Kioto (1997), estivemos marcados por uma forte tomada de conciencia. Também adquirimos uma maior precisão das pesquisas científicas.
  4. 4. Fonte: Nobre, 2006
  5. 5. No Mundo… Furacão Katrina (2005)
  6. 6. Furacão Ike (2008)
  7. 7. Nasa, Nasa,1989 2003
  8. 8. Mar Aral, o 4° maior do mundoA superficie foi reduzida em 60% e o volume em 80%.
  9. 9. Furacão Catarina, 2005 No Brasil...Fonte: Nobre, 2006
  10. 10. Na Amazônia...
  11. 11. Na Amazônia...
  12. 12. Na Amazônia...
  13. 13. MAMA MIA !!!! Foto: Marcelo Gordo
  14. 14. Como MITIGAR?!?!?!?!CARBONEUTRALIZAÇÃO!!!!!
  15. 15. Como funciona??????
  16. 16. Objetivo do Programa Carbono Neutro (PCN) Neutralizar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) de Instituições interessadas a partir de “créditos” gerados pela implantação de um modelo de desenvolvimento social de “baixo- carbono” Perenizando a produção agrícola e florestal através da implantação de sistemas agroflorestais.
  17. 17. PASSO A PASSO1. Identificar 2. Buscar parceiros 3. Inventário de 4. Implantar o SAF 5. Monitorarprodutores interessados Emissões • Firmar contrato com • Inventariar• Idesam já capacitou • Pequenas, médias e • Realizar inventário de os produtores, que se periodicamente o mais de 50 produtores grandes instituições; emissões de Gases do comprometem a estoque de carbono na em técnicas • Eventos; Efeito Estufa; manter o SAF por um área plantada. agroecológicas: • Pessoas físicas; • Identificar e período não inferior a recomendar 27 anos; • Outros.• Curso Agricultura estratégias internas • Fornecer subsídio tropical para redução de necessário para o• Circuito emissões e eficiência estabelecimento do Agroecológico energética; SAF. • Converter em área de plantio necessária.
  18. 18. Metodologia de Quantificação de Emissões de GEE Protocolo GHG Instituições Competentes
  19. 19. GHG Protocol Guia de boas práticas para realização de inventários corporativos. Este guia está voltado à compreensão, quantificação e controle das emissões de GEEs e é utilizado por setores governamentais, privados, ONGs e demais organizações nacionais e internacionais que pretendem criar programas eficientes de combate as mudanças do clima. Disponível em http://www.ghgprotocol.org/
  20. 20. Metodologia Sequestro de Carbono Conversão Agroecológica Recuperação de áreas degradas
  21. 21. Localização Programa Carbono Neutro
  22. 22. Queima-se a vegetação Cultiva-se: mandioca (3 anos)Fonte: Plano de Gestão RDS do Uatumã, 2008
  23. 23. 6.000 ha de áreas degradadas!!!
  24. 24. O que fazer???? Opção: Sistemas Agroflorestais!  Sistema que alia produção com conservação; Em um SAF, estarão presentes espécies frutíferas, agrícolas e florestais, proporcionando uma otimização dos recursos e conservação do meio ambiente
  25. 25. Fonte: Dubois et al. (1996)Fonte: Dubois et al. (1996)
  26. 26. Modelo de SAF desenhado por comunitário em Oficina deCapacitação Fonte: Sr. Aldemir Queiroz – Comunitário da RDS do Uatumã (2010)
  27. 27. Uso Tradicional – RDS do Uatumã Estoque de Carbono 90 80 76,86 Niro et al. (2007) 70 60 50CO2 (t/ha) 40 Uso Tradicional 30 20 10 Fearnside (1996) 0,70 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Ano
  28. 28. Linha de Base Estoque de Carbono 90 80 76,86 70 60 50CO2 (t/ha) Uso Tradicional 40 Linha de Base 30 30,30 20 10 0,70 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Ano
  29. 29. Sistema Agroflorestal - PCN Estoque de Carbono 400 Souza et al (2008) 350 333,42 300 250CO2 (t/ha) 200 Sistema Agro Florestal 150 100 50 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Ano
  30. 30. Dinâmica de Carbono do PCN Estoque de Carbono 400 350 333,42 300 250 303,12 tCO2CO2 (t/ha) 200 Uso Tradicional Sistema Agro Florestal Linha de Base 150 100 76,86 50 30,30 0,70 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Ano
  31. 31. Análise Econômica - SAF Investimento: Retorno Previsto (10 anos, R$18.000,00 VLP – tx 10%): (financiado pelo PCN) R$188.782,00FONTE: Avaliação do Mercado Connsumidor para absorção dos produtos agroextrativistas da RDS do Uatumã,Garantizado, 2009; Custo de implantação de SAF PCN, Idesam, 2011.
  32. 32. Bibliografia Fearnside, P.M. e Guimarães, W.M. (1996). Carbon uptake by secondary forests in Brazilian Amazonia. Forest Ecology and Management, 80: p. 35-46. Idesam. Plano de Gestão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã. (2008) Itapiranga, São Sebastião do Uatumã-AM. Lima AJN, Teixeixa, L.M., Carneiro, V.M.C., Santos, J., Higuchi, N. (2007) Análise da estrutura e do estoque de fitomassa de uma floresta secundária da região de Manaus AM, dez anos após corte raso seguido de fogo. Acta Aamazônica VOL. 37(1) 2007: 49 – 54 Souza, C.R.; R.M.B. Lima, C.P. Azevedo e L. M. B. Rossi. (2008). Desempenho de espécies florestais para uso múltiplo na Amazônia. Scientia Forestalis 36(77):7-14. IPCC. IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, 2006. Disponível em http://www.ipcc-nggip.iges.or.jp/public/2006gl/index.html MCT. Primeiro Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa - Relatórios de Referência, 2006. Disponível em http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/17341.html Eletrobrás. Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Provenientes de Usinas Termelétricas (fontes fixas) 2003 – 2008, 2009. Disponível em www.eletrobras.com
  33. 33. Parceiros:
  34. 34. Obrigado!!! Eduardo RizzoCoord. Prog. Unidades de Conservação eduardo.rizzo@idesam.org.br (92) 3308-7360 (92) 8149-8194 – 9350-9170 www.idesam.org.br

×