VIII Congresso        Brasileiro de Sistemas            Agroflorestais   Produção e crescimento de Brachiariadecumbens sob...
•   Panorama da pecuária no MS;•   Metodologia;•   Resultados e discussão;•   Considerações.
ALERTA
172 milhões ha                              21 milhões ha de pastagens    BRASIL                         MS 8 milhões ha P...
Sustentabilidade  • HABILIDADE DE MANTER O SISTEMA AO            LONGO DO TEMPO.• Desenvolvimento sustentável:  desenvolvi...
• Definir o melhor espaçamento de plantio é  importante:  – influencia as taxas de crescimento;  – sobrevivência e produçã...
Objetivo• Avaliar o desenvolvimento de B. decumbens  em diferentes espaçamentos de E. urophylla.• Agregar sustentabilidade...
Metodologia•   Fazenda Campo Belo → Dourados (MS).•   Latossolo Vermelho distroférrico.•   Brachiaria decumbens.•   Eucaly...
Resultados e Discussão
• Rendimento total de matéria seca de B. decumbensem diferentes espaçamentos de E. urophylla.                             ...
• Sob as copas das árvores é possível que as  plantas tenham se beneficiado do efeito  positivo da decomposição da serapil...
Altura da B. decumbens em diferentes espaçamentos de                    E. urophylla.              57,4              57,2 ...
Área foliar da B. decumbens em diferentes espaçamentos                      de E. urophylla.                              ...
Conclusões• O sombreamento influenciou de forma  positiva a altura e a massa da forrageira.  – Quanto mais próximo às árvo...
• “ Cada um de nós pode trabalhar para mudar  uma pequena parte dos acontecimentos... A  história é feita de inúmeros atos...
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos

472 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
472
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Flavia Matos

  1. 1. VIII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais Produção e crescimento de Brachiariadecumbens sob diferentes espaçamentos emsistema silvipastoril no Mato Grosso do Sul. Flávia Araujo Matos Michele Lopes Yoshi Omar Daniel Thais Cremon Igor Murilo Bumbieris Nogueira Murilo Veloso Gomes Apoio:
  2. 2. • Panorama da pecuária no MS;• Metodologia;• Resultados e discussão;• Considerações.
  3. 3. ALERTA
  4. 4. 172 milhões ha 21 milhões ha de pastagens BRASIL MS 8 milhões ha PASTAGENS ~ 60% da áreaDEGRADADAS. agricultável Fonte: Fundação MS (2011). do MS
  5. 5. Sustentabilidade • HABILIDADE DE MANTER O SISTEMA AO LONGO DO TEMPO.• Desenvolvimento sustentável: desenvolvimento capaz de atender as necessidades presentes, sem prejuízos às gerações futuras.
  6. 6. • Definir o melhor espaçamento de plantio é importante: – influencia as taxas de crescimento; – sobrevivência e produção Afetando as práticas de manejo.
  7. 7. Objetivo• Avaliar o desenvolvimento de B. decumbens em diferentes espaçamentos de E. urophylla.• Agregar sustentabilidade ao sistema de produção do Mato Grosso do Sul.
  8. 8. Metodologia• Fazenda Campo Belo → Dourados (MS).• Latossolo Vermelho distroférrico.• Brachiaria decumbens.• Eucalyptus urophylla.
  9. 9. Resultados e Discussão
  10. 10. • Rendimento total de matéria seca de B. decumbensem diferentes espaçamentos de E. urophylla. 96 95 Rendimento total de matéria seca (g . 0,25 m -2) 94 93 92 91 90 2,5 m = 92,64+0,8308*x-0,0523*x^2; r = 0,95 5,5 m = 87,58+1,3862*x-0,1077*x^2; r = 0,95 89 1,5 3,0 4,5 6,0 Espaçam ento (m )
  11. 11. • Sob as copas das árvores é possível que as plantas tenham se beneficiado do efeito positivo da decomposição da serapilheira, o que pode ter aumentado a disponibilidade de nutrientes no solo.
  12. 12. Altura da B. decumbens em diferentes espaçamentos de E. urophylla. 57,4 57,2 57,0Altura (cm) 56,8 56,6 56,4 2,5 m = 56,71+0,1438*x-0,0086*x^2; r = 0,97 56,2 5,5 m = 55,75+0,2901*x-0,0196*x^2; r = 0,95 56,0 1,5 3,0 4,5 6,0 Espaçamento (m)
  13. 13. Área foliar da B. decumbens em diferentes espaçamentos de E. urophylla. 3300 3200 3100Área foliar (cm 2 . 0,25 m-2) 3000 2900 2800 2700 2600 2500 Área foliar a 2,5 m = 2874,72+129,9157*x-12,5491*x^2; r = 0,97 Área foliar a 5,5 m = 2312,97+119,7034*x-8,3652*x^2; r = 0.97 2400 1,5 3,0 4,5 6,0 Espaçamento (m)
  14. 14. Conclusões• O sombreamento influenciou de forma positiva a altura e a massa da forrageira. – Quanto mais próximo às árvores, maior a massa da forrageira, sua altura e área foliar.• Espaçamentos nas linhas das árvores: – < do que 4,5 m: redução da massa da forrageira, da altura e da área foliar; – Acima deste valor, a curva tende a se estabilizar.
  15. 15. • “ Cada um de nós pode trabalhar para mudar uma pequena parte dos acontecimentos... A história é feita de inúmeros atos de coragem e crença.” John Kennedy OBRIGADA! Flávia Araujo Matos flaviaamatos@yahoo.com.br 67 8139 8470

×