VIII Congresso                 Brasileiro de Sistemas                     AgroflorestaisPRODUÇÃO DE SERRAPILHEIRA E TEOR D...
Problema  MS = 36 milhões de ha(63%  Pastagens + 16% Florestas naturais)  9 milhões de ha de pastagens degradadas
Degradação - Causas• Manejo equivocado da éspecie forrageira;• Superpastejo;• Estabelecimento inadequado;• Escolha inadequ...
INTEGRANDO OS COMPONENTES DE UM      SISTEMA SILVIPASTORIL Adequar a distribuição espacial das        árvores no terreno:...
APORTE DE BIOMASSA VIASERRAPILHEIRA E NUTRIENTES         NO SOLO.
OBJETIVOAvaliar a interação entre a produção deserrapilheira e os teores de magnésio no solo em um sistema silvipastoril c...
METODOLOGIA       • O trabalho foi conduzido na         Fazenda Campo Belo,         localizada no Município de         Dou...
METODOLOGIA      • Em janeiro de 2010, foi        realizada a locação dos        pontos de coleta de solo e        serrapi...
•   Amostras de solo: obtidas a partir    de oito sub-amostras por ponto, na    profundidade de 0-5 cm e 5-20 cm,    com a...
METODOLOGIA• Os teores de Mg foram quantificados a partir de  extração com KCl 1,0 mol L-1 e determinados  por espectrofot...
RESULTADOS E DISCUSSÃOAcúmulo de serrapilheira de Eucalyptus urophylla na superfície do solo, coletados a 2,5metros de dis...
RESULTADOS E DISCUSSÃOConcentrações de magnésio no solo em duas profundidades (0-5 cm e 5-20 cm), coletadosa 2,5 metros de...
CONCLUSÕES1. A redução no espaçamento entre árvores econseqüente aumento da densidade populacionalarbórea resulta em maior...
Muito obrigado!                  www.do.ufgd.edu.br/gesaf
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho

976 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
976
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dia 3 Apresentações Orais - Sistemas agroflorestais silvipastoris e diversificados no Mato Grosso do Sul - Rafael Carvalho

  1. 1. VIII Congresso Brasileiro de Sistemas AgroflorestaisPRODUÇÃO DE SERRAPILHEIRA E TEOR DE MAGNÉSIO NO SOLO DE UM SISTEMA SILVIPASTORIL SOB DIFERENTES ESPAÇAMENTOS DE EUCALIPTOMurilo Veloso Gomes1; Omar Daniel2; Igor Murilo Bumbieris Nogueira3; Flávia Araujo Matos4; Thais Cremon5; Michele Lopes Yoshiy6; Rafael Peloso de Carvalho7 Apoio:
  2. 2. Problema  MS = 36 milhões de ha(63%  Pastagens + 16% Florestas naturais) 9 milhões de ha de pastagens degradadas
  3. 3. Degradação - Causas• Manejo equivocado da éspecie forrageira;• Superpastejo;• Estabelecimento inadequado;• Escolha inadequada da espécie ou cultivar forrageira;• Fertilidade do solo impróprios;• Não reposição dos nutrientes;• Compactação do solo por máquinas e animais;• Presença de pragas;• etc.
  4. 4. INTEGRANDO OS COMPONENTES DE UM SISTEMA SILVIPASTORIL Adequar a distribuição espacial das árvores no terreno: TER SEMPRE EM MENTE: 1- Conservação de solo e água 2- Trânsito de máquinas 3- Comportamento do rebanho 4- Finalidade da madeira
  5. 5. APORTE DE BIOMASSA VIASERRAPILHEIRA E NUTRIENTES NO SOLO.
  6. 6. OBJETIVOAvaliar a interação entre a produção deserrapilheira e os teores de magnésio no solo em um sistema silvipastoril com Europhylla e B. decumbens sob diferentes espaçamentos
  7. 7. METODOLOGIA • O trabalho foi conduzido na Fazenda Campo Belo, localizada no Município de Dourados – MS, sobre um Latossolo Vermelho distroférrico, de textura argilosa e topografia plana coberto por Brachiaria decumbens.
  8. 8. METODOLOGIA • Em janeiro de 2010, foi realizada a locação dos pontos de coleta de solo e serrapilheira da árvore na área a partir de uma grade de 8 m x 8 m, de modo que as amostras foram coletadas a 2,5 m de distância das linhas de árvores.
  9. 9. • Amostras de solo: obtidas a partir de oito sub-amostras por ponto, na profundidade de 0-5 cm e 5-20 cm, com auxílio de trado tipo holandês.• Serrapilheira: quadrado delimitador (0,5 m x 0,5 m), onde foram coletadas: folhas, galhos com diâmetro < 2 cm, cascas, restos florais e frutos oriunda das árvores.
  10. 10. METODOLOGIA• Os teores de Mg foram quantificados a partir de extração com KCl 1,0 mol L-1 e determinados por espectrofotometria de absorção atômica, segundo metodologia proposta por Embrapa (1997).• As amostras de serrapilheira foram submetidas ao secamento em estufa de ventilação forçada a 65ºC durante 72 horas, para estimativa de matéria seca.
  11. 11. RESULTADOS E DISCUSSÃOAcúmulo de serrapilheira de Eucalyptus urophylla na superfície do solo, coletados a 2,5metros de distância das linhas das árvores, em sistema silvipastoril, Dourados – MS
  12. 12. RESULTADOS E DISCUSSÃOConcentrações de magnésio no solo em duas profundidades (0-5 cm e 5-20 cm), coletadosa 2,5 metros de distância das linhas das árvores em função de diferentes espaçamentos,em sistema silvipastoril, Dourados – MS.
  13. 13. CONCLUSÕES1. A redução no espaçamento entre árvores econseqüente aumento da densidade populacionalarbórea resulta em maior acúmulo deserrapilheira.2. O aumento da serrapilheira promove oaumento no teor de magnésio no solo, em maiorproporção na camada superficial.
  14. 14. Muito obrigado! www.do.ufgd.edu.br/gesaf

×