Estados Unidos    750,0             Europa             1.604,7      Fed. Russa             200,0   Canadá             69,7...
Costa do         Gana; 21%                                                   Marfim; 38%Indonésia; 13%   Nigéria; 5%      ...
Canadá; 3%;    Polônia; 3%      México; 2%                               Bélgica; 2%                                      ...
FLORESTA  AMAZÔNICA                MATA              ATLÂNTICABRASIL
Rondônia;   Amazonas;       Pará;         8,28%        0,57%      23,04%  EspíritoSanto; 6,26%                            ...
60.000             5 INDÚSTRIAS DE   300 INDÚSTRIAS  PRODUTORES           TRANSFORMAÇÃO                       CONSUMIDORES...
Produção de      Coleta e                             amêndoas     exportação de                                6%        ...
Estados Unidos                 6.293 tMéxico                                             Republica da Corea1.539 t        ...
é um cacau que apresenta umaroma com caracteristicas originais :-Seja por um aroma delicado e típico cacauSeja por um arom...
MEIO     MATERIAL   MANEJO E    PÓS COLHEITANATURAL   GENÉTICO   COLHEITA                   TORREFAÇÃO     TRANSFORMAÇÃO  ...
POLPA            Cotiledône  Aroma de constituiçãoSubstâncias de reserva                                Aroma de fermentaç...
PRODUTOR                                                          EXPORTADOR                                              ...
Chocolate          Fourré amargoChocolate 12%     2%              Chocolate branco                            amargo      ...
80vendidos na França                     70 % de Chocolates                     60                     50                 ...
Boas notícias para os celíacos, intolerantes à lactose e até   mesmo diabéticos.
A adição de ingredientes como a inulina agrega valor para o consumidor.                         Macedonia:                ...
Romênia: CarrefourLight Chocolat Noir:Chocolate preto.Só com 2% de açúcarContém 70% de chocolatesólido.Com adoçante.      ...
Premium       10%Outros 90%
3 Grandes   Pequenasempresas      47%   53%
OPORTUNIDADES                                        AMEAÇACrescimento do mercado de chocolatefino. Os consumidores e, por...
Um bom caminho
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins

914 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
914
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dia 2 - Cacau em sistemas agroflorestais: independência, renda e ganhos ambientais sustentáveis - Almir Martins

  1. 1. Estados Unidos 750,0 Europa 1.604,7 Fed. Russa 200,0 Canadá 69,7 Singapura 70,0 Japão 165,7 China 50,0 Costa do Marfim 1.382,4 10,0Brasil 169,4 143,4 Gana 729,0 12,6 Indonésia 485,0 15,0Equador 111,0 5,5 Nigéria 220,0 16,0 Malásia 30,6 16,0 Camarões 184,8 3,0
  2. 2. Costa do Gana; 21% Marfim; 38%Indonésia; 13% Nigéria; 5% Brasil; 4% Outros; 10% Malásia; 1% Camarões; 5% Equador; 3% Fonte: CNUCED
  3. 3. Canadá; 3%; Polônia; 3% México; 2% Bélgica; 2% Estados Espanha; 4% Unidos; 33% Brasil; 4% Itália; 5% Japão; 6% Alemanha; URSS; 8% 12% Reino Unido; França; 10% 9%Fonte : CNUCED
  4. 4. FLORESTA AMAZÔNICA MATA ATLÂNTICABRASIL
  5. 5. Rondônia; Amazonas; Pará; 8,28% 0,57% 23,04% EspíritoSanto; 6,26% Bahia; 61,69% Mato Grosso; 0,16%
  6. 6. 60.000 5 INDÚSTRIAS DE 300 INDÚSTRIAS PRODUTORES TRANSFORMAÇÃO CONSUMIDORES DE CHOCOLATE Manteiga Cobertura/ de cacau Chocolates Outros fabricantes de Amêndoas Líquor chocolates de cacau Cremes, (fabricante glacês, etc. artesanal), 60.000 cacauicul- consumidor Pó de tores, dos quais final e cacau 34.000 na Bahia comerciantes produzindo 169.400 t / ano em 730.000 ha. Bebidas Torta de lacteas, etc Consumo 300.000 cacau de 465.000 t trabalhadoresFonte: Elaboação do Autor
  7. 7. Produção de Coleta e amêndoas exportação de 6% amêndoas Imposto 4% 5% Elaboração do líquor e da manteiga 5% outros 3% Elaboração da cobertura 7% Elaboração edistribuição do tablete 70%
  8. 8. Estados Unidos 6.293 tMéxico Republica da Corea1.539 t 1.316 t Bolívia BRASIL 2.156 t Paraguai 3.792 t Uruguai 2.322 t Chile Argentina Outros 1.377 t 4.479 t 16.210 t
  9. 9. é um cacau que apresenta umaroma com caracteristicas originais :-Seja por um aroma delicado e típico cacauSeja por um aroma frutais, florais, madeiras etc… é um cacau que apresenta umaroma de constituição (presente nas amendoasfrescas) e/ou aroma de fermentação, que apareceapós a fermentação. é um cacau proveniente das variedadescriolo, trinitário e “nacional” do Equador eproduzidos em países ou regiões específicos.
  10. 10. MEIO MATERIAL MANEJO E PÓS COLHEITANATURAL GENÉTICO COLHEITA TORREFAÇÃO TRANSFORMAÇÃO Torrefação •muito tempo demasiada Fermentação forte •Secagem brutal desaparece desaparece Conchagem ? Aroma de jasmim e flor de laranjeira
  11. 11. POLPA Cotiledône Aroma de constituiçãoSubstâncias de reserva Aroma de fermentação Aroma de constituição Precursores do aroma Aroma térmico aroma de fermentação Aroma de constitição (notas frutadas, florais,etc) Aroma térmico (Chocolate)
  12. 12. PRODUTOR EXPORTADOR Teor de umidade produtividade custos de produção resistência a doenças Cor amêndoa e pragas Odor Amêndoas mofadas, quebradas Estado sanitário Volumes disponíveis PREÇO segurança da saúde Características organoléptica marca “label” Teor de casca características de estabilidade origem (história, cultura ...) IMPORTADORCONSUMIDORFonte: CIRAD
  13. 13. Chocolate Fourré amargoChocolate 12% 2% Chocolate branco amargo Chocolate 9% 49% ao leite 33% Chocolate Fourré Chocolate ao leite Tabletes 15% brancoTabletes 1973Tabletes 1973 Tabletes 2006 2006 3% 77%
  14. 14. 80vendidos na França 70 % de Chocolates 60 50 40 30 20 10 0 1973 1977 1981 1985 1989 1993 1997 1999 2003 Chocolate branco Chocolate amargo Chocolate ao leite Fourré e Napolitanos
  15. 15. Boas notícias para os celíacos, intolerantes à lactose e até mesmo diabéticos.
  16. 16. A adição de ingredientes como a inulina agrega valor para o consumidor. Macedonia: Pionir Diet Silky Macio Chocolate com leite, frutose e inulina. Austrália: Sweet William Easter Bunnies Sem leite, glúten, colesterol, gordura trans, lactose, OGM, corantes, sabores artificiais e conservantes. Contém ácidos ômega-3 da soja. Com 25% menos açúcar do que o chocolate com leite. Ricos em fibras dietéticas (prebióticos). Apropriado para vegetarianos. CertIicado kosher.
  17. 17. Romênia: CarrefourLight Chocolat Noir:Chocolate preto.Só com 2% de açúcarContém 70% de chocolatesólido.Com adoçante. Itália: Oliva Light Cioccolato al Latte: Chocolate com Leite, sem açúcar, com adoçante.
  18. 18. Premium 10%Outros 90%
  19. 19. 3 Grandes Pequenasempresas 47% 53%
  20. 20. OPORTUNIDADES AMEAÇACrescimento do mercado de chocolatefino. Os consumidores e, portanto, as Os regulamentos e normas se tornamempresas estão procurando por produtos cada vez mais rigorosos e exigentesde qualidade. O conceito de “cacau em termos de qualidade, ética, meioorigem única” está em plena expansão. Os ambiente e certificação. Risco daschocolateiros estão, de uma maneira geral, multinacionais do setor reagirem comprontos a colaborar com os produtores. preços baixos e condições especiaisAlguns já estão fazendo. Esta abertura de de pagamentos para os clientesmercado está assegurada. Os indicadores ameaçados por novas indústrias deanalisados apontam para oportunidades produtores.interessante para os produtores. FORÇA DEFICIÊNCIAA “origem Brasil” é um atrativo valioso paraconquistar consumidores europeus. Inexperiência no domínio industrial.Chocolates do Brasil já são conhecidos em Dominação do mercado pelas grandes80 países. E.U.A. e Mercosul são clientes indústrias e suas marcas nacionais.tradicionais do Brasil. Grupo produtores aptos Desconhecimento deste mercado pelosa produzir com qualidade. Exclente estrutura produtores. Desinteresse dos produtoresde pesquisa (CeplacCepec) pela industrialização .
  21. 21. Um bom caminho

×