M+®todos contraceptivosnaturais

312 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

M+®todos contraceptivosnaturais

  1. 1. AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS PROF. JOSÉ BUISEL <ul><li>Este trabalho foi realizado por: </li></ul><ul><li>André Nascimento, N.º3 </li></ul><ul><li>António Jóia, N.º4 </li></ul><ul><li>Diogo Norberto, N.º 9 </li></ul><ul><li>9.ºC </li></ul>MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NATURAIS
  2. 2. INTRODUÇÃO: <ul><li>Este trabalho foi feito no âmbito da disciplina de Ciências Naturais. </li></ul><ul><li>O tema a trabalhar é &quot;Métodos Contraceptivos Naturais&quot;. </li></ul>
  3. 3. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NATURAIS: MÉTODO DO CALENDÁRIO <ul><li>Este método consiste em determinar o cálculo antecipado do provável dia da ovulação, variável de mulher para mulher, tendo como base a duração de uma série de ciclos anteriores. Para tal, é preciso registar a duração de seis a doze ciclos menstruais consecutivos, de modo a determinar-se o mais curto e o mais longo, informações a partir das quais são realizadas operações matemáticas que permitem estabelecer o período em que se deve manter a abstinência sexual. </li></ul><ul><li>Existem várias formas para se proceder aos cálculos, baseadas nos trabalhos de Ogino e de Knaus. Uma das formas mais simples consiste na subtracção de 20 ao número de dias do ciclo mais reduzido e do ciclo mais longo, o que permite obter dois valores, em que o primeiro corresponde ao primeiro dia do ciclo a partir do qual se deve evitar o coito e o segundo ao dia do ciclo até ao qual se deve manter a abstinência sexual. Por exemplo, caso um ciclo mais curto seja de 27 dias e o mais longo de 32, os cálculos dariam estes resultados: 27 - 20 = 7; 32 - 20 = 12. Neste exemplo, o período de abstinência deve prolongar-se desde o sétimo dia do ciclo até ao décimo segundo, considerando o dia de início do período como o primeiro do ciclo. </li></ul>
  4. 4. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NATURAIS: MÉTODO DA TEMPERATURA BASAL <ul><li>Este método baseia-se no facto de a temperatura do corpo da mulher sofrer uma alteração significativa entre a primeira metade do ciclo menstrual e a segunda, já que o dia da ovulação proporciona um aumento de 0,2°C a 0,5°C, persistindo até ao final do ciclo. A mulher deve medir a temperatura do corpo todos os dias de manhã, antes de se levantar, de preferência com um termómetro adaptado a esta situação, e registar os resultados num gráfico, de forma a elaborar uma curva com as variações diárias. De acordo com este método, deve-se proceder a uma abstinência sexual durante toda a primeira parte do ciclo e três dias após a manifestação de um aumento sustentado da temperatura basal . </li></ul>
  5. 5. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NATURAIS: MÉTODO DE MUCO CERVICAL <ul><li>Este método baseia-se na identificação das alterações sofridas pelo muco produzido pelas glândulas do colo do útero sob a influência das hormonas sexuais femininas ao longo do ciclo menstrual, o que pode ser perceptível através das alterações das secreções presentes na entrada da vagina ou da vulva. Nos dias seguintes à mesntruação, o muco é muito espesso e forma um tampão que obstrui o orifício do colo do útero, o que justifica o facto de praticamente não existirem secreções (dias secos). Em seguida, começam a evidenciar-se secreções que, inicialmente, são escassas e pegajosas, mas que se vão progressivamente tornando abundantes e fluidas até ao momento da ovulação (dias húmidos), para depois se tornarem mais espessas e diminuirem em quantidade. Para realizar este método, a mulher tem de aprender a reconhecer as alterações do muco cervical sob as instruções de um médico. Segundo este método, pode-se manter relações sexuais durante os dias secos, desde que sejam realizadas em dias alternados para se evitar o risco de se confundir o aparecimento de secreções com restos de sémen, devendo-se iniciar a abstinência logo que se detecte a presença de secreções (dias húmidos), continuando até ao quarto dia após o momento em que se tenha detectado o pico de máxima secreção e fluidez do muco cervical. </li></ul>
  6. 6. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NATURAIS: MÉTODO SINTOTÉRMICO <ul><li>Este método consiste numa combinação do método da temperatura basal e do muco cervical, adicionado a outros indicadores. </li></ul><ul><li>Segundo este método, pode-se manter relações sexuais durante os dias sem secreções, iniciando-se a abstinência sexual quando se detectar o muco cervical, que deve ser prolongada até ao quarto dia posterior ao aumento da temperatura basal ou ao pico de máxima secreção fluida, o que proporciona uma dupla segurança. </li></ul>
  7. 7. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS NATURAIS: COITO INTERROMPIDO. <ul><li>O coito interrompido consiste em retirar o pénis da vagina antes da ejaculação. </li></ul><ul><li>Não é um método contraceptivo eficaz, mas sim uma prática muito pouco segura que, além de poder dar origem a uma gravidez, provoca ansiedade em ambos os parceiros podendo também ser causa de futuros distúrbios psicossexuais. </li></ul><ul><li>Recorde-se também que, antes da ejaculação se produz uma pequena emissão de líquido proveniente das glândulas de Cowper, não visível por nenhum dos parceiros, mas que, no entanto, pode conter espermatozóides. </li></ul>
  8. 8. CONCLUSÃO: <ul><li>Neste trabalho aprendemos mais sobre Métodos Contraceptivos Naturais, uma vez que é um tema muito pouco falado por vezes até desconhecido pois existem outros Métodos Contraceptivos, nomeadmaente os não naturais. </li></ul>
  9. 9. BIBLIOGRAFIA: <ul><li>http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=791; </li></ul><ul><li>http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/cienciasnaturais/ciencias_trab/metodcontracnatur.htm. </li></ul>

×