SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009



Cianobactérias
 Medidas de Controle
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
- Fluxograma do Sistema de Abastecimento -
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
Monitoramento:

• Bacia do Rio Doce –

LOCAL: Pedra Corrida, Alpercata, Tumiritinga,
Ituêta e Resplendor.

Extensão aproximada: 150km.
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
Fotos:

                                     SAA – Pedra Corrida
                                     ETA – Tratamento Convencional
                                     Polyplaster – Fibra de Vidro
                                     Vazão 8,0 L/s
                                     Captação Rio Doce




                                      SAA - Resplendor
                                      ETA – Tratamento Convencional
                                      Filtragua – Concreto
                                      Vazão 59 L/s
                                      Captação Rio Doce
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
Legislação:

 Portaria MS Nº 2914 DE 12/12/2011
    Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da
   qualidade da água para consumo humano e seu padrão de
   potabilidade.

   Planos de Amostragem

   Art40: § 1º Para minimizar os riscos de contaminação da água para
   consumo humano com cianotoxinas, deve ser realizado o
   monitoramento de cianobactérias, buscando-se identificar os
   diferentes gêneros, no ponto de captação do manancial superficial
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
 Tabela do Anexo XI




§ 4º Quando a densidade de cianobactérias exceder 20.000 células/ml, deve-
se realizar análise de cianotoxinas na água do manancial, no ponto de
captação, com frequência semanal.
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
Controle Realizado:


Parâmetros: Fitoplanctôn Quantitativo, Fósforo, Nitrogênio
Amoniacal.
Frequência das coletas: Mensal
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
 Parâmetros de Controle:

    Controle nas Estações de Tratamento
 • Parâmetros físico-químicos e organolépticos
   como indicadores
 • Cor > turbidez
 • Formação de sobrenadantes
 • Consumo de cloro – formação de subprodutos
 • Prejuízo à coagulação
 • Entupimento de filtros
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
 ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE TRATAMENTO:
  Verificação das condições da captação de água no manancial;
  Monitoramento do oxigênio dissolvido;
  Injeção de ar na captação;
  Substituição da pré-cloração pelo oxidante
   permanganato de potássio;
  Utilização de carvão ativado;
  Monitoramento constante do pH – água bruta;
  Verificação da floculação e decantação;
  Diminuição da carreira de lavagem dos filtros;
  Coleta de amostras na água tratada distribuída.
  Limpeza da ETA, reservatórios e descarga de rede.
3° Encontro de Resultados - DPLE -2009

 Obrigado pela
  Atenção !
    Telefone de contato-(3829-7521)
     josinei.santos@copasa.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)Gabriella Ribeiro
 
ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência
ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência
ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência slides-mci
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ slides-mci
 
Para entender o caso
Para entender o casoPara entender o caso
Para entender o casoPolibio Braga
 
Curso água e urbanismo palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015
Curso água e urbanismo   palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015Curso água e urbanismo   palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015
Curso água e urbanismo palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015artneteventos
 
HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...
HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...
HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...Gabriella Ribeiro
 
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...Gabriella Ribeiro
 
Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)
Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)
Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)Sectesclip
 
Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...
Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...
Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...Gabriella Ribeiro
 
VALOR: Reuso de Água
VALOR: Reuso de ÁguaVALOR: Reuso de Água
VALOR: Reuso de Águaslides-mci
 
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas IgamEstudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas IgamCBH Rio das Velhas
 
água da torneira
água da torneiraágua da torneira
água da torneiraJenifo
 

Mais procurados (20)

Apostila compesa
Apostila compesaApostila compesa
Apostila compesa
 
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
 
ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência
ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência
ENCONTRO DE PERFURADORES Manutenção de Poços: Tecnologias, Custo e Eficiência
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
 
Para entender o caso
Para entender o casoPara entender o caso
Para entender o caso
 
Taa 6
Taa 6Taa 6
Taa 6
 
Curso água e urbanismo palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015
Curso água e urbanismo   palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015Curso água e urbanismo   palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015
Curso água e urbanismo palestra do engenheiro plinio tomaz - 29-09-2015
 
HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...
HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...
HIDROGEOQUÍMICA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, JACAREÍ E CAÇAPAVA, NO VALE DO PARAÍB...
 
Taa 2
Taa 2Taa 2
Taa 2
 
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
 
Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)
Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)
Marcelo de Deus e André Cavallari (Cemig)
 
Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...
Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...
Avaliação Hidrogeológica dos Sistemas Aquíferos Tubarão e Cristalino da Porçã...
 
Boletim agosto 2016
Boletim agosto 2016Boletim agosto 2016
Boletim agosto 2016
 
Estação de tratamento de água Como Funciona?
Estação de tratamento de água Como Funciona?Estação de tratamento de água Como Funciona?
Estação de tratamento de água Como Funciona?
 
Microbiologia 1
Microbiologia 1Microbiologia 1
Microbiologia 1
 
VALOR: Reuso de Água
VALOR: Reuso de ÁguaVALOR: Reuso de Água
VALOR: Reuso de Água
 
Apresentacao ctoc
Apresentacao ctocApresentacao ctoc
Apresentacao ctoc
 
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas IgamEstudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
 
água da torneira
água da torneiraágua da torneira
água da torneira
 
Boletim setembro 2016
Boletim setembro 2016Boletim setembro 2016
Boletim setembro 2016
 

Destaque

Biologia Reino Monera
Biologia Reino MoneraBiologia Reino Monera
Biologia Reino MoneraFoz
 
Poema 2
Poema 2Poema 2
Poema 2Foz
 
Apresentação cianotoxina
Apresentação cianotoxinaApresentação cianotoxina
Apresentação cianotoxinauilson2013
 
Macrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticasMacrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticasLimnos Ufsc
 
Patogénios entéricos emergentes
Patogénios entéricos emergentesPatogénios entéricos emergentes
Patogénios entéricos emergentesErika Daniela
 
Vigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da águaVigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da águaJoel Vieira Caldas
 
Babys und elektromagnetische Wellen – Erste Hilfe
Babys und elektromagnetische Wellen – Erste HilfeBabys und elektromagnetische Wellen – Erste Hilfe
Babys und elektromagnetische Wellen – Erste HilfeRomu
 
Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...
Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...
Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...festival ICT 2016
 
Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)
Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)
Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)renewableukcymru
 
Letnji katalog Vision IPG 2013
Letnji katalog Vision IPG 2013Letnji katalog Vision IPG 2013
Letnji katalog Vision IPG 2013Gordana Toskovic
 
Estatuto Ambiental Municipio de Concepción Antioquia
Estatuto Ambiental Municipio de Concepción AntioquiaEstatuto Ambiental Municipio de Concepción Antioquia
Estatuto Ambiental Municipio de Concepción Antioquiaalconcepcion
 
Handout YouGov British Chamber of Commerce
Handout YouGov British Chamber of CommerceHandout YouGov British Chamber of Commerce
Handout YouGov British Chamber of CommerceKarin Müller
 
4ta. producción. La narración
4ta. producción. La narración4ta. producción. La narración
4ta. producción. La narraciónJalil Yubrán
 
Articles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_ppt
Articles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_pptArticles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_ppt
Articles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_pptAnderson Sánchez
 
OpenAIRE for SPARC and SPARC Europe
OpenAIRE for SPARC and SPARC EuropeOpenAIRE for SPARC and SPARC Europe
OpenAIRE for SPARC and SPARC EuropeOpenAIRE
 

Destaque (20)

Biologia Reino Monera
Biologia Reino MoneraBiologia Reino Monera
Biologia Reino Monera
 
Poema 2
Poema 2Poema 2
Poema 2
 
Palestra Sr. Fernando Jardim sobre Cianobactérias
Palestra Sr. Fernando Jardim sobre CianobactériasPalestra Sr. Fernando Jardim sobre Cianobactérias
Palestra Sr. Fernando Jardim sobre Cianobactérias
 
Apresentação cianotoxina
Apresentação cianotoxinaApresentação cianotoxina
Apresentação cianotoxina
 
Macrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticasMacrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticas
 
Patogénios entéricos emergentes
Patogénios entéricos emergentesPatogénios entéricos emergentes
Patogénios entéricos emergentes
 
Vigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da águaVigilância e controle da qualidade da água
Vigilância e controle da qualidade da água
 
Apresentação rodrigo matias de sousa resende - seminário cianobactérias [mod...
Apresentação  rodrigo matias de sousa resende - seminário cianobactérias [mod...Apresentação  rodrigo matias de sousa resende - seminário cianobactérias [mod...
Apresentação rodrigo matias de sousa resende - seminário cianobactérias [mod...
 
Babys und elektromagnetische Wellen – Erste Hilfe
Babys und elektromagnetische Wellen – Erste HilfeBabys und elektromagnetische Wellen – Erste Hilfe
Babys und elektromagnetische Wellen – Erste Hilfe
 
Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...
Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...
Colocation in un Data Center neutrale dalla Svizzera: i vantaggi per chi offr...
 
Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)
Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)
Eglurhad o filiau ynni cartref (OFGEM 2013)
 
Letnji katalog Vision IPG 2013
Letnji katalog Vision IPG 2013Letnji katalog Vision IPG 2013
Letnji katalog Vision IPG 2013
 
Estatuto Ambiental Municipio de Concepción Antioquia
Estatuto Ambiental Municipio de Concepción AntioquiaEstatuto Ambiental Municipio de Concepción Antioquia
Estatuto Ambiental Municipio de Concepción Antioquia
 
Tics
TicsTics
Tics
 
Handout YouGov British Chamber of Commerce
Handout YouGov British Chamber of CommerceHandout YouGov British Chamber of Commerce
Handout YouGov British Chamber of Commerce
 
4ta. producción. La narración
4ta. producción. La narración4ta. producción. La narración
4ta. producción. La narración
 
Cliq - Lideres Creativos.
Cliq - Lideres Creativos.Cliq - Lideres Creativos.
Cliq - Lideres Creativos.
 
Articles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_ppt
Articles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_pptArticles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_ppt
Articles 187974 archivo-6_prestacionesseguridadmagisterio_ppt
 
Cv claudio alvarez
Cv claudio alvarezCv claudio alvarez
Cv claudio alvarez
 
OpenAIRE for SPARC and SPARC Europe
OpenAIRE for SPARC and SPARC EuropeOpenAIRE for SPARC and SPARC Europe
OpenAIRE for SPARC and SPARC Europe
 

Semelhante a Controle de Cianobactérias em Sistemas de Abastecimento

Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Veronika Nur
 
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralÁgua Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralmarcelo otenio
 
Aula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdf
Aula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdfAula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdf
Aula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdfJonatasSodr
 
Aula 11 qualidade de água
Aula 11   qualidade de águaAula 11   qualidade de água
Aula 11 qualidade de águaSuely Machado
 
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.pptAula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.pptAlexPinheiroFeitosa
 
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2escola
 
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015Revista Cafeicultura
 
Recursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no BrasilRecursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no BrasilRodrigo Mesquita
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiaNilton Goulart
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.João Boos Boos
 
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBRCasos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBRRoberto Yoshida
 
Trabalho académico recurso hidricos portugueses
Trabalho académico   recurso hidricos portuguesesTrabalho académico   recurso hidricos portugueses
Trabalho académico recurso hidricos portuguesesMário Silva
 
Analise de efluentes
Analise de efluentesAnalise de efluentes
Analise de efluentesJupira Silva
 
Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...
Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...
Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...Amar Jardim Oceânico
 

Semelhante a Controle de Cianobactérias em Sistemas de Abastecimento (20)

Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
 
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade ruralÁgua Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
Água Na Propriedade Rural - Tratamento de água e esgoto na propriedade rural
 
Aula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdf
Aula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdfAula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdf
Aula-7-Tratamento-de-água-Caroline-Voser.pdf
 
Estudo do caso 2 saneamento
Estudo do caso 2   saneamentoEstudo do caso 2   saneamento
Estudo do caso 2 saneamento
 
Apresentação joão vitor toniato - seminário cianobactérias
Apresentação   joão vitor toniato - seminário cianobactériasApresentação   joão vitor toniato - seminário cianobactérias
Apresentação joão vitor toniato - seminário cianobactérias
 
Aula 11 qualidade de água
Aula 11   qualidade de águaAula 11   qualidade de água
Aula 11 qualidade de água
 
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
 
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.pptAula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
 
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
 
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015
 
Recursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no BrasilRecursos Hidricos no Brasil
Recursos Hidricos no Brasil
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
 
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBRCasos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
Casos de sucesso aplicacao da tecnologia MBR
 
Hackeando as Aguas
Hackeando as AguasHackeando as Aguas
Hackeando as Aguas
 
Qualidade da Água
Qualidade da ÁguaQualidade da Água
Qualidade da Água
 
Indutrialização da água
Indutrialização da águaIndutrialização da água
Indutrialização da água
 
Trabalho académico recurso hidricos portugueses
Trabalho académico   recurso hidricos portuguesesTrabalho académico   recurso hidricos portugueses
Trabalho académico recurso hidricos portugueses
 
Analise de efluentes
Analise de efluentesAnalise de efluentes
Analise de efluentes
 
Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...
Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...
Projeto de Recuperação Ambiental das Lagoas da Barra - Apresentação Grd. - Su...
 

Mais de Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce - CBH-Doce

Mais de Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce - CBH-Doce (20)

Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015
Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015
Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015
 
Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015
Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015
Ofício Circular n°11/2015/ANA - PRODES 2015
 
Apresentação Daniel Araújo - Barraginhas e caixa seca - Modelo Colatina ES
Apresentação Daniel Araújo - Barraginhas e caixa seca - Modelo Colatina ESApresentação Daniel Araújo - Barraginhas e caixa seca - Modelo Colatina ES
Apresentação Daniel Araújo - Barraginhas e caixa seca - Modelo Colatina ES
 
Apresentação GT P.22 e P.52 - CBH Suaçuí 14 05 2015
Apresentação GT P.22 e P.52 - CBH Suaçuí 14 05 2015Apresentação GT P.22 e P.52 - CBH Suaçuí 14 05 2015
Apresentação GT P.22 e P.52 - CBH Suaçuí 14 05 2015
 
Publicacao pacuera pch_fortuna_ii
Publicacao pacuera pch_fortuna_iiPublicacao pacuera pch_fortuna_ii
Publicacao pacuera pch_fortuna_ii
 
Bma gen pcaexe_for_pac_01_rev03
Bma gen pcaexe_for_pac_01_rev03Bma gen pcaexe_for_pac_01_rev03
Bma gen pcaexe_for_pac_01_rev03
 
Apresentação Lúcio IBIO AGB Doce - Dn 46/2014 - CERH- Diárias de viagem
Apresentação Lúcio IBIO AGB Doce - Dn 46/2014 - CERH- Diárias de viagemApresentação Lúcio IBIO AGB Doce - Dn 46/2014 - CERH- Diárias de viagem
Apresentação Lúcio IBIO AGB Doce - Dn 46/2014 - CERH- Diárias de viagem
 
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...
 
Apresentação CPRM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...
Apresentação CPRM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...Apresentação CPRM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...
Apresentação CPRM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...
 
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Estiagem Bacia do R...
 
18_03 - tarde - Mesa 4\3_Rossini Matos Sena - ANA
18_03 - tarde - Mesa 4\3_Rossini Matos Sena - ANA18_03 - tarde - Mesa 4\3_Rossini Matos Sena - ANA
18_03 - tarde - Mesa 4\3_Rossini Matos Sena - ANA
 
18_03 - tarde - Mesa 4\2_Geraldo Silvio de Oliveira -DMAE- Uberlândia
18_03 - tarde - Mesa 4\2_Geraldo Silvio de Oliveira -DMAE- Uberlândia18_03 - tarde - Mesa 4\2_Geraldo Silvio de Oliveira -DMAE- Uberlândia
18_03 - tarde - Mesa 4\2_Geraldo Silvio de Oliveira -DMAE- Uberlândia
 
18_03 - tarde - Mesa 4\1_Domingos José D’Amico
18_03 - tarde - Mesa 4\1_Domingos José D’Amico18_03 - tarde - Mesa 4\1_Domingos José D’Amico
18_03 - tarde - Mesa 4\1_Domingos José D’Amico
 
18/03 - manhã - Mesa 3\6_Suelena Carneiro Jayme
18/03 - manhã - Mesa 3\6_Suelena Carneiro Jayme18/03 - manhã - Mesa 3\6_Suelena Carneiro Jayme
18/03 - manhã - Mesa 3\6_Suelena Carneiro Jayme
 
Abc 17.03.2015
Abc   17.03.2015Abc   17.03.2015
Abc 17.03.2015
 
18_03 - manhã - Mesa 3\4_Ana Maria R. Borro Macedo
18_03 - manhã - Mesa 3\4_Ana Maria R. Borro Macedo18_03 - manhã - Mesa 3\4_Ana Maria R. Borro Macedo
18_03 - manhã - Mesa 3\4_Ana Maria R. Borro Macedo
 
Produtor de água brasilia 2015
Produtor de água brasilia 2015Produtor de água brasilia 2015
Produtor de água brasilia 2015
 
Seminário ana 18mar15 tnc
Seminário ana 18mar15   tncSeminário ana 18mar15   tnc
Seminário ana 18mar15 tnc
 
18_03 - manhã - Mesa 3\1_Carolina Ximenes de Macedo
18_03 - manhã - Mesa 3\1_Carolina Ximenes de Macedo18_03 - manhã - Mesa 3\1_Carolina Ximenes de Macedo
18_03 - manhã - Mesa 3\1_Carolina Ximenes de Macedo
 
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
17/03 - Tarde - Mesa 2- Rinaldo de Oliveira Calheiros
 

Controle de Cianobactérias em Sistemas de Abastecimento

  • 1. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 Cianobactérias Medidas de Controle
  • 2. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 - Fluxograma do Sistema de Abastecimento -
  • 3. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 Monitoramento: • Bacia do Rio Doce – LOCAL: Pedra Corrida, Alpercata, Tumiritinga, Ituêta e Resplendor. Extensão aproximada: 150km.
  • 4. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 Fotos: SAA – Pedra Corrida ETA – Tratamento Convencional Polyplaster – Fibra de Vidro Vazão 8,0 L/s Captação Rio Doce SAA - Resplendor ETA – Tratamento Convencional Filtragua – Concreto Vazão 59 L/s Captação Rio Doce
  • 5. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009
  • 6. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 Legislação:  Portaria MS Nº 2914 DE 12/12/2011 Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Planos de Amostragem Art40: § 1º Para minimizar os riscos de contaminação da água para consumo humano com cianotoxinas, deve ser realizado o monitoramento de cianobactérias, buscando-se identificar os diferentes gêneros, no ponto de captação do manancial superficial
  • 7. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009  Tabela do Anexo XI § 4º Quando a densidade de cianobactérias exceder 20.000 células/ml, deve- se realizar análise de cianotoxinas na água do manancial, no ponto de captação, com frequência semanal.
  • 8. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 Controle Realizado: Parâmetros: Fitoplanctôn Quantitativo, Fósforo, Nitrogênio Amoniacal. Frequência das coletas: Mensal
  • 9. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009  Parâmetros de Controle:  Controle nas Estações de Tratamento • Parâmetros físico-químicos e organolépticos como indicadores • Cor > turbidez • Formação de sobrenadantes • Consumo de cloro – formação de subprodutos • Prejuízo à coagulação • Entupimento de filtros
  • 10. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009  ADEQUAÇÃO DO PROCESSO DE TRATAMENTO:  Verificação das condições da captação de água no manancial;  Monitoramento do oxigênio dissolvido;  Injeção de ar na captação;  Substituição da pré-cloração pelo oxidante permanganato de potássio;  Utilização de carvão ativado;  Monitoramento constante do pH – água bruta;  Verificação da floculação e decantação;  Diminuição da carreira de lavagem dos filtros;  Coleta de amostras na água tratada distribuída.  Limpeza da ETA, reservatórios e descarga de rede.
  • 11. 3° Encontro de Resultados - DPLE -2009 Obrigado pela Atenção ! Telefone de contato-(3829-7521) josinei.santos@copasa.com.br