SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
A Civilização Romana
Localização Geográfica
Povos  da Península Itálica Segundo os historiadores,  a Civilização Romana é resultado da mistura dos povos que habitaram a região da Península Itálica. De entre esses povos, podemos destacar os latinos, os gregos, os etruscos e os sabinos .
Na região do Lácio, estes povos desenvolveram uma economia baseada na agricultura e na pastorícia.  Roma converteu-se numa verdadeira cidade, rica em grandes obras públicas, tais como: obras de saneamento, construções de templos e de reunião… Com a deposição do último rei, Tarquínio o Soberbo, foi então instaurado  o regime republicano.
A sociedade, nesta época, era formada por  patrícios  (nobres proprietários de terras),  plebeus  (comerciantes, artesãos e pequenos proprietários),  clientes   ( homens livres que se associavam aos patrícios, prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxílio económico e protecção social)  e  escravos .
Segundo se crê, com a expulsão dos Etruscos, implantou-se a República. Durante o período republicano,  Roma iniciou o seu movimento de conquista de outras terras, alargando os seus domínios e realizando uma verdadeira Romanização do mundo conhecido na época:
O Império Romano:
Roma passou de uma simples cidade a grande império. A sua sociedade sofreu também mudanças: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A VIDA QUOTIDIANA Roma era, no tempo imperial, uma cidade dividida entre o luxo e a pobreza.  As cidades eram locais muito movimentados, repletos de casas de habitação parecidas com os nossos prédios de apartamentos de hoje em dia, chamados de  Insulae,  habitualmente com lojas no rés-do-chão. Era o local onde os mais pobres viviam.
Os mais ricos que viviam nas cidades, habitavam nas  Domus , casas grandes e confortáveis. Os que viviam no campo, possuíam grandes casas com termas, jardins e mesmo teatros privados. A estas casas chamamos  villae . Domus Villae
Os romanos dedicavam-se à política, ao comércio e artesanato. Os mais ricos passavam grande parte do dia nas termas e banhos, que funcionavam também como locais de reunião e convívio. Com o crescimento urbano vieram também os problemas sociais para Roma. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, pois muitos camponeses perderam seus empregos, indo para as cidades na procura de emprego e melhores condições de vida. Receoso de que pudesse acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador criou a política do Pão e Circo. Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu de Roma), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava por esquecer os seus problemas  e assim diminuía a  possibilidade de revoltas.
A Cultura Romana A vida cultural romana, tal como todas as realizações romanas, teve sempre um sentido prático, realista, virado para o concreto. Não significa que os Romanos desprezassem as coisas do espírito, pelo contrário, cultivaram as artes e as letras com entusiasmo. No entanto, também aqui se reflecte este espírito prático: por exemplo, a História não serviu apenas para relatar os factos passados mas será para os Romanos uma lição e uma forma de passar aos outros a grandeza da sua pátria. De facto, ao contrário dos Gregos para quem todas as coisas tinham que ser belas, os Romanos sentiam que todas as coisas tinham que ser úteis.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A cultura romana resultou de um processo de síntese (original) da cultura etrusca, que lhe legou os fundamentos da vida urbana, da hierarquia social e das primeiras crenças; da grega, que lhe forneceu modelos artísticos, literários, filosóficos e religiosos, e ainda da  oriental, que lhe incutiu o gosto pela monumentalidade, pelo conforto, pelo luxo e também pelo misticismo.  O urbanismo foi um dos pontos fundamentais na organização da civilização romana: o espaço urbano era pensado segundo as ideias pragmáticas romanas: traçado regular das ruas, segundo  um plano Norte-Sul (Cardus) e Este-Oeste (Decumanus). No centro destes dois eixos, localizava-se o Fórum. Os edifícios eram todos construídos tendo por base a sua utilidade: pontes, aquedutos, fóruns, termas, estradas, saneamento, anfiteatros, teatros, circos… Ou então, por demonstrarem a importância do Império, como no caso dos Arcos de Triunfo.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Dórica Jónica Coríntia COLISEU DE ROMA (ANFITEATRO FLÁVIO)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Busto romano fresco mosaico
A Religião Romana Antes do aparecimento de Cristo e da oficialização do Cristianismo, a religião romana era politeísta, ou seja, adoravam um grande número de deuses. Uma outra influência da Grécia verifica-se a este nível, pois os romanos adoptaram os deuses gregos, dando-lhes nomes latinos. A partir de Octávio César Augusto (o Divino), é criado também o culto ao Imperador. Os sacrifícios que ofereciam aos deuses demonstram mais uma vez a utilidade das suas acções.  Ao fazê-los, esperavam em contrapartida o favor dos deuses. Os deuses romanos primitivos eram: * os Lares - deuses da família, * os Manes - as almas dos antepassados, * os Penates - deuses das refeições. O culto era assegurado por sacerdotes e sacerdotisas: os Áugures (intérpretes da vontade dos deuses), as Vestais (mantinham a chama sagrada acesa) e os Pontífices (fixavam os ritos e os calendários dos dias nefastos - desfavoráveis aos deuses).
JÚPITER JÚPITER E JUNO DEMÉTER VÊNUS E MARTE BACO Deus Grego Deus Romano Função ou Característica Zeus Júpiter Pai dos deuses e dos homens, principal deus do Olimpo. Cronos Saturno Deus do tempo, pai de Zeus. Pertencia à raça dos titãs. Hera Juno Rainha dos deuses, esposa de Zeus. Hefesto Vulcano Artista do Olimpo, fazia os raios que Zeus lançava sobre os mortais. Filho de Zeus e Hera. Poseidon Netuno Senhor do oceano, irmão de Zeus. Hades Plutão Senhor do reino dos mortos, irmão de Zeus. Ares Marte Deus da guerra, filho de Zeus e Hera. Apolo Apolo Deus do sol, da arte de atirar com o arco, da música e da profecia. Filho de Zeus e Latona. Ártemis Diana Deusa da caça e da lua, irmã de Apolo. Afrodite Vênus Deusa da beleza e do amor, nasceu das espumas do mar. Eros Cupido Deus do amor, filho de Vênus. Palas Atena Minerva Deusa da sabedoria, nasceu da cabeça de Zeus. Hermes Mercúrio Deus da destreza e da habilidade. Filho e mensageiro de Zeus. Deméter Ceres Deusa da agricultura, filha de Cronos e Ops. Dioniso Baco Deus das festas, do vinho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.Jorge Almeida
 
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbarasEF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbarasGuilherme Drumond
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
O Império Romano
O Império RomanoO Império Romano
O Império RomanoHCA_10I
 
A economia na Roma antiga
A economia na Roma antigaA economia na Roma antiga
A economia na Roma antigaMaria Gomes
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antigacattonia
 
2. 3 a romanização da península ibérica
2. 3   a romanização da península ibérica2. 3   a romanização da península ibérica
2. 3 a romanização da península ibéricaMaria Cristina Ribeiro
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaCarlos Vieira
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2cattonia
 
O poder político em roma
O poder político em romaO poder político em roma
O poder político em romaCarla Teixeira
 
Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3cattonia
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1cattonia
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaPatricia .
 

Mais procurados (20)

A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbarasEF - 7º ano - Invasões bárbaras
EF - 7º ano - Invasões bárbaras
 
Roma antiga resumo
Roma antiga resumoRoma antiga resumo
Roma antiga resumo
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
 
O Império Romano
O Império RomanoO Império Romano
O Império Romano
 
A economia na Roma antiga
A economia na Roma antigaA economia na Roma antiga
A economia na Roma antiga
 
Império Romano
Império RomanoImpério Romano
Império Romano
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
 
2. 3 a romanização da península ibérica
2. 3   a romanização da península ibérica2. 3   a romanização da península ibérica
2. 3 a romanização da península ibérica
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
 
O poder político em roma
O poder político em romaO poder político em roma
O poder político em roma
 
Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
Roma a.C.
Roma a.C.Roma a.C.
Roma a.C.
 
Queda do império
Queda do impérioQueda do império
Queda do império
 

Destaque

A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIJorge Almeida
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasCarlos Vieira
 
A antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaA antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaRainha Maga
 
O mundo industrializado no
O mundo industrializado noO mundo industrializado no
O mundo industrializado nomaria40
 
A Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma CatólicaA Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma Católicaprofhistoria
 
A expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequênciasA expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequênciasCarla Teixeira
 
CorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaCorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaHist8
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaRainha Maga
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsCarlos Vieira
 
A abertura ao mundo - expansão
A abertura ao mundo -  expansãoA abertura ao mundo -  expansão
A abertura ao mundo - expansãoLucilia Fonseca
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slidesoliviaguerra
 
Liberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointLiberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointmaria40
 

Destaque (20)

A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XIIA Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
A Sociedade Europeia nos séculos IX a XII
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
 
A antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaA antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípcia
 
O mundo industrializado no
O mundo industrializado noO mundo industrializado no
O mundo industrializado no
 
Especiarias
EspeciariasEspeciarias
Especiarias
 
A Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma CatólicaA Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma Católica
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Revisao 9 D Sb
Revisao 9 D SbRevisao 9 D Sb
Revisao 9 D Sb
 
As trocas intercontinentais[1]
As trocas intercontinentais[1]As trocas intercontinentais[1]
As trocas intercontinentais[1]
 
Sociedade Medieval
Sociedade MedievalSociedade Medieval
Sociedade Medieval
 
A expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequênciasA expansão urbana e suas consequências
A expansão urbana e suas consequências
 
CorrecçãO Ficha
CorrecçãO FichaCorrecçãO Ficha
CorrecçãO Ficha
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
Anos 20
Anos 20Anos 20
Anos 20
 
A Reforma
A ReformaA Reforma
A Reforma
 
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade modernaO renascimento e a formação da mentalidade moderna
O renascimento e a formação da mentalidade moderna
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
 
A abertura ao mundo - expansão
A abertura ao mundo -  expansãoA abertura ao mundo -  expansão
A abertura ao mundo - expansão
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
 
Liberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointLiberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpoint
 

Semelhante a A Civilização Romana

A civilização romana (continuação)
A civilização romana (continuação)A civilização romana (continuação)
A civilização romana (continuação)historiajovem2011
 
Roma
RomaRoma
RomaLucas
 
2 osromanosnapeninsulaibérica
2 osromanosnapeninsulaibérica2 osromanosnapeninsulaibérica
2 osromanosnapeninsulaibéricaR C
 
Os Romanos na Península Ibérica
Os Romanos na Península IbéricaOs Romanos na Península Ibérica
Os Romanos na Península IbéricaHistN
 
A cultura do belo ii
A cultura do belo iiA cultura do belo ii
A cultura do belo iicattonia
 
O Novo Romano Novo.ppt
O Novo Romano Novo.pptO Novo Romano Novo.ppt
O Novo Romano Novo.pptCarlosRaimitri
 
Módulo 2 contextualização
Módulo 2   contextualizaçãoMódulo 2   contextualização
Módulo 2 contextualizaçãocattonia
 
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!Joemille Leal
 
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...JuniorMadruga2
 

Semelhante a A Civilização Romana (20)

Capítulo 10 e 11 - O Imperio e a decadência de Roma
Capítulo 10 e 11 - O Imperio e a decadência de RomaCapítulo 10 e 11 - O Imperio e a decadência de Roma
Capítulo 10 e 11 - O Imperio e a decadência de Roma
 
O mundo romano
O mundo romanoO mundo romano
O mundo romano
 
A civilização romana (continuação)
A civilização romana (continuação)A civilização romana (continuação)
A civilização romana (continuação)
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
 
7 ano -_07.07
7 ano -_07.077 ano -_07.07
7 ano -_07.07
 
2 osromanosnapeninsulaibérica
2 osromanosnapeninsulaibérica2 osromanosnapeninsulaibérica
2 osromanosnapeninsulaibérica
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
gastronomia
gastronomiagastronomia
gastronomia
 
Os Romanos na Península Ibérica
Os Romanos na Península IbéricaOs Romanos na Península Ibérica
Os Romanos na Península Ibérica
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
A cultura do belo ii
A cultura do belo iiA cultura do belo ii
A cultura do belo ii
 
1 a civilizacao-romana
1 a civilizacao-romana1 a civilizacao-romana
1 a civilizacao-romana
 
O Novo Romano Novo.ppt
O Novo Romano Novo.pptO Novo Romano Novo.ppt
O Novo Romano Novo.ppt
 
Módulo 2 contextualização
Módulo 2   contextualizaçãoMódulo 2   contextualização
Módulo 2 contextualização
 
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
 
Os romanos
Os romanosOs romanos
Os romanos
 
A Civilização Romana
A Civilização RomanaA Civilização Romana
A Civilização Romana
 
Roma1 120103075852-phpapp01
Roma1 120103075852-phpapp01Roma1 120103075852-phpapp01
Roma1 120103075852-phpapp01
 
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
As contribuições da civilização romana para a construção da cultura ocidental...
 

Mais de cattonia

Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxcattonia
 
arte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxarte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxcattonia
 
A reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxA reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxcattonia
 
A produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxA produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxcattonia
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digitalcattonia
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesacattonia
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundocattonia
 
2. o espaço português
2. o espaço português2. o espaço português
2. o espaço portuguêscattonia
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo portuguêscattonia
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivcattonia
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimentocattonia
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europacattonia
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalizaçãocattonia
 
Hegemonia inglesa
Hegemonia inglesaHegemonia inglesa
Hegemonia inglesacattonia
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmoscattonia
 
Constr do social ii
Constr do social iiConstr do social ii
Constr do social iicattonia
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do socialcattonia
 

Mais de cattonia (20)

Deseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptxDeseq regionais.pptx
Deseq regionais.pptx
 
arte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsxarte portuguesa.ppsx
arte portuguesa.ppsx
 
A reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsxA reinvenção das formas.ppsx
A reinvenção das formas.ppsx
 
A produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptxA produção cultural renascentista.pptx
A produção cultural renascentista.pptx
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digital
 
Família
FamíliaFamília
Família
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
 
2. o espaço português
2. o espaço português2. o espaço português
2. o espaço português
 
Mercantilismo português
Mercantilismo portuguêsMercantilismo português
Mercantilismo português
 
O quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xivO quadro económico e demográfico xii xiv
O quadro económico e demográfico xii xiv
 
3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento3. hesitações do crescimento
3. hesitações do crescimento
 
1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa1. a identidade civilizacional da europa
1. a identidade civilizacional da europa
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Hegemonia inglesa
Hegemonia inglesaHegemonia inglesa
Hegemonia inglesa
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Constr do social ii
Constr do social iiConstr do social ii
Constr do social ii
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do social
 

A Civilização Romana

  • 3. Povos da Península Itálica Segundo os historiadores, a Civilização Romana é resultado da mistura dos povos que habitaram a região da Península Itálica. De entre esses povos, podemos destacar os latinos, os gregos, os etruscos e os sabinos .
  • 4. Na região do Lácio, estes povos desenvolveram uma economia baseada na agricultura e na pastorícia. Roma converteu-se numa verdadeira cidade, rica em grandes obras públicas, tais como: obras de saneamento, construções de templos e de reunião… Com a deposição do último rei, Tarquínio o Soberbo, foi então instaurado o regime republicano.
  • 5. A sociedade, nesta época, era formada por patrícios (nobres proprietários de terras), plebeus (comerciantes, artesãos e pequenos proprietários), clientes ( homens livres que se associavam aos patrícios, prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxílio económico e protecção social) e escravos .
  • 6. Segundo se crê, com a expulsão dos Etruscos, implantou-se a República. Durante o período republicano, Roma iniciou o seu movimento de conquista de outras terras, alargando os seus domínios e realizando uma verdadeira Romanização do mundo conhecido na época:
  • 8.
  • 9. A VIDA QUOTIDIANA Roma era, no tempo imperial, uma cidade dividida entre o luxo e a pobreza. As cidades eram locais muito movimentados, repletos de casas de habitação parecidas com os nossos prédios de apartamentos de hoje em dia, chamados de Insulae, habitualmente com lojas no rés-do-chão. Era o local onde os mais pobres viviam.
  • 10. Os mais ricos que viviam nas cidades, habitavam nas Domus , casas grandes e confortáveis. Os que viviam no campo, possuíam grandes casas com termas, jardins e mesmo teatros privados. A estas casas chamamos villae . Domus Villae
  • 11. Os romanos dedicavam-se à política, ao comércio e artesanato. Os mais ricos passavam grande parte do dia nas termas e banhos, que funcionavam também como locais de reunião e convívio. Com o crescimento urbano vieram também os problemas sociais para Roma. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, pois muitos camponeses perderam seus empregos, indo para as cidades na procura de emprego e melhores condições de vida. Receoso de que pudesse acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador criou a política do Pão e Circo. Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu de Roma), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava por esquecer os seus problemas e assim diminuía a possibilidade de revoltas.
  • 12. A Cultura Romana A vida cultural romana, tal como todas as realizações romanas, teve sempre um sentido prático, realista, virado para o concreto. Não significa que os Romanos desprezassem as coisas do espírito, pelo contrário, cultivaram as artes e as letras com entusiasmo. No entanto, também aqui se reflecte este espírito prático: por exemplo, a História não serviu apenas para relatar os factos passados mas será para os Romanos uma lição e uma forma de passar aos outros a grandeza da sua pátria. De facto, ao contrário dos Gregos para quem todas as coisas tinham que ser belas, os Romanos sentiam que todas as coisas tinham que ser úteis.
  • 13.
  • 14. A cultura romana resultou de um processo de síntese (original) da cultura etrusca, que lhe legou os fundamentos da vida urbana, da hierarquia social e das primeiras crenças; da grega, que lhe forneceu modelos artísticos, literários, filosóficos e religiosos, e ainda da oriental, que lhe incutiu o gosto pela monumentalidade, pelo conforto, pelo luxo e também pelo misticismo. O urbanismo foi um dos pontos fundamentais na organização da civilização romana: o espaço urbano era pensado segundo as ideias pragmáticas romanas: traçado regular das ruas, segundo um plano Norte-Sul (Cardus) e Este-Oeste (Decumanus). No centro destes dois eixos, localizava-se o Fórum. Os edifícios eram todos construídos tendo por base a sua utilidade: pontes, aquedutos, fóruns, termas, estradas, saneamento, anfiteatros, teatros, circos… Ou então, por demonstrarem a importância do Império, como no caso dos Arcos de Triunfo.
  • 15.
  • 16.
  • 17. A Religião Romana Antes do aparecimento de Cristo e da oficialização do Cristianismo, a religião romana era politeísta, ou seja, adoravam um grande número de deuses. Uma outra influência da Grécia verifica-se a este nível, pois os romanos adoptaram os deuses gregos, dando-lhes nomes latinos. A partir de Octávio César Augusto (o Divino), é criado também o culto ao Imperador. Os sacrifícios que ofereciam aos deuses demonstram mais uma vez a utilidade das suas acções. Ao fazê-los, esperavam em contrapartida o favor dos deuses. Os deuses romanos primitivos eram: * os Lares - deuses da família, * os Manes - as almas dos antepassados, * os Penates - deuses das refeições. O culto era assegurado por sacerdotes e sacerdotisas: os Áugures (intérpretes da vontade dos deuses), as Vestais (mantinham a chama sagrada acesa) e os Pontífices (fixavam os ritos e os calendários dos dias nefastos - desfavoráveis aos deuses).
  • 18. JÚPITER JÚPITER E JUNO DEMÉTER VÊNUS E MARTE BACO Deus Grego Deus Romano Função ou Característica Zeus Júpiter Pai dos deuses e dos homens, principal deus do Olimpo. Cronos Saturno Deus do tempo, pai de Zeus. Pertencia à raça dos titãs. Hera Juno Rainha dos deuses, esposa de Zeus. Hefesto Vulcano Artista do Olimpo, fazia os raios que Zeus lançava sobre os mortais. Filho de Zeus e Hera. Poseidon Netuno Senhor do oceano, irmão de Zeus. Hades Plutão Senhor do reino dos mortos, irmão de Zeus. Ares Marte Deus da guerra, filho de Zeus e Hera. Apolo Apolo Deus do sol, da arte de atirar com o arco, da música e da profecia. Filho de Zeus e Latona. Ártemis Diana Deusa da caça e da lua, irmã de Apolo. Afrodite Vênus Deusa da beleza e do amor, nasceu das espumas do mar. Eros Cupido Deus do amor, filho de Vênus. Palas Atena Minerva Deusa da sabedoria, nasceu da cabeça de Zeus. Hermes Mercúrio Deus da destreza e da habilidade. Filho e mensageiro de Zeus. Deméter Ceres Deusa da agricultura, filha de Cronos e Ops. Dioniso Baco Deus das festas, do vinho