SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
 
http://curlygirl.no.sapo.pt/tempogeologico.htm
http://w3.ualg.pt/~jdias/GEOLAMB/GA2_SistTerra/203TectPlacas/1_Introd.html No início desta era,toda a superfície terrestre se concentrava num único continente chamado Pangea. Porém com o tempo este supercontinente começou a fragmentar-se em dois contientes: a Laurásia que foi para o hemisfério norte e o Gondwana para o sul. www.geocities.com
 
205 M.a. Extinção de 50% das famílias animais, incluindo 95% das espécies marinhas. pterossauros dinossauros crocodiliano plesiossauros Primeiros mamíferos (evolução dos répteis marinhos) Surgem no final deste período os primeiros mamíferos. Pensa-se que seriam animais nocturnos, e que se alimentavam se insectos, de um modo semelhante aos actuais musaranhos. leptictídeo
Fóssil de amonite As temperaturas sobem gerando um clima tropical. Algumas regiões tornam-se mais áridas, enquanto que noutras alternam estações húmidas com estações muito secas. Despontam florestas de vegetação luxuriante. Estavam reunidas as condições para o aparecimento dos grandes dinossauros. stegossauros  archaeopteryx Fóssil de  pteridospérmica As paisagens alteram-se. As florestas de coníferas estabelecem-se em regiões mais secas.
130 M.a. Extinção de 35% das famílias animais, incluindo muitos répteis apatosauros Reconstrução do ambiente Jurássico plesiossauros ictiossauros Os mares do Jurássico estavam povoados por répteis perfeitamente adaptados ao ambiente marinho.
http://w3.ualg.pt/~jdias/GEOLAMB/GA2_SistTerra/204Evolucao/Paleomap.html A abertura do Atlântico Central foi originada por rotação da Laurásia. Neste processo, a América do Norte deslocou-se para norte e a Eurásia para sul.  Em consequência, as florestas temperadas húmidas (que originaram grandes depósitos de carvão) existentes na Ásia oriental, no Jurássico inferior, foram sendo progressivamente substituídas por desertos no Jurássico superior, à medida que a Ásia se deslocava de latitudes temperadas húmidas para latitudes subtropicais secas.  Esta rotação da Laurásia conduziu, também, ao encerramento do grande oceano em forma de V, o Tethys, que separava a Laurásia, a norte, da Gondwana em processo de fragmentação, a sul. 
A fragmentação da Pangea iniciou-se neste período. Após uma fase de actividade vulcânica ao longo da fronteira do que são hoje a costa ocidental a América do Norte e a costa noroeste de África, verificou-se a abertura do oceano Atlântico Central. Esta movimentação de placas deu origem, também, ao Golfo do México, o qual foi criado por afastamento entre a América do Norte e a América do Sul. Na África, verificava-se vulcanismo extensivo ao longo das fronteiras entre a África, a Antárctica e Madagáscar, processo este cujo desenvolvimento viria a conduzir à criação do oceano Índico ocidental.
65 M.a. O final deste período  é marcado pela extinção dos dinossauros e 50% das espécies marinhas ambulocetus basilosaurus equídeos As paisagens enchem-se de cor há medida que se instalam as novas plantas com flôr, as angiospérmicas, como por exemplo a magnólia, que sobreviveu até aos dias de hoje. magnólia
Diversas teorias tentam explicar este facto, mas a mais provável de todas é a queda de um grande asteróide na terra, que tenha levantado poeira suficiente na atmosfera para impedir que a luz do sol alcançasse a superfície. As plantas devido a ausência de luz, não podem realizar a fotossíntese(morrem). Os herbívoros morrem, e consequentemente os carnívoros também. Os poucos que sobrevivem são os animais que vivem no sub-solo  e as plantas que têm a raíz  a grande profundidade. http://www.brasilescola.com www.wikipedia.com http://br.geocities.com/dinossbr/histor_fimdosdinos.htm
A  Índia, juntamente com Madagáscar, separaram-se da Antárctica e da parte ocidental da Austrália, criando-se o oceano Índico. No Cretácico ocorreu outro importante episódio de riftogénese, o qual conduziu à divisão da Laurásia: a separação entre a América do Norte e a Europa.  A península ibérica afastou-se da França. Verificou-se a separação entre a Índia e Madagáscar, a derivação de Cuba e Hispaniola e a elevação das Montanhas Rochosas,devido à zona de subducção existente do lado do Pacífico. A segunda fase de fragmentação da Pangea iniciou-se no Cretácico inferior, à 140 milhões de anos. Na Gondwana, a abertura do Atlântico Sul conduziu à separação entre a América do Sul e a África.
Genericamente, o clima no Cretácico, tal como no Jurássico e no Triássico, era bastante mais quente do que o actual.  Existiam dinossauros e palmeiras quer a norte do círculo Árctico, quer na Antárctica e Austrália meridional.  Embora seja possível que tenham existido gelos quer no Pólo Norte, quer no Pólo Sul, durante o Cretácico inferior, não existiram grandes calotes durante toda a Era Mesozóica. As condições climáticas amenas existentes no Cretácico eram, em parte, devidas à grande quantidade de mares pouco profundos então existentes. A água quente das regiões equatoriais era transportada para latitudes mais altas, aquecendo as regiões polares. Os mares referidos tendiam, também, a amenizar os climas locais, à semelhança do que se verifica actualmente com o Mediterrâneo e o seu efeito amenizante do clima da Europa. O Cretácico foi, também, um período de expansão rápida de criação de crosta oceânica, compensada, em geral, por subducção de crosta oceânica do que foi o oceano Pantalássico e que, na altura, correspondia já, de alguma forma, ao oceano Pacífico. Pesquisa:  Silva, A Terra, Universo de vida http://biogeo1.wordpress.com/
EFP, Outubro 2007 10ºCT
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo GeológicoLucca
 
Era Cenozoica - Eras Geológicas
Era Cenozoica - Eras Geológicas Era Cenozoica - Eras Geológicas
Era Cenozoica - Eras Geológicas Caio Aguiar
 
A terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoA terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoMarília Pereira
 
9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absolutaguestfa5e9
 
Geo 13 ambientes sedimentares
Geo 13   ambientes sedimentaresGeo 13   ambientes sedimentares
Geo 13 ambientes sedimentaresNuno Correia
 
7oano formacao de_montanhas powerpoint
7oano formacao de_montanhas powerpoint7oano formacao de_montanhas powerpoint
7oano formacao de_montanhas powerpointAgostinho Rodrigues
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosGabriela Bruno
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentaresTânia Reis
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicomargaridabt
 
BioGeo11-princípios de estratigrafia
BioGeo11-princípios de estratigrafiaBioGeo11-princípios de estratigrafia
BioGeo11-princípios de estratigrafiaRita Rainho
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentaresCatir
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioRuana Viana
 
Geologia 10 face da terra
Geologia 10   face da terraGeologia 10   face da terra
Geologia 10 face da terraNuno Correia
 
Escala do tempo geológico
Escala do tempo geológicoEscala do tempo geológico
Escala do tempo geológicoLeonardo Alves
 

Mais procurados (20)

Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
 
Era Cenozoica - Eras Geológicas
Era Cenozoica - Eras Geológicas Era Cenozoica - Eras Geológicas
Era Cenozoica - Eras Geológicas
 
Aula 7 - CFQ 7º ano
Aula 7 - CFQ 7º anoAula 7 - CFQ 7º ano
Aula 7 - CFQ 7º ano
 
A terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interaçãoA terra e os seus subsistemas em interação
A terra e os seus subsistemas em interação
 
9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta
 
Geo 13 ambientes sedimentares
Geo 13   ambientes sedimentaresGeo 13   ambientes sedimentares
Geo 13 ambientes sedimentares
 
7oano formacao de_montanhas powerpoint
7oano formacao de_montanhas powerpoint7oano formacao de_montanhas powerpoint
7oano formacao de_montanhas powerpoint
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios Estratigráficos
 
Paleozoico (1)
Paleozoico (1)Paleozoico (1)
Paleozoico (1)
 
Deriva continental e tectonica
Deriva continental e tectonicaDeriva continental e tectonica
Deriva continental e tectonica
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
 
BioGeo11-princípios de estratigrafia
BioGeo11-princípios de estratigrafiaBioGeo11-princípios de estratigrafia
BioGeo11-princípios de estratigrafia
 
O tempo geológico
O tempo geológicoO tempo geológico
O tempo geológico
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do Quaternário
 
Geologia 10 face da terra
Geologia 10   face da terraGeologia 10   face da terra
Geologia 10 face da terra
 
Escala do tempo geológico
Escala do tempo geológicoEscala do tempo geológico
Escala do tempo geológico
 
Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico
 
II - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTALII - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTAL
 

Destaque

Pré Câmbrico E Paleozóico
Pré Câmbrico E PaleozóicoPré Câmbrico E Paleozóico
Pré Câmbrico E PaleozóicoCatir
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema SolarCatir
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...Hugo Martins
 
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015Gijasilvelitz 2
 
As Grutas
As GrutasAs Grutas
As GrutasCatir
 
O sistema solar origem
O sistema solar   origemO sistema solar   origem
O sistema solar origemIsabel Lopes
 
Geomonumentos Sedimentares
Geomonumentos SedimentaresGeomonumentos Sedimentares
Geomonumentos SedimentaresCatir
 
Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)
Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)
Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)Nuno Correia
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaIsabel Lopes
 
Agentes Modeladores da Paisagem
Agentes Modeladores da PaisagemAgentes Modeladores da Paisagem
Agentes Modeladores da PaisagemCatir
 
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10ºEXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10ºsandranascimento
 

Destaque (14)

Pré Câmbrico E Paleozóico
Pré Câmbrico E PaleozóicoPré Câmbrico E Paleozóico
Pré Câmbrico E Paleozóico
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
 
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...(3) biologia e geologia   10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
(3) biologia e geologia 10º ano - compreender a estrutura e dinâmica da geo...
 
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
Exercicíos do Iave - Biologia e Geologia actualização 2015
 
O sistema solar
O sistema solarO sistema solar
O sistema solar
 
As Grutas
As GrutasAs Grutas
As Grutas
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 
O sistema solar origem
O sistema solar   origemO sistema solar   origem
O sistema solar origem
 
Geomonumentos Sedimentares
Geomonumentos SedimentaresGeomonumentos Sedimentares
Geomonumentos Sedimentares
 
Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)
Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)
Resumo Da MatéRia De 10º Ano (Geologia)
 
Métodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosferaMétodos para o estudo do interior da geosfera
Métodos para o estudo do interior da geosfera
 
Agentes Modeladores da Paisagem
Agentes Modeladores da PaisagemAgentes Modeladores da Paisagem
Agentes Modeladores da Paisagem
 
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10ºEXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA 10º
 
EXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMESEXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMES
 

Semelhante a Evolução da Terra e extinção dos dinossauros no Cretácico

C:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4 Rita
C:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4  RitaC:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4  Rita
C:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4 Ritaguestd7e62c609
 
Terra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudançaTerra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudançajoanabreu
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosWander Junior
 
Separação dos continentes
Separação dos continentesSeparação dos continentes
Separação dos continentesruivaz1994
 
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Paulo Andrade
 
Separação dos continentes
Separação dos continentesSeparação dos continentes
Separação dos continentesruivaz1994
 
Geomorfologia brasileira recursos minerais
Geomorfologia brasileira   recursos mineraisGeomorfologia brasileira   recursos minerais
Geomorfologia brasileira recursos mineraisJulia Selistre
 
Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.
Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.
Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.Thiago Meira
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terracleiton denez
 
Deriva continental e Tectônica de Placas.pptx
Deriva continental e Tectônica de Placas.pptxDeriva continental e Tectônica de Placas.pptx
Deriva continental e Tectônica de Placas.pptxKelvin Sousa
 
Extinção permiano triássico
Extinção permiano triássicoExtinção permiano triássico
Extinção permiano triássicoAlexandre Queiroz
 

Semelhante a Evolução da Terra e extinção dos dinossauros no Cretácico (20)

Wegener Scotese
Wegener ScoteseWegener Scotese
Wegener Scotese
 
C:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4 Rita
C:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4  RitaC:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4  Rita
C:\Fakepath\Evolucao Dos Continentes4 Rita
 
Tectônica global
Tectônica globalTectônica global
Tectônica global
 
Terra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudançaTerra, um planeta em mudança
Terra, um planeta em mudança
 
Deriva continental
Deriva continentalDeriva continental
Deriva continental
 
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicosGeologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
Geologia evoluçao da terra e fenomenos geologicos
 
Separação dos continentes
Separação dos continentesSeparação dos continentes
Separação dos continentes
 
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
Geografia vestibular-enen-geografia-fisica (1)
 
Separação dos continentes
Separação dos continentesSeparação dos continentes
Separação dos continentes
 
Geomorfologia brasileira recursos minerais
Geomorfologia brasileira   recursos mineraisGeomorfologia brasileira   recursos minerais
Geomorfologia brasileira recursos minerais
 
"A Gênese", cap. 7.
 "A Gênese",  cap. 7. "A Gênese",  cap. 7.
"A Gênese", cap. 7.
 
Deriva continental.ppt
Deriva  continental.pptDeriva  continental.ppt
Deriva continental.ppt
 
Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.
Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.
Pacific Ring of Fire: Cinturão de Fogo ou Anel de Fogo.
 
Unidade 3 e 4 pptx
Unidade 3 e 4 pptxUnidade 3 e 4 pptx
Unidade 3 e 4 pptx
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terra
 
Rafael e michael 1 5°b
Rafael e michael 1 5°bRafael e michael 1 5°b
Rafael e michael 1 5°b
 
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No MundoAbalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
 
Deriva continental e Tectônica de Placas.pptx
Deriva continental e Tectônica de Placas.pptxDeriva continental e Tectônica de Placas.pptx
Deriva continental e Tectônica de Placas.pptx
 
Guião
GuiãoGuião
Guião
 
Extinção permiano triássico
Extinção permiano triássicoExtinção permiano triássico
Extinção permiano triássico
 

Mais de Catir

Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º anoExercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º anoCatir
 
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoExercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoCatir
 
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânicaCatir
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemasCatir
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasCatir
 
Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1Catir
 
Paisagens geológicas
Paisagens geológicasPaisagens geológicas
Paisagens geológicasCatir
 
A célula
A célulaA célula
A célulaCatir
 
A Terra como um sistema
A Terra como um sistemaA Terra como um sistema
A Terra como um sistemaCatir
 
Terra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaTerra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaCatir
 
História das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em CiênciasHistória das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em CiênciasCatir
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivoCatir
 
o sistema respiratório
o sistema respiratórioo sistema respiratório
o sistema respiratórioCatir
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfáticoCatir
 
Algumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatórioAlgumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatórioCatir
 
Tipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguíneaTipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguíneaCatir
 
O ciclo cardíaco
O ciclo cardíacoO ciclo cardíaco
O ciclo cardíacoCatir
 
Anatomia do coração
Anatomia do coraçãoAnatomia do coração
Anatomia do coraçãoCatir
 
Constituição do sangue
Constituição do sangueConstituição do sangue
Constituição do sangueCatir
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervosoCatir
 

Mais de Catir (20)

Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º anoExercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
 
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoExercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
 
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânica
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas características
 
Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1
 
Paisagens geológicas
Paisagens geológicasPaisagens geológicas
Paisagens geológicas
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A Terra como um sistema
A Terra como um sistemaA Terra como um sistema
A Terra como um sistema
 
Terra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaTerra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vida
 
História das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em CiênciasHistória das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em Ciências
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
 
o sistema respiratório
o sistema respiratórioo sistema respiratório
o sistema respiratório
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
 
Algumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatórioAlgumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatório
 
Tipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguíneaTipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguínea
 
O ciclo cardíaco
O ciclo cardíacoO ciclo cardíaco
O ciclo cardíaco
 
Anatomia do coração
Anatomia do coraçãoAnatomia do coração
Anatomia do coração
 
Constituição do sangue
Constituição do sangueConstituição do sangue
Constituição do sangue
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 

Evolução da Terra e extinção dos dinossauros no Cretácico

  • 1.  
  • 3. http://w3.ualg.pt/~jdias/GEOLAMB/GA2_SistTerra/203TectPlacas/1_Introd.html No início desta era,toda a superfície terrestre se concentrava num único continente chamado Pangea. Porém com o tempo este supercontinente começou a fragmentar-se em dois contientes: a Laurásia que foi para o hemisfério norte e o Gondwana para o sul. www.geocities.com
  • 4.  
  • 5. 205 M.a. Extinção de 50% das famílias animais, incluindo 95% das espécies marinhas. pterossauros dinossauros crocodiliano plesiossauros Primeiros mamíferos (evolução dos répteis marinhos) Surgem no final deste período os primeiros mamíferos. Pensa-se que seriam animais nocturnos, e que se alimentavam se insectos, de um modo semelhante aos actuais musaranhos. leptictídeo
  • 6. Fóssil de amonite As temperaturas sobem gerando um clima tropical. Algumas regiões tornam-se mais áridas, enquanto que noutras alternam estações húmidas com estações muito secas. Despontam florestas de vegetação luxuriante. Estavam reunidas as condições para o aparecimento dos grandes dinossauros. stegossauros archaeopteryx Fóssil de pteridospérmica As paisagens alteram-se. As florestas de coníferas estabelecem-se em regiões mais secas.
  • 7. 130 M.a. Extinção de 35% das famílias animais, incluindo muitos répteis apatosauros Reconstrução do ambiente Jurássico plesiossauros ictiossauros Os mares do Jurássico estavam povoados por répteis perfeitamente adaptados ao ambiente marinho.
  • 8. http://w3.ualg.pt/~jdias/GEOLAMB/GA2_SistTerra/204Evolucao/Paleomap.html A abertura do Atlântico Central foi originada por rotação da Laurásia. Neste processo, a América do Norte deslocou-se para norte e a Eurásia para sul. Em consequência, as florestas temperadas húmidas (que originaram grandes depósitos de carvão) existentes na Ásia oriental, no Jurássico inferior, foram sendo progressivamente substituídas por desertos no Jurássico superior, à medida que a Ásia se deslocava de latitudes temperadas húmidas para latitudes subtropicais secas.  Esta rotação da Laurásia conduziu, também, ao encerramento do grande oceano em forma de V, o Tethys, que separava a Laurásia, a norte, da Gondwana em processo de fragmentação, a sul. 
  • 9. A fragmentação da Pangea iniciou-se neste período. Após uma fase de actividade vulcânica ao longo da fronteira do que são hoje a costa ocidental a América do Norte e a costa noroeste de África, verificou-se a abertura do oceano Atlântico Central. Esta movimentação de placas deu origem, também, ao Golfo do México, o qual foi criado por afastamento entre a América do Norte e a América do Sul. Na África, verificava-se vulcanismo extensivo ao longo das fronteiras entre a África, a Antárctica e Madagáscar, processo este cujo desenvolvimento viria a conduzir à criação do oceano Índico ocidental.
  • 10. 65 M.a. O final deste período é marcado pela extinção dos dinossauros e 50% das espécies marinhas ambulocetus basilosaurus equídeos As paisagens enchem-se de cor há medida que se instalam as novas plantas com flôr, as angiospérmicas, como por exemplo a magnólia, que sobreviveu até aos dias de hoje. magnólia
  • 11. Diversas teorias tentam explicar este facto, mas a mais provável de todas é a queda de um grande asteróide na terra, que tenha levantado poeira suficiente na atmosfera para impedir que a luz do sol alcançasse a superfície. As plantas devido a ausência de luz, não podem realizar a fotossíntese(morrem). Os herbívoros morrem, e consequentemente os carnívoros também. Os poucos que sobrevivem são os animais que vivem no sub-solo e as plantas que têm a raíz a grande profundidade. http://www.brasilescola.com www.wikipedia.com http://br.geocities.com/dinossbr/histor_fimdosdinos.htm
  • 12. A Índia, juntamente com Madagáscar, separaram-se da Antárctica e da parte ocidental da Austrália, criando-se o oceano Índico. No Cretácico ocorreu outro importante episódio de riftogénese, o qual conduziu à divisão da Laurásia: a separação entre a América do Norte e a Europa. A península ibérica afastou-se da França. Verificou-se a separação entre a Índia e Madagáscar, a derivação de Cuba e Hispaniola e a elevação das Montanhas Rochosas,devido à zona de subducção existente do lado do Pacífico. A segunda fase de fragmentação da Pangea iniciou-se no Cretácico inferior, à 140 milhões de anos. Na Gondwana, a abertura do Atlântico Sul conduziu à separação entre a América do Sul e a África.
  • 13. Genericamente, o clima no Cretácico, tal como no Jurássico e no Triássico, era bastante mais quente do que o actual. Existiam dinossauros e palmeiras quer a norte do círculo Árctico, quer na Antárctica e Austrália meridional. Embora seja possível que tenham existido gelos quer no Pólo Norte, quer no Pólo Sul, durante o Cretácico inferior, não existiram grandes calotes durante toda a Era Mesozóica. As condições climáticas amenas existentes no Cretácico eram, em parte, devidas à grande quantidade de mares pouco profundos então existentes. A água quente das regiões equatoriais era transportada para latitudes mais altas, aquecendo as regiões polares. Os mares referidos tendiam, também, a amenizar os climas locais, à semelhança do que se verifica actualmente com o Mediterrâneo e o seu efeito amenizante do clima da Europa. O Cretácico foi, também, um período de expansão rápida de criação de crosta oceânica, compensada, em geral, por subducção de crosta oceânica do que foi o oceano Pantalássico e que, na altura, correspondia já, de alguma forma, ao oceano Pacífico. Pesquisa: Silva, A Terra, Universo de vida http://biogeo1.wordpress.com/
  • 15.